Depocilina 300 mg/ml suspensão injetável para bovinos, ovinos, suínos, equinos, cães e gatos.

Portugal - português - DGAV (Direção Geral de Alimentação e Veterinária)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Procaína Benzilpenicilina 300.0 mg/ml
Disponível em:
MSD Animal Health, Lda.
Código ATC:
QJ01CE01
DCI (Denominação Comum Internacional):
Penicillin G Procaine
Forma farmacêutica:
Suspensão injetável
Via de administração:
Via intramuscular; Via subcutânea
Tipo de prescrição:
MSRMV - Medicamento Sujeito a Receita Médico-Veterinária
Grupo terapêutico:
Bovinos, Caninos, Equinos, Felinos, Ovinos, Suínos
Área terapêutica:
Benzilpenicilina
Resumo do produto:
Intervalo de Segurança: Carne e Vísceras (bovinos) - 5 dias; Leite (bovinos) - 6 dias; Carne e Vísceras (ovinos) - 4 dias; Leite (ovinos) - 6 dias; Carne e Vísceras (suínos) - 5 dias; Carne e Vísceras (equinos) - Não administrar a cavalos destinados para consumo humano; ; Frasco(s) - 1 unidade(s) - 100 ml 788/01/14NFVPT Autorizado Sim
Número de autorização:
788/01/14NFVPT

Leia o documento completo

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 1 de 25

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 2 de 25

1.

NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

Depocilina 300 mg/ml suspensão injetável para bovinos, ovinos, suínos, equinos, cães e gatos.

2.

COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada ml contém:

Substância ativa:

Benzilpenicilina procaínica

300 mg

Excipiente:

Metil-p-hidroxibenzoato

1,10 mg

Para a lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3.

FORMA FARMACÊUTICA

Suspensão injetável.

Suspensão branca a esbranquiçada.

4.

INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1

Espécies-alvo

Bovinos, ovinos, suínos, equinos, caninos (cães) e felinos (gatos).

4.2

Indicações de utilização, especificando as espécies-alvo

Tratamento de infeções causadas por bactérias sensíveis à penicilina, tais como:

- bactérias Gram-positivas aeróbias tais como o Staphylococcus aureus, os estreptococos, a maioria

dos Actinomyces spp. (Corynebacteria) e Erysipelothrix spp. Bactérias Gram-positivas anaeróbicas

sensíveis incluem a maioria dos clostrídios.

bactérias

Gram-negativas,

incluindo

Pasteurella

multocida

Actinobacillus

(Haemophilus)

pleuropneumoniae.

4.3

Contraindicações

Não administrar a animais sensíveis à penicilina.

Não administrar em lagomorfos ou roedores como coelhos, cobaios, hamsters e gerbilos.

Não administrar na presença de estafilococos produtores de

-lactamase.

Não administrar por via i.v.

4.4

Advertências especiais para cada espécie-alvo

Não administrar em caso de hipersensibilidade à penicilina.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 3 de 25

A utilização do medicamento veterinário deve basear-se em testes de sensibilidade às bactérias

isoladas

animal.

não

possível,

terapêutica

deve

conta

informação

epidemiológica local sobre a suscetibilidade da bactéria alvo.

4.5

Precauções especiais de utilização

Precauções especiais para a utilização em animais

Injeções repetidas não deverão ser administradas no mesmo local de injeção.

A utilização do medicamento veterinário deve basear-se em testes de sensibilidade e ter em conta as

políticas antimicrobianas oficiais e locais. A utilização inapropriada do medicamento veterinário pode

aumentar a prevalência da resistência bacteriana às penicilinas e diminuir a sua eficácia.

Precauções especiais a adotar pela pessoa que administra o medicamento veterinário aos animais

pessoas

hipersensibilidade

conhecida

penicilinas

devem

evitar

contacto

medicamento veterinário.

Não manusear o medicamento veterinário se é sensível ou se tiver sido aconselhado para não o

fazer.

De modo a evitar exposição ao medicamento veterinário, manuseá-lo com grande cuidado,

tomando todas as precauções recomendadas.

Após

exposição,

caso

surjam

sintomas

como

erupção

cutânea,

deve

consultar

médico

mostrar-lhe as indicações aqui descritas. Inchaço do rosto, lábios ou olhos ou dificuldade em respirar,

são sintomas mais graves pelo que requerem cuidados médicos urgentes.

Lavar as mãos após administração.

4.6

Reações adversas (frequência e gravidade)

Ocasionalmente foram observadas reações alérgicas mas estas são muito raras.

Ocasionalmente,

foram

observadas,

reações

potencialmente

fatais

associadas

administração

penicilina procaínica em equinos.

Em leitões e suínos de engorda a administração de penicilina procaínica poderá causar pirexia

transitória, vómito, tremores, ataxia, apatia.

Em fêmeas, está descrito, corrimento vulvar possivelmente associado a aborto.

A frequência dos eventos adversos é definida utilizando a seguinte convenção:

- Muito frequente (mais de 1 animal apresentando evento(s) adverso(s) em 10 animais tratados)

- Frequente (mais de 1 mas menos de 10 animais em 100 animais tratados)

- Pouco frequente (mais de 1 mas menos de 10 animais em 1 000 animais tratados)

- Rara (mais de 1 mas menos de 10 animais em 10 000 animais tratados)

- Muito rara (menos de 1 animal em 10 000 animais tratados, incluindo notificações isoladas)

4.7

Utilização durante a gestação, a lactação ou a postura de ovos

Em fêmeas, está descrito, corrimento vulvar possivelmente associado a aborto.

4.8

Interações medicamentosas e outras formas de interação

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 4 de 25

Pode ocorrer antagonismo entre o medicamento veterinário e outras preparações bacteriostáticas.

Podem emergir bactérias resistentes, o que demonstra uma resistência cruzada a outros antibióticos

lactâmicos.

Foi demonstrado sinergismo com outras preparações bactericidas.

4.9

Posologia e via de administração

Bovinos e equinos: 12 mg/kg peso corporal (injeção intramuscular).

Ovinos e suínos: 15 mg/kg peso corporal (injeção intramuscular).

Cães e gatos: 30 mg/kg peso corporal (injeção intramuscular ou subcutânea).

O tratamento pode ser repetido com intervalos de 24 horas até 5 administrações.

Não repetir o mesmo local de injeção durante o tratamento.

4.10

Sobredosagem (sintomas, procedimentos de emergência, antídotos), (se necessário)

A benzilpenicilina é praticamente não tóxica. Doses muito altas não causaram efeitos tóxicos. O único

risco para animais que receberam benzilpenicilina e antibióticos

-lactâmicos relacionados é o choque

anafilático. Os animais que são hipersensíveis a antibióticos

-lactâmicos podem reagir gravemente.

Esta condição afeta quer o sistema respiratório, quer o cardiovascular (dispneia, congestão das

membranas mucosas, angioedema e colapso cardiovascular) e pode ser fatal. A adrenalina é o antídoto

de eleição.

4.11

Intervalos de segurança

Bovinos:

Carne e vísceras: 5 dias

Leite: 6 dias

Ovinos:

Carne e vísceras: 4 dias

Leite: 6 dias

Suínos:

Carne e vísceras: 5 dias

Não administrar a cavalos destinados ao consumo humano.

5.

PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

Grupo farmacoterapêutico: Antibacteriano para uso sistémico, antibacteriano

-lactâmico, penicilinas

Código ATCvet: QJ0ICE01

5.1

Propriedades farmacodinâmicas

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 5 de 25

A benzilpenicilina pertence aos antibióticos

-lactâmicos. Estes antibióticos impedem a síntese da

parede celular bacteriana, ao interferirem com a fase final da síntese de peptidoglicano. Esta síntese

de peptidoglicano é exclusiva das bactérias. A benzilpenicilina exerce uma ação bactericida, mas

provoca a lise apenas de células em crescimento, uma vez que apenas células nas quais ocorre a

síntese ativa de peptidoglicano são sensíveis ao mecanismo de ação da benzilpenicilina. É sensível à

inativação pela beta-lactamase.

A benzilpenicilina demonstrou ser eficaz in-vitro contra bactérias Gram-positivas aeróbias tais como o

Staphylococcus

aureus,

estreptococos,

maioria

Actinomyces

spp.

(Corynebacteria)

Erysipelothrix spp. Bactérias Gram-positivas anaeróbicas sensíveis incluem a maioria dos clostrídios.

A benzilpenicilina também demonstrou ser eficaz in-vitro contra algumas bactérias Gram-negativas,

incluindo a Pasteurella multocida e Actinobacillus (Haemophilus) pleuropneumoniae.

5.2

Propriedades farmacocinéticas

Após a injeção intramuscular, a benzilpenicilina é gradualmente reabsorvida no local da injeção.

Após a reabsorção, a benzilpenicilina é extensamente distribuída nos fluidos corporais extracelulares,

mas as membranas são fracamente atravessadas devido à baixa lipofilicidade e um elevado grau de

ionização. Os volumes aparentes de distribuição são relativamente pequenos (0,2-0,3 l / kg). A entrada

através

membranas

biológicas

através

líquido

cefalorraquidiano

aumentada

pela

inflamação, de modo que as concentrações inibitórias de fármaco podem ser alcançadas nestes locais,

os quais são normalmente inacessíveis à penicilina.

As penicilinas são eliminadas quase que inteiramente pelos rins, o que resulta em níveis muito

elevados na urina. Os mecanismos de excreção renal incluem filtração glomerular e secreção tubular.

6.

INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1

Lista de excipientes

Lecitina

Povidona

Edetato disódico di-hidratado

Citrato de sódio di-hidratado

Di-hidrogénio fosfato de potássio

Metil-p-hidroxibenzoato

Hidróxido de sódio (para ajuste de pH)

Ácido fosfórico (para ajuste de pH)

Água para injetáveis

6.2

Incompatibilidades principais

Não misturar com qualquer outro medicamento veterinário.

6.3

Prazo de validade

Prazo de validade do medicamento veterinário tal como embalado para venda: 3 anos

Prazo de validade após a primeira abertura do acondicionamento primário: 28 dias

6.4

Precauções especiais de conservação

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 6 de 25

Conservar no frigorífico (2ºC - 8ºC).

Não congelar.

Conservar na embalagem de origem.

Proteger da luz.

6.5

Natureza e composição do acondicionamento primário

Frasco de vidro tipo II, Farm. Eur. ou PET de 100 ml fechado com tampa de borracha butil

halogenada e selada com cápsula de alumínio.

6.6

Precauções especiais para a eliminação de medicamentos veterinários não utilizados ou de

desperdícios derivados da utilização desses medicamentos

O medicamento veterinário não utilizado ou os seus desperdícios devem ser eliminados de acordo com a

legislação em vigor.

7.

TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

MSD Animal Health, Lda.

Edifício Vasco da Gama, nº 19

Quinta da Fonte, Porto Salvo

2770-192 Paço de Arcos

8.

NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

788/01/14NFVPT

9.

DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO

Data da primeira autorização: 05 janeiro 1988.

Data da Renovação da autorização: 26 junho 2019

10.

DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Junho 2019

PROIBIÇÃO DE VENDA, FORNECIMENTO E/OU UTILIZAÇÃO

Não aplicável.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 7 de 25

ROTULAGEM E FOLHETO INFORMATIVO

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 8 de 25

A. ROTULAGEM

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 9 de 25

INDICAÇÕES A INCLUIR NO ACONDICIONAMENTO SECUNDÁRIO

Cartonagem de 100 ml

1.

NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

Depocilina 300 mg/ml suspensão injetável para bovinos, ovinos, suínos, equinos, cães e gatos

2.

DESCRIÇÃO DAS SUBSTÂNCIAS ATIVAS

Cada ml contém:

Substância ativa:

Benzilpenicilina procaínica

300 mg

3.

FORMA FARMACÊUTICA

Suspensão injetável.

4.

DIMENSÃO DA EMBALAGEM

100 ml

5.

ESPÉCIES-ALVO

Bovinos, ovinos, suínos, equinos, caninos (cães) e felinos (gatos).

6.

INDICAÇÕES

Tratamento de infeções causadas por bactérias sensíveis à penicilina.

7.

MODO E VIA DE ADMINISTRAÇÃO

Antes de administrar, ler o folheto informativo.

8.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Intervalo de segurança:

Bovinos:

Carne e vísceras: 5 dias

Leite: 6 dias

Ovinos:

Carne e vísceras: 4 dias

Leite: 6 dias

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 10 de 25

Suínos:

Carne e vísceras: 5 dias

Não administrar a cavalos destinados ao consumo humano.

9.

ADVERTÊNCIAS ESPECIAIS, SE NECESSÁRIO

Não administrar em caso de hipersensibilidade à penicilina.

10.

PRAZO DE VALIDADE

VAL {mês/ano}

11.

CONDIÇÕES ESPECIAIS DE CONSERVAÇÃO

Conservar no frigorífico (2ºC - 8ºC).

Não congelar.

Conservar na embalagem de origem.

Proteger da luz.

12.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE ELIMINAÇÃO DO MEDICAMENTO NÃO

UTILIZADO OU DOS SEUS DESPERDÍCIOS, SE FOR CASO DISSO

Eliminar os desperdícios de acordo com os requisitos locais.

13.

MENÇÃO “EXCLUSIVAMENTE PARA USO VETERINÁRIO” E CONDIÇÕES OU

RESTRIÇÕES RELATIVAS AO FORNECIMENTO E À UTILIZAÇÃO, se for caso

disso

USO VETERINÁRIO

Medicamento veterinário sujeito a receita médico-veterinária.

14.

MENÇÃO “MANTER FORA DA VISTA E DO ALCANCE DAS CRIANÇAS”

Manter fora da vista e do alcance das crianças.

15.

NOME E ENDEREÇO DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO

MERCADO

MSD Animal Health, Lda.

Edifício Vasco da Gama, nº 19

Quinta da Fonte, Porto Salvo

2770-192 Paço de Arcos

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 11 de 25

16.

NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

AIM n.º 788/01/14NFVPT

17.

NÚMERO DO LOTE DE FABRICO

Lote {número}

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 12 de 25

INDICAÇÕES A INCLUIR NO ACONDICIONAMENTO PRIMÁRIO

Rótulo de 100 ml

1.

NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

Depocilina 300 mg/ml suspensão injetável para bovinos, ovinos, suínos, equinos, cães e gatos

2.

DESCRIÇÃO DAS SUBSTÂNCIAS ATIVAS

Cada ml contém:

Substância ativa:

Benzilpenicilina procaínica

300 mg

3.

FORMA FARMACÊUTICA

Suspensão injetável.

4.

DIMENSÃO DA EMBALAGEM

100 ml

5.

ESPÉCIES-ALVO

Bovinos, ovinos, suínos, equinos, caninos (cães) e felinos (gatos).

6.

INDICAÇÕES

Tratamento de infeções causadas por bactérias sensíveis à penicilina.

7.

MODO E VIA DE ADMINISTRAÇÃO

Antes de administrar, ler o folheto informativo.

8.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Intervalo de segurança:

Bovinos:

Carne e vísceras: 5 dias

Leite: 6 dias

Ovinos:

Carne e vísceras: 4 dias

Leite: 6 dias

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 13 de 25

Suínos:

Carne e vísceras: 5 dias

Não administrar a cavalos destinados ao consumo humano.

9.

ADVERTÊNCIAS ESPECIAIS, SE NECESSÁRIO

Não administrar em caso de hipersensibilidade à penicilina.

10.

PRAZO DE VALIDADE

VAL {mês/ano}

11.

CONDIÇÕES ESPECIAIS DE CONSERVAÇÃO

Conservar no frigorífico (2ºC - 8ºC).

Não congelar.

Conservar na embalagem de origem.

Proteger da luz.

12.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE ELIMINAÇÃO DO MEDICAMENTO NÃO

UTILIZADO OU DOS SEUS DESPERDÍCIOS, SE FOR CASO DISSO

Eliminar os desperdícios de acordo com os requisitos locais

13.

MENÇÃO “EXCLUSIVAMENTE PARA USO VETERINÁRIO” E CONDIÇÕES OU

RESTRIÇÕES RELATIVAS AO FORNECIMENTO E À UTILIZAÇÃO, se for caso

disso

USO VETERINÁRIO

Medicamento veterinário sujeito a receita médico-veterinária.

14.

MENÇÃO “MANTER FORA DA VISTA E DO ALCANCE DAS CRIANÇAS”

Manter fora da vista e do alcance das crianças.

15.

NOME E ENDEREÇO DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO

MERCADO

MSD Animal Health, Lda.

Edifício Vasco da Gama, nº 19

Quinta da Fonte, Porto Salvo

2770-192 Paço de Arcos

16.

NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

AIM n.º 788/01/14NFVPT

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 14 de 25

17.

NÚMERO DO LOTE DE FABRICO

Lote {número}

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 15 de 25

B. FOLHETO INFORMATIVO

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 16 de 25

FOLHETO INFORMATIVO:

Depocilina 300 mg/ml suspensão injetável para bovinos, ovinos, suínos, equinos, cães e gatos

1.

NOME E ENDEREÇO DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO

MERCADO E DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE FABRICO RESPONSÁVEL

PELA LIBERTAÇÃO DO LOTE, SE FOREM DIFERENTES

Titular da autorização de introdução no mercado:

MSD Animal Health, Lda.

Edifício Vasco da Gama, nº 19

Quinta da Fonte, Porto Salvo

2770-192 Paço de Arcos

Fabricante responsável pela libertação dos lotes:

Intervet Productions S.r.l.

Nettunense Km 20, 300

04011 Aprilia

Itália

2.

NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

Depocilina 300 mg/ml suspensão injetável para bovinos, ovinos, suínos, equinos, cães e gatos.

3.

DESCRIÇÃO DA SUBSTÂNCIA ATIVA E OUTRAS SUBSTÂNCIAS

Cada ml contém:

Substância ativa:

Benzilpenicilina procaínica

300 mg

Excipiente:

Metil-p-hidroxibenzoato

1,10 mg

4.

INDICAÇÕES

Tratamento de infeções causadas por bactérias sensíveis à penicilina.

5.

CONTRAINDICAÇÕES

Não administrar a animais sensíveis à penicilina.

Não administrar em lagomorfos ou roedores como coelhos, cobaios, hamsters e gerbilos.

Não administrar na presença de estafilococos produtores de

-lactamase.

Não administrar por via i.v.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 17 de 25

6.

REAÇÕES ADVERSAS

Ocasionalmente foram observadas reações alérgicas mas estas são muito raras.

Ocasionalmente,

foram

observadas,

reações

potencialmente

fatais

associadas

administração

penicilina procaínica em equinos.

Em leitões e suínos de engorda a administração de penicilina procaínica poderá causar pirexia

transitória, vómito, tremores, ataxia, apatia.

Em fêmeas, está descrito, corrimento vulvar possivelmente associado a aborto.

A frequência dos eventos adversos é definida utilizando a seguinte convenção:

- Muito frequente (mais de 1 animal apresentando evento(s) adverso(s) em 10 animais tratados)

- Frequente (mais de 1 mas menos de 10 animais em 100 animais tratados)

- Pouco frequente (mais de 1 mas menos de 10 animais em 1 000 animais tratados)

- Rara (mais de 1 mas menos de 10 animais em 10 000 animais tratados)

- Muito rara (menos de 1 animal em 10 000 animais tratados, incluindo notificações isoladas)

Caso detete quaisquer efeitos mencionados neste folheto ou outros efeitos mesmo que não

mencionados, ou pense que o medicamento não foi eficaz informe o seu médico veterinário.

Alternativamente pode notificar através do Sistema Nacional de Farmacovigilância Veterinária

(SNFV): farmacovigilancia.vet@dgav.pt .

7.

ESPÉCIES-ALVO

Bovinos, ovinos, suínos, equinos, caninos (cães) e felinos (gatos).

8.

DOSAGEM EM FUNÇÃO DA ESPÉCIE, VIAS E MODO DE ADMINISTRAÇÃO

Bovinos e equinos: 12 mg/kg peso corporal (injeção intramuscular).

Ovinos e suínos: 15 mg/kg peso corporal (injeção intramuscular).

Cães e gatos: 30 mg/kg peso corporal (injeção intramuscular ou subcutânea).

O tratamento pode ser repetido com intervalos de 24 horas até 5 administrações.

9.

INSTRUÇÕES COM VISTA A UMA UTILIZAÇÃO CORRETA

Não repetir o mesmo local de injeção durante o tratamento.

10.

INTERVALOS DE SEGURANÇA

Bovinos:

Carne e vísceras: 5 dias

Leite: 6 dias

Ovinos:

Carne e vísceras: 4 dias

Leite: 6 dias

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 18 de 25

Suínos:

Carne e vísceras: 5 dias

Não administrar a cavalos destinados ao consumo humano.

11.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE CONSERVAÇÃO

Manter fora da vista e do alcance das crianças.

Conservar no frigorífico (2ºC - 8ºC).

Não congelar.

Conservar na embalagem de origem.

Proteger da luz.

12.

ADVERTÊNCIAS ESPECIAIS

Advertências especiais para cada espécie-alvo:

Não administrar em caso de hipersensibilidade à penicilina.

A utilização do medicamento veterinário deve basear-se em testes de sensibilidade às bactérias

isoladas

animal.

não

possível,

terapêutica

deve

conta

informação

epidemiológica local sobre a suscetibilidade da bactéria alvo.

Precauções especiais para a utilização em animais:

Injeções repetidas não deverão ser administradas no mesmo local de injeção.

A utilização do medicamento veterinário deve basear-se em testes de sensibilidade e ter em conta as

políticas antimicrobianas oficiais e locais. A utilização inapropriada do medicamento veterinário pode

aumentar a prevalência da resistência bacteriana às penicilinas e diminuir a sua eficácia.

Precauções especiais a adotar pela pessoa que administra o medicamento veterinário aos animais:

pessoas

hipersensibilidade

conhecida

penicilinas

devem

evitar

contacto

medicamento veterinário.

Não manusear o medicamento veterinário se é sensível ou se tiver sido aconselhado para não o

fazer.

De modo a evitar exposição ao medicamento veterinário, manuseá-lo com grande cuidado,

tomando todas as precauções recomendadas.

Após

exposição,

caso

surjam

sintomas

como

erupção

cutânea,

deve

consultar

médico

mostrar-lhe as indicações aqui descritas. Inchaço do rosto, lábios ou olhos ou dificuldade em respirar,

são sintomas mais graves pelo que requerem cuidados médicos urgentes.

Lavar as mãos após administração.

Gestação e lactação:

Em fêmeas, está descrito, corrimento vulvar possivelmente associado a aborto.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAMV

Última revisão do texto em junho 2019

Página 19 de 25

Interações medicamentosas e outras formas de interação

Pode ocorrer antagonismo entre o medicamento veterinário e outras preparações bacteriostáticas.

Podem emergir bactérias resistentes, o que demonstra uma resistência cruzada a outros antibióticos

lactâmicos.

Foi demonstrado sinergismo com outras preparações bactericidas.

Sobredosagem (sintomas, procedimentos de emergência, antídotos)

A benzilpenicilina é praticamente não tóxica. Doses muito altas não causaram efeitos tóxicos. O único

risco para animais que receberam benzilpenicilina e antibióticos

-lactâmicos relacionados é o choque

anafilático. Os animais que são hipersensíveis a antibióticos

-lactâmicos podem reagir gravemente.

Esta condição afeta quer o sistema respiratório, quer o cardiovascular (dispneia, congestão das

membranas mucosas, angioedema e colapso cardiovascular) e pode ser fatal. A adrenalina é o antídoto

de eleição.

Incompatibilidades principais

Não misturar com qualquer outro medicamento veterinário.

13.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE ELIMINAÇÃO DO MEDICAMENTO NÃO

UTILIZADO OU DOS SEUS DESPERDÍCIOS, SE FOR CASO DISSO

O medicamento veterinário não utilizado ou os seus desperdícios devem ser eliminados de acordo

com a legislação em vigor.

14.

DATA DA ÚLTIMA APROVAÇÃO DO FOLHETO INFORMATIVO

Junho 2019

15.

OUTRAS INFORMAÇÕES

AIM n.º: 788/01/14NFVPT

Medicamento veterinário sujeito a receita médico-veterinária.

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação