Novirex Gliox

Portugal - português - DGAV (Direção Geral de Alimentação e Veterinária)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Glioxal; Cloreto de Didecildimetilamónio; Glutaraldeído
Disponível em:
SP Veterinária
Código ATC:
1.3
DCI (Denominação Comum Internacional):
Each emission; Chloride Didecildimetilamónio; Glutaraldehyde
Forma farmacêutica:
Solução
Via de administração:
Glioxal, Cloreto de Didecildimetilamónio, Glutaraldeído
Grupo terapêutico:
Glioxal, Cloreto de Didecildimetilamónio, Glutaraldeído
Área terapêutica:
PT 3 - Higiene Veterinária
Resumo do produto:
Embalagem(s) - 1 unidade(s) - 1 L 267/00/16NBVPT Autorizado Sim; Embalagem(s) - 1 unidade(s) - 5 L 267/00/16NBVPT Autorizado Sim
Número de autorização:
267/00/16NBVPT

Leia o documento completo

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em 15 de junho de 2016

Página 1 de 3

Rotulagem Primária (Embalagens de 1 L, 5L)

NOVIREX GLIOX

BIOCIDA DE USO VETERINÁRIO

DESINFETANTE BACTERICIDA E VIRUCIDA DE INSTALAÇÕES PECUÁRIAS

(TP3)

COMPOSIÇÃO POR ML:

Ingredientes activos:

Glutaraldeído ................................ 40 mg

Cloreto de didecil dimetil amónio.. 100 mg

Glioxal ............................................32 mg

Excipientes q.b.p 1 ml

INDICAÇÕES: Limpeza e desinfeção de superfícies duras (superfícies, pavimentos, paredes e

tetos), em instaçãoes pecuárias, na ausência de animais.

MODO DE APLICAÇÃO: Pulverização, molhagem ou aspersão.

DOSIFICAÇÃO E MODO DE EMPREGO:

Solucão concentrada. Diluir o produto de acordo com a atividade pretendida:

- Bactericida: 2L de Novirex Gliox em 100 litros de água, deixar atuar 30min.

- Virucida (Vírus da Gripe Aviária Tipo A): 0,5L de Novirex Gliox em 100 litros de água, deixar

atuar 1min.

Enxaguar com água após a utilização.

Utilizar o preparado no dia da sua preparação.

USOS AUTORIZADOS: Uso Profissional. Exclusivo para utilização por pessoal especializado.

RECOMENDAÇÕES PARA CASOS DE INTOXICAÇÃO OU ACIDENTE: A intoxicação

pode provocar: Desde irritação a corrosão de olhos, pele, mucosas, tracto respiratório e

gastrointestinal. Dermatites, cefaleia, asma, taquicardia, náuseas, vómitos, tosse, dificuldade

respiratória,

lágrimas.

Depressão

SNC,

hipotensão,

convulsões.

Hemorragia,

potencial

ulceração, perfuração de estômago e esófago.

PRIMEIROS AUXILIOS: Retire a pessoa da zona contaminada e tire a roupa manchada ou

salpicada. Lave os olhos com água abundante, pelo menos durante 15 minutos. Lave a pele com

água e sabão abundantes, sem esfregar. Em caso de ingestão, NÃO provocar o vómito. Não

administrar nada por via oral. Mantenha ao paciente em descanso. Conserve a temperatura

corporal. Controle a respiração. Se necessário providenciar respiração artificial exterior. Se a

pessoa está inconsciente, colocá-la de lado, com a cabeça mais baixa que o resto do corpo e os

joelhos semi-flectidos. Encaminhar o intoxicado ao hospital e sempre que possível levar a

etiqueta e a embalagem.

NÃO DEIXE O INTOXICADO SOZINHO EM NENHUM CASO.

CONSELHOS TERAPÊUTICOS:

Em caso de ingestão, aconselha-se a realização de endóscopia

Tratamento Sintomático. Contra-

indicado: O xarope de Ipeca.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em 15 de junho de 2016

Página 2 de 3

EM CASO DE INTOXICAÇÃO CONTACTE O CIAV – CENTRO DE INFORMAÇÃO ANTI

– VENENOS (TELEFONE 808 250 143)

Distribuidor:

CLASSIFICAÇÃO DA MISTURA

Toxicidade aguda categoria 4

Corrosão cutânea, categoria 1B

Mutagénico da categoria 2

Sensibilizante respiratório, categoria 1

Sensibilizante cutâneo, categoria 1

Toxicidade para órgãos-alvo específicos-exposição única, categoria 3

Aquático agudo 1, aquático crónico 2

ADVERTÊNCIAS DE PERIGO:

H302: Nocivo por ingestão

H314: Provoca queimaduras na pele e lesões oculares graves.

H317: Pode provocar uma reacção alérgica cutânea

H332: Nocivo por inhalação

H334:

Quando

inalado,

pode

provocar

sintomas

alergia

asma

dificuldades

respiratórias

H335: Pode provocar irritação das vias respiratórias

H341: Suspeito de provocar anomalias genéticas

H410 Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros

RECOMENDAÇÕES DE PRUDÊNCIA:

P201+ P202 Pedir instruções específicas antes da utilização. Não manuseie o produto antes de ter

lido e percebido todas as precauções de segurança.

P271+P260 Utilizar apenas ao ar livre ou em locais bem ventila-dos. Não respirar os vapores.

P280+P270 Usar luvas de protecção/vestuário de proteção/proteção ocular/proteção facial. Não

comer,beber ou fumar durante a utilização deste produto.

P308+P310+P101 EM CASO DE exposição ou suspeita de exposição: Contacte imediatamente

um CENTRO DE INFORMA-ÇÃO ANTIVENENOS ou um médico. Se for necessário consultar

um médico, mostre-lhe a embalagem ou o rótulo.

P403+P233+P102+P405 Armazenar em local bem ventilado. Manter o recipiente bem fechado e

manter fora do alcance das crianças. Armazenar em local fechado à chave.

P273+P391+P501 Evitar a libertação para o ambiente. Recolher o produto derramado. Elimínar o

conteúdo/recipiente em um ponto de coleta de resíduos especiais ou perigosos.

PICTOGRAMAS E PALAVRA-SIGNAL:

PERIGO

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em 15 de junho de 2016

Página 3 de 3

EVITAR

RISCOS

PARA

PESSOAS

MEIO

AMBIENTE

SIGA

INSTRUÇÕES DE USO

Não ingerir. Eliminar o produto e a embalagem conforme legislação em vigor. Não poluir a água

com o produto ou a embalagem. Respeitar as instruções de utilização para evitar riscos para o

homem ou o ambiente.

Emb:

Nº de ACM:

N.º de Lote:

Validade:

Responsável pela ACM:

S.P. VETERINARIA, S.A.

Ctra. Reus-Vinyols km. 4.1 Apdo. Correos 60

43330 Ruidoms (Espanha)

Tel: 34-977-850-170

Fax: 34-977-850-405

www.spveterinaria.com

Fabricante:

CENAVISA, S.L.

Camí Pedra Estela, s/n

43205 REUS

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação