Uriclin 5 mg Comprimido revestido por película

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Solifenacina
Disponível em:
Astellas Farma, Lda.
Código ATC:
G04BD
DCI (Denominação Comum Internacional):
Solifenacin
Dosagem:
5 mg
Forma farmacêutica:
Comprimido revestido por película
Composição:
Solifenacina, succinato 5 mg
Via de administração:
Via oral
Unidades em pacote:
Blister - 10 unidade(s)
Tipo de prescrição:
MSRM
Grupo terapêutico:
7.4.2.2 Medicamentos usados na incontinência urinária
Área terapêutica:
Drugs for urinary frequency and incontinence
Resumo do produto:
5248588 - Blister 10 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 3 Ano(s) - Não comercializado - 10036468 - ; 5248687 - Blister 30 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 3 Ano(s) - Não comercializado - 10036468 -
Status de autorização:
Revogado (10 de Agosto de 2012)
Número de autorização:
NL/H/488/01
Data de autorização:
2004-11-09

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

Folheto informativo: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Uriclin 5 mg comprimidos revestidos por película

Uriclin 10 mg comprimidos revestidos por película

succinato de solifenacina

Neste folheto:

1.O que é Uriclin e para que é utilizado

2.Antes de tomar Uriclin

3.Como tomar Uriclin

4.Efeitos secundários possíveis

5.Como conservar Uriclin

6.Outras informações

1.O que é Uriclin e para que é utilizado

A substância activa do Uriclin pertence ao grupo dos anticolinérgicos. Estes

medicamentos são utilizados para reduzir a actividade da bexiga hiperactiva. Isto

permite-lhe esperar mais tempo antes de ir à casa de banho e aumenta a quantidade de

urina que pode aguentar na sua bexiga.

O Uriclin é utilizado para tratar os sintomas de uma condição chamada de bexiga

hiperactiva. Estes sintomas incluem: ter uma forte e súbita vontade de urinar sem um

aviso prévio, ter de urinar frequentemente ou ficar molhada porque não chegou à casa

de banho a tempo.

2.Antes de tomar o Uriclin

Não tome Uriclin:

Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento.

Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.

Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento pode ser-

lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não

mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

- se tiver dificuldade em urinar ou em esvaziar completamente a sua bexiga (retenção

urinária)

- se tem uma condição grave no estômago ou intestino (incluindo megacólon tóxico,

uma complicação associada a colite ulcerosa)

- se sofre de doença muscular chamada miastenia grave, que pode causar uma fraqueza

extrema em alguns músculos

- se sofre de aumento de pressão nos olhos, com a perda gradual da visão (glaucoma)

se é alérgico (tem hipersensibilidade) à solifenacina ou a qualquer outro componente do

Uriclin;

se está sujeito a diálise renal;

se sofre de doença grave do fígado;

-se sofre de uma doença renal grave ou de uma doença moderada do fígado E ao mesmo

tempo está a ser tratado com medicamentos que possam diminuir a remoção do Uriclin

do seu corpo (por exemplo, o cetoconazol). O seu médico ou farmacêutico tê-lo-á

informado se for o caso.

Informe o seu médico se tem ou alguma vez teve os problemas mencionados

anteriormente, antes de iniciar o tratamento com o Uriclin.

Tome especial cuidado com Uriclin:

se tem dificuldade em esvaziar a sua bexiga (= obstrução da bexiga) ou se tem

dificuldade em urinar (por exemplo, um fluxo de urina fraco). O risco de acumulação de

urina na bexiga (retenção urinária) é muito mais elevado.

se tem alguma obstrução no aparelho digestivo (prisão de ventre).

se estiver em risco do seu aparelho digestivo abrandar (movimentos do estômago e

intestino). O seu médico tê-lo-á informado se for o caso.

se sofre de uma doença renal grave.

se tem uma doença moderada do fígado.

se sofre de problemas do estômago (hérnia do hiato) ou azia.

se tem problemas no sistema nervoso (neuropatia autonómica).

O Uriclin não deve ser administrado em crianças e adolescentes com idade inferior a 18

anos.

Informe o seu médico se tem ou alguma vez teve os problemas mencionados

anteriormente, antes de iniciar o tratamento com o Uriclin.

Foi notificado, em alguns doentes que tomam succinato de solifenacina (Uriclin),

angioedema (alergia na pele que resulta no inchaço dos tecidos logo abaixo da

superfície da pele) com obstrução das vias aéreas (dificuldade em respirar). Se surgir

angioedema, o succinato de solifenacina (Uriclin) deve ser descontinuado e deverá ser

iniciada uma terapêutica e/ou medidas adequadas.

Antes de iniciar o tratamento com o Uriclin, o seu médico irá avaliar se existem outras

causas para a sua necessidade de urinar com frequência (por exemplo, insuficiência

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

cardíaca (insuficiente bombeamento do coração) ou doença renal). Se tem uma infecção

no tracto urinário, o seu médico prescrever-lhe-á um antibiótico (um tratamento

específico contra as infecções bacterianas).

Ao tomar Uriclin com outros medicamentos

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente

outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

É muito importante informar o seu médico se está a tomar:

- outros medicamentos anticolinérgicos, os efeitos e efeitos secundários de ambos os

medicamentos podem ser aumentados.

- colinérgicos, pois podem reduzir o efeito do Uriclin.

- medicamentos, como a metoclopramida e o cisapride, que fazem o sistema digestivo

trabalhar mais rapidamente. O Uriclin pode reduzir os seus efeitos.

- medicamentos, como o cetoconazol, o ritonavir, o nelfinavir, o itraconazol, o

verapamil e o diltiazem, que diminuem a taxa com que o Uriclin é transformado no

corpo.

- medicamentos como a rifampicina, a fenitoína e a carbamazepina, que podem

aumentar a taxa com que o Uriclin é transformado no corpo.

- medicamentos como os bisfosfonatos, que podem causar ou agravar uma inflamação

no esófago (esofagite).

Ao tomar Uriclin com alimentos e bebidas:

O Uriclin pode ser tomado com ou sem alimentos, de acordo com a sua preferência.

Gravidez e aleitamento

Não tome o Uriclin se está grávida, a não ser que seja estritamente necessário.

Não tome o Uriclin se estiver a amamentar porque a solifenacina pode ser excretada no

leite materno.

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas

O Uriclin pode provocar visão turva e por vezes sonolência ou fadiga. Se sentir um

desses efeitos secundários, não conduza ou manipule máquinas.

Informações importantes sobre alguns ingredientes do Uriclin:

Uriclin contém lactose. Se o seu médico lhe disse que tem um problema hereditário raro

de intolerância à galactose, deficiência de lactase de Lapp ou má absorção de glucose-

galactose não deve tomar este medicamento.

3.Como tomar Uriclin

Instruções para uma utilização adequada

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

Tomar Uriclin sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu médico

ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Deve engolir o comprimido inteiro com algum líquido. Pode ser ingerido com ou sem

alimentos, de acordo com a sua preferência. Não esmague o comprimido.

A dose recomendada é 5 mg por dia, a não ser que o seu médico o tenha instruído a

tomar 10 mg por dia.

Se tomar mais Uriclin do que deveria:

Se tomou demasiado Uriclin ou se, por acidente, uma criança tomou acidentalmente

Uriclin, contacte imediatamente o seu médico ou farmacêutico.

Os sintomas da sobredosagem podem ser: dor de cabeça, boca seca, tonturas,

sonolência e visão turva, ver coisas que não existem (alucinações), excitação

pronunciada, ataques (convulsões), dificuldade em respirar, elevado ritmo cardíaco

(taquicardia), acumulação de urina na bexiga (retenção urinária) e dilatação das pupilas

(midríase).

Caso se tenha esquecido de tomar Uriclin:

Se se esqueceu de tomar a dose à hora habitual, tome assim que se lembrar, a não ser

que seja hora de tomar a próxima dose. Não tome mais do que uma dose por dia. Em

caso de dúvida, consulte sempre o seu médico ou farmacêutico.

Se parar de tomar Uriclin

Se parou de tomar o Uriclin, os seus sintomas de bexiga hiperactiva podem voltar ou

piorar. Consulte sempre o seu médico, se considera parar o tratamento.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico

ou farmacêutico.

4.Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, Uriclin pode causar efeitos secundários, no entanto estes

não se manifestam em todas as pessoas.

O Uriclin pode causar os seguintes:

Efeitos secundários muito frequentes (podendo afectar mais de 1 em 10 doentes):

- boca seca

Efeitos secundários frequentes (podendo afectar mais de 1 em 100 e menos de 1 em 10

doentes)

- visão turva

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

- prisão de ventre, náusea, indigestão com sintomas como a sensação de enfartamento

abdominal, dor abdominal, arroto (eructação), náusea e azia (dispepsia), desconforto no

estômago.

Efeitos secundários pouco frequentes (podendo afectar mais de 1 em 1 000 e menos de

1 em 100 doentes)

- infecção do tracto urinário, infecção na bexiga

- sonolência

- diminuição de sensação do paladar (disgeusia)

- olhos secos (irritados)

- fossas nasais secas

- doença de refluxo (refluxo gastro-esofágico)

- garganta seca

- pele seca

- dificuldades a urinar

- cansaço

- acumulação de líquidos na parte inferior das pernas (edema)

Efeitos secundários raros (podendo afectar mais de 1 em 10 000 e menos de 1 em 1 000

doentes)

- acumulação de uma grande quantidade de fezes endurecidas no intestino grosso

(oclusão fecal)

- acumulação de urina na bexiga devido à incapacidade de esvaziar a bexiga (retenção

urinária).

- tonturas, dores de cabeça

- vómitos

- comichão, erupção na pele

Efeitos secundários muito raros (podendo afectar menos de 1 em 10 000 doentes)

- alucinações, confusão

- alterações na actividade eléctrica do coração (ECG), batimentos cardíacos irregulares

(Torsade de Pointes)

- reacção alérgica

- alergia na pele que resulta no inchaço dos tecidos logo abaixo da superfície da pele

(angioedema)

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos

secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

5.Como conservar Uriclin

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

Não utilize o Uriclin após expirar o prazo de validade indicado na embalagem depois de

VAL. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

6. Outras informações

Qual a composição de Uriclin

- a substância activa é succinato de solifenacina, 5 mg ou 10 mg.

- os outros componentes são: amido de milho, lactose, hipromelose (E464), estearato de

magnésio, macrogol, talco, dióxido de titânio (E171) e óxido de ferro (E172).

Qual o aspecto de Uriclin e conteúdo da embalagem

Os comprimidos de Uriclin 5 mg são redondos, amarelos claro e marcados com o

logótipo da companhia e o código “150” na mesma face.

Os comprimidos de Uriclin 10 mg são redondos, cor-de-rosa claro e marcados com o

logótipo da companhia e o código “151” na mesma face.

Os comprimidos Uriclin são fornecidos em blisteres de 3, 5, 10, 20, 30, 50, 60, 90 ou

100 comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Astellas Farma, Lda.

Rua José Fontana, nº 1, 1º andar

2770-101 Paço de Arcos

Portugal

Fabricante

Astellas Pharma Europe BV

Elisabethhof 19

2353 EW Leiderdorp

Países Baixos

Este medicamento encontra-se autorizado nos Estados Membros do Espaço Económico

Europeu (EEE) sob as seguintes denominações:

Países Baixos, Portugal: Uriclin

Este folheto foi aprovado pela última vez em

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

1. NOME DO MEDICAMENTO

Uriclin 5 mg, comprimido revestido por película.

2.COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Comprimido revestido por película de Uriclin 5 mg:

Cada comprimido contém 5 mg de succinato de solifenacina, equivalente a 3,8 mg de

solifenacina.

Excipientes: lactose mono-hidratada (107,5 mg)

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Comprimidos revestidos por película.

Comprimidos revestidos por película de Uriclin 5 mg:

Cada comprimido de 5 mg é um comprimido redondo, amarelo claro e marcado com o

logótipo

e “150” na mesma face.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1Indicações terapêuticas

Tratamento sintomático da incontinência por imperiosidade miccional e/ou frequência

urinária aumentada e urgência que podem ocorrer em doentes com síndroma de bexiga

hiperactiva.

4.2Posologia e modo de administração

Posologia

Adultos, incluindo idosos

A dose recomendada é 5 mg de succinato de solifenacina uma vez por dia. Se

necessário, a dose pode ser aumentada para 10 mg de succinato de solifenacina uma vez

por dia.

Crianças e adolescentes

A segurança e eficácia em crianças ainda não foram estabelecidas. Consequentemente,

o Uriclin não deve ser utilizado em crianças.

Populações especiais

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

Doentes com compromisso renal

Não é necessário ajustar a dose em doentes com compromisso renal ligeiro a moderado

(depuração da creatinina > 30 ml/min). Doentes com compromisso renal grave

(depuração da creatinina

30 ml/min) devem ser tratados com cuidado e não devem

receber mais de 5 mg uma vez por dia (ver secção 5.2).

Doentes com afecção hepática

Não é necessário ajustar a dose em doentes com afecção hepática ligeira. Doentes com

afecção hepática moderada (7 a 9 na escala de Child-Pugh) devem ser tratados com

cuidado e não devem receber mais de 5 mg uma vez por dia (ver secção 5.2).

Inibidores potentes do citocromo P450 3A4

A dose máxima de Uriclin deve ser limitada a 5 mg quando usada simultaneamente com

cetoconazol ou doses terapêuticas de outros inibidores potentes da CYP3A4, por

exemplo, ritonavir, nelfinavir, itraconazol (ver secção 4.5).

Modo de administração

O Uriclin deve ser administrado oralmente e deve ser engolido inteiro com líquidos.

Pode ser ingerido com ou sem alimentos.

4.3Contra-indicações

A solifenacina está contra-indicada em doentes com retenção urinária, situação

gastrintestinal grave (incluindo megacólon tóxico), miastenia grave ou glaucoma de

ângulo fechado e em doentes em risco para estas situações.

Doentes hipersensíveis à substância activa ou a qualquer dos excipientes.

Doentes sujeitos a hemodiálise (ver secção 5.2).

Doentes com afecção hepática grave (ver secção 5.2).

Doentes com compromisso renal grave ou afecção hepática moderada e que estão em

tratamento com inibidores potentes da CYP3A4, por exemplo, cetoconazol (ver secção

4.5).

4.4Advertências e precauções especiais de utilização

Devem ser avaliadas outras causas para a micção frequente (insuficiência cardíaca ou

doença renal) antes do tratamento com o Uriclin. Se está presente uma infecção do

tracto urinário, deve ser iniciada uma terapia antibacteriana apropriada.

O Uriclin deve ser utilizado com precaução em doentes com:

obstrução clinicamente significativa do esvaziamento da bexiga com risco de retenção

urinária.

distúrbios gastrintestinais obstrutivos.

risco de diminuição da motilidade gastrintestinal.

compromisso renal grave (depuração da creatinina

30 ml/min; ver secções 4.2 e 5.2) e

as doses não devem exceder os 5 mg para estes doentes.

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

afecção hepática moderada (7 a 9 na escala de Child-Pugh; ver secções 4.2 e 5.2) e as

doses não devem exceder os 5 mg para estes doentes.

utilização concomitante de inibidores potentes da CYP3A4, por exemplo, o cetoconazol

(ver secções 4.2 e 4.5).

hérnia do hiato/refluxo gastro-esofágico e/ou quem esteja concomitantemente a tomar

medicamentos (tais como bifosfonatos) que podem causar ou exacerbar a esofagite.

neuropatia autonómica.

A segurança e eficácia não foram ainda estabelecidas em doentes com causa

neurológica para a hiperactividade do detrusor.

Os doentes com problemas hereditários raros de intolerância à galactose, deficiência de

lactase de Lapp ou má absorção de glucose-galactose não devem tomar este

medicamento.

Foi notificado angioedema com obstrução das vias aéreas em alguns doentes que

tomam succinato de solifenacina. Se ocorrer angioedema, o succinato de solifenacina

deve ser descontinuado e iniciar-se uma terapêutica e/ou medidas adequadas.

O efeito máximo do Uriclin pode ser determinado logo após 4 semanas.

4.5Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

Interacções farmacológicas

A medicação concomitante com outros medicamentos que possuam propriedades

anticolinérgicas, pode resultar em efeitos terapêuticos mais pronunciados e efeitos

indesejáveis. Deve ser concedido um intervalo de aproximadamente uma semana após a

paragem do tratamento com o Uriclin, antes de começar outra terapia anticolinérgica. O

efeito terapêutico da solifenacina pode ser reduzido pela administração concomitante de

agonistas dos receptores colinérgicos.

A solifenacina pode reduzir o efeito dos medicamentos que estimulam a motilidade do

tracto gastrintestinal, tal como a metoclopramida e o cisapride.

Interacções farmacocinéticas

Estudos in vitro demonstraram que em concentrações terapêuticas, a solifenacina não

inibe as CYP1A1/2, 2C9, 2C19, 2D6 ou 3A4 derivadas dos microssomas do fígado

humano. Por conseguinte, é improvável que a solifenacina altere a depuração de

fármacos metabolizados por estas enzimas CYP.

Efeito de outros medicamentos na farmacocinética da solifenacina

A solifenacina é metabolizada pela CYP3A4. A administração simultânea de

cetoconazol (200 mg/dia), um inibidor potente da CYP3A4, resultou num aumento de

duas vezes da AUC da solifenacina, enquanto que o cetoconazol numa dose de 400

mg/dia resultou num aumento de três vezes da AUC da solifenacina.

Consequentemente, a dose máxima de Uriclin deve ser restringida a 5 mg, quando

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

utilizada simultaneamente com cetoconazol ou doses terapêuticas de outros inibidores

potentes da CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, nelfinavir, itraconazol) (ver secção 4.2).

O tratamento simultâneo da solifenacina com um inibidor potente da CYP3A4 está

contra-indicado em doentes com compromisso renal grave ou afecção hepática

moderada.

Não foram estudados os efeitos da indução enzimática na farmacocinética da

solifenacina e seus metabolitos, nem o efeito de substratos de maior afinidade para a

CYP3A4 na exposição à solifenacina. Uma vez que a solifenacina é metabolizada pela

CYP3A4, são possíveis interacções farmacocinéticas com outros substratos com maior

afinidade (por exemplo, verapamil, diltiazem) e indutores da CYP3A4 (por exemplo,

rifampicina, fenitoína, carbamazepina).

Efeito da solifenacina na farmacocinética de outros medicamentos

Contraceptivos orais

A ingestão de Uriclin não mostrou ter interacções farmacocinéticas com contraceptivos

orais combinados (etinilestradiol/levonorgestrel).

Varfarina

A ingestão de Uriclin não alterou a farmacocinética da R-varfarina ou S-varfarina ou o

seu efeito no tempo de protrombina.

Digoxina

A ingestão de Uriclin não mostrou ter efeito na farmacocinética de digoxina.

4.6Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

Não estão disponíveis dados clínicos de mulheres que tenham engravidado enquanto

tomavam solifenacina. Estudos em animais não indicam efeitos nocivos directos na

fertilidade, desenvolvimento embrionário/fetal ou parto (ver secção 5.3). O risco

potencial nos humanos é desconhecido. A prescrição às mulheres grávidas deve ser

exercida com precaução.

Aleitamento

Não estão disponíveis dados sobre a excreção da solifenacina no leite humano. Em

ratinhos, a solifenacina e/ou os seus metabolitos foram excretados no leite e causaram

um atraso dose-dependente no desenvolvimento de ratinhos neonatais (ver secção 5.3).

A utilização do Uriclin deve ser, consequentemente, evitada durante o aleitamento.

4.7Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Uma vez que a solifenacina, tal como outros anticolinérgicos, pode causar visão turva e,

pouco frequentemente, sonolência e fadiga (ver secção 4.8 Efeitos indesejáveis), a

capacidade de conduzir e utilizar máquinas podem ser afectadas negativamente.

4.8Efeitos indesejáveis

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

Devido ao efeito farmacológico da solifenacina, o Uriclin pode causar efeitos

indesejáveis anticolinérgicos, (geralmente) de gravidade ligeira ou moderada. A

frequência de efeitos indesejáveis anticolonérgicos está relacionada com a dose. A

reacção adversa mais frequentemente notificada com Uriclin foi a secura da boca.

Ocorreu em 11% dos doentes tratados com 5 mg por dia, em 22% dos doentes tratados

com 10 mg por dia e 4% dos doentes tratados com placebo. A secura da boca foi

geralmente de gravidade ligeira e só ocasionalmente levou à descontinuação do

tratamento. Em geral, a adesão à terapêutica foi muito elevada (aproximadamente 99%)

e aproximadamente 90% dos doentes completaram o período de estudo total de 12

semanas de tratamento.

Classe de

sistemas de

orgãos

segundo a

base de dados

MedDRA

Muito

Frequentes

1/10

Frequentes

>1/100,

<1/10

Pouco

frequentes

>1/1.000,

<1/100

Raros

>1/10.000,

<1/1.000

Muito raros

<1/10.000,

desconhecido

(não pode ser

calculado a

partir dos

dados

disponíveis)

Desconhecido

(não pode ser

calculado a

partir dos

dados

disponíveis)

Infecções e

infestações

Infecção do

tracto

urinário

Cistite

Perturbações

do foro

psiquiátrico

Alucinações*

Estado de

confusão*

Doenças do

sistema

nervoso

Sonolência

Disgeusia

Tonturas*

Cefaleias*

Afecções

oculares

Visão

turva

Secura dos

olhos

Doenças

respiratórias,

torácicas e do

mediastino

Secura

nasal

Doenças

gastrintestinais

Boca seca

Obstipação

Náusea

Dispepsia

abdominal

Doenças de

refluxo

gastro-

esofageal

Garganta

seca

Obstrução

do cólon

Oclusão

fecal

Vómitos*

Afecções dos

tecidos

cutâneos e

Pele seca

Prurido*

Erupção

cutânea*

Eritema

multiforme*

Urticária*

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

subcutâneos

Angioedema*

Doenças

renais e

urinárias

Dificuldade

na micção

Retenção

urinária

Perturbações

gerais e

alterações no

local de

administração

Fadiga

Edema

periférico

* observados após a comercialização

O prolongamento do intervalo QT e Torsades de Pointes foram notificados em

associação com a utilização da solifenacina durante a experiência após a

comercialização a nível mundial. Como estes acontecimentos espontaneamente

notificados são obtidos a partir da experiência após a comercialização mundial, a

frequência dos acontecimentos e o papel da solifenacina na sua causalidade não podem

ser determinados com fiabilidade.

4.9Sobredosagem

Sintomas

A sobredosagem com succinato de solifenacina pode potencialmente resultar em efeitos

anticolinérgicos graves. A dose mais elevada de succinato de solifenacina administrada

acidentalmente a um doente foi de 280 mg, durante um período de 5 horas, que resultou

em alterações do estado mental sem necessidade de hospitalização.

Tratamento

Na eventualidade de sobredosagem com o succinato de solifenacina, o doente deve ser

tratado com carvão activado. A lavagem gástrica é útil quando realizada no intervalo de

1 hora após a toma, mas o vómito não deve ser induzido.

Tal como para outros anticolinérgicos, os sintomas podem ser tratados como se segue:

efeitos anticolinérgicos centrais graves como alucinações e excitação pronunciada:

tratar com fisostigmina e carbacol.

convulsões e excitação pronunciada: tratar com benzodiazepinas.

insuficiência respiratória: tratar com respiração artificial.

taquicardia: tratar com bloqueadores beta.

retenção urinária: tratar com cateterização.

midríase: tratar com gotas oculares de pilocarpina e/ou colocar o doente num quarto

escuro.

Tal como com outros antimuscarínicos, no caso de sobredosagem, deve ser prestada

atenção específica aos doentes com risco conhecido de prolongamento do intervalo QT

(isto é, hipocaliemia, bradicardia e administração concomitante de medicamentos que

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

prolonguem o intervalo QT) e doenças cardíacas pré-existentes relevantes (isto é,

isquémia do miocárdio, arritmia, insuficiência cardíaca congestiva).

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: 7.4.2.2 - Medicamentos usados na incontinência urinária.

Código ATC: G04BD08

Mecanismo de acção

A solifenacina é um antagonista específico e competitivo dos receptores colinérgicos.

A bexiga é inervada por nervos colinérgicos parassimpáticos. A acetilcolina contrai o

músculo liso detrusor através de receptores muscarínicos dos quais o subtipo M3 está

predominantemente envolvido. Estudos farmacológicos in vitro e in vivo indicam que a

solifenacina é um inibidor competitivo do receptor muscarínico de subtipo M3.

Adicionalmente, a solifenacina mostrou ser um antagonista específico para receptores

muscarínicos, exibindo baixa ou nenhuma afinidade para vários outros receptores e

canais iónicos testados.

Efeitos farmacodinâmicos

O tratamento com o Uriclin em doses diárias de 5 mg e 10 mg foi estudado em vários

ensaios clínicos controlados, aleatorizados e com dupla ocultação, em mulheres e

homens com bexiga hiperactiva.

Como se mostra na tabela seguinte, ambas as doses de 5 mg e 10 mg de Uriclin

produzem melhorias estatisticamente significativas nos objectivos primários e

secundários comparativamente com o placebo. A eficácia foi observada dentro de uma

semana desde o início do tratamento, estabilizando durante um período de 12 semanas.

Um estudo aberto de longa duração demonstrou que a eficácia foi mantida durante pelo

menos 12 meses. Após 12 semanas de tratamento, aproximadamente 50% dos doentes

que sofriam de incontinência antes do tratamento estavam livres de episódios de

incontinência e, adicionalmente, 35% dos doentes atingiram uma frequência de micção

inferior a 8 micções por dia. O tratamento dos sintomas da bexiga hiperactiva também

resultou num benefício em várias medidas de Qualidade de Vida, tais como percepção

geral de saúde, impacto na incontinência, limitação de funções, limitações físicas,

limitações sociais, emoções, gravidade dos sintomas, medidas de severidade e

sono/energia.

Resultados (dados reunidos) de 4 estudos controlados de fase III com uma duração de

tratamento de 12 semanas.

Placebo

Uriclin

5 mg

1 x dia

Uriclin

10 mg

1 x dia

Tolterrodina

2 mg

2 x dia

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

Nº. de micções/24h

Média da linha de base

Redução média a partir da linha de base

% de mudança a partir da linha de base

valor de p*

11,9

(12%)

1138

12,1

(19%)

<0,001

11,9

(23%)

1158

<0,001

12,1

(16%)

0,004

Nº de episódios de urgência/24h

Média da linha de base

Redução média a partir da linha de base

% de mudança a partir da linha de base

valor de p*

(32%)

1124

(49%)

<0,001

(55%)

1151

<0,001

(39%)

0,031

Nº de episódios de incontinência/24h

Média da linha de base

Redução média a partir da linha de base

% de mudança a partir da linha de base

valor de p*

(38%)

(58%)

<0,001

(62%)

<0,001

(48%)

0,009

Nº de episódios de noctúria/24h

Média da linha de base

Redução média a partir da linha de base

% de mudança a partir da linha de base

valor de p*

(22%)

1005

(30%)

0,025

(33%)

1035

<0,001

(26%)

0,199

Volume urinado/micção

Média da linha de base

Aumento médio a partir da linha de base

% de mudança a partir da linha de base

valor de p*

166 ml

9 ml

(5%)

1135

146 ml

32 ml

(21%)

<0,001

163 ml

43 ml

(26%)

1156

<0,001

147 ml

24 ml

(16%)

<0,001

Nº de fraldas/24h

Média da linha de base

Redução média a partir da linha de base

% de mudança a partir da linha de base

valor de p*

(27%)

(46%)

<0,001

(48%)

<0,001

(37%)

0,010

Nota: Em 4 dos estudos pivô foram utilizados o Uriclin 10 mg e o placebo. Em 2

destes 4 estudos também foi utilizado o Uriclin 5 mg e um destes estudos incluiu a

tolterrodina 2 mg duas vezes por dia.

Nem todos os parâmetros e grupos de tratamento foram avaliados em cada estudo

individual. Portanto, o número de doentes listado pode diferir por parâmetro e grupo de

tratamento.

*Valor de P para a comparação por pares contra placebo.

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

5.2 Propriedades farmacocinéticas

Característica gerais

Absorção

Após a administração de comprimidos de Uriclin, a concentração plasmática máxima

(Cmax) de solifenacina é atingida após 3 a 8 horas. O tmax é independente da dose. A

Cmax e a área sob a curva (AUC) aumentam em proporção com a dose entre 5 a 40 mg.

A biodisponibilidade absoluta é aproximadamente de 90%.

A ingestão de alimentos não afecta a Cmax e a AUC da solifenacina.

Distribuição

O volume aparente da solifenacina após administração intravenosa é cerca de 600 L. A

solifenacina liga-se às proteínas plasmáticas numa grande extensão (aproximadamente

98%), principalmente à glicoproteína

1-ácida.

Metabolismo

A solifenacina é extensivamente metabolizada pelo fígado, principalmente pelo

citocromo P450 3A4 (CYP3A4). No entanto, existem vias metabólicas alternativas que

podem contribuir para o metabolismo da solifenacina. A depuração sistémica da

solifenacina é cerca de 9,5 L/h e a semi-vida terminal da solifenacina é 45-68 horas.

Após a dose oral, um metabolito farmacologicamente activo (4R-hidroxi-solifenacina) e

três metabolitos inactivos (N-glucuronido, N-óxido e 4R-hidroxi-N-óxido de

solifenacina) foram identificados no plasma em adição à solifenacina.

Excreção

Após a administração única de 10 mg de [14C-marcada]-solifenacina, foi detectada

cerca de 70% da radioactividade na urina e 23% nas fezes, durante 26 dias. Na urina,

aproximadamente 11% da radioactividade foi recuperada como substância activa

inalterada; cerca de 18% como metabolito N-óxido, 9% como metabolito 4R-hidroxi-N-

óxido e 8% como metabolito 4R-hidroxi (metabolito activo).

Proporcionalidade da dose

A farmacocinética é linear no intervalo da dose terapêutica.

Características dos doentes

Idade

Não é necessário ajuste da dose baseada na idade. Estudos em idosos mostraram que a

exposição à solifenacina, expressa como a AUC, após a administração de succinato de

solifenacina (5 mg e 10 mg uma vez por dia) era similar em indivíduos idosos saudáveis

(comidade entre 65 e 80 anos) e indivíduos jovens saudáveis (com menos de 55 anos de

idade). A taxa média de absorção expressa como tmax foi ligeiramente inferior nos

idosos e a semi-vida terminal foi aproximadamente 20% maior em indivíduos idosos.

Estas modestas diferenças foram consideradas não clinicamente significantes.

A farmacocinética da solifenacina em crianças e adolescentes não foi estabelecida.

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

Género

A farmacocinética da solifenacina não é influenciada pelo género.

Raça

A farmacocinética da solifenacina não é influenciada pela raça.

Compromisso renal

A AUC e a Cmax da solifenacina em doentes com compromisso renal ligeiro a

moderado não foram significativamente diferentes das encontradas em voluntários

saudáveis. Em doentes com compromisso renal grave (depuração da creatinina

ml/min) a exposição à solifenacina foi significativamente maior que nos controlos, com

um aumento da Cmax de cerca de 30%, da AUC de mais de 100% e da t1/2 de mais de

60%. Foi observada uma relação estatisticamente significativa entre a depuração da

creatinina e a depuração da solifenacina. Não foi estudada a farmacocinética em

doentes sujeitos a hemodiálise.

Afecção hepática

Em doentes com afecção hepática moderada (7 a 9 na escala de Child-Pugh) a Cmax

não é afectada, a AUC aumenta 60% e a t1/2 duplica. Não foi estudada a

farmacocinética em doentes com afecção hepática grave.

5.3 Dados de segurança pré-clínica.

Os dados pré-clínicos não revelam riscos em humanos baseados nos estudos

convencionais de segurança farmacológica, toxicidade com dose repetida, fertelidade,

desenvolvimento embrionário e fetal, genotoxicidade e potencial carcinogénico. No

estudo de desenvolvimento pré- e pós-natal em murganhos, o tratamento materno com

solifenacina durante a lactação causou uma taxa de sobrevivência pós-parto dose-

dependente mais baixa, diminuição do peso das crias e desenvolvimento físico mais

lento em níveis clinicamente relevantes.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista dos excipientes

Núcleo do Comprimido:

Amido de milho

Lactose mono-hidratada

Hipromelose

Estearato de magnésio

Película de revestimento:

Macrogol 8000

Talco

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

Hipromelose

Dióxido de titânio (E171)

Óxido amarelo de ferro (E172)

6.2 Incompatibilidades

Não aplicável.

6.3 Prazo de validade

3 anos.

6.4 Precauções especiais de conservação

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

6.5 Natureza e conteúdo do recipiente

Recipiente

Os comprimidos estão embalados em blisteres de PVC/alumínio.

Tamanho das embalagens

3, 5, 10, 20, 30, 50, 60, 90 ou 100 comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

6.6 Precauções especiais de eliminação e manuseamento

Não existem requisitos especiais.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Astellas Farma, Lda.

Rua José Fontana, nº 1, 1º andar

2770-101 Paço de Arcos

8 NÚMERO(S) DE AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

N.º de registo: 5248588 - 10 comprimidos, 5 mg, blisteres de PVC/Alumínio

N.º de registo: 5248687 - 30 comprimidos, 5 mg, blisteres de PVC/Alumínio

APROVADO EM

28-12-2011

INFARMED

9 DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE

INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização: 9 Novembro 2004

Data da última renovação: 28 Setembro 2010

9 DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação