Zipantol 40 mg Comprimido gastrorresistente

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Pantoprazol
Disponível em:
Decomed Farmacêutica, Lda.
Código ATC:
A02BC02
DCI (Denominação Comum Internacional):
Pantoprazol
Dosagem:
40 mg
Forma farmacêutica:
Comprimido gastrorresistente
Composição:
Pantoprazol, sódico sesqui-hidratado 45.16 mg
Via de administração:
Via oral
Unidades em pacote:
Blister - 7 unidade(s)
Tipo de prescrição:
MSRM
Grupo terapêutico:
6.2.2.3 Inibidores da bomba de protões
Área terapêutica:
pantoprazole pantoprazole
Resumo do produto:
5253232 - Blister 7 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita precauções especiais - Não comercializado - 10017724 - 50013980 ; 5253240 - Blister 14 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita precauções especiais - Não comercializado - 10017724 - 50002309 ; 5253257 - Blister 28 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita precauções especiais - Não comercializado - 10017724 - 50002317 ; 5253265 - Blister 56 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita precauções especiais - Temporariamente indisponível - 10017724 - 50002325 ; 5253307 - Blister 84 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita precauções especiais - Não comercializado - 10017724 - 50046012 ; 5253315 - Blister 90 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita precauções especiais - Não comercializado - 10017724 - 50002333 ; 5253323 - Blister 112 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita precauções especiais - Não comercializado - 10017724 - 50046020 ; 5253273 - Blister 60 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita precauções especiais - Não comercializado - 10017724 - 50002325
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
09/H/0091/002
Data de autorização:
2009-11-26

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Zipantol 40 mg Comprimidos gastrorresistentes

Pantoprazol

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento

pois contém informação importante para si.

- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

- Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

- Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O

medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais

de doença.

- Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Ver secção 4.

O que contém este folheto:

1. O que é Zipantol e para que é utilizado

2. O que precisa de saber antes de tomar Zipantol

3. Como tomar Zipantol

4. Efeitos secundários possíveis

5. Como conservar Zipantol

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

1. O QUE É ZIPANTOL E PARA QUE É UTILIZADO

Zipantol é um “inibidor da bomba de protões seletivo”, um medicamento que reduz

a quantidade de ácido produzido no seu estômago. É utilizado para o tratamento de

doenças relacionadas com ácido do estômago e intestino.

Zipantol é utilizado para o tratamento de:

Adultos e adolescentes com idade igual ou superior a 12 anos

- Esofagite de refluxo: Uma inflamação do seu esófago (o “tubo” que liga a

garganta ao estômago) acompanhada de regurgitação ácida do estômago.

Adultos:

- Infeção por uma bactéria denominada Helicobacter pylori em doentes com úlceras

duodenais

gástricas

associação

dois

antibióticos

(terapêutica

erradicação). O objetivo é eliminar a bactéria e reduzir a probabilidade de úlceras

recorrentes;

- Úlcera duodenal e gástrica;

- Síndrome de Zollinger-Ellison e outras situações que provoquem produção de

ácido em excesso no estômago.

2. O QUE PRECISA DE SABER ANTES DE TOMAR ZIPANTOL

Não tome Zipantol

alergia

(hipersensibilidade)

pantoprazol

qualquer

outro

componente deste medicamento (indicados na secção 6);

- se tem alergia a medicamentos contendo outros inibidores da bomba de protões.

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Advertências e precauções

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Zipantol.

- se tiver problemas hepáticos graves. Informe o seu médico se já tiver tido

problemas com o seu fígado. O seu médico irá controlar as suas enzimas hepáticas

maior

frequência,

especialmente

estiver

efetuar

tratamento

prolongado. No caso de ocorrer um aumento das enzimas hepáticas, o tratamento

deve ser interrompido;

- se tiver reservas corporais reduzidas ou fatores de risco para a redução de

vitamina B12 e receber tratamento prolongado com pantoprazol. Tal como com

todos os agentes de redução de ácido, o pantoprazol pode originar uma redução da

absorção de vitamina B12;

- se está a tomar um medicamento contendo atazanavir (para o tratamento da

infeção pelo VIH) e simultaneamente pantoprazol, consulte o seu médico para um

aconselhamento específico.

- se já teve reações cutâneas após tratamento com um medicamento similar a

Zipantol que reduza a acidez do estômago.

- está previsto fazer uma análise específica ao sangue (Cromogranina A).

No caso de sofrer uma erupção cutânea, especialmente em áreas da pele expostas

ao sol, fale com o seu médico o mais cedo possível, dado que poderá ter de

interromper o seu tratamento com Zipantol. Lembre-se de mencionar igualmente

quaisquer outros efeitos adversos, tal como dores nas articulações.

Informe de imediato o seu médico se constatar algum dos seguintes sintomas:

- perda de peso involuntária;

- vómitos repetidos;

- dificuldade em engolir;

- vómitos com sangue;

- ar pálido e sensação de fraqueza (anemia);

- sangue nas fezes;

- diarreia grave e/ou persistente, uma vez que o Zipantol foi associado a um

pequeno aumento da diarreia infeciosa.

O seu médico pode decidir que talvez necessite de realizar alguns exames para

excluir a possibilidade de doença maligna, porque o pantoprazol também alivia os

sintomas de cancro, e pode atrasar o seu diagnóstico. Se os sintomas persistirem

apesar do tratamento, devem ser consideradas investigações adicionais.

Se tomar Zipantol em tratamento prolongado (superior a 1 ano), o seu médico irá

provavelmente mantê-lo sob vigilância regular. Deve comunicar quaisquer sintomas

e circunstâncias novas e excecionais quando visitar o seu médico.

Outros medicamentos e Zipantol

Zipantol pode influenciar a eficácia de outros medicamentos. Assim, informe o seu

médico se estiver a tomar:

- Medicamentos como o cetoconazol, itraconazol ou posaconazol (utilizados no

tratamento de infeções fúngicas), ou erlotinib (utilizado em certos tipos de cancro),

porque o Zipantol pode suspender a ação destes e de outros medicamentos ou

impedir que estes atuem adequadamente;

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

- Varfarina e fenprocumon, que afetam a espessura do sangue. Pode necessitar de

análises ao sangue adicionais;

- Atazanavir (utilizado para o tratamento da infeção pelo VIH).

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado

recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

Gravidez e amamentação

Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar,

consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

A experiência clínica em mulheres grávidas é limitada. Foi comunicado que

pantoprazol é excretado no leite humano. Se estiver grávida, ou pensa que pode

estar grávida, ou se estiver a amamentar, deve usar este medicamento apenas se o

seu médico considerar que os benefícios para si são superiores aos potenciais riscos

para o feto ou para o seu bebé.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Não conduza nem utilize quaisquer ferramentas ou máquinas se sentir efeitos

secundários como tonturas/vertigens ou visão afetada.

3. COMO TOMAR ZIPANTOL

Tome

este

medicamento

exatamente

como

indicado

pelo

médico

farmacêutico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Quando e como deve tomar Zipantol?

Tome os comprimidos 1 horas antes da refeição, sem mastigar ou partir, e engula o

comprimido inteiro com um pouco de água.

Salvo outra indicação do médico, a dose habitual é:

Adultos e adolescentes com idade igual ou superior a 12 anos:

No tratamento da esofagite de refluxo

A dose habitual é de um comprimido por dia. O seu médico pode aumentar a dose

para 2 comprimidos por dia. É necessário um período de tratamento entre 4 e

8 semanas para a cura da eventual esofagite de refluxo. O seu médico deve

informá-lo durante quanto tempo deve continuar a tomar este medicamento.

Adultos:

No tratamento da infeção pela bactéria Helicobacter pylori em doentes com úlceras

duodenais

gástricas,

associação

dois

antibióticos

(terapêutica

erradicação)

Um comprimido duas vezes ao dia, em associação com dois comprimidos de um dos

antibióticos amoxicilina, claritromicina e metronidazol (ou tinidazol), cada um para

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

ser tomado duas vezes ao dia com o comprimido de pantoprazol. Tome o primeiro

comprimido

pantoprazol

1 hora

antes

pequeno-almoço

segundo

comprimido 1 hora antes da sua refeição da noite. Siga as instruções do seu médico

certifique-se

folheto

informativo

antibióticos.

período

tratamento habitual é de uma a duas semanas.

Para o tratamento da úlcera gástrica e duodenal

A dose habitual é de um comprimido por dia. Depois de consultar o seu médico, a

dose pode duplicar. O seu médico deve informá-lo durante quanto tempo deve

continuar a tomar o medicamento. O período de tratamento para a úlcera gástrica é

habitualmente 4 a 8 semanas. O período de tratamento para a úlcera duodenal é

habitualmente 2 a 4 semanas.

Para o tratamento de manutenção da síndrome de Zollinger-Ellison e outras

situações com produção de ácido em excesso no estômago.

A dose inicial recomendada é de dois comprimidos por dia.

Tome dois comprimidos por dia 1 hora antes da refeição. Posteriormente, o seu

médico pode ajustar a dose, dependendo da quantidade de ácido produzida no

estômago.

forem

prescritos

mais

dois

comprimidos

dia,

comprimidos devem ser tomados em duas vezes ao dia.

Se o seu médico prescrever uma dose diária superior a quatro comprimidos ao dia,

será informado do momento exato em que deve parar de tomar este medicamento.

Populações especiais de doentes:

- Se sofre de problemas nos rins ou problemas moderados a graves no fígado, não

deve tomar Zipantol na erradicação da Helicobater pylori;

- Se sofre de problemas graves no fígado, não deve tomar mais do que um

comprimido de 20 mg por dia (para este efeito estão disponíveis comprimidos que

contêm 20 mg de pantoprazol);

Crianças

idade

inferior

12 anos.

Estes

comprimidos

não

estão

recomendados para crianças com idade inferior a 12 anos.

Se tomar mais Zipantol do que deveria

Informe

imediato

médico

farmacêutico.

Não

existem

sintomas

conhecidos de sobredosagem.

Caso se tenha esquecido de tomar Zipantol

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

Tome a sua próxima dose normal, no dia seguinte, à hora habitual.

Se parar de tomar Zipantol

Não pare de tomar estes comprimidos sem primeiro falar com o seu médico ou

farmacêutico.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu

médico ou farmacêutico.

4. EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSÍVEIS

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários,

embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

A frequência dos efeitos secundários é classificada da seguinte forma:

- muito frequentes (afetam mais de 1 utilizador em 10);

- frequentes (afetam entre 1 e 10 utilizadores em 100);

- pouco frequentes (afetam entre 1 e 10 utilizadores em 1000);

- raros (afetam entre 1 e 10 utilizadores em 10 000);

- muito raros (afetam menos de 1 utilizador em 10 000);

- desconhecido (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis).

Se apresentar alguns dos seguintes efeitos secundários, pare de tomar este

medicamento e informe de imediato o seu médico, ou contacte as Urgências do

hospital mais próximo:

- Reações alérgicas graves (frequência rara): inchaço da língua e/ou garganta,

dificuldade ao engolir, erupção da pele com comichão, dificuldade em respirar,

inchaço alérgico da face (edema de Quincke / angioedema), tonturas/vertigens

graves com batimento cardíaco extremamente rápido e sudação intensa.

- Reações cutâneas graves (frequência desconhecida): empolamento da pele

(formação de bolhas) e rápida deterioração do seu estado geral de saúde, erosão

(incluindo ligeiro sangramento) dos olhos, nariz, boca/lábios ou órgãos genitais

(Síndrome

Stevens-Johnson,

Síndrome

Lyell,

Eritema

multiforme)

sensibilidade à luz.

- Outras reações graves (frequência desconhecida): amarelecimento da pele e da

parte branca dos olhos (lesões graves das células do fígado, icterícia), ou febre,

erupção cutânea, e algumas vezes aumento dos rins com dor ao urinar e dor na

zona inferior das costas (inflamação grave dos rins).

Outros efeitos secundários são:

- Efeitos secundários frequentes (afetam entre 1 e 10 utilizadores em 100): pólipos

benignos no estômago.

-Efeitos secundários pouco frequentes (afetam entre 1 e 10 utilizadores em 1000):

dores de cabeça; tonturas; diarreia; sensação de mal-estar, vómitos; inchaço e

libertação de gases com mais frequência; prisão de ventre; boca seca; dor e

desconforto

abdominal; lesão (reação) na

pele,

exantema,

erupção

cutânea;

comichão; sensação de fraqueza, exaustão ou mal-estar geral; distúrbios do sono.

- Efeitos secundários raros (afetam entre 1 e 10 utilizadores em 10 000): distúrbios

da visão, como visão turva; erupção da pele com comichão; dor nas articulações;

dores musculares; alterações de peso; aumento da temperatura corporal; inchaço

das extremidades (inchaço periférico); reações alérgicas; depressão; aumento do

peito nos homens.

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

- Efeitos secundários muito raros (afetam menos de 1 utilizador em 10 000):

desorientação.

- Efeitos secundários de frequência desconhecida (não pode ser calculado a partir

dos dados disponíveis): alucinações, confusão (especialmente em doentes com um

historial destes sintomas); diminuição do nível de sódio no sangue; erupções

cutâneas, possivelmente acompanhadas de dores nas articulações.

Outros efeitos secundários identificados nos testes sanguíneos:

- Efeitos secundários pouco frequentes (afetam entre 1 e 10 utilizadores em 1000):

aumento das enzimas hepáticas.

- Efeitos secundários raros (afetam entre 1 e 10 utilizadores em 10 000): aumento

da bilirrubina; aumento de gordura no sangue.

- Efeitos secundários muito raros (afetam menos de 1 utilizador em 10 000):

redução do número de plaquetas sanguíneas, que pode causar mais hemorragias

(sangramento) ou mais nódoas negras do que o normal; redução do número de

glóbulos brancos, que pode levar a infeções mais frequentes.

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro.

Também poderá comunicar efeitos secundários diretamente ao INFARMED, I.P.

através dos contactos abaixo. Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a

fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento.

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 7373

Fax: +351 21 798 73 97

Sítio da internet:

http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

5. Como cONSERVAr ZIPANTOL

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem

exterior, após “VAL”. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês

indicado.

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico.

Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza.

Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.

6. CONTEÚDO DA EMBALAGEM E OUTRAS INFORMAÇÕES

Qual a composição de Zipantol

- A substância ativa é o pantoprazol. Cada comprimido gastrorresistente contém

40 mg de pantoprazol (sob a forma de pantoprazol sódico sesqui-hidratado).

- Os outros componentes são:

Núcleo: manitol; carbonato de sódio anidro; carboximetilamido sódico; copolímero

do ácido metacrílico; estearato de cálcio;

Sub-revestimento:

opadry

OY-D7233

branco

(hipromelose;

dióxido

titânio

(E171); talco; macrogol 400; laurilsulfato de sódio);

Revestimento: Kollicoat MAE 30 DP amarelo (Copolímero do ácido metacrílico e

acrilato de etilo; propilenoglicol (E1520); óxido de ferro amarelo (E172); dióxido de

titânio (E171), talco).

Qual o aspeto de Zipantol e conteúdo da embalagem

Zipantol está disponível sob a forma de comprimidos gastrorresistentes de cor

amarela

escura,

elípticos,

biconvexos,

acondicionados

blisters

alumínio/alumínio (alu/alu), em embalagens de 7, 14, 28, 56, 60, 84, 90 ou 112

unidades.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricantes

Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

Decomed Farmacêutica, Lda.

Rua Sebastião e Silva, n.º 56

2745-838 Massamá

Portugal

Fabricantes:

Actavis hf.

Reykjavikurvegur 76-78

IS-220 Hafnarfjordur

Islândia

Actavis Ltd.

BLB 016 Bulebel Industrial Estate

ZTN 3000 Zejtun

Malta

Labesfal – Laboratórios Almiro, S.A.

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Zona Industrial do Lagedo

3465-157 Santiago de Besteiros

Portugal

Este folheto foi revisto pela última vez em

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1. NOME DO MEDICAMENTO

Zipantol 40 mg Comprimidos gastrorresistentes

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada comprimido gastrorresistente contém 40 mg de pantoprazol (sob a forma de

pantoprazol sódico sesqui-hidratado).

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3.FORMA FARMACÊUTICA

Comprimido gastrorresistente.

Comprimidos de cor amarela escura, elípticos, biconvexos.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

Indicações terapêuticas

Adultos e adolescentes com idade igual ou superior a 12 anos

- Esofagite de refluxo.

Adultos

- Erradicação de Helicobacter pylori (H. pylori), em associação com uma terapêutica

antibiótica adequada em doentes com úlceras associadas a H. pylori;

- Úlcera duodenal e gástrica;

- Síndrome de Zollinger-Ellison e outras situações de hipersecreção patológica.

Posologia e modo de administração

Os comprimidos não devem ser mastigados ou partidos, devendo ser engolidos

inteiros 1 hora antes da refeição com um pouco de água.

Posologia recomendada:

Adultos e adolescentes com idade igual ou superior a 12 anos

Esofagite de Refluxo

Um comprimido gastrorresistente por dia. Em casos particulares a dose pode ser

duplicada (aumentada para dois comprimidos gastrorresistentes de Zipantol 40 mg

por dia), especialmente quando não há resposta a outro tratamento. É geralmente

necessário um período de 4 semanas para o tratamento da esofagite de refluxo. Se

não for suficiente, o restabelecimento é geralmente alcançado num período adicional

de 4 semanas.

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Adultos

Erradicação de H. pylori em associação com dois antibióticos adequados

Nos doentes Helicobacter pylori positivo com úlceras gástricas e duodenais, a

erradicação da bactéria deve ser obtida, através de uma terapêutica de associação.

Devem ser consideradas as orientações oficiais locais (ex. recomendações nacionais)

relativamente à resistência bacteriana e à utilização e prescrição adequada de

agentes

antibacterianos.

Dependendo

tipo

resistência,

podem

aconselháveis as seguintes associações para a erradicação de H. pylori:

a) um comprimido gastrorresistente de Zipantol 40 mg, duas vezes por dia

+ 1000 mg de amoxicilina, duas vezes por dia

+ 500 mg de claritromicina, duas vezes por dia

b) um comprimido gastrorresistente de Zipantol 40 mg, duas vezes por dia

+ 400-500 mg de metronidazol (ou 500 mg de tinidazol), duas vezes por dia

+ 250-500 mg de claritromicina, duas vezes por dia

c) um comprimido gastrorresistente de Zipantol 40 mg, duas vezes por dia

+ 1000 mg de amoxicilina, duas vezes por dia

+ 400-500 mg de metronidazol (ou 500 mg de tinidazol), duas vezes por dia

Na terapêutica de combinação para a erradicação da infeção por H. pylori, o segundo

comprimido de Zipantol 40 mg deve ser tomado uma hora antes da refeição da

noite. A terapêutica de combinação tem, geralmente, a duração de 7 dias e pode ser

prolongada por mais 7 dias, numa duração total de até duas semanas. Se, para

garantir

tratamento

úlceras,

indicado

tratamento

subsequente

pantoprazol, deve ser considerada a recomendação da dose para a úlcera gástrica e

duodenal.

Em caso de não se optar por uma terapêutica de associação, por exemplo, se o

doente

apresentar

testes

negativos

para

Helicobacter

pylori,

recomenda-se

seguinte posologia para a monoterapia com Zipantol 40 mg:

Tratamento da úlcera gástrica

Um comprimido de Zipantol 40 mg por dia. Em casos particulares a dose pode ser

duplicada (aumentada para dois comprimidos gastrorresistentes de pantoprazol

40 mg por dia), especialmente quando não há resposta a outro tratamento. É

habitualmente necessário um período de 4 semanas para o tratamento da úlcera

gástrica. Se não for suficiente, a cura é geralmente alcançada num período adicional

de 4 semanas.

Tratamento da úlcera duodenal

Um comprimido de Zipantol 40 mg por dia. Em casos particulares a dose pode ser

duplicada

(aumentada

para

dois

comprimidos

Zipantol

40 mg

dia),

especialmente quando não há resposta a outro tratamento. Geralmente é necessário

um período de tratamento de 2 semanas para a cura da úlcera duodenal. Se não for

suficiente, a cura é geralmente alcançada, na maioria dos casos, num período

adicional de 2 semanas.

Síndrome de Zollinger-Ellison e outras situações de hipersecreção patológica

No tratamento prolongado da Síndrome de Zollinger-Ellison e outras situações de

hipersecreção patológica, os doentes devem iniciar o tratamento com uma dose

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

diária

80 mg

comprimidos

gastrorresistentes

Zipantol

40 mg).

Posteriormente, a dose pode ser aumentada ou diminuída, conforme necessário,

usando medições da secreção ácida gástrica como orientação. Doses superiores a

80 mg por dia devem ser divididas e administradas duas vezes por dia. O aumento

temporário da dose acima de 160 mg de pantoprazol é possível, mas não deve ser

aplicado para além do tempo necessário para o adequado controlo da acidez.

A duração do tratamento da Síndrome de Zollinger-Ellison e outras situações de

hipersecreção patológica não está limitada e deve ser adaptada de acordo com as

necessidades clínicas.

Populações especiais

Crianças com idade inferior a 12 anos

O Zipantol não é recomendado para utilização em crianças com idade inferior a

12 anos devido à limitação de dados existentes sobre segurança e eficácia neste

grupo etário.

Disfunção hepática

Em doentes com disfunção hepática grave não se deve exceder a dose diária de

20 mg de pantoprazol (1 comprimido gastrorresistente de 20 mg de pantoprazol).

Zipantol não deve ser utilizado no tratamento de combinação para a erradicação da

H. pylori em doentes com disfunção hepática moderada a grave, uma vez que

atualmente não existem dados de eficácia e segurança disponíveis para o tratamento

de combinação nestes doentes (ver secção 4.4).

Disfunção renal

Não é necessário ajuste da dose em doentes com a função renal comprometida.

Zipantol não deve ser utilizado no tratamento de combinação para erradicação da H.

pylori em doentes com a função renal comprometida, uma vez que não existem

dados de eficácia e segurança disponíveis para o tratamento de combinação nestes

doentes (ver secção 4.4).

Idosos

Não é necessário efetuar ajuste da dose em doentes idosos.

Contraindicações

Hipersensibilidade à substância ativa, benzimidazóis substituídos ou a qualquer um

dos excipientes mencionados na secção 6.1.

Advertências e precauções especiais de utilização

Disfunção hepática

doentes

disfunção hepática

grave,

enzimas

hepáticas

devem

monitorizadas regularmente durante o tratamento com pantoprazol, particularmente

na terapêutica de manutenção. No caso de aumento dos níveis das enzimas

hepáticas, o tratamento deve ser suspenso (ver secção 4.2).

Terapêutica de associação

No caso da terapêutica de associação, devem ser consultados os Resumos das

Características dos Medicamentos dos respetivos fármacos.

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Na presença de sintomas de alarme

Na presença de qualquer sintoma de alarme (ex: significativa perda de peso

involuntária, vómito recorrente, disfagia, hematemese, anemia ou melena) e quando

se suspeitar ou existir úlcera gástrica, deve excluir-se a malignidade, uma vez que o

tratamento com pantoprazol pode aliviar os sintomas e atrasar o diagnóstico.

Deve ser considerada investigação adicional se os sintomas persistirem apesar de

tratamento adequado.

Coadministração com atazanavir

A coadministração de atazanavir com inibidores de bombas de protões não é

recomendada (ver secção 4.5). Se a coadministração de atazanavir com inibidores

da bomba de protões for inevitável, recomenda-se uma rigorosa monitorização

clínica (ex:. carga viral) em combinação com o aumento da dose de atazanavir para

400 mg com 100 mg de ritonavir. Não deve ser excedida a dose de 20 mg de

pantoprazol por dia.

Influência na absorção de vitamina B12

Para doentes com Síndrome de Zollinger-Ellison e outras situações de hipersecreção

patológica, que requerem tratamento de manutenção, o pantoprazol, como todos os

medicamentos bloqueadores de ácidos, pode reduzir a absorção de vitamina B12

(cianocobalamina), devido a hipocloridria ou acloridria. Isto deve ser considerado em

doentes com reservas corporais reduzidas ou fatores de risco para absorção reduzida

de vitamina B12 em tratamentos prolongados e ainda, caso se observem os

respetivos sintomas clínicos.

Tratamento de manutenção

No tratamento de manutenção, especialmente quando o período de tratamento

excede 1 ano, os doentes devem permanecer sob vigilância regular.

Infeções gastrointestinais causadas por bactérias

Pantoprazol, tal como todos os inibidores da bomba de protões (IBPs), pode originar

aumento

contagem

bactérias

normalmente

presentes

trato

gastrointestinal superior. O tratamento com Zipantol 40 mg pode conduzir a um risco

ligeiramente acrescido de infeções gastrointestinais causadas por bactérias, tais

como Salmonella e Campylobacter.

Lúpus eritematoso cutâneo subagudo (LECS)

Os inibidores da bomba de protões são associados a casos muito pouco frequentes

de LECS. Se ocorrerem lesões, designadamente em áreas da pele expostas ao sol, e

quando acompanhadas de artralgia, o doente deve procurar imediatamente ajuda

médica e o profissional de saúde deve considerar a interrupção do tratamento com

Zipantol. A ocorrência de LECS após um tratamento prévio com um inibidor da

bomba de protões pode aumentar o risco de LECS com outros inibidores da bomba

de protões.

Interferência com testes laboratoriais

Um nível aumentado de Cromogranina A (CgA) pode interferir com as análises para

pesquisa de tumores neuroendócrinos. Para evitar essa interferência, o tratamento

com Zipantol deve ser interrompido durante pelo menos 5 dias antes das medições

de CgA (ver secção 5.1). Se os níveis de CgA e gastrina não tiverem regressado ao

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

intervalo de referência após a medição inicial, as medições devem ser repetidas 14

dias após a cessação do tratamento com o inibidor da bomba de protões.

Interações medicamentosas e outras formas de interação

Efeito do pantoprazol na absorção de outros fármacos

Devido à acentuada e prolongada inibição da secreção da acidez gástrica, o

pantoprazol

pode reduzir

absorção

de medicamentos cuja

biodisponibilidade

depende do pH gástrico, por exemplo, determinados antifúngicos do grupo dos azóis

como o cetoconazol, itraconazol, posaconazol e outros fármacos, como o erlotinib.

Fármacos para o VIH (atazanavir)

A coadministração de atazanavir, e outros fármacos para o VIH cuja absorção

depende do pH, com inibidores da bomba de protões, pode resultar numa redução

substancial

biodisponibilidade

referidos

fármacos

para

podendo

influenciar a eficácia destes fármacos. Consequentemente, não é recomendada a

coadministração de inibidores da bomba de protões com atazanavir (ver secção 4.4).

Anticoagulantes cumarínicos (fenprocumon ou varfarina)

Apesar de não ter sido observada qualquer interação durante a administração

concomitante de fenprocumon ou varfarina em estudos clínicos farmacocinéticos,

foram

notificados

alguns

casos

isolados

alterações

(International

Normalized

Ratio)

durante

tratamento

concomitante

período

pós-

comercialização.

Consequentemente,

doentes

tratados

anticoagulantes

cumarínicos (por exemplo, fenprocumon ou varfarina), é recomendada monitorização

do tempo de protrombina/ INR após o início, no final ou durante a utilização irregular

de pantoprazol.

Outros estudos de interação

O pantoprazol é extensamente metabolizado no fígado pelo sistema enzimático do

citocromo P450. A principal via metabólica é a desmetilação pelo CYP2C19 e as

outras vias metabólicas incluem a oxidação pelo CYP3A4.

Não se observaram interações clinicamente significativas em estudos de interação

substâncias

metabolizadas

pelo

mesmo

sistema

enzimático,

como

carbamazepina,

diazepam,

glibenclamida,

nifedipina

contracetivos

orais

contêm levonorgestrel e etinilestradiol.

Resultados de vários estudos de interação demonstraram que o pantoprazol não

altera o metabolismo de substâncias ativas metabolizadas pelo CYP1A2 (como a

cafeína, teofilina), CYP2C9 (como o piroxicam, diclofenac, naproxeno), CYP2D6

(como o metoprolol), CYP2E1 (como o etanol), ou não interfere com a absorção,

dependente da p-glicoproteína, da digoxina.

Não ocorreram interações com a administração concomitante de antiácidos.

Efetuaram-se estudos de interação administrando pantoprazol concomitantemente

com os seguintes antibióticos: claritromicina, metronidazol, amoxicilina. Não se

demonstraram interações clinicamente relevantes.

Fertilidade, gravidez e aleitamento

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Gravidez

Não existe informação adequada sobre o uso de pantoprazol em mulheres grávidas.

estudos

reprodução

realizados

animais,

observou-se

toxicidade

reprodutiva (ver secção 5.3). Desconhece-se o potencial risco para o ser humano.

Zipantol 40 mg não deve ser utilizado durante a gravidez, exceto se for claramente

necessário.

Amamentação

Estudos em animais demonstraram que pantoprazol é excretado no leite materno.

Foi notificada a excreção no leite materno humano. Consequentemente, a decisão

sobre a continuação/ suspensão do aleitamento ou a continuação/suspensão do

tratamento com Zipantol 40 mg deve ser realizada, tendo em consideração o

benefício do aleitamento para a criança e o benefício do tratamento com Zipantol

para a mulher.

Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Podem ocorrer reações adversas medicamentosas, como tonturas e distúrbios visuais

(ver

secção

4.8).

afetados,

doentes

não

devem

conduzir nem

utilizar

máquinas.

Efeitos indesejáveis

Prevê-se que aproximadamente 5% dos doentes venham a sofrer de reações

adversas medicamentosas (RAMs). As RAMs notificadas com mais frequência são

diarreia e cefaleias, ocorrendo ambas em cerca de 1% dos doentes.

tabela

abaixo

estão

descritos

efeitos

indesejáveis

notificados

pantoprazol, classificados de acordo com a seguinte classificação de frequência:

Muito

frequentes

(≥1/10);

frequentes

(≥1/100

<1/10);

pouco

frequentes

(≥1/1.000 a <1/100); raros (≥1/10.000 a <1/1.000); muito raros (<1/10.000),

desconhecido (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis). Para todas as

reações adversas notificadas no período pós-comercialização, não é possível aplicar a

frequência

reação

adversa

deste

modo,

estas

são

classificadas

como

“desconhecido.”

Os efeitos indesejáveis são apresentados por ordem decrescente de gravidade dentro

de cada classe de frequência.

Tabela 1. Efeitos indesejáveis com o pantoprazol em ensaios clínicos e experiência

pós-comercialização.

Frequência

Classe

de sistemas

de órgãos

Frequente

Pouco

frequente

Raro

Muito raro

Desconhecid

Doenças

sangue

Leucopenia,

Trombocitope-

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Frequência

Classe

de sistemas

de órgãos

Frequente

Pouco

frequente

Raro

Muito raro

Desconhecid

sistema linfático

Doenças

sistema

imunitário

Hipersensibilida

(incluindo

reações

anafiláticas

choque

anafilático)

Doenças

metabolismo

da nutrição

Hiperlipidemias

e aumento dos

lípidos

(triglicéridos,

colesterol);

Oscilações

peso

Hiponatremia

Perturbações

foro psiquiátrico

Perturbações

do sono

Depressão

todos

agravamentos)

Desorientação

todos

agravamentos

Alucinações;

Confusão

(sobretudo

doentes

predisposição

como

agravamento

destes

sint

em casos de

existência)

Doenças

sistema nervoso

Cefaleias;

Tonturas

Afeções oculares

Perturbações da

visão

visão

turva

Doenças

gastrointestinais

Pólipos

glândulas

fúndicas

(benignos)

Diarreia;

Náuseas

vómitos;

Distensão

edema

abdominal;

Obstipação;

Secura

boca; Dor e

desconforto

abdominal

Afeções

hepatobiliares

Aumento

das enzimas

hepáticas

(transamina-

Aumento

bilirrubina

Lesões

hepatocelular

icterícia;

hepatocelular

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Frequência

Classe

de sistemas

de órgãos

Frequente

Pouco

frequente

Raro

Muito raro

Desconhecid

ses, γ-GT)

Afeções

tecidos cutâneos

e subcutâneos

Erupção

exantema

erupção

cutânea;

Prurido

Urticária;

Angioedema

Síndrome

Stevens-Joh

Síndrome

Lyell;

multiforme;

Fotossensibili

eritematoso

cutâneo suba

LECS

secção 4.4).

Afeções

musculosqueléti-

cas e dos tecidos

conjuntivos

Artralgia;

Mialgia

Doenças renais e

urinárias

Nefrite interst

Doenças

órgãos genitais e

da mama

Ginecomastia

Perturbações

gerais

alterações

local

administração

Astenia,

fadiga

mal-estar

geral

Aumento

temperatura

corporal;

Edema

periférico

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é

importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-

risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer

suspeitas de reações adversas diretamente ao INFARMED, I.P.:

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 71 40

Fax: + 351 21 798 73 97

Sítio da internet:

http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage

E-mail:

farmacovigilancia@infarmed.pt

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Sobredosagem

Desconhecem-se os sintomas da sobredosagem no Homem.

exposição

sistémica

administração

i.v.

doses

até

240 mg,

durante

2 minutos, foi bem tolerada.

Como

pantoprazol

liga

extensamente

proteínas,

não

prontamente

dialisável.

Em caso de sobredosagem com sinais clínicos de intoxicação, além do tratamento

sintomático e de suporte, não existem recomendações terapêuticas específicas a

fazer.

PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

Propriedades farmacodinâmicas

Grupo

farmacoterapêutico:

6.2.2.3

Aparelho

digestivo.

Antiácidos

antiulcerosos

Modificadores da secreção gástrica

. Inibidores da bomba de protões; código ATC: A02BC02

Mecanismo de ação

O pantoprazol é um benzimidazol substituído que inibe a secreção de ácido clorídrico

no estômago através do bloqueio específico das bombas de protões das células

parietais.

No ambiente acídico das células parietais, o pantoprazol é convertido na sua forma

ativa, que inibe a enzima gástrica H+/K+-ATPase, ou seja, a etapa final da produção

de ácido clorídrico no estômago. A inibição é dependente da dose e afeta a secreção

ácida tanto basal como estimulada. Na maioria dos doentes, o alívio dos sintomas é

alcançado em 2 semanas. Tal como acontece com outros inibidores da bomba de

protões e com inibidores dos recetores H2, o tratamento com pantoprazol origina

uma redução da acidez no estômago e, consequentemente, um aumento da gastrina

proporcional à redução da acidez. O aumento da gastrina é reversível. Como o

pantoprazol se liga à enzima distal relativamente ao nível dos recetores, a substância

inibe a secreção de ácido clorídrico, independentemente da estimulação por outras

substâncias (acetilcolina, histamina, gastrina).

O pantoprazol exerce o mesmo efeito, quer seja administrado por via oral ou por via

intravenosa.

Os valores de gastrina em jejum aumentam por ação do pantoprazol. Na terapêutica

de curta duração, na maioria dos casos, estes valores não ultrapassam o limite

superior dos valores normais. Durante o tratamento prolongado, os níveis de

gastrina duplicam na maior parte dos casos. No entanto, apenas em casos isolados

ocorre um aumento exagerado. Como resultado, é observado um aumento ligeiro a

moderado do número de células endócrinas específicas (ECL) no estômago, numa

minoria de casos durante a terapêutica de manutenção (hiperplasia adenomatosa

simples). Porém, de acordo com os estudos realizados até ao momento, a formação

de precursores carcinogénicos (hiperplasia atípica) ou carcinóides gástricos, como

encontrados em experiências realizadas em animais (ver secção 5.3), não foi

observada no homem.

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

De acordo com os resultados dos estudos em animais, não é possível excluir

completamente a influência do tratamento de manutenção com pantoprazol, de

duração superior a 1 ano, nos parâmetros endócrinos da tiroide.

Durante o tratamento com medicamentos antissecretores, a gastrina sérica aumenta

em resposta à diminuição da secreção ácida. Além disso, a CgA aumenta devido à

redução da acidez gástrica. O nível aumentado de CgA pode interferir com as

análises para pesquisa de tumores neuroendócrinos.

Os dados disponíveis publicados sugerem que os inibidores da bomba de protões

(IBP) devem ser descontinuados entre 5 dias e 2 semanas antes das medições de

CgA. Isto destina-se a permitir que os níveis de CgA que possam estar falsamente

aumentados na sequência do tratamento com IBP regressem ao intervalo de

referência.

Propriedades farmacocinéticas

Absorção

O pantoprazol é rapidamente absorvido e a concentração plasmática máxima é

atingida logo após a administração oral única de uma dose de 40 mg. Em média,

após

cerca

2,5 h

p.a,

concentrações

plasmáticas

máximas

aproximadamente 2 - 3 µg/ml são atingidas, e estes valores mantêm-se constantes

após administração múltipla.

A farmacocinética não é alterada após administração única ou múltipla. Para um

intervalo posológico compreendido entre 10 e 80 mg, a cinética plasmática do

pantoprazol

linear,

tanto

após

administração

oral

como

intravenosa.

biodisponibilidade absoluta do comprimido gastrorresistente é cerca de 77%. A

ingestão concomitante de alimentos não tem qualquer influência nos valores da AUC,

nem nas concentrações plasmáticas máximas, não afetando a biodisponibilidade. A

ingestão concomitante de alimentos apenas origina aumento da variabilidade do

tempo de latência.

Distribuição

A ligação do pantoprazol às proteínas plasmáticas é de cerca de 98%. O volume de

distribuição é de 0,15 L/kg.

Eliminação

A substância é quase exclusivamente metabolizada no fígado. A principal via

metabólica é a desmetilação pelo CYP2C19 com subsequente conjugação do sulfato.

Outra via metabólica inclui a oxidação pelo CYP3A4. A semivida de eliminação

terminal é aproximadamente 1 hora e a depuração é cerca de 0,1 L/h/kg. Foram

poucos os indivíduos em que se registaram atrasos na eliminação. Dada a ligação

específica do pantoprazol às bombas de protões na célula parietal, a semivida de

eliminação não está diretamente relacionada com a maior duração de ação (inibição

da secreção ácida). A eliminação renal representa a principal via de excreção (cerca

de 80%) para os metabolitos de pantoprazol, sendo o restante eliminado por via

fecal. O metabolito principal, tanto no soro como na urina, é o desmetilpantoprazol,

que é conjugado com o sulfato. A semivida do principal metabolito (cerca de 1,5 h)

não é muito superior à observada para o pantoprazol.

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Características em doentes/grupos especiais de indivíduos

Aproximadamente 3% da população europeia não apresenta a enzima CYP2C19

funcional,

denominando-se

metabolizadores

fracos.

referidos

indivíduos,

metabolismo do pantoprazol é provavelmente catalisado preferencialmente pelo

CYP3A4. Após a administração de uma dose única de 40 mg de pantoprazol, a AUC é

6 vezes superior em metabolizadores fracos do que em indivíduos que apresentam a

enzima CYP2C19 funcional (metabolizadores extensos). A concentração plasmática

máxima média foi aumentada em cerca de 60%. Estes resultados não influenciam a

posologia do pantoprazol.

Ao administrar pantoprazol a doentes com a função renal comprometida (inclusive

doentes dialisados), não é necessária qualquer redução da dose. Tal como nos

indivíduos

saudáveis,

semivida

pantoprazol

curta.

Apenas

pequenas

quantidades

pantoprazol

são

dialisadas. Embora

verifique

aumento

moderado (2-3 h) na semivida do principal metabolito, a excreção mantém-se

rápida, não se registando acumulação de produto.

Embora para os doentes com cirrose hepática (classes A e B segundo Child) os

valores da semivida aumentem para entre 7 e 9 h e os valores da AUC aumentem

num fator compreendido entre 5-7, verifica-se apenas um ligeiro aumento de 1,5 nos

valores

concentrações

plasmáticas

máximas,

comparativamente

indivíduos saudáveis.

Comparativamente com os indivíduos mais jovens, o aumento ligeiro dos valores da

AUC e da Cmax, observado em voluntários idosos, não é clinicamente relevante.

Crianças

Após a administração de doses orais únicas de 20 mg e 40 mg de pantoprazol a

crianças com idade entre 5-16 anos, a AUC e a Cmax estavam de acordo com os

valores correspondentes em adultos.

Após a administração i.v. de doses únicas de 0,8 ou 1,6 mg/kg de pantoprazol a

crianças com idade entre 2-16 anos, não foi verificada associação significativa entre

a depuração de pantoprazol e a idade ou o peso. A AUC e o volume de distribuição

estavam de acordo com os dados nos adultos.

Dados de segurança pré-clínica

Com base nos estudos de farmacologia de segurança, toxicidade de dose repetida e

genotoxicidade, os dados pré-clínicos não revelaram quaisquer riscos especiais para

o Humano.

No rato, os estudos de carcinogenicidade, com a duração de 2 anos, permitiram

detetar neoplasmas neuroendócrinos. Adicionalmente, foi possível detetar no pré-

estômago

rato,

papilomas

células

pavimentosas.

cuidadosamente

investigado o mecanismo através do qual os benzimidazóis substituídos originam a

formação de carcinoides gástricos, tendo-se concluído que existe uma reação

secundária aos elevados níveis séricos de gastrina, que se observam no rato durante

o tratamento crónico com doses elevadas.

Nos estudos com roedores com duração de dois anos, foi observado nos ratos e nos

ratinhos fêmeas, um aumento do número de tumores hepáticos. Este aumento foi

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

interpretado como sendo o resultado da grande velocidade de metabolização do

pantoprazol a nível hepático.

No grupo de ratos tratado com a dose mais elevada (200 mg/kg), foi possível

observar um ligeiro aumento das alterações neoplásicas da tiroide. A ocorrência

destes neoplasmas está associada com as alterações induzidas pelo pantoprazol na

transformação da tiroxina a nível do fígado do rato. Uma vez que a dose terapêutica

para o homem é inferior, não é provável a ocorrência de efeitos adversos sobre a

tiroide.

Nos estudos de reprodução em animais, foram observados sinais de fetotoxicidade

ligeira com doses superiores a 5 mg/kg. Os exames realizados não revelaram

evidência de comprometimento da fertilidade ou efeitos teratogénicos.

penetração

placenta

investigada

rato,

tendo-se

constatado

aumentava com o decorrer da gestação. Como resultado, a concentração do

pantoprazol a nível fetal aumenta pouco tempo antes do nascimento.

6.INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

Lista dos excipientes

Núcleo:

Manitol

Carbonato de sódio anidro

Carboximetilamido sódico

Copolímero do ácido metacrílico

Estearato de cálcio

Sub-revestimento:

Opadry OY-D7233 branco

- Hipromelose

- Dióxido de titânio (E171)

- Talco

- Macrogol 400

- Laurilsulfato de sódio

Revestimento:

Kollicoat MAE 30 DP amarelo

- Copolímero do ácido metacrílico e acrilato de etilo

- Propilenoglicol (E1520)

- Óxido de ferro amarelo (E172)

- Dióxido de titânio (E171)

- Talco

Incompatibilidades

Não aplicável.

Prazo de validade

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

2 anos.

Precauções especiais de conservação

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Natureza e conteúdo do recipiente

Blisters de alumínio/alumínio (Alu/Alu) contendo 7, 14, 28, 56, 60, 84, 90 ou 112

comprimidos gastrorresistentes.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Precauções especiais de eliminação e manuseamento

Não existem requisitos especiais.

Qualquer medicamento não utilizado ou resíduos devem ser eliminados de acordo

com as exigências locais.

7.TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Decomed Farmacêutica, Lda.

Rua Sebastião e Silva, n.º 56

2745-838 Massamá

Portugal

8.NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

N.º de registo: 5253232 – 7 comprimidos gastrorresistentes, 40 mg, blister de

Alu/Alu

N.º de registo: 5253240 – 14 comprimidos gastrorresistentes, 40 mg, blister de

Alu/Alu

N.º de registo: 5253257 – 28 comprimidos gastrorresistentes, 40 mg, blister de

Alu/Alu

N.º de registo: 5253265 – 56 comprimidos gastrorresistentes, 40 mg, blister de

Alu/Alu

N.º de registo: 5253273 – 60 comprimidos gastrorresistentes, 40 mg, blister de

Alu/Alu

N.º de registo: 5253307 – 84 comprimidos gastrorresistentes, 40 mg, blister de

Alu/Alu

N.º de registo: 5253315 – 90 comprimidos gastrorresistentes, 40 mg, blister de

Alu/Alu

N.º de registo: 5253323 – 112 comprimidos gastrorresistentes, 40 mg, blister de

Alu/Alu

9.DATA

PRIMEIRA

AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO

AUTORIZAÇÃO

INTRODUÇÃO NO MERCADO

APROVADO EM

19-10-2018

INFARMED

Data da primeira autorização: 26 de novembro de 2009

10. DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação