Somatostatina Basi 3 mg/1 ml Pó e solvente para solução para perfusão

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Somatostatina
Disponível em:
Laboratórios Basi - Indústria Farmacêutica, S.A
Código ATC:
H01CB01
DCI (Denominação Comum Internacional):
Somatostatin
Dosagem:
3 mg/1 ml
Forma farmacêutica:
Pó e solvente para solução para perfusão
Composição:
Somatostatina, acetato 3 mg/ml
Via de administração:
Via intravenosa
Unidades em pacote:
Ampola - 1 unidade(s)
Classe:
8.1.1 - Lobo anterior da hipófise
Tipo de prescrição:
MSRM restrita - Alínea a) Medicamento de receita médica restrita destinado ao uso exclusivo hospitalar, devido às suas caracterí
Grupo terapêutico:
Genérico
Área terapêutica:
somatostatin
Indicações terapêuticas:
Duração do Tratamento: Curta ou Média Duração
Resumo do produto:
Ampola 1 unidade(s) Comercializado Número de Registo: 5073630 CNPEM: N/A CHNM: 10052134 Grupo Homogéneo: N/A; Ampola 6 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5073648 CNPEM: N/A CHNM: 10052134 Grupo Homogéneo: N/A; Ampola 10 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5073655 CNPEM: N/A CHNM: 10052134 Grupo Homogéneo: N/A; Ampola 25 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5073663 CNPEM: N/A CHNM: 10052134 Grupo Homogéneo: N/A; Ampola 50 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5073671 CNPEM: N/A CHNM: 10052134 Grupo Homogéneo: N/A; Ampola 100 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5073705 CNPEM: N/A CHNM: 10052134 Grupo Homogéneo: N/A
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
07/H/0164/001
Data de autorização:
2007-12-14

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

Folheto informativo: Informação para o utilizador

Somatostatina Basi 3mg/1ml Pó e solvente para solução para perfusão

Somatostatina

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a utilizar este medicamento

pois contém informação importante para si.

Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

- Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O

medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de

doença.

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico.

O que contém este folheto:

O que é Somatostatina Basi e para que é utilizado

O que precisa de saber antes de tomar Somatostatina Basi

Como tomar Somatostatina Basi

Efeitos secundários possíveis

Como conservar Somatostatina Basi

Conteúdo da embalagem e outras informações

O que é Somatostatina Basi e para que é utilizado

A somatostatina tem um papel na regulação das secreções endócrinas e exócrinas e

na motilidade gastrointestinal. Quando administrada em doses farmacológicas, a

somatostatina inibe tanto a função e a motilidade gastrointestinal como também as

secreções e reduz o fluxo de sangue esplâncnico.

Somatostatina Basi pertence à classe farmacoterapêutica 8.1.1 - Hormonas e

medicamentos

usados

tratamento

doenças

endócrinas,

Hormonas

hipotalâmicas e hipofisárias, seus análogos e antagonistas, Lobo anterior da hipófise.

A Somatostatina Basi está indicada nas seguintes situações:

Tratamento

hemorragias

agudas

graves

resultantes

úlceras

gastroduodenais, gastrites erosivas hemorrágicas e por rutura de varizes do esófago

suspeitas ou diagnosticadas por endoscopia:

- Tratamento da pancreatite aguda;

- Profilaxia das complicações após cirurgia pancreática e explorações por C.P.R.E.;

- Tratamento coadjuvante das fístulas do intestino delgado e pâncreas;

- Tratamento da hipersecreção causada por tumores endócrinos do trato digestivo.

O que precisa de saber antes de tomar Somatostatina Basi

Não utilize Somatostatina Basi

alergia

(hipersensibilidade)

somatostatina

análogos

somatostatina ou a qualquer outro componente de Somatostatina Basi.

Advertências e precauções

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de utilizar Somatostatina Basi.

Somatostatina Basi é um medicamento reservado exclusivamente a tratamentos em

meio hospitalar.

Aos doentes com insuficiência renal grave (depuração da creatinina ≤ 30 ml/mín.)

deve ser administrada metade da dose recomendada.

Os doentes em tratamento com Somatostatina Basi devem ser mantidos sob estreita

observação médica. O bólus intravenoso deve ser administrado lentamente, durante

pelo menos 1 minuto. A perfusão I.V. deve ser administrada continuamente. No

início da perfusão pode ocorrer hipoglicémia, possivelmente seguida, 2 a 3 horas

depois, por um aumento da glicémia devido a alterações no balanço entre as

hormonas

reguladoras,

insulina

glucagon.

esta

razão,

exige-se

determinação da glicémia cada 4 a 6 horas.

A administração simultânea de qualquer forma de açúcar (incluindo solução de

glucose,

solução

frutose

alimentação

parentérica

total)

favorece

perturbações na glicémia requerendo uma monitorização apertada da glicémia. Pode

ser necessária a administração de insulina.

somatostatina

pode

induzir

seguintes

efeitos

cardiovasculares

farmacodinâmicos:

hipertensão

sistémica

transitória,

débito

cardíaco

transitoriamente reduzido, pressão arterial pulmonar aumentada, pressão venosa

central aumentada, hipotensão sistémica, bradicárdia, bloqueio atrioventricular.

Consequentemente, os sinais vitais dos doentes devem ser monitorizados durante a

fase

inicial

administração

somatostatina,

particular

após

bólus

intravenoso.

Recomenda-se

precaução

doentes

função

cardiovascular

comprometida ou história de arritmia cardíaca, pois podem não ser capazes de

compensar estes efeitos.

Dado que a taxa de filtração glomerular, o fluxo de urina e o nível sanguíneo de

sódio podem diminuir durante o tratamento com somatostatina, recomenda-se a

verificação regular da função renal e dos eletrólitos plasmáticos.

A Somatostatina Basi causa inibição da absorção intestinal de certos nutrientes. A

Somatostatina Basi também inibe outras secreções hormonais gastrointestinais. A

interrupção abrupta da perfusão pode resultar num efeito “rebound”, especialmente

em doentes a receber tratamentos para fístulas. Assim, após cura das fístulas, deve

ser administrada metade da dose, por perfusão, durante as 48 horas seguintes, por

forma a evitar um possível efeito “rebound”.

Os efeitos da somatostatina sobre os sinais vitais, glicémia e função renal devem ser

tidos em consideração, durante o seguimento dos doentes que terminaram a

terapêutica.

Outros medicamentos e Somatostatina Basi

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado

recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

Considerando o largo espectro de efeitos farmacodinâmicos da somatostatina em

vários

sistemas

reguladores,

existe

possibilidade

diversas

interações

farmacodinâmicas.

Interações farmacodinâmicas com possível relevância clínica têm sido observadas

com medicamentos que também influenciam a regulação da glicémia, o nível de

renina plasmática e a pressão arterial, evidenciando que a somatostatina pode

modificar os efeitos destes medicamentos sobre estes parâmetros.

A administração simultânea de qualquer forma de açúcar (incluindo solução de

glucose,

solução

frutose

alimentação

parentérica

total)

favorece

perturbações na glicémia requerendo uma monitorização apertada da glicémia.

Somatostatina Basi e alimentos e bebidas

Segundo a situação clínica do doente e critério do médico assistente.

Gravidez e aleitamento

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tonar qualquer medicamento.

Não existem dados clínicos disponíveis sobre a exposição à somatostatina, durante a

gravidez. Não foram realizados estudos de reprodução em animais. O risco potencial

para humanos é desconhecido. A somatostatina não deve ser utilizada durante a

gravidez exceto se claramente necessário.

A somatostatina não deve ser administrada durante o aleitamento. Mulheres a

amamentar

devem

interromper

aleitamento

caso

lhes

seja

administrada

somatostatina.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Não foram observados efeitos de Somatostatina Basi sobre a capacidade de conduzir

e utilizar máquinas.

Informações importantes sobre alguns componentes de Somatostatina Basi

Não aplicável.

Como tomar Somatostatina Basi

Utilize este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o

seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Devido à sua curta semivida (1 a 2 minutos) a Somatostatina Basi deve ser

administrada por perfusão intravenosa contínua.

A dose recomendada é de 3,5 µg/Kg de peso corporal/hora, ou usualmente, 6 mg/24

horas para um doente de 75 Kg, administrados em perfusão contínua de 0,25

mg/hora. A velocidade de perfusão deve, assim, ser ajustada para 12 horas.

Em doentes com insuficiência renal grave (depuração da creatinina ≤ 30 ml/mín.),

as doses devem ser reduzidas para 1,75 µg/Kg de peso corporal/hora, no caso da

perfusão contínua e para 1,75 µg/Kg de peso corporal/hora, no caso da perfusão

contínua e para 1,75 µg/Kg de peso corporal, no caso da administração de bólus.

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

doente

deve

cuidadosamente

monitorizado

após

descontinuação

tratamento.

Para o tratamento de hemorragias gastrointestinais:

A perfusão com Somatostatina Basi deve ser iniciada antes da endoscospia, logo que

possível após os primeiros sinais de hemorragia, e prolongada durante cinco dias

(120 horas), sendo o mínimo de duração do tratamento de 48 horas.

Adicionalmente

perfusão

contínua,

imediatamente

depois

começar

administração de somatostatina por perfusão contínua, deve ser administrado um

bólus intravenoso de 3,5 µg/Kg de peso corporal e outro bólus 1 minuto antes da

endoscopia. O bólus deve ser administrado lentamente (durante, pelo menos, 1

minuto).

Após

tratamento

endoscópico,

devem

administrados

bólus

semelhantes caso o doente evidencie sinais clínicos de hemorragia.

Para o tratamento de fístulas ou da hipersecreção causada por tumores endócrinos

do trato digestivo:

Não é necessário um bólus intravenoso.

Na maioria dos doentes a cura de uma fístula pode ser esperada entre os dias 7 a 14

de tratamento, apesar de serem possíveis períodos mais longos ou mais curtos.

Depois da cura, deve-se fazer uma perfusão com metade da dose nas 48 horas

seguintes, de maneira a evitar um possível efeito “rebound”.

Instruções para a reconstituição:

A Somatostatina Basi deve ser reconstituída imediatamente antes da sua utilização

adicionando ao pó a ampola de 2ml, contendo1 ml de solução de cloreto de sódio 0,9

% (solvente) para uso parentérico.

- Pegue na ampola de pó para solução para perfusão de Somatostatina Basi e

reconstitua com a solução de cloreto de sódio a 0,9 % (1 ml).

- Injete a preparação no frasco de perfusão.

- Ajuste a perfusão para 12 horas (3 mg de somatostatina).

Se utilizar mais Somatostatina Basi do que deveria

Após interrupção de uma perfusão intravenosa com somatostatina administrada em

doses terapêuticas, a semivida da somatostatina no sangue é de cerca de 2 minutos.

O tratamento da sobredosagem é sintomático, não se conhece antídoto específico.

Os casos reportados de sobredosagem com somatostatina não revelaram outros

riscos

segurança

além

efeitos

indesejáveis

observados

doses

recomendadas. Em caso de sobredosagem com somatostatina recomenda-se a

monitorização apertada da glicémia, dos parâmetros cardiovasculares, da função

renal e dos eletrólitos plasmáticos.

Caso se tenha esquecido de utilizar Somatostatina Basi

Não aplicável.

Se parar de utililizar Somatostatina Basi

O seu médico decidirá qual o momento favorável à descontinuação do tratamento.

No caso particular das fístulas, e após a cura, deve-se fazer uma perfusão com

metade da dose nas 48 horas seguintes, de maneira a evitar um possível efeito

“rebound”.

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu

médico ou farmacêutico.

Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários,

embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Foram notificados espontaneamente os seguintes efeitos indesejáveis:

Cardiopatias: Bloqueio atrioventricular,bradicárdia.

Doenças gastrointestinais: Dor abdominal, diarreia, náuseas.

Doenças do metabolismo e da nutrição: Hiperglicémia, hipoglicémia.

Vasculopatias: Hipertensão, hipotensão, rubor quente.

A interrupção abrupta da perfusão pode resultar num efeito “rebound” da doença

tratada, especialmente em doentes a receber tratamento para as fístulas.

Se tiver quaisquer efeitos secundários incluindo possiveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o o seu médico ou farmacêutico.

Como conservar Somatostatina Basi

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Embalagem fechada: Conservar a temperatura inferior a 25º C.

Embalagem

reconstituída:

soluções

reconstituídas

são

estáveis

quando

armazenadas a temperatura inferior a 25º C, por um período de 10 dias.

Do ponto de vista microbiológico, as soluções reconstituídas de somatostatina devem

utilizadas

imediatamente.

Caso

não

sejam,

tempo

condições

armazenamento anteriores à utilização são da responsabilidade do preparador e

normalmente não deveriam ser superiores a 24 horas, a 2ºC -8ºC, a menos que a

reconstituição/diluição tenha sido efetuada em condições assépticas controladas e

validadas.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem

exterior ou na ampola . O prazo de validade corresponde ao último dia do mês do

indicado.

Os produtos não utilizados ou os resíduos devem ser eliminados de acordo com as

exigências locais.

Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de Somatostatina Basi

-A substância ativa é a somatostatina, na forma de acetato de somatostatina.

-Os outros componentes são: hidróxido de sódio e ácido clorídrico.

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

Somatostatina Basi contém uma ampola de solvente para uso parentérico cujos

componentes são: cloreto de sódio e água para preparações injetáveis.

Qual o aspeto de Somatostatina Basi e conteúdo da embalagem

Pó: Ampolas de vidro incolor tipo I de 2 ml.

Solvente: Ampolas de vidro incolor tipo I de 2 ml, contendo 1 ml de solvente.

Somatostatina Basi apresenta-se em embalagens contendo:

-1 ampola de pó e 1 ampola de solvente;

-6 ampolas de pó e 6 ampolas de solvente;

-10 ampolas de pó e 10 ampolas de solvente;

-25 ampolas de pó e 25 ampolas de solvente;

-50 ampolas de pó e 50 ampolas de solvente;

-100 ampolas de pó e 100 ampolas de solvente.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular

Autorização

Introdução

Mercado:

Laboratórios Basi - Indústria Farmacêutica,

Parque

Industrial

Manuel

Lourenço

Ferreira, Lote 15".

Fabricante:

BAG Health Care GmbH

Amtsgerichtsstraβe 1-5

35423 Lich

Alemanha

Este folheto foi revisto pela última vez em

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1. NOME DO MEDICAMENTO

Somatostatina Basi 3 mg/1 ml Pó e Solvente para Solução para Perfusão.

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada ampola de pó para solução para perfusão contém somatostatina na forma de acetato

correspondendo a 3 mg de somatostatina (D.C.I) e é fornecido com uma ampola de 2 ml,

contendo 1 ml de cloreto de sódio 0,9 % (solvente).

Após reconstituição a concentração da solução é 3 mg/1 ml.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Pó e solvente para solução para perfusão.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

- Tratamento das hemorragias agudas graves resultantes das úlceras gastroduodenais,

gastrites

erosivas

hemorrágicas

rotura

varizes

esófago

suspeitas

diagnosticadas por endoscopia.

- Profilaxia das complicações após cirurgia pancreática e explorações por C.P.R.E.

- Tratamento da pancreatite aguda.

- Tratamento coadjuvante das fístulas do intestino delgado e do pâncreas.

- Tratamento da hipersecreção causada por tumores endócrinos do tracto digestivo.

4.2 Posologia e modo de administração

Devido à sua curta semi-vida, 1 a 2 minutos, a Somatostatina Basi deve ser administrada

por perfusão intravenosa contínua.

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

A Somatostatina Basi deve ser reconstituída imediatamente antes do seu uso, adicionando

ao pó a ampola contendo 1 ml de solução de cloreto de sódio (0,9%) para uso parentérico.

A dose recomendada é de 3,5 µg/Kg de peso corporal/hora, ou usualmente, 6 mg/24

horas para um doente de 75Kg, administrados em perfusão contínua de 0,25 mg/hora. A

velocidade de perfusão deve, assim, ser ajustada para 12 horas.

Em doentes com insuficiência renal grave (depuração da creatinina

30 ml/mín.), as

doses devem ser reduzidas para 1,75 µg/Kg de peso corporal/hora, no caso da perfusão

contínua e para 1,75 µg/Kg de peso corporal, no caso da administração de bólus.

O doente deve ser cuidadosamente monitorizado após descontinuação do tratamento.

Para o tratamento de hemorragias gastrointestinais:

A perfusão com Somatostatina Basi deve ser iniciada antes da endoscospia, logo que

possível após os primeiros sinais de hemorragia, e prolongada durante cinco dias (120

horas), sendo o mínimo de duração do tratamento de 48 horas.

Adicionalmente à perfusão contínua, imediatamente depois de começar a administração

de somatostatina por perfusão contínua, deve ser administrado um bólus intravenoso de

3,5 µg/Kg de peso corporal e outro bólus 1 minuto antes da endoscopia. O bólus deve ser

administrado

lentamente

(durante,

pelo

menos,

minuto).

Após

tratamento

endoscópico, devem ser administrados bólus semelhantes caso o doente evidencie sinais

clínicos de hemorragia.

Para o tratamento de fístulas ou da hipersecreção causada por tumores endócrinos do

tracto digestivo:

Não é necessário um bólus intravenoso.

Na maioria dos doentes a cura de uma fístula pode ser esperada entre os dias 7 a 14 de

tratamento, apesar de serem possíveis períodos mais longos ou mais curtos.

Depois da cura, deve-se fazer uma perfusão com metade da dose nas 48 horas seguintes,

de maneira a evitar um possível efeito “rebound”.

4.3 Contra-indicações

Hipersensibilidade à somatostatina ou a análogos da somatostatina ou a qualquer um dos

excipientes.

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Somatostatina Basi é um medicamento de utilização reservada a tratamentos em meio

hospitalar.

Aos doentes com insuficiência renal grave (depuração da creatinina

30 ml/mín.) deve

ser administrada metade da dose recomendada.

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

Os doentes recebendo tratamento com Somatostatina Basi devem ser mantidos sob

estreita observação

médica. O bólus

intravenoso deve ser administrado lentamente,

durante pelo menos 1 minuto. A perfusão deve ser administrada continuamente. No início

da perfusão pode ocorrer hipoglicémia, possivelmente seguida, 2 a 3 horas depois, por

um aumento da glicémia devido a alterações no balanço entre as hormonas reguladoras,

insulina e glucagon. Por esta razão, exige-se uma determinação da glicémia cada 4 a 6

horas.

A administração simultânea de qualquer forma de açúcar (incluindo solução de glucose,

solução de frutose ou alimentação parentérica total) favorece as perturbações na glicémia

requerendo uma monitorização apertada de glicémia. Pode ser necessária a administração

de insulina.

A somatostatina pode induzir os seguintes efeitos cardiovasculares farmacodinâmicos:

hipertensão

sistémica

transitória,

débito

cardíaco

transitoriamente

reduzido,

pressão

arterial pulmonar aumentada, pressão venosa central aumentada, hipotensão sistémica,

bradicárdia, bloqueio atrioventricular.

Consequentemente, os sinais vitais dos doentes devem ser monitorizados durante a fase

inicial

administração

somatostatina,

particular

após

bólus

intravenoso.

Recomenda-se

precaução

doentes

função

cardiovascular

comprometida

história de arritmia cardíaca, pois podem não ser capazes de compensar estes efeitos.

Dado que a taxa de filtração glomerular, o fluxo de urina e o nível sanguíneo de sódio

podem diminuir durante o tratamento com somatostatina, recomenda-se a verificação

regular da função renal e dos electrólitos plasmáticos.

A Somatostatina Basi causa inibição da absorção intestinal de certos nutrientes. A

Somatostatina

Basi

também

inibe

outras

secreções

hormonais

gastrointestinais.

interrupção abrupta da perfusão pode resultar num efeito “rebound”, especialmente em

doentes a receber tratamentos para fístulas. Assim, após cura das fístulas, deve ser

administrada metade da dose, por perfusão, durante as 48 horas seguintes, por forma a

evitar um possível efeito “rebound”.

Os efeitos da somatostatina sobre os sinais vitais, glicémia e função renal devem ser tidos

em consideração, durante o seguimento dos doentes que terminaram a terapêutica.

4.5 Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

Considerando o largo espectro de efeitos farmacodinâmicos da somatostatina em vários

sistemas reguladores, existe possibilidade de diversas interacções farmacodinâmicas.

Interacções farmacodinâmicas com possível relevância clínica têm sido observadas com

medicamentos que também influenciam a regulação da glicémia, o nivel de renina

plasmática e a pressão arterial, evidenciando que a somatostatina pode modificar os

efeitos destes medicamentos sobre estes parâmetros.

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

A administração simultânea de qualquer forma de açúcar (incluindo solução de glucose,

solução de frutose ou alimentação parentérica total) favorece as perturbações na glicémia

requerendo uma monitorização apertada da glicémia.

4.6 Gravidez e aleitamento

Não existem dados clínicos disponíveis sobre a exposição à somatostatina, durante a

gravidez. Não foram realizados estudos de reprodução em animais. O risco potencial para

os humanos é desconhecido. A somatostatina não deve ser utilizada durante a gravidez

excepto se claramente necessário.

A somatostatina não deve ser administrada durante o aleitamento. Mulheres a amamentar

devem interromper o aleitamento caso lhes seja administrada a somatostatina.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Não foram observados efeitos da Somatostatina Basi sobre a capacidade de conduzir e

utilizar máquinas.

4.8 Efeitos indesejáveis

Foram notificados espontaneamente os seguintes efeitos indesejáveis:

Cardiopatias:

-Bloqueio atrioventricular

-Bradicárdia

Doenças gastrointestinais:

-Dor abdominal

-Diarreia

-Náuseas

Doenças do metabolismo e da nutrição:

-Hiperglicémia

-Hipoglicémia

Vasculopatias:

-Hipertensão

-Hipotensão

-Rubor quente

A interrupção abrupta da perfusão pode resultar num efeito “rebound” da doença tratada,

especialmente em doentes a receber tratamento para as fístulas.

4.9 Sobredosagem

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

Após interrupção de uma perfusão intravenosa com somatostatina administrada em doses

terapêuticas, a semi-vida da somatostatina no sangue é de cerca de 2 minutos.

O tratamento da sobredosagem é sintomático, não se conhece antídoto específico.

Os casos reportados de sobredosagem com somatostatina não revelaram outros riscos de

segurança além dos efeitos indesejáveis observados nas doses recomendadas. Em caso de

sobredosagem com somatostatina recomenda-se a monitorização apertada da glicémia,

dos parâmetros cardiovasculares, da função renal e dos electrólitos plasmáticos.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo Farmacoterapêutico: 8.1.1 – Hormonas e medicamentos usados no tratamento das

doenças

endócrinas,

Hormonas

hipotalâmicas

hipofisárias,

seus

análogos

antagonistas, Lobo anterior da hipófise.

Código ATC: H01CB01 – Somatostatina.

A somatostatina natural é um oligopéptido com 14 aminoácidos que foi originalmente

isolado do hipotálamo de animais e mais tarde encontrado em células epiteliais e fibras

nervosas através de todo o sistema digestivo. A Somatostatina Basi é um polipéptido

sintético idêntico à hormona natural.

A somatostatina tem um papel na regulação das secreções endócrinas e exócrinas e na

motilidade

gastrointestinal.

Quando

administrada

doses

farmacológicas,

somatostatina inibe a função e a motilidade gastrointestinal como também as secreções e

reduz o fluxo de sangue esplâncnico.

Um bólus intravenoso de 0,25 mg de somatostatina induz uma queda rápida da pressão

varicosa

esofágica

doentes

cirróticos,

qual

mais

pronunciada

queda

provocada por uma perfusão contínua. A perfusão contínua de somatostatina tem um

efeito sustentado na redução da pressão varicosa esofágica nestes doentes.

A somatostatina pode influenciar a regulação da hemostase. Foi observada agregação

plaquetária em doentes diabéticos insulino-dependentes tratados com somatostatina.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

Em voluntários saudáveis, o tempo de semi-vida da somatostatina no sangue é cerca de 2

minutos (1,1 a 3 mín.). Em perfusão contínua o “plateau” é atingido em não mais de 15

minutos. A média dos níveis do “plateau” depende da taxa de perfusão. Varia entre 300 e

3000 pg/ml quando administrado de acordo com o recomendado (0,25 mg/h). Nestas

circunstâncias, a depuração metabólica é de cerca de 2000 ml/mín.

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

insuficiência

hepática

crónica

parece

não

afectar

substancialmente

depuração

metabólica enquanto a insuficiência renal crónica afecta este parâmetro: em doentes com

insuficiência renal grave (depuração da creatinina

30 ml/mín.) a depuração metabólica

diminuiu e os niveis plasmáticos em estado de equilíbrio duplicaram.

A cinética é similar em diabéticos não insulino-dependentes, não obesos e em voluntários

saudáveis. A administração subcutânea resulta em níveis plasmáticos de somatostatina

muito baixos.

5.3 Dados de segurança pré-clínica

A. Toxicidade aguda

dose

letal

obtida

ratinhos,

após

administração

intravenosa

aproximadamente 31,7 mg/Kg em machos e 26,4 mg/Kg em fêmeas. Estes valores devem

ser comparados com o bólus intravenoso de 0,25 mg em humanos, o que corresponde a

3,5 µg/Kg, i.e. basicamente 10.000 vezes inferior à DL50 aguda nos ratinhos. Foram

encontrados valores dentro da mesma faixa durante um segundo estudo no ratinho.

A dose letal obtida em ratos, após administração intravenosa, foi estimada em 22 mg/Kg

de peso corporal (22 para os machos e 23 mg/Kg para as fêmeas).

A recuperação dos animais sobreviventes (ratinhos e ratos) foi total 24 horas depois da

administração e não foram observadas mortes depois deste período.

B. Toxicidade sub-aguda

Uma perfusão intravenosa contínua repetida de Somatostatina Basi durante 4 semanas,

tanto em ratos como em macacos “cynomolgus”, levou a níveis de efeito não tóxico de,

respectivamente

(rato

macho),

(rato

fêmea)

(macaco

“cynomolgus”)

mg/Kg/dia.

Comparando

este

níveis

nível

dosagem

terapêutica

0,08

mg/Kg/dia, no Homem fica evidenciada uma confortável margem de segurança. Também

quando se comparam titulações no plasma de animais com este nível não tóxico com o

nível terapêutico humano, é estabelecida uma margem de segurança de pelo menos 86 a

865 (vezes). Estes estudos com doses repetidas indicam que a administração contínua do

péptido é bem tolerada tanto local como sistemicamente.

C. Administração intratecal e epidural

Estudos de neurotoxicidade local não evidenciaram nenhum potencial neurotóxico nem

indicaram

nenhuns

sintomas

neurotóxicos

severos,

apenas

quando

péptido

administrado localmente em concentrações que não podem ser obtidas in vivo, no SNC,

após administração intravenosa.

D. Testes de genotoxicidade

Estes testes não indicaram nenhum potencial mutagénico ou clastogénico do produto.

E. Estudos na reprodução e carcinogenicidade

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

Estes estudos não foram efectuados devido à curta duração do tratamento proposto no

Homem, aos objectivos terapêuticos e à semi-vida extremamente curta desde péptido

natural, que não conduz à acumulação.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1. Lista dos excipientes

Pó:

Hidróxido de sódio

Ácido Clorídrico

Solvente:

Água para preparações injectáveis

Cloreto de sódio

6.2 Incompatibilidades

A Somatostatina Basi não deve ser misturada com outros medicamentos, excepto o

mencionado nas secções 6.6.

6.3 Prazo de validade

Embalagem fechada: 3 anos

Após reconstituição: 10 dias a temperatura inferior a 25ºC.

6.4 Precauções especiais de conservação

Embalagem fechada: Conservar a temperatura inferior a 25ºC.

Após reconstituição: Conservar durante 10 dias a temperatura inferior a 25ºC.

As soluções reconstituídas de somatostatina são estáveis durante 10 dias a temperatura

inferior a 25ºC.

Do ponto de vista microbiológico, as soluções reconstituídas de somatostatina devem ser

utilizadas imediatamente. Caso não o sejam, o tempo e condições de armazenamento

anteriores à utilização são da responsabilidade do utilizador e normalmente não deveriam

ser superiores a 24 horas, a 2ºC -8ºC, a menos que a reconstituição/diluição tenha sido

efectuada em condições assépticas controladas e validadas.

Não utilize Somatostatina Basi após o prazo de validade impresso na embalagem exterior

ou ampola. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

6.5 Natureza e conteúdo do recipiente

Pó – Ampolas de vidro incolor tipo I de 2 ml.

APROVADO EM

08-10-2019

INFARMED

Solvente – Ampolas de vidro incolor tipo I de 2 ml (contendo 1 ml de solvente).

Somatostatina Basi apresenta-se em embalagens contendo:

- 1 ampola de pó e 1 ampola de solvente;

- 6 ampolas de pó e 6 ampolas de solvente;

- 10 ampolas de pó e 10 ampolas de solvente;

- 25 ampolas de pó e 25 ampolas de solvente;

- 50 ampolas de pó e 50 ampolas de solvente;

- 100 ampolas de pó e 100 ampolas de solvente.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

6.6 Precauções especiais de eliminação e manuseamento

Pegue na ampola de pó para solução para perfusão e reconstitua com a solução de cloreto

de sódio 0,9% (1ml).

Injecte a preparação no frasco de perfusão.

Ajuste a perfusão para 12 horas.

Os produtos não utilizados ou os resíduos devem ser eliminados de acordo com as

exigências locais.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Laboratórios Basi - Indústria Farmacêutica, S.A

Parque Industrial Manuel Lourenço Ferreira, Lote 15".

8. NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Somatostatina Basi – 1 ampola de pó e 1 ampola de solvente: XXXX

Somatostatina Basi – 6 ampolas de pó e 6 ampolas de solvente: XXXX

Somatostatina Basi – 10 ampolas de pó e 10 ampolas de solvente: XXXX

Somatostatina Basi – 25 ampolas de pó e 25 ampolas de solvente: XXXX

Somatostatina Basi – 50 ampolas de pó e 50 ampolas de solvente: XXXX

Somatostatina Basi – 100 ampolas de pó e 100 ampolas de solvente: XXXX

9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE

INTRODUÇÃO NO MERCADO

DD/MM/AAAA

10. DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação