Febuxostate Aristo 80 mg Comprimido revestido por película

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Febuxostate
Disponível em:
Aristo Pharma GmbH
Código ATC:
M04AA03
DCI (Denominação Comum Internacional):
Febuxostate
Dosagem:
80 mg
Forma farmacêutica:
Comprimido revestido por película
Composição:
Febuxostate 80 mg
Via de administração:
Via oral
Classe:
9.3 - Medicamentos usados para o tratamento da gota
Tipo de prescrição:
MSRM Medicamento sujeito a receita médica
Grupo terapêutico:
Genérico
Área terapêutica:
febuxostat
Indicações terapêuticas:
Duração do Tratamento: Longa Duração
Resumo do produto:
Blister 14 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5701909 CNPEM: 50113992 CHNM: 10093273 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 14 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5701925 CNPEM: 50113992 CHNM: 10093273 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 28 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5701875 CNPEM: 50113976 CHNM: 10093273 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 28 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5701933 CNPEM: 50113976 CHNM: 10093273 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 56 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5701917 CNPEM: 50113984 CHNM: 10093273 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 56 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5701941 CNPEM: 50113984 CHNM: 10093273 Grupo Homogéneo: N/A
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
PT/H/1899/001/MR
Data de autorização:
2017-01-06

Leia o documento completo

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

Folheto informativo: Informação para o utilizador

Febuxostate Aristo 80 mg comprimidos revestidos por película

Febuxostate Aristo 120 mg comprimidos revestidos por película

Febuxostate

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento,

pois contém informação importante para si.

- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

- Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

- Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O

medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de

doença.

- Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico farmacêutico. Ver secção 4.

O que contém este folheto:

1. O que é Febuxostate Aristo e para que é utilizado

2. O que precisa de saber antes de tomar Febuxostate Aristo

3. Como tomar Febuxostate Aristo

4. Efeitos secundários possíveis

5. Como conservar Febuxostate Aristo

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

1. O que é Febuxostate Aristo e para que é utilizado

Os comprimidos Febuxostate Aristo contêm a substância ativa febuxostate e são

utilizados para tratar a gota, a qual está associada a um excesso de um composto

químico chamado ácido úrico (urato) no organismo. Nalgumas pessoas, a quantidade

de ácido úrico acumula-se no sangue e pode tornar-se demasiado elevada para

permanecer solúvel. Quando isto acontece, podem formar-se cristais de urato à volta

das articulações e nos rins. Estes cristais podem causar dor súbita e intensa

vermelhidão e inchaço numa articulação (o que é conhecido como ataque de gota).

Se não for tratado, podem formar-se depósitos maiores, chamados tofos nas

articulações e em redor das mesmas. Estes tofos podem danificar as articulações e

os ossos.

O Febuxostate Aristo atua reduzindo os níveis de ácido úrico. Ao manter os níveis de

ácido úrico baixos com a toma de Febuxostate Aristo uma vez ao dia todos os dias,

impede a acumulação dos cristais e, ao longo do tempo, reduz os sintomas. Ao

manter os níveis de ácido úrico suficientemente baixos durante um período

suficientemente prolongado pode também diminuir o tamanho dos tofos.

Febuxostate Aristo 120 mg comprimidos é também usado para tratar e prevenir

níveis sanguíneos elevados de ácido úrico que podem ocorrer quando começa a

receber quimioterapia para cancros do sangue. Quando é administrada a

quimioterapia, as células cancerosas são destruídas e os níveis de ácido úrico no

sangue aumentam, a menos que a formação de ácido úrico seja evitada.

Febuxostate Aristo é para adultos.

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

2. O que precisa de saber antes de tomar Febuxostate Aristo

Não tome Febuxostate Aristo:

- se tem alergia ao febuxostate ou a qualquer outro componente deste medicamento

(indicados na secção 6).

Advertências e precauções

Fale com o seu médico antes de utilizar Febuxostate Aristo:

- Se tem, ou já teve, problemas de coração ou insuficiência cardíaca

- Se tem, ou já teve, doença renal e/ou reação alérgica grave ao alopurinol (um

medicamento usado para o tratamento da gota)

- Se tem, ou já teve, doença hepática (no fígado) ou anomalias nos testes de função

hepática

- Se está a fazer tratamento para os níveis elevados de ácido úrico em resultado de

síndrome de Lesch-Nyhan (uma doença rara heriditária em que há demasiado ácido

úrico no sangue)

- Se tem problemas de tiroide

Se river reações alérgicas ao Febuxostate Aristo, pare de tomar este medicamento

(ver também a secção 4). Possíveis sintomas de reações alérgicas podem ser:

- erupção na pele incluindo formas graves (ex. vesículas, nódulos, erupção com

comichão, esfoliativa), comichão;

- inchaço dos membros ou face;

- dificuldades em respirar;

- febre com nódulos linfáticos aumentados;

- mas também situações alérgicas com risco de vida com paragem cardíaca e

respiratória.

O seu médico pode decidir interromper definitivamente o tratamento com

Febuxostate Aristo.

Verificaram-se casos raros de erupções na pele com risco de vida (Síndroma de

Stevens-Johnson) com o uso de febuxostate, aparecendo inicialmente como manchas

avermelhadas tipo alvo, ou manchas circulares frequentemente com vesícula (bolha)

central no tronco. Pode também incluir úlceras na boca, garganta, nariz, órgãos

genitais e conjuntivite (olhos vermelhos e inchados). A erupção pode progredir para

formação de vesículas (bolhas) ou descamação da pele generalizadas.

Se desenvolveu Síndroma de Stevens-Johnson com o uso de febuxostate, não deve

reiniciar nunca o tratamento com Febuxostate Aristo. Se desenvolveu uma erupção

ou estes sintomas de pele, consulte imediatamente o seu médico e informe-o que

está a tomar este medicamento.

Se estiver a ter um ataque de gota (um início súbito de dor intensa, sensibilidade,

vermelhidão, calor e inchaço numa articulação), espere que o ataque de gota passe

antes de iniciar o tratamento pela primeira vez com Febuxostate Aristo.

Em algumas pessoas, os ataques de gota podem aparecer quando se iniciam

determinados medicamentos que controlam os níveis de ácido úrico. Nem todas as

pessoas têm episódios agudos, mas poderá ter um mesmo que esteja a tomar

Febuxostate Aristo e sobretudo durante as primeiras semanas ou meses de

tratamento. É importante continuar a tomar Febuxostate Aristo mesmo que tenha

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

um episódio agudo, uma vez que o Febuxostate Aristo ainda está a atuar para

reduzir o ácido úrico. Ao longo do tempo, os ataques de gota irão ocorrer com menos

frequência e serão menos dolorosos se continuar a tomar Febuxostate Aristo todos

os dias.

O seu médico irá receitar-lhe outros medicamentos frequentemente, caso sejam

necessários para ajudar a prevenir ou a tratar os sintomas dos ataques (tais como

dor ou inchaço numa articulação).

Em doentes com níveis muito elevados de uratos (por ex. doentes submetidos a

quimioterapia para o cancro), o tratamento com medicamentos redutores do ácido

urico pode levar à deposição de xantina no trato urinário, com possíveis cálculos

(pedras no rim), apesar de tal não ter sido observado em doentes tratados com

Febuxostate Aristo para o Síndrome de Lise Tumoral.

O seu médico poderá pedir-lhe para fazer análises ao sangue para verificar se o

fígado está a funcionar normalmente.

Crianças e adolescentes

Não dê este medicamento a crianças com menos de 18 anos de idade pois a

segurança e eficácia não foram estabelecidas.

Outros medicamentos e Febuxostate Aristo

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, tiver tomado

recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

É particularmente importante que informe o seu médico ou farmacêutico caso esteja

a tomar medicamentos que contenham qualquer das substâncias seguintes, dado

que estas podem interagir com Febuxostate Aristo e o seu médico poderá querer

tomar medidas que sejam necessárias:

- mercaptopurina (utilizada para o tratamento de cancro)

- azatioprina (utilizada para reduzir a resposta imunitária)

- teofilina (utilizada para o tratamento da asma)

Gravidez e amamentação

Não se sabe se Febuxostate Aristo poderá prejudicar um bebé em gestação.

Febuxostate Aristo não deve ser utilizado durante a gravidez. Não se sabe se

Febuxostate Aristo é excretado no leite materno humano. Não deve tomar

Febuxostate Aristo se está a amamentar ou se estiver a planear amamentar.

Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar,

consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Deve estar ciente de que poderá sentir tonturas, sonolência, visão enevoada e

dormência ou uma sensação de formigueiro durante o tratamento e não deve

conduzir nem utilizar máquinas se tiver estes sintomas.

Febuxostate Aristo contém lactose

Os comprimidos Febuxostate Aristo contêm lactose (um tipo de açúcar). Se foi

informado de que tem intolerância a alguns açúcares, contacte o seu médico antes

de tomar este medicamento.

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

Febuxostate Aristo contém sódio

Este medicamento contém menos do que 1 mmol (23 mg) de sódio por comprimido

ou seja, é praticamente “isento de sódio”.

3. Como tomar Febuxostate Aristo

Tome este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o seu

médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

- A recomendada é de um comprimido por dia.

- Os comprimidos devem ser ingeridos pela boca e podem ser tomados com ou sem

alimentos.

Gota

Febuxostate Aristo encontra-se disponível sob a forma de comprimido de 80 mg ou

comprimido de 120 mg. O seu médico ter-lhe-á receitado a dose mais adequada

para si.

Continue a tomar Febuxostate Aristo todos os dias, mesmo se não estiver a ter um

episódio agudo ou um ataque de gota.

Prevenção e tratamento de níveis elevados de ácido úrico em doentes submetidos a

quimioterapia para o cancro

Febuxostate Aristo está disponível como um comprimido de 120 mg.

Comece a tomar Febuxostate Aristo dois dias antes da quimioterapia e continue a

tomar de acordo com a indicação do seu médico. Habitualmente o tratamento é

curto.

O seu médico poderá pedir-lhe para fazer análises ao sangue para verificar se o

fígado está a funcionar normalmente.

Se tomar mais Febuxostate Aristo do que deveria

Na eventualidade de uma sobredosagem acidental, pergunte ao seu médico o que

fazer, ou contacte as urgências mais próximas.

Caso se tenha esquecido de tomar Febuxostate Aristo

Caso se esqueça de tomar uma dose de Febuxostate Aristo, tome-a assim que se

recordar, a menos que esteja quase na hora de tomar a sua dose seguinte: nesse

caso, não tome a dose esquecida e tome a sua dose seguinte à hora habitual. Não

tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Febuxostate Aristo

Não pare de tomar Febuxostate Aristo sem consultar o seu médico, mesmo que se

sinta melhor. Se parar de tomar Febuxostate Aristo, os níveis de ácido úrico poderão

começar a subir e os sintomas poderão agravar-se devido à formação de novos

cristais de urato à volta das articulações e nos rins, bem como em redor dos

mesmos.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu

médico farmacêutico.

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

4. Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários,

embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Pare de tomar este medicamento e contacte imediatamente o seu médico ou vá ao

serviço de urgência próximo se ocorrerem os seguintes efeitos secundários raros

(podem afetar até 1 em 1000 pessoas), pois pode seguir-se uma reação alérgica

grave:

- reações anafiláticas, hipersensibilidade ao fármaco (ver também a secção 2

“Advertências e precauções ”);

- erupções cutâneas com risco de vida, caracterizadas pela formação de vesículas

(bolhas) e descamação da pele e revestimento interior das cavidades corporais, ex.

boca e órgão genitais, úlceras dolorosas na boca e/ou áreas genitais, acompanhadas

por febre, inflamação da garganta e cansaço (Síndroma de Steven- Johnson/

necrólise epidérmica tóxica), ou por nódulos linfáticos aumentados, aumento do

tamanho do fígado, hepatite (até falência hepática), aumento da contagem

sanguínea de glóbulos brancos (erupção a fármacos com eosinofilia e sintomas

sistémicos – síndroma DRESS) (ver secção 2);

- erupções generalizadas na pele.

Os efeitos secundários frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas) são:

- alterações nos resultados dos testes ao fígado;

- diarreia;

- dor de cabeça;

- erupção na pele (incluindo vários tipos de erupção, por favor consultar as secções

“pouco frequentes” e “raros”);

- náuseas;

- aumento dos sintomas de gota;

- inchaço localizado devido à retenção de líquidos nos tecidos (edema).

Outros efeitos secundários não mencionados acima estão listados abaixo.

Os efeitos secundários pouco frequentes (podem afetar até 1 em 100 pessoas) são:

- diminuição do apetite, alteração dos níveis de açúcar no sangue (diabetes) da qual

um sintoma poderá ser sede excessiva, aumento dos níveis de gordura no sangue,

aumento de peso;

- perda de apetite sexual;

- dificuldade em adormecer, sonolência;

- tonturas, dormência, formigueiro, sensibilidade diminuída ou alterada (hipoestesia,

hemiparesia ou parestesia), alteração ou diminuição do olfacto (hiposmia);

- traçado anormal no ECG, batimentos cardíacos rápidos ou irregulares, sentir os

batimentos do seu coração (palpitação);

- afrontamentos ou rubor (por ex. vermelhidão no rosto ou no pescoço), aumento da

tensão arterial, sangramento (hemorragia, observada apenas em doentes a tomar

quimioterapia para doenças do sangue);

- tosse, falta de ar, desconforto ou dor no peito, inflamação da passagem nasal e/ou

garganta (infeção do trato respiratório superior), bronquite;

- boca seca, dor/desconforto abdominal ou gases, azia/indigestão, prisão de ventre,

eliminação mais frequente de fezes, vómitos, desconforto no estômago;

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

- comichão, urticária, inflamação da pele, descoloração da pele, pequena mancha

vermelha ou púrpurea na pele, pequenas manchas planas vermelhas na pele, área

vermelha, plana na pele, coberta por pequenos inchaços confluentes, erupção, áreas

de vermelhidão e manchas na pele, outros tipos de problemas de pele;

- cãimbra muscular, fraqueza muscular, dor nos músculos/articulações, bursite ou

artrite (inflamação das articulações, geralmente acompanhada de dor, inchaço e/ou

rigidez), dor nas extremidades, dor nas costas, espasmos musculares;

- sangue na urina, micção frequente anormal, alterações nos testes à urina

(aumento do nível de proteínas na urina), redução da capacidade dos rins em

funcionarem adequadamente;

- cansaço, dor no peito, desconforto no peito;

- pedras na vesícula biliar ou nos ductos biliares (colelitíase);

- aumento do nível sanguíneo da hormona estimuladora da tiroide (TSH);

- alterações sanguíneas ou da quantidade de glóbulos ou plaquetas (alterações nos

resultados das análises ao sangue);

- pedras nos rins;

- dificuldades na ereção.

Os efeitos secundários raros (podem afetar até 1 em 1000 pessoas) são:

- lesão muscular, uma ocorrência que em ocasiões raras, pode ser grave. Pode

causar problemas musculares e, principalmente, se, ao mesmo tempo, não se sentir

bem ou tiver uma temperatura elevada, pode ter sido causado por uma degradação

muscular anormal. Contacte o seu médico imediatamente se sentir dor muscular,

sensibilidade ou fraqueza.

- inchaço grave das camadas mais profundas da pele, especialmente ao redor dos

lábios, olhos, órgãos genitais, mãos, pés ou língua, com possibilidade de respiração

difícil súbita

- febre elevada associada a erupção na pele tipo sarampo, nódulos linfáticos

aumentados, aumento do tamanho do fígado, hepatite (até falência hepática),

aumento da contagem de glóbulos brancos no sangue (leucocitose, com ou sem

eosinofilia)

- vermelhidão da pele (eritema), vários tipos de erupção na pele (ex. que fazem

comichão, com manchas brancas, com vesículas, com vesículas com pús, com

descamação da pele, erupção tipo sarampo), eritema generalizado, necrose e

desprendimento em bolhas da epiderme e membranas mucosas, resultando em

esfoliação e possível septicemia (Síndroma de Steven-Johnson/necrólise epidérmica

tóxica)

- nervosismo

- sensação de sede

- zumbido nos ouvidos

- visão enevoada, alterações da visão

- perda de cabelo

- ulceração da boca

- inflamação do pâncreas: os sintomas mais comuns são dor abdominal, náuseas e

vómitos

- aumento da transpiração

- redução do peso, aumento do apetite, perda descontrolada do apetite (anorexia)

- rigidez dos músculos e/ou articulações

- contagem de glóbulos (glóbulos brancos ou vermelhos) anormalmente baixa

- necessidade urgente de urinar

- alterações ou diminuição da quantidade de urina devido à inflamação dos rins

(nefrite tubulointersticial)

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

- inflamação do fígado (hepatite)

- amarelecimento da pele (icterícia)

- lesão hepática

- nível aumentado da creatinofosfoquinase sanguínea (um indicador de lesão

muscular)

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá

comunicar efeitos secundários diretamente ao INFARMED, I.P. através dos contactos

abaixo. Ao comunicar efeitos secundários, estárá a judar a fornecer mais

informações sobre a segurança deste medicamento.

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

Sítio da internet: http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

5. Como conservar Febuxostate Aristo

- Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

- Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso a embalagem

exterior e no blister após ‘EXP’. O prazo de validade corresponde ao último dia do

mês indicado.

- O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico.

Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza.

Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de Febuxostate Aristo

A substância ativa é o febuxostate.

Cada comprimido contém 80 mg ou 120 mg de febuxostate (como hemi-hidrato).

Os outros componentes são:

Núcleo: lactose mono-hidratada, celulose microcristalina, croscarmelose sódica,

hidroxipropilcelulose, poloxamero 407, sílica coloidal anidra e estearato de magnésio

Revestimento: Opadry II amarelo (contém: álcool polivinílico [parcialmente

hidrolisado], dióxido de titânio [E171], macrogol/polietilenoglicol, talco, óxido de

ferro amarelo [E172]).

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

Qual o aspeto de Febuxostate Aristo e conteúdo da embalagem

Os comprimidos revestidos por película são amarelos, oblongos e biconvexos.

Os comprimidos revestidos por película de 80 mg estão marcados com ‘80’ numa das

faces.

Os comprimidos revestidos por película de 120 mg estão marcados com ‘120’ numa

das faces.

Febuxostate Aristo 80 mg e 120 mg é embalado em blisters de PVC/PCTFE –

Alumínio de 14 comprimidos ou em blisters de PVC/PVDC – Alumínio de 14

comprimidos.

Febuxostate Aristo 80 mg e 120 mg está disponível em embalagens com 14, 28, 56

ou 84 comprimidos revestidos por película.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução

Aristo Pharma GmbH

Wallenroder Strasse, 8-10

13435 - Berlin

Alemanha

Fabricante

Bluepharma – Indústria Farmacêutica, S.A.

S. Martinho do Bispo

3045-016 Coimbra

Portugal

Este medicamento encontra-se autorizado nos Estados Membros do Espaço

Económico Europeu (EEE) com os seguintes nomes:

Alemanha: Febuxostat Aristo 80/120 mg Filmtabletten

Itália: Febuxostat Aristo 80/120 mg compresse rivestite con film

Áustria: Febuxostat Aristo 80/120 mg Filmtabletten

Portugal: Febuxostate Aristo 80/120 mg comprimidos revestidos por película

Espanha: Febuxostat Aristo 80/120 mg comprimidos recubiertos con pelicula EFG

Reino Unido: Febuxostat Aristo 80/120 mg film-coated tablets

Este folheto foi revisto pela última vez em 12/2018.

Leia o documento completo

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1. NOME DO MEDICAMENTO

Febuxostate Aristo 80 mg comprimidos revestidos por película

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada comprimido contém 80 mg de febuxostate (como hemi- hidrato)

Excipiente(s) com efeito conhecido:

Cada comprimido contém 76.50 mg de lactose (como monoidrato)

Cada comprimido contém 1,89 mg de sódio (como corscarmelose sódica)

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Comprimido revestido por película (comprimido).

Comprimidos revestidos por película amarelos, oblongos e biconvexos marcados com

“80” numa das faces.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

Febuxostate Aristo está indicado no tratamento de hiperuricémia crónica em quadros

clínicos nos quais já tenha ocorrido deposição de urato (incluindo história, ou

presença de, tofo e/ou artrite gotosa).

Febuxostate Aristo é indicado em adultos.

4.2 Posologia e modo de administração

Posologia

A dose oral recomendada de Febuxostate Aristo é de 80 mg uma vez ao dia,

independentemente da ingestão de alimentos. Caso o nível de ácido úrico sérico seja

> 6 mg/dl (357 µmol/l) após 2-4 semanas, pode considerar-se a administração de

Febuxostate Aristo 120 mg uma vez ao dia.

Febuxostate Aristo atua de forma suficientemente rápida para permitir a reavaliação

do ácido úrico sérico após 2 semanas. O objetivo terapêutico consiste em diminuir e

manter o nível sérico de ácido úrico abaixo de 6 mg/dl (357 µmol/l).

Recomenda-se a profilaxia de episódios agudos de gota durante pelo menos 6 meses

(ver secção 4.4).

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

Idosos:

Não é necessário ajuste de dose em idosos (ver secção 5.2)

Disfunção renal:

A eficácia e segurança não foram completamente avaliadas em doentes com

disfunção renal grave (depuração da creatinina < 30 ml/min, ver secção 5.2).

Não é necessário um ajuste de dose em doentes com disfunção renal ligeira ou

moderada.

Disfunção hepática:

A eficácia e segurança do febuxostate não foram estudadas em doentes com

disfunção hepática grave (Classe C de Child Pugh).

A dose recomendada em doentes com disfunção hepática ligeira é de 80 mg. A

informação disponível de doentes com disfunção hepática moderada é limitada.

População pediátrica:

A segurança e eficácia de febuxostate em crianças com menos de 18 anos de idade

não foram ainda estabelecidas. Não existem dados disponíveis.

Modo de administração

Via oral.

Febuxostate Aristo deve ser tomado oralmente e pode ser tomado com ou sem

alimentos.

4.3 Contraindicações

Hipersensibilidade à(s) substância(s) ativa(s) ou a qualquer um dos excipientes

mencionados na secção 6.1 (ver também secção 4.8).

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Afeções cardiovasculares

Não se recomenda o tratamento com febuxostate em doentes com doença cardíaca

isquémica ou insuficiência cardíaca congestiva.

Nos estudos APEX e FACT foi observada uma incidência numericamente superior de

acontecimentos cardiovasculares APTC (objetivos definidos no estudo Anti-Platelet

Trialists’ Collaboration (APTC) incluindo morte cardiovascular, enfarte do miocárdio

não fatal, acidente vascular cerebral não fatal) notificados pelo investigador no grupo

total de febuxostate, comparativamente com o grupo de alopurinol (1,3 vs. 0,3

acontecimentos por 100 Patient Years (PYs)), mas não no estudo CONFIRMS. A

incidência de acontecimentos cardiovasculares APTC notificados pelo investigador

nos estudos de Fase 3 combinados (estudos APEX, FACT e CONFIRMS) foi de 0,7 vs.

0,6 acontecimentos por 100 PYs. Nos estudos de extensão de longo prazo a

incidência de acontecimentos cardiovasculares APTC notificados pelo investigador foi

de 1,2 e 0,6 acontecimentos por 100 PYs para o febuxostate e para o alopurinol,

respetivamente. Não foram detetadas diferenças estatisticamente significativas nem

estabelecida

relação

causal

febuxostate.

fatores

risco

identificados nestes doentes foram um historial médico de doença ateroesclerótica

e/ou enfarte do miocárdio ou de insuficiência cardíaca congestiva.

Alergia ao medicamento / hipersensibilidade

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

Na experiência pós-comercialização têm sido notificados casos raros de reações

alérgicas/de

hipersensibilidade

graves,

incluindo

Síndroma

Stevens-Johnson

potencialmente fatal, necrólise epidérmica tóxica e choque/reação anafilática aguda.

Na sua maioria, estas reações ocorreram durante o primeiro mês de terapêutica com

febuxostate. Alguns destes doentes, embora não todos, relataram disfunção renal

e/ou hipersensibilidade anterior ao alopurinol.

Em alguns casos, as reações de hipersensibilidade graves, incluindo erupção a

fármacos com eosinofilia e sintomas sistémicos (Síndroma DRESS), foram associadas

a febre, complicações hematológicas, renais ou hepáticas.

doentes

devem

avisados

sinais

sintomas

cuidadosamente

monitorizados quanto aos sintomas de reações alérgicas/de hipersensibilidade (ver

secção 4.8). O tratamento com febuxostate deve ser imediatamente descontinuado

se ocorrerem reações alérgicas/de hipersensibilidade graves, incluindo Síndroma de

Stevens-Johnson, uma vez que a interrupção precoce está associada a um melhor

prognóstico.

doente

desenvolveu

reações

alérgicas/de

hipersensibilidade

incluindo

Síndroma

Stevens-Johnson

choque/reação

anafilática

aguda,

febuxostate não deve ser nunca reiniciado neste doente.

Ataques agudos de gota (episódios agudos de gota)

Não se deve iniciar o tratamento com febuxostate até que o ataque agudo de gota

tenha passado completamente. Podem ocorrer episódios agudos de gota durante o

início do tratamento devido à alteração nos níveis séricos de ácido úrico resultantes

da mobilização de urato a partir dos depósitos nos tecidos (ver secção 4.8 e 5.1). No

início do tratamento com febuxostate, recomenda-se a profilaxia de episódios agudos

durante pelo menos 6 meses com um AINE ou colquicina (ver secção 4.2). Caso

ocorra um episódio agudo de gota durante o tratamento com febuxostate, este não

deve ser interrompido. O episódio agudo de gota deve tratar-se em simultâneo,

conforme o apropriado para cada doente em particular. O tratamento continuado

com febuxostate diminui a frequência e a intensidade dos episódios agudos de gota.

Deposição de xantina

Em doentes nos quais a taxa de formação de urato aumente grandemente (por ex.

doença

neoplásica

respetivo

tratamento,

síndrome

Lesch-Nyhan),

concentração absoluta de xantina na urina pode, em casos raros, aumentar o

suficiente para permitir a deposição no trato urinário. Dado não haver experiência

com febuxostate, não se recomenda o seu uso nestas populações.

Mercaptopurina/azatioprina

Não se recomenda o uso de febuxostate em doentes tratados em simultâneo com

mercaptopurina/ azatioprina. Quando a combinação não pode ser evitado os doentes

devem ser monitorizados de perto. A redução da dose de mercaptopurina ou

azatioprina é recomendada, a fim de evitar possíveis efeitos hematológicos (ver

secção 4.5).

Recetores de transplante de órgãos

Dado não haver experiência em recetores de transplante de órgãos, não se

recomenda o uso de febuxostate neste grupo de doentes (ver secção 5.1).

Teofilina

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

A administração simultânea de febuxostate 80 mg e teofilina 400 mg em dose única

a indivíduos saudáveis demonstrou a ausência de qualquer interação farmacocinética

(ver secção 4.5). O febuxostate 80 mg pode ser utilizado em doentes tratados em

simultâneo com teofilina sem risco de aumento dos níveis plasmáticos de teofilina.

Não estão disponíveis dados para febuxostate 120 mg.

Afeções hepáticas

Durante os estudos clínicos de fase 3 combinados, observaram-se anomalias ligeiras

nos testes de função hepática em doentes tratados com febuxostate (5,0%).

Recomendam-se testes de função hepática antes do início da terapêutica com

febuxostate e periodicamente daí em diante, com base no parecer clínico (ver secção

5.1).

Disfunções da tiroide

Observaram-se valores aumentados de TSH (> 5,5 µUI/ml) em doentes a fazer

tratamento prolongado com febuxostate (5,5%) em estudos de extensão abertos de

longo prazo. É necessária cautela ao utilizar febuxostate em doentes com alteração

da função tiroideia (ver secção 5.1).

Lactose:

Febuxostate Aristo contém lactose. Os doentes com problemas hereditários raros de

intolerância à lactose, deficiência Lapp-lactase ou má absorção de glicose-galactose

não devem tomar este medicamento.

Sódio

Febuxostate Aristo sódio. Este medicamento contém menos do que 1 mmol (23 mg)

de sódio por comprimido revestido por película ou seja, é praticamente “isento de

sódio.

4.5 Interações medicamentosas e outras formas de interação

Mercaptopurina/azatioprina

Com base no mecanismo de ação de febuxostate sobre a inibição da XO, não se

recomenda o seu uso concomitante. A inibição da XO pelo febuxostate pode causar

aumento das concentrações plasmáticas destes medicamentos que podem provocar

toxicidade

(ver

secção

4.4).

Não

foram

realizados

estudos

interação

medicamentosa do febuxostate com fármacos que são metabolizadas pela XO.

Não foram efetuados estudos de interação medicamentosa do febuxostate com

quimioterapia citotóxica. Não estão disponíveis dados relativos à segurança do

febuxostate durante a terapêutica citotóxica.

Rosiglitazona/Substratos da CYP2C8

O febuxostate demonstrou ser um inibidor fraco da CYP2C8 in vitro. Num estudo em

indivíduos saudáveis, a administração simultânea de 120 mg de febuxostate uma vez

por dia com uma dose oral única de 4 mg de rosiglitazona não teve qualquer efeito

na farmacocinética da rosiglitazona e do seu metabolito N-desmetil rosiglitazona, o

que indica que o febuxostate não é um inibidor da enzima CYP2C8 in vivo. Assim,

não é expectável que a administração simultânea de febuxostate com rosiglitazona

ou outros substratos da CYP2C8 requeira qualquer ajustamento de dose para esses

compostos.

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

Teofilina

Foi realizado um estudo de interação com febuxostate em indivíduos saudáveispara

avaliar se a inibição da XO pode causar um aumento nos níveis de teofilina em

circulação, como notificado com outros inibidores da XO. Os resultados do estudo

demonstraram que a administração simultânea de febuxostate 80 mg uma vez por

dia com teofilina 400 mg em dose única não tem qualquer efeito na farmacocinética

ou segurança da teofilina. Assim, não é a aconselhadanenhuma precaução especial

quando o febuxostate 80 mg e a teofilina são administrados em simultâneo. Não

estão disponíveis dados para febuxostate 120 mg.

Naproxeno e outros inibidores da glucuronidação

O metabolismo de febuxostate depende das enzimas UDP-glucuronosil transferases

(UGT). Os medicamentos que inibem a glucuronidação, tais como os AINEs e

probenecide, podem, em teoria, afetar a eliminação do febuxostate. Em indivíduos

saudáveis, o uso concomitante de febuxostate e naproxeno 250mg 2 vezes por dia

foi associado a um aumento na exposição ao febuxostate (Cmax 28%, AUC 41% e

t1/2 26%). Em estudos clínicos, o uso de naproxeno ou outros AINEs / inibidores da

Cox-2 não foi relacionado com qualquer aumento significativo de acontecimentos

adversos.

O febuxostate pode ser administrado concomitantemente com naproxeno sem que

seja necessário qualquer ajuste do febuxostate ou do naproxeno.

Indutores da glucuronidação

Os indutores potentes de enzimas UGT podem originar um aumento do metabolismo

e diminuição da eficácia do febuxostate. Por conseguinte, recomenda-se a vigilância

do ácido úrico sérico 1-2 semanas após início de tratamento com um indutor potente

da glucuronidação. Inversamente, a interrupção do tratamento com um indutor

poderá originar aumento dos níveis plasmáticos de febuxostate.

Colquicina/indometacina/hidroclorotiazida/varfarina

O febuxostate pode ser coadministrado com colquicina ou indometacina sem que

seja necessário qualquer ajuste do febuxostate ou da substância ativa administrada

concomitantemente.

Não

necessário

ajuste

dose

febuxostate

quando

administrado

hidroclorotiazida.

Não é necessário ajuste da dose da varfarina quando administrada com febuxostate.

A administração de febuxostate (80 mg ou 120 mg uma vez por dia) com varfarina

não teve qualquer efeito na farmacocinética da varfarina em indivíduos saudáveis. O

INR e a atividade do Fator VII também não foram afetados pela administração

concomitante de febuxostate.

Desipramina / substratos da CYP2D6

O febuxostate mostrou ser um inibidor fraco de CYP2D6 in vitro. Num estudo com

indivíduos saudáveis, 120 mg de febuxostate 1x dia (QID) originou num aumento

médio de 22% da AUC da desipramina, um substrato da CYP2D6, o que indica um

potencial efeito inibitório fraco do febuxostate sobre a enzima CYP2D6 in vivo.

Portanto, não é de esperar que a co-administração de febuxostate com outros

substratos da CYP2D6 exija qualquer ajuste da dose destes compostos.

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

Antiácidos

A ingestão concomitante de um antiácido que contenha hidróxido de magnésio e

hidróxido de alumínio mostrou retardar a absorção do febuxostate (cerca de 1 hora)

e causar uma diminuição de 32% na Cmax, embora não se tenha observado uma

alteração significativa na AUC. Por conseguinte, o febuxostate pode tomar-se

independentemente do uso de antiácidos.

4.6 Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

Os dados relativos a um número muito limitado de gravidezes expostas não

indicaram quaisquer efeitos adversos do febuxostate sobre a gravidez ou sobre a

saúde do feto / recém-nascido. Os estudos em animais não indicaram efeitos nocivos

diretos ou indiretos no que respeita à gravidez, desenvolvimento embrionário/fetal

ou parto (ver secção 5.3). Desconhece-se o risco potencial para o ser humano. O

febuxostate não deve ser utilizado durante a gravidez.

Amamentação

Desconhece-se se o febuxostate é excretado no leite materno em seres humanos. Os

estudos em animais mostraram a excreção desta substância ativa no leite materno e

uma anomalia do desenvolvimento nas crias em amamentação. Não pode excluir-se

um risco para o bebé em aleitamento. O febuxostate não deve ser utilizado durante

a amamentação.

Fertilidade

Nos animais, estudos de reprodução com doses até 48 mg/kg/dia de febuxostate não

mostraram quaisquer efeitos adversos dependentes da dose sobre a fertilidade (ver

secção 5.3). O efeito de febuxostate sobre a fertilidade humana é desconhecido.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Foram reportadas sonolência, tonturas, parestesia e visão enevoada com o uso de

febuxostate.

doentes

devem

cautela

antes

conduzirem,

utilizarem

máquinas ou participarem em atividades perigosas até estarem razoavelmente

seguros de que o Febuxostate Aristo não afeta adversamente o seu desempenho

4.8 Efeitos indesejáveis

Resumo do perfil de segurança

As reações adversas notificadas com maior frequência nos ensaios clínicos (4072

indivíduos tratados com pelo menos uma dose de 10 mg a 300 mg) e experiência

pós-comercialização são episódios agudos de gota, anomalias na função hepática,

diarreia, náuseas, cefaleia, erupção cutânea e edema. Estas reações adversas foram

na sua maioria de gravidade ligeira a moderada. Reações raras e graves de

hipersensibilidade

febuxostate,

algumas

quais

associadas

sintomas

sistémicos, ocorreram na experiência pós-comercialização.

Lista tabelada de reações adversas

As reações adversas frequentes (≥1/100 a <1/10), pouco frequentes (≥1/1000 a

<1/100) e raras (≥1/10000 a <1/1000), observadas nos doentes tratados com

febuxostate encontram-se listadas a seguir.

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

As reações adversas são apresentadas por ordem decrescente de gravidade dentro

de cada classe de frequência.

Tabela 1: Reações adversas em estudos de fase 3 combinados, extensão de longo

prazo e experiência pós-comercialização em doentes com gota

Classes

sistemas

órgãos

Frequência

Reações adversas

Doenças do sangue e do

sistema linfático

Raras

Pancitopenia,

trombocitopenia,

agranulocitose*

Doenças

sistema

imunitário

Raras

Reação

anafilática*,

hipersensibilidade

fármaco*

Doenças endócrinas

Pouco

frequentes

Aumento

nível

sanguíneo

hormona

estimuladora da tiroide

Afeções oculares

Raras

Visão enevoada

Frequentes***

Episódios agudos de gota

Pouco

frequentes

Diabetes mellitus, hiperlipidemia, diminuição

do apetite, aumento de peso

Doenças do metabolismo

e da nutrição

Raras

Diminuição

peso,

aumento

apetite,

anorexia

Pouco

frequentes

Diminuição da líbido, insónia

Perturbações

foro

psiquiátrico

Raras

Nervosismo

Frequentes

Cefaleia

Doenças

sistema

nervoso

Pouco

frequentes

Tonturas,

parestesia,

hemiparesia,

sonolência,

alterações

paladar,

hipoestesia, hiposmia

Afeções do ouvido e do

labirinto

Raras

Acufenos

Cardiopatias

Pouco

frequentes

Fibrilhação atrial, palpitações, alteração do

Vasculopatias

Pouco

frequentes

Hipertensão, rubores, afrontamentos

Doenças

respiratórias,

torácicas e do mediastino

Pouco

frequentes

Dispneia,

bronquite,

infeção

trato

respiratório superior, tosse

Frequentes

Diarreia**, náuseas

Pouco

frequentes

Dor abdominal, distensão abdominal, doença

refluxo

gastroesofágico,

vómitos,

boca

seca,

dispepsia,

obstipação,

evacuação

frequente,

flatulência,

desconforto

gastrointestinal

Doenças gastrointestinais

Raras

Pancreatite, ulceração na boca

Frequentes

Anomalias na função hepática**

Pouco

frequentes

Colelitíase

Afeções hepatobiliares

Raras

Hepatite, icterícia*, lesão hepática*

Afeções

tecidos

cutâneos e subcutâneas

Frequentes

Erupções cutâneas (incluindo vários tipos de

erupções cutâneas relatados com menores

frequências, ver abaixo)

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

Classes

sistemas

órgãos

Frequência

Reações adversas

Pouco

frequentes

Dermatite, urticária, prurido, descoloração da

pele,

lesão

pele,

petéquias,

erupção

cutânea

macular,

erupção

cutânea

maculopapular, erupção cutânea papular

Raras

Necrólise epidérmica tóxica*, Síndroma de

Stevens-Johnson*, angioedema*, erupção a

fármacos

eosinofilia

sintomas

sistémicos*,

erupção

cutânea

generalizada

(grave)*,

eritema,

erupção

cutânea

esfoliativa, erupção cutânea folicular, erupção

cutânea vesicular, erupção cutânea pustular,

erupção cutânea prurítica*, erupção cutânea

eritematosa, erupção cutânea morbiliforme,

alopecia, hiperidrose

Pouco

frequentes

Artralgia,

artrite,

mialgia,

musculosquelética,

fraqueza

muscular,

espasmos

musculares,

rigidez

muscular,

bursite

Afeções

musculosqueléticas e dos

tecidos conjuntivos

Raras

Rabdomiólise*

rigidez

articular,

rigidez

musculosquelética

Pouco

frequentes

Falência

renal,

nefrolitíase,

hematúria,

polaquiúria, proteinuria

Doenças renais e urinárias

Raras

Nefrite tubulointersticial*, urgência miccional

Doenças

órgãos

genitais e da mama

Pouco

frequentes

Disfunção eréctil

Frequentes

Edema

Pouco

frequentes

Fadiga, dor no peito, desconforto no peito

Perturbações

ordem

geral e alterações no local

de administração

Raras

Sede

Pouco

frequentes

Aumento da amilase sanguínea, diminuição

da contagem de plaquetas, diminuição da

contagem de glóbulos brancos, diminuição da

contagem

linfócitos,

aumento

creatinina sérica, diminuição da hemoglobina,

aumento

ureia

sérica,

aumento

triglicéridos

sanguíneos,

aumento

colesterol

sanguíneo,

diminuição

hematócrito,

aumento

lactato

desidrogenase

sanguínea,

aumento

potássio sanguíneo

Exames

complementares

de diagnóstico

Raras

Aumento

glucose

sanguínea,

prolongamento do tempo de tromboplastina

parcial ativada, diminuição da contagem de

glóbulos

vermelhos,

aumento

da fosfatase

alcalina

sanguínea,

aumento

creatinofosfoquinase sanguínea*

Reações adversas provenientes da experiência pós-comercialização

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

Classes

sistemas

órgãos

Frequência

Reações adversas

Diarreia não infeciosa emergente com o tratamento e anomalias nos testes da

função hepática nos estudos de Fase 3 combinados são mais frequentes em doentes

tratados em simultâneo com colquicina

Ver na secção 5.1 as incidências de episódios agudos de gota nos estudos de Fase III

controlados e aleatorizados

Descrição de reações adversas selecionadas

experiência

pós-comercialização

ocorreram

raras

reações

graves

hipersensibilidade ao febuxostate, incluindo Síndroma de Stevens-Johnson, necrólise

epidérmica tóxica e choque/reação anafilática. O Síndroma de Stevens-Johnson e a

necrólise epidérmica tóxica caracterizam-se por erupções cutâneas progressivas

associadas a vesículas ou lesões na mucosa e irritação ocular. As reações de

hipersensibilidade ao febuxostate podem estar associadas aos seguintes sintomas:

reações cutâneas caracterizadas por erupção maculopapular infiltrada, erupções

cutâneas generalizadas ou esfoliativas, mas também lesões cutâneas, edema facial,

febre,

anomalias

hematológicas

tais

como

trombocitopenia

eosinofilia

envolvimento de um único ou múltiplos órgãos (fígado e rim incluindo nefrite

tubulointersticial) (ver secção 4.4).

Foram frequentemente observados episódios agudos de gota, logo após o início do

tratamento e durante os primeiros meses. Depois disso, a frequência de episódios

agudos de gota diminui de uma forma dependente do tempo. Recomenda-se a

profilaxia dos episódios agudos de gota (ver secção 4.2 e 4.4).

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é

importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-

risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer

suspeitas de reações adversas diretamente ao INFARMED, I.P através de:

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

Sítio da internet: http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

4.9 Sobredosagem

Os doentes com sobredosagem devem ser tratados através de cuidados sintomáticos

e de suporte.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

APROVADO EM

22-04-2020

INFARMED

Grupo farmacoterapêutico: 9.3 Aparelho locomotor. Medicamentos usados para o

tratamento da gota, código ATC: M04AA03

Mecanismo de ação

O ácido úrico é o produto final do metabolismo das purinas em seres humanos e é

gerado na cascata de hipoxantina → xantina → ácido úrico. Ambas as etapas das

transformações

referidas

acima

são

catalizadas

pela

xantina

oxidase

(XO).

febuxostate é um derivado do 2-ariltiazol que exerce o seu efeito terapêutico de

diminuição do ácido úrico sérico pela inibição seletiva da XO. O febuxostate é um

inibidor potente da XO não seletivo para as purinas (NP-SIXO), com um valor Ki de

inibição in vitro inferior a um nanomolar. O febuxostate mostrou inibir de forma

potente tanto as formas oxidadas como as reduzidas de XO. Em concentrações

terapêuticas, o febuxostate não inibe outras enzimas envolvidas no metabolismo das

purinas ou das pirimidinas, nomeadamente a guanina desaminase, a hipoxantina

guanina

fosforibosiltransferase,

orotato

fosforibosiltransferase,

orotidina

monofosfato descarboxilase ou a purina nucleósido fosforilase.

Eficácia e segurança clínicas

A eficácia do febuxostate foi demonstrada em três estudos principais de Fase 3 (os

dois estudos principais APEX e FACT e o estudo adicional CONFIRMS descritos

adiante) que foram realizados em 4101 doentes com hiperuricémia e gota. Em cada

um dos estudos principais de fase 3, o febuxostate mostrou uma capacidade superior

para diminuir e manter os níveis séricos de ácido úrico em comparação com

alopurinol. O objetivo primário de eficácia nos estudos APEX e FACT foi a proporção

de doentes cujos últimos 3 valores mensais dos níveis séricos de ácido úrico eram <

6,0 mg/dl (357 µmol/l). No estudo de fase 3 adicional CONFIRMS, para o qual os

resultados ficaram disponíveis após a primeira Autorização de Introdução no Mercado

de febuxostate ter sido concedida, o objetivo primário de eficácia foi a proporção de

doentes cujos níveis séricos de urato eram < 6,0 mg/dl na visita final.Nestes estudos

não foram incluídos doentes com transplante de órgãos (ver secção 4.2).

Estudo APEX: Estudo de Eficácia de febuxostate, Controlado por Placebo e Alopurinol

(Allopurinol and Placebo-Controlled Efficacy Study of Febuxostat, APEX) foi um

estudo de fase 3, aleatorizado, com dupla ocultação, multicêntrico, com duração de

28 semanas. Foram aleatorizados mil e setenta e dois (1072) doentes: placebo (n =

134), febuxostate 80 mg QID (n = 267), febuxostate 120 mg QID (n = 269),

febuxostate 240 mg QID (n = 134) ou alopurinol (300 mg QID [n = 258] para

doentes com um valor basal de creatinina sérica ≤ 1,5 mg/dl ou 100 mg QID [n =

10] para doentes com um valor basal de creatinina sérica > 1,5 mg/dl e ≤ 2,0

mg/dl). Foi utilizado um valor de duzentos e quarenta mg de febuxostate (o dobro

da dose mais elevada recomendada) como dose de avaliação de segurança.

O estudo APEX mostrou uma superioridade estatisticamente significativa quer do

braço de tratamento com febuxostate 80 mg QID quer com febuxostate 120 mg QID

versus os braços de tratamento com as doses convencionalmente utilizadas de

alopurinol 300 mg (n = 258) /100 mg (n = 10) na redução dos valores séricos de

ácido úrico abaixo dos 6 mg/dl (357 µmol/l) (ver Tabela 2 e Figura 1).

Estudo

FACT:

Ensaio

Febuxostate,

Controlado

Alopurinol

(Febuxostat

Allopurinol Controlled Trial, FACT) foi um estudo de fase 3, aleatorizado, com dupla

ocultação,

multicêntrico,

duração

semanas.

Foram

aleatorizados

Leia o documento completo

APROVADO EM

30-11-2018

INFARMED

Summary Public Assessment Report

Generics

Febuxostate Generis

80 mg and 120 mg Film-coated tablets

(Febuxostat)

PT/H/1915/001-002/DC

Date:

APROVADO EM

30-11-2018

INFARMED

Summary Public Assessment Report

Generics

Febuxostate Generis 80 mg and 120 mg Film-coated tablets

Febuxostat 80 mg and 120 mg Film-coated tablets

This is a summary of the public assessment report (PAR) for Febuxostate Generis It

explains how Febuxostate Generis was assessed and its authorisation recommended

as well as its conditions of use. It is not intended to provide practical advice on how to

use Febuxostate Generis.

For practical information about using Febuxostate Generis, patients should read the

package leaflet or contact their doctor or pharmacist.

What is Febuxostate Generis and what is it used for?

Febuxostate Generis 80 mg and 120 mg Film-coated tablets is a ‘generic medicine’.

This means that Febuxostate Generis 80 mg and 120 mg Film-coated tablets is similar

to a ‘reference medicine’ already authorised in the European Union (EU) called

Adenuric 80 mg and 120 mg Film-coated tablets.

Febuxostate Generis tablets contain the active substance febuxostat and are used to

treat gout, which is associated with an excess of a chemical called uric acid (urate) in

the body. In some people, the amount of uric acid builds up in the blood and may

become too high to remain soluble. When this happens, urate crystals may form in

and around the joints and kidneys. These crystals can cause sudden, severe pain,

redness, warmth and swelling in a joint (known as a gout attack). Left untreated,

larger deposits called tophi may form in and around joints. These tophi may cause

joint and bone damage.

Febuxostate Generis 120 mg Film-coated tablets is also used to treat and prevent high

blood levels of uric acid that may occur when you start to receive chemotherapy for

blood cancers.

When chemotherapy is given, cancer cells are destroyed, and uric acid levels increase

in the blood accordingly, unless the formation of uric acid is prevented.

Febuxostate Generis is for adults.

How does Febuxostate Generis work?

Febuxostate Generis works by reducing uric acid levels. Keeping uric acid levels low by

taking Febuxostate Generis once every day stops crystals building up, and over time it

reduces symptoms. Keeping uric acid levels sufficiently low for a long enough period

can also shrink tophi.

APROVADO EM

30-11-2018

INFARMED

How is Febuxostate Generis used?

The pharmaceutical form of Febuxostate Generis is Film-coated tablets and the route

of administration is oral use.

Please read section 3 of the PL for detailed information on dosing recommendations,

the route of administration, and the duration of treatment.

The medicine can only be obtained with a prescription.

What benefits of Febuxostate Generis have been shown in studies?

Because Febuxostate Generis is a generic medicine, studies in patients have been

limited to tests to determine that it is bioequivalent to the reference medicine,

Adenuric. Two medicines are bioequivalent when they produce the same levels of the

active substance in the body.

The company provided data from the published literature on Febuxostat.

What are the possible side effects of Febuxostate Generis?

Because Febuxostate Generis is a generic medicine <and is bioequivalent to the

reference medicine, its benefits and possible side effects are taken as being the same

as the reference medicine.

For the full list of restrictions, see the package leaflet.

Why is Febuxostate Generis approved?

It was concluded that, in accordance with EU requirements, Febuxostate Generis 80

mg and 120 mg Film-coated tablets has been shown to have comparable quality and

to be bioequivalent/be comparable to Adenuric 80 mg and 120 mg Film-coated

tablets. Therefore, the INFARMED, I.P. decided that, as for <reference medicine called

Adenuric 80 mg and 120 mg Film-coated tablets, the benefits are greater than its risk

and recommended that it can be approved for use.

What measures are being taken to ensure the safe and effective use of Febuxostate

Generis?

A risk management plan has been developed to ensure that Febuxostate Generis is

used as safely as possible. Based on this plan, safety information has been included in

the summary of product characteristics and the package leaflet for Febuxostate

Generis, including the appropriate precautions to be followed by healthcare

professionals and patients.

Known side effects are continuously monitored. Furthermore new safety signals

reported by patients/healthcare professionals will be monitored/reviewed continuously

as well.

Other information about Febuxostate Generis

The marketing authorisation for Febuxostate Generis 80 mg and 120 mg Film-coated

tablets was granted on xx-xx-xxxx

The full PAR for Febuxostate Generis 80 mg and 120 mg Film-coated tablets can be

found on the website

http://www.infarmed.pt/infomed/inicio.php

. For more information about

treatment with Febuxostate Generis read the package leaflet or contact your doctor or

pharmacist.

APROVADO EM

30-11-2018

INFARMED

This summary was last updated in MM-YYYY.

APROVADO EM

30-11-2018

INFARMED

Public Assessment Report

Scientific discussion

Febuxostate Generis

80 mg and 120 mg Film-coated tablets

(Febuxostat)

PT/H/1915/001-002/DC

Date:

This module reflects the scientific discussion for the approval of Febuxostate Generis.

The procedure was finalised 21-11-2018. For information on changes after this date,

please refer to the module ‘Update’.

APROVADO EM

30-11-2018

INFARMED

Introduction

Based on the review of the quality, safety and efficacy data, the Member States have

agreed in granting a marketing authorisation for Febuxostate Generis 80 mg and 120

mg Film-coated tablets, from Generis Farmacêutica S.A.

Febuxostate Generis 80 mg and 120 mg Film-coated tablets is indicated for:

Treatment of chronic hyperuricaemia in conditions where urate deposition has already

occurred (including a history, or presence of, tophus and/or gouty arthritis).

Febuxostate Generis 120 mg Film-coated tablets is indicated for the prevention and

treatment of hyperuricaemia in adult patients undergoing chemotherapy for

haematologic malignancies at intermediate to high risk of Tumor Lysis Syndrome

(TLS).

Febuxostate Generis 80 mg and 120 mg Film-coated tablets is indicated in adults.

A comprehensive description of the indications and posology is given in the SmPC.

This decentralised application concerns a generic version of Febuxostat, 80 mg and

120 mg film-coated tablets under the trade name Febuxostate Generis.

The originator product is Adenuric film-coated tablets (FCT), registered via the

centralised procedure in April 2008 and available in most countries worldwide.

The marketing authorization was granted on xx-xx-xxxx based on Directive

2001/83/EC article 10.1 (a) (iii) first paragraph and the Marketing Authorisation

Holder is Generis Farmacêutica S.A.

With PT as the Reference Member State in this Decentralized Procedure, Aurobindo

Pharma (Portugal), Unipessoal Limitada is applying for the Marketing Authorisations

for Febuxostat in BE, CZ, DE, ES, FR, IT, PL & RO as Concerned Member States (CMS).

Quality aspects

Introduction

Film-coated tablet.

APROVADO EM

30-11-2018

INFARMED

80 mg:

Light yellow to yellow colour biconvex oval shaped, film coated tablets debossed “FEB”

on one side and “80” on the other side. The size is 14.7mm x 8.7mm.

120 mg:

Light yellow to yellow colour biconvex capsule shaped, film coated tablets debossed

“FEB” on one side and “120” on the other side. The size is 19.2 mm x 8.7mm.

The active substance is febuxostat.

Each tablet contains 80 mg or 120 mg of febuxostat.

The other ingredients are:

Tablet core: Lactose monohydrate, Cellulose microcrystalline (Grade 101),

Croscarmellose Sodium, Hydroxypropylcellulose, Cellulose microcrystalline (Grade

102), Silica colloidal anhydrous, Magnesium stearate.

Film-coating: Polyvinyl alcohol, Titanium dioxide (E 171), Macrogol 3350 , Talc , Iron

oxide yellow (E 172).

Febuxostate Generis 80 mg and 120 mg Film-coated tablets are available in Clear

PVC- Aluminium foil blister and clear PVC/ PE/PVdC- Aluminium foil blisters.

Pack sizes:

Blister packs: 14, 28, 30, 42, 56, 84 and 98 flim coated tablets.

Not all pack sizes may be marketed.

Drug Substance

General Information

Nomenclature

INN name:

Febuxostat

Chemical name:

2-[3-Cyano-4-(2-methylpropoxy)phenyl]-4-methyl-5-thiazole

carboxylic acid.

2-[3-Cyano-4-(2-methylpropoxy)phenyl]-4-methylthiazole -5-carboxylic acid

2-(3-cyano-4-isobutyloxyphenyl)-4-methyl-5- thiazolecarboxylic acid

CAS number:

[144060-53-7]

APROVADO EM

30-11-2018

INFARMED

Structure

Molecular formula

C16H16N2O3S

Molecular mass:

316.37

APROVADO EM

30-11-2018

INFARMED

General properties

Description

A white to off-white crystalline powder.

Solubility

Freely soluble in N, N-Dimethylformamide and practically insoluble in water.

Melting range

About 208ºC

pH (2% w/w aqueous suspension)

Hygroscopicity

Non-Hygroscopic.

Polymorphism

US Patent 6,225,474 of Teijin Pharma has reported Crystal A, Crystal B, Crystal C,

Crystal D, Crystal G and Amorphous Form of Febuxostat. Aurobindo manufactures

Crystal G of Febuxostat.

2.52

Partition Coefficient (log P)

1.6 (at pH 7.0, Octanol/water)

Isomerism

Febuxostat does not contain any chiral center; hence it does not exhibit optical

isomerism.

The chemical-pharmaceutical documentation and Quality Overall Summary in relation

to Febuxostate Generis are of sufficient quality in view of the present European

regulatory requirements.

The control tests and specifications for drug substance product are adequately drawn

Stability studies have been performed with the drug substance.

Medicinal Product

The development of the product has been described, the choice of excipients is

justified and their functions explained.

APROVADO EM

30-11-2018

INFARMED

The product specifications cover appropriate parameters for this dosage form.

Validations of the analytical methods have been presented. Batch analysis has been

performed on 3 batches. The batch analysis results show that the finished products

meet the specifications proposed.

The conditions used in the stability studies are according to the ICH stability guideline.

The control tests and specifications for drug product are adequately drawn up.

Non-clinical aspects

Pharmacodynamic, pharmacokinetic and toxicological properties of dutasteride are

well known. As dutasteride is a widely used, well-known active substance, the

applicant has not provided additional studies and further studies are not required.

Overview based on literature review is, thus, appropriate and satisfactory.

Ecotoxicity/environmental risk assessment (ERA)

Since Febuxostate Generis 80 mg and 120 mg Film-coated tablets is intended for

generic substitution, this will not lead to an increased exposure to the environment.

An environmental risk assessment is therefore not deemed necessary.

Discussion on the non-clinical aspects

Since this product has been shown to be essentially similar and refer to a product

approved based on a full application with regard to preclinical data, no further such

data have been submitted or are considered necessary.

Clinical aspects

Introduction

To support the application, the Applicant has submitted as report 1 single dose

bioequivalence study with the 120 mg tablets under fasting conditions.

“An open label, balanced, randomized, single-dose, two-treatment, two-period, two-

sequence, crossover, oral bioequivalence study of Febuxostat Tablets 120 mg of

Aurobindo Pharma Limited, India, and Adenuric (Febuxostat) 120 mg film-coated

Tablets of Menarini International Operations Luxembourg S.A., Luxembourg, in

normal, healthy adult human subjects under fasting conditions.”

Pharmacokinetics

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação