CORIZPEX, 100 mg/ml, solução oral para pombos, aves canoras e ornamentais.

Portugal - português - DGAV (Direção Geral de Alimentação e Veterinária)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Cloranfenicol 100.0 mg/ml
Disponível em:
ORNI-EX Produtos para Animais
Código ATC:
QJ01BA01
DCI (Denominação Comum Internacional):
Chloramphenicol
Forma farmacêutica:
Solução para administração na água de bebida
Via de administração:
Via oral
Tipo de prescrição:
MSRMV - Medicamento Sujeito a Receita Médico-Veterinária
Grupo terapêutico:
Aves Exóticas/Selvagens
Área terapêutica:
Cloranfenicol
Resumo do produto:
Intervalo de Segurança: não aplicável -; ; Frasco(s) - 1 unidade(s) - 40 ml 512/01/12NFSVPT Autorizado Sim; Frasco(s) - 1 unidade(s) - 100 ml 512/01/12NFSVPT Autorizado Sim
Número de autorização:
512/01/12NFSVPT

Leia o documento completo

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 1 de 14

ANEXO I

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 2 de 14

1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

CORIZPEX, 100 mg/ml, solução oral para pombos, aves canoras e ornamentais.

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Substância ativa:

Cloranfenicol

100mg/ml

Excipientes:

Para a lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Solução oral, transparente translúcida avermelhada.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Espécies-alvo

Pombos, aves canoras e ornamentais.

4.2 Indicações de utilização, especificando as espécies-alvo

O medicamento veterinário está indicado para o tratamento de infeções bronco-pulmonares,

clamidiose,

colibacilose,

salmonelose,

pasteurelose,

doença

respiratória

crónica

(DCR),

septicemia, meningite purulenta (por pneumococos e por Haemophilus influenza), febre tifóide,

riquetsiose e uretrites (gonocócicas), em pombos, aves canoras e ornamentais.

4.3 Contraindicações

Não administrar em caso de hipersensibilidade à substância ativa ou a algum dos excipientes.

Não administrar a aves com aplasia ou hipoplasia medular, anemia aplástica, trombopenia,

leucopenia

aplástica,

hipersensibilidade,

insuficiência

renal

severa,

disfunções

hepática

miocárdica severas, com deficiência em glucose-6-fosfato desidrogenase e com parasitose

pulmonar grave.

Não administrar a aves durante a fase de postura.

4.4 Advertências especiais para cada espécie-alvo

Utilizar o medicamento veterinário com precaução em casos de insuficiência hepatocelular.

Não ultrapassar a dose prescrita.

4.5 Precauções especiais de utilização

Precauções especiais para utilização em animais

A administração do medicamento veterinário deve ser baseada em testes de suscetibilidade e

deve ter em consideração os procedimentos oficiais, nacionais e regionais relacionados com os

agentes antimicrobianos.

O cloranfenicol é um antibiótico de largo espectro que apresenta uma toxicidade hematológica

significativa. Deve, por isso, ser utilizado apenas no tratamento de infeções graves quando as

alternativas terapêuticas estão contraindicadas.

Sempre

possível,

administração

cloranfenicol

deve

baseada

testes

sensibilidade.

Não ultrapassar a dose prescrita. Em doses elevadas, podem ocorrer distúrbios gastrointestinais

caracterizados por depressão transiente, anorexia, vómitos ou diarreia e podem, também, ocorrer

distúrbios

nível

medula

óssea.

Utilizar

precaução

casos

insuficiência

hepatocelular. Não administrar a aves durante a fase de postura.

Proibida a administração a animais produtores de alimentos para consumo humano.

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 3 de 14

Precauções especiais que devem ser adotadas pela pessoa que administra o medicamento

aos animais

As pessoas com hipersensibilidade conhecida aos constituintes devem evitar o contacto com o

medicamento. Para evitar irritação da pele e/ou olhos, utilizar luvas e máscara aquando do

manipulação do medicamento veterinário. Se houver contacto, lavar imediatamente com muita

água durante pelo menos 15 minutos.

Deve usar fato de macaco, óculos de segurança, Luvas impermeáveis e uma semi-máscara respiratória

descartável de acordo com a Norma Europeia EN 149 ou uma mascara respiratória não descartável, em

conformidade com os termos da Norma Europeia EN 140.

Lavar as mãos após a utilização do medicamento veterinário.

Lavar cuidadosamente a pele com sabão e agua na eventualidade de um contacto cutâneo acidental. Se

ocorrer contacto acidental com os olhos, lave-os imediata e abundantemente com água corrente.

Não manusear o medicamento veterinário se for alérgico aos seus constituintes.

Se desenvolver sintomas após a exposição, como uma erupção cutânea, deve consultar um médico e mostrar-

lhe este aviso. Edema da face, lábios e olhos ou dificuldades respiratórias são sintomas mais graves e

exigem atenção médica urgente.

4.6 Reações adversas (frequência e gravidade)

O cloranfenicol pode causar insuficiência e/ou aplasia medular reversível e dose-dependente,

pelo que o seu uso deve ser evitado ou usado com precaução em animais com doenças

sanguíneas pré-existentes. Outros efeitos colaterais incluem vómitos, diarreia e depressão

transiente. Todos estes efeitos são extremamente raros e pouco prováveis de ocorrer. A perda de

apetite é o efeito colateral mais comum.

4.7 Utilização durante a gestação, a lactação e a postura de ovos

A segurança da utilização do medicamento veterinário durante a postura de ovos não foi

determinada. Não administrar a aves durante a fase de postura.

4.8 Interações medicamentosas e outras formas de interação

Existe a possibilidade de antagonismo do cloranfenicol com outros agentes antimicrobianos, em

particular

-lactâmicos e aminoglicósidos.

4.9 Posologia e via de administração

Administra-se por via oral, na água de bebida, durante 5 dias consecutivos no mínimo.

Dose: 1,5ml/litro de água, ou 2 gotas por bebedouro de 60ml, ou 3 gotas por bebedouro de

100ml. A solução deve ser renovada diariamente.

4.10 Sobredosagem (sintomas, procedimentos de emergência, antídotos), (se necessário)

Em doses elevadas, podem ocorrer distúrbios gastrointestinais caracterizados por depressão

transiente, anorexia, vómitos ou diarreia e podem, também, ocorrer distúrbios a nível da medula

óssea.

Não existe antídoto específico.

4.11 Intervalo de segurança

Não aplicável.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

Grupo farmacoterapêutico: Antibacteriano (anfenicol) para uso sistémico

Código ATCvet: QJ01BA01

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

O cloranfenicol atua por inibição da síntese proteica das bactérias, ligando-se à subunidade 50S

do ribosoma 70S da bactéria, impedindo a atividade da transferase peptídica. O seu efeito é

bacteriostático, mas pode exercer efeito bactericida se administrado em concentrações elevadas,

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 4 de 14

em algumas espécies. A inibição da síntese proteica ocorre nos ribosomas procarióticos e

eucarióticos

(mitocondriais).

resistência

microbiana

cloranfenicol

desenvolve-se

lentamente e por etapas, sendo devida principalmente à produção da enzima acetiltransferase de

cloranfenicol, ainda que outros inibidores enzimáticos possam estar envolvidos. Por vezes a

resistência ao cloranfenicol ocorre conjuntamente com resistência a outros antibióticos como as

tetraciclinas, a eritromicina e a ampicilina. O espectro antimicrobiano abarca muitos géneros de

bactérias Gram-positivas, Gram-negativas e anaeróbios como as clamídias. De salientar a sua

eficácia contra muitas Salmonella spp.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

Após administração oral, o cloranfenicol é rápida e prontamente absorvido no trato digestivo

superior. Cerca de 40-60% do cloranfenicol plasmático está ligado à albumina de forma

reversível, e a fração livre difunde-se rapidamente em quase todos os tecidos, sendo que as

maiores concentrações são atingidas nos rins, fígado e bílis. Níveis substanciais – cerca de 50%

dos valores plasmáticos – são alcançados em muitos fluidos corporais e no humor aquoso, e

cerca de 15-20% das concentrações séricas ocorrem dentro de abcessos. Ao contrário de muitos

outros antibióticos, o cloranfenicol é biotransformado extensivamente através do metabolismo

hepático, principalmente por um processo de glucorono-conjugação, Animais jovens ou a

existência de doença hepática provocam atraso na degradação metabólica normal e consequente

acumulação de antibiótico ativo no organismo. A principal via de excreção é renal sendo 5-10%

por filtração glomerular. 90-95% dos metabolitos resultantes da glucorono-conjugação são

eliminados por secreção tubular. Só 5-15% de cloranfenicol ativo e inalterado pode estar

presente na urina.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista de excipientes

Propilenoglicol, Dimetilacetamida, P-Hidroxibenzoato de metilo, P-Hidroxibenzoato de propilo

Corante alimentar vermelho e Água purificada.

6.2 Incompatibilidades

ausência

estudos

compatibilidade,

este

medicamento

veterinário

não

deve

misturado com outros.

6.3 Prazo de validade

Prazo de validade do medicamento veterinário tal como embalado para venda: 3 anos.

Prazo de validade após a primeira abertura do acondicionamento primário: 1 mês.

Prazo de validade após diluição ou reconstituição de acordo com as instruções: utilização

imediata

6.4 Precauções especiais de conservação

Conservar a temperatura inferior a 25ºC. Proteger da luz solar direta. Não congelar. Manter o

recipiente dentro da embalagem exterior para proteger da luz.

6.5 Natureza e composição do acondicionamento primário

Frascos

brancos

HDPE

tampa

roscada

contendo

40ml

100ml

medicamento

veterinário solução oral.

A pré-tampa do frasco de 40ml litro é composta por um conta-gotas (20 gotas = ±1ml); nos

frascos de 100ml é fornecida separadamente uma colher medida com capacidade, quando cheia,

de 5ml e graduada a 2,5ml.

6.6 Precauções especiais para a eliminação de medicamentos veterinários não utilizados ou

de desperdícios derivados da utilização desses medicamentos

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 5 de 14

O medicamento veterinário não utilizado ou os seus desperdícios devem ser eliminados de

acordo com os requisitos nacionais.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

ORNI-EX – Produtos para Animais, Lda., Rua Norton de Matos, n.º 525/555, Zona Industrial de

Gulpilhares, 4411-806 Arcozelo VNG.

Tel.: +351 227 537 070; Fax: +351 227 537 076; e-mail: geral@orniex.com

8. NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

512/01/12NFSVPT

9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO

28 de Junho de 2012

10. DATA DA REVISÃO DO TEXTO

PROIBIÇÃO DE VENDA, FORNECIMENTO E/OU UTILIZAÇÃO

Não aplicável.

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 6 de 14

ANEXO II

A.

TITULAR

DA

AUTORIZAÇÃO

DE

FABRICO

RESPONSÁVEL

PELA

LIBERTAÇÃO DO LOTE

Nome e endereço do fabricante responsável pela libertação do lote:

LABORATORIOS LAMONS, S.A.

Polígono Industrial Mecanova, Naves 27-28

25191 LLEIDA

Espanha

B.

CONDIÇÕES

OU

RESTRIÇÕES

DA

AUTORIZAÇÃO

DE

INTRODUÇÃO

NO

MERCADO RELATIVAMENTE AO FORNECIMENTO E À UTILIZAÇÃO

Medicamento veterinário sujeito a receita médico veterinária.

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 7 de 14

ANEXO III

ROTULAGEM E FOLHETO INFORMATIVO

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 8 de 14

A. ROTULAGEM

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 9 de 14

INDICAÇÕES A INCLUIR NO ACONDICIONAMENTO SECUNDÁRIO

INDICAÇÕES A INCLUIR NO ACONDICIONAMENTO PRIMÁRIO

CORIZPEX, solução oral

1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

CORIZPEX, 100 mg/ml, solução oral para pombos, aves canoras e ornamentais.

2. DESCRIÇÃO DAS SUBSTÂNCIAS ACTIVAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS

Cloranfenicol

100mg/ml

3. FORMA FARMACÊUTICA

Solução oral.

4. DIMENSÃO DA EMBALAGEM

40ml

100ml

5. ESPÉCIES-ALVO

Pombos, aves canoras e ornamentais.

6. INDICAÇÃO (INDICAÇÕES)

medicamento

veterinário

está

indicado

para

tratamento

infeções

bronco-pulmonares,

clamidiose,

colibacilose,

salmonelose,

pasteurelose,

doença

respiratória

crónica

(DCR),

septicemia, meningite purulenta (por pneumococos e por Haemophilus influenza), febre tifóide,

riquetsiose e uretrites (gonocócicas)

7. MODO E VIA(S) DE ADMINISTRAÇÃO

Para administração oral através da água de bebida.

Antes de utilizar, leia o folheto informativo.

8. INTERVALO DE SEGURANÇA

Não aplicável.

9. ADVERTÊNCIA(S) ESPECIAL (ESPECIAIS), SE NECESSÁRIO

As pessoas com hipersensibilidade conhecida aos constituintes devem evitar o contacto com o

medicamento. Para evitar irritação da pele e/ou olhos, utilizar luvas e máscara aquando do

manipulação do medicamento. Se houver contacto, lavar imediatamente com

muita água

durante pelo menos 15 minutos.

Antes de utilizar, leia o folheto informativo.

10. PRAZO DE VALIDADE

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 10 de 14

VAL {mês/ano}

Prazo de validade após a primeira abertura da embalagem: 1 mês.

Prazo de validade após diluição ou reconstituição de acordo com as instruções: utilização

imediata

11. CONDIÇÕES ESPECIAIS DE CONSERVAÇÃO

Conservar a temperatura inferior a 25ºC. Proteger da luz solar directa. Não congelar. Manter o

recipiente dentro da embalagem exterior para proteger da luz.

12. PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE ELIMINAÇÃO DO MEDICAMENTO NÃO

UTILIZADO OU DOS SEUSDESPERDÍCIOS, SE FOR CASO DISSO

O medicamento veterinário não utilizado ou os seus desperdícios devem ser eliminados de

acordo com os requisitos nacionais.

13. MENÇÃO “EXCLUSIVAMENTE PARA USO VETERINÁRIO” E CONDIÇÕES OU

RESTRIÇÕES RELATIVAS AO FORNECIMENTO E À UTILIZAÇÃO

Exclusivamente para uso veterinário

Medicamento veterinário sujeito a receita médico veterinária.

14. MENÇÃO “MANTER FORA DO ALCANCE E DA VISTA DAS CRIANÇAS”

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

15. NOME E ENDEREÇO DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO

MERCADO

ORNI-EX – Produtos para Animais, Lda., Rua Norton de Matos, n.º 525/555, Zona Industrial de

Gulpilhares, 4411-806 Arcozelo VNG.

Tel.: +351 227 537 070; Fax: +351 227 537 076; e-mail: geral@orniex.com

16. NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

512/01/12NFSVPT

17. NÚMERO DO LOTE DE FABRICO

Lote {número}

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 11 de 14

B. FOLHETO INFORMATIVO

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 12 de 14

FOLHETO INFORMATIVO

CORIZPEX, 100 mg/ml, solução oral para pombos, aves canoras e ornamentais.

1. NOME E ENDEREÇO DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO

MERCADO E DO TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE FABRICO RESPONSÁVEL

PELA LIBERTAÇÃO DO LOTE, SE FOREM DIFERENTES

Titular da autorização de introdução no mercado:

ORNI-EX – Produtos para Animais, Lda., Rua Norton de Matos, n.º 525/555, Zona Industrial de

Gulpilhares, 4411-806 Arcozelo VNG.

Titular da autorização de fabrico responsável pela libertação do lote:

LABORATORIOS

LAMONS,

S.A.,

Polígono

Industrial

Mecanova,

Naves

27-28,

25191

LLEIDA (Espanha).

2. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

CORIZPEX, 100 mg/ml, solução oral para pombos, aves canoras e ornamentais.

3. DESCRIÇÃO DA SUBSTÂNCIA ATIVA E OUTRAS SUBSTÂNCIAS

Substância ativa: Cloranfenicol (100mg/ml).

Excipientes:

Propilenoglicol,

Dimetilacetamida,

P-Hidroxibenzoato

metilo,

Hidroxibenzoato de propilo Corante alimentar vermelho e Água purificada.

4. INDICAÇÕES

medicamento

veterinário

está

indicado

para

tratamento

infeções

bronco-pulmonares,

clamidiose,

colibacilose,

salmonelose,

pasteurelose,

doença

respiratória

crónica

(DCR),

septicemia, meningite purulenta (por pneumococos e por Haemophilus influenza), febre tifóide,

riquetsiose e uretrites (gonocócicas).

5. CONTRA-INDICAÇÕES

Não administrar em caso de hipersensibilidade à substância ativa ou a algum dos excipientes.

Não administrar a aves com aplasia ou hipoplasia medular, anemia aplástica, trombopenia,

leucopenia

aplástica,

hipersensibilidade,

insuficiência

renal

severa,

disfunções

hepática

miocárdica severas, com deficiência em glucose-6-fosfato desidrogenase e com parasitose

pulmonar grave.

Não administrar a aves durante a fase de postura.

6. REACÇÕES ADVERSAS

O cloranfenicol pode causar insuficiência e/ou aplasia medular reversível e dose-dependente,

pelo que o seu uso deve ser evitado ou usado com precaução em animais com doenças

sanguíneas pré-existentes. Outros efeitos colaterais incluem vómitos, diarreia e depressão

transiente. Todos estes efeitos são extremamente raros e pouco prováveis de ocorrer. A perda de

apetite é o efeito colateral mais comum.

Caso detete efeitos graves ou outros efeitos não mencionados neste folheto, informe o médico

veterinário.

7. ESPÉCIES-ALVO

Pombos, aves canoras e ornamentais.

8. DOSAGEM EM FUNÇÃO DA ESPÉCIE, VIA(S) E MODO DE ADMINISTRAÇÃO

Administra-se por via oral, na água de bebida, durante 5 dias consecutivos no mínimo.

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 13 de 14

Dose: 1,5ml/litro de água, ou 2 gotas por bebedouro de 60ml, ou 3 gotas por bebedouro de

100ml. A solução deve ser renovada diariamente.

9. INSTRUÇÕES COM VISTA A UMA UTILIZAÇÃO CORRECTA

A água de bebida medicada deve ser preparada todos os dias de fresco.

Administrar como única fonte de água de bebida durante o período de medicação.

10. INTERVALO DE SEGURANÇA

Não aplicável.

11. CONDIÇÕES ESPECIAIS DE CONSERVAÇÃO

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Conservar a temperatura inferior a 25ºC.

Manter o recipiente dentro da embalagem exterior para proteger da luz.

Proteger da luz solar direta.

Não congelar.

Prazo de validade após a primeira abertura da embalagem: 1 mês.

Prazo de validade após diluição ou reconstituição de acordo com as instruções: utilização

imediata

Não utilizar depois de expirado o prazo de validade indicado no rótulo.

12. ADVERTÊNCIAS ESPECIAIS

Precauções

especiais

para

utilização

em

animais:

administração

medicamento

veterinário deve ser baseada em testes de suscetibilidade e deve ter em consideração os

procedimentos oficiais, nacionais e regionais relacionados com os agentes antimicrobianos.

O cloranfenicol é um antibiótico de largo espectro que apresenta uma toxicidade hematológica

significativa. Deve, por isso, ser utilizado apenas no tratamento de infeções graves quando as

alternativas

terapêuticas

estão

contraindicadas.

Sempre

possível,

administração

cloranfenicol deve ser baseada em testes de sensibilidade. Não ultrapassar a dose prescrita. Em

doses

elevadas,

podem

ocorrer

distúrbios

gastrointestinais

caracterizados

depressão

transiente, anorexia, vómitos ou diarreia e podem, também, ocorrer distúrbios a nível da medula

óssea. Utilizar com precaução em casos de insuficiência hepatocelular. Não administrar a aves

durante a fase de postura. Proibida a administração a animais produtores de alimentos para

consumo humano.

Precauções especiais que devem ser adotadas pela pessoa que administra o medicamento

aos animais: As pessoas com hipersensibilidade conhecida aos constituintes devem evitar o

contacto com o medicamento. Para evitar irritação da pele e/ou olhos, utilizar luvas e máscara

aquando do manipulação do medicamento veterinário. Se houver contacto, lavar imediatamente

com muita água durante pelo menos 15 minutos. Deve usar fato de macaco, óculos de segurança,

Luvas impermeáveis e uma semi-máscara respiratória descartável de acordo com a Norma Europeia EN

149 ou uma mascara respiratória não descartável, em conformidade com os termos da Norma Europeia

EN 140. Lavar as mãos após a utilização do medicamento veterinário. Lavar cuidadosamente a pele

com sabão e agua na eventualidade de um contacto cutâneo acidental. Se ocorrer contacto acidental

olhos,

lave-os

imediata

abundantemente

água

corrente.

Não

manusear

medicamento veterinário se for alérgico aos seus constituintes. Se desenvolver sintomas após a

exposição, como uma erupção cutânea, deve consultar um médico e mostrar-lhe este aviso. Edema da face,

lábios e olhos ou dificuldades respiratórias são sintomas mais graves e exigem atenção médica

urgente.

Sobredosagem: Em doses elevadas, podem ocorrer distúrbios gastrointestinais caracterizados

por depressão transiente, anorexia, vómitos ou diarreia e podem, também, ocorrer distúrbios a

nível da medula óssea. Não existe antídoto específico.

Incompatibilidades: Na ausência de estudos de compatibilidade, este medicamento veterinário

não deve ser misturado com outros.

Direcção Geral de Veterinária - DSMPUV

Aprovado a 28 de Junho de 2012

Página 14 de 14

Interações

medicamentosas

e

outras

formas

de

interação:

Existe

possibilidade

antagonismo do cloranfenicol com outros agentes antimicrobianos, em particular

-lactâmicos e

aminoglicósidos.

Utilizar

precaução

casos

insuficiência

hepatocelular.

Não

ultrapassar a dose prescrita.

13. PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE ELIMINAÇÃO DO MEDICAMENTO NÃO

UTILIZADO OU DOS SEUS DESPERDÍCIOS, SE FOR CASO DISSO

O medicamento veterinário não utilizado ou os seus desperdícios devem ser eliminados de

acordo com os requisitos nacionais.

Os medicamentos não devem ser eliminados no lixo ou esgotos domésticos. Pergunte ao seu

médico veterinário como deve eliminar os medicamentos que já não são necessários. Estas

medidas contribuem para a proteção do ambiente.

14. DATA DA ÚLTIMA APROVAÇÃO DO FOLHETO INFORMATIVO

Junho d e2012

15. OUTRAS INFORMAÇÕES

Grupo farmacoterapêutico: Antibacteriano (anfenicol) para uso sistémico. Código ATCvet:

QJ01BA01.

Exclusivamente para uso veterinário.

Medicamento veterinário sujeito a receita médico veterinária.

O medicamento veterinário é uma solução aquosa translúcida avermelhada, apresentada em

frascos brancos de plástico com tampa de rosca contendo 40 ou 100ml de solução oral. A pré-

tampa do frasco de 40ml litro é composta por um conta-gotas (20 gotas = ±1ml); nos frascos de

100ml é fornecida separadamente uma colher medida com capacidade, quando cheia, de 5ml e

graduada a 2,5ml. É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Propriedades farmacodinâmicas: O cloranfenicol atua por inibição da síntese proteica das

bactérias, ligando-se à subunidade 50S do ribosoma 70S da bactéria, impedindo a atividade da

transferase peptídica. O seu efeito é bacteriostático, mas pode exercer efeito bactericida se

administrado em concentrações elevadas, em algumas espécies. A inibição da síntese proteica

ocorre nos ribosomas procarióticos e eucarióticos (mitocondriais). A resistência microbiana ao

cloranfenicol desenvolve-se lentamente e por etapas, sendo devida principalmente à produção

da enzima acetiltransferase de cloranfenicol, ainda que outros inibidores enzimáticos possam

estar envolvidos. Por vezes a resistência ao cloranfenicol ocorre conjuntamente com resistência

outros

antibióticos

como

tetraciclinas,

eritromicina

ampicilina.

espectro

antimicrobiano

abarca

muitos

géneros

bactérias

Gram-positivas,

Gram-negativas

anaeróbios como as clamídias. De salientar a sua eficácia contra muitas Salmonella spp.

Propriedades

farmacocinéticas:

Após

administração

oral,

cloranfenicol

rápida

prontamente

absorvido

trato

digestivo

superior.

Cerca

40-60%

cloranfenicol

plasmático está ligado à albumina de forma reversível, e a fração livre difunde-se rapidamente

em quase todos os tecidos, sendo que as maiores concentrações são atingidas nos rins, fígado e

bílis. Níveis substanciais – cerca de 50% dos valores plasmáticos – são alcançados em muitos

fluidos corporais e no humor aquoso, e cerca de 15-20% das concentrações séricas ocorrem

dentro

abcessos.

contrário

muitos

outros

antibióticos,

cloranfenicol

biotransformado

extensivamente

através do

metabolismo

hepático,

principalmente

processo

glucorono-conjugação,

Animais

jovens

existência

doença

hepática

provocam atraso na degradação metabólica normal e consequente acumulação de antibiótico

ativo no organismo. A principal via de excreção é renal sendo 5-10% por filtração glomerular.

90-95% dos metabolitos resultantes da glucorono-conjugação são eliminados por secreção

tubular. Só 5-15% de cloranfenicol ativo e inalterado pode estar presente na urina.

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação