Diltiazem Sandoz 300 mg Cápsula de libertação prolongada

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Diltiazem
Disponível em:
Sandoz Farmacêutica, Lda.
Código ATC:
C08DB01
DCI (Denominação Comum Internacional):
Diltiazem
Dosagem:
300 mg
Forma farmacêutica:
Cápsula de libertação prolongada
Composição:
Diltiazem, cloridrato 300 mg
Via de administração:
Via oral
Classe:
3.2.4 - Bloqueadores da entrada do cálcio (classe IV)3.4.3 - Blo
Tipo de prescrição:
MSRM Medicamento sujeito a receita médica
Grupo terapêutico:
Genérico
Área terapêutica:
diltiazem
Indicações terapêuticas:
Duração do Tratamento: Longa Duração
Resumo do produto:
Blister 14 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5586367 CNPEM: 50007092 CHNM: 10000874 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 28 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5586375 CNPEM: 50007114 CHNM: 10000874 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 56 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5586409 CNPEM: 50007106 CHNM: 10000874 Grupo Homogéneo: Diltiazem | A102 | Oral | 300 mg | [21-60] unidades
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
PT/H/1009/002/DC
Data de autorização:
2014-01-06

Leia o documento completo

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Folheto informativo: Informação para o utilizador

Diltiazem Sandoz, 200 mg, cápsulas de libertação prolongada

Diltiazem Sandoz, 300 mg, cápsulas de libertação prolongada

Cloridrato de diltiazem

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois

contém informação importante para si.

Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O

medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de

doença.>

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Ver secção 4.

O que contém este folheto:

1. O que é Diltiazem Sandoz e para que é utilizado

2. O que precisa de saber antes de utilizar Diltiazem Sandoz

3. Como tomar Diltiazem Sandoz

4. Efeitos secundários possíveis

5. Como conservar Diltiazem Sandoz

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

1. O que é Diltiazem Sandoz e para que é utilizado

Diltiazem Sandoz contém um medicamento denominado cloridrato de diltiazem.

Pertence a um grupo de medicamentos designado de "bloqueadores dos canais de

cálcio".

Diltiazem Sandoz é utilizado para:

- Hipertensão arterial

- Angina (dor no peito)

Diltiazem funciona por tornar os seus vasos sanguíneos mais dilatados. Isto ajuda a

baixar a tensão arterial. Também facilita o bombeamento do sangue efetuado a

partir do coração para todo o seu corpo. Isto ajuda a evitar a dor no peito causada

pela angina.

2. O que precisa de saber antes de utilizar Diltiazem Sandoz

Não tome Diltiazem Sandoz:

se tem alergia (hipersensibilidade) ao diltiazem ou a qualquer outro componente

deste medicamento (indicados na secção 6). Os sintomas de uma reação alérgica

incluem: erupção na pele, dificuldades em engolir ou em respirar, inchaço dos lábios,

face, garganta ou língua.

se tiver um batimento cardíaco muito lento - inferior a 40 batimentos por minuto.

se sofrer de insuficiência cardíaca e problemas de circulação sanguínea ao nível dos

seus pulmões. Com estas doenças poderá sentir falta de ar e inchaço dos tornozelos.

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

se tiver quaisquer outros problemas graves com o seu coração. Isto inclui ter

batimentos irregulares do coração (a não ser que tenha um pacemaker funcional).

se lhe estiver a ser administrada uma perfusão de dantroleno, utilizado para tratar

espasmos musculares graves ou febre grave (chamada "hipertermia maligna") (ver

secção abaixo" Outros medicamentos e Diltiazem Sandoz").

Não tome este medicamento se alguma das situações acima mencionadas lhe é

aplicável. Caso tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico antes de

tomar Diltiazem Sandoz.

Advertências e precauções

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Diltiazem Sandoz:

se tem algum problema de coração, para além da angina ou dos descritos acima (ver

secção acima "Não tome Diltiazem Sandoz").

se vai ser anestesiado (por exemplo, devido a cirurgia)

se está em risco de alterações de humor, incluindo depressão

se está em risco de problemas intestinais

se tem problemas no fígado

se tem problemas nos rins

se for idoso

Se alguma das situações acima se aplica a si (ou se não tiver a certeza), fale com o

seu médico ou farmacêutico antes de tomar Diltiazem Sandoz.

Outros medicamentos e Diltiazem Sandoz

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado

recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos. Isto porque Diltiazem

Sandoz pode afetar a forma como alguns dos outros medicamentos atuam. Da

mesma forma, alguns medicamentos podem afetar a forma como Diltiazem Sandoz

atua.

Em particular, não tome este medicamento e informe o seu médico se estiver a

tomar

Dantroleno (uma perfusão) utilizado para tratar espasmos musculares graves ou

febre grave (chamada "hipertermia maligna").

Nifedipina

Derivados da ergotamina (ergotamina, dihidroergotamina)

Cisaprida

Sertindol

Pimozida

Não é recomendado o uso de Diltiazem Sandoz simultaneamente com o seguinte

medicamento

Ivabradina

Tome especial cuidado com o uso concomitante de Diltiazem Sandoz com os

seguintes medicamentos

Medicamentos indutores de torsades de pointes, como fenotiazinas, bepridil, alguns

macrólidos orais (tal como a eritromicina), terfenadina e antiarrítmicos de classe I e

III, metadona.

Diltiazem Sandoz pode aumentar o efeito dos seguintes medicamentos

Medicamentos para tratar a pressão arterial alta, tais como doxazosina, tansulosina,

atenolol, propanolol ou acebutolol

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Medicamentos utilizados para tratar o batimento cardíaco irregular, tais como

amiodarona, digoxina e dronedarona

Medicamentos utilizados para tratar a angina, como trinitrato de glicerilo ou trinitrato

de isossorbido

Medicamentos utilizados para tratar níveis elevados de colesterol, tais como a

sinvastatina, fluvastatina e atorvastatina

Medicamentos utilizados para problemas em dormir e ansiedade, tais como triazolam

e midazolam

Antidepressivos tricíclicos - usados para depressão/humor

Medicamentos utilizados na epilepsia como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína

Teofilina, utilizada para tratar problemas respiratórios

Lítio, utilizado para tratar alguns tipos de doenças mentais

Metilprednisolona - usado para a inflamação e reações alérgicas

Diuréticos - utilizados no tratamento da hipertensão

Anestésicos - utilizados durante cirurgias

Colchicina - usada para o tratamento da gota

Imunossupressores (ciclosporina, tacrolimus, sirolimus, everolimus) - usados para

impedir a rejeição de órgãos após um transplante.

Diltiazem Sandoz pode afetar negativamente a forma como o seguinte medicamento

atua:

Rifampicina, utilizada para tratar a tuberculose.

Os medicamentos seguintes podem aumentar o efeito de Diltiazem Sandoz:

Medicamentos para tratar as úlceras do estômago como, por exemplo, a cimetidina e

a ranitidina.

Se alguma das situações acima se aplica a si (ou se não tiver a certeza), fale com o

seu médico ou farmacêutico antes de tomar Diltiazem Sandoz.

Gravidez, amamentação e fertilidade

Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar,

consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

Diltiazem Sandoz não deve ser administrado durante a gravidez pois pode causar

problemas ao seu bebé.

A amamentação não é recomendada durante o uso de Diltiazem Sandoz, uma vez

que podem passar pequenas quantidades deste medicamento para o leite materno.

Diltiazem Sandoz pode prejudicar a fecundação e causar anomalias fetais.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Pode sentir tonturas enquanto estiver a tomar este medicamento. Se tal acontecer,

não conduza nem utilize quaisquer ferramentas ou máquinas.

3. Como tomar Diltiazem Sandoz

Tome sempre este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale

com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas. Pergunte também ao seu

médico se sentir que o efeito do seu medicamento é demasiado fraco ou muito forte.

Não altere a dose você mesmo.

Tomar este medicamento

Tome este medicamento pela boca

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Não parta, não esmague ou não mastigue as suas cápsulas

Engula as cápsulas inteiras com um copo de água

Tome este medicamento antes ou durante as refeições

Que quantidade tomar

Adultos

A dose inicial habitual é de uma cápsula de Diltiazem Sandoz 200 mg cápsulas de

libertação prolongada por dia.

Se necessário, o seu médico poderá aumentar a dose. As doses possíveis são:

Uma cápsula de Diltiazem Sandoz 300 mg cápsulas de libertação prolongada por dia

Duas cápsulas de Diltiazem Sandoz 200 mg cápsulas de libertação prolongada por

Uma cápsula de Diltiazem Sandoz 300 mg cápsulas de libertação prolongada e uma

cápsula de Diltiazem Sandoz 200 mg cápsulas de libertação prolongada por dia.

População idosa com mais de 65 anos ou adultos com problemas no fígado ou nos

rins

O seu médico irá avaliá-lo mais de perto especialmente quando começar a tomar as

cápsulas.

A dose inicial habitual é de uma cápsula de Diltiazem Sandoz 200 mg cápsulas de

libertação prolongada por dia.

Se necessário, o seu médico pode aumentar para:

Uma cápsula de Diltiazem Sandoz 300 mg cápsulas de libertação prolongada por dia.

Utilização em crianças

Diltiazem Sandoz não deve ser administrado a crianças.

Proteção solar

Deve usar proteção solar enquanto estiver a tomar este medicamento.

Exames médicos

O seu médico poderá efetuar exames médicos regulares enquanto estiver a tomar

este medicamento. Estes exames poderão incluir uma verificação dos seus exames

ao coração. Também poderão incluir análises ao sangue para verificar o estado do

seu fígado e dos seus rins.

Se tomar mais Diltiazem Sandoz do que deveria

Se tomar mais cápsulas do que deveria, informe o seu médico ou vá imediatamente

a um serviço de urgências hospitalares. Leve a embalagem do medicamento consigo

para que o médico saiba o que tomou. Os seguintes efeitos poderão ocorrer:

sensação de tonturas ou fraqueza, visão turva, dor no peito, falta de ar, desmaios,

batimento cardíaco anormalmente rápido ou lento, coma, fala arrastada e confusão.

Caso se tenha esquecido de tomar Diltiazem Sandoz

Se se esquecer de tomar uma dose de Diltiazem Sandoz, tome-a logo que se lembre.

No entanto, se estiver quase na altura de tomar a dose seguinte, não tome a dose

que se esqueceu de tomar. Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose

que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Diltiazem Sandoz

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Continue a tomar Diltiazem Sandoz até que o seu médico lhe diga para parar. Não

pare de tomar Diltiazem Sandoz só pelo facto de estar a sentir-se melhor. Se parar

de tomar este medicamento a sua doença pode piorar. Caso ainda tenha dúvidas

sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

4. Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários,

embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Pare de tomar Diltiazem Sandoz imediatamente e consulte o seu médico ou dirija-se

a um hospital de imediato se:

Tiver uma reação alérgica. Os sinais podem incluir: erupção vermelha ou irregular na

pele, dificuldades em engolir ou respirar, inchaço dos lábios, face, garganta ou

língua.

Apresentar bolhas ou descamação na pele à volta dos lábios, olhos, boca, nariz e

genitais, se sentir sintomas semelhantes a gripe e tiver febre. Poderá tratar-se de

uma doença chamada "Síndrome de Stevens-Johnson".

Tiver uma erupção na pele bolhosa grave na qual podem soltar-se camadas de pele

ao longo do corpo, deixando áreas extensas de pele expostas em carne viva. Poderá

sentir um mal-estar generalizado e ter febre, arrepios e dores musculares. Poderá

tratar-se de uma doença chamada "Necrólise Epidérmica Tóxica".

Tiver uma erupção na pele ou lesões da pele circulares de cor rosa ou vermelhas que

são pálidas no centro e podem causar comichão, descamação ou encher-se de

líquido. Esta erupção tem mais probabilidade de aparecer nas palmas das mãos ou

nas solas dos pés. Estes podem ser sinais de uma alergia grave a este medicamento,

chamada "eritema multiforme".

Informe o seu médico imediatamente se detetar algum dos seguintes efeitos

secundários graves - pode necessitar de tratamento médico urgente:

Frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas)

Batimento cardíaco lento ou irregular

Batimento cardíaco muito rápido, irregular e forte (palpitações)

Desconhecido: a frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis

Erupção

pele

provocada

pelo

estreitamento

pelo

bloqueio

vasos

sanguíneos (chamada "vasculite")

Falta de ar, sensação de cansaço acompanhada de inchaço das pernas e tornozelos.

Estes podem ser sinais de insuficiência do coração

Movimentos incomuns da língua, espasmos musculares da face, revirar os olhos e

tremores

Temperatura alta, sensação de cansaço, perda de apetite, dor de estômago, mal-

estar. Estes podem ser sinais de uma inflamação do fígado (chamada "hepatite")

Sofrer queimaduras solares com mais facilidade e gravidade que alguém que não

esteja a tomar Diltiazem Sandoz. Deve usar proteção solar enquanto estiver a tomar

este medicamento

Aumento das mamas no homem.

Informe o seu médico o mais rápido possível se tiver algum dos seguintes efeitos

secundários:

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Muito frequentes (podem afetar mais de 1 em 10 pessoas)

Inchaço das pernas.

Frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas)

Indigestão, dor de estômago, prisão de ventre ou diarreia.

Pouco frequentes (podem afetar até 1em 100 pessoas)

Sentir-se

tonto,

cabeça

leve

desmaiar

quando

senta

levanta

rapidamente (tensão arterial baixa).

Raros (podem afetar até 1 em 1.000 pessoas)

Boca seca

Erupção na pele granulosa acompanhada de comichão (chamada "urticária").

Desconhecido: a frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis

Gengivas inchadas.

Informe o seu médico ou farmacêutico logo que possível se algum dos efeitos

secundários listados a seguir se agravar ou durar mais do que alguns dias:

Frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas)

Dor de cabeça

Rubor (sensação de calor)

Má disposição (náusea ou vómitos)

Sensação de mal-estar generalizado

Fraqueza ou cansaço

Sensação de tontura

Vermelhidão da pele

Pouco frequentes (podem afetar até 1 em 100 pessoas)

Problemas em dormir

Nervosismo

Desconhecido: a frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis

Alterações de humor, incluindo depressão

Hemorragias ou hematomas sob a pele

Hiperplasia gengival

Diminuição das plaquetas (trombocitopenia)

Análises ao sangue

Diltiazem Sandoz pode alterar os níveis das enzimas do fígado mencionadas nas suas

análises ao sangue. Tal poderá significar que o seu fígado não está a funcionar

corretamente.

Outras observações

Resíduos de formulações de cápsulas de libertação prolongada do produto podem

passar para as fezes. No entanto, isso não tem relevância clínica.

Comunicação de efeitos secundários

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detetar quaisquer efeitos

secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Também poderá comunicar efeitos secundários diretamente ao Infarmed I.P. através

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

dos contactos abaixo. Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer

mais informações sobre a segurança deste medicamento.

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 71 40

Fax: + 351 21 798 73 97

Sítio da internet:

http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

5. Como conservar Diltiazem Sandoz

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem

exterior e blister após VAL. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês

indicado.

Este medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico.

Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza.

Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de Diltiazem Sandoz

Cada cápsula de Diltiazem Sandoz 200 mg cápsulas de libertação prolongada contém

200 mg de substância ativa cloridrato de diltiazem.

Os outros componentes são povidona, talco, etilcelulose, ácido esteárico, gelatina e

dióxido de titânio (E171).

Cada cápsula de Diltiazem Sandoz 300 mg cápsulas de libertação prolongada contém

300 mg de substância ativa cloridrato de diltiazem.

Os outros componentes são povidona, talco, etilcelulose, ácido esteárico, gelatina,

dióxido de titânio (E171), amarelo de quinoleína (E104) e indigotina (E132).

Qual o aspeto de Diltiazem Sandoz e conteúdo da embalagem

Diltiazem Sandoz 200 mg cápsulas de libertação prolongada são cápsulas opacas

com corpo e cabeça brancos.

Diltiazem Sandoz 300 mg cápsulas de libertação prolongada são cápsulas opacas

com um corpo branco e cabeça verde.

As cápsulas são fornecidas em embalagens de blister contendo 7, 14, 28, 28x1, 30,

50x1,

100x1

cápsulas.

possível

não

sejam

comercializadas todas as apresentações.

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

Sandoz Farmacêutica Lda.

Alameda da Beloura, Edifício 1

2º Andar – Escritório 15

2710-693 Sintra

Fabricantes:

Lamp San Prospero S.p.A.

Via della pace 25/A, 41030 San Prospero, Modena, Itália

Farmea

Rue Bouché Thomas, 10, ZAC D’Orgemont 49007, Angers Cedex, França

Sandoz B.V.

Veluwezoom 22, 1327 AH Almere, Holanda

Lek Pharmaceuticals d.d.

Verovškova 57, 1526 Ljubljana, Eslovénia

Lek Pharmaceuticals d.d.

Trimlini 2D, 9220 Lendava, Eslovénia

Salutas Pharma GmbH

Otto-von-Guericke-Allee 1, 39179 Barleben, Alemanha

S.C. Sandoz, S.R.L.

Str. Livezeni nr. 7A, RO-540472 Targu-Mures, Roménia

Este

medicamento

encontra-se

autorizado

Estados

Membros

Espaço

Económico Europeu (EEE) sob as seguintes denominações:

Portugal

Diltiazem Sandoz

Bélgica

Diltiazem Sandoz 200 mg capsules met verlengde afgifte,

hard

Diltiazem Sandoz 300 mg capsules met verlengde afgifte,

hard

França

Diltiazem GNR LP 200 mg, gélule à libération prolongée

Diltiazem GNR LP 300 mg, gélule à libération prolongée

Itália

DILTIAZEM SANDOZ BV

Luxemburgo

Diltiazem Sandoz 200 mg gélules à libération prolongée

Diltiazem Sandoz 300 mg gélules à libération prolongée

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Holanda

Diltiazem

Sandoz

retard

capsules

verlengde afgifte, hard

Diltiazem

Sandoz

retard

capsules

verlengde afgifte, hard

Este folheto foi revisto pela última vez em

Leia o documento completo

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1. NOME DO MEDICAMENTO

Diltiazem Sandoz, 200 mg, cápsulas de libertação prolongada

Diltiazem Sandoz, 300 mg, cápsulas de libertação prolongada

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada cápsula de libertação prolongada, dura, contém 200 mg de cloridrato de

diltiazem.

Cada cápsula de libertação prolongada, dura, contém 300 mg de cloridrato de

diltiazem.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Cápsulas de libertação prolongada.

[Diltiazem Sandoz 200 mg, cápsulas de libertação prolongada]:

Cápsulas

opacas

corpo

cabeça

brancos,

contendo

grânulos

brancos

esbranquiçados.

[Diltiazem Sandoz 300 mg, cápsulas de libertação prolongada]:

Cápsulas opacas com corpo branco e cabeça verde, contendo grânulos brancos a

esbranquiçados.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

Hipertensão leve a moderada e angina pectoris.

4.2 Posologia e modo de administração

Posologia

Diltiazem Sandoz são cápsulas de libertação prolongada para administração uma vez

por dia.

Adultos

Uma cápsula de Diltiazem Sandoz 200 mg cápsula de libertação prolongada uma vez

por dia. Esta dose pode ser aumentada para uma cápsula de Diltiazem Sandoz 300

mg cápsula de libertação prolongada uma vez por dia, ou duas cápsulas de Diltiazem

Sandoz 200 mg cápsula de libertação prolongada por dia (400 mg), e se for

clinicamente indicada uma dose mais elevada, pode-se considerar uma cápsula de

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Diltiazem Sandoz 300 mg cápsula de libertação prolongada e uma cápsula de

Diltiazem Sandoz 200 mg cápsula de libertação prolongada (um total de 500 mg).

Idosos e doentes com compromisso da função renal ou função hepática

A frequência cardíaca deve ser monitorizada e se descer abaixo de 50 batimentos

por minuto, a dose não deve ser aumentada. Os níveis plasmáticos de diltiazem

podem estar aumentados neste grupo de doentes. As cápsulas de Diltiazem Sandoz

devem ser utilizadas com precaução em doentes com compromisso renal ou afeção

hepática (ver secção 4.4).

A dose inicial deve ser uma cápsula de Diltiazem Sandoz 200 mg cápsula de

libertação prolongada por dia. Esta dose pode ser aumentada para uma cápsula de

Diltiazem Sandoz 300 mg cápsula de libertação prolongada por dia, se clinicamente

indicado.

Deve ser considerada uma titulação cuidadosa da dose quando apropriado, pois a

resposta individual do doente pode variar.

População pediátrica

A segurança e eficácia de diltiazem em crianças não foram ainda estabelecidas. Por

este motivo, Diltiazem Sandoz não é recomendado para utilização em crianças.

Modo de administração

As cápsulas não devem ser mastigadas, mas engolidas inteiras com água, de

preferência antes ou durante uma refeição. A cápsula pode ser tomada em qualquer

altura do dia, mas deve ser tomada todos os dias à mesma hora.

4.3 Contraindicações

Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes mencionados

na secção 6.1.

Síndrome do nódulo sinusal, exceto na presença de um pacemaker ventricular

funcional.

Bloqueio auriculoventricular (AV) de 2º ou 3º grau, exceto na presença de um

pacemaker ventricular funcional.

Bradicardia grave (inferior a 40 batimentos por minuto).

Falência ventricular esquerda com congestão pulmonar.

Administração concomitante de perfusão de dantroleno (ver secção 4.5).

Associação com ivabradina (ver secção 4.5)

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

É necessária uma vigilância cuidadosa em doentes com função ventricular esquerda

reduzida, bradicardia (risco de exacerbação) ou com bloqueio AV de 1º grau

detetado no eletrocardiograma (risco de exacerbação e, raramente, de bloqueio

total).

Pode ocorrer um aumento das concentrações plasmáticas de diltiazem nos idosos e

em doentes com insuficiência renal ou hepática. As contraindicações e precauções

devem ser cuidadosamente monitorizadas e vigiadas, em particular a frequência

cardíaca, desde do início do tratamento.

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Antes da administração de anestesia geral, o anestesista deve ser informado do

tratamento em curso com diltiazem. A depressão da contractilidade cardíaca,

condutividade e automaticidade, assim como a dilatação vascular associada a

anestésicos podem ser potenciadas pelos bloqueadores de canais de cálcio.

Os agentes bloqueadores dos canais de cálcio, como o diltiazem, podem estar

associados a alterações de humor, incluindo depressão (ver secções 4.5 e 4.8).

Tal como outros antagonistas dos canais de cálcio, o diltiazem tem um efeito inibidor

sobre a motilidade intestinal. Por este motivo, deve ser usado com precaução em

doentes com risco de desenvolver obstrução intestinal. Podem ser encontrados

resíduos das formulações de libertação prolongada do medicamento nas fezes, no

entanto, esta constatação não tem relevância clínica.

É necessária uma monitorização cuidadosa em doentes com diabetes mellitus latente

ou manifesta devido a um possível aumento da glicemia.

A utilização de diltiazem pode induzir broncoespasmo, incluindo o agravamento da

asma, especialmente em doentes com hiper-reactividade brônquica pré-existente.

Foram também notificados casos após o aumento da dose. Os doentes devem ser

monitorizados quanto a sinais e sintomas de compromisso respiratório durante o

tratamento com diltiazem.

4.5 Interações medicamentosas e outras formas de interação

Utilização concomitante contraindicada

Dantroleno (perfusão)

É frequentemente observada fibrilação ventricular letal em animais, quando são

administrados

verapamilo

intravenoso

dantroleno

concomitantemente.

associação de um antagonista do cálcio e dantroleno é, portanto, potencialmente

perigosa (ver secção 4.3).

Ivabradina

A utilização concomitante com ivabradina está contraindicada devido ao efeito

redutor adicional da frequência cardíaca do diltiazem com a ivabradina (ver secção

4.3).

Utilizações concomitantes que requerem precaução

Lítio

Risco de aumento da neurotoxicidade induzida pelo lítio

Derivados dos nitratos

Aumento dos efeitos hipotensores e desmaios (efeitos vasodilatadores aditivos). Em

todos os doentes tratados com antagonistas do cálcio, a prescrição de derivados dos

nitratos deve ser apenas iniciada realizando aumentos graduais da dose.

Teofilina

Aumento dos níveis circulantes de teofilina.

Antagonistas alfa

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Efeitos

anti-hipertensores

aumentados.

tratamento

concomitante

antagonistas alfa pode provocar ou agravar a hipotensão. A associação do diltiazem

com um antagonista alfa apenas deve ser considerada se houver monitorização

rigorosa da tensão arterial.

Amiodarona, digoxina

Aumento

risco

bradicardia.

necessária

precaução

quando

estes

medicamentos são utilizados em simultâneo com o diltiazem, sobretudo em idosos e

quando são utilizadas doses elevadas. Os níveis sanguíneos de digoxina podem

aumentar com o uso concomitante de diltiazem devido a uma possível diminuição da

depuração (extra) renal.

Betabloqueadores

Possibilidade de ocorrerem perturbações do ritmo cardíaco (bradicardia pronunciada,

paragem sinusal), perturbações da condução sino-auricular e auriculoventricular e

insuficiência cardíaca (efeito sinérgico). Esta associação apenas deve ser utilizada

sob rigorosa vigilância clínica e monitorização do ECG, particularmente no início do

tratamento. Foi notificada depressão com o uso concomitante de diltiazem com

betabloqueadores (ver secção 4.8).

Outros antiarrítmicos

Uma vez que o diltiazem possui propriedades antiarrítmicas, não é recomendada a

sua prescrição em simultâneo com outros agentes antiarrítmicos (risco aditivo de

aumento de acontecimentos adversos cardíacos). Esta associação apenas deve ser

realizada sob rigorosa vigilância clínica e monitorização do ECG.

Carbamazepina

Aumento

níveis

circulantes

carbamazepina.

recomendado

concentrações plasmáticas de carbamazepina sejam tituladas e, se necessário, que a

dose seja ajustada.

Rifampicina

Risco de diminuição dos níveis plasmáticos de diltiazem após início da terapêutica

rifampicina.

(Pode

ocorrer

aumento

níveis

diltiazem

coadministração

rifampicina

interrompida).

doente

deve

cuidadosamente

monitorizado

quando

inicia

interrompe

tratamento

rifampicina.

Antagonistas-H2 (cimetidina, ranitidina)

Aumento das concentrações plasmáticas de diltiazem. Os doentes que se encontrem

a efetuar terapêutica com diltiazem devem ser cuidadosamente monitorizados

quando iniciam ou interrompem a terapêutica com antagonistas-H2. Um ajuste da

dose diária de diltiazem pode ser necessário.

Ciclosporina

Aumento dos níveis circulantes de ciclosporina. Recomenda-se que a dose de

ciclosporina seja reduzida, que a função renal seja monitorizada, que os níveis de

ciclosporina circulante sejam doseados e que a dose seja ajustada durante a

associação terapêutica e após a sua descontinuação.

Fenitoína

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Quando coadministrado com fenitoína, o diltiazem pode aumentar a concentração

plasmática de fenitoína.

Recomenda-se que as concentrações plasmáticas de fenitoína sejam monitorizadas.

Inibidores de mTOR (alvo mecanicista da rapamicina)

Após a administração oral concomitante de 10 mg de solução de sirolímus e 120 mg

de diltiazem, a Cmax e a AUC (substrato CYP3A4) do sirolímus aumentaram 1,4 e

1,6 vezes, respetivamente. O diltiazem pode aumentar a concentração sanguínea de

everolímus pela inibição do metabolismo do CYP3A4 ou do transporte de everolímus

pelas células intestinais através da glicoproteína-P. Pode ser necessária uma redução

da dose de inibidores de mTOR, tais como sirolímus, temsirolímus ou everolímus, no

uso concomitante com diltiazem.

Informação geral que deve ser tida em consideração:

Devido aos potenciais efeitos aditivos, é necessária precaução e titulação cuidadosa

em doentes a realizar tratamento com diltiazem em simultâneo com outros agentes

conhecidos por afetar a contractilidade e/ou a condução cardíacas.

O diltiazem é metabolizado pela enzima CYP3A4. Está documentado um aumento

moderado (inferior a duas vezes) da concentração de diltiazem no plasma nos casos

de coadministração com um inibidor mais forte da CYP3A4.

Ticagrelor

O uso concomitante de diltiazem com ticagrelor aumentou a Cmax de ticagrelor em

69% e a AUC num fator de 2,7. A Cmax do metabolito ativo diminuiu em 38% e a

AUC permaneceu inalterada. O ticagrelor pode ser administrado concomitantemente

com o diltiazem.

Cilostazol

O uso concomitante de diltiazem com o cilostazol aumentou a AUC de cilostazol em

44% e aumentou a sua atividade farmacológica em 19%. Com base nestes dados,

não é necessário ajuste da dose.

Sumo de toranja

O sumo de toranja pode aumentar a exposição ao diltiazem (1,2 vezes). Os doentes

que consomem sumo de toranja devem ser monitorizados quanto ao aumento dos

efeitos adversos do diltiazem. O sumo de toranja deve ser evitado se houver

suspeita de uma interação.

O diltiazem é também um inibidor da isoforma da CYP3A4. A coadministração com

outros

substratos

CYP3A4

pode

resultar

aumento

concentração

plasmática

qualquer

substâncias

ativas

coadministradas.

coadministração de diltiazem com um indutor de CYP3A4 pode resultar numa

diminuição da concentração plasmática de diltiazem.

Benzodiazepinas (midazolam, triazolam)

O diltiazem aumenta significativamente as concentrações plasmáticas de midazolam

e triazolam e prolonga a sua semivida. Deve ser tomado especial cuidado ao

prescrever benzodiazepinas de ação curta metabolizadas pela via da CYP3A4 a

doentes que estão a tomar diltiazem.

Corticosteroides (metilprednisolona)

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Inibição do metabolismo da metilprednisolona (CYP3A4) e inibição da glicoproteína-

P. O doente deve ser monitorizado no início do tratamento com a metilprednisolona.

Pode ser necessário um ajuste na dose da metilprednisolona.

Estatinas

O diltiazem é um inibidor da enzima CYP3A4 e demonstrou-se que aumenta

significativamente a AUC de algumas estatinas. O risco de miopatia e rabdomiólise

devido

estatinas

metabolizadas

pelo

CYP3A4

pode

estar

aumentado

pela

administração concomitante de diltiazem. Quando possível, é recomendado o uso de

uma estatina não metabolizada pela enzima CYP3A4 em simultâneo com o diltiazem,

caso contrário, deve fazer-se uma monitorização cuidadosa dos sinais e sintomas de

uma potencial toxicidade da estatina.

4.6 Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

Existem muito poucos dados sobre a utilização de diltiazem em grávidas. O diltiazem

demonstrou ter toxicidade reprodutiva em certas espécies animais rato, ratinho,

coelho). Assim, Diltiazem Sandoz não é recomendado durante a gravidez, bem como

em mulheres em idade fértil que não utilizam métodos contracetivos eficazes.

Amamentação

O diltiazem é excretado no leite materno em baixas concentrações. Durante a toma

deste medicamento a amamentação deve ser evitada. Se a utilização do diltiazem for

considerada clinicamente essencial, deve ser instituído um método alternativo de

alimentação infantil.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Com base nas reações adversas medicamentosas, ou seja, tonturas (frequente),

mal-estar (frequente), a capacidade para conduzir e utilizar máquinas pode ser

alterada. No entanto, não foram realizados estudos.

4.8 Efeitos indesejáveis

As seguintes reações adversas podem ocorrer com as seguintes frequências: muito

frequentes (≥ 1/10), frequentes (≥ 1/100, <1/10), pouco frequentes (≥ 1/1.000,

<1/100), raros (≥ 1/10.000, <1/1.000), muito raros (<1/10.000), desconhecido

(não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis).

Dentro de cada grupo de frequência, os eventos adversos são apresentados em

ordem decrescente de gravidade.

Muito

frequent

Frequentes

Pouco

frequentes

Raros

Desconhecido

Doenças

sangue

sistema linfático

Trombocitope

Doenças

metabolismo e da

Hiperglicemia

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

nutrição

Perturbações

foro psiquiátrico

Nervosismo,

insónias

Alterações

humor

(incluindo

depressão)

Doenças

sistema nervoso

Cefaleia,

tonturas

Síndrome

extrapiramidal

Cardiopatias

Bloqueio

auriculovent

ricular

(pode

de 1º, 2º ou

grau;

pode

ocorrer

bloqueio

ramo

condução),

palpitações

Bradicardia

Bloqueio sino-

auricular,

insuficiência

cardíaca

congestiva,

paragem

sinusal,

paragem

cardíaca

(assistolia)

Vasculopatias

Afrontament

Hipotensão

ortostática

Vasculite

(incluindo

vasculite

leucocitoclásti

Doenças

respiratórias,

torácicas

mediastino

Broncoespasm

(incluindo

agravamento

da asma)

Doenças

gastrointestinais

Obstipação,

dispepsia,

gástrica,

náuseas

Vómitos,

diarreia

Xerostomi

Hiperplasia

gengival

Afeções

hepatobiliares

Aumento

das enzimas

hepáticas

(aumento

AST,

ALT,

LDH,

ALP)

Hepatite

Afeções

tecidos cutâneos e

subcutâneos

Eritema

Urticária

Fotossensibilid

ade (incluindo

queratose

liqueniforme

áreas

pele

expostas

sol),

edema

angioneurótic

erupção

cutânea,

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

eritema

multiforme

(incluindo

síndrome

Stevens-

Johnson

necrólise

epidérmica

tóxica),

sudação,

dermatite

exfoliativa,

pustulose

generalizada

exantemática

aguda,

ocasionalment

eritema

descamativo

febre

Doenças

órgãos genitais e

da mama

Ginecomastia

Perturbações

gerais

alterações no local

de administração

Edema

periférico

Mal-estar

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é

importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-

risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer

suspeitas de reações adversas diretamente ao INFARMED, I.P.:

Sítio da internet: http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram

(preferencialmente)

ou através dos seguintes contactos:

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

E-mail:

farmacovigilancia@infarmed.pt

4.9 Sobredosagem

Sintomas

efeitos

clínicos

sobredosagem

aguda

podem

envolver

hipotensão

pronunciada

levando

colapso,

bradicardia

sinusal

dissociação

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

isorrítmica, paragem sinusal, alterações na condução auriculoventricular e paragem

cardíaca.

Tratamento

Num ambiente hospitalar, incluirá lavagem gástrica e/ou diurese osmótica. As

alterações de condução poderão ser controladas através da utilização de pacemaker

temporário.

Tratamentos corretivos propostos: atropina, vasopressores, agentes inotrópicos,

glucagon e perfusão de gluconato de cálcio.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico:

3.2.4 - Aparelho cardiovascular. Antiarrítmicos. Bloqueadores da entrada do cálcio

(classe IV).

3.4.3 - Aparelho cardiovascular. Anti-hipertensores. Bloqueadores da entrada de

cálcio.

3.5.1

Aparelho

cardiovascular.

Vasodilatadores.

Antianginosos,

código

ATC:

C08DB01

Antagonista do cálcio, agente antianginoso, agente anti-hipertensivo.

Mecanismo de ação

O diltiazem restringe a entrada de cálcio no canal de cálcio lento do músculo liso

vascular e das fibras musculares do miocárdio através de um mecanismo voltagem-

dependente. Por este mecanismo, o diltiazem reduz a concentração de cálcio

intracelular na proximidade da proteína contráctil.

Em animais

O diltiazem aumenta o fluxo sanguíneo coronário sem induzir qualquer fenómeno de

roubo coronário. Atua em artérias pequenas, grandes e colaterais. Este efeito

vasodilatador, que é moderado em territórios arteriais sistémicos periféricos, pode

ser visto em doses que não são negativamente inotrópicas.

Os dois principais metabolitos ativos em circulação, ou seja, desacetil-diltiazem e N-

monodesmetil diltiazem, possuem atividade farmacológica no tratamento da angina

correspondente a 10 e 20%, respetivamente, em relação à do composto de origem.

Em humanos

Propriedades antianginosas

diltiazem

aumenta

fluxo

sanguíneo

coronário

redução

da resistência

coronária. Devido à sua atividade indutora moderada de bradicardia e à redução da

resistência arterial sistémica, o diltiazem reduz a carga de trabalho cardíaco. No

plano eletrofisiológico o diltiazem provoca bradicardia moderada em indivíduos

normais, ao mesmo tempo prolonga a condução intranodal e não tem nenhum efeito

sobre a condução hisiana e infrahisiana.

APROVADO EM

22-01-2021

INFARMED

Propriedades anti-hipertensivas

A nível vascular, o efeito antagonista do cálcio do diltiazem produz vasodilatação

arterial moderada e melhora a "compliance" das grandes artérias. A vasodilatação

leva a uma diminuição na pressão arterial no indivíduo hipertenso, devido à

resistência periférica reduzida, sem produzir taquicardia reflexa. Pelo contrário, há

uma atividade indutora de bradicardia, que é mais pronunciada nas taxas cardíacas

elevadas.

O diltiazem reduz o trabalho cardíaco através do efeito de bradicardia moderada

juntamente com a redução da resistência arterial sistémica. O diltiazem pode exercer

efeito

depressor

sobre

sinusal

doente.

Este

retarda

condução

atrioventricular e não há, portanto, um risco de bloqueio AV.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

Absorção

O diltiazem é bem absorvido (90%) em voluntários saudáveis, após administração

oral.

cápsula

de libertação

sustentada

proporciona

absorção

prolongada

componente ativo, produzindo concentrações plasmáticas do estado estacionário,

entre 2 e 14 horas após a dose, durante as quais ocorrem os picos de níveis

plasmáticos.

A ingestão de alimentos não afeta significativamente a cinética da formulação de

libertação prolongada do diltiazem, no entanto, quando administrado com alimentos,

observou-se que a absorção é mais elevada nas primeiras horas após a dose.

Distribuição

biodisponibilidade

formulação

libertação

prolongada

diltiazem

relativamente à formulação de libertação imediata é de aproximadamente 80%. A

semivida média plasmática aparente é de 8 horas.

O diltiazem no plasma encontra-se ligado 80 a 85% às proteínas plasmáticas e é

pouco dialisado. É extensivamente metabolizado pelo fígado.

Vinte e quatro horas após a ingestão, as concentrações de plasma permanecem com

um nível de 50 ng / ml, em doentes, mesmo após a administração de 200 mg de

dose. Durante a administração a longo prazo em qualquer doente, as concentrações

plasmáticas do diltiazem permaneceram constantes.

Biotransformação

O principal metabolito em circulação, diltiazem N-monodesmetil é responsável por

cerca de 35% do diltiazem em circulação.

Eliminação

Menos de 5% do diltiazem é excretado inalterado na urina.

Diltiazem e os seus metabolitos são fracamente dialisáveis.

As concentrações plasmáticas médias nos idosos e nos doentes com compromisso

renal e hepático são mais elevadas do que em indivíduos jovens.

Leia o documento completo

APROVADO EM

06-01-2014

INFARMED

Public Assessment Report

Scientific discussion

Diltiazem Sandoz

200 mg, 300 mg

Prolonged-release Capsule, hard

(Diltiazem hydrochloride)

PT/H/1009/001-002/DC

This module reflects the scientific discussion for the approval of

Diltiazem

Sandoz

procedure

finalised

03-10-2013.

information on changes after this date please refer to the module

‘Update’.

APROVADO EM

06-01-2014

INFARMED

INTRODUCTION

Sandoz Farmacêutica Lda. has applied for a marketing authorisation for

Diltiazem

Sandoz

prolonged-release

Capsule,

hard,

containing

Diltiazem

hydrochloride

active

substance,

indicated

treatment treatment of mild to moderate hypertension and angina pectoris.

This decentralised procedure application concerns a generic version claiming similarity

with the reference product

Mono-Tildiem LP (200 mg& 300 mg), Prolonged

Release Hard Capsule) by Sanofi-Aventis France, registered since 1992-10-16,

in terms of same qualitative and quantitative composition of the active

substance (Diltiazem hydrochloride), same pharmaceutical form (prolonged-

release Capsule, hard)

The marketing authorization was granted on xx-xx-xxxx based on Directive

2001/83/EC article 10.1 (a) (iii) first paragraph.

This

type

application

refers

information

that

contained

pharmacological-toxicological

clinical

part

dossier

authorisation of the reference product. A reference product is a medicinal

product authorised and marketed on the basis of a full dossier, i.e. including

chemical, biological, pharmaceutical, pharmacological-toxicological and clinical

data.

This

information

fully

available

public

domain.

Authorisations for generic products are therefore only allowed once the data

protection time of the dossier of the reference product has expired. For this

kind of application, it has to be demonstrated that the pharmacokinetic profile

of the product is similar to the pharmacokinetic profile of the reference

product. This generic product can be used instead of its reference product.

With Portugal as the Reference Member State in this Decentralized Procedure,

Sandoz Farmacêutica Lda. Is applying for the Marketing Authorisations for

Diltiazem Sandoz in the following CMS: BE; FR; LU; IT; NL.

Quality aspects

Introduction

Diltiazem Sandoz 200 mg is

opaque capsules with a white body and cap, containing white to

whitish pellets.

Diltiazem Sandoz 300 mg is opaque capsules with a white body and green cap,

containing white to whitish pellets.

Each Diltiazem Sandoz 200 mg prolonged-release capsule, hard, contains 200

mg diltiazem hydrochloride.

Each Diltiazem Sandoz 300 mg prolonged-release capsule, hard, contains 300

mg diltiazem hydrochloride.

Pack sizes: 7, 14, 28, 28x1, 30, 36, 50, 50x1, 56, 84, 90, 98, 100x1

prolonged-release capsules, hard.in blister packs (PVC / PVdC / aluminium.

APROVADO EM

06-01-2014

INFARMED

The excipients are

Capsule contents: Povidone, talc, ethylcellulose and stearic acid.

Capsule shell (200 mg): Gelatin and titanium dioxide (E171)

Capsule shell (300 mg): Gelatin, titanium dioxide (E171), indigo carmine (E132) quinoline yellow

(E104).

Drug Substance

The structural formula of Diltiazem hydrochloride is the following:

Molecular formula: C

S.HCl

M

: 451.00

Diltiazem hydrochloride

is a

white or almost white crystalline powder

Diltiazem

hydrochloride

is freely soluble in water, chloroform, methylene chloride, formic

acid and methanol. Sparingly soluble in dehydrate alcohol and practically

insoluble in ether.

The chemical-pharmaceutical documentation and Expert Report in relation to

Diltiazem hydrochloride

are of sufficient quality in view of the present European

regulatory requirements.

The specifications for routine controls of

Diltiazem hydrochloride

are in line with

requirements of current edition of European Pharmacopoeia.

Drug Product

APROVADO EM

06-01-2014

INFARMED

documentation

provided

complies

with

relevant

guidelines

directives. Manufacture is performed in accordance with cGMP and consistency

in quality and homogeneity is demonstrated.

The finished product specification is based on relevant development and

stability studies. The development of the product has been described, the

choice of excipients is justified and their functions explained.

Appropriate validation data have been provided for the analytical methods.

Batch analyses data support the proposed finished product specification.

The conditions used in the stability studies are according to the ICH stability

guideline. The control tests and specifications for drug product are adequately

drawn up.

proposed

shelf-life

years

drug

product

considered

acceptable (does not require any special storage conditions).

Non-clinical aspects

This product is a generic formulation of Mono-Tildiem LP (200 mg& 300 mg)

which

available

European

market.

Pharmacodynamic,

pharmacokinetic and toxicological properties of

Diltiazem hydrochloride

are well

known.

Diltiazem

hydrochloride

widely

used,

well-known

active

substance, the applicant has not provided additional studies and further

studies are not required. An overview based on literature review is, thus,

appropriate.

Clinical aspects

Diltiazem is a benzothiazepine derivative calcium antagonist, which acts by

interfering with calcium-mediated events in excitation-contraction coupling in

cardiac and smooth muscle.

Diltiazem restricts calcium entry into the slow calcium channel of vascular smooth muscle and

myocardial muscle fibres in a voltage-dependent manner. By this mechanism, diltiazem reduces the

concentration of intracellular calcium in contractile protein.

To support the present application, three (3) bioequivalence studies were

performed with Diltiazem Sandoz 300 mg prolonged release capsules: Study

Comparative

bioavailability

fasting

state,

Study

Comparative

bioavailability Fed state and Study 3- Comparative bioavailability at steady

state under fasting conditions.

studies

were

performed

PAREXEL

Bloemfontein

Kampuslaan

Suid

Campus of the University of the Free State, Bloemfontein, South Africa.

Biowaiver for the dosage form of 200 mg of Diltiazem Sandoz (manufactured by Cambrex

Profarmaco, Italy) is requested. The product submitted is a multiple unit formulation and a non-

linear pharmacokinetics, with a more than proportional increase in AUC with increasing dose over

the therapeutic dose range, is observed between different dose strengths. In these conditions, it is

APROVADO EM

06-01-2014

INFARMED

acceptable to base the application on only one bioequivalence study performed with the highest

strength, i.e. with Diltiazem 300 mg prolonged release capsules, provided that the following

conditions are fulfilled:

− the pharmaceutical products are manufactured by the same manufacturer

and process;

− the qualitative composition of the different strengths is the same;

− the composition of the strengths are quantitatively proportional, i.e. the

ratio between the amount of each excipient to the amount of active substance

is the same for all strengths;

− the dissolution profile should be similar under identical conditions for the

additional strengths and the strength of the batch used in the bioequivalence

study.

Pharmacovigilance System

The RMS considers that the Pharmacovigilance system as described by the applicant fulfils the

requirements and provides adequate evidence that the applicant has the services of a qualified

person responsible for pharmacovigilance and has the necessary means for the notification of any

adverse reaction suspected of occurring either in the Community or in a third country.

Risk Management Plan

The Applicant sent a RMP where the risk related with Diltiazem has been summarised:

The recent known interactions (statins & colchicine) have been mentioned in this report

APROVADO EM

06-01-2014

INFARMED

relevant

adverse

events

Applicant

refers

Acute

generalised

exanthematous pustulosis.

User consultation

The package leaflet has been evaluated in accordance with the requirements

of Articles 59(3) and 61(1) of Directive 2001/83/EC. The language used for

the purpose of user testing the PIL was english.

The results show that the package leaflet meets the criteria for readability as

set out in the Guideline on the readability of the label and package leaflet of

medicinal products for human use.

Overall conclusion, benefit/risk assessment and

recommendation

APROVADO EM

06-01-2014

INFARMED

The application contains adequate quality, non clinical and clinical data and the

bioequivalence

been

shown.

benefit/risk

ratio

comparable

reference product can therefore be concluded.

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação