NIFENCOL 100 mg/ml Solução para administração na água de bebida para Suínos

Portugal - português - DGAV (Direção Geral de Alimentação e Veterinária)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Florfenicol 100.0 mg
Disponível em:
VetPharma Animal Health
Código ATC:
QJ01BA90
DCI (Denominação Comum Internacional):
Florfenicol
Forma farmacêutica:
Solução para administração na água de bebida
Via de administração:
Via oral
Tipo de prescrição:
MSRMV - Medicamento Sujeito a Receita Médico-Veterinária
Grupo terapêutico:
Suínos
Área terapêutica:
Florfenicol
Resumo do produto:
Intervalo de Segurança: Carne e Vísceras (suínos) - 20 dias; ; Frasco(s) - 1 unidade(s) - 500 ml 795/01/14DFVPT Autorizado Sim; Frasco(s) - 1 unidade(s) - 1 L 795/01/14DFVPT Autorizado Sim; Embalagem(s) - 1 unidade(s) - 5 L 795/01/14DFVPT Autorizado Sim
Número de autorização:
795/01/14DFVPT

Leia o documento completo

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 1 de 14

ANEXO I

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1.

NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

NIFENCOL 100 mg/ml Solução para administração na água de bebida para Suínos.

2.

COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada ml contém:

Substância ativa:

Florfenicol

100 mg

Para a lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3.

FORMA FARMACÊUTICA

Solução para administração na água de bebida.

Solução límpida, de incolor a amarela.

4.

INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1

Espécie(s)-alvo

Suínos.

4.2

Indicações de utilização, especificando as espécies-alvo

Em suínos:

Tratamento

metafilaxia

doença

respiratória

suínos

associada

Actinobacillus

pleuropneumoniae e Pasteurella multocida sensíveis ao florfenicol. A presença da doença deve ser

estabelecida na exploração antes de se iniciar a metafilaxia.

4.3

Contraindicações

Não administrar a varrascos destinados a reprodução.

Não administrar em casos de hipersensibilidade à substância ativa ou a algum dos excipientes.

4.4

Advertências especiais para cada espécie-alvo

Os suínos tratados devem ser colocados sob observação especial. Em cada um dos cinco dias de

tratamento, a água de bebida não medicada não deve ser disponibilizada até que a quantidade diária

total de água de bebida medicada tenha sido consumida pelos suínos.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 2 de 14

Se não se verificarem sinais de melhoria após três dias de tratamento, o diagnóstico deve ser

reavaliado e, se necessário, alterar o tratamento.

Em caso de consumo insuficiente de água, os animais devem ser tratados por via parentérica.

4.5

Precauções especiais de utilização

Precauções especiais para utilização em animais

O medicamento veterinário deve ser administrado com base em testes de sensibilidade das bactérias

isoladas do animal.

administração do

medicamento

veterinário

fora

indicações

RCMV

pode

aumentar

prevalência de bactérias resistentes ao florfenicol.

Devem

tomadas

consideração

políticas

antimicrobianas

oficiais

locais

quando

medicamento veterinário é administrado.

O tratamento não deve exceder 5 dias.

Precauções especiais a adotar pela pessoa que administra o medicamento aos animais

Este

medicamento

veterinário

pode

causar

hipersensibilidade.

pessoas

conhecida

hipersensibilidade

florfenicol

algum

excipientes

devem

evitar

contacto

medicamento veterinário.

O contato do medicamento veterinário ou da água de bebida medicada com a pele e os olhos deve ser

evitado.

Durante o manuseamento do medicamento veterinário ou aquando da sua mistura deve ser usado

equipamento de proteção individual, consistindo de luvas de proteção homologadas, fato-macaco de

trabalho e óculos de segurança.

Em caso de derrame acidental nos olhos, lave-os imediatamente com água. Em caso de contacto com a

pele, lave imediatamente a área afetada e tire a roupa contaminada.

Se desenvolver sintomas após exposição, como erupção cutânea, dirija-se imediatamente a um médico

e mostre-lhe o folheto informativo ou o rótulo.

Não fumar, comer ou beber ao manusear o medicamento veterinário ou ao misturar a água de bebida

medicada.

Outras precauções

De forma a prevenir quaisquer efeitos adversos sobre as algas e uma possível contaminação das águas

subterrâneas, o estrume proveniente de suínos tratados não deve ser espalhado na terra sem diluição

com o estrume de suínos não tratados. O estrume de suínos tratados deve ser diluído em pelo menos 5

vezes o peso de estrume de suínos não tratados antes que possa ser espalhado sobre a terra arável.

4.6

Reações adversas (frequência e gravidade)

Durante o tratamento pode ser observada uma diminuição ligeira do consumo de água pelos animais,

fezes de cor castanho-escura e obstipação.

Os efeitos adversos mais frequentemente observados são a diarreia e/ou eritema/edema perianal e retal,

que podem afetar aproximadamente 40 % dos animais. Estes efeitos são transitórios. Em alguns dos

animais afetados, pode ser observado prolapso retal, que se resolve sem tratamento.

A frequência dos eventos adversos é definida utilizando a seguinte convenção:

- Muito frequente (mais de 1 animal apresentando evento(s) adverso(s) em 10 animais tratados).

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 3 de 14

- Frequente (mais de 1 mas menos de 10 animais em 100 animais tratados).

- Pouco frequente (mais de 1 mas menos de 10 animais em 1 000 animais tratados).

- Rara (mais de 1 mas menos de 10 animais em 10 000 animais tratados).

- Muito rara (menos de 1 animal em 10 000 animais tratados, incluindo notificações isoladas).

4.7

Utilização durante a gestação, a lactação ou a postura de ovos

Estudos realizados em animais de laboratório não revelaram qualquer evidência de potenciais efeitos

embriotóxicos ou fetotóxicos causados pelo florfenicol.

A segurança do medicamento veterinário não foi estabelecida em porcas durante a gestação e lactação.

A administração não é recomendada durante a gestação e lactação.

4.8

Interações medicamentosas e outras formas de interação

Não existem dados disponíveis.

4.9

Posologia e via de administração

Para administração na água de bebida.

10 mg de florfenicol por kg de peso corporal por dia na água de bebida (equivalente a 0,1 ml de

medicamento veterinário/kg p.c.) durante 5 dias consecutivos.

Com base na dose recomendada e no número e peso dos animais a serem tratados, a quantidade diária

exata de medicamento veterinário deve ser calculada de acordo com a fórmula seguinte:

X ml de

medicamento

veterinário / kg

p.c./dia

Média de peso corporal

(kg) dos animais a serem

tratados

X ml de medicamento

veterinário por litro de

água de bebida

Média do consumo diário de água (litro) por animal

A quantidade de água medicada adequada deve ser preparada com base no consumo diário de água. De

forma a garantir a administração da dose correta, o peso corporal deve ser determinado com a maior

precisão possível. De forma a evitar a sub e sobredosagem, os animais tratados devem ser divididos

em grupos de peso corporal idêntico e a dose deve ser calculada para cada grupo individualmente.

Para o Tanque de bebida:

Para tratar os suínos com um consumo de água de 10% do seu peso corporal, na dose de 10 mg/kg:

adicionar a solução de florfenicol à água de bebida no tanque. Utilizar um frasco (500 ml) de solução

de florfenicol para cada 500 L de água, um frasco (1L) de solução de florfenicol para cada 1000 L de

água ou utilizar uma embalagem (5L) de solução de florfenicol para cada 5000 L de água e misturar

completamente.

Para o Sistema doseador:

Para tratar suínos com um consumo de água de 10% do seu peso corporal, na dose de 10 mg/kg:

Esvaziar o conteúdo de um frasco/embalagem de solução de florfenicol no sistema doseador e

diluir com água de bebida conforme a seguir indicado:

Frasco/

Embalagem

Quantidade de água de bebida

500 ml

50 L

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 4 de 14

100 L

500 L

Misturar completamente.

Ajustar o sistema doseador a 10%.

Ligar o sistema doseador.

Aviso: Soluções com concentrações superiores a 1,2 g de florfenicol por litro podem precipitar.

O consumo de água medicada depende de vários fatores incluindo o estado clínico dos animais e as

condições locais, tais como a temperatura ambiente e humidade. De forma a obter a dose correta, o

consumo de água tem de ser monitorizado e a concentração de florfenicol tem de ser ajustada em

conformidade. Se contudo, não for possível a obtenção de um consumo de água suficiente, os animais

devem ser tratados por via parentérica.

4.10

Sobredosagem (sintomas, procedimentos de emergência, antídotos, se necessário)

Em caso de sobredosagem, podem ser observados uma diminuição do ganho de peso, do consumo de

água e de alimento, eritema e edema peri-anal e alteração de alguns parâmetros hematológicos e

bioquímicos indicativos de desidratação.

4.11

Intervalo(s) de segurança

Carne e vísceras: 20 dias

5.

PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

Grupo farmacoterapêutico: Antimicrobianos para uso sistémico, anfenicóis

Código ATCvet: QJ01BA90

5.1

Propriedades farmacodinâmicas

O florfenicol é um antibiótico sintético de largo espectro do grupo dos fenicóis, que é ativo contra a

maioria das bactérias Gram-positivas e Gram-negativas, isoladas de animais domésticos. O florfenicol

atua através da inibição da síntese proteica a nível ribossomal e é bacteriostático. Contudo, foi

demonstrada atividade bactericida in vitro contra Actinobacillus pleuropneumoniae e Pasteurella

multocida quando o florfenicol se encontra em concentrações acima da MIC durante 12 horas.

Testes in-vitro demonstraram que o florfenicol é ativo contra os agentes patogénicos bacterianos mais

frequentemente

isolados

doenças

respiratórias

suínos,

incluindo

Actinobacillus

pleuropneumoniae e Pasteurella multocida.

Os valores da MIC

do florfenicol contra estirpes de Actinobacillus pleuropneumoniae e Pasteurella

multocida isoladas na República Checa (2015-2016) e nos Estados Unidos da América e Canadá

(2011-2015), foram determinadas como 0,5 µg/ml, respetivamente. Para A. pleuropneumoniae e P.

multocida, o breakpoint CLSI de resistência para a doença respiratória dos suínos é de 8 µg/ml (2013).

A resistência adquirida ao florfenicol está associada a vários genes, incluindo FloR que codifica um

efluxo de bomba.

5.2

Propriedades farmacocinéticas

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 5 de 14

Após a administração oral a suínos de 15 mg/kg, sob condições experimentais, a absorção de

florfenicol foi variável, mas o pico das concentrações séricas de aproximadamente 5 μg/ml foi atingido

aproximadamente 2 horas após a administração. O tempo de semivida terminal foi entre 2 e 3 horas.

Quando foi dado livre acesso aos suínos, durante 5 dias, à água medicada com o medicamento

veterinário na concentração de 100 mg de florfenicol por litro de água, as concentrações séricas de

florfenicol excederam 1 μg/ml durante todo o período de tratamento de 5 dias exceto para algumas

curtas incursões abaixo de 1 μg/ml.

Após a absorção e distribuição, o florfenicol é amplamente metabolizado pelos suínos e é rapidamente

eliminado, principalmente na urina.

Após a administração parenteral de florfenicol a suínos, foi demonstrado que as concentrações nos

pulmões são semelhantes às concentrações séricas.

6.

INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1

Lista de excipientes

Macrogol 300

6.2

Incompatibilidades principais

Na ausência de estudos de compatibilidade, este medicamento veterinário não deve ser misturado com

outros.

6.3

Prazo de validade

Prazo de validade do medicamento veterinário tal como embalado para venda: 18 meses.

Prazo de validade após a primeira abertura do acondicionamento primário: 3 meses.

Prazo de validade após diluição de acordo com as instruções: 24 horas.

6.4

Precauções especiais de conservação

Conservar a temperatura inferior a 25

6.5

Natureza e composição do acondicionamento primário

Apresentações:

Frascos de 500 ml e 1L e embalagens de 5L.

Recipientes:

Frascos e embalagens de polietileno de alta-densidade (HDPE) brancos.

Fecho:

Tampa de rosca HDPE com selagem por indução.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

6.6

Precauções especiais para a eliminação de medicamentos veterinários não utilizados ou de

desperdícios derivados da utilização desses medicamentos

O medicamento veterinário não utilizado ou os seus desperdícios devem ser eliminados de acordo com a

legislação em vigor.

Não deve ser permitido que o medicamento veterinário entre nos cursos de água, porque pode constituir

perigo para os organismos aquáticos.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 6 de 14

7.

TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

VETPHARMA ANIMAL HEALTH, S.L.

Les Corts, 23

08028 BARCELONA

ESPANHA

8.

NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

795/01/14DFVPT

9.

DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO

Data da primeira autorização: 29 de abril de 2014

Data da última renovação: 8 de abril de 2019.

10.

DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Abril de 2019.

PROIBIÇÃO DE VENDA, FORNECIMENTO E/OU UTILIZAÇÃO

Uso veterinário - medicamento veterinário sujeito a receita médico-veterinária.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 7 de 14

ANEXO III

ROTULAGEM E FOLHETO INFORMATIVO

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 8 de 14

ROTULAGEM- FOLHETO INFORMATIVO

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 9 de 14

INDICAÇÕES

A

INCLUIR

NO

ACONDICIONAMENTO

PRIMÁRIO

RÓTULO

E

FOLHETO INFORMATIVO COMBINADO

Frascos de 500 ml e 1L, Embalagens de 5L

1.

NOME E ENDEREÇO DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO

MERCADO E DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE FABRICO RESPONSÁVEL

PELA LIBERTAÇÃO DO LOTE, SE FOREM DIFERENTES

Titular da autorização de introdução no mercado:

VETPHARMA ANIMAL HEALTH, S.L.

Les Corts, 23

08028 BARCELONA

ESPANHA

Fabricante responsável pela libertação dos lotes:

LABORATORIOS KARIZOO, S.A.

Polígono Industrial La Borda

Mas Pujades, 11-12

08140 – CALDES DE MONTBUI (Barcelona)

ESPANHA

Distribuidor:

PRODIVET-ZN, S.A.

Av. Infante D. Henrique nº 333-H 3º piso Esc.41

1800-282 Lisboa

2.

NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

NIFENCOL 100 mg/ml Solução para administração na água de bebida para Suínos

Florfenicol

3.

DESCRIÇÃO DAS SUBSTÂNCIAS ATIVAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS

Cada ml contém:

Substância ativa:

Florfenicol

100 mg

Solução límpida, de incolor a amarela.

4.

FORMA FARMACÊUTICA

Solução para administração na água de bebida.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 10 de 14

5.

DIMENSÃO DA EMBALAGEM

500 ml

6.

INDICAÇÃO (INDICAÇÕES)

Em suínos:

Tratamento

metafilaxia

doença

respiratória

suínos

associada

Actinobacillus

pleuropneumoniae e Pasteurella multocida sensíveis ao florfenicol. A presença da doença deve ser

estabelecida na exploração antes de se iniciar a metafilaxia.

7.

CONTRAINDICAÇÕES

Não administrar a varrascos destinados a reprodução.

Não administrar em casos de hipersensibilidade à substância ativa ou a algum dos excipientes.

8.

REAÇÕES ADVERSAS

Durante o tratamento pode ser observada uma diminuição ligeira do consumo de água pelos animais,

fezes de cor castanho-escura e obstipação.

Os efeitos adversos mais frequentemente observados são a diarreia e/ou eritema/edema perianal e retal,

que podem afetar aproximadamente 40 % dos animais. Estes efeitos são transitórios. Em alguns dos

animais afetados, pode ser observado prolapso retal, que se resolve sem tratamento.

A frequência dos eventos adversos é definida utilizando a seguinte convenção:

- Muito frequente (mais de 1 animal apresentando evento(s) adverso(s) em 10 animais tratados).

- Frequente (mais de 1 mas menos de 10 animais em 100 animais tratados).

- Pouco frequente (mais de 1 mas menos de 10 animais em 1 000 animais tratados).

- Rara (mais de 1 mas menos de 10 animais em 10 000 animais tratados).

- Muito rara (menos de 1 animal em 10 000 animais tratados, incluindo notificações isoladas).

Caso

detete

quaisquer

efeitos

mencionados

neste

folheto

outros

efeitos

mesmo

não

mencionados, ou pense que o medicamento não foi eficaz, informe o seu médico veterinário.

9.

ESPÉCIES-ALVO

Suínos.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 11 de 14

10.

DOSAGEM EM FUNÇÃO DA ESPÉCIE, VIA(S) E MODO DE ADMINISTRAÇÃO

Para administração na água de bebida.

10 mg de florfenicol por kg de peso corporal por dia na água de bebida (equivalente a 0,1 ml de

medicamento veterinário/kg p.c.) durante 5 dias consecutivos.

Com base na dose recomendada, e no número e peso dos animais a serem tratados, a quantidade diária

exata de medicamento veterinário deve ser calculada de acordo com a fórmula seguinte:

X ml de

medicamento

veterinário / kg

p.c./dia

Média de peso corporal

(kg) dos animais a serem

tratados

X ml de medicamento

veterinário por litro de

água de bebida

Média do consumo diário de água (litro) por animal

11.

INSTRUÇÕES COM VISTA A UMA UTILIZAÇÃO CORRETA

A quantidade de água medicada adequada deve ser preparada com base no consumo diário de água. De

forma a garantir a administração da dose correta, o peso corporal deve ser determinado com a maior

precisão possível. De forma a evitar a sub e sobredosagem, os animais tratados devem ser divididos

em grupos de peso corporal idêntico e a dose deve ser calculada para cada grupo individualmente.

Para o Tanque de bebida:

Para tratar os suínos com um consumo de água de 10% do seu peso corporal, na dose de 10 mg/kg:

adicionar a solução de florfenicol à água de bebida no tanque. Utilizar um frasco (500 ml) de solução

de florfenicol para cada 500 L de água, um frasco (1L) de solução de florfenicol para cada 1000 L de

água ou utilizar uma embalagem (5L) de solução de florfenicol para cada 5000 L de água e misturar

completamente.

Para o Sistema doseador:

Para tratar suínos com um consumo de água de 10% do seu peso corporal, na dose de 10 mg/kg:

Esvaziar o conteúdo de um frasco/embalagem de solução de florfenicol no sistema doseador e

diluir com água de bebida conforme a seguir indicado:

Frasco/

Embalagem

Quantidade de água de bebida

500 ml

50 L

100 L

500 L

Misturar completamente.

Ajustar o sistema doseador a 10%.

Ligar o sistema doseador.

Aviso: Soluções com concentrações superiores a 1,2 g de florfenicol por litro podem precipitar.

O consumo de água medicada depende de vários fatores incluindo o estado clínico dos animais e as

condições locais, tais como a temperatura ambiente e humidade. De forma a obter a dose correta, o

consumo de água tem de ser monitorizado e a concentração de florfenicol tem de ser ajustada em

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 12 de 14

conformidade. Se, contudo, não for possível a obtenção de um consumo de água suficiente, os animais

devem ser tratados por via parentérica.

12.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Intervalo de segurança: Carne e vísceras: 20 dias.

13.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE CONSERVAÇÃO

Conservar a temperatura inferior a 25

Não utilizar depois de expirado o prazo de validade indicado no rótulo depois de EXP. A validade

refere-se ao último dia do mês.

14.

ADVERTÊNCIAS ESPECIAIS

Advertências especiais para cada espécie-alvo

Os suínos tratados devem ser colocados sob observação especial. Em cada um dos cinco dias de

tratamento, a água de bebida não medicada não deve ser disponibilizada até que a quantidade diária

total de água de bebida medicada tenha sido consumida pelos suínos.

Se não se verificar sinais de melhoria após três dias de tratamento, o diagnóstico deve ser reavaliado e,

se necessário, alterar o tratamento.

Em caso de consumo insuficiente de água, os animais devem ser tratados por via parentérica.

Precauções especiais para utilização em animais

O medicamento veterinário deve ser administrado com base em testes de sensibilidade das bactérias

isoladas do animal.

administração do

medicamento

veterinário

fora

indicações

RCMV

pode

aumentar

prevalência de bactérias resistentes ao florfenicol.

Devem

tomadas

consideração

políticas

antimicrobianas

oficiais

locais

quando

medicamento veterinário é administrado.

O tratamento não deve exceder 5 dias.

Precauções especiais a adotar pela pessoa que administra o medicamento aos animais

Este

medicamento

veterinário

pode

causar

hipersensibilidade.

pessoas

conhecida

hipersensibilidade

florfenicol

algum

excipientes

devem

evitar

contacto

medicamento veterinário.

O contato do medicamento veterinário ou da água de bebida medicada com a pele e os olhos deve ser

evitado.

Durante o manuseamento do medicamento veterinário ou aquando da sua mistura deve ser usado

equipamento de proteção individual, consistindo de luvas de proteção homologadas, fato-macaco de

trabalho e óculos de segurança.

Em caso de derrame acidental nos olhos, lave-os imediatamente com água. Em caso de contacto com a

pele, lave imediatamente a área afetada e tire a roupa contaminada.

Se desenvolver sintomas após exposição, como erupção cutânea, dirija-se imediatamente um médico e

mostre-lhe o folheto informativo ou o rótulo.

Não fumar, comer ou beber ao manusear o medicamento veterinário ou ao misturar a água de bebida

medicada.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 13 de 14

Outras precauções

De forma a prevenir quaisquer efeitos adversos sobre as algas e uma possível contaminação das águas

subterrâneas, o estrume proveniente de suínos tratados não deve ser espalhado na terra sem diluição

com o estrume de suínos não tratados. O estrume de suínos tratados deve ser diluído em pelo menos 5

vezes o peso de estrume de suínos não tratados antes que possa ser espalhado sobre a terra arável.

Gestação e lactação

Estudos realizados em animais de laboratório não revelaram qualquer evidência de potenciais efeitos

embriotóxicos ou fetotóxicos causados pelo florfenicol.

A segurança do medicamento veterinário não foi estabelecida em porcas durante a gestação e lactação.

A administração não é recomendada durante a gestação e lactação.

Interações medicamentosas e outras formas de interação

Não existem dados disponíveis.

Sobredosagem (sintomas, procedimentos de emergência, antídotos)

Em caso de sobredosagem, podem ser observados uma diminuição do ganho de peso, do consumo de

água e de alimento, eritema e edema peri-anal e alteração de alguns parâmetros hematológicos e

bioquímicos indicativos de desidratação.

Incompatibilidades

Na ausência de estudos de compatibilidade, este medicamento veterinário não deve ser misturado com

outros.

15.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE ELIMINAÇÃO DO MEDICAMENTO NÃO

UTILIZADO OU DOS SEUS DESPERDÍCIOS, SE FOR CASO DISSO

O medicamento veterinário não utilizado ou os seus desperdícios devem ser eliminados de acordo com a

legislação em vigor.

Não deve ser permitido que o medicamento veterinário entre nos cursos de água, porque pode constituir

perigo para os organismos aquáticos.

16.

DATA DA ÚLTIMA APROVAÇÃO DO FOLHETO INFORMATIVO

Abril de 2019.

17.

OUTRAS INFORMAÇÕES

Apresentações: Frascos de 500 ml e 1L e embalagens de 5L.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

18.

MENÇÃO “EXCLUSIVAMENTE PARA USO VETERINÁRIO” E CONDIÇÕES OU

RESTRIÇÕES RELATIVAS AO FORNECIMENTO E À UTILIZAÇÃO, se for caso

disso

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em abril de 2019

Página 14 de 14

USO VETERINÁRIO

Uso veterinário - medicamento veterinário sujeito a receita médico-veterinária.

19.

MENÇÃO “MANTER FORA DA VISTA E DO ALCANCE DAS CRIANÇAS”

Manter fora da vista e do alcance das crianças.

20.

PRAZO DE VALIDADE

EXP {mês/ano}

Prazo de validade após diluição de acordo com as instruções: 24 horas.

Prazo de validade após a primeira abertura do acondicionamento primário: 3 meses.

Após a primeira abertura, administrar até………

21.

NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

795/01/14DFVPT

22.

NÚMERO DO LOTE DE FABRICO

Lote {número}

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação