Sinemet CR 200 mg + 50 mg Comprimido de libertação prolongada

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Levodopa + Carbidopa
Disponível em:
Merck Sharp & Dohme, Lda.
Código ATC:
N04BA02
DCI (Denominação Comum Internacional):
Levodopa + Carbidopa
Dosagem:
200 mg + 50 mg
Forma farmacêutica:
Comprimido de libertação prolongada
Composição:
Carbidopa 50 mg - Levodopa 200 mg
Via de administração:
Via oral
Unidades em pacote:
Blister - 20 unidade(s)
Tipo de prescrição:
MSRM
Grupo terapêutico:
2.5.2 Dopaminomiméticos
Área terapêutica:
levodopa and decarboxylase inhibitor
Resumo do produto:
8372565 - Blister 20 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Temperatura: inferior a 30°CCondições: Conservar embalagem origem, abrigo luz e humidade - Temporariamente indisponível - 10079081 - 50085352 ; 8372573 - Blister 60 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita precauções especiais de conservação - Comercializado - 10079081 - 50085344
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
6/58/88
Data de autorização:
1979-08-22

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

Folheto informativo: Informação para o utilizador

Sinemet CR 50 + 200 mg comprimidos de libertação prolongada

Carbidopa + Levodopa

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento,

pois contém informação importante para si.

- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

- Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

- Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O

medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de

doença.

- Se tiver algum dos efeitos indesejáveis, incluindo possíveis efeitos indesejáveis não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Ver secção 4.

O que contém este folheto:

1. O que é Sinemet CR e para que é utilizado

2. O que precisa de saber antes de tomar Sinemet CR

3. Como tomar Sinemet CR

4. Efeitos indesejáveis possíveis

5. Como conservar Sinemet CR

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

1. O que é Sinemet CR e para que é utilizado

Sinemet

é uma

associação

medicamentosa

carbidopa

inibidor

descarboxilase do aminoácido aromático) e levodopa (o precursor metabólico da

dopamina) num comprimido de libertação prolongada, para tratar os sintomas da

Doença de Parkinson.

Porque é que o meu médico receitou Sinemet CR?

O seu médico receitou-lhe Sinemet CR para tratar os sintomas da Doença de

Parkinson.

O que é a Doença de Parkinson?

É uma doença crónica que se caracteriza por movimentos lentos e inseguros, rigidez

muscular e tremores. Caso não seja tratada, esta doença pode causar dificuldades

na realização de atividades normais diárias.

Como atua Sinemet CR?

Os comprimidos de Sinemet CR foram fabricados segundo uma fórmula que liberta

lentamente as duas substâncias ativas - levodopa e carbidopa.

Crê-se que os sintomas da Doença de Parkinson são causados pela falta de

dopamina, uma substância química naturalmente produzida por certas células do

cérebro. A dopamina desempenha a função de retransmitir mensagens para certas

regiões do cérebro que controlam os movimentos musculares. A dificuldade nos

movimentos surge quando a dopamina é produzida em pequena quantidade.

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

A levodopa reabastece o cérebro de dopamina, e a carbidopa assegura que o cérebro

receba levodopa suficiente, onde ela é necessária. Em muitos doentes, isto permite

reduzir os sintomas da Doença de Parkinson. A fórmula de libertação prolongada

destes comprimidos permite manter a quantidade de levodopa no seu organismo, o

mais regularmente possível.

2. O que precisa de saber antes de tomar Sinemet CR

Não tome Sinemet CR:

- se tem alergia às substâncias ativas ou a qualquer outro componente deste

medicamento (indicados na secção 6),

- se tem lesões suspeitas na pele (manchas) que não tenham sido examinadas pelo

seu médico, ou já teve cancro da pele,

- se tem depressão e está a ser tratado(a) com certos medicamentos inibidores

MAO,

- se tem glaucoma de ângulo fechado.

Não se recomenda o uso de Sinemet CR a menores de 18 anos.

Advertências e precauções

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Sinemet CR.

Fale com o seu médico sobre quaisquer problemas de saúde que possa ter, ou já

tenha tido, incluindo:

- alergias

- depressão ou perturbações mentais

- problemas hormonais, de pulmões, de rins, de fígado, ou de coração

- úlcera péptica

- convulsões

- glaucoma.

Informe o seu médico se já foi anteriormente tratado(a) com levodopa.

Informe o seu médico se você, alguém na sua família ou o(a) seu(sua) prestador(a)

de cuidados notar que está a desenvolver necessidades incontroláveis ou desejos de

se comportar de formas que não lhe sejam habituais, ou que não consegue resistir a

impulsos, vontades ou tentações de levar a cabo atividades que possam prejudicá-lo

a si ou a outros. Estes comportamentos são conhecidos como perturbação do

controlo dos impulsos e podem incluir vício do jogo (jogo patológico), necessidade

excessiva de comer ou gastar dinheiro, um desejo sexual (líbido) anormalmente alto

ou um aumento das sensações ou pensamentos sexuais (hipersexualidade). O seu

médico pode necessitar de rever o seu tratamento.

Avise o seu médico se você ou um familiar/cuidador seu reparar que está a

desenvolver sintomas de dependência que o levam a ansiar por doses elevadas de

Sinemet

outros

medicamentos

utilizados

tratamento

doença

Parkinson.

Durante o tratamento com Sinemet CR tome especial cuidado quando conduzir ou

utilizar máquinas. Caso já tenha sentido sonolência excessiva ou tenha ocorrido um

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

episódio de adormecimento súbito, deve evitar conduzir e utilizar máquinas e

contacte o seu médico.

Outros medicamentos e Sinemet CR

Embora Sinemet CR possa geralmente ser tomado com outros medicamentos, há

exceções. O seu médico poderá adverti-lo para não tomar ao mesmo tempo certos

medicamentos usados para tratar problemas psiquiátricos ou depressões mentais,

tuberculose, tensão arterial elevada, espasmos musculares ou convulsões.

médico

farmacêutico

poderão

dar-lhe

lista

completa

medicamentos que deve evitar enquanto estiver a tomar Sinemet CR.

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado

recentemente ou se vier a tomar outros medicamentos.

Gravidez e amamentação

Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar,

consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

Não se sabe que efeitos poderá ter Sinemet CR na gravidez humana. A levodopa, um

dos componentes de Sinemet CR passa para o leite materno. Se engravidou, planeia

engravidar ou amamentar, fale com o seu médico para que possam avaliar os

possíveis riscos e benefícios deste tratamento.

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas

As respostas de cada indivíduo à medicação são variáveis. Foram relatados alguns

efeitos indesejáveis que podem afetar a sua capacidade de conduzir ou de trabalhar

com máquinas (ver secção 4).

Sinemet

pode

causar

sonolência

(sonolência

excessiva)

episódios

adormecimento súbito. Deve evitar conduzir ou realizar outras atividades que

possam comprometer a sua vida ou a de outros (utilização de máquinas, por

exemplo) até que episódios recorrentes e sonolência sejam resolvidos.

3. Como tomar Sinemet CR

Tome este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o seu

médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Utilização em crianças e adolescentes

Não se recomenda o uso de Sinemet CR a menores de 18 anos.

A posologia de Sinemet CR é variável e o seu médico ajustá-la-á de acordo com a

gravidade da sua doença e a sua resposta ao tratamento.

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

Sinemet CR deve ser tomado apenas na forma de comprimido inteiro. Não mastigue

nem esmague os comprimidos, para que se mantenham as suas propriedades de

libertação lenta.

Para obter melhores resultados, tome Sinemet CR todos os dias. É importante que

siga cuidadosamente as instruções do seu médico quanto ao número e frequência

das tomas.

A posologia habitual pode variar entre 2 a 8 comprimidos por dia, repartidos em

doses parcelares, com intervalos variando entre 4 e 12 horas.

Se verificar alguma alteração na sua situação clínica, como por exemplo náuseas ou

movimentos anormais, informe imediatamente o seu médico, pois poderá ser

necessária uma mudança na posologia.

Não interrompa repentinamente o seu tratamento, exceto por ordem do seu médico.

Assegure-se que tem em seu poder comprimidos suficientes para fins de semana,

feriados ou férias.

Se tomar mais Sinemet CR do que deveria

Se tomar comprimidos a mais, contacte o seu médico imediatamente para que ele

o(a) observe.

Caso se tenha esquecido de tomar Sinemet CR

Tente tomar Sinemet CR conforme receitado. No entanto, se se esquecer de tomar

um comprimido, tome-o logo que se lembre.

Mas, se estiver quase na hora de tomar a dose seguinte, então não tome o

comprimido em falta. Volte a tomar os comprimidos dentro do horário previsto.

Se parar de tomar Sinemet CR

Não interrompa o tratamento com Sinemet CR, nem reduza a dose sem falar

primeiro com o seu médico.

Os sintomas que poderão surgir incluem rigidez muscular, febre e alterações

mentais.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu

médico ou farmacêutico.

4. Efeitos indesejáveis possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos indesejáveis,

embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Os efeitos indesejáveis mais frequentes são:

- movimentos anormais (que poderão ou não parecer-se com os seus sintomas de

Parkinson);

- náuseas;

- alucinações;

- confusão;

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

- tonturas;

- boca seca.

Durante o tratamento pode experienciar uma incapacidade de resistir à vontade de

realizar atividades que podem ser prejudiciais e que incluem:

- forte impulso para jogar em excesso, não obstante consequências pessoais ou

familiares graves (jogo patológico)

ímpeto

comportamento

sexual

alterado

aumentado

seja

significativamente preocupante para si ou para terceiros, como por exemplo um

aumento do desejo sexual (hipersexualidade e líbido aumentada)

- vontade excessiva e incontrolável de fazer compras ou gastar dinheiro

- compulsão alimentar periódica (comer grandes quantidades de alimentos num

curto período) ou ingestão compulsiva de alimentos (comer mais alimentos do que o

normal e mais do que o necessário para satisfazer a sua fome).

Informe o seu médico se experienciar algum destes comportamentos; ele irá discutir

consigo a forma de gerir ou reduzir aqueles sintomas.

Outros efeitos indesejáveis possíveis incluem sonhos anormais ou dificuldade em

adormecer, sonolência (sonolência excessiva), episódios de adormecimento súbito,

alterações mentais, depressão, fraqueza, vómitos e perda de apetite, rubor, perda

de cabelo, desmaios, descoloração da urina, suor e/ou saliva e melanoma.

A ânsia por doses elevadas de Sinemet CR excedendo a dose necessária para o

controlo dos sintomas motores, é conhecida por síndrome de desregulamento da

dopamina. Alguns doentes experienciam movimentos involuntários anormais graves

(discinesias), oscilações do humor ou outros efeitos indesejáveis após a toma de

doses elevadas de Sinemet CR.

Se tiver uma reação alérgica que inclua erupções da pele, comichão, vermelhidão da

pele, e inchaço da cara, dos lábios, da língua e/ou da garganta, que possa provocar

dificuldade em respirar ou engolir, contacte imediatamente o seu médico.

O seu médico ou farmacêutico têm uma lista mais completa de efeitos indesejáveis.

Alguns deles poderão ser graves.

Comunicação de efeitos indesejáveis

Se tiver quaisquer efeitos indesejáveis, incluindo possíveis efeitos indesejáveis não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá

comunicar efeitos indesejáveis diretamente ao INFARMED, I.P. através dos contactos

abaixo.

comunicar

efeitos

indesejáveis,

estará

ajudar

fornecer

mais

informações sobre a segurança deste medicamento.

Sítio

internet:

http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram

(preferencialmente) ou através dos seguintes contactos:

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

5. Como conservar Sinemet CR

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

Não conservar acima de 30°C. Conservar na embalagem de origem para proteger da

luz e da humidade.

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem

exterior, após VAL. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico.

Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza.

Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de Sinemet CR

- As substâncias ativas são a carbidopa e levodopa.

Cada comprimido contém 50 mg de carbidopa e 200 mg de levodopa.

outros

componentes

são

hidroxipropilcelulose,

estearato

magnésio,

co-polímero de poli (acetato de vinil-ácido crotónico), óxido de ferro vermelho

(E172) e laca de alumínio de amarelo de quinoleína (E104).

Qual o aspeto de Sinemet CR e conteúdo da embalagem

Comprimido oval, côr de pêssego, com uma ranhura profunda num dos lados e

gravação 521 no outro.

Sinemet CR encontra-se disponível sob a forma de comprimidos de libertação

prolongada em embalagens com 20 e 60 comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Merck Sharp & Dohme, Lda.

Quinta da Fonte

Edifício Vasco da Gama, 19

2770-192 Paço de Arcos

Fabricante

Merck Sharp & Dohme B.V.

Waarderweg 39

2031 BN, Haarlem

Países Baixos

Este folheto foi revisto pela última vez em

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1. NOME DO MEDICAMENTO

Sinemet CR 50 + 200 mg comprimidos de libertação prolongada

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada comprimido de Sinemet CR contém, como substâncias ativas:

Carbidopa ..................... 50 mg

Levodopa ...................... 200 mg

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Comprimido de libertação prolongada.

Comprimido oval, côr de pêssego, com uma ranhura profunda num dos lados e

gravação 521 no outro.

A ranhura do comprimido não se destina à sua divisão (ranhura não funcional).

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

- Doença de Parkinson idiopática.

- Parkinsonismo pós-encefalítico.

- Parkinsonismo sintomático (intoxicação por monóxido de carbono ou manganésio).

- Doentes com doença de Parkinson ou parkinsonismo que estejam a tomar

preparados vitamínicos que contenham piridoxina.

- Para reduzir o tempo "off" em doentes previamente tratados com preparações de

levodopa/inibidor da descarboxilase, ou com levodopa isoladamente, que tenham

tido flutuações motoras

caracterizadas

por uma

deterioração

de fim

dose

(fenómeno

"wearing-off"),

discinesias

dose

máxima,

acinesia

evidência

semelhante de distúrbios motores de curta duração.

4.2 Posologia e modo de administração

Os comprimidos de Sinemet CR contêm carbidopa e levodopa numa relação de 1:4

(carbidopa 50 mg/levodopa 200 mg por comprimido). A dose diária de Sinemet CR

deve ser determinada por ajuste posológico cuidadoso. Os doentes deverão ser

frequentemente monitorizados durante os ajustes posológicos, particularmente no

que diz respeito ao aparecimento ou agravamento de náuseas ou movimentos

anormais involuntários, incluindo discinesias, coreia e distonia.

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

Sinemet CR deve ser administrado apenas na forma de comprimido inteiro. Para que

propriedades

libertação

gradual

produto

possam

mantidas,

comprimidos não deverão ser mastigados ou esmagados.

medicamentos

antiparkinsónicos

convencionais,

exceção

levodopa,

podem ser continuados durante a administração de Sinemet CR, embora a sua

posologia possa ter de ser ajustada.

Uma vez que a carbidopa previne a reversão dos efeitos da levodopa causados pela

piridoxina, Sinemet CR pode ser administrado a doentes que estejam a receber um

suplemento de piridoxina (vitamina B6).

POSOLOGIA INICIAL

Doentes que ainda não receberam tratamento com levodopa

A terapêutica com levodopa pode ser iniciada com Sinemet CR. A dose inicial

recomendada é de 1 comprimido duas ou três vezes por dia. A posologia inicial não

deverá exceder os 600 mg por dia de levodopa, nem deverá ser dada com intervalos

inferiores a 6 horas.

Doentes

atualmente

tratados

combinações

convencionais

levodopa/Inibidores da descarboxilase

A substituição dessas combinações por Sinemet CR deverá ser efetuada de modo a

fornecer aproximadamente mais 10% de levodopa por dia, embora possa ser

necessário aumentar até 30% de levodopa por dia, dependendo da resposta clínica

(ver Ajuste posológico em 4.2). O intervalo entre as doses deve ser de 4-8 horas

durante o período de vigília.

No quadro seguinte apresentam-se indicações para a substituição da terapêutica com

combinações convencionais de levodopa/inibidores da descarboxilase por Sinemet

Indicações para a conversão inicial de levodopa/inibidor da descarboxilase em

Sinemet CR

Levodopa/Inibidor

da descarboxilase

Sinemet CR

Dose diária total *

de levodopa (mg)

Regime posológico sugerido

300-400

500-600

700-800

900-1000

1 comprimido duas vezes/dia

1 comprimido 3 vezes/dia

Um total de 4 comprimidos em 3 ou

mais tomas

(por ex.: 2 comprimidos de manhã,

1 comprimido no início da tarde,

1 comprimido ao fim da tarde)

Um total de 5 comprimidos em 3 ou

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

mais tomas

(por ex. 2 comprimidos de manhã,

2 comprimidos no início da tarde,

1 comprimido ao fim da tarde)

* Para regimes posológicos não indicados na tabela, ver Posologia inicial, Doentes

atualmente

tratados

combinações

convencionais

levodopa/inibidor

descarboxilase, na secção 4.2.

Doentes correntemente tratados apenas com levodopa

O tratamento com levodopa deverá ser interrompido, pelo menos, 8 horas antes de

começar a terapêutica com Sinemet CR. Nos doentes com doença moderada a

ligeira, a dose inicial recomendada é de 1 comprimido duas ou três vezes por dia.

Ajuste posológico

Após o início da terapêutica, as doses e seus intervalos podem ser aumentados ou

diminuídos dependendo da resposta terapêutica. Muitos doentes foram tratados

adequadamente com 2 a 8 comprimidos de Sinemet CR por dia, administrados em

tomas divididas, com intervalos de 4 a 12 horas, durante o período de vigília.

Usaram-se doses mais elevadas (até 12 comprimidos) com intervalos mais curtos

(menos de 4 horas), mas não são normalmente recomendados.

Quando se dão doses de Sinemet CR com intervalos inferiores a 4 horas, ou se as

mesmas não são divididas igualmente, recomenda-se que as doses mais pequenas

sejam dadas no final do dia. Nalguns doentes, o início do efeito da primeira dose da

manhã

pode

estar

atrasado

até

hora

comparação

resposta

usualmente obtida com a primeira dose da manhã de Sinemet.

Recomenda-se que os ajustes posológicos se façam com intervalos de pelo menos

três dias.

Manutenção

Dado que a doença de Parkinson é progressiva, são recomendadas avaliações

clínicas periódicas, podendo ser necessários ajustes dos esquemas posológicos de

Sinemet CR.

Adição de outras medicações antiparkinsónicas

Podem

administrar-se com

Sinemet

agentes

anticolinérgicos,

agonistas

dopamina e amantadina. Podem ser necessários ajustes posológicos de Sinemet CR

quando estes medicamentos são adicionados a um esquema posológico já existente

de Sinemet CR.

doentes em

estado

avançado

doença,

que necessitam

dose

suplementar de levodopa de libertação imediata durante algumas horas do dia, pode

adicionar-se meio ou 1 comprimido de Sinemet 25/100 ao regime posológico de

Sinemet CR.

Interrupção da terapêutica

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

Se for necessária uma redução abrupta ou uma interrupção de Sinemet CR, os

doentes deverão ser observados cuidadosamente, especialmente se estão a receber

neurolépticos (ver secção 4.4).

Se for necessária uma anestesia geral, o Sinemet CR deverá ser continuado

enquanto for permitida a administração oral de medicamentos. Se a terapêutica for

interrompida temporariamente, a posologia habitual deverá ser administrada logo

que os doentes possam tomar medicamentos por via oral.

População pediátrica

A segurança e eficácia de Sinemet CR em crianças com idade inferior a 18 anos não

foram estabelecidas.

4.3 Contraindicações

Hipersensibilidade

substâncias

ativas

qualquer

excipientes

mencionados na secção 6.1.

Os inibidores não seletivos da mono-aminoxidase (MAO) estão contraindicados para

a utilização com Sinemet CR. Estes inibidores devem ser suspensos pelo menos duas

semanas antes de iniciar o tratamento com Sinemet CR. Sinemet CR pode ser

administrado concomitantemente com a dose recomendada de um inibidor da MAO

com seletividade para a MAO tipo B (por ex., selegilina HCl) (ver secção 4.5).

Sinemet CR está contraindicado nos doentes com glaucoma de ângulo fechado.

Sinemet CR não deverá ser utilizado nos doentes com lesões cutâneas suspeitas não

diagnosticadas ou com história clínica de melanoma, uma vez que a levodopa pode

ativar um melanoma maligno.

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Quando os doentes já estão a tomar levodopa isolada, esta deve ser suspensa, pelo

menos, 8 horas antes da terapêutica com Sinemet CR ser iniciada (pelo menos, 12

horas, se estiver a ser administrada uma formulação de levodopa de libertação

gradual).

Poderão ocorrer discinesias em doentes já tratados com levodopa isolada, uma vez

que a carbidopa permite que mais levodopa alcance o cérebro e, assim, se forme

mais dopamina. O aparecimento de discinesias poderá requerer a redução da

posologia.

Tal como a levodopa, o Sinemet CR pode causar movimentos involuntários e

perturbações mentais. Pensa-se que estas reações se devem ao aumento de

dopamina no cérebro, após administração de levodopa. Poderá ser necessária uma

redução da dose. Todos os doentes deverão ser observados cuidadosamente a fim de

detetar

desenvolvimento

depressão

tendências

suicidas

concomitantes. Os doentes com psicose ou história de psicose deverão ser tratados

com precaução.

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

Sinemet

deve

administrado

cuidado

doentes

doença

cardiovascular ou pulmonar grave, asma brônquica, doença renal, hepática ou

endócrina, ou com história de úlcera péptica ou convulsões.

Deve-se ter cuidado na administração de Sinemet CR a doentes com uma história de

enfarte do miocárdio recente com arritmia auricular, nodal ou ventricular. Nestes

doentes, a função cardíaca deve ser monitorizada com especial cuidado durante o

período inicial do tratamento.

doentes

glaucoma

crónico

ângulo

aberto

podem

tratados

cuidadosamente com Sinemet CR, desde que a pressão intraocular esteja bem

controlada e o doente vigiado em função de alterações da tensão intraocular durante

o tratamento.

Registou-se um complexo de sintomas semelhante à síndrome maligna neuroléptica,

que incluía rigidez muscular, temperatura corporal elevada, alterações mentais e

aumento da fosfoquinase da creatina sérica, quando foram retirados repentinamente

agentes

antiparkinsonianos.

isso,

doentes

deverão

observados

cuidadosamente,

quando

proceder

reduções

bruscas

posologia

medicamentos com combinações de carbidopa e levodopa, ou à suspensão dos

mesmos, especialmente se os doentes estiverem a tomar neurolépticos.

Sinemet CR não é recomendado no tratamento de reações extrapiramidais induzidas

por medicamentos.

Durante períodos longos de terapêutica, é recomendada a avaliação periódica da

função hepática, hematopoiética, cardiovascular e renal.

Levodopa tem sido associada a sonolência e episódios de adormecimento súbito. O

adormecimento

súbito

durante

atividade

quotidiana,

alguns

casos

quaisquer sinais prévios, tem sido notificado muito raramente. Os doentes devem ser

informados no sentido de tomar precauções quando conduzem ou utilizam máquinas

durante o tratamento com levodopa. Os doentes a quem ocorreu sonolência e/ou

adormecimento súbito, devem evitar conduzir ou utilizar máquinas potencialmente

perigosas. Além disso, deve ser considerada a redução da dose ou a suspensão do

tratamento.

Melanoma: Estudos epidemiológicos demonstraram que doentes com doença de

Parkinson têm um risco maior (2 a cerca de 6 vezes maior) de desenvolverem

melanoma do que a população em geral. Não é claro se o risco acrescido observado

foi devido à doença de Parkinson ou a outros fatores, tais como fármacos utilizados

para tratar a doença de Parkinson.

Pelas

razões

acima

descritas,

doentes

profissionais

saúde

são

aconselhados a fazer a monotorização de melanomas frequentemente e de forma

regular, quando utilizam Sinemet CR em qualquer indicação. Idealmente, devem ser

realizados exames cutâneos periódicos por profissionais devidamente qualificados

(por exemplo, dermatologistas).

Síndrome

Desregulamento

Dopamina

(SDD)

distúrbio

aditivo

resultando no uso excessivo do medicamento, observado nalguns doentes tratados

com carbidopa/levodopa. Antes de iniciar a terapêutica, os doentes e cuidadores

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

devem ser avisados sobre os potenciais riscos de desenvolver SDD (ver também

secção 4.8).

Perturbação do controlo dos impulsos

doentes

devem

regularmente

monitorizados

relativamente

desenvolvimento de perturbações do controlo dos impulsos. Os doentes e os seus

prestadores

cuidados

devem

estar

cientes

podem

ocorrer

sintomas

comportamentais

perturbações

controlo

impulsos,

incluindo

jogo

patológico, aumento da libido, hipersexualidade, compras ou gastos compulsivos,

compulsão alimentar periódica ou ingestão compulsiva de alimentos, em doentes a

tomar agonistas da dopamina e/ou outros medicamentos dopaminérgicos contendo

levodopa, incluindo Sinemet CR. Recomenda-se uma revisão do tratamento caso

estes sintomas se desenvolvam.

População pediátrica

Não foram estabelecidas a segurança e eficácia de Sinemet CR em crianças, e a sua

utilização em doentes com idade inferior a 18 anos não é recomendada.

4.5 Interações medicamentosas e outras formas de interação

Deve-se ter cuidado quando se administram concomitantemente Sinemet CR e os

fármacos a seguir indicados:

Anti-hipertensores

Já ocorreu hipotensão postural sintomática quando se adicionaram combinações de

levodopa/inibidor da descarboxilase ao tratamento com anti-hipertensores. Por isso,

quando se inicia terapêutica com Sinemet CR, poderá ser necessário o ajuste

posológico da medicação anti-hipertensora.

Antidepressores tricíclicos

Já se registaram alguns casos raros de reações adversas, incluindo hipertensão e

discinesia, resultantes do uso concomitante de antidepressores tricíclicos e de

preparados de carbidopa-levodopa (no caso de doentes a receberem tratamento com

inibidores da mono-amino oxidase, ver secção 4.3).

Ferro

Estudos demonstraram uma diminuição na biodisponibilidade da carbidopa e/ou

levodopa quando é ingerida com sulfato ferroso ou gluconato ferroso.

Outros medicamentos

antagonistas

recetores

dopamina

(por

exemplo,

fenotiazinas,

butirofenonas e risperidona) e a isoniazida poderão reduzir os efeitos terapêuticos da

levodopa. Registaram-se casos em que a fenitoína e a papaverina reverteram os

efeitos benéficos da levodopa na Doença de Parkinson. Os doentes que tomarem

estes medicamentos com Sinemet CR deverão ser observados cuidadosamente para

detetar perda da resposta terapêutica.

terapêutica

concomitante

selegilina

carbidopa-levodopa

pode

estar

associada a hipotensão ortostática grave não atribuível somente à carbidopa-

levodopa (ver secção 4.3).

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

4.6 Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

Embora os efeitos de Sinemet CR na gravidez humana sejam desconhecidos, tanto a

levodopa como as combinações de carbidopa e levodopa causaram malformações

viscerais e esqueléticas em coelhos. Assim, a utilização de Sinemet CR por mulheres

em idade fértil requer que os benefícios possíveis do medicamento sejam pesados

contra os eventuais malefícios se ocorrer uma gravidez.

Amamentação

Desconhece-se se a carbidopa/metabolitos são excretados no leite humano. Num

estudo de uma mulher com doença de Parkinson que estava a amamentar, foi

referida a excreção de levodopa no leite materno. Dado que muitos fármacos são

excretados no leite humano, e devido ao risco potencial de reações adversas graves

nas crianças em aleitamento, dever-se-á decidir se se deve suspender o aleitamento

ou a utilização de Sinemet CR, tendo em consideração a importância do fármaco

para a mãe.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Efeitos indesejáveis, tais como sonolência ou tonturas, poderão afetar a capacidade

de condução e de manuseamento de máquinas.

Doentes

em tratamento com Sinemet

CR e

apresentem

sonolência

e/ou

episódios de adormecimento súbito devem ser informados no sentido de evitar

conduzir ou realizar outras atividades que possam comprometer ou a vida dos

próprios ou a de outros (utilização de máquinas, por exemplo), até que estes

episódios e sonolência sejam resolvidos (ver também secção 4.4).

4.8 Efeitos indesejáveis

Nos ensaios clínicos controlados em doentes com flutuações motoras moderadas a

graves, Sinemet CR não produziu efeitos indesejáveis que fossem específicos da

formulação de libertação controlada.

O efeito indesejável mais frequentemente referido foi a discinesia (uma forma de

movimentos

anormais

involuntários).

incidência

ligeiramente

maior

discinesias foi observada com Sinemet CR relativamente a Sinemet, devido à

substituição do tempo "off" (que é reduzido com Sinemet CR) pelo tempo "on" (que

é, por vezes, acompanhado de discinesias).

Outros efeitos indesejáveis também referidos frequentemente (≥1/100, <1/10):

- náuseas

- alucinações

- confusão

- tonturas

- coreia

- boca seca.

Efeitos indesejáveis ocorrendo pouco frequentemente (≥1/1000, <1/100):

- sonhos anormais

- distonia

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

- sonolência

- insónia

- depressão

- astenia

- vómitos

- anorexia.

Outros

efeitos

indesejáveis

referidos

estudos

clínicos

experiência

pós-comercialização:

Corporais:

- dor no peito, síncope.

Cardiopatias/Vasculopatias:

- palpitações, efeitos ortostáticos incluindo episódios de hipotensão ortostática.

Doenças gastrointestinais:

- obstipação, diarreia, dispepsia, dor gastrointestinal, saliva escura.

Perturbações gerais e alterações no local de administração:

- angiedema, urticária, prurido.

Doenças do metabolismo e da nutrição:

- perda de peso.

Doenças do sistema nervoso/Perturbações do foro psiquiátrico:

- síndrome maligna neuroléptica (ver secção 4.4), agitação, ansiedade, acuidade

mental

diminuída,

parestesia,

desorientação,

fadiga,

cefaleias,

distúrbios

movimentos

extrapiramidais,

quedas,

perturbações

ansiedade,

cãibras

musculares,

episódios

bradicinéticos

fenómeno

"on-off"),

líbido

aumentada,

episódios psicóticos incluindo ilusões, alucinações e ideação paranoide.

Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino:

- dispneia.

Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:

- rubor, alopecia, exantema, suor escuro.

Afeções oculares:

- visão turva

Doenças renais e urinárias:

- urina escura.

Outros

efeitos indesejáveis

registados

com levodopa

combinações

levodopa/carbidopa e que poderão ser potenciais efeitos indesejáveis de Sinemet CR

Doenças do sistema nervoso/Perturbações do foro psiquiátrico:

- ataxia, entorpecimento, aumento do tremor na mão, espasmos musculares,

blefarospasmo,

trismo,

ativação

síndroma

Horner’s

latente,

euforia

demência, depressão com tendências suicidas.

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

Doenças gastrointestinais:

- travo amargo, sialorreia, disfagia, bruxismo, soluços, hemorragia gastrointestinal,

flatulência, sensação de ardor na língua, desenvolvimento de úlcera duodenal.

Cardiopatias/Vasculopatias:

- irregularidades cardíacas, hipertensão, flebite.

Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:

- suores excessivos.

Doenças renais e urinárias/Doenças dos órgãos genitais e da mama:

- retenção urinária, incontinência urinária, priapismo.

Afeções oculares:

- diplopia, pupilas dilatadas, crises oculogíricas.

Doenças do sangue e do sistema linfático:

- leucopenia, anemia hemolítica e não-hemolítica, trombocitopenia, agranulocitose.

Perturbações gerais e alterações no local de administração:

- aumento de peso, edemas, fraqueza, desmaios, rouquidão, mal-estar, rubores,

sensação de estimulação, tipos bizarros de respiração, melanoma maligno (ver

secção 4.3), púrpura de Henoch-Schonlein.

Registaram-se convulsões, mas não ficou estabelecida uma relação causal com

levodopa ou com combinações de levodopa/carbidopa.

Sinemet CR está associado a sonolência e tem sido associado muito raramente a

sonolência excessiva durante a atividade quotidiana e a episódios de adormecimento

súbito.

Síndrome

Desregulamento

Dopamina

(SDD)

distúrbio

aditivo

observado

alguns

doentes

tratados

carbidopa/levodopa.

doentes

afetados

demonstram um

padrão

compulsivo

uso incorreto

da terapêutica

dopaminérgica em doses superiores às adequadas para o controlo dos sintomas

motores, o que em alguns casos pode resultar em discinesias graves (ver também

secção 4.4.)

Perturbação do controlo dos impulsos

Podem ocorrer casos de jogo patológico, aumento da líbido, hipersexualidade,

compras

gastos

compulsivos,

compulsão

alimentar

periódica

ingestão

compulsiva de alimentos, em doentes em tratamento com agonistas da dopamina

e/ou outros medicamentos dopaminérgicos contendo levodopa, incluindo Sinemet CR

(ver secção 4.4).

Exames complementares de diagnóstico:

Têm ocorrido anomalias em vários testes laboratoriais com as preparações de

carbidopa-levodopa e, assim, podem ocorrer também com Sinemet CR. Os testes

laboratoriais que têm registado anomalias são creatinina, ácido úrico, fosfatase

alcalina, SGOT (AST), SGPT (ALT), desidrogenase láctica, bilirrubina, ureia sérica e

teste de Coombs positivo.

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

Foram relatados casos de diminuição de hemoglobina e de hematócrito, glicemia

aumentada, e o aparecimento de sangue, bactérias e leucócitos na urina.

As preparações de carbidopa-levodopa podem provocar uma reação falsa-positiva,

no que se refere a corpos cetónicos urinários, quando se utiliza uma amostra para

determinação de cetonúria. Esta reação não se altera com a fervura da amostra de

urina. O uso de métodos glicose-oxidase para achar glicosúria poderá provocar

testes falso-negativos.

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é

importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-

risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer

suspeitas de reações adversas diretamente ao INFARMED, I.P.:

Sítio da internet: http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram

(preferencialmente) ou através dos seguintes contactos:

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

4.9 Sobredosagem

O tratamento de sobredosagem aguda com Sinemet CR é basicamente o mesmo que

se faz para a sobredosagem aguda com levodopa; no entanto, a piridoxina não é

eficaz na reversão da ação de Sinemet CR.

Dever-se-á instituir uma monitorização eletrocardiográfica e o doente deverá ser

observado cuidadosamente para deteção de desenvolvimento de arritmias. Caso seja

necessário, dever-se-á administrar uma terapêutica antiarrítmica.

Dever-se-á

consideração

hipótese

doente

tomado

outros

medicamentos para além de Sinemet CR.

Até à data, não foi registada ainda nenhuma experiência com diálise; portanto,

desconhece-se a sua importância na sobredosagem.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: 2.5.2 – Sistema nervoso central. Antiparkinsónicos.

Dopaminomiméticos; código ATC: N04BA02

A doença de Parkinson é uma alteração degenerativa neurológica caracterizada pela

perda progressiva dos neurónios dopaminérgicos dos corpos negro e estriado. Os

sinais e sintomas, incluindo rigidez, tremor, bradicinesia, alterações posturais e

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

alterações do comportamento, são normalmente tratados de forma adequada com

medicamentos que mimetizem ou substituam a dopamina.

Sinemet

combinação

carbidopa,

inibidor

descarboxilase

aminoácido aromático, com levodopa, o precursor metabólico da dopamina, na forma

de um comprimido de libertação modificada, destinada ao tratamento da doença e

síndroma de Parkinson. Sinemet CR é particularmente útil para reduzir o tempo "off"

(incapacidade

motora)

doentes

tratados

previamente

combinação

convencional de levodopa/inibidor da descarboxilase que tenham tido discinesias

previsíveis de pico de dose ou flutuações motoras não previstas.

Os doentes com doença de Parkinson tratados com preparações que contenham

levodopa podem desenvolver flutuações motoras caracterizadas por agravamento de

fim de dose, discinesia na dose máxima e acinesia. A forma avançada de flutuação

motora

(fenómeno

"on-off")

caracterizada

mudanças

imprevisíveis

mobilidade para imobilidade. Embora as causas das flutuações motoras não sejam

completamente compreendidas, foi demonstrado que podem ser atenuadas pelos

esquemas terapêuticos que levem a níveis plasmáticos mantidos de levodopa.

A levodopa alivia os sintomas da Doença de Parkinson ao ser descarboxilada em

dopamina no cérebro. A carbidopa, que não atravessa a barreira hemato-encefálica,

inibe apenas a descarboxilação extracerebral da levodopa, principalmente na mucosa

intestinal,

aumentando

simultaneamente

níveis

plasmáticos

semivida

plasmática da levodopa, fazendo com que haja mais levodopa disponível para

transporte para o cérebro e sua subsequente conversão em dopamina. Assim, obvia

normalmente a necessidade de grandes doses de levodopa a intervalos frequentes. A

dose mais baixa reduz ou ajuda a eliminar os efeitos indesejáveis gastrointestinais e

cardiovasculares,

particularmente

atribuíveis

dopamina

formação

tecidos extracerebrais.

Os comprimidos de Sinemet CR foram formulados para libertarem as substâncias

ativas durante um período de 4 a 6 horas. Com esta formulação, há uma menor

variação nos níveis plasmáticos de levodopa, assim como o nível plasmático máximo

é 60% mais baixo do que com Sinemet convencional.

Em ensaios clínicos, os doentes com flutuações motoras experimentaram uma

redução do tempo "off" com Sinemet CR quando em comparação com Sinemet. A

avaliação global das atividades da vida diária no estado "on" e "off", foi considerada

melhor quer pelo doente, quer pelo médico, durante a terapêutica com Sinemet CR

do que com Sinemet. Os doentes consideraram que Sinemet CR era mais útil nas

suas flutuações clínicas, e preferiram-no relativamente a Sinemet. Nos doentes sem

flutuações motoras, o Sinemet CR levou ao mesmo benefício terapêutico com

administrações menos frequentes que Sinemet.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

A farmacocinética da levodopa após administração de Sinemet CR foi estudada em

voluntários

jovens

idosos

saudáveis.

tempo

médio

para

concentração

plasmática máxima de levodopa após Sinemet CR foi aproximadamente de duas

horas comparada com 0,75 horas com Sinemet. Os níveis plasmáticos máximos

médios foram 60 por cento menores com Sinemet CR do que com Sinemet. A

absorção in vivo de levodopa após a administração de Sinemet CR foi contínua

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

durante quatro a seis horas. Nestes estudos, assim como com os doentes, as

concentrações plasmáticas de levodopa, flutuaram num intervalo menor do que com

Sinemet. Dado que a biodisponibilidade de levodopa do Sinemet CR, em relação a

Sinemet, é aproximadamente 70 por cento, a posologia diária de levodopa na

formulação

libertação

prolongada será normalmente maior

formulação convencional. Não houve qualquer evidência de que o Sinemet CR

pudesse libertar os seus constituintes de um modo rápido ou não controlado.

Metabolismo da carbidopa

Após uma dose de carbidopa marcada radioativamente administrada por via oral a

indivíduos saudáveis e a doentes com Doença de Parkinson, os níveis máximos de

radioatividade foram atingidos em cerca de duas a quatro horas nos indivíduos

normais e em cerca de uma hora e meia a cinco horas nos doentes. Nos dois grupos

de doentes verificou-se que foram excretadas quantidades aproximadamente iguais

na urina e nas fezes.

A comparação entre os metabolitos urinários nos indivíduos saudáveis e nos doentes

indicou que o fármaco é metabolizado no mesmo grau para ambos. A excreção

urinária do fármaco não modificado foi essencialmente completa em sete horas e

representou

radioatividade

urinária

total.

Posteriormente,

foram

detetados metabolitos.

Entre os metabolitos excretados pelo homem estão o ácido α-metil3-metoxi-4-

hidroxifenilpropiónico

ácido

α-metil-3,4-dihidroxifenilpropiónico.

Estes

representam

aproximadamente

10%,

respetivamente,

metabolitos

radioativos

excretados.

Foram

encontrados

dois

metabolitos

menores.

identificado como 3,4-dihidroxifenilacetona e o outro foi identificado como sendo

provavelmente

N-metil-carbidopa.

Cada

representou

menos

metabolitos urinários. A carbidopa não modificada também estava presente na urina.

Não foram encontrados conjugados.

Metabolismo da levodopa

A levodopa é rapidamente absorvida do trato gastrointestinal e extensamente

metabolizada. Embora possam ser formados mais de 30 metabolitos, é convertida

principalmente em dopamina, adrenalina e noradrenalina e, eventualmente, em

ácido di-hidroxifenilacético, ácido homovanílico e ácido vanilmandélico. Aparece 3-0-

metildopa no plasma e líquido cefalo-raquidiano. O seu significado não é conhecido.

Quando são administradas doses únicas de levodopa radioativa a doentes com

doença de Parkinson em jejum, os níveis plasmáticos de radioatividade atingem um

nível máximo em meia a duas horas e mantêm-se mensuráveis durante quatro a seis

horas.

níveis

máximos,

cerca

radioatividade

corresponde

catecolaminas, 15% a dopamina e 10% a dopa. Os compostos radioativos são

rapidamente excretados na urina, aparecendo um terço da dose em duas horas.

Oitenta a noventa por cento dos metabolitos urinários são ácidos fenilcarboxílicos,

principalmente ácido homovanílico. Durante 24 horas, um a dois por cento da

radioatividade recuperada corresponde a dopamina e menos de um por cento a

adrenalina, noradrenalina e levodopa não modificada.

Efeito da carbidopa no metabolismo da levodopa

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

indivíduos

saudáveis,

carbidopa

aumenta

consistentemente

níveis

plasmáticos

levodopa,

quantidades

estatisticamente

significativas

comparação com placebo. Isto foi demonstrado quando a carbidopa se administrou

antes da levodopa e quando os dois fármacos foram administrados simultaneamente.

Num dos estudos, o pré-tratamento com carbidopa aumentou os níveis plasmáticos

da dose única de levodopa cerca de cinco vezes e prolongou a duração das

concentrações plasmáticas mensuráveis de levodopa de quatro horas para oito

horas. Quando os dois fármacos foram administrados simultaneamente noutros

estudos, foram obtidos resultados semelhantes.

Num estudo em que uma dose única de levodopa marcada foi administrada a

doentes com doença de Parkinson que haviam sido pré-tratados com carbidopa,

ocorreu um aumento na semivida da radioatividade plasmática total derivada da

levodopa, de três horas para quinze horas. A proporção da radioatividade que

permaneceu como levodopa não metabolizada foi aumentada pela carbidopa pelo

menos três vezes. A dopamina e o ácido homovanílico plasmáticos e urinários foram

diminuídos pelo pré-tratamento com carbidopa.

5.3 Dados de segurança pré-clínica

A associação carbidopa/levodopa não demonstrou potencial teratogénico no ratinho,

nem teve qualquer efeito adverso na fertilidade ou na capacidade reprodutiva do

rato. No entanto, provocou malformações viscerais e esqueléticas no coelho. Este

potencial teratogénico é atribuído à levodopa, com base nos resultados de estudos

que envolveram a administração de carbidopa ou levodopa isoladamente.

Nos testes in vitro de mutagénese microbiológica a carbidopa foi fracamente

mutagénica; existe a evidência de que este facto se deve à produção de hidrazina,

um composto não detetado em humanos. Não foram efetuados outros estudos de

genotoxicidade

cabidopa

levodopa

associação.

Estudos

carcinogenicidade, realizados no rato com administração de carbidopa isoladamente

ou da associação carbidopa e levodopa, não revelaram diferenças significativas entre

ratos tratados e ratos controlo, relativamente a mortalidade ou à incidência de

neoplasias.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista dos excipientes

Hidroxipropilcelulose

Estearato de magnésio

Co-polímero de poli (acetato de vinil-ácido crotónico)

Óxido de ferro vermelho (E172)

Laca de alumínio de amarelo de quinoleína (E104).

6.2 Incompatibilidades

Não aplicável.

6.3 Prazo de validade

APROVADO EM

18-03-2020

INFARMED

2 anos.

6.4 Precauções especiais de conservação

Não conservar acima de 30°C. Conservar na embalagem de origem para proteger da

luz e da humidade.

6.5 Natureza e conteúdo do recipiente

Embalagens de 20 e 60 comprimidos de libertação prolongada, em blisters de

alumínio/alumínio.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

6.6 Precauções especiais de eliminação e manuseamento

Não existem requisitos especiais.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Merck Sharp & Dohme, Lda

Quinta da Fonte

Edifício Vasco da Gama, 19

2770-192 Paço de Arcos

8. NÚMEROS DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

N.º de registo: 8372565 – 20 comprimidos de libertação prolongada, 50 + 200 mg,

blisters de Alumínio/alumínio.

N.º de registo: 8372573 – 60 comprimidos de libertação prolongada, 50 + 200 mg,

blisters de Alumínio/alumínio.

9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE

INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização: 22 agosto 1979

Data da última renovação: 28 novembro 2004

10. DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação