Diclofenac + Misoprostol Aurovitas 75 mg + 0.2 mg Comprimido de libertação modificada

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Diclofenac + Misoprostol
Disponível em:
Generis Farmacêutica, S.A.
Código ATC:
M01AB55
DCI (Denominação Comum Internacional):
Diclofenac + Misoprostol
Dosagem:
75 mg + 0.2 mg
Forma farmacêutica:
Comprimido de libertação modificada
Composição:
Diclofenac sódico 75 mg ; Misoprostol 20 mg
Via de administração:
Via oral
Classe:
9.1.2 - Derivados do ácido acético
Tipo de prescrição:
MSRM Medicamento sujeito a receita médica
Grupo terapêutico:
Genérico
Área terapêutica:
diclofenac, combinations
Indicações terapêuticas:
Duração do Tratamento: Curta ou Média Duração
Resumo do produto:
Blister 20 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5599675 CNPEM: 50065610 CHNM: 10096084 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 60 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5599709 CNPEM: 50065602 CHNM: 10096084 Grupo Homogéneo: N/A
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
PT/H/0708/002/DC
Data de autorização:
2014-05-26

Leia o documento completo

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

FOLHETO INFORMATIVO

Folheto informativo: Informação para o utilizador

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas 75 mg + 200 microgramas comprimidos de

libertação modificada

Diclofenac sódico/misoprostol

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois

contém informação importante para si.

Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O

medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de

doença.

tiver

quaisquer

efeitos

indesejáveis,

incluindo

possíveis

efeitos

indesejáveis não indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Ver

secção 4.

O que contém este folheto:

O que é Diclofenac + Misoprostol Aurovitas e para que é utilizado

O que precisa de saber antes de tomar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

Como tomar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

Efeitos indesejáveis possíveis

Como conservar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

Conteúdo da embalagem e outras informações

O que é Diclofenac + Misoprostol Aurovitas e para que é utilizado

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas ajuda a aliviar a dor e o inchaço da artrite

reumatoide e da osteoartrite, e pode ajudar a proteger os doentes em risco de

irritação ou ulceração do estômago ou dos intestinos.

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas contém diclofenac e misoprostol. O diclofenac

pertence a um grupo de medicamentos chamados anti-inflamatórios não esteroides

(AINEs).

Embora os AINEs aliviem a dor, estes podem reduzir a quantidade natural das

substâncias protetoras chamadas de prostaglandinas no revestimento do estômago.

Isto significa que os AINEs podem levar a indisposição gástrica ou úlceras no

estômago. Diclofenac + Misoprostol Aurovitas também contém misoprostol que é

muito semelhante a estas prostaglandinas e pode ajudar a proteger o seu estômago.

O que precisa de saber antes de tomar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

Não tome Diclofenac + Misoprostol Aurovitas se:

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

teve uma reação alérgica como uma erupção da pele inchaço ou comichão da

pele, dor no peito, congestão nasal grave, asma ou pieira após tomar diclofenac ou

outros

AINEs

como

aspirina

(ácido

acetilsalicílico),

misoprostol

outro

medicamento da classe das prostaglandinas, ou a qualquer outro componente de

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas (ver secção 6).

atualmente tem uma úlcera ou perfuração (buraco) no seu estômago ou

intestinos.

atualmente sofre de hemorragia no seu estômago, intestinos ou cérebro.

vai ser submetido ou foi recentemente submetido a uma cirurgia de enxerto

de bypass de artéria coronária.

tem insuficiência dos rins ou do fígado graves.

tem doença cardíaca estabelecida e/ou doença vascular cerebral por ex., se

teve um ataque cardíaco, acidente vascular cerebral, mini-acidente vascular (AIT) ou

bloqueio nos vasos sanguíneos do coração ou do cérebro, ou se foi sujeito a alguma

operação cirúrgica para retirar estes bloqueios ou a uma cirurgia de bypass.

se tem ou já teve problemas de circulação (doença arterial periférica).

está grávida, ou a tentar engravidar, uma vez que pode causar um aborto. As

mulheres que ainda não atingiram a menopausa devem utilizar contraceção de

confiança enquanto estão a tomar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas.

se for uma mulher em idade fértil e não estiver a utilizar um método

contracetivo

eficaz

para

evitar

engravidar

(ver

secção

“Gravidez”

para

mais

informações).

Advertências e precauções

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Diclofenac + Misoprostol

Aurovitas se:

tem outros problemas de saúde como uma doença do fígado ou dos rins. Não

tome Diclofenac + Misoprostol Aurovitas se tem insuficiência do fígado ou dos rins

grave.

teve anteriormente uma úlcera ou uma hemorragia no seu estômago ou

intestinos. Não tome Diclofenac + Misoprostol Aurovitas se tem atualmente uma

úlcera ou uma hemorragia no seu estômago ou intestinos.

sangra ou ganha nódoas negras facilmente.

tem inflamação dos intestinos (colite ulcerosa ou doença de Crohn).

tem ou tiver tido asma ou uma doença alérgica.

tem uma infeção, uma vez que Diclofenac + Misoprostol Aurovitas pode

mascarar uma febre ou outros sinais de infeção.

está desidratado.

tem mais de 65 anos de idade uma vez que o seu médico pode querer

monitorizá-lo regularmente..

se está grávida ou planeia engravidar (ver a secção “Gravidez”). Devido aos

riscos para o feto, o seu tratamento com Diclofenac + Misoprostol Aurovitas tem ser

interrompido imediatamente.

se é uma mulher em idade fértil (ver também a secção “Gravidez”). É

importante utilizar um método contracetivo eficaz enquanto estiver a tomar este

medicamento.

Informe o seu médico se teve recentemente ou vai ser submetido a uma cirurgia do

estômago ou do trato intestinal antes de utilizar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas,

uma vez que Diclofenac + Misoprostol Aurovitas pode, por vezes, agravar a

cicatrização de feridas no intestino após cirurgia.

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Os medicamentos AINEs como Diclofenac + Misoprostol Aurovitas podem causar

hemorragia ou ulceração. Se isto ocorrer, o tratamento deve ser interrompido. A

utilização de Diclofenac + Misoprostol Aurovitas com outro AINE que não seja

aspirina (por exemplo, ibuprofeno) pode também aumentar a frequência de úlceras

ou hemorragias no estômago ou intestinos.

Diclofenac

Misoprostol

Aurovitas

pode

causar

efeitos

indesejáveis

graves,

especialmente

complicações

estomacais

intestinais,

estiver

usar

corticosteroide (por exemplo, prednisolona), um anticoagulante oral ou um Inibidor

Seletivo de Reabsorção de Serotonina (por exemplo, sertralina) ou se ingerir álcool.

Antes de lhe ser dado Diclofenac + Misoprostol Aurovitas, assegure-se que o seu

médico sabe se:

fuma.

tem diabetes.

tem angina, coágulos de sangue, pressão arterial elevada, colesterol elevado

ou triglicéridos elevados.

Medicamentos como Diclofenac + Misoprostol Aurovitas podem estar associados a

um pequeno aumento do risco de ataque cardíaco (enfarte do miocárdio) ou acidente

vascular cerebral. Qualquer risco é mais provável com elevadas doses e tratamento

prolongado. Não exceda a dose recomendada ou a duração do tratamento.

Os efeitos indesejáveis podem ser minimizados utilizando a menor dose eficaz

durante o menor período de tempo possível necessário.

Como com outros AINEs (por ex., ibuprofeno) Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

pode levar a um aumento na pressão arterial, e como tal o seu médico pode pedir

para monitorizar a sua pressão arterial numa base regular.

Se tem problemas cardíacos, de fígado ou dos rins, o seu médico irá querer

monitorizá-lo frequentemente.

Outros medicamentos e Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

Alguns medicamentos podem afetar o modo como outros medicamentos funcionam.

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado

recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos, incluindo:

Aspirina (ácido acetilsalicílico) ou outros AINEs (por ex., ibuprofeno).

Medicamentos utilizados para tratar a osteoartrite ou artrite reumatoide

conhecidos como inibidores da ciclooxigenase-2 (COX-2).

Diuréticos (utilizados para tratar fluidos em excesso no organismo).

Ciclosporina ou tacrolímus (utilizados para a supressão do sistema imunitário

por ex., após transplantes).

Lítio (utilizado para tratar alguns tipos de depressão).

Digoxina

(um medicamento

para um batimento cardíaco

irregular e/ou

insuficiência cardíaca).

Varfarina ou outros anticoagulantes orais (agentes que tornam o sangue mais

fluido que reduzem a coagulação do sangue), p. ex., aspirina.

Medicamentos utilizados para tratar ansiedade e depressão conhecidos como

inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRSs).

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Medicamentos

utilizados

para

controlar

açúcar

sangue

(hipoglicemiantes orais para a diabetes).

Metotrexato (utilizado para tratar a artrite reumatoide, psoríase e leucemia).

Medicamentos

esteroides

(por

ex.,

corticosteroides,

são

vezes

utilizados como medicamentos anti-inflamatórios).

Medicamentos para a pressão arterial elevada (anti-hipertensivos).

Antiácidos que contêm magnésio (utilizados para tratar azia, indigestão).

Antibióticos

classe

quinolonas

(utilizados

para

tratar

algumas

infeções).

Cetoconazol,

fluconazol,

miconazol

coriconazol

(utilizados

para

tratar

algumas infeções fúngicas).

Amiodarona (utilizado para tratar o batimento cardíaco anormal).

Sulfinpirazole (usado para tratamento de gota).

Se tomou um medicamento chamado mifepristona (utilizado para terminar a

gravidez) nos últimos 12 dias. Diclofenac + Misoprostol Aurovitas não deve ser

tomado 8-12 dias após tomar mifepristona.

Gravidez, amamentação e fertilidade

Não utilize Diclofenac + Misoprostol Aurovitas se estiver grávida, se acha que pode

estar grávida ou a tentar engravidar. Deve dizer ao seu médico se estiver a planear

engravidar.

Devido aos possíveis riscos de lesões no feto, tem de se certificar que não está

grávida antes de iniciar o tratamento. As mulheres em idade fértil têm de utilizar um

método contracetivo eficaz enquanto estiverem a tomar Diclofenac + Misoprostol

Aurovitas.

O seu médico irá informá-la dos riscos caso engravide enquanto está a tomar

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas, uma vez que pode causar um aborto, parto

prematuro, malformações no feto (defeitos congénitos). NUNCA deve tomar este

medicamento se estiver grávida, uma vez que também pode ter consequências

graves no seu filho, especialmente no coração, pulmões e/ou os rins, incluindo

morte. Se tiver recebido tratamento com este medicamento durante a gravidez, fale

com o seu médico. Se decidir continuar a gravidez, deve ser realizada uma ecografia

detalhada para monitorização da gravidez, tendo em especial atenção aos membros

e à cabeça.

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento se estiver

a amamentar.

Não utilize Diclofenac + Misoprostol Aurovitas enquanto estiver a amamentar.

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento

Condução de veículos e utilização de máquinas

Se se sentir tonto ou sonolento depois de tomar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas,

não conduza nem utilize quaisquer ferramentas ou máquinas até que estes efeitos

tenham passado.

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas contém lactose

Se foi informado pelo seu médico que tem intolerância a alguns açúcares, contacte-o

antes de tomar este medicamento.

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Este medicamento contém menos do que 1 mmol (23 mg) de sódio por 75 mg/200

micrograma de comprimidos de libertação modificada, ou seja, é praticamente

“isento de sódio”

Como tomar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

Tome

este

medicamento

exatamente

como

indicado

pelo

médico

farmacêutico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

A dose recomendada é um comprimido de duas vezes por dia.

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas deve ser engolido inteiro com um pouco de água

(não deve ser mastigado), tomado durante ou após as refeições.

Idosos e doentes com distúrbios do fígado ou dos rins:

O seu médico poderá querer monitorizar estes doentes mais cuidadosamente. Não é

necessária nenhuma alteração na dose.

Utilização em crianças

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas destina-se apenas a adultos. Diclofenac +

Misoprostol Aurovitas não se destina a utilização em crianças (com menos de 18

anos).

Se tomar mais Diclofenac + Misoprostol Aurovitas do que deveria

Não deve tomar mais comprimidos do que o seu médico lhe disse. Se tomar

demasiado comprimidos contacte o seu médico, farmacêutico ou o hospital assim

que possível e leve o medicamento consigo.

Caso se tenha esquecido de tomar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

No caso de se ter esquecido de tomar um comprimido, tome-o assim que se lembrar.

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

Não pare de tomar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas a não ser por indicação do seu

médico.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu

médico ou farmacêutico.

Efeitos indesejáveis possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos indesejáveis,

embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Se estiver preocupado com os efeitos indesejáveis, fale com o seu médico. É

importante que saiba o que pode acontecer, para que possa agir se Diclofenac +

Misoprostol Aurovitas tiver algum efeito secundário.

Diclofenac

Misoprostol

Aurovitas

vezes

causa

efeitos

indesejáveis

normalmente estes desaparecem durante o tratamento assim que o seu corpo se

habitua ao medicamento.

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Se alguma das seguintes situações ocorrer, pare de tomar Diclofenac + Misoprostol

Aurovitas e contacte o seu médico imediatamente. Se tiver:

Fraqueza ou incapacidade de mover um lado do corpo, fala arrastada

(derrame) ou dor no peito (ataque cardíaco) - a ocorrência é pouco frequentes

Falta de ar - a ocorrência é pouco frequentes

dor no estômago grave ou qualquer sinal de hemorragia ou rutura no

estômago ou nos intestinos, tais como fezes pretas ou com sangue, ou vomitar

sangue – isto ocorre muito raramente.

uma reação grave da pele como erupção cutânea, formação de bolhas ou

descamação da pele (síndrome de Stevens-Johnson, dermatite esfoliativa e necrólise

epidérmica tóxica) – isto ocorre muito raramente.

Insuficiência cardíaca, dor no peito, palpitações (consciência do seu batimento

cardíaco) - isto ocorre muito raramente

uma reação alérgica grave como erupção da pele inchaço da face, pieira ou

dificuldades em respirar (choque anafilático) – isto ocorre raramente.

icterícia (a sua pele ou o branco dos seus olhos parece amarelo) – isto ocorre

raramente.

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas pode causar um decréscimo num tipo de

glóbulos brancos (estes ajudam a proteger o organismo contra infeções e doenças) e

conduz a infeções com sintomas como arrepios, febre súbita, dor de garganta ou

sintomas do tipo gripal. Contacte imediatamente o seu médico se algum destes

sintomas se desenvolver - não se sabe com que frequência isto ocorre.

Redução do número de plaquetas (aumento das hipóteses de hemorragia ou

nódoas negras) - não se sabe com que frequência isto ocorre.

Dor no peito, que pode indiciar uma reação alérgica potencialmente grave

designada “síndrome de Kounis”.

Se tiver algum destes efeitos indesejáveis fale com o seu médico ou farmacêutico.

Isto inclui qualquer possível efeito secundário não descrito neste folheto.

Muito frequentes (podem afetar mais de 1 em 10 pessoas):

Dor de estômago, diarreia, náuseas (sensação de doença), indigestão.

A diarreia é o problema mais frequente e é ocasionalmente grave. Tem menos

probabilidades de ter diarreia se tomar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas com

alimentos. Se utilizar um antiácido (algo para reduzir o ácido no estômago) deve

evitar antiácidos com magnésio uma vez que estes podem piorar a diarreia. O seu

farmacêutico pode ajudá-lo a escolher um antiácido adequado. Se a diarreia

continuar e for grave informe o seu médico.

Frequentes (podem afetar até 1 em cada 10 pessoas):

Erupção da pele, comichão.

Vómitos, gases, obstipação, arrotos, gastrite (indigestão, dor de estômago,

vómitos).

Úlceras no estômago ou nos intestinos.

Dor de cabeça, tonturas.

Dificuldades em adormecer.

Alterações nas análises sanguíneas relacionadas com o fígado.

Inflamação do trato digestivo, incluindo os intestinos, como náusea, diarreia,

dor abdominal

Malformações do feto

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Pouco frequentes (podem afetar até 1 em cada 100 pessoas):

Inchaço da boca.

Hemorragia anormal ou inesperada da vagina, distúrbios menstruais.

Redução no número de plaquetas sanguíneas (probabilidade aumentada de

hemorragia ou contusões).

Púrpura (manchas roxas na pele).

Urticária (erupção da pele com comichão e relevo).

Infeção da vagina (comichão, ardor, dor e dor, especialmente durante a

relação sexual e / ou micção).

Visão turva.

Pressão arterial elevada.

Distúrbios menstruais, como sangramento geralmente intenso ou leve, ou

menstruações atrasadas.

Calafrios ou febre.

Raros (podem afetar até 1 em cada 1.000 pessoas):

Inflamação do fígado (possível descoloração amarela da pele, dor de cabeça,

febre, arrepios, fraqueza em geral).

Inflamação do pâncreas, que causa dor severa no abdómen e nas costas.

Inflamação do pulmão, como tosse, aumento da expetoração.

Dor no peito.

Muito raros (podem afetar até 1 em cada 10.000 pessoas):

Distúrbios graves do fígado incluindo falência hepática.

Pesadelos

Não conhecidos (a frequência não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis):

Danos no esófago.

Agravamento

colite

ulcerosa

doença

Crohn

(inflamação

intestinos).

Problemas dos rins ou do fígado.

Convulsões.

Reação alérgica (incluindo asma, problemas respiratórios, comichão, perda de

cabelo, vasos sanguíneos inflamados (pode causar febre, dores, manchas roxas)).

Sintomas de meningite (pescoço rígido, dor de cabeça, náuseas (sensação de

doença), vómitos, febre ou perda de consciência).

Aumento de líquidos no organismo que pode causar tornozelos e pernas

inchadas.

Vomitar sangue.

Reações psicóticas (perturbação mental que se caracteriza por perda de

contacto com a realidade).

Inchaço da língua, úlceras na boca, boca seca.

Depressão, sentir-se ansioso, alterações de humor, irritabilidade, problemas

de memória, sentir-se confuso, sentir tremores, sonolência, cansaço.

Dificuldades em ver, zumbidos nos ouvidos, alterações no paladar.

Aumento da sensibilidade à luz

Inflamação.

Perda de apetite.

Contrações anormais do útero, rutura no útero, retenção da placenta após dar

à luz, reação de risco de vida na mãe devido à passagem do líquido amniótico (o

fluido que cobre o feto), ou outro material fetal para a corrente sanguínea materna,

hemorragia no útero, aborto, morte do feto, nascimento prematuro.

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Pressão arterial baixa

Anemia (número baixo de glóbulos vermelhos) que pode levar a pele pálida e

causar fraqueza ou falta de ar.

Dores menstruais/ falhas na menstruação.

diminuição da fertilidade nas mulheres.

Comunicação de efeitos indesejáveis

Se tiver quaisquer efeitos indesejáveis, incluindo possíveis efeitos indesejáveis não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá

comunicar efeitos indesejáveis diretamente ao INFARMED, I.P. através dos contactos

abaixo.

comunicar

efeitos

indesejáveis,

estará

ajudar

fornecer

mais

informações sobre a segurança deste medicamento.

Sítio

internet:

http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram

(preferencialmente) ou através dos seguintes contactos:

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

Como conservar Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso no blister e na

embalagem exterior após EXP. O prazo de validade corresponde ao último dia do

mês indicado.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico.

Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza.

Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.

Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de Diclofenac + Misoprostol Aurovitas

As substâncias ativas são o diclofenac sódico e o misoprostol.

Cada

Diclofenac

Misoprostol

Aurovitas

microgramas

comprimido de libertação modificada contém 75 mg de diclofenac sódico e 200

microgramas de misoprostol.

Os outros componentes são:

Núcleo do comprimido: celulose microcristalina (E460), lactose mono-hidratada,

amido de milho, povidona K30, estearato de magnésio (E470b), talco purificado

(E553b).

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Revestimento

comprimido:

hidroxipropilmetilcelulose

tipo

2910

(E464),

Copolímero ácido metacrílico – etilacrilato (1:1), talco purificado (E553b), citrato de

trietilo (E1505), carboximetilamido sódico e óleo de rícino hidrogenado.

Qual o aspeto de Diclofenac + Misoprostol Aurovitas e conteúdo da embalagem

Os comprimidos não são revestidos, são brancos, circulares, biconvexos e, planos

numa das faces e gravados com “DM1” na outra face.

Os comprimidos são embalados em blisters e disponibilizados em embalagens de 10,

20, 30, 60, 90 e 100 comprimidos. É possível que não sejam comercializadas todas

as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Generis Farmacêutica, S.A.

Rua João de Deus, 19

2700-487 Amadora

Portugal

Fabricante

Aesica Pharmaceuticals GmbH

Alfred-Nobel Str 10 und Mittelstr.15, 40789 Monheim am Rhein,

North Rhine – Westphalia

Alemanha

Este

medicamento

encontra-se

autorizado

Estados

Membros

Espaço

Económico Europeu (EEE) com os seguintes nomes:

Holanda

Diclofenac/Misoprostol

Actavis

Retard

75/0,2

tabletten

gereguleerde afgifte

Este folheto foi revisto pela última vez em

Leia o documento completo

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

NOME DO MEDICAMENTO

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas 75 mg + 200 microgramas comprimidos de

libertação modificada

COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada Diclofenac + Misoprostol Aurovitas 75 mg + 200 microgramas comprimido de

libertação modificada contém 75 mg de diclofenac sódio e 200 microgramas de

misoprostol.

Excipiente com efeito conhecido:

Cada Diclofenac + Misoprostol Aurovitas 75 mg + 200 microgramas comprimido de

libertação modificada contém 30 mg de lactose mono-hidratada.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

FORMA FARMACÊUTICA

Comprimido de libertação modificada.

Comprimidos não revestidos, brancos, circulares, biconvexos, com 11,5 mm de

diâmetro e 6,4 mm de espessura, planos numa das faces e gravados com “DM1” na

outra face.

INFORMAÇÕES CLÍNICAS

Indicações terapêuticas

Diclofenac + Misoprostol Aurovitas é indicado para doentes que necessitam do

medicamento

anti-inflamatório

não

esteroide

diclofenac

juntamente

misoprostol.

O componente diclofenac de Diclofenac + Misoprostol Aurovitas está indicado para o

tratamento

sintomático

osteoartrite

artrite

reumatoide.

componente

misoprostol de Diclofenac + Misoprostol Aurovitas está indicado para doentes com

uma necessidade especial para a profilaxia de ulceração gástrica e duodenal

induzidas por AINEs.

Posologia e modo de administração

Posologia

Os efeitos indesejáveis podem ser minimizados utilizando a dose eficaz mais baixa

durante o menor período de tempo necessário para controlar os sintomas (ver

secção 4.4 Advertências e precauções especiais de utilização).

Adultos

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Deve ser tomado um comprimido com as refeições, duas vezes por dia. Os

comprimidos devem ser engolidos inteiros, não mastigados.

Idosos/Insuficiência renal, cardíaca ou hepática

Não

necessário

nenhum

ajuste

dose

idosos

doentes

insuficiência hepática ou insuficiência renal ligeira a moderada uma vez que a

farmacocinética não é alterada em nenhuma extensão clinicamente relevante. No

entanto, os doentes idosos e os doentes com insuficiência renal, cardíaca ou hepática

devem ser cuidadosamente monitorizados (ver secção 4.4 e secção 4.8).

População pediátrica

A segurança e eficácia de diclofenac/misoprostol em crianças com menos de 18 anos

não foram estabelecidas.

Contraindicações

Hipersensibilidade às substâncias ativas ou a qualquer um dos excipientes

mencionados na secção 6.1

Doentes com úlcera péptica ativa/hemorragia ou perfuração ou que tenham

hemorragia

gastrointestinal

(GI)

ativa

outras

hemorragias

ativas,

hemorragias vasculares cerebrais.

Mulheres grávidas e mulheres que planeiam engravidar.

Mulheres

potencial

para

engravidar

não

utilizem

métodos

contracetivos eficazes (ver secções 4.4, 4.6 e 4.8).

Doentes com conhecida hipersensibilidade ao diclofenac, ácido acetilsalicílico,

a outros AINEs, misoprostol, a outras prostaglandinas ou qualquer outra substância

do produto.

Doentes em quem os ataques de asma, urticária ou rinite aguda são

precipitados pelo ácido acetilsalicílico ou por outros medicamentos anti-inflamatórios

não-esteroides.

Tratamento da dor peri-operatória no cenário de cirurgia de enxerto de

bypass de artéria coronária.

Doentes com insuficiência renal e hepática grave.

Insuficiência

cardíaca

congestiva

estabelecida

(classes

II-IV

NYHA),

doença cardíaca isquémica, arteriopatia periférica e/ou doença vascular cerebral.

Advertências e precauções especiais de utilização

Advertências

Aspetos gerais:

À semelhança de outros AINE, podem também ocorrer reações alérgicas, incluindo

reações anafiláticas/anafilactoides, em casos raros com diclofenac sem exposição

prévia ao fármaco. As reações de hipersensibilidade podem também progredir para a

síndrome de Kounis, uma reação alérgica grave que pode causar enfarte do

miocárdio. Os sintomas de tais reações podem incluir dor no peito que ocorre em

associação com uma reação alérgica ao diclofenac.

A utilização concomitante de diclofenac/misoprostol com AINEs sistémicos, incluindo

inibidores COX-2, deve ser evitada, , com exceção de doentes que necessitam de

doses baixas de ácido acetilsalicílico - recomenda-se precaução nestes doentes com

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

monitorização rigorosa. O uso concomitante de um AINE e outro AINE sistémico

pode aumentar a frequência de úlceras gastrointestinais e hemorragias.

Em mulheres com potencial para engravidar (ver também secção 4.3)

Diclofenac/misoprostol

não

pode

utilizado

menos

estas

utilizem

contraceção eficaz e tenham sido aconselhadas sobre os riscos de tomar o produto

se estiverem grávidas (ver secção 4.6). O rótulo irá mencionar: ‘Não se destina a

utilização por mulheres com potencial para engravidar a menos que estejam a

utilizar contraceção eficaz’.

Precauções

Os efeitos indesejáveis podem ser minimizados utilizando a menor dose eficaz

durante o menor período de tempo necessário para controlar os sintomas (ver

secção 4.2, e riscos GI e cardiovasculares abaixo).

Insuficiência renal/ cardíaca/ hepática

Em doentes com insuficiência renal, cardíaca ou hepática e em idosos, recomenda-se

precaução uma vez que o uso de AINEs pode resultar na deterioração da função

renal. Nas seguintes condições diclofenac/misoprostol deve ser utilizado apenas em

circunstâncias excecionais e com monitorização clínica cuidada: insuficiência hepática

avançada, desidratação grave.

Num ensaio grande em que os doentes receberam diclofenac durante uma média de

18 meses, foram observados aumentos na ALT/AST em 3,1% dos doentes. Os

aumentos na ALT/AST normalmente ocorrem no espaço de 1-6 meses. Nos ensaios

clínicos, foi observada hepatite nos doentes a receber diclofenac, e na experiência

pós-comercialização, foram notificadas outras reações hepáticas, incluindo icterícia e

falência

hepática.

Durante

terapêutica

diclofenac/misoprostol,

função

hepática

deve

monitorizada

periodicamente.

diclofenac/misoprostol

utilizado

presença

função

hepática

comprometida,

necessária

monitorização cuidada. Se os testes anormais da função hepática persistirem ou se

agravarem, se se desenvolverem sinais e sintomas clínicos consistentes com doença

hepática, ou se ocorreram manifestações sistémicas, o tratamento com diclofenac

deve ser descontinuado.

Os metabolitos de diclofenac são eliminados principalmente pelos rins (ver secção

5.2).

extensão

metabolitos

podem

acumular

doentes

insuficiência renal não foi estudada. Como com outros AINEs, cujos metabolitos são

excretados pelos rins, os doentes com compromisso da função renal significativo

devem ser mais cuidadosamente monitorizados.

Em casos raros, os AINEs, incluindo diclofenac/misoprostol, podem causar nefrite

intersticial, glomerulite, necrose papilar e síndrome nefrótica. Os AINEs inibem a

síntese das prostaglandinas renais, que têm um papel de suporte na manutenção da

perfusão renal, em doentes cujo fluxo sanguíneo renal e volume sanguíneo estão

diminuídos.

Nestes

doentes,

administração

AINE

pode

precipitar

descompensação renal, que é normalmente seguida por recuperação, até ao estádio

de pré-tratamento, após descontinuação da terapêutica com AINE. Os doentes com

risco mais elevado de desenvolver esta reação, são os doentes com insuficiência

cardíaca congestiva, cirrose hepática, síndrome nefrótica, doença renal, e os idosos.

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Estes doentes devem ser cuidadosamente monitorizados enquanto sob terapêutica

com AINE.

Têm

sido

notificados

casos

retenção

líquidos

edema

associados

tratamento com AINE, pelo que os doentes com história de hipertensão arterial e/ou

insuficiência cardíaca congestiva leve a moderada deverão ser adequadamente

monitorizados e aconselhados.

Tal como todos os AINE, diclofenac/misoprostol pode levar a novas situações de

hipertensão ou ao agravamento de hipertensão pré-existente, o que pode contribuir

para o aumento da incidência de eventos cardiovasculares. Os AINEs, incluindo

diclofenac/misoprostol,

devem

utilizados

precaução

doentes

hipertensão. A pressão arterial deverá ser cuidadosamente monitorizada durante o

início e no decorrer da terapêutica com diclofenac/misoprostol.

Os doentes com fatores de risco significativos para acontecimentos cardiovasculares

(por ex., hipertensão, hiperlipidémia, diabetes mellitus, tabagismo) devem apenas

ser tratados com diclofenac após consideração cuidada. Uma vez que os riscos

cardiovasculares de diclofenac podem aumentar com a dose e a duração da

exposição, deve utilizar-se a duração mais curta possível e a dose diária eficaz mais

baixa. A necessidade do doente para alívio sintomático e resposta à terapêutica deve

ser reavaliada periodicamente.

Os dados epidemiológicos e de ensaios clínicos sugerem que a utilização de

diclofenac, em especial em doses elevadas (150 mg por dia) e em tratamento de

longo prazo pode estar associada com um pequeno aumento do risco de eventos

trombóticos arteriais graves (por exemplo, enfarte do miocárdio ou acidente vascular

cerebral).

Os médicos e os doentes devem permanecer alerta para o desenvolvimento destes

acontecimentos, mesmo na ausência de sintomas cardiovasculares anteriores. Os

doentes

devem

informados

sobre

sinais

e/ou

sintomas

toxicidade

cardiovascular grave e os passos que devem tomar se esta ocorrer (ver secção 4.3).

Sistema sanguíneo/Gastrointestinal

AINEs,

incluindo

diclofenac/misoprostol,

podem

causar

efeitos

adversos

gastrointestinais

(GI)

graves

incluindo

inflamação,

hemorragia,

ulceração

perfuração do estômago, intestino delgado ou intestino grosso, que pode ser fatal.

Quando

ocorre

hemorragia

ulceração

doentes

receber

diclofenac/misoprostol, o tratamento deve ser descontinuado. Estes acontecimentos

podem ocorrer em qualquer momento durante o tratamento, com ou sem sintomas

de advertência ou em doentes com antecedentes prévios de acontecimentos GI

graves.

Os AINEs, incluindo o diclofenac, podem estar associados a um maior risco de fuga

anastomótica gastrointestinal. Recomenda-se vigilância médica rigorosa e precaução

na utilização de diclofenac após cirurgia gastrointestinal.

Os doentes em maior risco de desenvolver este tipo de complicações GI com AINEs

são aqueles tratados com doses mais elevadas, idosos, doentes com doença

cardiovascular,

doentes

utilizar

concomitantemente

ácido

acetilsalicílico,

corticoesteróides, inibidores seletivos da recaptação da serotonina, doentes que

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

consomem álcool, ou doentes com história prévia de doença gastrointestinal ou

doença gastrointestinal ativa, tal como ulceração, hemorragia GI ou condições

inflamatórias.

Como tal, diclofenac/misoprostol deve ser utilizado com precaução nestes doentes e

deve começar-se o tratamento com a dose mais baixa disponível (ver secção 4.3).

Os doentes com antecedentes de toxicidade GI, especialmente os idosos, devem

notificar quaisquer sintomas abdominais invulgares (especialmente hemorragia GI)

sobretudo nas fases iniciais do tratamento. É aconselhada precaução em doentes a

receber

concomitantemente

medicamentos

possam

aumentar

risco

ulceração ou hemorragia, tais como corticosteroides orais, inibidores seletivos da

recaptação da serotonina ou anti-agregantes plaquetários como aspirina (ver secção

4.5).

utilização

concomitante

AINEs,

incluindo

Diclofenac

Misoprostol

Aurovitas,

anticoagulantes

orais

aumenta

risco

hemorragias

gastrointestinais e não gastrointestinais e deve ser administrada com precaução. Os

anticoagulantes orais incluem varfarina / tipo cumarínico e novos anticoagulantes

orais (por exemplo, apixabano, dabigatrano, rivaroxabano). A anticoagulação / INR

deve ser monitorizada em doentes a tomar anticoagulantes do tipo varfarina /

cumarina (ver secção 4.5).

Diclofenac/misoprostol, em comum com outros AINEs, pode diminuir a agregação

plaquetária e prolongar o tempo de hemorragia. Recomenda-se supervisão extra em

distúrbios hematopoéticos ou em condições com coagulação deficiente ou em

doentes com antecedentes de hemorragia vascular cerebral.

Recomenda-se precaução em doentes que sofrem de colite ulcerosa ou Doença de

Crohn uma vez que estas condições podem estar exacerbadas (ver secção 4.8).

Deve

tomado

cuidado

doentes

idosos

doentes

tratados

corticosteroides, outros AINEs ou anticoagulantes (ver secção 4.5).

Reações Cutâneas

Têm sido muito raramente notificadas reações cutâneas graves, algumas das quais

fatais, incluindo dermatite esfoliativa, síndrome de Stevens-Johnson e necrólise

epidérmica

tóxica,

associadas

administração

AINEs,

incluindo

diclofenac/misoprostol (ver secção 4.8.). Os doentes parecem estar em risco mais

elevado para estes acontecimentos no início da terapêutica, o início da reação ocorre

na maioria dos casos durante o primeiro mês de tratamento. Diclofenac/misoprostol

deve ser interrompido aos primeiros sinais de erupção cutânea, lesões das mucosas

ou outros sinais de hipersensibilidade.

Hipersensibilidade

Os AINEs podem precipitar broncospasmo em doentes que sofrem de, ou com

antecedentes de, asma brônquica ou doença alérgica.

Tratamento de longo prazo

Todos os doentes que recebem tratamento de longo prazo com AINEs devem ser

monitorizados como medida de precaução (por ex., contagens sanguíneas e da

função hepática, renal). Durante o tratamento com doses elevadas, de longo prazo

com fármacos analgésicos/anti-inflamatórios, podem ocorrer dores de cabeça que

não devem ser tratadas com doses mais elevadas do medicamento.

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Diclofenac/misoprostol

pode

mascarar

febre

consequentemente

infeção

subjacentes.

Doentes com problemas hereditários raros de intolerância à galactose, deficiência

total de lactase ou malabsorção de glucose-galactose não devem tomar este

medicamento.

Interações medicamentosas e outras formas de interação

Os AINEs podem atenuar a eficácia natriurética dos diuréticos devido à inibição da

síntese intrarrenal das prostaglandinas. O tratamento concomitante com diuréticos

poupadores de potássio pode ser associado com o aumento dos níveis séricos de

potássio, por isso os níveis séricos de potássio devem ser monitorizados.

Devido aos seus efeitos nas prostaglandinas renais, AINEs como o diclofenac podem

aumentar

nefrotoxicidade

ciclosporina.

Quando

coadministrado

ciclosporina, há um aumento de duas vezes na exposição sistémica ao diclofenac. É

prudente começar com a dose mais baixa de Diclofenac + Misoprostol Aurovitas e

monitorizar de perto os sinais de toxicidade.

Existe um possível aumento do risco de nefrotoxicidade quando os AINEs são

administrados com tacrolímus.

Os níveis plasmáticos da digoxina e do lítio em estado estacionário podem estar

aumentados e os níveis de cetoconazol podem estar diminuídos.

estudos

farmacodinâmicos

diclofenac

não

demonstraram

nenhuma

potenciação dos fármacos hipoglicemiantes e anticoagulantes orais. Contudo, uma

que foram

notificadas

interações

outros AINEs,

apesar

de tudo,

recomendada

precaução

monitorização

adequada

(ver

informações

sobre

agregação plaquetária em Precauções).

Devido à agregação plaquetária diminuída, deve tomar-se precaução quando se

utiliza diclofenac/misoprostol com anticoagulantes. Os AINEs podem aumentar os

efeitos dos anticoagulantes, como a varfarina, agentes anti-plaquetários, como o

ácido acetilsalicílico, e inibidores da recaptação da serotonina (ISRSs) aumentando

assim o risco de hemorragia gastrointestinal (ver secção 4.4).

Quando o diclofenac foi administrado com ácido acetilsalicílico, a ligação proteica do

diclofenac foi reduzida, embora a depuração do diclofenac livre não tenha sido

alterada. O significado clínico desta interação não é conhecido; entretanto, como

com outros AINEs, a administração concomitante de diclofenac / misoprostol e ácido

acetilsalicílico geralmente não é recomendada devido ao risco potencial de aumento

dos efeitos adversos gastrointestinais.

Foram notificados casos de hipo e hiperglicemia quando o diclofenac foi associado

com agentes antidiabéticos.

Deve tomar-se precaução quando o metotrexato é administrado concomitante com

AINEs devido ao possível aumento da sua toxicidade pelo AINE como resultado de

um aumento nos níveis plasmáticos de metotrexato, especialmente em doentes que

recebem elevadas doses de metotrexato.

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

A utilização concomitante com outros AINEs ou com corticosteroides pode aumentar

a frequência de ulceração ou hemorragia gastrointestinal e de efeitos secundários em

geral.

Anti-hipertensores

incluindo

diuréticos,

inibidores

enzima

conversão

angiotensina (IECA) e antagonistas dos recetores da angiotensina II (AAII) e beta-

bloqueadores: Os AINEs podem reduzir a eficácia dos diuréticos e de outros

medicamentos anti-hipertensores, incluindo IECA, AAII e beta-bloqueadores.

Em doentes com função renal comprometida (ex.: doentes desidratados ou doentes

idosos com compromisso da função renal), a coadministração de um inibidor da ECA

ou de um AAII e/ou diuréticos com um inibidor da ciclooxigenase pode aumentar da

deterioração da função renal, incluindo a possibilidade de insuficiência renal aguda,

que é normalmente reversível. A ocorrência destas interações deve ser considerada

em doentes a tomar diclofenac/misoprostol com um inibidor da ECA ou um AAII e/ou

diuréticos.

Os antiácidos podem atrasar a absorção do diclofenac. Antiácidos que contêm

magnésio demonstraram exacerbar a diarreia associada ao misoprostol.

Dados em animais indicam que os AINEs, em associação com antibióticos da classe

das quinolonas, podem aumentar o risco de convulsões. Os doentes a tomar AINEs e

quinolonas podem apresentar um risco aumentado de desenvolver convulsões.

Os AINEs não devem ser utilizados durante 8-12 dias após a administração de

mifepristona uma vez que os AINEs podem reduzir o efeito da mifepristona.

Recomenda-se precaução ao co-prescrever diclofenac com inibidores moderados do

CYP2C9 (como sulfinpirazona e voriconazol), o que pode resultar num aumento

significativo no pico de concentração plasmática e exposição ao diclofenac devido à

inibição do metabolismo do diclofenac. Recomenda-se também precaução ao co-

prescrever diclofenac com inibidores moderados do CYP2C9 (tais como fluconazol,

miconazol e amiodarona). A administração concomitante de diclofenac com estes

inibidores moderados do CYP2C9 não foi estudada, mas espera-se que conduza a

uma maior magnitude de interação.

O voriconazol aumentou a Cmax e a AUC do diclofenac (dose única de 50 mg) em

114% e 78%, respetivamente.

Fertilidade, gravidez e aleitamento

Fertilidade

Com base no mecanismo de ação, a utilização de AINEs (incluindo o diclofenac de

sódio/misoprostol) pode atrasar ou impedir a rutura dos folículos ováricos, o que

está associado a infertilidade reversível em algumas mulheres. No caso de mulheres

apresentem

dificuldade

engravidar

cuja

infertilidade

esteja

investigada,

deverá

considerada

descontinuação

AINEs,

incluindo

diclofenac de sódio/misoprostol.

Mulheres com potencial para engravidar

As mulheres com potencial para engravidar têm de ser informadas sobre o risco de

teratogenicidade antes do tratamento com diclofenac + misoprostol. O tratamento

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

não pode ser iniciado até que tenha sido excluída a possibilidade de gravidez, e as

mulheres devem ser instruídas sobre a importância da utilização de contraceção

adequada,

enquanto

estão

tratamento.

Caso

suspeite

gravidez,

tratamento tem de ser imediatamente interrompido (ver secções 4.3, 4.4 e 4.8).

Gravidez

Diclofenac/misoprostol está contraindicado em mulheres grávidas e em mulheres que

planeiam engravidar.

Misoprostol: O misoprostol induz contrações uterinas e está associado a aborto,

parto prematuro, morte fetal e malformações fetais. Foi notificado um risco de

malformações em grávidas expostas ao misoprostol durante o primeiro trimestre

aproximadamente 3 vezes superior em comparação com uma incidência de 2% num

grupo controlo. Em particular, a exposição pré-natal ao misoprostol tem sido

associada ao síndrome de Moebius (paralisia facial congénita que causa hipomimia,

dificuldades de sucção e deglutição e movimentos oculares, com ou sem defeitos nos

membros), síndrome da brida amniótica (deformações/amputações de membros,

especialmente

boto,

aquiria,

oligodactilia,

fenda

palatina,

entre

outras)

anomalias do sistema nervoso central (anomalias cerebrais e cranianas como

anencefalia, hidrocefalia, hipoplasia cerebelar e defeitos do tubo neural). Foram

observados outros defeitos, incluindo artrogripose.

Por conseguinte:

- As mulheres devem ser informadas do risco de teratogenicidade.

- Se a doente desejar continuar a gravidez após a exposição do útero ao misoprostol,

deve ser realizada uma ecografia detalhada para monitorização da gravidez, tendo

em especial atenção os membros e a cabeça

Diclofenac:

A inibição da síntese de prostaglandinas pode ter efeitos adversos na gravidez e/ou o

desenvolvimento embrionário/fetal. Dados de estudos epidemiológicos sugerem um

risco aumentado de aborto, de malformações cardíacas e gastrosquise após a

utilização de inibidores da síntese de prostaglandinas na fase inicial da gravidez. O

risco absoluto de malformações cardiovasculares aumentou de um valor inferior a

1% até aproximadamente 1,5%. Acredita-se que o risco aumenta com a dose e a

duração do tratamento. Em animais, a administração de inibidores da síntese de

prostaglandinas demonstrou resultar num aumento da perda pré e pós-implantação

e da letalidade embriofetal. Adicionalmente, foi reportado a incidência aumentada de

várias malformações, incluindo as cardiovasculares, em animais aos quais foi

administrado

inibidor

síntese

prostaglandinas

durante

período

organogenético.

Durante o terceiro trimestre de gravidez, todos os inibidores da síntese das

prostaglandinas podem expor: o feto a:

- toxicidade cardiopulmonar (com encerramento prematuro do ducto arterial e

hipertensão pulmonar);

disfunção

renal,

pode

progredir

para

insuficiência

renal

oligo-

hidroamniose; a mãe e o recém-nascido, no final da gravidez, a:

- provável prolongamento do tempo de hemorragia, um efeito antiagregante que

pode ocorrer mesmo com doses muito baixas;

- inibição das contrações uterinas resultando em atraso ou prolongamento do

trabalho de parto.

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Amamentação

O misoprostol é rapidamente metabolizado na mãe em ácido misoprostol, que é

biologicamente ativo e é excretado no leite materno. O diclofenac é excretado no

leite materno em quantidades muito pequenas. Em geral, os efeitos potenciais no

lactente de qualquer exposição ao misoprostol e aos seus metabolitos através da

amamentação são desconhecidos. Contudo, a diarreia é um efeito secundário

reconhecido do misoprostol e pode ocorrer em lactentes de mães a amamentar.

Diclofenac/misoprostol não deverá como tal ser administrado a mães a amamentar.

Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Os doentes que experimentem tonturas ou outros distúrbios do sistema nervoso

central enquanto estão a tomar AINEs devem abster-se de conduzir ou operar

máquinas.

Efeitos indesejáveis

Na tabela abaixo está listada a incidência de reações adversas medicamentosas

notificadas em estudos clínicos controlados quando diclofenac sódico/misoprostol foi

administrado

mais

2000

doentes.

Adicionalmente,

reações

adversas

medicamentosas notificadas durante a vigilância pós-comercialização são aquelas

cuja frequência não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis, tais como

notificações

espontâneas,

foram

listadas

frequência

desconhecida.

acontecimentos

adversos

observados

mais

frequentemente

são

natureza

gastrointestinal. Em geral, o perfil de eventos adversos do diclofenac / misoprostol

em doentes com 65 anos de idade ou mais (556 indivíduos) foi semelhante ao de

doentes mais jovens (1564 indivíduos). As únicas diferenças clinicamente relevantes

foram que os doentes com 65 anos de idade ou mais pareciam ser menos tolerantes

aos efeitos gastrointestinais do diclofenac / misoprostol administrados três vezes ao

dia.

Sistema

órgãos

Muito

frequentes

(≥1/10)

Frequentes

(≥1/100

<1/10)

Pouco

frequentes

(≥1/1.000

<1/100)

Raros

(≥1/10.000 e

< 1/1.000)

Muito

raros

(<1/10.000

Frequência

desconhecida (a

frequência

não

pode

calculada

partir dos dados

disponíveis)

Infeções

infestações

Infeção

vaginal

Meningite

asséptica1

Doenças

sangue

sistema linfático

Trombocitope

Anemia

aplástica,

agranulocitose,

anemia

hemolítica,

leucopenia,

inibição

agregação

APROVADO EM

23-11-2020

INFARMED

Doenças

sistema

Reação

anafilática

Hipersensibilidad

Doenças

metabolismo

da nutrição

Anorexia,

retenção

líquidos

Perturbações do

foro psiquiátrico

Insónia

Pesadelos

Reações

psicóticas,

desorientação,

depressão,

ansiedade,

alterações

humor,

irritabilidade

Doenças

sistema

nervoso

Dores

cabeça,

tonturas

Acidente

cardiovascula

Convulsões,

perturbação

memória,

sonolência,

tremor,

alteração

paladar,

parestesia

Afeções

oculares

Visão turva

Perturbações

visuais

Afeções

ouvido

labirinto

Zumbido

Doenças

cardíacas

Enfarte

miocárdio

Falência

cardíaca,

palpitações,

Síndrome

Vasculopatias

Hipertensão

Choque,

hipotensão,

vasculite

Doenças

respiratórias,

torácicas

mediastino

Dispneia

Asma,

pneumonite

Doenças

gastrointestinai

abdominal,

diarreia2,

náuseas,

dispepsia

Gastrite,

vómitos,

flatulência,

eructação,

obstipação,

úlcera

péptica,

inflamação

gastrointesti

Estomatite,

hemorragia

gastrointestin

Perfuração

melena,

hematemese,

colite, doença de

Crohn,

doença

esófago,

ulceração

boca,

glossite,

edema

Leia o documento completo

APROVADO EM

26-05-2014

INFARMED

Public Assessment Report

Scientific discussion

Diclofenac + Misoprostol Actavis

50mg/0.2mg, 75mg/0.2mg Modified-release tablet

(Diclofenac + Misoprostol)

PT/H/708/001-002/DC

This module reflects the scientific discussion for the approval of Diclofenac + Misoprostol

Actavis. The procedure was finalised at 28-12-2013. For information on changes after this

date please refer to the module ‘Update’.

APROVADO EM

26-05-2014

INFARMED

Introduction

Actavis has applied for a marketing authorisation for Diclofenac+Misoprostol 50mg/0.2mg

modified-release tablet, 75mg/0.2mg modified-release tablet, containing diclofenac sodium

and misoprostol as the active substance, indicated for he symptomatic treatment of

osteoarthritis, rheumatoid arthritis and for patients with a special need for the prophylaxis

of NSAID-induced gastric and duodenal ulceration.

This application concerns a generic application claiming essential similarity with the

reference product Arthrotec 50mg+0.2mg and 75mg+0.2mg modified-release tablets, from

Pfizer, registered since 18-07-1991

The marketing authorisation was granted on xxxxxx based on Directive 2001/83/EC article

10.1(a) (iii) first paragraph.

Portugal was the Reference Member Stade in these Decentralised Procedure and concerned

member States were AT, DK, NL, SE and UK.

Quality aspects

Introduction

Diclofenac + Misoprostol 50mg/0.2mg modified-release tablets are white, circular,

biconvex uncoated tablets, 11.5 mm in diameter and 6.2 mm in thickness, plain on one side

and embossed “DM2” on the other side.

The tablets are supplied in blisters packs (aluminium) with 10, 20, 30, 60, 90 and 100

modified-release tablets.

Diclofenac + Misoprostol 75mg/0.2mg modified-release tablets are white, circular,

biconvex uncoated tablets, 11.5 mm in diameter and 6.4 mm in thickness, plain on one side

and embossed “DM1” on the other side.

The tablets are supplied in blisters packs (aluminium) with 10, 20, 30, 60, 90 and 100

modified-release tablets.

The excipients are

Core:microcrystalline cellulose (E460); lactose monohydrate; maize starch; povidone

K30;magnesium stearate (E470b);purified talc (E553b)

Mantle/Coat:hydroxypropylmethylcellulose type 2910 (E464);methacrylic acid-ethyl

acrylate copolymer (1:1);purified talc (E553b);triethyl citrate (E1505);microcrystalline

cellulose (E460);sodium starch glycolate;hydrogenated castor oil.

Drug Substance

Diclofenac Sodium

APROVADO EM

26-05-2014

INFARMED

The active substance diclofenac sodium, is in line with requirements of current edition of

European Pharmacopoeia.

The drug substance is diclofenac sodium (sodium 2-[(2,6-

dichlorophenyl)amino]phenyl]acetate), which is a white or slightly yellowish, crystalline

powder, slightly hygroscopic, sparingly soluble in water, freely soluble in methanol,

soluble in alcohol, slightly soluble in acetone. It melts at about 280C, with decomposition.

The molecular formula is C

NNaO

, the relative molecular mass is 318.1 Da .

Misoprostol

The active substance misoprostol is in line with requirements of current edition of

European Pharmacopoeia.

Misoprostol is chemically a mixture of methyl 7-[(1RS,2RS,3RS)-3-hydroxy-2-[(1E,4RS)-

4-hydroxyl-4-methyloct-1-enyl]-5-oxocyclopentyl]heptanoate and methyl 7-

[(1RS,2RS,3RS)-3-hydroxy-2-[(1E,4SR)-4- hydroxyl-4-methyloct-1-enyl]-5-

oxocyclopentyl]heptanoate.

It is a clear, colourless or yellowish, oily liquid, hygroscopic and practically insoluble in

water, soluble in ethanol (96%), sparingly soluble in acetonitrile. Misoprostol has 4

stereoisomers that are present in approximately equal proportions. It presents a molecular

formula of C

, a molecular weight of 382.5 Da.

Medicinal Product

The documentation provided complies with relevant EU guidelines and directives.

Manufacture is performed in accordance with cGMP and consistency in quality and

homogeneity is demonstrated.

The finished product specification is based on relevant development and stability studies.

The development of the product has been described, the choice of excipients is justified

and their functions explained.

Appropriate validation data have been provided for the analytical methods. Batch analyses

data support the proposed finished product specification.

Stability studies were performed in line with the ICH guidance. The proposed shelf-life of

2 years, with no special conditions needed, for the drug product is considered acceptable

Non-clinical aspects

Pharmacodynamic, pharmacokinetic and toxicological properties of diclofenac +

misoprostol are well known. As diclofencac + misoprostol is widely used, well-known

active substance, the applicant has not provided additional studies and further studies are

not required. An overview based on literature review is, thus, appropriate.

APROVADO EM

26-05-2014

INFARMED

Clinical aspects

To support the application, the applicant has submitted two bioequivalence studies titled:

“A randomised, open label, Balanced, two-treatment, two-period, two-sequence, single

dose, cross over bioequivalence study of test product Diclofenac Sodium 75mg and

Misoprostol 200

g Tablets (each tablet consist of a gastro resistant core containing 75mg

diclofenac sodium surrounded by an outer mantle containing 200

g Misoprostol) of Cipla

Ltd., India, with Reference Product Arthrotec 75 modified-Release Tablets (each tablet

consist of a gastro resistant core containing 75mg diclofenac sodium surrounded by an

outer mantle containing 200

g Misoprostol) of Pharmacia Ltd., UK, in Normal, Healthy,

Adult, Male And Female Human Subjects under Fasting Conditions” (Study code:

ARL/10/105); “A randomised, open label, Balanced, two-treatment, two-period, two-

sequence, single dose, Replicate cross over, Bioequivalence Study of test product

Diclofenac Sodium 75mg and Misoprostol 200

g Tablets (each tablet consist of a gastro

resistant core containing 75mg diclofenac sodium surrounded by an outer mantle

containing 200

g Misoprostol) of Cipla Ltd., India, with Reference Product Arthrotec 75

modified-Release Tablets (each tablet consist of a gastro resistant core containing 75mg

diclofenac sodium surrounded by an outer mantle containing 200

g Misoprostol) of

Pharmacia Ltd., UK, in Normal, Healthy, Adult, Male And Female Human Subjects under

Fed Conditions” (Study code: ARL/10/106).

The application concerns 50mg/0.2mg and 75mg/0.2mg modified-release tablets proposed

for marketing. The bioequivalence study was carried out with the 75mg/0.2mg strength.

The conditions for bio-waivers in sections 4.1.6 of the Bioequivalence Guideline have been

partially fulfilled. The pharmaceutical products have the same manufacturer and process,

the qualitative composition of the different strengths is the same, the drug input has been

shown to be linear over the therapeutic dose range (25 to 150mg) and similar dissolution

profile under identical conditions between the 50mg/0.2mg and 75mg/0.2mg strengths.

Pharmacovigilance Plan

The Actavis Group PTC ehf.. has at his disposal the services of a Qualified Person for

pharmacovigilance (QPPV). QPPV and his deputy have the necessary means to fulfil the

tasks and responsibilities listed in Title IX of Directive 2011 /83 /EC. The contact details

of the QPPV, including country of residence, and the location of the PSMF are maintaincd

in the Article 57 database.

This is acceptable according the new legislation for pharmacovigilance applied in the

European Union (EU) which replaced Volume 9A of the Rules Governing Medicinal

Products in the EU.

APROVADO EM

26-05-2014

INFARMED

The applicant will have a Qualified person in European Union; a Master File (PSMF)

located at QPPV Office in Denmark, and also have sent the contacts of QPPV.

Risk Management Plan

There were two documents concerning Risk Management Plan in the dossier:

one entitled “Evaluation of need for Risk Management Plan” signed by Marie Andersen

and Ilse Sjoholm dated 23 Jul 2012, that justifies the waiver for a RMP and a statement

referring that no new safety concerns were identified and so the rotine pharmacovigilance

activities will be enough .

Another document entitled “ Risk Management Plan version 1.0” dated 23-08-2012 and

signed by Marie Andersen and Ilse Sjoholm with a format compatible with a formal RMP,

were the following issues were described :

Safety Concerns

Important Identified risks – serious skin reactions; cardiovascular safety ( events?) ;

gastrointestinal safety, use in women of childbearing potential.

Important Potential risks – not applicable

Important Missing Information – Not applicable

Planned Pharmacovigilance Activities

serious skin reactions – Routine Pharmacovigilance

cardiovascular safety – Routine Pharmacovigilance

gastrointestinal safety - Routine Pharmacovigilance

use in women of childbearing potential - Routine Pharmacovigilance

APROVADO EM

26-05-2014

INFARMED

User testing

The readability of the package leaflet was successfully demonstrated.

User consultation

The application for Diclofenac + Misoprostol contains adequate quality, non clinical and

clinical data and the bioequivalence has been shown. A benefit/risk ratio comparable to the

reference product can therefore be concluded.

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação