Yantil retard 250 mg Comprimido de libertação prolongada

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Tapentadol
Disponível em:
Grünenthal, S.A.
Código ATC:
N02AX06
DCI (Denominação Comum Internacional):
Tapentadol
Dosagem:
250 mg
Forma farmacêutica:
Comprimido de libertação prolongada
Composição:
Tapentadol, cloridrato 291.2 mg
Via de administração:
Via oral
Unidades em pacote:
Blister - 20 unidade(s)
Tipo de prescrição:
MSRM especial
Grupo terapêutico:
2.12 Analgésicos estupefacientes
Área terapêutica:
tapentadol
Resumo do produto:
5335518 - Blister 20 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 3 Ano(s)Condições: Não necessita de precauções especiais. - Não comercializado - 10102345 - 50121510 ; 5335526 - Blister 30 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 3 Ano(s)Condições: Não necessita de precauções especiais. - Não comercializado - 10102345 - 50121529 ; 5335534 - Blister 60 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 3 Ano(s)Condições: Não necessita de precauções especiais. - Não comercializado - 10102345 - 50121537
Status de autorização:
Revogado (15 de Maio de 2013)
Número de autorização:
DE/H/2021/008/DC
Data de autorização:
2010-10-21

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Yantil retard 50 mg comprimidos de libertação prolongada

Yantil retard 100 mg comprimidos de libertação prolongada

Yantil retard 150 mg comprimidos de libertação prolongada

Yantil retard 200 mg comprimidos de libertação prolongada

Yantil retard 250 mg comprimidos de libertação prolongada

Tapentadol

Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento.

Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.

Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento pode

ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários

não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Neste folheto:

1. O que é Yantil retard e para que é utilizado

2. Antes de tomar Yantil retard

3. Como tomar Yantil retard

4. Efeitos secundários possíveis retard

5. Como conservar Yantil retard

6. Outras informações

1. O QUE É YANTIL RETARD E PARA QUE É UTILIZADO

Tapentadol – a substância activa de Yantil retard – é um analgésico forte que pertence à

classe dos opióides. Yantil retard é utilizado para o tratamento da dor crónica intensa em

adultos, que apenas pode ser adequadamente controlada com analgésicos opióides.

2. ANTES DE TOMAR YANTIL RETARD

Não tome Yantil retard

se tem alergia (hipersensibilidade) ao tapentadol ou a qualquer outro componente de

Yantil retard (ver secção 6),

se sofrer de asma ou se a sua respiração for perigosamente lenta ou superficial (depressão

respiratória, hipercapnia),

se sofrer de paralisia dos intestinos,

se sofrer de intoxicação aguda por álcool, comprimidos para dormir, analgésicos ou

outros psicotrópicos (fármacos que afectam o humor e as emoções) (ver “Ao tomar

Yantil retard com outros medicamentos”),

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

Tome especial cuidado com Yantil retard

se a sua respiração for lenta ou superficial,

se sentir um aumento da pressão no cérebro ou perturbações da consciência até ao coma,

se tiver sofrido uma lesão na cabeça ou tumores cerebrais,

se tiver tido um ataque epiléptico ou se estiver em maior risco de sofrer ataques

epilépticos,

se sofrer de doença hepática ou renal (ver “Como tomar Yantil retard”),

se sofrer de uma doença pancreática ou biliar, incluindo pancreatite,

está

tomar

tomou

inibidores

monoaminoxidase

(IMAO)

(classe

medicamentos utilizados no tratamento da depressão) durante os últimos 14 dias (ver “Ao

tomar Yantil com outros medicamentos”)

Nestes casos, por favor consulte o seu médico antes de tomar o medicamento.

Yantil retard pode causar dependência física e psicológica. Se tiver tendência para abusar

de medicamentos ou se sofrer de dependência de medicamentos, só deve tomar estes

comprimidos durante curtos períodos de tempo e sob rigorosa vigilância médica.

Ao tomar Yantil retard com outros medicamentos

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente

outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Yantil retard não deve ser tomado conjuntamente com IMAOs (classe de fármacos

utilizados no tratamento da depressão). Informe o seu médico se estiver a tomar IMAOs

ou se os tiver tomado nos últimos 14 dias.

respiração

pode

tornar-se

perigosamente

lenta

superficial

(depressão

respiratória) se estiver a tomar comprimidos para dormir ou tranquilizantes (por exemplo

barbitúricos e benzodiazepinas), ou analgésicos como a morfina e a codeína (também

utilizado como medicamento para a tosse) em combinação com Yantil. Se tal acontecer

informe o seu médico.

está

tomar

depressores

Sistema

Nervoso

Central

(SNC)

(por

exemplo

benzodiazepinas, antipsicóticos, anti-histamínicos H1, opióides, álcool) em combinação

com Yantil o seu nível de consciência poderá diminuir e poderá sentir tonturas ou ter

sensações de desmaio.. Se tal acontecer informe o seu médico.

O síndrome serotoninérgico é uma situação rara, com risco para a vida e que foi

comunicada em alguns doentes que tomavam tapentadol juntamente com medicamentos

serotoninérgicos (por exemplo medicamentos utilizados no tratamento da depressão).

Sinais do síndrome serotoninérgico são por exemplo confusão, agitação, febre, sudação,

movimentos descoordenados dos membros e dos olhos, movimentos involuntários dos

músculos, mioclonia e diarreia. O seu médico poderá aconselhá-lo a este respeito.

Não foi estudada a administração conjunta de Yantil e outros medicamentos considerados

agonistas/antagonistas

opióides

(por

exemplo

nalbufina)

agonistas

opióides

parciais (por exemplo buprenorfina). É possível que Yantil não actue como desejável se

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

for tomado em conjunto com estes medicamentos. Informe o seu médico caso esteja a

tomar algum destes medicamentos.

Ao tomar Yantil juntamente com inibidores ou indutores fortes (rifampicina, fenobarbital,

hipericão) de certas enzimas que são necessárias para eliminar o tapentadol do seu corpo,

o modo de actuação do tapentadol pode ser

influenciado ou podem surgir efeitos

secundários,

especialmente

quando

inicia

pára

tratamento

estes

medicamentos. Informe o seu médico de todos os medicamentos que está a tomar.

Ao tomar Yantil retard com alimentos e bebidas

Enquanto estiver sob terapêutica com Yantil retard não deve ingerir bebidas alcoólicas,

porque

alguns

efeitos

secundários,

como

sonolência,

podem

potenciados.

alimentos não interferem com o efeito destes comprimidos.

Gravidez e aleitamento

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Não tome estes comprimidos:

se estiver grávida, excepto se o seu médico a tiver instruído para o fazer,

durante

parto,

porque

podem

provocar

respiração

perigosamente

lenta

superficial (depressão respiratória) no recém-nascido,

durante o aleitamento, porque pode ser excretado no leite materno.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Yantil retard pode causar sonolência, tonturas e visão turva e pode diminuir as suas

reacções. Isto pode acontecer principalmente quando começar a tomar Yantil retard, se o

médico

alterar

dosagem

consumir

bebidas

alcoólicas

tomar

tranquilizantes. Pergunte ao seu médico se pode conduzir veículos ou utilizar máquinas.

Informações importantes sobre alguns componentes de Yantil retard

A lactose é um componente destes comprimidos. Se o seu médico o tiver informado de

que tem intolerância a alguns açúcares, contacte-o antes de tomar este medicamento.

3. COMO TOMAR YANTIL RETARD

Tome Yantil retard sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu

médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

O seu médico ajustará a dose conforme a intensidade da dor e a sua sensibilidade

individual à dor. De um modo geral, deve optar-se pela dose mais baixa que lhe

proporcione o alívio da dor.

Adultos

A dose habitual é de 1 comprimido em cada 12 horas. Doses diárias de Yantil retard

superiores a 500 mg não são recomendadas.

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

Se for necessário, o seu médico pode prescrever-lhe uma dose ou um intervalo entre

tomas

mais

apropriado

caso.

sentir

efeito

destes

comprimidos

demasiado forte ou demasiado fraco, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Crianças

Yantil retard não é adequado para crianças e adolescentes com menos de 18 anos de

idade.

Doentes idosos

Nos idosos (mais de 65 anos de idade) normalmente não é necessário nenhum ajuste da

dose. Contudo, em certos doentes deste grupo etário, a excreção do tapentadol pode estar

retardada. Se for esse o seu caso, o seu médico pode recomendar-lhe um esquema

terapêutico diferente.

Doença hepática e renal (insuficiência)

Os doentes com problemas hepáticos graves não devem tomar estes comprimidos. Se

tiver problemas

moderados, o seu médico

irá

recomendar um esquema terapêutico

diferente. No caso de ter problemas hepáticos ligeiros não é necessário ajustar a dose.

Doentes com problemas renais graves não devem tomar estes comprimidos. No caso de

apresentarem problemas renais ligeiros a moderados não é necessário ajustar a dose.

Como e quando deve tomar Yantil retard?

Yantil retard destina-se a administração oral.

Engula sempre os comprimidos inteiros, com uma quantidade de líquido suficiente.

Não mastigue, quebre ou esmague os comprimidos – pode provocar sobredosagem,

porque o fármaco libertar-se-à no organismo mais rapidamente.

Pode tomar os comprimidos com o estômago vazio ou com as refeições.

Durante quanto tempo deve tomar Yantil retard?

Não tome os comprimidos durante mais tempo do que o prescrito pelo seu médico.

Se tomar mais Yantil retard do que deveria

Após

tomar

doses

muito

elevadas

deste

fármaco,

pode

sofrer

seguintes

efeitos

secundários:

Contracção das pupilas, vómitos, diminuição da tensão arterial, batimentos cardíacos

rápidos, colapso, perturbações da consciência ou coma (inconsciência profunda), ataques

epilépticos, respiração perigosamente lenta ou superficial, ou paragem respiratória.

Se isso acontecer, deverá ser de imediato contactado um médico!

Caso se tenha esquecido de tomar Yantil retard

Se se esquecer de tomar os comprimidos, o mais provável é que volte a sentir dor. Não

tome

dose

dobrar

para

compensar

dose

esqueceu

tomar,

simplesmente continue a tomar os comprimidos como antes.

Se parar de tomar Yantil retard

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

Se interromper ou suspender o tratamento demasiado cedo, é provável que volte a sentir

dores. Se pretender suspender o tratamento, por favor fale primeiro com o seu médico.

Geralmente,

não

surgirão

efeitos

após

suspensão

do tratamento,

entanto,

situações pouco frequentes, indivíduos em tratamento durante algum tempo poderão

sentir-se mal se suspenderem abruptamente o tratamento. Poderão existir os seguintes

sintomas:

Inquietação, olhos lacrimejantes, corrimento nasal, bocejos, sudação, arrepios, dores

musculares e pupilas dilatadas,

Irritabilidade,

ansiedade,

dores

costas,

dores

articulares,

debilidade,

cólicas

abdominais, dificuldades em adormecer, náuseas, perda de apetite, vómitos, diarreia e

aumento da pressão arterial, da frequência respiratória ou cardíaca.

Se tiver alguma destas queixas após suspender o tratamento, por favor consulte o seu

médico.

Não deve suspender abruptamente este medicamento a não ser que tenha sido informado

pelo seu médico. Se o seu médico pretender que suspenda a administração destes

comprimidos, ele/ela irá informá-lo de como o deve fazer. Isto poderá incluir uma

redução gradual da dose.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico

ou farmacêutico.

4. EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSÍVEIS

Como todos os medicamentos, Yantil retard pode causar efeitos secundários, no entanto

estes não se manifestam em todas as pessoas.

Efeitos secundários importantes ou sintomas a ter em atenção e o procedimento a adoptar

caso seja afectado:

Este

medicamento

pode

causar

reacções

alérgicas.

sintomas

podem

pieira,

dificuldade em respirar, inchaço das pálpebras, face ou lábios, erupção cutânea ou

comichão, especialmente quando os sintomas atingem todo o corpo.

Outro efeito secundário importante diz repeito à condição em que respira de forma mais

lenta ou fraca comparativamente ao normal. Ocorre mais frequentemente em idosos e em

doentes enfraquecidos.

afectado

estes

efeitos

secundários

importantes

contacte

médico

imediatamente.

Outros efeitos secundários que podem ocorrer:

Muito frequentes (afecta mais que 1 utilizador em 10):

náuseas, obstipação, tonturas, sonolência, dores de cabeça.

Frequentes (afecta 1-10 utilizadores em 100):

diminuição

apetite,

ansiedade,

humor

depressivo,

confusão,

problemas

sono,

nervosismo, inquietação, perturbações da atenção, tremor, espasmos musculares, rubor,

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

falta

vómitos,

diarreia,

indigestão,

comichão,

aumento

sudação,

erupção

cutânea, sensação de fraqueza, fadiga, alteração da temperatura do corpo, secura das

mucosas, retenção de água nos tecidos (edema).

Pouco frequentes (afecta 1-10 utilizadores em 1000):

reacções alérgicas, perda de peso, desorientação, confusão, excitabilidade (agitação),

distúrbios de percepção, sonhos anómalos, humor eufórico, diminuição do nível de

consciência, distúrbios de memória, distúrbios mentais, desmaios, sedação, distúrbios do

equilíbrio,

dificuldade

falar,

entorpecimento,

sensações

anómalas

pele

(por

exemplo formigueiro, comichão) visão anormal, aceleração dos batimentos cardíacos,

diminuição

batimentos

cardíacos,

diminuição

tensão

arterial,

desconforto

abdominal, urticária, micção lenta, micção frequente, disfunção sexual, síndroma de

privação do fármacos (ver “Se parar de tomar Yantil retard”), mal-estar, irritabilidade.

Raros (afecta 1-10 utilizadores em 10000):

dependência,

perturbações

raciocínio,

ataque

epiléptico,

sensação

desmaio,

perturbações da coordenação, respiração perigosamente lenta ou superficial (depressão

respiratória), esvaziamento gástrico deficiente, sensação de embriaguez, sensação de

relaxamento.

Geralmente, a probabilidade de existirem pensamentos e comportamentos suicidas está

aumentada em doentes que sofrem de dor crónica. Adicionalmente, certos medicamento

para o tratamento da depressão (que têm um impacto no sistema neurotransmissor do

cérebro) podem aumentar este risco, especialmente no início do tratamento. Apesar do

tapentadol

também

afectar

neurotransmissores,

dados

tapentadol

humanos não mostram evidência do aumento deste risco.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários

não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

5. COMO CONSERVAR YANTIL RETARD

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não utilize Yantil retard após o prazo de validade impresso na embalagem exterior e

blister. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Este medicamento não necessita de condições especiais de conservação.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico.

Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita.

Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

6. OUTRAS INFORMAÇÕES

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

Qual a composição de Yantil retard

A substância activa é o tapentadol

Cada comprimido contém 50 mg de tapentadol (sob a forma de cloridrato)

Cada comprimido contém 100 mg de tapentadol (sob a forma de cloridrato)

Cada comprimido contém 150 mg de tapentadol (sob a forma de cloridrato)

Cada comprimido contém 200 mg de tapentadol (sob a forma de cloridrato)

Cada comprimido contém 250 mg de tapentadol (sob a forma de cloridrato)

Os outros componentes são:

[50 mg]: Núcleo do comprimido: Hipromelose, celulose microcristalina, sílica coloidal

anidra,

estearato

magnésio.

Revestimento

comprimido:

Hipromelose,

lactose

mono-hidratada, talco, macrogol 6000, propilenoglicol, dióxido de titânio (E171).

[100 mg]: Núcleo do comprimido: Hipromelose, celulose microcristalina, sílica coloidal

anidra,

estearato

magnésio.

Revestimento

comprimido:

Hipromelose,

lactose

mono-hidratada, talco, macrogol 6000, propilenoglicol, dióxido de titânio (E171), óxido

de ferro amarelo (E 172).

[150 mg]: Núcleo do comprimido: Hipromelose, celulose microcristalina, sílica coloidal

anidra,

estearato

magnésio.

Revestimento

comprimido:

Hipromelose,

lactose

mono-hidratada, talco, macrogol 6000, propilenoglicol, dióxido de titânio (E171), óxido

de ferro amarelo (E 172), óxido de ferro vermelho (E172).

[200 mg]: Núcleo do comprimido: Hipromelose, celulose microcristalina, sílica coloidal

anidra,

estearato

magnésio.

Revestimento

comprimido:

Hipromelose,

lactose

mono-hidratada, talco, macrogol 6000, propilenoglicol, dióxido de titânio (E171), óxido

de ferro amarelo (E 172), óxido de ferro vermelho (E172).

[250 mg]: Hipromelose, celulose microcristalina, sílica coloidal anidra, estearato de

magnésio. Revestimento do comprimido: Hipromelose, lactose mono-hidratada, talco,

macrogol 6000, polipropilenoglicol, dióxido de titânio (E171), óxido de ferro amarelo (E

172), óxido de ferro vermelho (E172), óxido de ferro preto (E172).

Qual o aspecto de Yantil retard e conteúdo da embalagem

[50 mg] Comprimidos revestidos por película, de cor branca, oblongos (6,5 mm x 15

mm), marcados com o logótipo da Grünenthal num dos lados e “H1” no outro lado.

[100 mg] Comprimidos revestidos por película, de cor amarelo claro, oblongos (6,5 mm x

15 mm), marcados com o logótipo da Grünenthal num dos lados e “H2” no outro lado.

[150 mg] Comprimidos revestidos por película, de cor rosa claro, oblongos (6,5 mm x 15

mm), marcados com o logótipo da Grünenthal num dos lados e “H3” no outro lado.

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

[200 mg] Comprimidos revestidos por película, de cor laranja claro, oblongos (7 mm x 17

mm), marcados com o logótipo da Grünenthal num dos lados e “H4” no outro lado.

[250 mg] Comprimidos revestidos por película, de cor vermelho acastanhado, oblongos

(7 mm x 17 mm), marcados com o logótipo da Grünenthal num dos lados e “H5” no

outro lado.

Os comprimidos de libertação prolongada de Yantil retard são embalados em blisters e

fornecidos em embalagens de 7, 10, 10x1, 14, 14x1, 20, 20x1, 28, 28x1, 30, 30x1, 40, 50,

50x1, 56, 56x1, 60, 60x1, 90, 90x1, 100 e 100x1 comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

Grünenthal, S.A.

Rua Alfredo da Silva, 16, 2610-016 Amadora

Tel.: 21472300

Fax: 214710910

Email: grunenthal.pt@grunenthal.com

Fabricante:

Grünenthal GmbH

Zieglerstasse 6, 52078 Aachen

Tel.: +49 (0) 241 569-0

Fax : +49 (0) 241 569-3114

Email: produktion@grunenthal.com

Este medicamento está autorizado nos Estados–Membros do EEE (espaço económico

europeu) sob as seguintes designações:

Yantil

retard:

Bélgica,

Republica

Checa,

Alemanha,

Grécia,

Hungria,

Luxemburgo,

Polónia, Portugal, Roménia, Eslováquia, Espanha

Yantil Depot: Dinamarca, Finlândia, Noruega, Suécia

Yantil SR: Irlanda, Eslovénia

Yantil RP: Itália

Tapentadol Grunenthal SR: Reino Unido

Este folheto foi aprovado pela última vez em

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1. NOME DO MEDICAMENTO

Yantil retard 50 mg comprimidos de libertação prolongada

Yantil retard 100 mg comprimidos de libertação prolongada

Yantil retard 150 mg comprimidos de libertação prolongada

Yantil retard 200 mg comprimidos de libertação prolongada

Yantil retard 250 mg comprimidos de libertação prolongada

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada comprimido de libertação prolongada contém 50 mg de tapentadol (sob a forma de

cloridrato).

Cada comprimido de libertação prolongada contém 100 mg de tapentadol (sob a forma de

cloridrato).

Cada comprimido de libertação prolongada contém 150 mg de tapentadol (sob a forma de

cloridrato).

Cada comprimido de libertação prolongada contém 200 mg de tapentadol (sob a forma de

cloridrato).

Cada comprimido de libertação prolongada contém 250 mg de tapentadol (sob a forma de

cloridrato).

Excipiente(s):

Yantil retard 50 mg contém 3,026mg de lactose.

Yantil retard 100 mg contém 3,026mg de lactose.

Yantil retard 150 mg contém 3,026mg de lactose.

Yantil retard 200 mg contém 3,026mg de lactose.

Yantil retard 250 mg contém 3,026mg de lactose.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Comprimidos de libertação prolongada

[50 mg] Comprimidos revestidos por película, de cor branca, oblongos (6,5 mm x 15

mm), marcados com o logótipo da Grünenthal num dos lados e “H1” no outro lado.

[100 mg] Comprimidos revestidos por película, de cor amarelo claro, oblongos (6,5 mm x

15 mm), marcados com o logótipo da Grünenthal num dos lados e “H2” no outro lado.

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

[150 mg] Comprimidos revestidos por película, de cor rosa claro, oblongos (6,5 mm x 15

mm), marcados com o logótipo otipo da Grünenthal num dos lados e “H3” no outro lado.

[200 mg] Comprimidos revestidos por película, de cor laranja claro, oblongos (7 mm x 17

mm), marcados com o logótipo da Grünenthal num dos lados e “H4” no outro lado.

[250 mg] Comprimidos revestidos por película, de cor vermelho acastanhado, oblongos

(7 mm x 17 mm), marcados com o logótipo da Grünenthal num dos lados e “H5” no

outro lado.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

Yantil retard está indicado para o controlo da dor crónica intensa em adultos, que apenas

pode ser adequadamente controlada com analgésicos opióides.

4.2 Posologia e modo de administração

regime

posológico

deve

individualizado

conforme

intensidade

dor,

experiência de tratamentos anteriores e a capacidade para monitorizar o doente.

Yantil retard deve ser tomado duas vezes por dia, aproximadamente cada 12 horas.

Início da terapêutica

Início da terapêutica em doentes que não estão a tomar analgésicos opiódes

Os doentes devem começar o tratamento com doses unitárias de 50mg de tapentadol em

comprimidos de libertação prolongada, administrado duas vezes por dia.

Início da terapêutica em doentes que estão a tomar analgésicos opióides

Quando se altera de um opióide para Yantil retard e se escolhe a dose inicial, deve ser

considerado o tipo de medicação anterior, a via de administração e a dose média diária

utilizada. Poderão ser necessárias doses iniciais mais elevadas de Yantil retard para

doentes que já tomavam opióides comparativamente a doentes que não tomavam opióides

antes de iniciarem a terapêutica com Yantil retard.

Ajuste e Manutenção

Após o início da terapêutica a dose deve ser ajustada individualmente a um nível que

permita o controlo analgésico e que minimize os efeitos indesejáveis, sob a adequada

supervisão do médico prescritor.

A experiência proveniente dos estudos clínicos demonstrou que um esquema de ajuste

com aumentos de 50mg de tapentadol, em comprimidos de libertação prolongada, duas

vezes por dia a cada 3 dias, foi apropriado para alcançar um controlo adequado da dor na

maioria dos doentes.

Doses diárias totais de Yantil retard superiores a 500mg de tapentadol ainda não foram

estudadas e não são portanto recomendadas.

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

Descontinuação do tratamento

Podem ocorrer sintomas de privação após a descontinuação abrupta do tratamento com

tapentadol (ver secção 4.8). Quando um doente já não necessita da terapêutica com

tapentadol é aconselhável uma redução gradual da dose para prevenir sintomas de

privação.

Compromisso Renal

Nos doentes com compromisso renal ligeiro não é necessário um ajuste da dose (ver

secção 5.2).

Yantil retard não foi estudado em estudos controlados de eficácia em doentes com

compromisso renal grave, pelo que não se recomenda o uso nesta população (ver secções

4.4 e 5.2).

Compromisso Hepático

Nos doentes com compromisso hepático ligeiro não é necessário um ajuste da dose (ver

secção 5.2).

Yantil retard deve ser administrado com precaução nos doentes com compromisso

hepático moderado. Nestes doentes, a terapêutica deve ser iniciada com a dosagem mais

baixa disponível i.e. 50 mg de tapentadol em comprimidos de libertação prolongada e não

deve ser administrada com maior frequência do que uma vez em cada 24 horas. Como

terapêutica inicial não se recomenda uma dose diária superior a 50 mg de tapentadol em

comprimidos de libertação prolongada. A continuação do tratamento deve reflectir a

manutenção da analgesia com tolerabilidade aceitável (ver secções 4.4 e 5.2).

Yantil retard não foi estudado em doentes com compromisso hepática grave, pelo que não

se recomenda a sua administração nesta população (ver secções 4.4 e 5.2).

Doentes idosos (indivíduos a partir dos 65 anos de idade)

Geralmente, não é necessário um ajuste da dose nos idosos. Contudo, como é mais

provável

estes

doentes

sofrerem

compromisso

renal

hepática,

necessária

precaução na selecção da dose, conforme recomendado (ver secções 4.2 e 5.2).

Doentes pediátricos

Ainda não foi estabelecida a segurança e a eficácia de Yantil retard em crianças e

adolescentes

idade

inferior

anos.

Deste

modo,

não

recomenda

administração de Yantil retard nesta população.

Modo de Administração

Yantil

retard

deve

tomado

inteiro,

dividir

mastigar,

para

garantir

manutenção do mecanismo de libertação prolongada. Yantil retard deve ser tomado com

uma quantidade

suficiente de

líquido. Yantil retard pode ser tomado com ou sem

alimentos.

4.3 Contra-indicações

Yantil retard está contra-indicado:

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

nos doentes com hipersensibilidade ao tapentadol ou a qualquer um dos excipientes (ver

secção 6.1)

nas situações em que os fármacos com actividade agonista dos receptores opióides

estão contra-indicados, por exemplo: doentes com depressão respiratória significativa

ambientes

monitorização

clínica

ausência

equipamento

ressuscitação) e doentes com asma brônquica aguda ou grave ou com hipercapnia.

Em qualquer doente que tenha ou em que haja suspeita de íleo paralítico.

Nos doentes com intoxicação aguda por álcool, hipnóticos, analgésicos de acção central

ou psicotrópicos (ver secção 4.5)

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Potencial de Abuso e Dependência / Síndrome de dependência

Yantil retard tem um potencial de abuso e dependência. Este facto deve ser tido em

consideração ao prescrever ou dispensar Yantil retard, em situações em que existe

preocupação relativamente a um maior risco de uso indevido, abuso, dependência ou

diversão.

Todos os doentes a receber tratamento com fármacos com acção agonista sobre os

receptores opióides

devem ser cuidadosamente monitorizados quanto a sinais de abuso

e dependência.

Depressão respiratória

Em doses elevadas ou em doentes sensíveis aos agonistas dos receptores opióides

Yantil retard pode causar depressão respiratória dependente da dose. Por conseguinte,

Yantil retard deve ser administrado com precaução nos doentes com compromisso da

função respiratória. Em alternativa devem ser considerados analgésicos não agonistas dos

receptores opióides

e Yantil retard só deverá ser administrado sob cuidadosa supervisão

médica na dose eficaz mais baixa. Em caso de depressão respiratória esta deve ser tratada

como qualquer depressão respiratória induzida por agonistas dos receptores opióides

(ver secção 4.9).

Lesões cerebrais e hipertensão intracraniana

Yantil retard não deve ser administrado em doentes que possam ser especialmente

sensíveis aos efeitos intracranianos da retenção de dióxido de carbono, tais como os

doentes que apresentam sinais de hipertensão intracraniana, diminuição da consciência,

ou coma. Os analgésicos com acção agonista sobre os receptores opióides

podem

mascarar a evolução clínica dos doentes com lesões cerebrais. Yantil retard deve ser

administrado com precaução nos doentes com lesões cerebrais e com tumores cerebrais.

Convulsões

Yantil

retard

não

sistematicamente

avaliado

doentes

antecedentes

convulsões. Este grupo de doentes foi excluído dos ensaios clínicos realizados. No

entanto, como outros analgésicos com acção agonista sobre o receptor opióide

, Yantil

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

retard deve ser prescrito com precaução em doentes com antecedentes de convulsões ou

com qualquer situação que os coloque em risco de convulsões.

Compromisso Renal

Yantil retard não foi avaliado em estudos controlados de eficácia em doentes com

compromisso

renal

grave,

pelo

não

recomenda

administração

nesta

população (ver secção 4.2 e 5.2).

Compromisso Hepático

Indivíduos com compromisso hepático ligeiro a moderado revelaram um aumento da

exposição

sistémica

vezes,

respectivamente,

quando

comparados

indivíduos com função hepática normal.

Yantil retard deve ser utilizado com precaução nos doentes com compromisso hepático

moderado (ver secção 4.2 e 5.2), especialmente no início do tratamento.

Yantil retard não foi estudado em doentes com compromisso hepático grave, pelo que a

sua administração nesta população não é recomendada (ver secções 4.2 e 5.2).

Utilização na Doença Pancreática / do Trato Biliar

Os fármacos com acção agonista sobre os receptores opióides

podem causar espasmo

do esfíncter de Oddi. Yantil retard deve ser utilizado com precaução nos doentes com

patologias do tracto biliar, incluindo pancreatite aguda.

Tratamento concomitante com inibidores da monoaminoxidase (IMAO)

O tratamento com Yantil retard deve ser evitado em doentes medicados com inibidores

da monoaminoxidase (IMAO) ou que o foram nos últimos 14 dias, devido ao potencial

efeito aditivo de concentração sináptica de noradrenalina, que pode resultar em efeitos

adversos cardiovasculares, tais como crises hipertensivas (ver secção 4.5).

Os comprimidos de libertação prolongada de Yantil retard contêm lactose. Os doentes

com problemas hereditários raros de intolerância à galactose, deficiência de lactase de

Lapp ou mal-absorção de glucose-galactose não devem tomar este medicamento.

4.5 Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

O tratamento com Yantil retard deve ser evitado em doentes medicados com inibidores

da monoaminoxidase (IMAO) ou que o foram nos últimos 14 dias, devido ao potencial

efeito aditivo de concentração sináptica de noradrenalina, que pode resultar em efeitos

adversos cardiovasculares, tais como crises hipertensivas (ver secção 4.4).

Medicamentos como benzodiazepinas, barbitúricos e opióides (analgésicos, antitússicos

ou tratamentos de substituição) podem aumentar o risco de depressão respiratória se

forem tomados em combinação com Yantil retard. Substâncias depressoras do SNC

(como benzodiazepinas, antipsicóticos, anti-histamínicos H1, opióides, álcool) podem

potenciar o efeito sedativo do tapentadol e reduzir a vigilância. Deste modo, quando está

contemplada

terapia

combinada

Yantil

substância

depressora

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

Sistema Nervoso Central (SNC) ou da respiração, deve ser considerada a redução da dose

de uma ou de ambas as substâncias.

Em casos isolados existiram relatos de síndrome serotoninérgico numa relação temporal

utilização

terapêutica

tapentadol

combinação

medicamentos

serotoninérgicos como inibidores selectivos da recaptação da serotonina (ISRS). Sinais

do síndrome serotoninérgico são por exemplo confusão, agitação, febre, sudação, ataxia,

hiperreflexia, mioclonia e diarreia. A eliminação dos medicamentos serotoninérgicos

traduz-se

geralmente

numa

rápida

melhoria.

tratamento

depende

natureza

gravidade dos sintomas.

Não

existem

dados

clínicos

sobre

concomitante

Yantil

retard

agonistas/antagonistas dos receptores

(como pentazocina, nalbufina) ou com agonistas

parciais dos receptores

(como a buprenorfina). Tal como com os agonistas puros dos

receptores

, o efeito analgésico de Yantil retard derivado do componente opióide

pode

estar teoricamente reduzido nessas circunstâncias. Deste modo, é necessária atenção

quando se combina Yantil retard com estes medicamentos.

O principal mecanismo de eliminação do tapentadol faz-se pela conjugação com o ácido

glucurónico através da uridina difosfato glucuronil transferase (UGT) via as isoformas

UGT1A6, UGT1A9 e UGT2B7. Assim, a concomitante administração de inibidores

potentes destas isoenzimas pode levar ao aumento da exposição sistémica de tapentadol.

Os estudos de interacção com substâncias activas que potencialmente pudessem afectar a

glucuronidação

(paracetamol,

ácido

acetilsalicílico,

naproxeno

probenecida)

não

resultaram em qualquer efeito clínico relevante nas concentrações séricas de tapentadol

(ver secção 5.2). Estudos de interacção com substâncias que podem afectar a absorção do

tapentadol

(omeprazol

metoclopramida)

não

resultaram

qualquer

efeito

clinicamente relevante nas concentrações séricas de tapentadol (ver secção 5.2).

doentes

tratamento

tapentadol

deve

exercida

precaução

quando

concomitantemente se verifica o início ou a descontinuação da administração de potentes

indutores

enzimáticos

(como

rifampicina,

fenobarbital,

hipericão

(Hypericum

perforatum)), uma vez que podem originar uma diminuição da eficácia ou um risco de

efeitos adversos, respectivamente.

4.6 Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

A quantidade de dados sobre a utilização de tapentadol em mulheres grávidas é muito

limitada.

Estudos

realizados

animais

não

demonstraram

efeitos

teratogénicos.

Contudo,

observou-se

retardamento

desenvolvimento

embriotoxicidade,

doses

consideradas exageradas farmacologicamente. Os efeitos no desenvolvimento pós-natal

foram observados a partir da dose correspondente ao NOAEL materno (ver secção 5.3).

Yantil retard só deve ser administrado durante a gravidez se o potencial benefício

justificar o potencial risco para o feto.

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

Trabalho de parto

O efeito do tapentadol sobre o trabalho de parto nos humanos é desconhecido. Yantil

retard não é recomendado para administração a mulheres durante e imediatamente antes

do trabalho de parto. Devido à actividade agonista do tapentadol nos receptores opióides

, as crianças recém-nascidas cujas mães tomaram tapentadol deverão ser monitorizadas

quanto à depressão respiratória.

Amamentação

Não existe informação sobre a excreção do tapentadol no leite humano. A partir de um

estudo

envolvendo

crias

rato

período

amamentação

cujas

mães

administrou tapentadol, concluiu-se que o tapentadol é excretado através do leite (ver

secção 5.3). Deste modo, não é de excluir a existência de risco em crianças a amamentar.

Yantil retard não deve ser utilizado durante a amamentação.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Yantil retard pode ter uma influência significativa sobre a capacidade de conduzir e

utilizar máquinas, na medida em que pode afectar adversamente as funções do sistema

nervoso central (ver secção 4.8). Isto é de esperar especialmente no início do tratamento,

aquando

qualquer

alteração

dose,

assim

como

quando

associam

álcool

tranquilizantes (ver secção 4.4). Os doentes devem ser advertidos quanto a poderem ou

não conduzir ou utilizar máquinas.

4.8 Efeitos indesejáveis

estudos

controlados

placebo

realizados

Yantil

retard,

efeitos

indesejáveis

verificados

foram predominantemente

ligeiros a

moderados. Os efeitos

indesejáveis

mais

frequentes

foram

gastrointestinais

sistema

nervoso

central

(náuseas, tonturas, obstipação, cefaleias e sonolência).

A tabela abaixo apresenta as reacções adversas que foram identificadas nos ensaios

clínicos realizados com Yantil retard. São apresentadas por classe e frequência. As

frequências são definidas como muito frequentes (

1/10); frequentes (

1/100, <1/10);

pouco frequentes (

1/1000, <1/100); raras (

1/10000, <1/1000); muito raras (<1/10000),

desconhecidos (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis).

REACÇÕES ADVERSAS

Frequência

Classes de

Sistemas

Orgãos

Muito

frequentes

Frequentes

Pouco frequentes

Raras

Doenças

sistema

imunitário

Hipersensibilidade

Doenças do

Diminuição do apetite

Diminuição do peso

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

metabolismo e da

nutrição

Perturbações

foro

psiquiátrico

Ansiedade,

Humor

depressivo, Perturbações

sono,

Nervosismo,

Inquietação

Desorientação,

Confusão,

Agitação,

Perturbações

percepção,

Sonhos

estranhos,

Humor

eufórico

Dependênc

Perturbaçõ

raciocínio

Doenças do

sistema nervoso

Tonturas,

Sonolência,

Cefaleias

Perturbações na atenção,

Tremor,

Contrações

musculares involuntárias

Nível

consciência

dimunuído, Perturbações

memória,

Perturbações

mentais,

Síncope,

Sedação,

Perturbações

equilibrio,

Disartria,

Hipoestesia, Parestesia

Convulsões

Pré-

síncope,

Perturbaçõ

coordenaçã

Afecções oculares

Perturbações visuais

Cardiopatias

Aumento

frequência

cardíaca, Diminuição da

frequência cardíaca

Vasculopatias

Rubor

Diminuição

tensão

arterial

Doenças

respiratórias,

torácicas

mediastino

Dispneia

Depressão

respiratória

Doenças

gastrointestinais

Náuseas,

Obstipação

Vómitos,

Diarreia,

Dispepsia,

Desconforto abdominal

Esvaziame

nto gástrico

deficiente

Afecções

tecidos cutâneos e

subcutâneas

Prurido,

Hiperhidrose,

Erupção cutânea

Urticária

Doenças renais e

urinárias

Hesitação

urinária,

Poliaquiúria

Doenças

órgãos

genitais

da mama

Disfunção sexual

Perturbações

gerais e alterações

local

administração

Astenia,

Fadiga,

Sensação de alteração da

temperatura

corpo,

Secura

mucosas,

Edema

Síndrome de privação do

fármaco,

Perturbações

sensação,

Irritabilidade

Sensação

embriaguez

Sensação

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

relaxament

Os ensaios clínicos realizados com Yantil retard com exposição dos doente até 1 ano,

revelaram poucos indícios de sintomas de privação após descontinuação abrupta do

fármaco, sintomas esses que, quando ocorreram, foram globalmente classificados como

ligeiros. Porém, os clínicos devem ficar atentos a eventuais sintomas de privação (ver

secção 4.2) e, caso ocorram, tratar os doentes em conformidade.

O risco de ideação suicida e suicídios cometidos é superior em doentes que sofrem de dor

crónica.

Adicionalmente,

substâncias

influência

pronunciada

sistema

monoaminérgico têm sido associadas a um aumento do risco de suicídios em doentes que

sofrem de depressão, especialmente no início do tratamento. Os dados do tapentadol

provenientes dos ensaios clínicos e dos relatórios de pós-comercialização não evidenciam

um aumento do risco.

4.9 Sobredosagem

Experiência no Homem

A experiência com a sobredosagem de tapentadol é muito limitada. Dados pré-clínicos

sugerem que, após intoxicação com tapentadol, são de esperar sintomas semelhantes aos

que ocorrem com outros analgésicos de acção central com actividade agonista sobre os

receptores opióides

. Em princípio, estes sintomas incluem, consoante o enquadramento

clínico,

especialmente

miose,

vómitos,

colapso

cardiovascular,

perturbações

consciência que podem ir até ao coma, convulsões e depressão respiratória que pode levar

a paragem respiratória.

Tratamento da Sobredosagem

O tratamento da sobredosagem deve centrar-se no tratamento dos sintomas resultantes do

efeito

agonista

opióide

caso

suspeita

sobredosagem

tapentadol,

primeiramente deve ser dada especial atenção ao restabelecimento das vias respiratórias e

à instituição de ventilação assistida ou controlada.

antagonistas

puros

receptores

opióides,

como

naloxona,

são

antídotos

específicos

depressão

respiratória

resultante

sobredosagem

opióides.

depressão respiratória após uma sobredosagem pode ultrapassar a duração da acção do

antagonista dos receptores opióides. A administração de um antagonista dos receptores

opióides não substitui a monitorização contínua das vias respiratórias, da respiração e da

circulação, após uma sobredosagem com opióides. Se a resposta aos antagonistas dos

receptores opióides não for a ideal, ou apenas de natureza breve, deve ser administrada

uma dose adicional de antagonista (como a naloxona), conforme indicado pelo fabricante

do produto.

A remoção gastrointestinal poderá ser ponderada a fim de eliminar o fármaco não

absorvido. A remoção gastrointestinal com carvão activado ou por lavagem gástrica,

poderá ser realizada no período de duas horas após a administração. Antes de proceder à

remoção gastrointestinal, deve ter-se o cuidado de garantir o funcionamento das vias

respiratórias.

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: 2.12 - Sistema Nervoso Central. Analgésicos estupefacientes

Código ATC: N02AX06.

O tapentadol é um analgésico forte com efeito agonista opióide

e com propriedades

adicionais de inibição da recaptação da noradrenalina. O tapentadol exerce o seu efeito

analgésico directamente sem metabolitos activos farmacologicamente.

O tapentadol demonstrou eficácia em modelos de dor nociceptiva, neuropática, visceral e

inflamatória; A eficácia foi verificada em ensaios clínicos com tapentadol, na forma de

comprimidos de libertação prolongada, cobrindo condições de dor crónica nociceptiva e

neuropática. Os ensaios clínicos com dor devida a artrose e lombalgia crónica mostraram

eficácia semelhante entre o tapentadol e o opióide forte utilizado como comparador. No

ensaio na dor neuropática periférica diabética o tapentadol diferenciou-se do placebo,

utilizado como comparador.

Actualmente, para o tratamento dor oncológica apenas existem dados limitados. Deste

modo e por enquanto, não existem dados suficientes para fornecer recomendações a este

respeito.

Efeitos sobre o sistema cardiovascular: Num estudo completo do intervalo QT em

humanos

não

demonstrado

qualquer

efeito

doses

múltiplas

terapêuticas

supraterapêuticas de tapentadol sobre o intervalo QT. Do mesmo modo, o tapentadol não

teve qualquer efeito relevante sobre outros parâmetros do ECG (frequência cardíaca,

intervalo PR, duração QRS, morfologia da onda T ou da onda U).

População pediátrica

A Agência Europeia de Medicamentos concedeu um diferimento à obrigação de submeter

os resultados de estudos com Yantil retard, na dor crónica intensa, em todos os estratos

da população pediátrica.

Ver secção 4.2 para informações acerca da utilização na população pediátrica.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

Absorção

A biodisponibilidade absoluta média após uma única administração (em jejum) de Yantil

retard é de aproximadamente 32% devido ao extenso metabolismo de primeira passagem.

As concentrações máximas séricas de tapentadol são observadas entre 3 e 6 horas após a

administração dos comprimidos de libertação prolongada. Foi observado um aumento da

parâmetro

exposição

mais

importante

para

formulações

libertação

prolongada) proporcional à dose administrada de comprimidos de libertação prolongada

para o intervalo de doses terapêuticas.

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

Num estudo de dose múltipla utilizando duas tomas diárias de 86 mg e 172 mg de

tapentadol administrado como comprimidos de libertação prolongada, verificou-se uma

razão

acumulação

cerca

para

fármaco

inalterado,

determinado

primariamente através do intervalo entre doses e da semivida aparente do tapentadol.

Efeito dos Alimentos

A Área sob a Curva (AUC) e a C

aumentaram respectivamente 8% e 18% quando os

comprimidos de libertação prolongada foram administrados após um pequeno-almoço

com alto teor lipídico e calórico. Este facto foi considerado como não tendo relevância

clínica,

medida

insere

variabilidade

normal

inter-indivíduos

parâmetros farmacocinéticos de tapentadol. Yantil retard pode ser administrado com ou

sem alimentos.

Distribuição

tapentadol

ampla

distribuição

todo

corpo.

Após

administração

intravenosa, o volume de distribuição (Vz) do tapentadol é de 540 +/- 98 L. A ligação às

proteínas séricas é baixa, sendo cerca de 20 %.

Metabolismo e Eliminação

humanos,

metabolismo

tapentadol

extenso.

Aproximadamente

fármaco é metabolizado. A principal via do metabolismo de tapentadol é a conjugação

com o ácido glucurónico, produzindo glucuronidos. Após administração oral, cerca de

70% da dose é excretada na urina, sob formas conjugadas (55% de glucuronido e 15% de

sulfato de tapentadol). A uridina-difosfato-glucuronil-transferase (UGT) é a principal

enzima envolvida na glucuronidação (principalmente as isoformas UGT1A6, UGT1A9 e

UGT2B7). Um total de 3% do fármaco é excretado na urina sob forma inalterada. O

tapentadol também é metabolizado em N-desmetil tapentadol (13%) pela CYP2C9 e

CYP2C19,

hidroxi-tapentadol

(2%)

pela

CYP2D6,

são

seguidamente

metabolizados por conjugação. Por isso, o metabolismo do fármaco mediado pelo sistema

do citocromo P450 é menos importante do que a sua conjugação de fase 2.

Nenhum dos metabolitos contribui para a actividade analgésica.

O tapentadol e os seus metabolitos são excretados quase exclusivamente (99%) por via

renal. A semivida terminal é, em média, de 4 horas após a administração oral. A

clearance total é 1530 +/- 177 mL/min.

Populações Especiais

Idosos

A exposição média (AUC) ao tapentadol foi idêntica nos indivíduos idosos (65-78 anos

de idade) e nos jovens adultos (19-43 anos de idade), tendo-se observado uma C

média

16% mais baixa no grupo dos idosos, comparativamente ao grupo dos jovens adultos.

Compromisso Renal

A AUC e a C

de tapentadol foram comparáveis nos indivíduos com graus de função

renal variáveis (de normal a compromisso grave). Em contrapartida, o aumento da

exposição (AUC) ao tapentadol-O-glucuronido foi observado com o aumento do grau de

compromisso renal. Nos indivíduos com compromisso renal ligeiro, moderado e grave, a

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

AUC do tapentadol-O-glucuronido é, respectivamente, 1,5-, 2,5- e 5,5- vezes

mais

elevada, quando comparada com a função renal normal.

Compromisso Hepático

A administração de tapentadol teve como resultado exposições e níveis séricos mais

elevados de tapentadol nos indivíduos com compromisso hepático, comparativamente aos

que apresentavam uma função hepática normal. A razão dos parâmetros farmacocinéticos

tapentadol

para

grupos

indivíduos

compromisso

hepático

ligeiro

moderado,

comparativamente

grupo

função

hepática

normal,

foram

respectivamente, de 1,7 e 4,2 para a AUC; 1,4 e 2,5 para a C

máx

; e 1,2 e 1,4, para a t

velocidade de formação do tapentadol-O-glucuronido foi menor nos indivíduos com

compromisso hepático mais grave.

Interacções Farmacocinéticas

O tapentadol é metabolizado principalmente por glucuronidação de Fase 2; apenas uma

pequena quantidade é metabolizada pelas vias oxidativas de Fase 1.

Como a glucuronidação é um sistema de elevada capacidade/baixa afinidade que não é

facilmente

saturado,

mesmo

doença,

como

concentrações

terapêuticas

fármacos ficam geralmente muito abaixo das concentrações necessárias para a potencial

inibição da glucuronidação, é pouco provável que ocorram interacções clinicamente

relevantes derivadas da metabolização de Fase 2. Em estudos de interacção fármaco-

fármaco

utilizando

paracetamol,

naproxeno,

ácido

acetilsalicílico

probenecide

estudada

possibilidade

influência

destas

substâncias

glucuronidação

tapentadol. Os estudos com as substâncias activas naproxeno (500mg duas vezes por dia

durante 2 dias) e probenecide (500mg duas vezes por dia por 2 dias) mostrou aumentos

na AUC do tapentadol entre 17% e 57%, respectivamente. Globalmente não foram

verificados efeitos clínicos nas concentrações séricas do tapentadol nestes estudos.

Adicionalmente, estudos de interacção do tapentadol com metoclopramida e omeprazol

foram realizados para investigar a possível influência destas substâncias na absorção do

tapentadol. Estes estudos mostraram igualmente não existir efeitos clínicos relevantes nas

concentrações séricas de tapentadol.

Estudos realizados in vitro não revelaram qualquer potencial do tapentadol para inibir ou

induzir as enzimas do citocromo P450. Assim, é pouco provável que ocorram interacções

clinicamente significativas mediadas pelo sistema do citocromo P450.

A ligação do tapentadol às proteínas plasmáticas é baixa (aproximadamente 20%). Por

isso,

probabilidade

interacções

farmacocinéticas

fármaco-fármaco

devido

deslocamento do local de ligação às proteínas é reduzida.

5.3 Dados de segurança pré clínica

O tapentadol não apresenta genotoxicidade em bactérias pelo teste de Ames. Foram

observados

resultados

equívocos

teste

vitro

aberrações

cromossómicas,

contudo, quando o teste foi repetido os resultados foram claramente negativos.

O tapentadol

não apresentou genotoxicidade

in vivo, utilizando dois endpoints, de

aberração cromossómica e síntese não programada de DNA, quando testado até à dose

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

máxima tolerada. Estudos a longo termo realizados em animais não identificaram a

existência de risco de potencial carcinogénico relevante em humanos.

O tapentadol não teve influência na fertilidade de ratos machos e fêmeas, mas verificou-

se uma redução da sobrevivência intra-uterina utilizando a dose mais elevada. Não se

conhece se este efeito é mediado pelo macho ou pela fêmea. O tapentadol não revelou

efeito teratogénico em ratos e coelhos após exposição intravenosa e subcutânea, contudo,

foram observados desenvolvimento tardio e embriotoxicidade após a administração de

doses consideradas exageradas farmacologicamente. Após administração intravenosa foi

observada uma redução da sobrevivência

intra-uterina em ratos. Foi

verificado um

aumento da mortalidade das crias F

de ratos que foram expostas directamente ao

tapentadol através do leite materno entre os dias 1 e 4 após o parto, quando a dose de

tapentadol já não provocava toxicidade materna. Não foram observados efeitos nos

parâmetros neurocomportamentais.

A excreção no leite materno foi avaliada em crias de ratos a amamentar, a cujas mãe se

administrou tapentadol. As crias estiveram expostas ao tapentadol e ao tapentadol O-

glucuronido, em função da dose. Concluiu-se que o tapentadol é excretado através do

leite materno.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista dos excipientes

[50 mg]:

Núcleo do comprimido:

Hipromelose

Celulose microcristalina

Sílica coloidal anidra

Estearato de magnésio

Revestimento do comprimido:

Hipromelose

Lactose mono-hidratada

Talco

Macrogol 6000

Propilenoglicol

Dióxido de titânio (E171)

[100 mg]:

Núcleo do comprimido:

Hipromelose

Celulose microcristalina

Sílica coloidal anidra

Estearato de magnésio

Revestimento do comprimido:

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

Hipromelose

Lactose mono-hidratada

Talco

Macrogol 6000

Propilenoglicol

Dióxido de titânio (E171)

Óxido de ferro amarelo (E 172)

[150 mg]:

Núcleo do comprimido:

Hipromelose

Celulose microcristalina

Sílica coloidal anidra

Estearato de magnésio

Revestimento do comprimido:

Hipromelose

Lactose mono-hidratada

Talco

Macrogol 6000

Propilenoglicol

Dióxido de titânio (E171)

Óxido de ferro amarelo (E 172)

Óxido de ferro vermelho (E 172)

[200 mg]:

Núcleo do comprimido:

Hipromelose

Celulose microcristalina

Sílica coloidal anidra

Estearato de magnésio

Revestimento do comprimido:

Hipromelose

Lactose mono-hidratada

Talco

Macrogol 6000

Propilenoglicol

Dióxido de titânio (E171)

Óxido de ferro amarelo (E 172)

Óxido de ferro vermelho (E 172)

[250 mg]:

Núcleo do comprimido:

Hipromelose

Celulose microcristalina

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

Sílica coloidal anidra

Estearato de magnésio

Revestimento do comprimido:

Hipromelose

Lactose mono-hidratada

Talco

Macrogol 6000

Propilenoglicol

Dióxido de titânio (E171)

Óxido de ferro amarelo (E 172)

Óxido de ferro vermelho (E 172)

Óxido de ferro preto (E 172)

6.2 Incompatibilidades

Não aplicável.

6.3 Prazo de validade

3 anos.

6.4 Precauções especiais de conservação

Este medicamento não necessita de condições especiais de conservação.

6.5 Natureza e conteúdo do recipiente

Blisters de PVC/PVDC-alumínio/papel/PET

Embalagens com 7, 10, 14, 20, 28, 30, 40, 50, 56, 60, 90, 100 comprimidos de libertação

prolongada.

Blisters de PVC/PVDC-alumínio/papel/PET, destacáveis para dose unitária.

Embalagens

10x1,

14x1,

20x1,

28x1,

30x1,

50x1,

56x1,

60x1,

90x1,

100x1

comprimidos de libertação prolongada em blisters destacáveis para fórmula unitária.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

6.6 Precauções especiais de eliminação

Não são necessárias condições especiais.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Grünenthal, S.A.

Rua Alfredo da Silva, 16

2610-016 Amadora

APROVADO EM

21-10-2010

INFARMED

8. NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

20 COMPRIMIDOS DE LIBERTAÇÃO PROLONGADA –

30 COMPRIMIDOS DE LIBERTAÇÃO PROLONGADA –

60 COMPRIMIDOS DE LIBERTAÇÃO PROLONGADA –

9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE

INTRODUÇÃO NO MERCADO

<[ Preencher com os dados nacionais]>

10. DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação