Tabernil Antiasmático

Portugal - português - DGAV (Direção Geral de Alimentação e Veterinária)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Dexametasona; Efedrina; Difenidramina; Teofilina
Disponível em:
Divasa Farmavic
Código ATC:
QR03DB04
DCI (Denominação Comum Internacional):
Dexamethasone; Ephedrine; Diphenhydramine; And Theophylline
Forma farmacêutica:
Solução para administração na água de bebida
Via de administração:
Via oral
Tipo de prescrição:
MSRMV - Medicamento Sujeito a Receita Médico-Veterinária
Grupo terapêutico:
Aves Exóticas/Selvagens
Área terapêutica:
Teofilina e Adrenérgicos
Resumo do produto:
Intervalo de Segurança: não aplicável -; ; Frasco(s) - 1 unidade(s) - 20 ml 567/01/12NFSVPT Autorizado Sim; Frasco(s) - 1 unidade(s) - 100 ml 567/01/12NFSVPT Autorizado Sim
Número de autorização:
567/01/12NFSVPT

Leia o documento completo

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 1 de 16

ANEXO I

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 2 de 16

1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

Tabernil Antiasmático, solução oral para canários, pombos e aves ornamentais

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada ml contém:

Substâncias ativas :

Cloridrato de difenidramina 0,8 mg;

Cloridrato de efedrina 2 mg;

Teofilina 4 mg; Dexametasona (fosfato sódico)* 0,04 mg

* 1 g de fosfato de dexametasona fosfato sódico equivale a 760 mg de dexametasona base.

Excipientes:

Para a lista completa de excipientes ver a secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Solução oral.

Solução oral límpida, incolor.

4.

INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1. Espécie(s)-alvo

Canários, pombos e aves ornamentais.

4.2.

Indicações de utilização, especificando as espécies-alvo

O medicamento veterinário está indicado para canários, pombos e aves ornamentais, no tratamento

sintomático de processos respiratórios de tipo asmático e como terapia de apoio ao tratamento

específico de determinadas patologias respiratórias infeciosas, tais como CRD, aspergilose, varíola ou

coriza.

4.3.

Contra-indicações

Embora não tenham sido descritas nas espécies de destino, de um modo geral e atendendo aos

componentes, a sua utilização está contra-indicada em animais com alterações cardíacas.

Não usar em processos infeciosos agudos não controlados mediante a quimioterapia adequada.

Não administrar a animais com antecedentes de hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um

dos excipientes.

Não administrar a animais que se destinem ao consumo humano.

4.4.

Advertências especiais para cada espécie-alvo

Desconhecidas.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 3 de 16

4.5.

Precauções especiais de utilização

i) Precauções especiais para utilização em animais

Em caso de enfermidades infeciosas ou parasitárias, deve instaurar-se uma terapia específica. O

consumo diário de água depende da temperatura ambiental e de outros fatores como o estado

fisiológico das aves, pelo que a quantidade real de água consumida pode variar consideravelmente.

Durante

tratamento,

manter

locais

alojamento

animais

extremamente

limpos

desinfetados.

Não administrar a outras espécies animais para além das indicadas.

ii) Precauções especiais que devem ser tomadas pela pessoa que administra o medicamento aos

animais

As pessoas com hipersensiilidade conhecida a algum dos componentes devem evitar o contacto com o

medicamento veterinário. Evitar o contacto com a pele e os olhos. Em caso de contacto, lavar

abundantemente com água limpa. Não fumar, comer ou beber, enquanto se manipula o medicamento

veterinário. Se aparecerem sintomas após a exposição, como agitação, excitação ou sintomatologia

gastrointestinal, recorrer a um médico, mostrando a embalagem ou o folheto informativo.

4.6.

Reações adversas (frequência e gravidade)

Embora não se tenham descrito nas espécies de destino, genéricamente deve indicar-se a possibilidade

de irritação intestinal e estimulação do sistema nervoso central (inquietação, agitação, excitação).

As xantinas podem potenciar a hipopotasemia causada por hipoxia ou pela administração de β-

adrenérgicos, corticosteroides e diuréticos.

4.7.

Utilização durante a gestação, a lactação e a postura de ovos

A segurança da utilização do medicamento veterinário durante a gestação e a postura de ovos

não foi determinada, administrar apenas em conformidade com a avaliação benefício/risco

realizada pelo veterinário responsável

4.8.

Interações medicamentosas e outras formas de interação

Com o ácido acetilsalicílico, a dexametasona favorece a eliminação de salicilatos. Com outras

metilxantinas

podem

produzir-se

efeitos

adversos

adição.

fluorquinolonas

macrólidos

interferem no metabolismo hepático da teofilina.

4.9.

Posologia e via de administração

Via oral, na água de bebida

Doses:

Substância ativa

mg/kg p.v./dia

Cloridrato de difenidramina

0,6 – 1,2 mg

Cloridrato de efedrina

1,5 – 3.0 mg

Teofilina

3,0 – 6,0 mg

Dexametasona (fosfato sódico)

0,03 – 0,06 mg

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 4 de 16

Substância ativa

mg/animal/dia (canário de 15 g p.v.)

Cloridrato de difenidramina

0,009 – 0,018 mg

Cloridrato de efedrina

0,0225 – 0,045 mg

Teofilina

0,045 – 0,090 mg

Dexametasona (fosfato sódico)

0,40 – 0,9 µg

Preparação da água medicada para canários (15 gramas p.v.)

10 ml de água medicada – adicionar 2 gotas a 10 ml de água potável.

100 ml de água medicada – adicionar 20 gotas a 100 ml de água potável.

Para outras aves, devem calcular-se as quantidades necessárias utilizando as doses indicadas na

primeira taela.

Administração da água medicada

Colocar no bebedouro a quantidade de água medicada, calculando 2 ml/dia por animal.

Ao acabar-se, repor com água potável, sem medicar. Não deve deixar-se as aves sem água de bebida.

Administrar durante 5 dias consecutivos. Se necessário, repetir o tratamento após 5 dias de descanço.

Se após o segundo tratamento não se obervar melhoria alguma, deve reconsiderar-se o diagnóstico.

Em cada caso deve estabelecer-se o consumo médio de água dos animais. A título orientativo, pode

tomar-se como consumo “standard” 150 ml de água por cada 1000 gramas de p.v./dia, caso em que a

dose administrada corresponderá a 13-25 gotas do medicamento veterinário por cada 100 ml de

água/dia. Por questões de higiene, deve mudar-se diariamente a água de bebida, esteja medicada ou

não.

Uma vez aberto o medicamento, pode utilizar-se durante 3 meses. A água medicada deve utilizar-se

imediatamente.

4.10.

Sobredosagem (sintomas, procedimentos de emergência, antídotos)

A administração de doses muito elevadas e durante períodos de tempo prolongados, pode dar lugar a

hipopotasemia, agitação, arritmias e convulsões.

4.11.

Intervalo(s) de segurança

Não aplicável.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

Grupo farmacoterapêutico: Teofilina e adrenérgicos (Outros antiasmáticos para uso sistémico).

Código ATCvet : QR03DB04

5.1.

Propriedades farmacodinâmicas

Tabernil Antiasmático contém na sua formulação:

Difenhidramina, que é um composto antihistamínico.

Efedrina, que possui a capacidade de estimular o centro respiratório e aumentar o volume respiratório

por minuto.

Teofilina, que também estimula o centro respiratório, aumentando a frequência, a amplitude e o

volume

respiratório

minuto,

para

além

inibir

liertação

mediadores

químicos

broncoconstritores dos mastocitos a nível bronquial (que é comum na asma como resultado da reação

de hipersensilidade).

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 5 de 16

Dexametasona, corticoide sintético de potente ação glucocorticoide, cuja principal ação é a anti-

inflamatória, possuindo a propriedade de inibir a resposta alérgica dos tecidos, mediante a libertação

de histanina, assim como de outros mediadores.

5.2.

Propriedades farmacocinéticas

A difenhidramina absorve-se rapidamente no tubo digestivo, obtendo concentrações plasmáticas

máximas às 2-4 horas após a administração oral. Une-se às proteínas plasmáticas nuns 70 %. A sua

vida média situa-se entre 5-8 horas. Cerca de 95 % da dose ingerida metaboliza-se a nível hepático e é

eliminado por via renal.

A efedrina apresenta uma boa absorção a partir do tubo digestivo. Distribui-se principalmente no

fígado, pulmões, rins, cérebro e baço. A sua vida média plasmática ronda as 4 horas. Cerca de 70 % da

dose administrada é eliminada em forma inalterada, pela urina.

A teofilina apresenta uma rápida absorção intestinal (1 a 2 horas). Distribui-se uniformemente em

diferentes tecidos proporcionalmente ao seu conteúdo em água. A união às proteínas plasmáticas anda

à volta de 50-60%. A sua vida média varia entre 5 e 7 horas. Cerca de 10 % da dose administrada é

eliminada de forma inalterada, 40 % em forma de ácido 1-3-dimetilúrico, 20 % em forma de ácido 1-

metilúrico e 20 % em forma de 3-metilxantina.

A

dexametasona

apresenta

absorção

intestinal,

ligando-se

nuns

proteínas

plasmáticas. A sua vida média cifra-se em 4,5 horas. Metaboliza-se a nível hepático e a sua eliminação

dá-se principalmente por via renal, em forma de metabolitos sulfoconjugados e glucoconjugados. Uma

pequena parte é eliminada nas fezes.

6.

INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1.

Lista de excipientes

Lactato de cálcio pentahidratado

Propilenoglicol

Parahidroxibenzoato de metilo, sal sódico (E-219)

Parahidroxibenzoato de propilo, sal sódico (E-217)

Água purificada

6.2.

Incompatibilidades

Não foram descritas.

6.3.

Prazo de validade

Prazo de validade do medicamento veterinário tal como embalado para venda: 3 anos.

Prazo de validade após abertura do recipiente primário: 3 meses.

Prazo de validade após diluição de acordo com as instruções: 24 horas.

6.4.

Precauções especiais de conservação

Não conservar acima de 25ºC. Conservar em local seco.

6.5.

Natureza e composição do acondicionamento primário

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 6 de 16

Frascos de polietileno de alta densidade, de cor branca, de 20 ml e 100 ml. Cada frasco vai provido de

obturador/conta-gotas de polietileno de baixa densidade, e tampa roscada de polipropileno.

6.6

Precauções especiais para a eliminação de medicamentos veterinários não utilizados ou de

resíduos derivados da utilização desses medicamentos

O medicamento veterinário ou os seus resíduos devem ser eliminados de acordo com a legislação em

vigor.

7.

TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

DIVASA-FARMAVIC de Portugal, Produtos e

Equipamentos Veterinários, Lda

Praceta Jaime Cortesão, Nº 1 – R/C Loja Esq.

2625-170 Póvoa de Santa Iria

8. NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

567/01/12NFSVPT

9.

DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO

11 de Junho de 2012

10.

DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Julho 2012

PROIBIÇÃO DE VENDA, FORNECIMENTO E/OU UTILIZAÇÃO

USO VETERINÁRIO

Medicamento veterinário sujeito a receita médico-veterinária.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 7 de 16

MEDICAMENTO VETERINÁRIO

TABERNIL ANTIASMÁTICO, solução oral

para canários, pombos e aves ornamentais

Cloridrato de difenidramina 0,8 mg/ml; Cloridrato de efedrina 2 mg/ml; Teofilina 4 mg/ml;

Dexametasona (fosfato sódico) 40 µg/ml

ANEXO II

ROTULAGEM E FOLHETO INFORMATIVO

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 8 de 16

INDICAÇÕES A INCLUIR NO ACONDICIONAMENTO SECUNDÁRIO

Cartonagem com 1 frasco de 20 ml ou 100 ml

1.

NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

TABERNIL ANTIASMÁTICO, solução oral para canários, pombos e aves ornamentais

2.

DESCRIÇÃO DAS SUBSTÂNCIAS ATIVAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS

1 ml contém:

Substâncias ativas :

Cloridrato de difenidramina 0,8 mg; Cloridrato de efedrina 2 mg; Teofilina 4 mg; Dexametasona

(fosfato sódico) 40 µg

3.

FORMA FARMACÊUTICA

Solução oral.

4.

DIMENSÃO DA EMBALAGEM

20 ml ou 100 ml

5.

ESPÉCIES-ALVO

Canários, pombos e aves ornamentais.

6.

INDICAÇÕES

Tratamento sintomático de processos respiratórios de tipo asmático e como terapia de apoio ao

tratamento específico de determinadas patologias respiratórias infeciosas, tais como CRD, aspergilose,

varíola ou coriza.

7.

MODO E VIA DE ADMINISTRAÇÃO

Antes de utilizar leia o folheto Informativo.

8.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não aplicável.

9.

ADVERTÊNCIAS ESPECIAIS

Antes de utilizar, leia o folheto informativo.

10.

PRAZO DE VALIDADE

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 9 de 16

EXP. {Mês/ano}

Prazo de validade após abertura: 3 meses.

Prazo de validade após diluição de acordo com as instruções: 24 horas.

11.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE CONSERVAÇÃO

Não conservar acima de 25ºC. Conservar em local seco.

12.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE ELIMINAÇÃO DO MEDICAMENTO NÃO

UTILIZADO OU DOS SEUS DESPERDÍCIOS, SE FOR CASO DISSO

Leia o folheto informativo.

13.

MENÇÃO “USO VETERINÁRIO” E CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RELATIVAS

AO FORNECIMENTO E À UTILIZAÇÃO, se for caso disso

USO VETERINÁRIO

Medicamento veterinário sujeito a receita médico-veterinária.

14.

MENÇÃO “MANTER FOR A DO ALCANCE E DA VISTA DAS CRIANÇAS”

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

15.

NOME E ENDEREÇO DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO

MERCADO

Titular da A.I.M.:

Divasa Farmavic de Portugal, Lda.

Praceta Jaime Cortesão, Nº 1 – R/C Loja Esq.

2625-170 Póvoa de Santa Iria

16.

NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

567/01/12NFSVPT

17.

NÚMERO DO LOTE DE FABRICO

<Lote> {número}

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 10 de 16

INDICAÇÕES MÍNIMAS A INCLUIR EM PEQUENAS UNIDADES (até 50 ml) DE

ACONDICIONAMENTO PRIMÁRIO

Etiqueta de papel sobre frasco de 20 ml.

1.

NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

TABERNIL ANTIASMÁTICO, solução oral para canários, pombos e aves ornamentais

2.

COMPOSIÇÃO QUANTITATIVA DAS SUBSTÂNCIAS ATIVAS

Por ml:

Cloridrato de difenidramina 0,8 mg; Cloridrato de efedrina 2 mg; Teofilina 4 mg; Dexametasona

(fosfato sódico) 40 µg

3.

CONTEÚDO EM PESO, VOLUME OU NÚMERO DE DOSES

20 ml.

4.

VIA(S) DE ADMINISTRAÇÃO

Antes de utilizar, leia o folheto informativo.

5.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não aplicável.

6.

NÚMERO DE LOTE

<Lote> {número}

7.

PRAZO DE VALIDADE

<VAL {MM/AAAA}

Prazo de validade após abertura: 3 meses.

Prazo de validade após diluição ou reconstituição de acordo com as instruções: 24 horas.

8.

NÚMERO DE AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

567/01/12NFSVPT

9.

MENÇÃO “ USO VETERINÁRIO”

USO VETERINÁRIO

Medicamento veterinário sujeito a receita médico-veterinária.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 11 de 16

INDICAÇÕES A INCLUIR NO ACONDICIONAMENTO PRIMÁRIO

Frasco de 100 ml

1.

NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

TABERNIL ANTIASMÁTICO, solução oral para canários, pombos e aves ornamentais

2.

DESCRIÇÃO DAS SUBSTÂNCIAS ATIVAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS

1 ml contém:

Substâncias ativas :

Cloridrato de difenidramina 0,8 mg; Cloridrato de efedrina 2 mg; Teofilina 4 mg; Dexametasona

(fosfato sódico) 40 µg

3.

FORMA FARMACÊUTICA

Solução oral.

4.

DIMENSÃO DA EMBALAGEM

100 ml

5.

ESPÉCIES-ALVO

Canários, pombos e aves ornamentais.

6.

INDICAÇÕES

Tratamento sintomático de processos respiratórios de tipo asmático e como terapia de apoio ao

tratamento específico de determinadas patologias respiratórias infeciosas, tais como CRD, aspergilose,

varíola ou coriza.

7.

MODO E VIA DE ADMINISTRAÇÃO

Antes de utilizar leia o folheto Informativo.

8.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não aplicável.

9.

ADVERTÊNCIAS ESPECIAIS

Antes de utilizar, leia o folheto informativo.

10.

PRAZO DE VALIDADE

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 12 de 16

EXP. {Mês/ano}

Prazo de validade após abertura: 3 meses.

Prazo de validade após diluição de acordo com as instruções: 24 horas.

11.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE CONSERVAÇÃO

Não conservar acima de 25ºC. Conservar em local seco.

12.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE ELIMINAÇÃO DO MEDICAMENTO NÃO

UTILIZADO OU DOS SEUS DESPERDÍCIOS, SE FOR CASO DISSO

Leia o folheto informativo.

13.

MENÇÃO “USO VETERINÁRIO” E CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RELATIVAS

AO FORNECIMENTO E À UTILIZAÇÃO, se for caso disso

USO VETERINÁRIO

Medicamento veterinário sujeito a receita médico-veterinária.

14.

MENÇÃO “MANTER FOR A DO ALCANCE E DA VISTA DAS CRIANÇAS”

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

15.

NOME E ENDEREÇO DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO

MERCADO

Titular da A.I.M.:

Divasa Farmavic de Portugal, Lda.

Praceta Jaime Cortesão, Nº 1 – R/C Loja Esq.

2625-170 Póvoa de Santa Iria

16.

NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

567/01/12NFSVPT

17.

NÚMERO DO LOTE DE FABRICO

<Lote> {número}

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 13 de 16

FOLHETO INFORMATIVO

TABERNIL ANTIASMÁTICO, solução oral para canários, pombos e aves ornamentais

Cloridrato de difenidramina 0,8 mg/ml; Cloridrato de efedrina 2 mg/ml; Teofilina 4 mg/ml;

Dexametasona (fosfato sódico) 40 µg/ml

1. NOME

E

ENDEREÇO

DO

TITULAR

DA

AUTORIZAÇÃO

DE

INTRODUÇÃO

NO

MERCADO E DO FABRICANTE RESPONSÁVEL PELA LIBERTAÇÃO DO LOTE

Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

Divasa Farmavic de Portugal, Lda.

Praceta Jaime Cortesão, Nº 1 – R/C Loja Esq.

2625-170 Póvoa de Santa Iria

Titular da autorização de fabrico responsável pela libertação do lote:

Divasa Farmavic SA

Crta. Sant Hipòlit, km 71

08503 Gurb-Vic (Barcelona) Espanha

2. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

TABERNIL ANTIASMÁTICO, solução oral para canários, pombos e aves ornamentais

3. DESCRIÇÃO DAS SUBSTÂNCIAS ATIVAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS

Solução oral, límpida incolor, que contém por ml:

Sustâncias ativas: Cloridrato de difenidramina 0,8 mg; Cloridrato de efedrina 2 mg; Teofilina 4 mg;

Dexametasona (fosfato sódico) 40 µg.

Excipientes: Parahidroxibenzoato de metilo, sal sódico (E-219)1,2 mg; Parahidroxibenzoato de

propilo, sal sódico (E-217)0,5 mg.

4. INDICAÇÕES

Tratamento sintomático de processos respiratórios de tipo asmático e como terapia de apoio ao

tratamento específico de determinadas patologias respiratórias infeciosas, tais como CRD, aspergilose,

varíola ou coriza.

5. CONTRA-INDICAÇÕES

Embora não tenham sido descritas nas espécies de destino, de um modo geral e atendendo aos

componentes, a sua utilização está contra-indicada em animais com alterações cardíacas. Não usar em

processos infeciosos agudos não controlados mediante a quimioterapia adequada.

6. REAÇÕES ADVERSAS

Embora não se tenham descrito nas espécies de destino, genéricamente deve indicar-se a possibilidade

de irritação intestinal e estimulação do sistema nervoso central (inquietação, agitação, excitação).

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 14 de 16

As xantinas podem potenciar a hipopotasemia causada por hipoxia ou pela administração de β-

adrenérgicos, corticosteroides e diuréticos.

7. ESPÉCIES-ALVO

Canários, pombos e aves ornamentais.

8. DOSAGEM EM FUNÇÃO DA ESPÉCIE, VIAS E MODO DE ADMINISTRAÇÃO

Via oral, na água de bebida

Doses:

Substância ativa

mg/kg p.v./dia

Cloridrato de difenidramina

0,6 – 1,2 mg

Cloridrato de efedrina

1,5 – 3.0 mg

Teofilina

3,0 – 6,0 mg

Dexametasona (fosfato sódico)

0,03 – 0,06 mg

Substância ativa

mg/animal/dia (canário de 15 g p.v.)

Cloridrato de difenidramina

0,009 – 0,018 mg

Cloridrato de efedrina

0,0225 – 0,045 mg

Teofilina

0,045 – 0,090 mg

Dexametasona (fosfato sódico)

0,40 – 0,9 µg

Preparação da água medicada para canários (15 gramas p.v.)

10 ml de água medicada – adicionar 2 gotas a 10 ml de água potável.

100 ml de água medicada – adicionar 20 gotas a 100 ml de água potável.

Para outras aves, devem calcular-se as quantidades necessárias utilizando as doses indicadas na

primeira tabela.

Administração da água medicada

Colocar no bebedouro a quantidade de água medicada, calculando 2 ml/dia por animal.

Ao acabar-se, repor com água potável, sem medicar. Não deve deixar-se as aves sem água de bebida.

Administrar durante 5 dias consecutivos. Se necessário, repetir o tratamento após 5 dias de descanço.

Se após o segundo tratamento não se observar melhoria alguma, deve reconsiderar-se o diagnóstico.

Em cada caso deve estabelecer-se o consumo médio de água dos animais. A título orientativo, pode

tomar-se como consumo “standard” 150 ml de água por cada 1000 gramas de p.v./dia, caso em que a

dose administrada corresponderá a 13-25 gotas de TABERNIL ANTIASMÁTICO por cada 100 ml de

água/dia. Por questões de higiene, deve mudar-se diariamente a água de bebida, esteja medicada ou

não.

Uma vez aberto o medicamento, pode utilizar-se durante 28 dias. A água medicada deve utilizar-se

imediatamente.

9.

INSTRUÇÕES COM VISTA A UMA ADMINISTRAÇÃO CORRETA

Preparar diariamente a água medicada.

Não ultrapassar a dosagem recomendada.

10.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 15 de 16

Não aplicável.

11.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE CONSERVAÇÃO

Não conservar acima de 25ºC. Conservar em local seco.

12.

ADVERTÊNCIAS ESPECIAIS

Advertências especiais para cada espécie-alvo

Não foram descritas.

Precauções especiais de utilização

i) Precauções especiais para utilização em animais

Em caso de enfermidades infeciosas ou parasitárias, deve instaurar-se uma terapia específica. O

consumo diário de água depende da temperatura ambiental e de outros fatores como o estado

fisiológico das aves, pelo que a quantidade real de água consumida pode variar consideravelmente.

ii) Precauções especiais que devem ser tomadas pela pessoa que administra o medicamento aos

animais

As pessoas com hipersensiilidade conhecida a algum dos componentes devem evitar o contacto com o

medicamento veterinário. Evitar o contacto com a pele e os olhos. Em caso de contacto, lavar

abundantemente com água limpa. Não fumar, comer ou beber, enquanto se manipula o medicamento

veterinário Se aparecerem sintomas após a exposição, como agitação, excitação ou sintomatologia

gastrointestinal, recorrer a um médico, mostrando a embalagem ou o folheto informativo.

iii)

Utilização durante a gestação, lactação e a postura de ovos.

Não aplicável.

iv)

Interação medicamentosa e outras formas de interação

Com o ácido acetilsalicílico, a dexametasona favorece a eliminação de salicilatos. Com outras

metilxantinas

podem

produzir-se

efeitos

adversos

adição.

fluorquinolonas

macrólidos

interferem no metabolismo hepático da teofilina.

v) Sobredosagem (sintomas, procedimentos de emergência, antídotos)

A administração de doses muito elevadas e durante períodos de tempo prolongados, pode dar lugar a

hipopotasemia, agitação, arritmias e convulsões.

vi) Incompatibilidades

Não foram descritas.

13.

PRECAUÇÕES

ESPECIAIS

DE

ELIMINAÇÃO

DO

MEDICAMENTO

NÃO

UTILIZADO OU DOS SEUS RESÍDUOS, SE FOR CASO DISSO

Os medicamentos veterinários não devem ser eliminados no lixo ou esgotos domésticos.

Pergunte ao seu médico veterinário como deve eliminar os medicamentos que já não são necessários.

Estas medidas contribuem para a proteção do ambiente.

14. DATA DA ÚLTIMA APROVAÇÃO DO FOLHETO INFORMATIVO

Direção Geral de Alimentação e Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 17 de Julho de 2012

Página 16 de 16

07/2012

15.

NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

567/01/12NFSVPT

16. OUTRAS INFORMAÇÕES

Medicamento veterinário sujeito a receita médica veterinária.

USO VETERINÁRIO

Data da última revisão do texto: Junho 2012.

Apresentações: 20 ml e 100 ml (Podem não ser comercializadas todas as apresentações)

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação