Etoricoxib Aurobindo 120 mg Comprimido revestido por película

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Etoricoxib
Disponível em:
Generis Farmacêutica, S.A.
Código ATC:
M01AH05
DCI (Denominação Comum Internacional):
Etoricoxib
Dosagem:
120 mg
Forma farmacêutica:
Comprimido revestido por película
Composição:
Etoricoxib 120 mg
Via de administração:
Via oral
Classe:
9.1.9 - Inibidores selectivos da Cox 2
Tipo de prescrição:
MSRM Medicamento sujeito a receita médica
Grupo terapêutico:
Genérico
Área terapêutica:
etoricoxib
Indicações terapêuticas:
Duração do Tratamento: Curta ou Média Duração
Resumo do produto:
Blister 7 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5710348 CNPEM: 50103067 CHNM: 10033073 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 20 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5710355 CNPEM: 50103075 CHNM: 10033073 Grupo Homogéneo: N/A
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
PT/H/1614/004/DC
Data de autorização:
2017-03-08

Leia o documento completo

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Folheto informativo: Informação para o utilizador

Etoricoxib Empower 30 mg comprimidos revestidos por película

Etoricoxib Empower 60 mg comprimidos revestidos por película

Etoricoxib Empower 90 mg comprimidos revestidos por película

Etoricoxib Empower 120 mg comprimidos revestidos por película

Etoricoxib

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois

contém informação importante para si.

Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

- Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O medicamento

pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de doença.

- Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Ver secção 4.

O que contém este folheto:

1. O que é Etoricoxib Empower e para que é utilizado

2. O que precisa de saber antes de tomar Etoricoxib Empower

3. Como tomar Etoricoxib Empower

4. Efeitos secundários possíveis

5. Como conservar Etoricoxib Empower

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

1. O que é Etoricoxib Empower e para que é utilizado

O que é Etoricoxib Empower?

Etoricoxib Empower contém a substância ativa etoricoxib. Etoricoxib Empower é um

medicamento do grupo de medicamentos chamados inibidores seletivos da COX-2. Estes

pertencem a uma família de medicamentos chamados anti-inflamatórios não esteroides

(AINEs).

Para que é utilizado o Etoricoxib Empower?

Etoricoxib Empower ajuda a reduzir a dor e inchaço (inflamação) nas articulações e

músculos de pessoas com idade igual ou superior a 16 anos com osteoartrose, artrite

reumatoide, espondilite anquilosante e gota.

Etoricoxib Empower é também usado no tratamento de curta duração da dor moderada

após cirurgia dentária em pessoas com idade igual ou superior a 16 anos.

O que é a osteoartrose?

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

A osteoartrose é uma doença das articulações. Resulta da degradação gradual da

cartilagem que reveste as extremidades dos ossos. Provoca inchaço (inflamação), dor,

sensibilidade, rigidez e incapacidade.

O que é a artrite reumatoide?

A artrite reumatoide é uma doença inflamatória de longa duração das articulações. Esta

doença provoca dor, rigidez, inchaço e aumento da perda de movimento nas articulações

afetadas. Também causa inflamação noutras áreas do corpo.

O que é a gota?

A gota é uma doença em que surgem crises súbitas e repetidas muito dolorosas de

inflamação e vermelhidão nas articulações. É causada por depósitos de cristais minerais

nas articulações.

O que é a espondilite anquilosante?

A espondilite anquilosante é uma doença inflamatória que afeta a coluna e as grandes

articulações.

2. O que precisa de saber antes de tomar Etoricoxib Empower

Não tome Etoricoxib Empower:

se tem alergia (hipersensibilidade) ao etoricoxib ou a qualquer outro componente deste

medicamento (indicados na secção 6);

se tem alergia aos medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) incluindo

aspirina e inibidores da COX-2 (ver secção 4 “Efeitos secundários possíveis”);

se tem atualmente uma úlcera no estômago ou hemorragia no estômago ou nos

intestinos;

se tem doença grave do fígado;

se tem doença grave dos rins;

se está grávida ou suspeita que está grávida ou está a amamentar (ver “Gravidez,

amamentação e fertilidade”);

se tem menos de 16 anos de idade;

se tem doença inflamatória do intestino, tal como doença de Crohn, colite ulcerosa ou

colite;

se tem hipertensão que não está controlada por tratamento (pergunte ao seu médico ou

enfermeiro se não tiver a certeza de que a sua pressão arterial está devidamente

controlada);

se o seu médico lhe diagnosticou problemas cardíacos incluindo insuficiência cardíaca

(do tipo moderado ou grave), angina de peito (dor no peito);

se teve um ataque cardíaco, uma cirurgia de bypass, arteriopatia periférica (problemas

de circulação nas pernas e pés em consequência de ter as artérias estreitas ou

bloqueadas);

se teve qualquer tipo de acidente vascular cerebral (incluindo AVC transitório,

acidente isquémico transitório ou AIT). Etoricoxib pode aumentar-lhe ligeiramente o

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

risco de ataque cardíaco ou de acidente vascular cerebral e é por isso que não deve ser

utilizado por pessoas que já tiveram problemas cardíacos ou acidente vascular cerebral.

Se pensa que alguma destas situações se aplica a si, não tome os comprimidos até

consultar o seu médico.

Advertências e precauções

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Etoricoxib Empower se:

tem história de úlcera ou hemorragia do estômago;

está desidratado em consequência, por exemplo, de vómitos ou diarreia prolongados;

tem inchaço devido a retenção de líquidos;

tem história de insuficiência cardíaca ou de alguma outra forma de doença cardíaca;

tem história de pressão arterial elevada. Em algumas pessoas o Etoricoxib Empower,

especialmente em doses elevadas, pode aumentar a pressão arterial por isso, o seu médico

irá verificar a sua pressão arterial regularmente;

tem história de doença do fígado ou dos rins;

está a ser tratado para uma infeção. O Etoricoxib Empower pode mascarar ou esconder

a febre, que é um sinal de infeção;

tem diabetes, colesterol elevado ou é fumador. Estas situações podem aumentar o seu

risco de doença cardíaca;

é mulher a tentar engravidar;

tem mais de 65 anos de idade.

Se não tem a certeza que alguma das situações anteriores se aplica a si, fale com o seu

médico antes de tomar Etoricoxib Empower para ver se este medicamento é adequado

para si.

O Etoricoxib Empower atua bem em doentes adultos jovens e idosos. Se tem mais de 65

anos de idade, o seu médico poderá querer observá-lo(a) regularmente. Não é necessário

qualquer ajuste da dose em doentes com mais de 65 anos de idade.

Crianças e adolescentes

Não administre este medicamento a crianças e adolescentes com menos de 16 anos de

idade.

Outros medicamentos e Etoricoxib Empower

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, tiver tomado recentemente ou

se vier a tomar outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita

médica.

Ao iniciar o tratamento com Etoricoxib Empower, o seu médico pode querer certificar-se

de que os medicamentos que está a tomar estão a atuar de forma conveniente, em

particular se toma:

medicamentos que diluem o seu sangue (anticoagulantes), tais como a varfarina;

rifampicina (um antibiótico);

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

metotrexato (medicamento usado para a supressão do sistema imunitário e normalmente

usado na artrite reumatoide);

ciclosporina ou tacrolímus (medicamentos usados para a supressão do sistema

imunitário);

lítio (um medicamento usado para tratar alguns tipos de depressão);

medicamentos usados para ajudar a controlar a pressão arterial elevada e a insuficiência

cardíaca, chamados inibidores ECA e bloqueadores dos recetores da angiotensina,

exemplos incluem o enalapril e o ramipril, e o losartan e o valsartan;

diuréticos (medicamentos para urinar);

digoxina (um medicamento para a insuficiência cardíaca e ritmo cardíaco irregular);

minoxidil (um medicamento usado para tratar a pressão arterial elevada);

salbutamol em comprimidos ou em solução oral (um medicamento para a asma);

pílulas anticoncecionais (a combinação pode aumentar o risco de efeitos secundários);

terapêutica hormonal de substituição (a combinação pode aumentar o risco de efeitos

secundários);

aspirina, o risco de úlceras do estômago é maior se tomar Etoricoxib Empower com

aspirina.

aspirina para a prevenção de ataques cardíacos ou acidente vascular cerebral:

Etoricoxib Empower pode ser tomado com uma dose baixa de aspirina. Se está

atualmente a tomar uma dose baixa de aspirina para prevenir ataques cardíacos ou

acidente vascular cerebral, não deve parar de tomar aspirina até falar com o seu médico.

aspirina e outros medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs):

não tome doses elevadas de aspirina ou outros medicamentos anti-inflamatórios enquanto

estiver a tomar Etoricoxib Empower.

Etoricoxib Empower com alimentos e bebida

O início do efeito de Etoricoxib Empower pode ser mais rápido quando tomado sem

alimentos

Gravidez, amamentação e fertilidade

Gravidez

Etoricoxib Empower não deve ser tomado durante a gravidez. Se está ou pensa estar

grávida ou se planeia engravidar, não tome Etoricoxib Empower. Se ficar grávida, pare

de tomar Etoricoxib Empower e consulte o seu médico. Consulte o seu médico se tiver

dúvidas ou precisar de mais conselhos.

Amamentação

Não se sabe se Etoricoxib Empower passa para o leite materno. Se está a amamentar ou

planeia amamentar, consulte o seu médico antes de tomar Etoricoxib Empower. Se está a

tomar Etoricoxib Empower, não pode amamentar.

Fertilidade

Etoricoxib Empower não é recomendado em mulheres que pretendam engravidar.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Condução de veículos e utilização de máquinas

Em alguns doentes a tomar Etoricoxib Empower foram notificadas tonturas e sonolência.

Não conduza se sentir tonturas ou sonolência.

Não utilize quaisquer ferramentas ou máquinas se sentir tonturas ou sonolência

3. Como tomar Etoricoxib Empower

Tome este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o seu

médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Não tome mais que a dose recomendada para a sua doença. O seu médico irá avaliar o

seu tratamento periodicamente. É importante que utilize a dose mais baixa que controla a

sua dor e que não tome Etoricoxib Empower durante mais tempo do que o necessário. O

risco de ataque cardíaco ou de acidente vascular cerebral pode aumentar após tratamento

prolongado, especialmente com doses elevadas.

Existem diferentes dosagens disponíveis para este medicamento e, dependendo da sua

doença o seu médico irá prescrever a dosagem do comprimido que é adequado para si.

A dose recomendada é:

Osteoartrose

A dose recomendada é de 30 mg uma vez por dia, se necessário pode ser aumentada para

um máximo de 60 mg uma vez por dia.

Artrite reumatoide

A dose recomendada é de 60 mg uma vez por dia, se necessário pode ser aumentada para

um máximo de 90 mg uma vez por dia.

Espondilite anquilosante

A dose recomendada é de 60 mg uma vez por dia, se necessário pode ser aumentada para

um máximo de 90 mg uma vez por dia.

Situações de dor aguda

Etoricoxib deve ser usado apenas no período de dor aguda.

Gota

A dose recomendada é de 120 mg uma vez por dia, que deverá ser usada apenas no

período de dor aguda, limitada a um máximo de 8 dias de tratamento.

Dor pós-operatória na cirurgia dentária

A dose recomendada é de 90 mg uma vez por dia, limitada a um máximo de 3 dias de

tratamento.

Pessoas com problemas de fígado

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Se tem doença de fígado ligeira, não deverá tomar mais de 60 mg por dia.

Se tem doença de fígado moderada, não deverá tomar mais de 30 mg por dia.

Utilização em crianças e adolescentes

Etoricoxib Empower não deve ser tomado por crianças ou adolescentes com menos de 16

anos de idade.

Idosos

Não é necessário um ajuste da dose em doentes idosos. Tal como outros medicamentos,

recomenda-se precaução em doentes idosos.

Modo de administração

Etoricoxib Empower é para uso oral. Tome os comprimidos uma vez por dia. Etoricoxib

Empower pode ser tomado com ou sem alimentos.

Se tomar mais Etoricoxib Empower do que deveria

Nunca deve tomar mais comprimidos do que os recomendados pelo seu médico. Se tomar

muito Etoricoxib Empower comprimidos, contacte imediatamente o seu médico.

Caso se tenha esquecido de tomar Etoricoxib Empower

É importante que tome Etoricoxib Empower tal como lhe foi receitado pelo seu médico.

Se se esquecer de tomar uma dose, retome o horário de toma usual no dia seguinte. Não

tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico

ou farmacêutico.

4. Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários,

embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Se desenvolver algum destes sinais deve parar de tomar Etoricoxib Empower e falar com

o seu médico imediatamente (ver secção 2, O que precisa de saber antes de tomar

Etoricoxib Empower):

surgir ou piorar falta de ar, dores no peito ou inchaço no tornozelo

olhos e pele amarelecidos (icterícia) – que são sinais de problemas no fígado

dor abdominal forte ou persistente ou se as fezes se tornarem negras

uma reação alérgica – que pode incluir problemas na pele tais como úlceras ou vesículas

ou inchaço da face, lábios, língua ou garganta que podem causar dificuldade a respirar

A frequência dos efeitos secundários listados abaixo é definida de acordo com a seguinte

convenção:

Muito frequentes (afeta mais de 1 utilizador em 10)

Frequentes (afeta 1 a 10 utilizadores em 100)

Pouco frequentes (afeta 1 a 10 utilizadores em 1.000)

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Raros (afeta 1 a 10 utilizadores em 10.000)

Muito raros (afeta menos de 1 utilizador em 10.000)

Os seguintes efeitos secundários podem ocorrer durante o tratamento com Etoricoxib

Empower:

Muito frequentes

dor no estômago

Frequentes

inflamação do alvéolo (inflamação e dor após extração dentária)

inchaço das pernas e/ou pés devido a retenção de líquidos (edema)

tonturas, dor de cabeça

palpitações (batimento cardíaco rápido ou irregular), ritmo cardíaco irregular (arritmia)

pressão arterial elevada

respiração ruidosa ou dificuldade em respirar (broncospasmo)

obstipação, gases intestinais (gás excessivo), gastrite (inflamação do estômago), azia,

diarreia, indigestão (dispepsia)/desconforto do estômago, náuseas, enjoos (vómitos),

inflamação do esófago, úlceras na boca

alterações nas análises ao sangue relacionadas com o seu fígado

nódoas negras

fraqueza e fadiga, doença semelhante a gripe

Pouco frequentes

gastroenterite (inflamação do trato gastrointestinal que reveste tanto o estômago como o

intestino delgado/gripe gástrica), infeção das vias respiratórias superiores, infeção do

trato urinário

alterações nos valores laboratoriais (diminuição do número de glóbulos vermelhos,

diminuição do número de glóbulos brancos, diminuição das plaquetas)

hipersensibilidade (uma reação alérgica incluindo urticária que pode ser suficientemente

grave para necessitar de tratamento médico imediato)

aumento ou diminuição do apetite, aumento de peso

ansiedade, depressão, diminuição da perspicácia mental, ver, sentir ou ouvir coisas que

não estão presentes (alucinações)

alteração do paladar, dificuldade em adormecer, adormecimento ou formigueiro,

sonolência

visão turva, irritação e vermelhidão ocular

zumbidos nos ouvidos, vertigens (sensação de cabeça a andar à roda enquanto está

parado)

ritmo cardíaco alterado (fibrilhação auricular), frequência cardíaca rápida, insuficiência

cardíaca, sensação de tensão, pressão ou aperto no peito (angina de peito), ataque

cardíaco

afrontamento, acidente vascular cerebral, AVC transitório (acidente isquémico

transitório), aumento grave da pressão arterial, inflamação dos vasos sanguíneos

tosse, dificuldade em respirar, hemorragia nasal

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

distensão ao nível do estômago ou intestino, alteração nos seus hábitos intestinais, boca

seca, úlceras gástricas, inflamação do revestimento do estômago que se pode tornar grave

e originar hemorragias, síndrome do cólon irritável, inflamação do pâncreas

inchaço da face, irritação ou comichão na pele, vermelhidão da pele

cãibras/espasmos musculares, rigidez/dor muscular

níveis de potássio elevados no seu sangue, alterações nas análises ao sangue ou à urina

relacionadas com os seus rins, problemas renais graves

dor no peito

Raros

angioedema (uma reação alérgica com inchaço da face, lábios, língua e/ou garganta que

pode causar dificuldade em respirar ou engolir e que pode ser suficientemente grave de

forma a necessitar de tratamento médico imediato)/ reações anafiláticas/anafilactoides

incluindo choque (uma reação alérgica grave que necessita de tratamento médico

imediato)

confusão, agitação

alterações no fígado (hepatite)

níveis baixos de sódio no sangue

insuficiência hepática, amarelecimento da pele e/ou olhos (icterícia)

reações graves da pele

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá

comunicar efeitos secundários diretamente ao INFARMED I.P. através dos contactos

abaixo. Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações

sobre a segurança deste medicamento.

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel.: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

Fax: + 351 21 798 73 97

Sítio da internet: http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

5. Como conservar Etoricoxib Empower

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem exterior,

após VAL. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Conservar na embalagem de origem para proteger da humidade.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao

seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas

ajudarão a proteger o ambiente.

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de Etoricoxib Empower

A substância ativa é etoricoxib.

Cada comprimido revestidos por película contém 30 mg de etoricoxib.

Cada comprimido revestidos por película contém 60 mg de etoricoxib.

Cada comprimido revestidos por película contém 90 mg de etoricoxib.

Cada comprimido revestidos por película contém 120 mg de etoricoxib.

Os outros componentes são:

Núcleo do comprimido: Celulose microcristalina (E460), hidrogenofosfonato de cálcio

(anidro), croscarmelose sódica, estearato de magnésio (E470b).

Revestimento do comprimido: álcool polivinílico (E1203), dióxido de titânio (E171),

monostearato de glicerol (E471), laca de alumínio índigo carmim (E132) [apenas para as

dosagens de 30 mg, 60 mg e 120 mg], óxido de ferro amarelo (E172) [apenas para as

dosagens de 30 mg, 60 mg e 120 mg], talco (E553b), laurilsulfato de sódio

Qual o aspeto de Etoricoxib Empower e conteúdo da embalagem

Comprimido revestido por película

Etoricoxib Empower 30 mg comprimidos revestidos por película

Comprimido revestido por película azul esverdeado, em forma de maçã, biconvexo,

gravado com “30” numa das faces e liso na outra face, e com dimensão de 5,8 x 5,9 mm

± 7,5%.

Etoricoxib Empower 60 mg comprimidos revestidos por película

Comprimido revestido por película verde escuro, em forma de maçã, biconvexo, gravado

com “60” numa das faces e liso na outra face, e com dimensão de 7,1 x 7,3 mm ± 7,5%.

Etoricoxib Empower 90 mg comprimidos revestidos por película

Comprimido revestido por película branco, em forma de maçã, biconvexo, gravado com

“90” numa das faces e liso na outra face, e com dimensão de 8,1 x 8,3 mm ± 7,5%.

Etoricoxib Empower 120 mg comprimidos revestidos por película

Comprimido revestido por película verde pálido, em forma de maçã, biconvexo, gravado

com “120” numa das faces e liso na outra face, e com dimensão de 8,9 x 9,2 mm ± 7,5%.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Os comprimidos revestidos por película de Etoricoxib Empower são distribuídos em

embalagens com blisters contendo:

30 mg: 7, 20 e 28 comprimidos revestidos por película

60 mg: 20 e 28 comprimidos revestidos por película

90 mg: 5, 20 e 28 comprimidos revestidos por película

120 mg: 5, 7 e 28 comprimidos revestidos por película

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Empower Pharma s.r.o

U Staré tvrze 285/21,

Praga

República Checa

Fabricantes

Rontis Hellas Medical and Pharmaceutical Products S.A.

P.O. Box 3012 Larisa Industrial Area

Larisa 41004

Grécia

Este medicamento encontra-se autorizado nos Estados Membros do Espaço Económico

Europeu (EEE) com os seguintes nomes:

Portugal

Etoricoxib Empower

Itália

Etoricoxib Aurobindo

Espanha

Etoricoxib Aurovitas 30 mg/60 mg/90 mg/120 mg comprimidos

recubiertos con película EFG

Este folheto foi revisto pela última vez em

Leia o documento completo

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1. NOME DO MEDICAMENTO

Etoricoxib Empower 30 mg comprimidos revestidos por película

Etoricoxib Empower 60 mg comprimidos revestidos por película

Etoricoxib Empower 90 mg comprimidos revestidos por película

Etoricoxib Empower 120 mg comprimidos revestidos por película

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada comprimido revestido por película contém 30 mg de etoricoxib.

Cada comprimido revestido por película contém 60 mg de etoricoxib.

Cada comprimido revestido por película contém 90 mg de etoricoxib.

Cada comprimido revestido por película contém 120 mg de etoricoxib.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Comprimido revestido por película.

Etoricoxib Empower 30 mg comprimidos revestidos por película

Comprimido revestido por película azul esverdeado, em forma de maçã, biconvexo,

gravado com “30” numa das faces e liso na outra face, e com dimensão de 5,8 x 5,9 mm

± 7,5%.

Etoricoxib Empower 60 mg comprimidos revestidos por película

Comprimido revestido por película verde escuro, em forma de maçã, biconvexo, gravado

com “60” numa das faces e liso na outra face, e com dimensão de 7,1 x 7,3 mm ± 7,5%.

Etoricoxib Empower 90 mg comprimidos revestidos por película

Comprimido revestido por película branco, em forma de maçã, biconvexo, gravado com

“90” numa das faces e liso na outra face, e com dimensão de 8,1 x 8,3 mm ± 7,5%.

Etoricoxib Empower 120 mg comprimidos revestidos por película

Comprimido revestido por película verde pálido, em forma de maçã, biconvexo, gravado

com “120” numa das faces e liso na outra face, e com dimensão de 8,9 x 9,2 mm ± 7,5%.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

Indicações terapêuticas

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Etoricoxib Empower está indicado para o alívio sintomático da osteoartrose (OA), artrite

reumatoide (AR), espondilite anquilosante e da dor e sinais de inflamação associados a

artrite gotosa aguda de adultos e adolescentes com idade igual ou superior a 16 anos.

Etoricoxib Empower está indicado para o tratamento de curta duração da dor moderada

associada à cirurgia dentária de adultos e adolescentes com idade igual ou superior a 16

anos.

A decisão de prescrever um inibidor seletivo da COX-2 deve basear-se na avaliação

global dos riscos individuais do doente (ver secções 4.3, 4.4).

Posologia e modo de administração

Posologia

Uma vez que o risco cardiovascular relacionado com a utilização de etoricoxib pode

aumentar com a dose e a duração da exposição, deverá usar-se a menor dose diária eficaz,

na menor duração possível. Devem ser reavaliadas periodicamente a necessidade de

alívio sintomático e a resposta do doente à terapêutica, especialmente em doentes com

osteoartrose (ver secções 4.3, 4.4, 4.8 e 5.1).

Osteoartrite

A dose recomendada é de 30 mg uma vez por dia. Em alguns doentes com alívio

sintomático insuficiente, um aumento da dose para 60 mg, uma vez por dia, pode

aumentar a eficácia. Na ausência de um aumento no benefício terapêutico devem ser

consideradas outras opções terapêuticas.

Artrite reumatoide

A dose recomendada é de 60 mg uma vez por dia. Em alguns doentes com alívio

sintomático insuficiente, um aumento da dose para 90 mg, uma vez por dia, pode

aumentar a eficácia. Uma vez que o doente estiver clinicamente estável, pode ser

apropriado a redução da dose para 60 mg, uma vez por dia. Na ausência de um aumento

no benefício terapêutico devem ser consideradas outras opções terapêuticas.

Espondilite anquilosante

A dose recomendada é de 60 mg uma vez por dia. Em alguns doentes com alívio

sintomático insuficiente, um aumento da dose para 90 mg, uma vez por dia, pode

aumentar a eficácia. Uma vez que o doente estiver clinicamente estável, pode ser

apropriado a redução da dose para 60 mg, uma vez por dia. Na ausência de um aumento

no benefício terapêutico devem ser consideradas outras opções terapêuticas.

Situações de dor aguda

Em situações de dor aguda, o etoricoxib deve ser usado apenas no período sintomático

agudo.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Artrite gotosa aguda

A dose recomendada é de 120 mg uma vez por dia. Em estudos clínicos para a artrite

gotosa aguda, o etoricoxib foi administrado durante 8 dias.

Dor pós-operatória na cirurgia dentária

A dose recomendada é de 90 mg uma vez por dia, limitado a um máximo de 3 dias.

Alguns doentes podem precisar de analgesia pós-operatória adicional além do Etoricoxib

Empower durante o período de tratamento de três dias.

Doses superiores às doses recomendadas para cada indicação não demonstraram eficácia

adicional ou não foram estudadas. Assim:

A dose para OA não deve exceder 60 mg por dia.

A dose para AR e espondilite anquilosante não deve exceder 90 mg por dia.

A dose para a gota aguda não deve exceder 120 mg por dia, limitada a um máximo de 8

dias de tratamento.

A dose para a dor aguda pós-operatória na cirurgia dentária não deve exceder 90 mg por

dia, limitado a um máximo de 3 dias.

Populações especiais

Idosos

Não é necessário qualquer ajuste posológico nos doentes idosos. Como com outros

medicamentos, recomenda-se precaução em doentes idosos (ver secção 4.4).

Doentes com insuficiência hepática

Independentemente da indicação, em doentes com insuficiência hepática ligeira

(pontuação 5-6 na escala de Child Pugh) não deve ser excedida uma dose de 60 mg uma

vez por dia. Em doentes com insuficiência hepática moderada (pontuação 7-9 na escala

de Child Pugh), independentemente da indicação, não deve ser excedida a dose de 30 mg

uma vez por dia.

É recomendada precaução, particularmente em doentes com insuficiência hepática

moderada, pois a experiência clínica é limitada. Não há experiência clínica em doentes

com insuficiência hepática grave (pontuação

10 na escala de Child Pugh); pelo que o

seu uso está contraindicado nestes doentes (ver secções 4.3, 4.4 e 5.2).

Doentes com insuficiência renal

Não é necessário qualquer ajuste posológico em doentes com depuração da creatinina

30 ml/min (ver secção 5.2). Está contraindicada a utilização de etoricoxib em doentes

com depuração da creatinina <30 ml/min (ver secções 4.3 e 4.4).

População pediátrica

O etoricoxib é contraindicado em crianças e adolescentes com menos de 16 anos de idade

(ver secção 4.3).

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Modo de administração

Etoricoxib Empower é administrado por via oral e pode ser tomado com ou sem

alimentos. O início do efeito do medicamento pode ser mais rápido quando Etoricoxib

Empower é administrado sem alimentos. Este facto deve ser considerado quando for

necessário um alívio sintomático rápido.

Contraindicações

Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer dos excipientes mencionados na

secção 6.1.

Úlcera péptica ativa ou hemorragia gastrointestinal (GI) ativa.

Doentes com antecedentes de broncospasmo, rinite aguda, pólipos nasais, edema

angioneurótico, urticária ou reações do tipo alérgico após a administração de ácido

acetilsalicílico ou AINEs incluindo os inibidores da COX-2 (ciclo-oxigenase-2).

Gravidez e aleitamento (ver secções 4.6 e 5.3).

Insuficiência hepática grave (albumina sérica < 25 g/l ou pontuação

10 na escala de

Child Pugh).

Depuração da creatinina renal estimada em < 30 ml/min.

Crianças e adolescentes com menos de 16 anos de idade.

Doença intestinal inflamatória.

Insuficiência cardíaca congestiva (NYHA II-IV).

Doentes com hipertensão cuja pressão arterial esteja persistentemente acima de 140/90

mmHg e não tenha sido controlada de forma adequada.

Cardiopatia isquémica, arteriopatia periférica e/ou doença cerebrovascular

estabelecidas.

Advertências e precauções especiais de utilização

Efeitos gastrointestinais

Em doentes tratados com etoricoxib ocorreram complicações gastrointestinais do trato

superior [perfurações, úlceras ou hemorragias (PUHs)], algumas delas com resultados

fatais.

Recomenda-se precaução no tratamento de doentes com maior risco de desenvolverem

uma complicação gastrointestinal com os AINE: os idosos, doentes a utilizarem

concomitantemente qualquer outro AINE ou ácido acetilsalicílico, ou doentes com

história prévia de doença gastrointestinal, tal como ulceração e hemorragia GI.

Existe um aumento adicional do risco de efeitos adversos gastrointestinais (ulceração

gastrointestinal ou outras complicações gastrointestinais) quando o etoricoxib é tomado

concomitantemente com o ácido acetilsalicílico (mesmo em baixas doses). Em ensaios

clínicos de longa duração não foi demonstrada uma diferença significativa na segurança

GI entre os inibidores seletivos da COX-2 + ácido acetilsalicílico vs. AINEs + ácido

acetilsalicílico (ver secção 5.1).

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Efeitos cardiovasculares

Os ensaios clínicos sugerem que os fármacos da classe dos inibidores seletivos da COX-2

podem estar associados a um risco de acontecimentos trombóticos (especialmente enfarte

do miocárdio (EM) e acidente vascular cerebral), comparativamente com o placebo e

alguns AINEs. Uma vez que o risco cardiovascular relacionado com a utilização de

etoricoxib pode aumentar com a dose e a duração da exposição, deverá usar-se a menor

dose diária eficaz, na menor duração possível. Devem ser reavaliadas periodicamente a

necessidade de alívio sintomático e a resposta do doente à terapêutica, especialmente em

doentes com osteoartrose (ver secções 4.2, 4.3, 4.8 e 5.1).

Os doentes com fatores de risco significativos para a ocorrência de acontecimentos

cardiovasculares (por exemplo hipertensão, hiperlipidemia, diabetes mellitus, hábitos

tabágicos) só devem ser tratados com etoricoxib após uma avaliação cuidadosa (ver

secção 5.1).

Os inibidores seletivos da COX-2 não são substitutos do ácido acetilsalicílico na

profilaxia das doenças cardiovasculares tromboembólicas, uma vez que não possuem

atividade antiagregante plaquetária. Por isso, as terapêuticas antiagregantes plaquetárias

não devem ser interrompidas (ver secções 4.5 e 5.1).

Efeitos renais

As prostaglandinas renais podem desempenhar uma função compensadora na

manutenção da perfusão renal. Por isso, sempre que haja compromisso da perfusão renal,

a administração de etoricoxib pode causar uma redução na formação de prostaglandinas

e, secundariamente, no fluxo sanguíneo renal, diminuindo assim, a função renal. Os

doentes que apresentam maior risco de desencadear esta resposta são os que têm

insuficiência significativa da função renal pré-existente, insuficiência cardíaca

descompensada ou cirrose. Deve considerar-se a monitorização da função renal nestes

doentes.

Retenção de líquidos, edema e hipertensão

Tal como acontece com outros medicamentos que inibem a síntese de prostaglandinas,

observou-se retenção de líquidos, edema e hipertensão em doentes a tomar etoricoxib.

Todos os Anti-inflamatórios Não Esteroides (AINEs), incluindo o etoricoxib, podem ser

associados com um novo início ou a recorrência de insuficiência cardíaca congestiva.

Para informação relativa à resposta relacionada com a dose para o etoricoxib, ver secção

5.1. Recomenda-se precaução em doentes com história de insuficiência cardíaca,

disfunção ventricular esquerda ou hipertensão, e em doentes com edema pré-existente

devido a qualquer outra causa. Se houver evidência clínica de deterioração do estado

destes doentes devem tomar-se medidas adequadas, incluindo a interrupção da

terapêutica com etoricoxib.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

O etoricoxib, particularmente em doses elevadas, pode estar associado a hipertensão mais

frequente e grave do que outros AINEs e inibidores seletivos da COX-2. Assim, a

hipertensão deve ser controlada antes do tratamento com etoricoxib (ver secção 4.3) e

aconselha-se especial precaução na monitorização da pressão arterial durante o

tratamento com etoricoxib. A pressão arterial deve ser monitorizada nas duas semanas

após o início do tratamento e periodicamente a partir daí. Se a pressão arterial aumentar

significativamente deverá considerar-se tratamento alternativo.

Efeitos hepáticos

Nos estudos clínicos foram relatados aumentos da alanina aminotransferase (ALT) e/ou

aspartato aminotransferase (AST) (cerca de três ou mais vezes o limiar superior do

normal) em aproximadamente 1% dos doentes tratados por períodos até um ano com 30,

60 e 90 mg de etoricoxib por dia.

Deverão ser monitorizados quaisquer doentes que apresentem sintomas e/ou sinais

sugestivos de insuficiência hepática, ou que apresentem um resultado anormal num teste

da função hepática. A terapêutica com etoricoxib deverá ser interrompida se forem

detetados sinais de insuficiência hepática ou resultados anormais persistentes nos testes

da função hepática (três vezes o limiar superior do normal).

Gerais

Se durante o tratamento se verificar deterioração de qualquer uma das funções dos

sistemas orgânicos do doente acima referidas, devem ser tomadas medidas apropriadas e

considerada a interrupção da terapêutica com etoricoxib. Deve manter-se vigilância

clínica apropriada nos doentes idosos e nos doentes com insuficiência renal, hepática ou

cardíaca, que estejam a tomar etoricoxib.

Em doentes com desidratação recomenda-se precaução quando se inicia o tratamento

com etoricoxib. Recomenda-se a reidratação dos doentes antes de iniciar a terapêutica

com etoricoxib.

Durante a vigilância pós-comercialização foram notificadas muito raramente reações

cutâneas graves, algumas das quais fatais, incluindo dermatite exfoliativa, Síndrome de

Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica, associadas à utilização de AINEs e de

alguns inibidores seletivos da COX-2 (ver secção 4.8). O risco de ocorrência destas

reações parece ser superior no início da terapêutica, ocorrendo maioritariamente este tipo

de reações durante o primeiro mês de tratamento. Foram notificadas reações de

hipersensibilidade graves (tais como anafilaxia e angioedema) em doentes com

terapêutica com etoricoxib (ver secção 4.8). Alguns inibidores seletivos da COX – 2

foram associados a um aumento do risco de reações cutâneas em doentes com

antecedentes de alergias medicamentosas. A terapêutica com etoricoxib deverá ser

interrompida ao primeiro sinal de erupção cutânea, lesões nas mucosas ou qualquer outro

sinal de hipersensibilidade.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

O etoricoxib pode mascarar a febre e outros sinais de inflamação.

Recomenda-se precaução na administração concomitante do etoricoxib com varfarina ou

com outros anticoagulantes orais (ver secção 4.5).

A utilização do etoricoxib, tal como de qualquer outro medicamento que iniba a

ciclooxigenase/síntese das prostaglandinas não é recomendada em mulheres que

pretendam engravidar (ver secções 4.6, 5.1 e 5.3).

Interações medicamentosas e outras formas de interação

Interações farmacodinâmicas

Anticoagulantes orais: Em indivíduos estabilizados com terapêutica crónica com

varfarina, a administração diária de 120 mg de etoricoxib foi associada a um aumento de

aproximadamente 13% do tempo de protrombina International Normalised Ratio (INR).

Assim, os doentes a tomar anticoagulantes orais devem ser cuidadosamente

monitorizados em relação ao INR do tempo de protrombina, particularmente nos

primeiros dias após o início da terapêutica com etoricoxib ou quando a dose de etoricoxib

for alterada (ver secção 4.4).

Diuréticos, inibidores da ECA e Antagonistas da Angiotensina II (AAII): Os AINEs

podem reduzir o efeito dos diuréticos e de outros fármacos anti-hipertensores. Em alguns

doentes com a função renal comprometida (p.e. doentes desidratados ou doentes idosos

com a função renal comprometida), a administração concomitante de um inibidor da

ECA ou de um antagonista da Angiotensina II e de fármacos inibidores da

ciclooxigenase, poderá provocar uma deterioração adicional da função renal, incluindo

uma possível insuficiência renal aguda, que é normalmente reversível. Devem considerar-

se estas interações em doentes a tomar etoricoxib concomitantemente com inibidores da

ECA ou antagonistas da angiotensina II. Consequentemente, a administração

concomitante destes medicamentos deve ser feita com precaução, especialmente em

idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados, deverá considerar-se a

monitorização da função renal após o início da terapêutica concomitante e posteriormente

a intervalos regulares.

Ácido acetilsalicílico: Num estudo efetuado com indivíduos saudáveis, em estado

estacionário, a administração de 120 mg de etoricoxib uma vez por dia, não interferiu na

atividade antiagregante plaquetária do ácido acetilsalicílico (81 mg uma vez por dia). O

etoricoxib pode ser usado concomitantemente com ácido acetilsalicílico nas doses usadas

para profilaxia cardiovascular (ácido acetilsalicílico em baixa dosagem). Contudo, a

administração concomitante de doses baixas de ácido acetilsalicílico com etoricoxib pode

resultar num aumento da percentagem de ulceração ou outras complicações GI, em

comparação com o uso do etoricoxib em monoterapia. Não é recomendada a

administração concomitante de etoricoxib com doses de ácido acetilsalicílico acima das

usadas para profilaxia cardiovascular ou com outros AINEs (ver secções 5.1 e 4.4).

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Ciclosporina e tacrolímus: Apesar desta interação não ter sido estudada com o etoricoxib,

a administração concomitante de ciclosporina ou tacrolímus com qualquer AINE pode

aumentar o efeito nefrotóxico da ciclosporina ou do tacrolímus. A função renal deve ser

monitorizada sempre que o etoricoxib seja utilizado em associação com qualquer um

destes fármacos.

Interações farmacocinéticas

O efeito do etoricoxib na farmacocinética de outros fármacos

Lítio: Os AINE diminuem a excreção renal de lítio, aumentando assim os níveis

plasmáticos de lítio. Se necessário, deve monitorizar-se cuidadosamente o lítio no sangue

e ajustar-se a posologia do lítio enquanto a associação medicamentosa estiver a ser

administrada e quando a administração do AINE for retirada.

Metotrexato: Em dois estudos investigaram-se os efeitos de uma administração diária

única de 60, 90 ou 120 mg de etoricoxib durante sete dias em doentes a receber doses

semanais únicas de 7,5 a 20 mg de metotrexato para a artrite reumatoide. A administração

de 60 ou 90 mg de etoricoxib não teve qualquer efeito nas concentrações plasmáticas do

metotrexato ou na depuração renal. Num dos estudos, a administração de 120 mg de

etoricoxib não teve qualquer efeito, mas no outro estudo, a administração de 120 mg de

etoricoxib aumentou as concentrações plasmáticas do metotrexato em cerca de 28% e

reduziu a depuração renal do metotrexato em cerca de 13%. Quando o etoricoxib e

metotrexato são administrados concomitantemente, recomenda-se a monitorização

adequada da toxicidade relacionada com o metotrexato.

Contracetivos orais: A administração concomitante de etoricoxib 60 mg e contracetivos

orais contendo 35 microgramas de etinilestradiol (EE) e 0,5 a 1 mg de noretisterona,

durante 21 dias, aumentou a AUC

0-24h

do EE, no estado estacionário, em 37%. A

administração de etoricoxib 120 mg com o mesmo tipo de contracetivo oral,

concomitantemente ou com um intervalo de 12 horas, aumentou a AUC

0-24h

do EE no

estado estacionário em cerca de 50 a 60%. Este aumento na concentração do EE deve ser

considerado aquando da seleção de um contracetivo oral para utilização com o etoricoxib.

Um aumento da exposição ao EE pode aumentar a incidência de efeitos adversos

associados aos contracetivos orais (p.e. eventos tromboembólicos venosos em mulheres

de risco).

Terapêutica Hormonal de Substituição (THS): A administração de etoricoxib 120 mg em

simultâneo com uma terapêutica hormonal de substituição com estrogénios conjugados

(0,625 mg PREMARIN

), durante 28 dias, aumenta a média da AUC

0-24h

no estado

estacionário da estrona não conjugada (41%), equilina (76%) e 17-

-estradiol (22%). Os

efeitos de etoricoxib na dose crónica recomendada (30, 60 e 90 mg) não foram estudados.

Os efeitos (AUC

0-24h

) do etoricoxib 120 mg na exposição a estes componentes

estrogénicos do PREMARIN foram menos de metade dos efeitos observados quando

PREMARIN foi administrado isoladamente e a dose foi aumentada de 0,625 mg para

1,25 mg. Não se conhece o significado clínico destes aumentos e não foram estudadas as

combinações de etoricoxib com doses mais elevadas de PREMARIN. Estes aumentos na

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

concentração de estrogénios devem ser tidos em consideração aquando da seleção da

terapêutica hormonal pós-menopausa associada à administração de etoricoxib porque o

aumento da exposição aos estrogénios pode aumentar o risco de efeitos adversos

associados à THS.

Prednisona/Prednisolona: Em estudos de interações medicamentosas, o etoricoxib não

teve efeitos clinicamente importantes na farmacocinética da prednisona/prednisolona.

Digoxina: A administração de 120 mg de etoricoxib uma vez por dia durante 10 dias a

voluntários saudáveis não alterou a AUC

0-24h

plasmática no estado estacionário ou a

eliminação renal da digoxina. Registou-se um aumento na C

máx

da digoxina

(aproximadamente 33%). Este aumento não é geralmente importante para a maioria dos

doentes. Contudo, os doentes com elevado risco de toxicidade pela digoxina devem ser

monitorizados quando o etoricoxib e a digoxina são administrados concomitantemente.

Efeito do etoricoxib nos fármacos metabolizadas pelas sulfotransferases

O etoricoxib é um inibidor da atividade da sulfotransferase humana, particularmente da

SULT1E1 e mostrou aumentar as concentrações séricas do etinilestradiol. Uma vez que é

atualmente limitado o conhecimento sobre os efeitos das várias sulfotransferases e que as

consequências clínicas para vários fármacos estão ainda em estudo, será prudente ter-se

precaução quando o etoricoxib é administrado concomitantemente com outros fármacos

primariamente metabolizados pelas sulfotransferases humanas (p.e.: salbutamol e

minoxidil por via oral).

Efeito do etoricoxib nos fármacos metabolizadas pelas isoenzimas do CYP

Com base em estudos in vitro, não se espera que o etoricoxib iniba os citocromos P450

(CYP) 1A2, 2C9, 2C19, 2D6, 2E1 ou 3A4. Num estudo efetuado em indivíduos

saudáveis, a administração diária de 120 mg de etoricoxib não alterou a atividade do

CYP3A4 hepático, tal como comprovado pelo teste respiratório da eritromicina

Efeitos de outros fármacos na farmacocinética do etoricoxib

A via metabólica principal do etoricoxib é dependente das enzimas do CYP. O CYP3A4

parece contribuir para o metabolismo do etoricoxib in vivo. Os estudos in vitro indicam

que o CYP2D6, CYP2C9, CYP1A2 e CYP2C19 podem também catalisar a via

metabólica principal, mas os seus efeitos quantitativos não foram estudados in vivo.

Cetoconazol: O cetoconazol, um inibidor potente do CYP3A4, administrado em doses de

400 mg uma vez por dia durante 11 dias a voluntários saudáveis, não teve qualquer efeito

clinicamente importante na farmacocinética de uma dose única de 60 mg de etoricoxib

(aumento de 43% da AUC).

Voriconazol e Miconazol: A administração concomitante de etoricoxib tanto com

voriconazol oral como com miconazol gel tópico oral, inibidores potentes do CYP3A4,

causou um ligeiro aumento na exposição ao etoricoxib. No entanto, com base nos dados

publicados, não é considerado clinicamente relevante.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Rifampicina: A administração concomitante de etoricoxib com rifampicina, um potente

indutor das enzimas do CYP, provocou uma diminuição de 65 % nas concentrações

plasmáticas de etoricoxib. Esta interação pode resultar na recorrência dos sintomas

quando o etoricoxib é administrado concomitantemente com rifampicina. Ainda que esta

informação possa sugerir um aumento da dose, não foram estudadas em associação com

rifampicina doses de etoricoxib superiores às recomendadas para cada indicação, não

sendo, portanto, recomendadas (ver secção 4.2).

Antiácidos: Os antiácidos não afetam a farmacocinética do etoricoxib de forma

clinicamente relevante.

Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

Não existem dados clínicos sobre a exposição ao etoricoxib durante a gravidez. Os

estudos em animais revelaram toxicidade reprodutiva (ver secção 5.3). Desconhece-se o

risco potencial para o ser humano na gravidez. O etoricoxib, tal como os outros

medicamentos que inibem a síntese das prostaglandinas, pode causar inércia uterina e

encerramento prematuro do canal arterial durante o último trimestre. O etoricoxib está

contraindicado na gravidez (ver secção 4.3). Se uma mulher engravidar durante o

tratamento a administração de etoricoxib deverá ser interrompida.

Amamentação

Não se sabe se o etoricoxib é excretado no leite humano. O etoricoxib é excretado no

leite de ratos fêmea lactantes. As mulheres que tomam etoricoxib não devem amamentar

(ver secções 4.3 e 5.3).

Fertilidade

Tal como com qualquer outra substância ativa que iniba a COX-2, a utilização de

etoricoxib não é recomendada em mulheres que pretendam engravidar.

Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Doentes a tomar etoricoxib que sintam tonturas, vertigens ou sonolência devem evitar

conduzir ou trabalhar com máquinas.

Efeitos indesejáveis

Resumo do perfil de segurança

Em ensaios clínicos, o etoricoxib foi avaliado em relação à segurança em 9.295

indivíduos, incluindo 6.757 doentes com OA, AR, lombalgia crónica ou espondilite

anquilosante (aproximadamente 600 doentes com OA ou AR foram tratados durante um

período igual ou superior a um ano).

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Nos estudos clínicos, o perfil de efeitos indesejáveis foi semelhante em doentes com OA

ou AR tratados com etoricoxib durante um período igual ou superior a 1 ano.

Num estudo clínico para a artrite gotosa aguda, os doentes foram tratados com 120 mg de

etoricoxib uma vez por dia durante oito dias. O perfil de efeitos adversos neste estudo foi

geralmente semelhante ao notificado nos estudos combinados de OA, AR e lombalgia

crónica.

Num programa clínico para avaliação de resultados de segurança cardiovascular a partir

dos dados combinados de três ensaios clínicos controlados com comparador ativo, 17.412

doentes com OA ou AR foram tratados com etoricoxib (60 mg ou 90 mg) durante um

período médio de aproximadamente 18 meses. Os resultados de segurança e detalhes

deste programa clínico são apresentados na secção 5.1.

O perfil de reações adversas notificadas nos ensaios clínicos para a dor aguda pós-

operatória na cirurgia dentária, que incluiu 614 doentes tratados com etoricoxib (90 mg

ou 120 mg), em geral, foi semelhante ao reportado nos ensaios clínicos na OA, AR e

lombalgia crónica.

Lista tabelada de reações adversas

Foram notificados os seguintes efeitos indesejáveis, com incidência superior à do

placebo, nos ensaios clínicos em doentes com OA, AR, lombalgia crónica ou espondilite

anquilosante, tratados com 30 mg, 60 mg ou 90 mg de etoricoxib até à dose

recomendada, por um período até 12 semanas; nos estudos do Programa MEDAL até 3½

anos; em estudos de curta duração na dor aguda até 7 dias; ou na experiência pós-

comercialização:

Classe de Sistema de

Órgãos

Reações adversas

Categoria de frequência*

Infeções e infestações

Osteíte alveolar

Frequentes

Gastroenterite, infeções

respiratórias superiores,

infeção do trato urinário

Pouco frequentes

Doenças do sangue e do

sistema linfático

Anemia (principalmente

associada a hemorragia

gastrointestinal), leucopenia,

trombocitopenia

Pouco frequentes

Doenças do sistema

imunitário

Hipersensibilidade

‡ ß

Pouco frequentes

Angioedema/reações

anafilática /reações

anafilactoides incluindo

choque

Raros

Doenças do metabolismo e

Edema/retenção de líquidos

Frequentes

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

da nutrição

Aumento ou diminuição do

apetite, ganho de peso

Pouco frequentes

Perturbações do foro

psiquiátrico

Ansiedade, depressão,

acuidade mental diminuída,

alucinações

Pouco frequentes

Confusão‡, agitação

Raros

Doenças do sistema nervoso

Tonturas, cefaleia

Frequentes

Disgeusia, insónias,

parestesia/hipoestesia,

sonolência

Pouco frequentes

Afeções oculares

Visão turva, conjuntivite

Pouco frequentes

Afeções do ouvido e do

labirinto

Acufenos, vertigens

Pouco frequentes

Cardiopatias

Palpitações, arritmia

Frequentes

Fibrilhação auricular,

taquicardia

, insuficiência

cardíaca congestiva,

alterações não-específicas do

ECG, angina de peito

enfarte do miocárdio

Pouco frequentes

Vasculopatias

Hipertensão

Frequentes

Afrontamento, acidente

cerebrovascular

, acidente

isquémico transitório, crise

hipertensiva

, vasculite

Pouco frequentes

Doenças respiratórias,

torácicas e do mediastino

Broncospasmo

Frequentes

Tosse, dispneia, epistaxe

Pouco frequentes

Doenças gastrointestinais

Dor abdominal

Muito frequentes

Obstipação, flatulência,

gastrite, azia/refluxo de

ácido, diarreia,

dispepsia/mal-estar

epigástrico, náuseas,

vómitos, esofagite, úlcera da

boca

Frequentes

Distensão abdominal,

alteração da motilidade

intestinal normal, boca seca,

úlcera gastroduodenal,

úlceras pépticas incluindo

perfuração gastrointestinal e

hemorragias, síndrome cólon

irritável, pancreatite

Pouco frequentes

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Afeções hepatobiliares

ALT aumentada, AST

aumentada

Frequentes

Hepatite‡

Raros

Insuficiência hepática

icterícia

Raros†

Afeções dos tecidos

cutâneos e subcutâneos

Equimose

Frequentes

Edema facial, prurido,

erupção cutânea, eritema

urticária

Pouco frequentes

Síndrome Stevens-Johnson

necrose epidérmica tóxica

erupção medicamentosa

persistente

Raros

Afeções musculosqueléticas

e dos tecidos conjuntivos

Cãibra/espasmo muscular,

dor/rigidez

musculosquelética

Pouco frequentes

Doenças renais e urinárias

Proteinúria, creatinina sérica

aumentada, falência

renal/insuficiência renal

(ver secção 4.4)

Pouco frequentes

Perturbações gerais e

alterações no local de

administração

Astenia/fadiga, síndrome

tipo gripal

Frequentes

Dor torácica

Pouco frequentes

Exames complementares de

diagnóstico

Azoto ureico no sangue

aumentado,

creatinafosfoquinase

aumentada, hipercaliemia,

ácido úrico aumentado

Pouco frequentes

Natremia diminuída

Raros

Categoria de frequência: Definida para cada Reação Adversa pela incidência notificada

na base de dados dos ensaios clínicos: Muito frequentes (

1/10), Frequentes (

1/100,

<1/10), Pouco frequentes (

1/1.000, <1/100), Raros (

1/10.000, <1/1.000), Muito raros

(<1/10.000).

Esta reação adversa foi identificada através da vigilância pós-comercialização. A

frequência reportada foi estimada tendo em consideração a frequência mais elevada

observada nos dados dos ensaios clínicos agrupados por indicação e por dose aprovada.

A categoria de frequência “Raros” foi definida com base nas linhas orientadoras

relativas ao Resumo das Características do Medicamento (RCM) (rev. 2, Set 2009) tendo

em consideração um limite superior estimado com um intervalo de confiança de 95%

para 0 acontecimentos dado o número de indivíduos tratados com etoricoxib na análise

dos dados de Fase III agrupados por dose e indicação (n=15.470).

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Hipersensibilidade inclui os termos "alergia", "alergia medicamentosa",

"hipersensibilidade a fármacos", "hipersensibilidade", "hipersensibilidade NE", "reação

de hipersensibilidade" e "alergia não-específica".

Com base na análise de ensaios clínicos de longa duração, controlados com placebo ou

ativo, os inibidores seletivos da COX-2 foram associados a um aumento do risco de

acontecimentos trombóticos arteriais graves, incluindo enfarte do miocárdio e acidente

vascular cerebral. Com base nos dados existentes, é improvável que o aumento do risco

absoluto destes acontecimentos exceda 1% por ano (pouco frequente).

Foram notificados os seguintes efeitos indesejáveis graves associados à utilização de

AINEs, que não podem ser excluídos para o etoricoxib: nefrotoxicidade incluindo nefrite

intersticial e síndrome nefrótico.

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é

importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-risco

do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas

de reações adversas através:

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

Fax: + 351 21 798 73 97

Sítio da internet:http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

Sobredosagem

Em estudos clínicos, a administração de doses únicas de etoricoxib até 500 mg e de doses

múltiplas até 150 mg/dia durante 21 dias, não provocou toxicidade significativa. Houve

notificações de sobredosagem aguda com etoricoxib, embora não tenham sido notificados

efeitos adversos na maioria dos casos. Os efeitos adversos observados com maior

frequência foram consistentes com o perfil de segurança do etoricoxib (p. e., efeitos

gastrointestinais e cardiorrenais).

Em caso de sobredosagem recomenda-se o emprego das medidas de suporte usuais, p. e.,

remover o material não absorvido do trato GI, proceder a monitorização clínica e se

necessário, instituir medidas terapêuticas de suporte.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

O etoricoxib não é dialisável por hemodiálise; não se sabe se o etoricoxib é dialisável por

diálise peritoneal.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: 9.1.9- Aparelho locomotor. Anti-inflamatórios não esteroides.

Inibidores seletivos da Cox 2. Código ATC: M01AH05

Mecanismo de ação

O etoricoxib é um inibidor seletivo da ciclo-oxigenase-2 (COX-2), oral, nas posologias

utilizadas na clínica.

Nos vários estudos de farmacologia clínica, etoricoxib produziu uma inibição da COX-2

dependente da dose, sem inibição da COX-1, com doses diárias até 150 mg. O etoricoxib

não inibiu a síntese das prostaglandinas gástricas e não afetou a função plaquetária.

A ciclo-oxigenase é responsável pela produção de prostaglandinas. Foram identificadas

duas isoformas, a COX-1 e a COX-2. A COX-2 é a isoforma da enzima que demonstrou

ser induzida por estímulos pro-inflamatórios, admitindo-se que seja a principal

responsável pela síntese de mediadores prostanoides da dor, inflamação e febre. A COX-

2 está também envolvida na ovulação, implantação e encerramento do canal arterial,

regulação da função renal, e nas funções do sistema nervoso central (indução da febre,

perceção da dor e função cognitiva). Pode também ter um papel na cicatrização de

úlceras. A COX-2 foi identificada no tecido circundante das úlceras gástricas em homens,

mas não foi estabelecida a sua relevância na cicatrização de úlceras.

Eficácia clínica e segurança

Eficácia

Em doentes com osteoartrose (OA), a administração de 60 mg de etoricoxib uma vez por

dia, proporcionou melhorias significativas na dor e nas avaliações do doente

relativamente ao estado da doença. Estes efeitos benéficos foram observados logo ao

segundo dia de tratamento, e mantiveram-se até 52 semanas. Os estudos com 30 mg de

etoricoxib, uma vez por dia, demonstraram eficácia superior ao placebo ao longo de um

período de tratamento de 12 semanas (utilizando avaliações similares aos estudos atrás

descritos). Num estudo de avaliação posológica, etoricoxib de 60 mg demonstrou uma

melhoria significativamente superior à observada com 30 mg para o total dos 3

parâmetros de avaliação final primários, ao longo de 6 semanas de tratamento. A dose de

30 mg não foi estudada na osteoartrose das mãos.

Em doentes com artrite reumatoide (AR), 60 mg e 90 mg de etoricoxib uma vez por dia,

proporcionaram melhorias significativas da dor, inflamação e mobilidade. Em estudos

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

que avaliaram a dose de 60 mg e 90 mg, estes efeitos benéficos mantiveram-se ao longo

dos períodos de 12 semanas de tratamento. Num estudo que avaliou a dose de 60 mg em

comparação com a dose de 90 mg, o etoricoxib 60 mg uma vez ao dia e 90 mg uma vez

ao dia foram mais eficazes do que o placebo. A dose de 90 mg foi superior à dose de 60

mg para o “Patient Global Assessment of Pain” (0-100 mm escala analógica visual), com

uma melhoria média de -2,71 mm (95% CI: -4,98 mm, -0,45 mm).

Em doentes com crises de artrite gotosa aguda, a administração de 120 mg de etoricoxib

uma vez por dia, durante um período de tratamento de oito dias, provocou um alívio da

dor e da inflamação moderada a forte das articulações, comparável ao verificado com a

administração de 50 mg de indometacina três vezes por dia. O alívio da dor foi observado

após quatro horas do início do tratamento.

Nos doentes com espondilite anquilosante, etoricoxib 90 mg, uma vez por dia,

proporcionou melhorias significativas da dor, inflamação, rigidez e função da coluna. O

benefício clínico do etoricoxib foi observado logo ao segundo dia de terapêutica após o

início do tratamento e foi mantido durante as 52 semanas do tratamento. Num segundo

estudo que avaliou a dose de 60 mg em comparação com a dose de 90 mg, etoricoxib 60

mg diários e 90 mg diários demonstraram eficácia similar à do naproxeno 1.000 mg

diários. Entre os que responderam inadequadamente a 60 mg por dia durante 6 semanas,

o aumento da dose para 90 mg por dia melhorou a taxa de intensidade da dor neuropática

(escala visual analógica 0-100 mm) em comparação com a continuação com 60 mg por

dia, com uma melhoria média de -2,70 mm (95% CI: -4,88 mm, -0,52 mm).

Num ensaio clínico para avaliar a dor pós-operatória na cirurgia dentária, foi

administrado etoricoxib 90 mg uma vez por dia, durante 3 dias. No subgrupo de doentes,

com dor moderada de base, etoricoxib 90 mg demonstrou um efeito analgésico

semelhante ao ibuprofeno 600 mg (16,11 vs 16,39; P=0,722), e superior ao do

paracetamol/codeína 600 mg/60 mg (11,00; P< 0,001) e placebo (6,84; P < 0,001)

medido pelo alívio total da dor durante o período inicial de 6 horas (TOPAR6). A

proporção de doentes que notificaram o uso de medicação de alívio nas primeiras 24

horas após a toma foi de 40,8% para o etoricoxib 90 mg, 25,5% para o ibuprofeno 600

mg administrado de 6 em 6 horas, e 46,7% para o paracetamol/codeína 600 mg/60 mg,

administrado de 6 em 6 horas em comparação com 76,2% para o placebo. Neste ensaio, a

mediana do início de ação (alívio percetível da dor) de etoricoxib 90 mg foi de 28

minutos após administração.

Segurança

Programa clínico Multinacional com Etoricoxib e Diclofenac na Artrite de Longa

duração (MEDAL)

O Programa MEDAL foi um programa clínico de desenho prospetivo para avaliação de

Resultados de Segurança Cardiovascular (CV) a partir dos dados combinados de três

ensaios clínicos com distribuição aleatória, realizados em dupla ocultação, controlados

com comparador ativo, os estudos MEDAL, EDGE II e EDGE.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

O Estudo MEDAL foi um estudo orientado por parâmetros de avaliação finais de

Resultados CV em 17.804 doentes com OA e em 5.700 doentes com AR tratados com

etoricoxib 60 mg (OA) ou 90 mg (OA e AR) ou diclofenac 150 mg por dia durante um

período médio de 20,3 meses (máximo de 42,3 meses, mediana de 21,3 meses). Neste

ensaio clínico, foram apenas registados acontecimentos adversos graves e interrupções do

tratamento devido a quaisquer acontecimentos adversos.

Os estudos EDGE e EDGE II compararam a tolerabilidade gastrointestinal do etoricoxib

versus o diclofenac. O estudo EDGE incluiu 7.111 doentes com OA tratados com uma

dose de etoricoxib 90 mg por dia (1,5 vezes a dose recomendada para a OA) ou com

diclofenac 150 mg por dia durante um período médio de 9,1 meses (máximo de 16,6

meses, mediana de 11,4 meses). O estudo EDGE II incluiu 4.086 doentes com AR

tratados com etoricoxib 90 mg por dia ou com diclofenac 150 mg por dia durante um

período médio de 19,2 meses (máximo de 33,1 meses, mediana de 24 meses).

No Programa MEDAL combinado, foram tratados 34701 doentes com OA ou AR

durante um tempo médio de 17,9 meses (máximo de 42,3 meses, mediana de 16,3

meses), tendo, aproximadamente, 12.800 doentes recebido tratamento durante um

período superior a 24 meses. Os doentes envolvidos no Programa apresentavam variados

fatores de risco cardiovasculares e gastrointestinais iniciais. Foram excluídos os doentes

com história recente de enfarte do miocárdio, cirurgia de bypass coronário ou intervenção

coronária percutânea nos 6 meses anteriores ao recrutamento para o estudo. Nos estudos

foi permitido o uso de agentes gastroprotetores e de ácido acetilsalicílico de baixa

dosagem

Segurança Global:

Não houve diferença significativa entre o etoricoxib e o diclofenac na percentagem de

acontecimentos cardiovasculares trombóticos. Os acontecimentos adversos cardio-renais

foram observados mais frequentemente com etoricoxib do que com diclofenac, e este

efeito foi dependente da dose (ver resultados específicos a seguir). Foram observados

acontecimentos adversos gastrointestinais e hepáticos de modo significativamente mais

frequente com diclofenac do que com etoricoxib. A incidência de acontecimentos

adversos no EDGE e EDGE II e de acontecimentos adversos considerados graves ou que

resultaram em interrupção no estudo MEDAL, foi maior com etoricoxib do que com

diclofenac.

Resultados de Segurança Cardiovascular:

A percentagem de acontecimentos adversos cardiovasculares trombóticos graves

confirmados (que consistem em acontecimentos cardíacos, vasculares cerebrais e

vasculares periféricos) foi comparável entre o etoricoxib e o diclofenac, estando os

resultados resumidos no quadro seguinte. Não houve diferenças estatisticamente

significativas nas taxas de acontecimentos trombóticos entre etoricoxib e diclofenac em

todos os subgrupos analisados, incluindo as categorias de doentes que tinham vários

fatores de risco cardiovascular no início do estudo. Quando considerados separadamente,

os riscos relativos para acontecimentos adversos cardiovasculares trombóticos graves

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

confirmados, com etoricoxib 60 mg ou 90 mg, em comparação com diclofenac 150 mg,

foram idênticos.

Tabela 2: Percentagens de Acontecimentos CV Trombóticos Confirmados (Programa

MEDAL Combinado)

Etoricoxib

(N=16.819)

25.836 Doentes-

Anos

Diclofenac

(N=16.483)

24.766 Doentes-

Anos

Comparação entre

os tratamentos

Percentagem

(95%

Percentagem

(95%

Risco relativo

(95% IC)

Acontecimentos adversos cardiovasculares trombóticos graves confirmados

Por protocolo

1,24 (1,11, 1,38)

1,30 (1,17, 1,45)

0,95 (0,81, 1,11)

Intenção-de-tratar

1,25 (1,14, 1,36)

1,19 (1,08, 1,30)

1,05 (0,93, 1,19)

Acontecimentos cardíacos confirmados

Por protocolo

0,71 (0,61, 0,82)

0,78 (0,68, 0,90)

0,90 (0,74, 1,10)

Intenção-de-tratar

0,69 (0,61, 0,78)

0,70 (0,62, 0,79)

0,99 (0,84, 1,17)

Acontecimentos vasculares cerebrais confirmados

Por protocolo

0,34 (0,28, 0,42)

0,32 (0,25, 0,40)

1,08 (0,80, 1,46)

Intenção-de-tratar

0,33 (0,28, 0,39)

0,29 (0,24, 0,35)

1,12 (0,87, 1,44)

Acontecimentos vasculares periféricos confirmados

Por protocolo

0,20 (0,15, 0,27)

0,22 (0,17, 0,29)

0,92 (0,63, 1,35)

Intenção-de-tratar

0,24 (0,20, 0,30)

0,23 (0,18, 0,28)

1,08 (0,81, 1,44)

Acontecimentos por 100 Doentes-Ano; IC=intervalo de confiança

N=número total de doentes incluídos na população "por protocolo"

Por protocolo: todos os acontecimentos ocorridos durante o tratamento com o fármaco

em estudo ou no período de 14 dias após a sua interrupção (excluídos: doentes que

tomaram 10% do tempo).

Intenção-de-tratar: todos os acontecimentos confirmados ocorridos até ao fim do ensaio

(incluídos doentes potencialmente expostos a intervenções terapêuticas não pertencentes

ao estudo tomadas após interrupção da medicação em estudo). O número total de doentes

distribuídos aleatoriamente, n=17412 a tomar etoricoxib e 17289 a tomar diclofenac.

A mortalidade CV, bem como a mortalidade global, foi semelhante entre os grupos em

tratamento com etoricoxib e diclofenac.

Acontecimentos Cardiorrenais:

Aproximadamente 50% dos doentes envolvidos no estudo MEDAL tinham história de

hipertensão no início do estudo. No estudo, a incidência de interrupções do tratamento

devido a acontecimentos adversos relacionados com hipertensão, foi de modo

estatisticamente significativo superior para o etoricoxib em relação ao diclofenac. A

incidência de acontecimentos adversos de insuficiência cardíaca congestiva (interrupção

do tratamento e acontecimentos graves) ocorreu em percentagens idênticas para o

etoricoxib 60 mg em comparação com o diclofenac 150 mg, mas foi superior para o

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

etoricoxib 90 mg em comparação com o diclofenac 150 mg (estatisticamente

significativo para 90 mg de etoricoxib vs 150 mg de diclofenac na coorte OA do

MEDAL). A incidência de acontecimentos adversos de insuficiência cardíaca congestiva

confirmados (acontecimentos que foram graves e resultaram em hospitalização ou visita

ao serviço de urgência) não foi significativamente maior com etoricoxib do que com

diclofenac 150 mg, e este efeito foi dependente da dose. A incidência de interrupções

devido a acontecimentos adversos relacionados com edema foi maior para o etoricoxib do

que para o diclofenac 150 mg, e este efeito foi dependente da dose (estatisticamente

significativo para etoricoxib 90 mg, mas não para etoricoxib 60 mg).

Os resultados cardiorrenais do EDGE e EDGE II foram consistentes com os descritos

para o Estudo MEDAL.

Nos estudos individuais do Programa MEDAL, para o etoricoxib (60 mg ou 90 mg), a

incidência absoluta de interrupções em qualquer dos grupos de tratamento foi de até 2,6%

para hipertensão, até 1,9% para edema, e até 1,1% para insuficiência cardíaca congestiva,

com percentagens superiores de interrupção observadas com etoricoxib 90 mg do que

com etoricoxib 60 mg.

Resultados de Tolerabilidade Gastrointestinal do Programa MEDAL:

Foi observada uma percentagem significativamente inferior de interrupções do

tratamento por qualquer acontecimento adverso GI clínico (p. e., dispepsia, dor

abdominal, úlcera) com o etoricoxib em comparação com o diclofenac em cada um dos

três estudos que compõem o Programa MEDAL. As percentagens de interrupção devido

a acontecimentos adversos GI clínicos por cem doentes-ano durante todo o período do

estudo foram os seguintes: 3,23 para o etoricoxib e 4,96 para o diclofenac no Estudo

MEDAL; 9,12 com etoricoxib e 12,28 com diclofenac no estudo EDGE; e 3,71 com

etoricoxib e 4,81 com diclofenac no estudo EDGE II.

Resultados de Segurança Gastrointestinal do Programa MEDAL:

Os acontecimentos GI superiores globais foram definidos como perfurações, úlceras e

hemorragias. O subgrupo de acontecimentos GI superiores globais considerados como

complicados incluiu perfurações, obstruções e hemorragias complicadas; o subgrupo de

acontecimentos GI superiores considerados como não complicados incluiu hemorragias e

úlceras não complicadas. Foi observada uma percentagem significativamente mais baixa

de acontecimentos GI superiores globais para o etoricoxib em comparação com o

diclofenac. Não houve diferença significativa entre etoricoxib e diclofenac na

percentagem de acontecimentos complicados. Para o subgrupo de acontecimentos GI

superiores hemorrágicos (complicados e não complicados combinados), não houve

diferença significativa entre etoricoxib e diclofenac. O benefício GI superior com

etoricoxib em comparação com diclofenac não foi estatisticamente significativo em

doentes a tomar concomitantemente ácido acetilsalicílico de baixa dosagem

(aproximadamente 33% dos doentes).

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

As percentagens por cem doentes-ano de acontecimentos clínicos confirmados do trato

GI superior complicados e não complicados [perfurações, úlceras e hemorragias (PUHs)]

foram de 0,67 (IC 95% 0,57; 0,77) com etoricoxib e de 0,97 (IC 95% 0,85; 1,10) com

diclofenac, originando um risco relativo de 0,69 (IC 95% 0,57; 0,83).

Avaliou-se a percentagem de acontecimentos GI superiores confirmados nos doentes

idosos, tendo a maior redução sido observada em doentes

75 anos de idade (1,35 [IC

95% 0,94; 1,87] vs. 2,78 [IC 95% 2,14; 3,56]) acontecimentos por cem doentes-ano para

etoricoxib e diclofenac, respetivamente.

As percentagens de acontecimentos clínicos GI inferiores confirmados [perfuração,

obstrução ou hemorragia do intestino delgado ou grosso (POHs)] não foram

significativamente diferentes entre etoricoxib e diclofenac.

Resultados de Segurança Hepática do Programa MEDAL: O etoricoxib foi associado a

uma taxa de interrupção inferior de modo estatisticamente significativo, devido a

acontecimentos adversos hepáticos, em relação ao diclofenac. No Programa MEDAL

combinado, 0,3% dos doentes com etoricoxib e 2,7% dos doentes com diclofenac

interromperam o tratamento devido a acontecimentos adversos hepáticos. A percentagem

por cem doentes-ano foi de 0,22 para etoricoxib e 1,84 para diclofenac (valor-p foi <

0,001 para etoricoxib vs. diclofenac). No entanto, a maioria dos acontecimentos adversos

hepáticos no Programa MEDAL não foram graves.

Dados Adicionais de Segurança Cardiovascular Trombótica

Em estudos clínicos, excluindo os Estudos do Programa MEDAL, aproximadamente

3100 doentes foram tratados com

60 mg de etoricoxib por dia, durante um período

igual ou superior a 12 semanas. Não houve diferença percetível na percentagem de

acontecimentos cardiovasculares trombóticos graves confirmados entre os doentes a

tomar

60 mg de etoricoxib, placebo ou AINEs que não o naproxeno. Contudo, a

percentagem destes acontecimentos foi superior em doentes a tomar etoricoxib, em

comparação com os doentes a tomar 500 mg de naproxeno duas vezes por dia. A

diferença na atividade antiagregante plaquetária entre alguns AINEs que inibem a COX-1

e os inibidores seletivos da COX-2 pode ter significância clínica nos doentes com risco

de acidentes tromboembólicos. Os inibidores seletivos da COX-2 reduzem a formação de

prostaciclina sistémica (e logo, possivelmente, da endotelial) sem afetar o tromboxano

plaquetário. Não foi estabelecida a relevância clínica destas observações.

Dados Adicionais de Segurança Gastrointestinal

Em dois estudos de endoscopia em dupla ocultação com duração de 12 semanas, a

incidência cumulativa de ulceração gastroduodenal foi significativamente inferior nos

doentes tratados com 120 mg de etoricoxib uma vez por dia, relativamente aos doentes

tratados com 500 mg de naproxeno duas vezes por dia ou com 800 mg de ibuprofeno três

vezes por dia. Em comparação com o placebo o etoricoxib apresentou uma incidência

superior de ulceração.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Estudo da Função Renal nos Idosos

Num grupo de estudo paralelo, com distribuição aleatória, em dupla ocultação,

controlado com placebo, avaliaram-se os efeitos de 15 dias de tratamento com etoricoxib

(90 mg), celecoxib (200 mg duas vezes por dia), naproxeno (500 mg duas vezes por dia)

e placebo, na excreção urinária de sódio, na pressão arterial, e outros parâmetros da

função renal, em indivíduos de 60 a 85 anos, submetidos a dieta com aporte de sódio de

200 meq/dia. O etoricoxib, o celecoxib e o naproxeno tiveram efeitos idênticos na

excreção urinária de sódio no período de 2 semanas de tratamento. Todos os

comparadores ativos demonstraram um aumento da pressão arterial sistólica

relativamente ao placebo; no entanto, o etoricoxib foi associado a um aumento

estatisticamente significativo no Dia 14 quando comparado ao celecoxib e ao naproxeno

(alteração média da pressão arterial sistólica inicial: etoricoxib 7,7 mmHg, celecoxib 2,4

mmHg, naproxeno 3,6 mmHg).

Propriedades farmacocinéticas

Absorção

O etoricoxib administrado por via oral é bem absorvido. A biodisponibilidade absoluta é

de aproximadamente 100%. Após uma administração diária única de 120 mg no estado

estacionário, as concentrações plasmáticas máximas (média geométrica da C

máx

= 3,6

µg/ml) foram observadas aproximadamente dentro de 1 hora (T

máx

) após administração a

adultos em jejum. A área geométrica média sob a curva (AUC

0-24 h

) foi de 37,8 µgh/ml.

As farmacocinéticas do etoricoxib são lineares ao longo do intervalo de doses usadas em

clínica.

A administração do medicamento com alimentos (refeição de alto teor em gorduras) não

teve qualquer efeito na extensão da absorção do etoricoxib após administração de uma

dose de 120 mg. A taxa de absorção foi afetada, resultando numa diminuição de 36% da

máx

e num aumento do T

máx

de cerca de 2 horas. Estes dados não são considerados

clinicamente significativos. Em ensaios clínicos, o etoricoxib foi administrado

independentemente da ingestão de alimentos.

Distribuição

O etoricoxib liga-se aproximadamente em 92% às proteínas plasmáticas humanas em

concentrações entre 0,05 e 5 µg/ml. Em humanos, o volume de distribuição no estado

estacionário (Vdss) foi de aproximadamente 120 litros.

Nos ratos e nos coelhos, o etoricoxib atravessa a placenta, e nos ratos, a barreira

hematoencefálica.

Biotransformação

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

O etoricoxib é extensamente metabolizado, recuperando-se < 1% de uma dose na urina

sob a forma de fármaco original. A via metabólica principal que origina o derivado 6’-

hidrometilo é catalisada pelas enzimas do CYP. O CYP3A4 parece contribuir para o

metabolismo do etoricoxib in vivo. Os estudos in vitro indicam que o CYP2D6, CYP2C9,

CYP1A2 e CYP2C19 podem também catalisar a via metabólica principal, mas os seus

efeitos quantitativos in vivo não foram estudados. No ser humano foram identificados

cinco metabolitos. O metabolito principal é o derivado ácido 6’-carboxílico do etoricoxib,

que é formado pela oxidação adicional do derivado 6’- hidroximetilo. Estes metabolitos

principais ou não demonstram atividade mensurável, ou são apenas pouco ativos como

inibidores da COX-2. Nenhum destes metabolitos inibe a COX-1.

Eliminação

Após a administração a indivíduos saudáveis de uma dose intravenosa única de 25 mg de

etoricoxib marcada radioactivamente, 70% da radioatividade foi recuperada na urina e

20% nas fezes, na sua maioria como metabolitos. Menos de 2% foi recuperado como

fármaco inalterado.

A eliminação do etoricoxib ocorre quase exclusivamente através de metabolização,

seguida de excreção renal. As concentrações do etoricoxib no estado estacionário são

atingidas ao fim de sete dias de administração diária única de 120 mg, com uma relação

de acumulação de aproximadamente 2, correspondendo a uma semivida de

aproximadamente 22 horas. Estimou-se que a depuração plasmática é aproximadamente

de 50 ml/min após a administração intravenosa de uma dose de 25 mg.

Características dos doentes

Idosos: A farmacocinética nos idosos (idade igual ou superior a 65 anos) é semelhante à

dos jovens.

Sexo: A farmacocinética do etoricoxib é semelhante em homens e mulheres.

Insuficiência hepática: Os doentes com disfunção hepática ligeira (pontuação 5-6 na

escala de Child-Pugh) a quem se administrou 60 mg de etoricoxib uma vez por dia

apresentaram uma AUC média aproximadamente 16% superior à dos indivíduos

saudáveis a quem se administrou o mesmo regime posológico. Os doentes com disfunção

hepática moderada (pontuação 7-9 na escala de Child-Pugh) a quem se administrou 60

mg de etoricoxib em dias alternados apresentaram uma AUC média semelhante à dos

indivíduos saudáveis a quem se administrou uma dose de 60 mg de etoricoxib uma vez

por dia; etoricoxib 30 mg uma vez por dia não foi estudado nesta população. Não existem

dados clínicos ou farmacocinéticos em doentes com disfunção hepática grave (pontuação

10 na escala de Child-Pugh) (ver secções 4.2 e 4.3).

Insuficiência renal: A farmacocinética de uma dose única de 120 mg de etoricoxib em

doentes com insuficiência renal moderada a grave e em doentes com doença renal

avançada a fazer hemodiálise não foi significativamente diferente da dos indivíduos

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

saudáveis. A hemodiálise contribuiu de forma insignificante para a eliminação

(depuração da creatinina da diálise aproximadamente de 50 ml/min) (ver secções 4.3 e

4.4).

População pediátrica: Não foi estudada a farmacocinética do etoricoxib na população

pediátrica (< 12 anos de idade)

Num estudo de farmacocinética (n=16) efetuado em adolescentes (com idades entre 12 e

17 anos), a farmacocinética nos adolescentes que pesavam entre 40 e 60 kg a quem se

administrou 60 mg de etoricoxib uma vez por dia, e nos adolescentes > 60 kg a quem se

administrou 90 mg de etoricoxib uma vez por dia, foi semelhante à farmacocinética nos

adultos a quem se administrou 90 mg de etoricoxib uma vez por dia. Não foram

estabelecidas a segurança nem a eficácia do etoricoxib em doentes pediátricos (ver secção

4.2).

Dados de segurança pré-clínica

Nos estudos pré-clínicos, o etoricoxib demonstrou não ser genotóxico. O etoricoxib não

foi carcinogénico nos ratinhos. Os ratos desenvolveram adenomas hepatocelulares e das

células foliculares da tiroide com doses superiores a 2 vezes a dose diária recomendada

no ser humano [90 mg], com base na exposição sistémica decorrente da administração

diária durante aproximadamente dois anos. Os adenomas hepatocelulares e das células

foliculares da tiroide observados em ratos são considerados como uma consequência do

mecanismo específico do rato relacionado com a indução enzimática do CYP hepático. O

etoricoxib não demonstrou causar indução enzimática hepática do CYP3A no homem.

No rato, verificou-se aumento da toxicidade gastrointestinal do etoricoxib com o aumento

da dose e com o tempo de exposição. No estudo de toxicidade de 14 semanas, o

etoricoxib causou úlceras gastrointestinais em exposições superiores às observadas no ser

humano com a dose terapêutica. No estudo de toxicidade de 53 e 106 semanas, foram

também observadas úlceras gastrointestinais em exposições comparáveis às observadas

no ser humano com a dose terapêutica. Nos cães, as anomalias renais e gastrointestinais

foram observadas com exposições elevadas.

O etoricoxib não foi teratogénico nos estudos de toxicidade reprodutiva em ratos com

doses de 15 mg/kg/dia (isto representa aproximadamente 1,5 vezes a dose diária

recomendada no ser humano [90 mg] com base na exposição sistémica). Nos coelhos,

observou-se um aumento nas malformações cardiovasculares relacionadas com o

tratamento com valores de exposição inferiores à exposição clínica com a dose diária

recomendada no ser humano (90 mg). No entanto, não se observaram malformações

fetais externas ou esqueléticas relacionadas com o tratamento. Nos ratos e nos coelhos

houve um aumento dependente da dose na perda pós-implantação com exposições iguais

ou superiores a 1,5 vezes a exposição humana (ver secções 4.3 e 4.6).

O etoricoxib é excretado no leite de ratos lactantes em concentrações aproximadamente

duas vezes superiores às plasmáticas. Houve uma diminuição no peso corporal das crias

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

após a exposição das crias ao leite de progenitoras às quais se administrou etoricoxib

durante o aleitamento.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

Lista dos excipientes

Núcleo do comprimido:

Celulose microcristalina (E460)

Hidrogenofosfato de cálcio (anidro)

Croscarmelose sódica

Estearato de magnésio (E470b)

Revestimento do comprimido:

Álcool polivinílico (E1203)

Dióxido de titânio (E171)

Monoestearato de glicerol (E471)

Laca de alumínio de índigo carmim (E132) [apenas para 30 mg, 60 mg e 120 mg]

Óxido de ferro amarelo (E172) [apenas para 30 mg, 60 mg e 120 mg]

Talco (E553b)

Laurilsulfato de sódio

Incompatibilidades

Não aplicável.

Prazo de validade

36 meses

Precauções especiais de conservação

Conservar na embalagem de origem para proteger da humidade.

Natureza e conteúdo do recipiente

Etoricoxib Empower comprimidos revestidos por película são distribuídos em blisters de

OPA-Alumínio-PVC/Alumínio contendo

30 mg: 7, 20 e 28 comprimidos revestidos por película.

60 mg: 20 e 28 comprimidos revestidos por película.

90 mg: 5, 20 e 28 comprimidos revestidos por película.

120 mg: 5, 7 e 20 comprimidos revestidos por película.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Precauções especiais de eliminação

Não existem requisitos especiais.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Empower Pharma s.r.o

U Staré tvrze 285/21,

Praga

República Checa

8. NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

<[A ser completado nacionalmente]>

9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE

INTRODUÇÃO NO MERCADO

<[A ser completado nacionalmente]>

DATA DA REVISÃO DO TEXTO

<[A ser completado nacionalmente]>

Leia o documento completo

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Summary Public Assessment Report

Generics

Etoricoxib Empower

30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-coated

tablet

(Etoricoxib)

PT/H/1614/001-004/DC

Date: 08-03-2017

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Summary Public Assessment Report

Generics

Etoricoxib Empower 30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-coated tablet

Etoricoxib 30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-coated tablet

This is a summary of the public assessment report (PAR) for Etoricoxib

Empower. It explains how Etoricoxib Empower was assessed and its

authorisation recommended as well as its conditions of use. It is not

intended to provide practical advice on how to use Etoricoxib Empower.

For practical information about using Etoricoxib Empower patients

should read the package leaflet or contact their doctor or pharmacist.

What is Etoricoxib Empower and what is it used for?

Etoricoxib Empower30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-coated tablet is

a ‘generic medicine’. This means that Etoricoxib Empower is similar to a

‘reference medicine’ already authorised in the European Union (EU)

called Arcoxia 30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-coated tablet

Etoricoxib Empower helps to reduce the pain and swelling

(inflammation) in the joints and muscles of people 16 years of age and

older with osteoarthritis, rheumatoid arthritis, ankylosing spondylitis

and gout.

Etoricoxib Empower is also used for the short-term treatment of

moderate pain after dental surgery in people 16 years of age and older.

How does Etoricoxib Empower work?

Etoricoxib Empower contains the active substance etoricoxib. Etoricoxib

Empower is one of a group of medicines called selective COX-2

inhibitors. These belong to a family of medicines called non-steroidal

anti-inflammatory drugs (NSAIDs).

How is Etoricoxib Empower used?

The pharmaceutical form of Etoricoxib Empower is Film-coated tablet

and the route of administration is oral.

Please read section 3 of the PL for detailed information on dosing

recommendations, the route of administration, and the duration of

treatment.

The medicine can only be obtained with a prescription.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

What benefits of Etoricoxib Empower have been shown in studies?

Because Etoricoxib Empower is a generic medicine, studies in patients

have been limited to tests to determine that it is bioequivalent to the

reference medicine, Arcoxia. Two medicines are bioequivalent when

they produce the same levels of the active substance in the body.

The company provided data from the published literature on Etoricoxib.

What are the possible side effects of Etoricoxib Empower?

Because Etoricoxib Empower is a generic medicine and is bioequivalent

to the reference medicine, its benefits and possible side effects are

taken as being the same as the reference medicine.

For the full list of restrictions, see the package leaflet.

Why is Etoricoxib Empower approved?

It was concluded that, in accordance with EU requirements, Etoricoxib

Empower 30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-coated tablet has been

shown

have

comparable

quality

bioequivalent/be

comparable to Arcoxia. Therefore, the INFARMED, I.P. decided that, as

for reference medicine called Arcoxia 30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg,

the benefits are greater than its risk and recommended that it can be

approved for use.

What measures are being taken to ensure the safe and effective use of

Etoricoxib Empower?

A risk management plan has been developed to ensure that Etoricoxib

Empower is used as safely as possible. Based on this plan, safety

information has been included in the summary of product characteristics

package

leaflet

Etoricoxib

Empower,

including

appropriate precautions to be followed by healthcare professionals and

patients.

Known side effects are continuously monitored. Furthermore new safety

signals

reported

patients/healthcare

professionals

will

monitored/reviewed continuously as well.

Other information about Etoricoxib Empower

The marketing authorisation for Etoricoxib Empower 30 mg, 60 mg, 90

mg, 120 mg Film-coated tablet was granted on 08-03-2017.

The full PAR for Etoricoxib Empower 30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg

Film-coated

tablet

found

website

http://www.infarmed.pt/infomed/inicio.php

. For more information about

treatment with Etoricoxib Empower, read the package leaflet or contact

your doctor or pharmacist.

This summary was last updated in MM-YYYY.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Public Assessment Report

Scientific discussion

Etoricoxib Empower

30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-

coated tablet

(Etoricoxib)

PT/H/1614/001-004/DC

Date: 08-03-2017

This module reflects the scientific discussion for the approval of Etoricoxib

Empower. The procedure was finalised at 21-12-2016. For information on

changes after this date please refer to the module ‘Update’.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Introduction

Based on the review of the quality, safety and efficacy data, the

Member States have agreed in granting a marketing authorisation for

Etoricoxib Empower 30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-coated tablet,

from Empower Pharma s.r.o.

Etoricoxib Empower is indicated in adults and adolescents 16 years of

older

symptomatic

relief

osteoarthritis

(OA),

rheumatoid arthritis (RA), ankylosing spondylitis, and the pain and signs

of inflammation associated with acute gouty arthritis.

Etoricoxib Empower is indicated in adults and adolescents 16 years of

age and older for the short-term treatment of moderate pain associated

with dental surgery.

A comprehensive description of the indications and posology is given in

the SmPC.

This decentralized application according to concerns a generic version of

etoricoxib with the Portugal acting as Reference Member State and ES

and ITas Concerned Member States.

The EU reference medicinal product is Arcoxia of MAH Merck Sharp &

Dohme Limited. The product has been registered since 13.02.2002

The marketing authorization was granted on 08-03-2017 based on

Directive 2001/83/EC article 10.1 (a) (iii) first paragraph and the

Marketing Authorisation Holder is Empower Pharma s.r.o.

Quality aspects

Introduction

Film-coated tablet.

Etoricoxib Empower 30 mg film-coated tablets

Blue-green, apple-shaped, biconvex film coated tablet, debossed with

“30” on one side and plain on the other, with dimensions of 5.8 x 5.9

mm ± 7.5%.

Etoricoxib Empower 60 mg film-coated tablets

Dark green, apple-shaped, biconvex film coated tablet, debossed with

“60” on one side and plain on the other, with dimensions of 7.1 x 7.3

mm ± 7.5%.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Etoricoxib Empower 90 mg film-coated tablets

White, apple-shaped, biconvex film coated tablet, debossed with “90”

on one side and plain on the other, with dimensions of 8.1 x 8.3 mm ±

7.5%.

Etoricoxib Empower 120 mg film-coated tablets

Pale green, apple-shaped, biconvex film coated tablet, debossed with

“120” on one side and plain on the other, with dimensions of 8.9 x 9.2

mm ± 7.5%.

The other excipients are:

Tablet

Core:

Microcrystalline

Cellulose

(E460),

Calcium

Hydrogen

Phosphate (Anhydrous), Croscarmellose Sodium, Magnesium Stearate

(E470b).

Tablet coating: Polyvinyl Alcohol (E1203), Titanium Dioxide (E171),

Glycerol Monostearate (E471), Indigo Carmine Aluminum Lake (E132)

[only for 30 mg, 60 mg & 120 mg], Yellow Iron Oxide (E172) [only for

30 mg, 60 mg & 120 mg], Talc (E553b), Sodium Laurilsulfate.

Etoricoxib Empower film-coated tablets are supplied in OPA-Aluminium–

PVC/Aluminium blisters.

30 mg: 7, 20, 28 film-coated tablets

60 mg: 20, 28 film-coated tablets

90 mg: 5, 20, 28 film-coated tablets

120 mg: 5, 7, 20 film-coated tablets

Not all pack sizes may be marketed.

Drug Substance

Nomenclature

International Non proprietary Name (INN), USAN & BAN: :

Etoricoxib

Chemical

names

(s),

IUPAC

name:

5-chloro-6’-methyl-3-[4-

(methylsulfonyl)phenyl]-2,3’-bipyridine

CAS Registry No. : [202409-33-4]

Therapeutic Category : Anti-inflammatory; analgesic

Structure

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Molecular formula : C

Molecular weight : 358.84

Structural formula:

General Properties

Description:

White to yellow powder

Solubility:

Freely Soluble in Dimethyl sulfoxide and methanol.

Soluble in ethanol. Practically insoluble in water.

Melting Point:

137-138 º C

Dissociation constant (pKa): 4.5

Isomerism:

Etoricoxib does not contain any chiral centre

therefore it is optically inactive

Polymorphism:

Form I according with the manufacturer

Hygroscopicity:

Non hygroscopic

chemical-pharmaceutical

documentation

Quality

Overall

Summary in relation to Etoricoxib Empower is of sufficient quality in

view of the present European regulatory requirements.

The control tests and specifications for drug substance product are

adequately drawn up.

Based on available long-term stability data supported by Accelerated

stability data, ’two year retest period’ has been proposed for Etoricoxib

Active substance when stored under “Preserve in well closed containers,

Store at below 25ºC.”.

Medicinal Product

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

The development of the product has been described, the choice of

excipients is justified and their functions explained.

The product specifications cover appropriate parameters for this dosage

form. Validations of the analytical methods have been presented. Batch

analysis has been performed on three batches. The batch analysis

results

show

that

finished

products

meet

specifications

proposed.

The conditions used in the stability studies are according to the ICH

stability guideline. The control tests and specifications for drug product

are adequately drawn up.

Basing on the stability data, a shelf life of 36 months is proposed for the

product in the proposed packaging for marketing, without special

storage conditions.

Non-clinical aspects

Pharmacodynamic,

pharmacokinetic

toxicological

properties

etoricoxib are well known. As etoricoxib is a widely used, well-known

active substance, the applicant has not provided additional studies and

further studies are not required. Overview based on literature review is,

thus, appropriate.

Ecotoxicity/environmental risk assessment (ERA)

Since Etoricoxib Empower 30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-coated

tablet is intended for generic substitution, this will not lead to an

increased

exposure

environment.

environmental

risk

assessment is therefore not deemed necessary.

Discussion on the non-clinical aspects

Since this product has been shown to be essentially similar and refer to

a product approved based on a full application with regard to preclinical

data, no further such data have been submitted or are considered

necessary.

Clinical aspects

To support the application, the applicant has submitted as report one

bioequivalence study. This study was performed in order to show

bioequivalence between the PharOS Ltd developed Etoricoxib 120 mg

film-coated tablets and the originator product, Arcoxia® 120 mg tablets

marketed in Europe by Merck Sharp & Dohme Limited. PharOS Ltd has

developed Etoricoxib 30, 60, 90 and 120 mg film-coated tablet, in line

with the originator product’s tablet strength which are commercially

available.

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

In accordance with the EMA CPMP/EWP/QWP/1401/98 Rev. 1 note for

guidance

Bioavailability

Bioequivalence,

application

concerns several strengths of the active substance, a bioequivalence

study investigating only one strength may be acceptable if all the

following conditions are fulfilled:

pharmaceutical

products

manufactured

same

manufacturing process.

b) the qualitative composition of the different strengths is the same.

c) the composition of the strengths are quantitatively proportional. i.e.

the ratio between the amount of each excipient to the amount of active

substance(s) is the same for all strengths (for immediate release

products, coating components, capsule shell, colour agents and flavours

are not required to follow this rule).

d) appropriate in vitro dissolution data should confirm the adequacy of

waiving additional in vivo bioequivalence testing.

A biowaiver for additional strengths is acceptable. The choice of the

highest strength for the Bioequivalence trial is also acceptable.

Conclusion on bioequivalence studies:

Based on the submitted bioequivalence study Etoricoxib Empower 30

Film-coated

tablet

considered

bioequivalent with Arcoxia 30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-coated

tablet

Risk Management Plan

The MAH has submitted a risk management plan, in accordance with the

requirements of Directive 2001/83/EC as amended, describing the

pharmacovigilance activities and interventions designed to identify,

characterise, prevent or minimise risks relating to Etoricoxib Empower

30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg Film-coated tablet.

Summary of safety concerns:

Important identified risks:

Gastrointestinal bleeding and Gastrointestinal ulceration

Cardiovascular thrombotic events

Renal toxicity, fluid retention, and oedema

Hypertension

Serious hypersensitivity reactions (including

angioedema/anaphylactic /anaphylactoid reactions including shock)

Hepatotoxicity

Concomitant use with oral anti-coagulants

Serious skin reactions

Important potential risks:

Use in pregnancy and lactation

APROVADO EM

08-03-2017

INFARMED

Congestive heart failure

Missing Information:

Use in severe hepatic impairment

Discussion on the clinical aspects

This type of application refers to information that is contained in the

pharmacological-toxicological and clinical part of the dossier of the

authorisation

reference

product.

reference

product

medicinal product authorised and marketed on the basis of a full

dossier,

i.e.

including

chemical,

biological,

pharmaceutical,

pharmacological-toxicological and clinical data. This information is not

fully available in the public domain. Authorisations for generic products

are therefore linked to the ‘original’ authorized medicinal product, which

is legally allowed once the data protection time of the dossier of the

reference product has expired. For this kind of application, it has to be

demonstrated that the pharmacokinetic profile of the product is similar

to the pharmacokinetic profile of the reference product. This generic

product can be used instead of its reference product.

User consultation

The package leaflet has been evaluated via a user consultation study in

accordance

with

requirements of

Articles 59(3) and 61(1) of

Directive 2001/83/EC. The language used for the purpose of user

testing the PIL was English

results

show

that

package

leaflet

meets

criteria

readability as set out in the Guideline on the readability of the label and

package leaflet of medicinal products for human use.

Overall conclusion, benefit/risk assessment and recommendation

The application for Etoricoxib Empower 30 mg, 60 mg, 90 mg, 120 mg

Film-coated tablet contains adequate quality, non-clinical and clinical

data and the bioequivalence has been shown. A benefit/risk ratio

comparable to the reference product can therefore be concluded.

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação