Fosrenol 1000 mg Pó oral

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Carbonato de lantânio
Disponível em:
Shire Pharmaceuticals (Ireland) Limited
Código ATC:
V03AE03
DCI (Denominação Comum Internacional):
Lanthanum carbonate
Dosagem:
1000 mg
Forma farmacêutica:
Pó oral
Composição:
Carbonato de lantânio hidratado 1908 mg
Via de administração:
Via oral
Classe:
12.7.1 - Fixadores de fósforo
Tipo de prescrição:
MSRM Medicamento sujeito a receita médica
Grupo terapêutico:
N/A
Área terapêutica:
lanthanum carbonate
Indicações terapêuticas:
Duração do Tratamento: Curta ou Média Duração
Resumo do produto:
Saqueta 90 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5579313 CNPEM: 50138430 CHNM: 10112396 Grupo Homogéneo: N/A
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
SE/H/0481/006/DC
Data de autorização:
2013-09-02

Leia o documento completo

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Fosrenol 750 mg pó oral

Fosrenol 1000 mg pó oral

lantânio

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois

contém informação importante para si.

- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente. - Caso ainda

tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

- Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O

medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de

doença.

- Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Ver secção 4.

O que contém este folheto:

1.O que é Fosrenol e para que é utilizado

2.O que precisa de saber antes de tomar Fosrenol

3.Como tomar Fosrenol

4.Efeitos secundários possíveis

5.Como conservar Fosrenol

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

1.O que é Fosrenol e para que é utilizado

Fosrenol é utilizado para reduzir o nível de fosfatos no sangue de doentes adultos

com doença dos rins crónica.

Os doentes cujos rins não funcionam adequadamente não conseguem controlar o

nível de fosfatos no sangue. Assim, a quantidade de fosfatos presente no sangue

aumenta (o seu médico pode designar esta situação como hiperfosfatemia).

Fosrenol é um medicamento que reduz a absorção de fosfatos, que o organismo

retira dos alimentos, por ligação ao tubo digestivo. O fosfato ligado a Fosrenol não

pode ser absorvido através da parede intestinal.

2.O que precisa de saber antes de tomar Fosrenol

Não tome Fosrenol

- se tem alergia ao carbonato de lantânio hidratado ou a qualquer outro componente

deste medicamento (indicados na secção 6).

- se tem um nível muito reduzido de fosfatos no sangue (hipofosfatemia).

Advertências e precauções

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Fosrenol

se tiver conhecimento de que tem ou já teve algum dos seguintes:

- cancro do estômago ou intestino

- doença intestinal inflamatória incluindo colite ulcerosa ou doença de Crohn- cirurgia

abdominal ou infeção ou inflamação do abdómen/intestino (peritonite)

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

- úlceras do estômago ou intestino

- bloqueio dos intestinoss ou motilidade lenta (movimentos lentos) nos intestinos

(por exemplo, prisão de ventre e complicações de estômago causadas por diabetes)

- funções do fígado ou dos rins reduzidas.

Se tiver a função dos rins diminuída, o seu médico poderá decidir verificar o seu

nível de cálcio no sangue de vez em quando.

Se tiver de fazer uma radiografia, informe o seu médico de que está a tomar

Fosrenol, pois este poderá afetar os resultados.

Outros medicamentos e Fosrenol

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado

recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

Fosrenol pode afetar a forma como certos medicamentos são absorvidos no tubo

digestivo. Se estiver a tomar cloroquina (para o reumatismo e malária), cetoconazol

(para infeções fúngicas), os antibióticos tetraciclina ou doxiciclina, não deve tomá-los

nas duas horas anteriores ou seguintes à toma de Fosrenol.

Não é recomendada a toma de antibióticos orais à base de floxacinas (incluindo a

ciprofloxacina) nas duas horas anteriores ou nas quatro horas seguintes à toma de

Fosrenol.

Se estiver a tomar levotiroxina (no caso de ter uma tiroide pouco ativa), esta deve

ser tomada duas horas antes ou depois de tomar Fosrenol. O seu médico pode

querer vigiar mais atentamente os níveis da hormona estimulante da tiroide (TSH)

no sangue.

Fosrenol com alimentos e bebidas

Fosrenol deve ser tomado com alimentos ou imediatamente após as refeições. Ver

secção 3 para instruções sobre como tomar Fosrenol.

Gravidez e amamentação

Fosrenol não deve ser utilizado durante a gravidez. Se está grávida ou a amamentar,

se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o seu médico ou farmacêutico

antes de tomareste medicamento.

Como se desconhece se o medicamento pode passar para a criança através do leite

materno, não deve amamentar enquanto estiver a tomar Fosrenol. Se estiver a

amamentar, consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer

medicamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Tonturas e vertigens (uma sensação de tontura ou de “a andar à roda”) são efeitos

secundários pouco frequentes, notificados por doentes que estão a tomar Fosrenol.

Se sentir alguns destes efeitos secundários, a sua capacidade para conduzir ou

operar máquinas poderá ser afetada.

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

Fosrenol contém glucose

Se foi informado pelo seu médico que tem intolerância a alguns açúcares, contacte-o

antes de tomar este medicamento.

3.Como tomar Fosrenol

Tome este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o seu

médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Deve

tomar

Fosrenol

alimentos

imediatamente

após

refeições.

ocorrência de efeitos secundários, como náuseas e vómitos, é mais provável se

tomar Fosrenol antes das refeições.

Fosrenol pó oral pode ser misturado com alimentos moles (por exemplo, puré de

maçã ou outro alimento similar) e depois ingerido. Não é necessário ingerir mais

líquido.

Não abra a saqueta a não ser para a utilizar de imediato. Misture todo o conteúdo da

saqueta em 1-2 colheres de sopa cheias de alimentos moles, certificando-se de que

toda a dose é misturada no alimento. Certifique-se de que a mistura do pó

oral/alimento é ingerida de imediato (no prazo de 15 minutos). Nunca guarde uma

mistura de pó oral/alimento para utilizar mais tarde.

O seu médico dir-lhe-á quantas saquetas de pó oral deve tomar em cada refeição (a

sua dose diária pode ser repartida pelas refeições). O número de saquetas que irá

tomar depende:

- Da sua dieta (a quantidade de fosfatos presente nos alimentos que ingere)

- Do seu nível de fosfatos no sangue

Antes de começar a tomar Fosrenol pó oral, o seu médico pode utilizar Fosrenol

comprimidos para mastigar para determinar a dose correta. Fosrenol comprimidos

para mastigar está disponível em várias dosagens, o que permite aumentos de dose

mais suaves. A dose inicial dos comprimidos para mastigar é normalmente 250 mg,

três vezes ao dia, à refeição. A sua dose de pó oral deve ser provavelmente 750 ou

1000 mg, três vezes ao dia, à refeição. A cada 2-3 semanas, o seu médico verificará

o nível de fosfatos no sangue e, depois, poderá aumentar a sua dose até o nível de

fosfatos no seu sangue for aceitável e regular.

Fosrenol atua ao ligar-se aos fosfatos dos alimentos, no seu intestino. É muito

importante que tome Fosrenol a todas as refeições. Se alterar a sua dieta, contacte

o seu médico, porque pode precisar de tomar mais Fosrenol. O seu médico dir-lhe-á

o que fazer neste caso.

Se tomar mais Fosrenol do que deveria

Se tomar demasiado Fosrenol, contacte o seu médico para avaliar o risco e obter

aconselhamento. Os sintomas de sobredosagem podem ser náuseas e dores de

cabeça.

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

Caso se tenha esquecido de tomar Fosrenol

É importante que tome Fosrenol a todas as refeições.

Caso se esqueça de tomar a sua dose de Fosrenol, tome a dose seguinte na próxima

refeição. Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu

de tomar.

4.Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários,

embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Alguns efeitos secundários podem ser graves. Se tiver algum dos seguintes efeitos

secundários, procure imediatamente um médico:

Rutura da parede intestinal (os sinais incluem: dor intensa no estômago, arrepios,

febre, náuseas, vómitos ou uma sensação dolorosa no abdómen). Este é um efeito

secundário raro (pode afetar até 1 em cada 1.000 pessoas).

Bloqueio do intestino (os sinais incluem: distensão abdominal grave, dor, inchaço ou

cólicas abdominais,

prisão de

ventre

grave). Este

um efeito

secundário pouco

frequente (pode afetar até 1 em cada 100 pessoas).

Contacte o seu médico se tiver prisão de ventre ou se esta for grave, pois pode ser

um sinal precoce de efeitos secundários graves. A prisão de ventre é um efeito

secundário frequente (pode afetar 1 em cada 10 pessoas).

Outros efeitos secundários menos graves incluem os seguintes:

Efeitos secundários muito frequentes (podem afetar mais de 1 em 10 pessoas):

- Náuseas, vómitos, diarreia, dor de estômago, dor de cabeça, comichão, erupção

cutânea

Efeitos secundários frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas):

- Azia, flatulência

- Hipocalcemia (um nível muito baixo de cálcio no seu sangue) também é um efeito

secundário frequente; os sintomas podem incluir formigueiro nas mãos e pés,

cãibras ou espasmos musculares e abdominais dos músculos da face e dos pés.

Efeitos secundários pouco frequentes (podem afetar até 1 em 100 pessoas):

- Fadiga; sensação de desconforto; dor no peito, fraqueza; mãos e pés inchados;

dores no corpo; tonturas; vertigens; arrotos; inflamação do estômago e intestinos

(gastroenterite); indigestão; síndrome do intestino irritável; boca seca; perturbações

dentárias; inflamação da garganta ou boca; diarreia, aumento de algumas enzimas

do fígado, hormona paratiroideia, alumínio, cálcio e glicose no sangue; aumento ou

redução

nível

fosfatos

sangue;

sede;

perda

peso;

dores

articulações; dores musculares; fraqueza e adelgaçamento dos ossos (osteoporose);

falta e aumento do apetite; inflamação da laringe; queda de cabelo; aumento da

sudação; perturbações do paladar e aumento da contagem de glóbulos brancos.

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Também poderá comunicar efeitos secundários diretamente (ver indicações abaixo).

Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre

a segurança deste medicamento.

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

Sítio da internet: http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram

E-mail:

farmacovigilancia@infarmed.pt

5.Como conservar Fosrenol

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem

exterior e nas saquetas apósVAL. O prazo de validade corresponde ao último dia do

mês indicado.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico.

Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza.

Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de Fosrenol

Cada saqueta contém 750 mg de lantânio (como carbonato de lantânio hidratado).

Cada saqueta contém 1000 mg de lantânio (como carbonato de lantânio hidratado).

Os outros componentes são dextratos (hidratados), sílica anidra coloidal e estearato

de magnésio.

Qual o aspeto de Fosrenol e conteúdo da embalagem

Este medicamento apresenta-se como um pó oral branco a esbranquiçado numa

saqueta.

As saquetas apresentam-se numa embalagem de 90 saquetas. (A caixa contém

9 embalagens de 10 saquetas).

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

Shire Pharmaceuticals Ireland Limited, Block 2 & 3 Miesian Plaza, 50 – 58 Baggot

Street Lower, Dublin 2, Ireland.

Tel: +44(0)1256 894 959

E-mail: medinfoEMEA@shire.com

Fabricante:

Catalent Germany Schorndorf GmbH, Steinbeisstrasse e und 2, Schorndorf, Baden-

Wuerttemberg, 73614, Alemanha.

Para

quaisquer

informações

sobre

este

medicamento,

queira

contactar

representante local do Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

Shire Pharmaceuticals Portugal Lda.

Edif. Liberdade 225, Rua Rosa Araújo, nº2 – 6º Dtº

1250-195 Lisboa, Portugal

Este

medicamento

encontra-se

autorizado

Estados

Membros

Espaço

Económico Europeu (EEE) com os seguintes nomes:

Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Dinamarca, Eslováquia,

Eslovénia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Hungria,

Islândia, Letónia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Polónia,

Portugal, Reino Unido, República Checa, Roménia, Suécia

Fosrenol

Irlanda, Itália, Malta

Foznol

Este folheto foi revisto pela última vez em: XX/2019

Leia o documento completo

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1.NOME DO MEDICAMENTO

Fosrenol 1000 mg pó oral.

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada saqueta contém 1000 mg de lantânio (como carbonato de lantânio hidratado).

Excipiente(s) com efeito conhecido:

Cada saqueta contém igualmente 855,6 mg de dextratos, contendo glucose.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Pó oral.

Pó branco a esbranquiçado.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

Fosrenol é indicado como agente fixador de fosfatos para utilizar no controlo da

hiperfosfatemia em doentes adultos com insuficiência renal crónica sujeitos a

hemodiálise

diálise

peritoneal

contínua

ambulatório

(DPCA).

Fosrenol

também é indicado para doentes adultos com uma doença renal crónica, que não

façam diálise, cujos valores séricos de fosfatos sejam

1,78 mmol/l e em quem

apenas uma dieta pobre em fosfatos seja insuficiente para controlar os valores

séricos de fosfatos.

4.2 Posologia e modo de administração

Fosrenol destina-se a administração oral.

Fosrenol pó oral deve ser misturado com uma pequena quantidade de alimentos

moles (por exemplo, puré de maçã ou outro alimento similar) e consumido de

imediato (no prazo de 15 minutos). A saqueta a não deve ser aberta antes da

utilização. Uma vez misturado com alimentos, Fosrenol pó oral não pode ser

conservado para uma utilização futura. Fosrenol pó oral é insolúvel e não deve ser

dissolvido em líquido para administração.

Adultos, incluindo idosos (>65 anos)

Fosrenol deve ser tomado com ou imediatamente após a ingestão de alimentos, com

a dose diária dividida entre as refeições. Os doentes devem cumprir as dietas

recomendadas de modo a controlar a ingestão de líquidos e de fosfatos. Fosrenol

apresenta-se sob a forma de pó oral, destinado a ser misturado com alimentos

moles, evitando-se assim a necessidade de ingestão de líquidos adicionais. Os níveis

séricos de fosfatos devem ser monitorizados e a dose de Fosrenol deve ser titulada

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

em intervalos de 2- 3 semanas até à obtenção de níveis aceitáveis de fosfatos, com

uma monitorização regular subsequente. A titulação da dose pode ser feita com

comprimidos para mastigar, pois estão disponíveis diversas dosagens o que permite

aumentos de dose mais suaves.

O controlo do nível sérico de fosfatos foi demonstrado com doses a partir dos

750 mg por dia. A dose máxima analisada em estudos clínicos, num número limitado

de doentes, é de 3.750 mg. Os doentes que reajam à terapêutica com lantânio

obtêm normalmente níveis séricos de fosfatos aceitáveis com doses de 1.500 a

3.000 mg de lantânio por dia

População pediátrica

A segurança e eficácia de Fosrenol em crianças e adolescentes com idade inferior a

18 anos não foram estabelecidas (ver secções 4.4 e 5.1).

Compromisso hepático

O efeito do compromisso hepático na farmacocinética de Fosrenol não foi avaliado.

Devido ao seu mecanismo de ação e à falta de metabolismo hepático, as doses em

caso de compromisso hepático não devem ser alteradas, mas os doentes devem ser

cuidadosamente monitorizados (ver secções 4.4 e 5.2).

4.3 Contraindicações

Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes mencionados

na secção 6.1.

Hipofosfatemia.

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Em estudos efetuados com Fosrenol em animais, foi demonstrada deposição

tecidular de lantânio. Em 105 biopsias ósseas de doentes tratados com Fosrenol, em

alguns até 4,5 anos, níveis crescentes de lantânio foram observados ao longo do

tempo (ver a secção 5.1). Foram notificados casos de deposição de lantânio na

mucosa gastrointestinal, principalmente após a utilização prolongada. Desconhece-se

o significado clínico deste achado.

A utilização de Fosrenol em ensaios clínicos além dos dois anos é atualmente

limitada. Contudo, o tratamento de indivíduos com Fosrenol até 6 anos não

demonstrou alterações do perfil benefícios/riscos.

Foram notificados casos de obstrução gastrointestinal, íleo, sub-íleo e de perfuração

gastrointestinal em associação com lantânio, alguns dos quais exigiram cirurgia ou

hospitalização (ver secção 4.8).

Tomar

precauções

todos

doentes

predisposição

para

obstrução

gastrointestinal (gastrointestinal, íleo, sub-íleo e perfuração; por exemplo, aqueles

com anatomia gastrointestinal alterada (p. ex., doença diverticular, peritonite,

antecedentes

cirurgia

gastrointestinal,

cancro

gastrointestinal

ulceraças

gastrointestinais), perturbações de hipomotilidade (p. ex., obstipação, gastroparesia

diabética) e quando utilizado com medicamentos que se sabe potenciarem estes

efeitos.

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

Durante o tratamento com carbonato de lantânio, os médicos e doentes devem

permanecer

vigilantes

para

sinais

sintomas

distúrbios

gastrointestinais,

especialmente obstipação e dor/distensão abdominal o que pode indicar obstrução

intestinal, íleo ou sub-íleo.

O tratamento com carbonato de lantânio deve ser reavaliado em doentes que

desenvolvem obstipação grave ou outros sinais e sintomas gastrointestinais graves.

Os doentes com insuficiência renal podem desenvolver hipocalcemia. Fosrenol não

contém cálcio. Por conseguinte, os níveis séricos do cálcio devem ser monitorizados

em intervalos temporais regulares para esta população de doentes, procedendo-se à

administração dos suplementos adequados.

O lantânio não é metabolizado pelas enzimas hepáticas, mas é muito provável que

seja excretado na bílis. As condições que resultam numa redução acentuada do fluxo

biliar podem estar associadas a uma eliminação cada vez mais lenta do lantânio, o

pode

traduzir-se

níveis

plasmáticos

superiores

deposição

tecidular

acrescida de lantânio (ver secções 5.2 e 5.3). Como o fígado é o principal órgão de

eliminação do lantânio absorvido, é recomendada a monitorização das análises da

função hepática.

População pediátrica

segurança

eficácia

Fosrenol

não

foram

estabelecidas

crianças

adolescentes; não é recomendada a utilização neste grupo etário (ver secção 4.2).

A utilização de Fosrenol deve ser descontinuada, se for ocorrer hipofosfatemia.

As radiografias abdominais de doentes que tomem carbonato de lantânio podem

apresentar um aspeto rádio-opaco, típico de um agente de imagiologia.

Doentes com problemas raros de má absorção de glucose-galactose não devem

tomar este medicamento.

4.5 Interações medicamentosas e outras formas de interação

O carbonato de lantânio hidratado pode aumentar o pH gástrico. É recomendado que

os compostos, conhecidos por interagir com antiácidos, não sejam administrados nas

2 horas anteriores e posteriores à administração de Fosrenol (como por exemplo,

cloroquina, hidroxicloroquina e cetoconazol).

Em indivíduos saudáveis, a absorção e a farmacocinética do lantânio não foram

influenciadas pela administração concomitante de citrato.

Nos estudos clínicos, os níveis séricos das vitaminas lipossolúveis A, D, E e K não

foram influenciados pela administração de Fosrenol.

Estudos

realizados

voluntários

humanos

saudáveis

demonstram

administração concomitante de Fosrenol com digoxina, varfarina ou metoprolol não

produz

alterações

clinicamente

relevantes

perfis

farmacocinéticos

destes

fármacos.

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

Num modelo de simulação de suco gástrico, o carbonato de lantânio hidratado não

formou

complexos

insolúveis

varfarina,

digoxina,

furosemida,

fenitoína,

metoprolol ou enalapril, o que sugere um baixo potencial para afetar a absorção

destes fármacos.

No entanto, as interações com certos fármacos, tais como a tetraciclina e doxiciclina,

são teoricamente possíveis e, caso se pretenda administrar concomitantemente estes

compostos, é recomendado que não sejam tomados nas 2 horas anteriores e

posteriores à administração de Fosrenol.

A biodisponibilidade da ciprofloxacina oral foi reduzida me quase 50% quando foi

tomada

Fosrenol

estudo

dose

única

realizado

voluntários

saudáveis. É recomendado que as formulações de floxacina oral sejam tomadas pelo

menos 2 horas antes ou 4 horas depois de Fosrenol.

Foi demonstrado que os fixadores de fosfatos (incluindo o Fosrenol) reduzem a

absorção da levotiroxina. Por conseguinte, a terapêutica hormonal de substituição da

tiroide não deve ser tomada nas 2 horas anteriores ou posteriores à administração

do Fosrenol e é recomendada uma monitorização cuidadosa dos valores da TSH em

doentes tratados com os dois medicamentos.

O carbonato de lantânio hidratado não é um substrato para o citocromo P450 e não

inibe significativamente as atividades das isoenzimas major do citocromo P450

humano, CYP1A2, CYP2D6, CYP3A4, CYP2C9 ou CYP2C19 in vitro.

4.6 Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

Não existem dados suficientes sobre a utilização de Fosrenol em mulheres grávidas.

Um estudo efetuado em ratos demonstrou fetotoxicidade reprodutora (atraso da

abertura dos olhos e da maturação sexual) e peso reduzido nas crias com a

administração de doses elevadas (ver secção 5.3). Desconhece-se o risco potencial

para os seres humanos. Fosrenol não é recomendado durante a gravidez.

Amamentação

Desconhece-se se o lantânio é excretado no leite humano. A excreção do lantânio no

leite não foi estudada em animais. A decisão de continuar ou interromper a

amamentação ou a terapêutica com Fosrenol deve ser tomada com cuidado, tendo

em consideração os potenciais benefícios da amamentação com leite materno para a

criança e o potencial benefício da terapêutica com Fosrenol para a mãe lactante.

Fertilidade

Em relação à fertilidade, não existem dados disponíveis sobre a utilização de

carbonato de lantânio em humanos. Em estudos toxicológicos realizados com ratos,

o carbonato de lantânio não teve quaisquer efeitos adversos na fertilidade.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Fosrenol pode causar tonturas e vertigens, o que pode incapacitar a capacidade de

conduzir e utilizar máquinas.

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

4.8 Efeitos indesejáveis

A segurança do carbonato de lantânio para utilização em doentes foi avaliada em

inúmeros estudos clínicos. As reações medicamentosas adversas notificadas mais

frequentemente, à exceção da cefaleia e das reações cutâneas alérgicas, são de

caráter gastrointestinal. Estas são minimizadas pela administração de Fosrenol com

alimentos

intensidade

diminui

normalmente com

tempo

continuação da administração (ver secção 4.2).

Foi utilizada a seguinte convenção para a frequência das reações medicamentosas

adversas: muito frequentes (≥1/10); frequentes (≥1/100, <1/10); pouco frequentes

(≥1/1.000,

<1/100);

raros

(≥1/10.000,

<1/1.000);

muito

raros

(<1/10.000),

desconhecido (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis).

Infeções e infestações

Pouco frequentes

Gastroenterite, laringite

Doenças do sangue e do sistema

linfático

Pouco frequentes

Eosinofilia

Doenças endócrinas

Pouco frequentes

Hiperparatiroidismo

Doenças

metabolismo

nutrição

Frequentes

Hipocalcemia

Pouco frequentes

Hipercalcemia,

hiperglicemia,

hiperfosfatemia,

hipofosfatemia,

anorexia,

aumento do apetite

Doenças do sistema nervoso

Muito frequentes

Cefaleia

Pouco frequentes

Tonturas, alteração no paladar

Afeções do ouvido e do labirinto

Pouco frequentes

Vertigens

Doenças gastrointestinais*

Muito frequentes

Dor abdominal, diarreia, náuseas, vómitos

Frequentes

Obstipação, dispepsia, flatulência

Pouco frequentes

Íleo, sub-íleo, obstrução intestinal, síndrome

do cólon irritável, esofagite, estomatite,

fezes

soltas,

indigestão,

doença

gastrointestinal (não especificado de outra

forma),

xerostomia,

anomalia

dentária,

eructação

Raros

Perfuração intestinal

Afeções

tecidos

cutâneos

subcutâneos

Pouco frequentes

Alopecia, aumento da sudação

Afeções musculosqueléticas e dos

tecidos conjuntivos

Pouco frequentes

Artralgia, mialgia, osteoporose

Perturbações gerais e alterações no

local de administração

Pouco frequentes

Astenia, dor no peito, fadiga, mal-estar,

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

edema periférico, dor, sede.

Exames

complementares

diagnóstico

Pouco frequentes

Alumínio no sangue aumentado, aumento

GGT,

aumentos

transamínases

hepáticas, aumento dos níveis de fosfatase

alcalina, diminuição do peso.

ensaio

clínico

realizado

indivíduos

saudáveis,

incidência

acontecimentos adversos gastrointestinais foi mais elevada após a administração de

Fosrenol sob a forma farmacêutica de pó oral (13 indivíduos, 18,3%) do que de

comprimidos para mastigar (4 indivíduos, 6,6%).

Experiência

pós-comercialização:

Durante

utilização

Fosrenol

período

posterior à aprovação, foram comunicados casos de reações alérgicas cutâneas

(incluindo erupções cutâneas, urticária e prurido) que indicam uma relação temporal

próxima com a terapêutica com carbonato de lantânio. Em ensaios clínicos, foram

observadas reações alérgicas cutâneas tanto no grupo de Fosrenol como no grupo do

placebo/comparador ativo com uma frequência de muito frequentes (≥1/10).

Embora tenham sido notificadas muitas outras reações isoladas, nenhuma foi

considerada como inesperada nesta população de doentes.

Foram observadas alterações transitórias do QT, mas estas não estiveram associadas

a um aumento dos acontecimentos adversos cardíacos.

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é

importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-

risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer

suspeitas de reações adversas através do sistema nacional de notificação:

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

Sítio da internet: http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

4.9 Sobredosagem

Não foi notificado qualquer caso de sobredosagem. A dose diária mais elevada de

lantânio, administrada em voluntários saudáveis, durante os estudos de Fase I foi de

4.718 mg, administrada durante 3 dias. Os acontecimentos adversos observados

foram ligeiros a moderados e incluíram náuseas e cefaleia.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

Grupo

farmacoterapêutico:

12.7.1

Corretivos

volémia

alterações

eletrolíticas. Medicamentos captadores de iões. Fixadores de fósforo. Código ATC:

V03A E03

Fosrenol contém carbonato de lantânio hidratado. A atividade de carbonato de

lantânio hidratado como fixador de fosfatos depende da elevada afinidade dos iões

de lantânio, que são libertados a partir do sal de carbonato no ambiente ácido do

estômago para os fosfatos da dieta. Forma-se fosfato de lantânio insolúvel, que

reduz a absorção de fosfatos no trato gastrointestinal.

Em indivíduos saudáveis, a quem foi administrado Fosrenol 3 vezes por dia, durante

3 dias, sob a forma de pó oral ou comprimidos para mastigar, concluiu-se que

Fosrenol

oral

equivalente

termos

farmacodinâmicos

Fosrenol

comprimidos para mastigar, com base na excreção de fosfatos na urina.

Informações de estudos realizados com comprimidos para mastigar

Um total de 1.130 doentes com insuficiência renal crónica tratado com hemodiálise

de manutenção ou DPCA foi avaliado em dois estudos de fase II e em dois estudos

de fase III. Três estudos foram controlados por placebo (1 com esquema de dose

fixa e 2 com esquema de titulação de dose) e um incluiu carbonato de cálcio como

comparador ativo. Durante estes estudos, 1.016 doentes receberam carbonato de

lantânio, 267 receberam carbonato de cálcio e 176 receberam placebo.

Dois estudos randomizados e controlados por placebo incluíram doentes sujeitos a

diálise, após uma lavagem dos anteriores aglutinantes de fosfato. Após a titulação de

carbonato de lantânio, para se obter um nível sérico de fosfato entre 1,3 e

1,8 mmol/l num estudo (doses até 2.250 mg/dia) ou <1,8 mmol/l num segundo

estudo (doses até 3.000 mg/dia), os doentes foram randomizados para receberem

carbonato de lantânio ou placebo como tratamento de manutenção. Depois da fase

randomização

controlada

placebo

duração

4 semanas,

concentração de fosfato no soro teve um aumento entre 0,5 e 0,6 mmol/l no grupo

do placebo, em ambos os estudos, relativamente aos doentes que continuaram com

a terapêutica com carbonato de lantânio. 61% dos doentes sujeitos ao tratamento

com carbonato de lantânio mantiveram a resposta, em comparação com os 23% dos

doentes com placebo.

O estudo realizado com o comparador ativo demonstrou que os níveis séricos de

fosfato foram reduzidos até níveis alvo de 1,8 mmol/l no fim do período de titulação

de 5 semanas em 51% do grupo de lantânio, em comparação com os 57% do grupo

do carbonato de cálcio. Na semana 25, a percentagem de doentes randomizados que

apresentava níveis séricos de fosfato controlados era semelhante nos dois grupos de

tratamento: 29% no grupo do lantânio e 30% no grupo do carbonato de cálcio

(adotando-se uma abordagem omissão=falha). Os níveis séricos médios de fosfato

foram reduzidos em quantidade semelhante nos dois grupos de tratamento.

Outros estudos de extensão a longo prazo demonstraram a manutenção da redução

de fosfato em alguns doentes após a administração contínua de carbonato de

lantânio durante, pelo menos, 2 anos.

estudos

comparativos,

foi notificada hipercalcemia

em 0,4%

doentes

tratados com Fosrenol comparativamente aos 20,2% dos doentes tratados com

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

compostos fixadores de cálcio. As concentrações séricas de PTH podem variar

dependendo dos níveis séricos de vitamina D, cálcio e fosfatos do doente. Fosrenol

não demonstrou quaisquer efeitos diretos sobre as concentrações séricas de PTH.

Nos estudos realizados a longo prazo e visando a vertente óssea, foi observada uma

tendência para o aumento das concentrações de lantânio nos ossos ao longo do

tempo na população de controlo, relativamente aos dados médios, com a mediana a

triplicar em relação ao ponto basal de 53

g/kg aos 24 meses. Nos doentes tratados

com carbonato de lantânio, a concentração de lantânio nos ossos aumentou durante

os primeiros 12 meses de tratamento com carbonato de lantânio até atingir uma

mediana de 1.328

g/kg (variação de 122-5.513

g/kg). As concentrações medianas

e as variações aos 18 e 24 meses foram semelhantes às observadas aos 12 meses.

A mediana aos 54 meses foi de 4.246

g/kg (variação de 1.673-9.792

g/kg).

As biopsias ósseas emparelhadas (no ponto basal e depois a um ou a dois anos),

realizadas em doentes randomizados para receberem Fosrenol ou carbonato de

cálcio num estudo e doentes randomizados para receberem Fosrenol ou uma

terapêutica

alternativa

segundo

estudo,

não

revelaram

diferenças

desenvolvimento dos defeitos de mineralização entre os grupos.

População pediátrica

A Agência Europeia de Medicamentos diferiu a obrigação de apresentação dos

resultados dos estudos com Fosrenol em um ou mais subgrupos da população

pediátrica no tratamento da hiperfosfatemia. Ver secção 4.2 para informação sobre

utilização pediátrica.

Propriedades farmacocinéticas

Como a fixação entre lantânio e o fósforo alimentar ocorre no lúmen gástrico e do

intestino delgado superior, a eficácia terapêutica de Fosrenol não depende dos níveis

de lantânio no plasma.

O lantânio está presente no ambiente. A medição dos níveis basais em doentes com

insuficiência renal crónica não tratados com carbonato de lantânio hidratado durante

os ensaios clínicos de Fase III revelou concentrações <0,05 a 0,90 ng/ml no plasma

e < 0,006 a 1,0 µg/g em amostras de biopsia óssea.

Absorção

Em indivíduos saudáveis a quem foi administrado Fosrenol, 3 vezes ao dia, durante

3 dias, sob a forma de pó oral ou comprimidos para mastigar, a exposição sistémica

ao lantânio (com base na AUC0-48 e Cmax) foi aproximadamente 30% mais elevada

e mais variável após a administração de Fosrenol pó oral do que de Fosrenol

comprimidos

para

mastigar.

comparação

dados

obtidos

comprimidos para mastigar (ver abaixo), a exposição sistémica com o pó oral ainda

é compatível com uma biodisponibilidade absoluta <0,002%.

Informações de estudos realizados com comprimidos para mastigar

Carbonato

lantânio

hidratado

apresenta

baixa

solubilidade

água

(<0,01 mg/ml com um pH 7,5) e é minimamente absorvido após uma administração

oral. Calcula-se que a biodisponibilidade oral absoluta seja <0,002% no ser humano.

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

Em indivíduos saudáveis, a AUC e Cmax plasmáticas aumentaram em função da

dose, mas não de forma proporcional, após a administração de doses orais únicas de

250 a 1000 mg de lantânio, compatíveis com uma absorção limitada pela dissolução.

A aparente semivida de eliminação plasmática em indivíduos saudáveis foi de

36 horas.

Em doentes renais submetidos a diálise, tratados com 1.000 mg de lantânio, 3 vezes

ao dia, durante 10 dias, a concentração plasmática máxima média (

dp) foi de 1,06

1,04) ng/ml e a AUClast média foi de 31,1 (

40,5) ng.h/ml. Uma monitorização

regular dos níveis sanguíneos, efetuada em 1.707 doentes renais submetidos a

diálise e tratados com carbonato de lantânio durante um período máximo de 2 anos,

não revelou qualquer aumento nas concentrações plasmáticas de lantânio durante

este período de tempo.

Distribuição

O lantânio não se acumula no plasma de doentes ou animais, após administração

oral repetida de carbonato de lantânio hidratado. A pequena fração absorvida de

lantânio administrado por via oral tem uma grande ligação às proteínas plasmáticas

(>99,7%) e, em estudos realizados com animais, apresentou uma ampla distribuição

tecidos

sistémicos,

predominantemente

osso,

fígado

trato

gastrointestinal, incluindo os gânglios linfáticos mesentéricos. Em estudos de longa

duração realizados em animais, as concentrações de lantânio em vários tecidos,

incluindo no trato gastrointestinal, no osso e no fígado, aumentaram com o decorrer

do tempo para níveis superiores, em várias ordens de magnitude, aos registados no

plasma. Um aparente nível de lantânio em estado de equilíbrio foi atingido em certos

tecidos, como por exemplo, no fígado, enquanto os níveis no trato gastrointestinal

aumentaram com a duração do tratamento. As alterações nos níveis de lantânio nos

tecidos, após a retirada do tratamento, variaram consoante o tipo de tecido. Uma

proporção relativamente elevada de lantânio foi retida nos tecidos durante mais de

6 meses após a cessação da administração [% mediana retida no osso

100% (rato)

87% (cão) e no fígado

6% (rato) e

82% (cão). Não foram observados

quaisquer efeitos adversos associado à deposição tecidular do lantânio, nos estudos

de longa duração realizados em animais com doses orais elevadas de carbonato de

lantânio (ver 5.3). (Ver secção 5.1 para informações relativas a alterações nas

concentrações de lantânio observadas nas biopsias ósseas, realizadas em doentes

renais submetidos a diálise, depois de um ano de tratamento com lantânio versus

fixadores de fosfatos contendo cálcio).

Biotransformação

O lantânio não é metabolizado.

Não

foram

realizados

estudos

doentes

insuficiência

renal

crónica

compromisso

hepático

concomitantes.

doentes

problemas

hepáticos

coexistentes no momento da entrada nos estudos clínicos de Fase III, não houve

qualquer indício de aumento da exposição plasmática ao lantânio ou agravamento da

função hepática após o tratamento com Fosrenol durante períodos máximos até

2 anos.

Eliminação

O lantânio é predominantemente excretado nas fezes, sendo apenas 0,000031% de

uma dose oral excretada na urina em indivíduos saudáveis (depuração renal de

aproximadamente 1 ml/min, representando <2% da depuração plasmática total).

APROVADO EM

06-07-2018

INFARMED

Após administração por via intravenosa em animais, o lantânio é predominantemente

excretado nas fezes (74% da dose), tanto através da bílis como por transferência

direta através da parede gastrointestinal. A excreção renal foi uma via pouco

relevante.

Dados de segurança pré-clínica

Os dados não clínicos não revelam riscos especiais para o ser humano, segundo

estudos convencionais de farmacologia de segurança, toxicidade de dose repetida,

fertilidade ou genotoxicidade.

O carbonato de lantânio hidratado reduziu a acidez gástrica no rato, num estudo de

farmacologia de segurança.

Em ratos que receberam doses elevadas de carbonato de lantânio hidratado, desde o

dia 6 da gestação até ao dia 20 pós-parto, não foi registrado qualquer efeito

materno, mas observou-se uma redução do peso das crias e atrasos nalguns

marcadores do desenvolvimento (abertura dos olhos e da vagina). Em coelhos que

receberam doses diárias elevadas de carbonato de lantânio hidratado durante a

gestação, observou-se toxicidade materna com redução da ingestão de alimentos e

do aumento de peso corporal, aumento das perdas pré- e pós-implantação e

diminuição do peso das crias.

O carbonato de lantânio hidratado não foi carcinogénico no ratinho ou no rato. No

ratinho, foi observado um aumento dos adenomas glandulares gástricos no grupo da

dose elevada (1.500 mg/kg/dia). Considera-se que a resposta neoplásica observada

ratinho

está

relacionada

exacerbação

alterações

gástricas

patológicas espontâneas e tem pouca relevância clínica.

Estudos realizados em animais demonstraram deposição de lantânio nos tecidos,

principalmente a nível do trato gastrointestinal, gânglios linfáticos mesentéricos,

fígado e osso (ver secção 5.2). No entanto, os estudos de longa duração realizados

em animais saudáveis não indicam qualquer perigo para o ser humano decorrente da

administração

Fosrenol.

Não

foram

realizados

estudos

específicos

imunotoxicidade.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista dos excipientes

Dextratos (hidratados)

Sílica coloidal anidra

Estearato de magnésio

6.2 Incompatibilidades

Não aplicável.

6.3 Prazo de validade

3 anos.

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação