Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 16 mg + 12.5 mg Comprimido

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Candesartan + Hidroclorotiazida
Disponível em:
Cinfa Portugal,Lda.
Código ATC:
C09DA06
DCI (Denominação Comum Internacional):
Candesartan + Hydrochlorothiazide
Dosagem:
16 mg + 12.5 mg
Forma farmacêutica:
Comprimido
Composição:
Candesartan cilexetil 16 mg - Hidroclorotiazida 12.5 mg
Via de administração:
Via oral
Tipo de prescrição:
MSRM
Grupo terapêutico:
3.4.2.2 Antagonistas dos receptores da angiotensina
Área terapêutica:
candesartan and diuretics
Resumo do produto:
5588231 - Blister 14 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita de precauções especiais - Não comercializado Em escoamento até 27/02/2020 - 10006222 - 50024965 ; 5591169 - Blister 56 unidade(s) - Tipo de embalagem: FechadaPrazo de validade: 2 Ano(s)Condições: Não necessita de precauções especiais - Não comercializado Em escoamento até 27/02/2020 - 10006222 - 50024981
Status de autorização:
Revogado (07 de Outubro de 2019)
Número de autorização:
13/H/0056/002
Data de autorização:
2014-01-20

Leia o documento completo

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

Folheto informativo: Informação para o utilizador

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 8 mg + 12,5 mg comprimidos

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 16 mg + 12,5 mg comprimidos

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 32 mg + 12,5 mg comprimidos

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 32 mg + 25 mg comprimidos

candesartan cilexetil + hidroclorotiazida

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento,

pois contém informação importante para si.

- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

- Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

- Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O

medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de

doença.

- Se tiver quaisquer efeitos indesejáveis, incluindo possíveis efeitos indesejáveis não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Ver secção 4.

O que contém este folheto:

1. O que é Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa e para que é utilizado

2. O que precisa saber antes de tomar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

3. Como tomar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

4. Efeitos indesejáveis possíveis

5. Como conservar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

1. O que é Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa e para que é utilizado

nome

medicamento

Candesartan

Hidroclorotiazida

Cinfa.

Este

medicamento é utilizado para tratar a tensão arterial elevada (hipertensão) em

doentes adultos. Este medicamento contém duas substâncias ativas: o candesartan

cilexetil e a hidroclorotiazida. As duas substâncias atuam em conjunto para reduzir a

sua tensão arterial.

- O candesartan cilexetil pertence a um grupo de medicamentos denominados de

antagonistas dos recetores da angiotensina II. Atua induzindo o relaxamento e a

dilatação dos seus vasos sanguíneos. Esta ação ajuda a diminuir a sua tensão

arterial.

- A hidroclorotiazida pertence a um grupo de medicamentos denominados de

diuréticos (medicamentos que aumentam a produção de urina). Estes ajudam o seu

corpo a eliminar água e sais, como o sódio, na sua urina. Esta ação ajuda a diminuir

a sua tensão arterial.

médico

pode

receitar

Candesartan

Hidroclorotiazida

Cinfa

quando

tratamento

candesartan

cilexetil

hidroclorotiazida,

isoladamente,

não

controlou de forma adequada a sua tensão arterial.

2. O que precisa de saber antes de tomar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

Não tome Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa:

- se tem alergia ao candesartan cilexetil ou à hidroclorotiazida ou a qualquer outro

componente deste medicamento (indicados na secção 6).

- se tem alergia a medicamentos derivados das sulfonamidas. Caso tenha dúvidas

sobre se esta situação se aplica a si, fale com o seu médico.

estiver

grávida

mais

3 meses

(também

preferível

não

tomar

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa no início da gravidez – ver secção Gravidez).

- se tem problemas renais graves.

- se tem doença do fígado grave ou obstrução biliar (um problema relacionado com

a drenagem da bílis produzida pela vesícula biliar).

- se tem continuamente valores baixos de potássio no seu sangue.

- se tem continuamente valores elevados de cálcio no seu sangue.

- se alguma vez teve gota.

- se tem diabetes ou função renal diminuída e está a ser tratado com um

medicamento que contém aliscireno para diminuir a pressão arterial.

Caso tenha dúvidas sobre se alguma destas situações se aplica a si, fale com o seu

médico ou farmacêutico antes de tomar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa.

Advertências e precauções

Fale

médico

farmacêutico

antes

tomar

Candesartan

Hidroclorotiazida Cinfa:

- caso tenha tido cancro da pele ou se desenvolver uma lesão cutânea inesperada

durante o tratamento. O tratamento com hidroclorotiazida, no caso particular da

utilização de doses elevadas a longo prazo, pode aumentar o risco de alguns tipos de

cancro da pele e do lábio (cancro da pele não-melanoma). Proteja a sua pele contra

a exposição solar e a radiação ultravioleta, enquanto estiver a tomar Candesartan +

Hidroclorotiazida Cinfa.

- se for diabético.

- se tiver problemas de coração, fígado ou rins.

- se tiver sido submetido recentemente a um transplante renal.

- se tem vómitos, se teve recentemente vómitos graves ou se tiver diarreia.

- se tiver uma doença da glândula suprarrenal denominada Síndrome de Conn

(também designada por hiperaldosteronismo primário).

- se já tiver tido uma doença chamada Lúpus Eritematoso Sistémico (LES).

- se tiver tensão arterial baixa.

- se já tiver tido um acidente vascular cerebral.

- se já tiver tido alergia ou asma.

- deve informar o seu médico se pensa que está (ou pode vir a estar) grávida.

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa não é recomendado no início da gravidez e

não pode ser tomado se estiver grávida há mais de 3 meses, uma vez que pode ser

gravemente prejudicial para o seu bebé se utilizado a partir desta altura (ver secção

Gravidez).

- se está a tomar algum dos seguintes medicamentos para tratar a pressão arterial

elevada:

- um inibidor da ECA (por exemplo enalapril, lisinopril, ramipril, etc.), em particular

se tiver problemas nos rins relacionados com diabetes.

- aliscireno

- se está a tomar um inibidor da ECA em conjunto com um medicamento que

pertence à classe dos medicamentos conhecida como antagonistas dos recetores

mineralocorticoides

(ARM).

Estes

medicamentos

são

para

tratamento

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

insuficiência cardíaca (ver “Outros medicamentos e Candesartan + Hidroclorotiazida

Cinfa”).

O seu médico pode verificar a sua função renal, pressão arterial e a quantidade de

eletrólitos (por exemplo, o potássio) no seu sangue em intervalos regulares.

Ver também a informação sob o título “Não tome Candesartan + Hidroclorotiazida

Cinfa:”

O seu médico pode querer observá-lo com mais frequência e realizar alguns testes

se alguma destas situações se aplicar a si.

Se vai ser submetido a uma cirurgia, informe o seu médico ou dentista que está a

tomar

Candesartan

Hidroclorotiazida

Cinfa,

Candesartan

Hidroclorotiazida Cinfa, em associação com alguns anestésicos, pode causar uma

descida excessiva da tensão arterial.

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa pode aumentar a sensibilidade da pele ao sol.

Crianças

Não há experiência sobre a utilização de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa em

crianças

(com

idade

inferior

anos).

conseguinte,

Candesartan

Hidroclorotiazida Cinfa não deve ser administrado a crianças.

Outros medicamentos e Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

Informe

médico

farmacêutico

estiver

utilizar,

tiver

utilizado

recentemente,

vier

utilizar

outros

medicamentos.

Candesartan

Hidroclorotiazida Cinfa pode afetar o modo de ação de outros medicamentos e alguns

medicamentos podem ter um efeito sobre Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa. Se

estiver a utilizar determinados medicamentos, o seu médico pode pedir-lhe que faça

análises ao sangue, de vez em quando.

Em particular, informe o seu médico se estiver a utilizar algum dos seguintes

medicamentos, pois o seu médico pode necessitar de alterar a sua dose e/ou tomar

outras precauções:

- Outros medicamentos para ajudar a reduzir a sua tensão arterial, incluindo

bloqueadores-beta, medicamentos contendo aliscireno, diazóxido e inibidores da

Enzima de Conversão da Angiotensina (ECA), tais como enalapril, captopril, lisinopril

ou ramipril.

- Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), tais como ibuprofeno,

naproxeno, diclofenac, celecoxib ou etoricoxib (medicamentos para o alívio da dor e

inflamação).

- Ácido acetilsalicílico (se estiver a tomar mais do que 3 g por dia) (medicamento

para o alívio da dor e inflamação).

- Suplementos de potássio ou substitutos de sal contendo potássio (medicamentos

para aumentar a quantidade de potássio no seu sangue).

- Cálcio ou suplementos de vitamina D.

- Medicamentos para reduzir o seu colesterol, tais como colestipol ou colestiramina.

- Medicamentos para a diabetes (comprimidos ou insulina).

- Medicamentos para controlar o seu batimento cardíaco (agentes antiarrítmicos),

tais como digoxina e bloqueadores-beta.

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

- Medicamentos que podem ser afetados pelos níveis sanguíneos de potássio, tais

como alguns medicamentos antipsicóticos.

- Heparina (um medicamento para tornar o sangue mais fluido).

- Medicamentos que aumentam a produção de urina (diuréticos).

- Laxantes.

- Penicilina (um antibiótico).

- Anfotericina (para tratamento de infeções fúngicas).

- Lítio (um medicamento para perturbações da saúde mental).

- Esteroides como a prednisolona.

- Hormona produzida pela glândula pituitária (ACTH).

- Medicamentos para tratar o cancro.

- Amantadina (para o tratamento da doença de Parkinson ou para infeções graves

provocadas por vírus).

- Barbitúricos (um tipo de sedativo também usado para tratar a epilepsia).

- Carbenoxolona (para tratamento da doença esofágica ou úlceras orais).

- Agentes anticolinérgicos tais como atropina e biperideno.

- Ciclosporina, um medicamento utilizado nos transplantes de órgãos para evitar a

rejeição dos mesmos.

- Outros medicamentos que podem causar o aumento do efeito anti-hipertensor tais

como baclofeno (um medicamento para o alívio de espasmos), amifostina (utilizado

no tratamento do cancro) e alguns medicamentos antipsicóticos.

- Se está a tomar um inibidor da ECA ou aliscireno (ver também “Não tome

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa:” e “Advertências a precauções”).

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa com alimentos, bebidas e álcool

- Pode tomar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa com ou sem alimentos.

- Se lhe for receitado Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa, fale com o seu médico

antes de beber álcool. O álcool pode causar-lhe sensação de desmaio ou tonturas.

Gravidez e amamentação

Gravidez

Deve informar o seu médico se pensa que está (ou pode vir a estar) grávida. O seu

médico

irá

normalmente,

aconselhá-la

interromper

Candesartan

Hidroclorotiazida Cinfa antes de engravidar ou assim que estiver grávida e a tomar

outro medicamento em vez de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa. Candesartan +

Hidroclorotiazida Cinfa não está recomendado no início da gravidez e não deve ser

tomado se estiver grávida há mais de 3 meses, uma vez que pode ser gravemente

prejudicial para o bebé se utilizado depois do terceiro mês de gravidez.

Amamentação

Deve informar o seu médico de que se encontra a amamentar ou que está prestes a

iniciar a amamentação. Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa não está recomendado

em mães que estão a amamentar, e o seu médico poderá indicar-lhe outro

tratamento, especialmente se o bebé for recém-nascido ou tiver nascido prematuro.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Algumas pessoas poderão sentir fadiga ou tonturas durante o tratamento com

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa. Se isto lhe acontecer, não conduza nem

utilize quaisquer ferramentas ou máquinas.

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa contém lactose. Se foi informado pelo seu

médico que é intolerante a alguns açúcares, contacte-o antes de tomar este

medicamento.

3. Como tomar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

Tome este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o seu

médico ou farmacêutico se tiver dúvidas. É importante que continue a tomar

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa todos os dias.

A dose recomendada de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa é um comprimido

uma vez por dia.

Engula o comprimido com água.

Tente tomar o comprimido todos os dias sempre à mesma hora. Isto irá ajudá-lo a

lembrar-se de o tomar.

Se tomar mais Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa do que deveria

Se tomou mais Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa do que o que lhe foi receitado

pelo

médico,

contacte

imediatamente

médico

farmacêutico

para

aconselhamento.

Caso se tenha esquecido de tomar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

Não tome uma dose a dobrar para compensar um comprimido que se esqueceu de

tomar. Tome a próxima dose de acordo com o habitual.

Se parar de tomar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

A sua tensão arterial pode aumentar novamente se parar de tomar Candesartan +

Hidroclorotiazida Cinfa. Assim, não pare de tomar Candesartan + Hidroclorotiazida

Cinfa sem primeiro falar com o seu médico.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu

médico ou farmacêutico.

4. Efeitos indesejáveis possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos indesejáveis,

embora estes não se manifestem em todas as pessoas. É importante que saiba quais

são os efeitos indesejáveis. Alguns dos efeitos indesejáveis de Candesartan +

Hidroclorotiazida Cinfa são provocados pelo candesartan cilexetil e outros são

provocados pela hidroclorotiazida.

Pare de tomar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa e consulte imediatamente um

médico se tiver alguma das seguintes reações alérgicas:

- dificuldade em respirar, com ou sem inchaço da face, lábios, língua e/ou garganta.

- inchaço da face, lábios, língua e/ou garganta, o que pode causar dificuldade em

engolir.

- comichão intensa na pele (com inchaços ou protuberâncias).

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa pode causar uma redução do número de

glóbulos brancos. A sua resistência à infeção pode estar diminuída e poderá sentir

cansaço, sintomas de infeção ou febre. Se isto lhe acontecer fale com o seu médico.

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

O seu médico poderá pedir ocasionalmente análises ao sangue para verificar se

Candesartan

Hidroclorotiazida

Cinfa

teve

algum

efeito

sangue

(agranulocitose).

Outros efeitos indesejáveis possíveis incluem:

Frequentes (afetam 1 a 10 utilizadores em cada 100)

- Alterações nos resultados das análises ao sangue:

- Redução da quantidade de sódio no seu sangue. Se esta redução for significativa,

poderá sentir fraqueza, falta de energia ou cãibras musculares.

aumento

redução

quantidade

potássio no

seu sangue,

especialmente se já tiver problemas renais ou insuficiência cardíaca. Se esta

alteração for significativa poderá sentir cansaço, fraqueza, batimento cardíaco

irregular ou sensação de formigueiro e picadas de agulhas.

- Níveis elevados de colesterol, açúcar ou ácido úrico no seu sangue.

- Açúcar na sua urina.

- Tonturas/sensação de cabeça à roda ou fraqueza.

- Dor de cabeça.

- Infeção respiratória.

Pouco frequentes (afetam menos de 1 utilizador em cada 100)

- Tensão arterial baixa. O que pode provocar tonturas ou sensação de desmaio.

- Perda de apetite, diarreia, prisão de ventre, distúrbio ou irritação do estômago.

- Erupção na pele, urticária (erupção na pele com comichão), erupção provocada por

sensibilidade à luz solar.

Raros (afetam menos de 1 utilizador em cada 1.000)

- Icterícia (coloração amarela da pele ou do branco dos seus olhos). Se isto lhe

acontecer fale imediatamente com o seu médico.

- Efeitos no funcionamento dos seus rins, particularmente se já tiver problemas

renais ou insuficiência cardíaca.

- Dificuldade em adormecer, depressão, agitação.

- Formigueiro ou comichão nas pernas ou braços.

- Visão turva durante um curto período de tempo.

- Batimento cardíaco anormal.

- Dificuldades em respirar (incluindo inflamação dos pulmões e líquido nos pulmões).

- Temperatura elevada (febre).

- Inflamação do pâncreas, o que provoca uma dor de estômago moderada a grave.

- Cãibras musculares.

- Deterioração dos vasos sanguíneos que provoca o aparecimento de pontos

vermelhos ou roxos na pele.

- Redução dos glóbulos vermelhos ou brancos, ou das plaquetas. Poderá sentir

cansaço, sintomas de infeção, febre ou aparecimento de nódoas negras.

- Uma erupção na pele grave, que se desenvolve rapidamente, com o aparecimento

de bolhas e descamação da pele e possível aparecimento de bolhas na boca.

Muito raros (afetam menos de 1 utilizador em cada 10.000)

- Inchaço da face, lábios, língua e/ou garganta.

- Comichão.

- Dor nas costas, dor nas articulações e dor muscular.

- Alterações no funcionamento do seu fígado, incluindo inflamação do fígado

(hepatite). Poderá sentir cansaço, aperceber-se de uma coloração amarela da pele e

do branco dos olhos e de sintomas semelhantes aos da gripe.

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

- Tosse.

- Náuseas.

Desconhecido (a frequência não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis)

- Miopia súbita.

- Dor ocular súbita (glaucoma agudo de ângulo fechado).

- Lúpus eritematoso sistémico e cutâneo (condição alérgica que causa febre, dor

articular, erupções na pele que podem incluir vermelhidão, bolhas, descamação e

nódulos).

- Diarreia.

Efeitos indesejáveis associados a Hidroclorotiazida:

Desconhecido (a frequência não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis)

- Cancro da pele e do lábio (cancro da pele não-melanoma)

Comunicação de efeitos indesejáveis

Se tiver quaisquer efeitos indesejáveis, incluindo possíveis efeitos indesejáveis não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá

comunicar efeitos indesejáveis diretamente ao INFARMED, I.P. através dos contactos

abaixo.

comunicar

efeitos

indesejáveis,

estará

ajudar

fornecer

mais

informações sobre a segurança deste medicamento.

Sítio

internet:

http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram

(preferencialmente) ou através dos seguintes contactos:

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

5. Como conservar Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

Este medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

- Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

- Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem

exterior, no blister ou frasco, após “VAL”. O prazo de validade corresponde ao último

dia do mês indicado.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico.

Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza.

Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

As substâncias ativas são candesartan cilexetil e hidroclorotiazida.

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

Os comprimidos contêm 8 mg, 16 mg ou 32 mg de candesartan cilexetil e 12,5 mg

ou 25 mg de hidroclorotiazida.

Os outros componentes são: hidroxipropilcelulose, lactose mono-hidratada, amido de

milho, éter monoetílico do dietilenoglicol, estearato de magnésio, carmelose cálcica,

óxido de ferro vermelho (E172) (exceto nas dosagens 8 mg + 12,5 mg e 32 mg +

12,5 mg) e óxido de ferro amarelo (E172) (exceto na dosagem de 8 mg + 12,5 mg).

Qual o aspeto de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa e conteúdo da embalagem

Os comprimidos de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 8 mg + 12,5 mg são

oblongos, ranhurados e brancos.

Os comprimidos de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 16 mg + 12,5 mg são

oblongos, ranhurados e de cor laranja.

Os comprimidos de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 32 mg + 12,5 mg são

oblongos, ranhurados e amarelos.

Os comprimidos de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 32 mg + 25 mg são

oblongos, ranhurados e de cor laranja.

A ranhura destina-se apenas a facilitar a divisão, para ajudar a deglutição e não para

dividir em doses iguais.

Os comprimidos são acondicionados em blisters PVC/PE/PVDC-Alu e apresentam-se

em embalagens de 14, 28, 56 e 100 comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Cinfa Portugal, Lda.

Av. Tomás Ribeiro, 43 - Bloco 2, 3º F

Edifício Neopark

2790-463 Carnaxide

Portugal

Fabricantes

Laboratorios Cinfa, S.A.

Olaz-Chipi, 10. Polígono Industrial Areta

31620 Huarte – Pamplona

Espanha

Liconsa, S.A.

Avda. Miralcampo, n.º7. Polígono Industrial Miralcampo

19200 Azuqueca de Henares – Guadalajara

Espanha

Cyndea Pharma, S.L.

Polígono Industrial Emiliano Revilla Sanz

Avda. De Agreda 31

42110 Olvega – Soria

Espanha

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

Este folheto foi revisto pela última vez em

Leia o documento completo

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERISTÍCAS DO MEDICAMENTO

1. NOME DO MEDICAMENTO

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 8 mg + 12,5 mg comprimidos

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 16 mg + 12,5 mg comprimidos

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 32 mg + 12,5 mg comprimidos

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 32 mg + 25 mg comprimidos

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Um comprimido de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 8 mg + 12,5 mg contém 8

mg de candesartan cilexetil e 12,5 mg de hidroclorotiazida.

Excipiente com efeito conhecido: 103 mg de lactose mono-hidratada.

Um comprimido de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 16 mg + 12,5 mg contém

16 mg de candesartan cilexetil e 12,5 mg de hidroclorotiazida.

Excipiente com efeito conhecido: 94,6 mg de lactose mono-hidratada.

Um comprimido de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 32 mg + 12,5 mg contém

32 mg de candesartan cilexetil e 12,5 mg de hidroclorotiazida.

Excipiente com efeito conhecido: 201,7 mg de lactose mono-hidratada.

Um comprimido de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 32 mg + 25 mg contém

32 mg de candesartan cilexetil e 25 mg de hidroclorotiazida.

Excipiente com efeito conhecido: 189,2 mg de lactose mono-hidratada.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Comprimido.

Os comprimidos de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 8 mg + 12,5 mg são

oblongos, ranhurados e brancos.

Os comprimidos de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 16 mg + 12,5 mg são

oblongos, ranhurados e de cor laranja.

Os comprimidos de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 32 mg + 12,5 mg são

oblongos, ranhurados e amarelos.

Os comprimidos de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa 32 mg + 25 mg são

oblongos, ranhurados e de cor laranja.

A ranhura destina-se apenas a facilitar a divisão, para ajudar a deglutição e não para

dividir em doses iguais.

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa é indicado para o:

- Tratamento da hipertensão essencial em doentes adultos cuja tensão arterial não

está controlada de forma adequada com candesartan cilexetil ou hidroclorotiazida em

monoterapia.

4.2 Posologia e modo de administração

Posologia na Hipertensão

A dose recomendada de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa é um comprimido

uma vez por dia.

Recomenda-se o ajuste da dose dos componentes individuais (candesartan cilexetil e

hidroclorotiazida). Quando clinicamente apropriado a alteração direta de monoterapia

para Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa pode ser considerada. Recomenda-se o

ajuste da dose de candesartan cilexetil aquando da mudança do tratamento com

hidroclorotiazida em monoterapia. Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa pode ser

administrado

doentes

cuja

tensão

arterial

não

está

controlada

forma

adequada com candesartan cilexetil ou hidroclorotiazida em monoterapia ou com

doses mais baixas de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa. (ver secções 4.3, 4.4,

4.5 e 5.1)

A maior parte do efeito anti-hipertensor é habitualmente atingido dentro de 4

semanas após o início do tratamento.

Populações especiais

Idosos

Não é necessário um ajuste da dose em doentes idosos.

Doentes com depleção do volume intravascular

Recomenda-se o ajuste da dose de candesartan cilexetil em doentes com risco de

hipotensão, tais como doentes com possível depleção do volume (nestes doentes,

pode ser considerada uma dose inicial de 4 mg de candesartan cilexetil).

Doentes com compromisso renal

Em doentes com compromisso renal ligeiro a moderado (depuração da creatinina 30-

80 ml/min/1,73 m^2 de Área de Superfície Corporal (ASC)) recomenda-se o ajuste

da dose.

Candesartan

Hidroclorotiazida

Cinfa

contraindicado

doentes

compromisso da função renal grave (depuração da creatinina <30 ml/min/1,73 m2

de ASC) (ver secção 4.3).

Doentes com afeção hepática

Recomenda-se o ajuste da dose de candesartan cilexetil em doentes com doença

crónica do fígado ligeira a moderada.

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

Candesartan

Hidroclorotiazida

Cinfa

contraindicado

doentes

compromisso hepático grave e/ou colestase (ver secção 4.3).

População pediátrica

segurança

eficácia

Candesartan

Hidroclorotiazida

Cinfa

não

foram

estabelecidas em crianças com idade compreendida entre o nascimento e 18 anos.

Não há dados disponíveis.

Modo de administração

Via oral.

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa pode ser administrado com ou sem alimentos.

A biodisponibilidade de candesartan não é afetada pelos alimentos.

Não há interação clinicamente significativa entre a hidroclorotiazida e os alimentos.

4.3 Contraindicações

Hipersensibilidade

substâncias

ativas

qualquer

excipientes

mencionados na secção 6.1 ou substâncias ativas derivadas da sulfonamida. A

hidroclorotiazida é uma substância ativa derivada da sulfonamida.

Segundo e terceiro trimestres de gravidez (ver secções 4.4 e 4.6).

Compromisso renal grave (depuração da creatinina <30 ml/min/1,73 m^2 ASC).

Compromisso hepático grave e/ou colestase.

Hipocaliemia e hipercalcemia refratárias.

Gota.

O uso concomitante de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa com medicamentos

contendo

aliscireno

contraindicado

doentes

diabetes

mellitus

compromisso renal (TFG < 60 ml/min/1,73 m^2) (ver secções 4.5 e 5.1).

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Duplo bloqueio do sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA)

Existe evidência de que o uso concomitante de inibidores da ECA, antagonistas dos

recetores

angiotensina

aliscireno

aumenta

risco

hipotensão,

hipercaliemia e função renal diminuída (incluindo insuficiência renal aguda). O duplo

bloqueio do SRAA através do uso combinado de inibidores da ECA, antagonistas dos

recetores da angiotensina II ou aliscireno, é portanto, não recomendado (ver secções

4.5 e 5.1).

Se a terapêutica de duplo bloqueio for considerada absolutamente necessária, esta

só deverá ser utilizada sob a supervisão de um especialista e sujeita a uma

monitorização frequente e apertada da função renal, eletrólitos e tensão arterial.

Os inibidores da ECA e os antagonistas dos recetores da angiotensina II não devem

ser utilizados concomitantemente em doentes com nefropatia diabética.

Compromisso renal

Como acontece com outros agentes inibidores do sistema renina-angiotensina-

aldosterona,

podem

antecipadas

alterações

função

renal

doentes

suscetíveis tratados com Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa (ver secção 4.3).

Transplante renal

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

A evidência clínica sobre a administração de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa

em doentes submetidos a transplante renal é limitada.

Estenose da artéria renal

Medicamentos

afetam

o sistema

renina-angiotensina-aldosterona, incluindo

antagonistas dos recetores da angiotensina II (ARAIIs), podem aumentar a ureia

sanguínea e a creatinina sérica em doentes com estenose bilateral da artéria renal

ou estenose da artéria de rim único.

Depleção do volume intravascular

Pode

ocorrer

hipotensão

sintomática

doentes

depleção

volume

intravascular e/ou de sódio, conforme descrito com outros medicamentos que atuam

sobre o sistema renina-angiotensina-aldosterona. Assim, não se recomenda o uso de

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa antes de se corrigir esta situação.

Anestesia e cirurgia

Durante a anestesia e cirurgia pode ocorrer hipotensão em doentes tratados com

ARAIIs devido ao bloqueio do sistema renina-angiotensina. Muito raramente, a

hipotensão

pode

grave,

justificando

soros

intravenosos

e/ou

vasopressores.

Compromisso hepático

As tiazidas devem ser usadas com precaução em doentes com compromisso hepático

ou doença hepática progressiva, uma vez que alterações ligeiras do equilíbrio

hidroeletrolítico podem conduzir ao coma hepático. Não há experiência clínica com

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa em doentes com compromisso hepático.

Estenose aórtica e da válvula mitral (cardiomiopatia hipertrófica obstrutiva)

Tal como com outros vasodilatadores, está indicado um cuidado especial em doentes

que sofram de estenose aórtica ou da válvula mitral hemodinamicamente relevantes,

ou de cardiomiopatia hipertrófica obstrutiva.

Hiperaldosteronismo primário

Doentes com hiperaldosteronismo primário geralmente não irão responder aos

medicamentos

anti-hipertensores

atuam

inibição

sistema

renina-

angiotensina-aldosterona.

Assim, não

se recomenda

o uso

Candesartan

Hidroclorotiazida Cinfa nesta população.

Hidroclorotiazida

Cancro da pele não-melanoma

dois

estudos epidemiológicos

baseados no

registo nacional

de cancro

Dinamarca foi observado um aumento do risco de cancro da pele não-melanoma

(NMSC) [carcinoma basocelular (BCC) e carcinoma espinocelular (SCC)] com uma

dose cumulativa crescente de exposição a hidroclorotiazida (HCTZ). A atividade

fotossensibilizadora da HCTZ pode atuar como mecanismo para o NMSC.

Os doentes em tratamento com HCTZ devem ser informados do risco de NMSC e

aconselhados a observar regularmente a sua pele. Quaisquer novas lesões da pele

suspeitas devem ser imediatamente comunicadas ao médico. Os doentes devem ser

aconselhados a tomar medidas preventivas tais como limitação da exposição à luz

solar e à radiação ultravioleta e, em caso de exposição, a utilização de proteção

adequada com vista a minimizar o risco de cancro da pele. As lesões cutâneas

suspeitas devem ser rapidamente examinadas, nomeadamente através de exames

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

histológicos de biópsias. A utilização de HCTZ também poderá ter que ser reavaliada

em doentes com antecedentes de NMSC (ver também secção 4.8).

Desequilíbrio eletrolítico

A determinação periódica de eletrólitos séricos deve ser realizada, em intervalos

apropriados. As tiazidas, incluindo a hidroclorotiazida, podem causar desequilíbrio

hidroeletrolítico

(hipercalcemia,

hipocaliemia,

hiponatremia,

hipomagnesemia

alcalose hipoclorémica).

Os diuréticos tiazídicos podem reduzir a excreção urinária de cálcio e podem

provocar aumentos intermitentes e ligeiros das concentrações séricas de cálcio.

Hipercalcemia marcada pode ser um sinal de hiperparatiroidismo não diagnosticado.

tiazidas

devem

interrompidas

até

serem

realizados

testes

função

paratiroideia.

A hidroclorotiazida aumenta, de forma dose-dependente, a excreção urinária de

potássio, o que pode resultar em hipocaliemia. Este efeito da hidroclorotiazida parece

menos

evidente

quando

associada

candesartan

cilexetil.

risco

hipocaliemia pode estar aumentado em doentes com cirrose hepática, em doentes

com estimulação da diurese, em doentes com aporte oral de eletrólitos inadequado e

doentes

receberam

terapêutica

concomitante

corticosteroides

hormona adrenocorticotrópica (ACTH).

O tratamento com candesartan cilexetil pode causar hipercaliemia, especialmente na

presença de insuficiência cardíaca e/ou compromisso renal. O uso concomitante de

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa e de inibidores da ECA, aliscireno, diuréticos

poupadores de potássio, suplementos de potássio ou substitutos de sal ou outros

medicamentos que podem aumentar os níveis séricos de potássio (p.ex. heparina

sódica), pode levar ao aumento dos níveis séricos de potássio. A monitorização do

potássio deve ser realizada quando apropriado.

As tiazidas demonstraram aumentar a excreção urinária de magnésio, o que pode

conduzir a hipomagnesemia.

Efeitos metabólicos e endócrinos

O tratamento com um diurético tiazídico pode reduzir a tolerância à glucose. Pode

ser necessário o ajuste posológico de medicamentos antidiabéticos, incluindo a

insulina. Pode manifestar-se diabetes mellitus latente durante a terapêutica com

tiazidas. Aumentos nos níveis de colesterol e de triglicéridos foram associados à

terapêutica com diuréticos tiazídicos. Nas doses presentes em Candesartan +

Hidroclorotiazida Cinfa, apenas foram observados efeitos mínimos. Os diuréticos

tiazídicos aumentam a concentração sérica de ácido úrico e podem precipitar o

aparecimento de gota em doentes suscetíveis.

Fotossensibilidade

Foram notificados casos de reações de fotossensibilidade durante a utilização de

diuréticos tiazídicos (ver secção 4.8). Se ocorrer uma reação de fotossensibilidade,

recomenda-se a interrupção do tratamento. Se for essencial retomar o tratamento,

recomenda-se a proteção das áreas expostas ao sol ou a radiação ultravioleta

artificial.

Geral

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

Em doentes cujo tónus vascular e função renal dependem predominantemente da

atividade

sistema

renina-angiotensina-aldosterona

(p.ex.

doentes

insuficiência

cardíaca

congestiva

grave

doença

renal

subjacente,

incluindo

estenose da artéria renal), o tratamento com outros medicamentos que afetam este

sistema incluindo os ARAIIs, tem sido associado a hipotensão aguda, azotemia,

oligúria ou, raramente, a insuficiência renal aguda. Tal como com qualquer outro

agente anti-hipertensor, a descida excessiva da tensão arterial em doentes com

cardiopatia isquémica ou doença cerebrovascular aterosclerótica pode resultar num

enfarte do miocárdio ou num acidente vascular cerebral.

Podem ocorrer reações de hipersensibilidade à hidroclorotiazida em doentes com ou

sem antecedentes de alergia ou asma brônquica, mas são mais prováveis em

doentes com estes antecedentes.

Foram notificados casos de exacerbação ou ativação de lúpus eritematoso sistémico

com o uso de diuréticos tiazídicos.

efeito

anti-hipertensor

Candesartan

Hidroclorotiazida

Cinfa

pode

potenciado por outros anti-hipertensores.

Excipientes

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa contém lactose. Doentes com problemas

hereditários raros de intolerância à galactose, deficiência de lactase ou malabsorção

de glucose-galactose não devem tomar este medicamento.

Gravidez

Os ARAIIs não devem ser iniciados durante a gravidez. A não ser em situações em

manutenção

terapêutica

ARAIIs

seja

considerada

essencial,

tratamento das doentes que planeiem engravidar deve ser alterado para um

tratamento anti-hipertensor alternativo cujo perfil de segurança durante a gravidez

esteja estabelecido. Quando a gravidez é diagnosticada, o tratamento com ARAIIs

deve ser interrompido imediatamente e, se apropriado, deverá ser iniciada uma

terapêutica alternativa (ver secções 4.3 e 4.6).

4.5 Interações medicamentosas e outras formas de interação

Os compostos investigados nos estudos de farmacocinética clínica incluem varfarina,

digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida e

nifedipina.

Não

foram

identificadas

interações

farmacocinéticas

clinicamente

significativas nestes estudos.

É previsível que o efeito de depleção de potássio da hidroclorotiazida seja potenciado

por outros medicamentos associados à perda de potássio e hipocaliemia (p.ex.

outros diuréticos caliuréticos, laxantes, anfotericina, carbenoxolona, penicilina G

sódica, derivados do ácido salicílico, esteroides, ACTH).

O uso concomitante de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa e de diuréticos

poupadores de potássio, suplementos de potássio ou substitutos do sal ou outros

medicamentos que podem aumentar os níveis séricos de potássio (p.ex. heparina

sódica) pode levar ao aumento dos níveis séricos de potássio. A monitorização do

potássio deve ser realizada quando apropriado (ver secção 4.4).

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

A hipocaliemia e hipomagnesemia induzidas pelos diuréticos predispõem a ocorrência

de efeitos cardiotóxicos dos glicosidos digitálicos e dos antiarrítmicos. Recomenda-se

a monitorização periódica dos níveis séricos de potássio quando Candesartan +

Hidroclorotiazida Cinfa é administrado com estes medicamentos e com os seguintes

medicamentos que possam induzir torsades de pointes:

- Antiarrítmicos da Classe Ia (p.ex. quinidina, hidroquinidina, disopiramida)

- Antiarrítmicos da Classe III (p.ex. amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida)

Alguns

antipsicóticos

(p.ex.

tioridazina,

cloropromazina,

levomepromazina,

trifluoperazina, ciamemazina, sulpirida, sultoprida, amissulprida, tiaprida, pimozida,

haloperidol, droperiodol)

Outros

(p.ex.

bepridilo,

cisaprida,

difemanil,

eritromicina

halofantrina,

cetanserina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, terfenadina, vincamina iv)

Foram notificados aumentos reversíveis das concentrações séricas de lítio e da

toxicidade durante a administração concomitante de lítio com inibidores da Enzima

de Conversão da Angiotensina (ECA) ou hidroclorotiazida. Foi também notificado um

efeito semelhante com os ARAIIs. Não se recomenda o uso de candesartan e

hidroclorotiazida

lítio.

Caso

associação

seja

necessária,

recomenda-se

monitorização cuidadosa dos níveis séricos de lítio.

Quando os ARAIIs são administrados simultaneamente com medicamentos anti-

inflamatórios não esteroides (AINEs) (i.e., inibidores seletivos da COX-2; ácido

acetilsalicílico (>3 g/dia) e AINEs não-seletivos), pode ocorrer a atenuação do efeito

anti-hipertensor.

Tal como com os inibidores da ECA, o uso concomitante de ARAIIs e AINEs pode

levar a um aumento do risco de agravamento da função renal, incluindo uma

possível insuficiência renal aguda, e a um aumento sérico do potássio, especialmente

em doentes com função renal diminuída preexistente. A associação deve ser

administrada com precaução, especialmente nos idosos. Os doentes devem ser

adequadamente hidratados e deve ser considerada a monitorização da função renal

após o início da terapêutica concomitante, e posteriormente de uma forma periódica.

O efeito diurético, natriurético e anti-hipertensor da hidroclorotiazida é atenuado

pelos AINEs.

A absorção da hidroclorotiazida é reduzida pelo colestipol ou pela colestiramina.

efeito

relaxantes

musculares

esqueléticos

não-despolarizantes

(p.ex.

tubocurarina) pode ser potenciado pela hidroclorotiazida.

Os diuréticos tiazídicos podem aumentar os níveis séricos de cálcio devido à

diminuição da sua excreção. Se tiverem que ser prescritos suplementos de cálcio ou

de Vitamina D, recomenda-se a monitorização dos níveis séricos de cálcio e o

respetivo ajuste posológico.

O efeito hiperglicemiante dos beta-bloqueantes e do diazóxido pode ser potenciado

pelas tiazidas.

agentes

anticolinérgicos

(p.ex

atropina,

biperideno)

podem

aumentar

biodisponibilidade dos diuréticos tiazídicos, reduzindo a motilidade gastrointestinal e

a velocidade de esvaziamento gástrico.

As tiazidas podem aumentar o risco de efeitos adversos causados pela amantadina.

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

As tiazidas podem reduzir a excreção renal de medicamentos citotóxicos (p.ex.

ciclofosfamida, metotrexato) e potenciar os seus efeitos mielosupressores.

A hipotensão postural pode ser agravada pela ingestão simultânea de álcool,

barbitúricos ou anestésicos.

O tratamento com um diurético tiazídico pode reduzir a tolerância à glucose. Pode

ser necessário o ajuste posológico de medicamentos antidiabéticos, incluindo a

insulina. A metformina deve ser utilizada com precaução devido ao risco de acidose

lática induzida por possível insuficiência renal funcional associada à hidroclorotiazida.

A hidroclorotiazida pode causar uma diminuição da resposta arterial às aminas

vasopressoras (p.ex. adrenalina), embora não seja suficiente para excluir um efeito

vasopressor.

hidroclorotiazida

pode

aumentar

risco

insuficiência

renal

aguda,

especialmente com doses elevadas de meios de contraste iodados.

O tratamento concomitante com ciclosporina pode aumentar o risco de hiperuricemia

e complicações associadas à gota.

O tratamento concomitante com baclofeno, amifostina, antidepressivos tricíclicos ou

neuroléticos pode provocar exacerbamento do efeito anti-hipertensor e pode induzir

hipotensão.

Os dados de ensaios clínicos têm demonstrado que o duplo bloqueio do sistema

renina-angiotensina-aldosterona (SRAA) através do uso combinado de inibidores da

ECA, antagonistas dos recetores da angiotensina II ou aliscireno está associado a

maior

frequência

acontecimentos

adversos,

tais

como

hipotensão,

hipercaliemia e função renal diminuída (incluindo insuficiência renal aguda) em

comparação com o uso de um único fármaco com ação no SRAA (ver secções 4.3,

4.4 e 5.1).

4.6 Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

Antagonistas dos Recetores da Angiotensina II (ARAIIs):

A administração de ARAIIs não é recomendada durante o primeiro trimestre de

gravidez (ver secção 4.4). A administração de ARAIIs está contraindicada durante o

segundo e terceiro trimestres de gravidez (ver secções 4.3 e 4.4).

A evidência epidemiológica relativa ao risco de teratogenicidade após a exposição

aos inibidores da ECA durante o primeiro trimestre de gravidez não foi conclusiva;

contudo, não é possível excluir um ligeiro aumento do risco. Enquanto não existirem

dados de estudos epidemiológicos controlados relativos ao risco associado aos

ARAIIs, os riscos para esta classe de fármacos poderão ser semelhantes. A não ser

que a manutenção do tratamento com ARAIIs seja considerada essencial, nas

doentes que planeiem engravidar a medicação deve ser alterada para terapêuticas

anti-hipertensoras alternativas cujo perfil de segurança durante a gravidez esteja

estabelecido. Quando é diagnosticada a gravidez, o tratamento com ARAIIs deve ser

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

interrompido imediatamente e, se apropriado, deverá ser iniciada uma terapêutica

alternativa.

A exposição à terapêutica com ARAIIs durante o segundo e terceiro trimestres de

gravidez está reconhecidamente associada à indução de toxicidade fetal em humanos

(diminuição da função renal, oligohidrâmnio, atraso na ossificação do crânio) e

toxicidade neonatal (insuficiência renal, hipotensão, hipercaliemia) (ver secção 5.3).

No caso da exposição a ARAIIs ter ocorrido a partir do segundo trimestre de

gravidez, recomenda-se a monitorização ultrassonográfica da função renal e do

crânio.

lactentes

cujas

mães

tenham

estado

expostas

ARAIIs

devem

cuidadosamente observados no sentido de diagnosticar hipotensão (ver secções 4.3

e 4.4).

Hidroclorotiazida:

A experiência decorrente da administração da hidroclorotiazida durante a gravidez,

particularmente durante o primeiro trimestre, é limitada. Os estudos realizados em

animais são insuficientes.

A hidroclorotiazida atravessa a barreira placentária. Com base no mecanismo de

ação farmacológico da hidroclorotiazida, a sua administração durante o segundo e

terceiro trimestres pode comprometer a perfusão fetoplacentária e pode causar

efeitos fetais e neonatais tais como icterícia, distúrbios no equilíbrio eletrolítico e

trombocitopenia.

A hidroclorotiazida não deve ser utilizada para o edema gestacional, hipertensão

gestacional ou pré-eclampsia devido ao risco de diminuição do volume plasmático e

hipoperfusão placentária, sem um efeito benéfico no decurso da doença.

A hidroclorotiazida não deve ser utilizada para hipertensão essencial em mulheres

grávidas exceto em situações raras em que não se pode utilizar outro tratamento.

Amamentação

Antagonistas dos Recetores da Angiotensina II (ARAIIs):

Devido a não existir informação disponível relativa à utilização de Candesartan +

Hidroclorotiazida Cinfa durante a amamentação, Candesartan + Hidroclorotiazida

Cinfa não está recomendado durante a amamentação sendo preferíveis terapêuticas

alternativas com

perfil

de segurança

melhor

estabelecido,

particularmente

recém-nascidos ou lactentes pré-termo.

Hidroclorotiazida:

A hidroclorotiazida é excretada no leite materno em pequenas quantidades. As

tiazidas em doses elevadas que originam diurese intensa podem inibir a produção de

leite. A utilização de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa durante a amamentação

não está recomendada.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Não foram estudados os efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas.

Ao conduzir veículos ou utilizar máquinas, deve-se ter em consideração que,

ocasionalmente, podem ocorrer tonturas ou fadiga durante o tratamento com

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa.

4.8 Efeitos indesejáveis

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

estudos

clínicos

controlados

candesartan

cilexetil/hidroclorotiazida

reações adversas foram ligeiras e transitórias. A suspensão do tratamento devido a

acontecimentos adversos foi semelhante com candesartan cilexetil/hidroclorotiazida

(2,3-3,3%) e placebo (2,7-4,3%).

Em ensaios clínicos com candesartan cilexetil/hidroclorotiazida, as reações adversas

estiveram limitadas às que foram notificadas previamente para candesartan cilexetil

e/ou hidroclorotiazida.

Na tabela abaixo estão listadas as reações adversas com candesartan cilexetil

resultantes de ensaios clínicos e da experiência pós-comercialização. Na análise de

uma amostra de dados de ensaios clínicos de doentes hipertensos, as reações

adversas com candesartan cilexetil foram definidas com base numa incidência de

acontecimentos adversos, com candesartan cilexetil, superior a pelo menos 1% em

relação à incidência observada com placebo.

As frequências usadas nas tabelas ao longo da secção 4.8 são: muito frequentes

(≥1/10), frequentes (≥1/100, <1/10), pouco frequentes (≥1/1.000, <1/100), raros

(≥1/10.000, <1/1.000), muito raros (<1/10.000) e desconhecido (não pode ser

calculado a partir dos dados disponíveis).

Classes

Sistemas

Órgãos

Frequência

Efeito Indesejável

Infeções e infestações

Frequentes

Infeção respiratória

Doenças

sangue

sistema linfático

Muito raros

Leucopenia,

neutropenia

agranulocitose

Doenças

metabolismo

da nutrição

Muito raros

Hipercaliemia, hiponatremia

Doenças do sistema nervoso

Frequentes

Tonturas/vertigens, cefaleias

Doenças

respiratórias,

torácicas e do mediastino

Muito raros

Tosse

Muito raros

Náuseas

Doenças gastroinstestinais

Desconhecido

Diarreia

Afeções hepatobiliares

Muito raros

Aumento

enzimas

hepáticas, alteração da função

hepática ou hepatite

Afeções dos tecidos cutâneos

e subcutâneos

Muito raros

Angioedema, erupção cutânea,

urticária, prurido

Afeções musculosqueléticas e

dos tecidos conjuntivos

Muito raros

Lombalgia, artralgia, mialgia

Doenças renais e urinárias

Muito raros

Compromisso

renal,

incluindo

insuficiência renal em doentes

suscetíveis (ver secção 4.4)

Na tabela abaixo estão listadas as reações adversas com hidroclorotiazida em

monoterapia, geralmente com doses de 25 mg ou superiores.

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

Classes

Sistemas

Órgãos

Frequência

Efeito Indesejável

Neoplasias

benignas,

malignas e não especificadas

(incluindo quistos e pólipos)

Desconhecida

Cancro da pele não-melanoma

(carcinoma

basocelular

carcinoma espinocelular)

Doenças

sangue

sistema linfático

Raros

Leucopenia,

neutropenia/agranulocitose,

trombocitopenia,

anemia

aplástica, depressão da medula

óssea, anemia hemolítica

Doenças

sistema

imunitário

Raros

Reações anafiláticas

Doenças

metabolismo

da nutrição

Frequentes

Hiperglicemia,

hiperuricemia,

desequilíbrio

eletrolítico

(incluindo

hiponatremia

hipocaliemia)

Perturbações

foro

psiquiátrico

Raros

Alterações do sono, depressão,

irrequietude

Doenças do sistema nervoso

Frequentes

Atordoamento, vertigens

Raros

Parestesia

Afeções oculares

Raros

Visão turva transitória

Desconhecido

Miopia aguda, glaucoma agudo

de ângulo fechado

Cardiopatias

Raros

Arritmias cardíacas

Vasculopatias

Pouco

frequentes

Hipotensão postural

Raros

Angeíte

necrosante

(vasculite,

vasculite cutânea)

Doenças

respiratórias,

torácicas e do mediastino

Raros

Dificuldades

respiratórias

(incluindo pneumonite e edema

pulmonar)

Doenças gastrointestinais

Pouco

frequentes

Anorexia,

perda

apetite,

irritação

gástrica,

diarreia,

obstipação

Raros

Pancreatite

Afeções hepatobiliares

Raros

Icterícia

(icterícia

colestática

intra-hepática)

Afeções dos tecidos cutâneos

e subcutâneos

Pouco

frequentes

Erupção

cutânea,

urticária,

reações de fotossensibilidade

Raros

Necrólise epidérmica tóxica

Desconhecido

Lúpus

eritematoso

sistémico,

Lúpus eritematoso cutâneo

Afeções musculosqueléticas e

dos tecidos conjuntivos

Raros

Espasmo muscular

Doenças renais e urinárias

Frequentes

Glicosúria

Raros

Disfunção

renal

nefrite

intersticial

Perturbações

gerais

alterações

local

administração

Frequentes

Fraqueza

Raros

Febre

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

Classes

Sistemas

Órgãos

Frequência

Efeito Indesejável

Exames complementares de

diagnóstico

Frequentes

Aumentos

colesterol

triglicéridos

Raros

Aumentos da BUN e creatinina

sérica

Descrição de reações adversas selecionadas

Cancro

pele não-melanoma:

base nos

dados

disponíveis

de estudos

epidemiológicos observou-se uma associação entre a HCTZ e o NMSC, dependente

da dose cumulativa (ver também secções 4.4 e 5.1).

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é

importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-

risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer

suspeitas de reações adversas diretamente ao INFARMED, I.P.:

Sítio

internet:

http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram

(preferencialmente) ou através dos seguintes contactos:

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

4.9 Sobredosagem

Sintomas

Com base em dados farmacológicos, é provável que hipotensão sintomática e

tonturas sejam as principais manifestações de uma sobredosagem com candesartan

cilexetil. Em notificações de casos isolados de sobredosagem (até 672 mg de

candesartan cilexetil) a recuperação do doente decorreu sem quaisquer problemas.

A principal manifestação de uma sobredosagem com hidroclorotiazida é a perda

aguda de líquidos e eletrólitos. Podem ser também observados sintomas como

tonturas, hipotensão, sede, taquicardia, arritmias ventriculares, sedação/diminuição

do estado de consciência e cãibras musculares.

Tratamento

Não está disponível informação específica sobre o tratamento da sobredosagem com

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa. Sugere-se, contudo, as seguintes medidas

em caso de sobredosagem.

Quando indicado, deve ser considerada a indução do vómito ou lavagem gástrica. Se

ocorrer hipotensão sintomática, deverá ser instituído um tratamento sintomático e

deverá proceder-se à monitorização dos sinais vitais. O doente deve ser colocado em

decúbito dorsal com as pernas elevadas. Se estas medidas forem insuficientes, deve

ser aumentado o volume plasmático administrando-se por perfusão uma solução

salina isotónica. Os níveis séricos de eletrólitos e o equilíbrio ácido-base devem ser

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

controlados e, se necessário, corrigidos. Podem ser administrados medicamentos

simpaticomiméticos, se as medidas atrás mencionadas não forem suficientes.

O candesartan não é removido por hemodiálise. Desconhece-se em que medida a

hidroclorotiazida é removida por hemodiálise.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: 3.4.2.2 – Aparelho Cardiovascular. Anti-hipertensores.

Modificadores

eixo

renina

angiotensina.

Antagonistas

recetores

angiotensina; Código ATC: C09DA06.

Hidroclorotiazida

Cancro da pele não-melanoma:

Com base nos dados disponíveis de estudos epidemiológicos, observou-se uma

associação entre a HCTZ e o NMSC, dependente da dose cumulativa. Um estudo

incluiu uma população constituída por 71 533 casos de BCC e por 8 629 casos de

SCC, em 1 430 833 e 172 462 controlos, respetivamente, da população em estudo.

Uma utilização elevada de HCTZ (≥50 000 mg cumulativos) foi associada a uma taxa

de probabilidade (OR) ajustada de 1,29 (95 % IC: 1,23-1,35) para BCC e 3,98 (95

% IC: 3,68-4,31) para SCC. Observou-se uma clara relação da resposta à dose

cumulativa para BCC e SCC. Outro estudo revelou uma possível associação entre o

carcinoma espinocelular (SCC) do lábio e a exposição à HCTZ: 633 casos de SCC do

lábio foram identificados em 63 067 controlos da população, com base numa

estratégia de amostragem em função do risco (risk-set sampling strategy)5. Foi

demonstrada uma associação dose-resposta com uma taxa de probabilidade (OR)

ajustada de 2,1 (95 % IC: 1,7-2,6), aumentando OR para 3,9 (95 % IC: 3,0-4,9)

para uma utilização elevada (25 000 mg HCTZ) e para OR de 7,7 (95 % IC: 5,7-

10,5) para a dose cumulativa mais elevada (aprox.100 000 mg HCTZ) (ver também

secção 4.4).

Mecanismo de ação

A angiotensina II é a principal hormona vasoativa do sistema renina-angiotensina-

aldosterona e desempenha um papel na fisiopatologia da hipertensão e de outras

perturbações cardiovasculares. Desempenha ainda um papel na patogénese da

hipertrofia dos órgãos e lesão de órgãos alvo. Os principais efeitos fisiológicos da

angiotensina II, tais como vasoconstrição, estimulação da aldosterona, regulação da

homeostase salina e hídrica e estimulação do desenvolvimento celular, são mediados

pelo recetor de tipo 1 (AT1).

Efeitos farmacodinâmicos

Candesartan cilexetil é um pró-fármaco que é rapidamente convertido na substância

ativa, candesartan, por hidrólise do éster durante a absorção ao nível do trato

gastrointestinal. O candesartan é um ARAII, seletivo para os recetores AT1, com

forte ligação ao recetor e lenta dissociação do mesmo. Não apresenta atividade

agonista.

O candesartan não influencia a ECA nem quaisquer outros sistemas enzimáticos

geralmente associados ao uso de inibidores da ECA. Uma vez que não há efeito

sobre a degradação das quininas, nem sobre o metabolismo de outras substâncias,

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

como a substância P, é improvável que os ARAIIs estejam associados à ocorrência de

tosse. Em ensaios clínicos controlados onde o candesartan cilexetil foi comparado

com inibidores da ECA, a incidência de tosse foi menor nos doentes tratados com

candesartan cilexetil. O candesartan não se liga a, nem bloqueia, outros recetores

hormonas

canais

iónicos

reconhecidamente

importantes

regulação

cardiovascular. O antagonismo dos recetores AT1 resulta em aumentos, dependentes

dose,

níveis

plasmáticos

renina,

níveis

angiotensina

angiotensina II e numa descida da concentração plasmática de aldosterona.

Eficácia e segurança clínicas

Os efeitos de candesartan cilexetil 8-16 mg (dose média de 12 mg), uma vez por

dia, na morbilidade e mortalidade cardiovasculares foram avaliados num estudo

clínico aleatorizado, realizado em 4.937 doentes idosos (idade compreendida entre

70-89 anos; 21% com idade igual ou superior a 80 anos), com hipertensão ligeira a

moderada, por um período médio de acompanhamento de 3,7 anos (Study on

Cognition and Prognosis in the Elderly). Os doentes foram tratados com candesartan

placebo

acompanhados

outro

tratamento

anti-hipertensor

conforme

necessário.

grupo

candesartan

houve

redução

166/90

para

145/80 mmHg na tensão arterial e no grupo de controlo houve uma redução de

167/90

para

149/82 mmHg

tensão

arterial.

Não

houve

diferença

estatisticamente significativa no objetivo primário, acontecimentos cardiovasculares

major (mortalidade cardiovascular, acidente vascular cerebral não-fatal e enfarte do

miocárdio não-fatal). Registaram-se 26,7 acontecimentos por 1.000 doente/ano no

grupo do candesartan versus 30,0 acontecimentos por 1.000 doente/ano no grupo

de controlo (risco relativo 0,89, para IC 95% 0,75 a 1,06, p=0,19).

A hidroclorotiazida inibe a reabsorção ativa do sódio, principalmente nos túbulos

renais distais, e promove a excreção de sódio, cloro e água. A excreção renal de

potássio e magnésio aumenta de uma forma dose-dependente, enquanto que o

cálcio é reabsorvido em maior grau. A hidroclorotiazida diminui o volume plasmático

e o líquido extracelular e reduz o débito cardíaco e a tensão arterial. Durante a

terapêutica a longo prazo, a redução da resistência periférica contribui para a

redução da tensão arterial.

Estudos clínicos de grandes dimensões demonstraram que o tratamento a longo

prazo

hidroclorotiazida

reduz

risco

morbilidade

mortalidade

cardiovascular.

O candesartan e a hidroclorotiazida apresentam efeitos anti-hipertensores aditivos.

doentes

hipertensos,

Candesartan

Hidroclorotiazida

Cinfa

provoca

redução de longa duração e dependente da dose da tensão arterial, sem que se

verifique

aumento

reflexo

frequência

cardíaca.

Não

indicação

hipotensão de primeira dose, grave ou exagerada ou de qualquer efeito “rebound”

após a suspensão do tratamento. Após administração de uma dose única de

Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa, o início do efeito anti-hipertensor ocorre

geralmente no período de 2 horas. Com o tratamento contínuo, a maior parte da

redução da tensão arterial é atingida no período de quatro semanas, mantendo-se

com o tratamento de longa duração. Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa uma vez

por dia proporciona uma redução eficaz e regular da tensão arterial ao longo de

24 horas, registando-se pequenas diferenças entre os efeitos máximos e mínimos no

intervalo entre as administrações. Num estudo aleatorizado, em dupla ocultação,

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

candesartan + hidroclorotiazida 16 mg + 12,5 mg, uma vez por dia, reduziu a tensão

arterial de forma mais significativa e controlou um número significativamente maior

de doentes, do que a associação losartan + hidroclorotiazida 50 mg + 12,5 mg uma

vez por dia.

Em estudos aleatorizados, em dupla ocultação, a incidência de acontecimentos

adversos, principalmente tosse, foi menor durante o tratamento com candesartan +

hidroclorotiazida do que durante o tratamento com associações de inibidores da ECA

e hidroclorotiazida.

Em dois estudos clínicos (aleatorizados, em dupla ocultação, controlados com

placebo,

grupos

paralelos),

incluindo

1524

doentes

aleatorizados,

respetivamente, as associações de candesartan cilexetil/hidroclorotiazida 32 mg +

12,5 mg

32 mg

25 mg

resultaram

numa

redução

tensão

arterial

22/15 mmHg e 21/14 mmHg, respetivamente, e foram significativamente mais

eficazes do que os respetivos monocomponentes.

Num estudo clínico, aleatorizado, em dupla ocultação, de grupo paralelo, incluindo

1975 doentes aleatorizados, não otimamente controlados com 32 mg de candesartan

cilexetil, uma vez ao dia, a adição de 12,5 mg ou 25 mg de hidroclorotiazida resultou

reduções

adicionais

tensão

arterial.

associação

candesartan

cilexetil/hidroclorotiazida 32 mg + 25 mg foi significativamente mais eficaz do que a

associação candesartan cilexetil/hidroclorotiazida 32 mg + 12,5 mg, e a média global

das reduções da tensão arterial foi de 16/10 mmHg e 13/9 mmHg, respetivamente.

Candesartan cilexetil/hidroclorotiazida tem uma eficácia semelhante nos doentes,

independentemente da idade e sexo.

Atualmente não há dados sobre o uso de candesartan cilexetil/hidroclorotiazida em

doentes

doença

renal/nefropatia,

redução

função

ventricular

esquerda/insuficiência cardíaca congestiva e pós-enfarte do miocárdio.

Dois grandes estudos aleatorizados e controlados (ONTARGET (“ONgoing Telmisartan

Alone and in combination with Ramipril Global Endpoint Trial”) e VA NEPHRON-D

(“The

Veterans

Affairs

Nephropathy

Diabetes”)

têm

examinado

associação de um inibidor da ECA com um antagonista dos recetores da angiotensina

O estudo ONTARGET foi realizado em doentes com história de doença cardiovascular

ou cerebrovascular, ou diabetes mellitus tipo 2 acompanhada de evidência de lesão

de órgão-alvo. O estudo VA NEPHRON-D foi conduzido em doentes com diabetes

mellitus tipo 2 e nefropatia diabética.

Estes estudos não mostraram nenhum efeito benéfico significativo nos resultados

renais e/ou cardiovasculares e mortalidade,

enquanto foi

observado um

risco

aumentado

hipercaliemia,

insuficiência

renal

aguda

e/ou

hipotensão,

comparação

monoterapia.

Dadas

suas

propriedades

farmacodinâmicas

semelhantes, estes resultados são também relevantes para outros inibidores da ECA

e antagonistas dos recetores da angiotensina II.

Os inibidores da ECA e os antagonistas dos recetores da angiotensina II não devem

assim, ser utilizados concomitantemente em doentes com nefropatia diabética.

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

O estudo ALTITUDE (“Aliskiren Trial in Type 2 Diabetes Using Cardiovascular and

Renal Disease Endpoints”) foi concebido para testar o benefício da adição de

aliscireno a uma terapêutica padrão com um inibidor da ECA ou um antagonista dos

recetores da angiotensina II em doentes com diabetes mellitus tipo 2 e doença renal

crónica, doença cardiovascular ou ambas. O estudo terminou precocemente devido a

um risco aumentado de resultados adversos. A morte cardiovascular e o acidente

vascular cerebral foram ambos numericamente mais frequentes no grupo tratado

com aliscireno, do que no grupo tratado com placebo e os acontecimentos adversos

acontecimentos

adversos

graves

interesse

(hipercaliemia,

hipotensão

disfunção renal) foram mais frequentemente notificados no grupo tratado com

aliscireno que no grupo tratado com placebo.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

A administração concomitante de candesartan cilexetil e hidroclorotiazida não tem

efeito

clinicamente

significativo

sobre

farmacocinética

qualquer

medicamentos.

Absorção e distribuição

Candesartan cilexetil

Após a administração oral, candesartan cilexetil é convertido na substância ativa

candesartan. A biodisponibilidade absoluta de candesartan é de aproximadamente

40%,

após

administração

solução

oral

candesartan

cilexetil. A

biodisponibilidade relativa da formulação em comprimidos de candesartan cilexetil,

em comparação com a mesma solução oral é de aproximadamente 34%, registando

uma variabilidade muito reduzida. O pico médio da concentração sérica (Cmax) é

atingido 3-4 horas após a toma do comprimido. As concentrações séricas de

candesartan aumentam linearmente com o aumento das doses no intervalo de doses

terapêuticas. Não se observaram quaisquer diferenças relacionadas com o sexo na

farmacocinética de candesartan. A área sob a curva da concentração sérica versus

tempo (AUC) de candesartan não é afetada de forma significativa pelos alimentos.

Candesartan apresenta uma forte ligação às proteínas plasmáticas (superior a 99%).

O volume de distribuição aparente de candesartan é de 0,1 l/kg.

Hidroclorotiazida

A hidroclorotiazida é rapidamente absorvida ao nível do trato gastrointestinal com

uma biodisponibilidade absoluta de aproximadamente 70%. A ingestão concomitante

de alimentos aumenta a absorção em cerca de 15%. A biodisponibilidade pode

diminuir em doentes com insuficiência cardíaca e edema marcado.

A ligação da hidroclorotiazida às proteínas plasmáticas é de aproximadamente 60%.

O volume aparente de distribuição é de aproximadamente 0,8 l/kg.

Biotransformação e eliminação

Candesartan cilexetil

O candesartan é eliminado principalmente, sob a forma inalterada, por via urinária e

biliar e apenas em menor extensão por metabolismo hepático (CYP2C9). Dados

disponíveis de estudos de interação indicam não haver efeito sobre os CYP2C9 e

CYP3A4. Com base nos dados in vitro, não é expectável que ocorram interações in

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

vivo com medicamentos cujo metabolismo dependa das isoenzimas do citocromo

P450 CYP1A2, CYP2A6, CYP2C9, CYP2C19, CYP2D6, CYP2E1 ou CYP3A4. A semivida

(t1/2) terminal do candesartan é cerca de 9 horas. Não se observa acumulação após

administração de doses múltiplas. A semivida de candesartan permanece inalterada

(cerca de 9 horas) após a administração de candesartan cilexetil em associação com

a hidroclorotiazida. Não se observa acumulação adicional de candesartan após

administração de doses repetidas da associação em comparação com a monoterapia.

A depuração plasmática total do candesartan é cerca de 0,37 ml/min/kg, com uma

depuração

renal

aproximadamente

0,19 ml/min/kg.

eliminação

renal

candesartan ocorre tanto por filtração glomerular como por secreção tubular ativa.

Após a administração de uma dose oral de candesartan cilexetil marcado com 14C,

cerca de 26% da dose é excretada na urina sob a forma de candesartan e 7% sob a

forma de um metabolito inativo, enquanto que cerca de 56% da dose é recuperada

nas fezes sob a forma de candesartan e 10% sob a forma de metabolito inativo.

Hidroclorotiazida

A hidroclorotiazida não é metabolizada e é excretada, quase totalmente, na forma

inalterada, por filtração glomerular e secreção tubular ativa. A t1/2 terminal da

hidroclorotiazida é de aproximadamente 8 horas. Cerca de 70% de uma dose oral é

eliminada na urina no período de 48 horas. A semivida da hidroclorotiazida mantém-

se inalterada (cerca de 8 horas) após a administração de hidroclorotiazida em

associação com candesartan cilexetil. Não se observa acumulação adicional da

hidroclorotiazida

após

administração

doses

repetidas

associação

comparação com a monoterapia.

Farmacocinética em populações especiais

Candesartan cilexetil

Nos indivíduos idosos (idade superior a 65 anos), a Cmax e AUC de candesartan

estão aumentadas em cerca de 50% e 80%, respetivamente, em comparação com

os indivíduos jovens. Contudo, a resposta da tensão arterial e a incidência de

acontecimentos adversos são semelhantes após a administração de uma mesma

dose de Candesartan + Hidroclorotiazida Cinfa a doentes jovens e idosos (ver secção

4.2).

Em doentes com compromisso da função renal ligeiro a moderado, a Cmax e AUC do

candesartan aumentaram durante a administração repetida em cerca de 50% e

70%, respetivamente, não se registando alteração da t1/2 em comparação com os

doentes com função renal normal. As alterações correspondentes observadas em

doentes com compromisso da função renal grave foram cerca de 50% e 110%,

respetivamente. A t1/2 terminal de candesartan foi cerca do dobro em doentes com

compromisso renal grave. A farmacocinética em doentes a fazer hemodiálise foi

semelhante à dos doentes com compromisso da função renal grave.

Em dois estudos, ambos incluindo doentes com compromisso da função hepática

ligeiro a moderado, registou-se um aumento da AUC média de candesartan de

aproximadamente 20% num dos estudos e 80% no outro estudo (ver secção 4.2).

Não existe experiência em doentes com compromisso da função hepática grave.

Hidroclorotiazida

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

A t1/2 terminal da hidroclorotiazida é prolongada em doentes com compromisso da

função renal.

5.3 Dados de segurança pré-clínica

Não se observaram novos dados toxicológicos qualitativos com a associação em

comparação com o que foi observado para cada um dos componentes. Em estudos

pré-clínicos de segurança, doses elevadas de candesartan tiveram efeitos sobre os

rins e sobre os parâmetros dos glóbulos vermelhos nos ratinhos, ratos, cães e

macacos.

Candesartan

provocou

redução

parâmetros

glóbulos

vermelhos

(eritrócitos,

hemoglobina,

hematócrito).

Candesartan

induziu

efeitos

sobre

rins

(tais

como,

regeneração,

dilatação

basofília

túbulos;

concentrações plasmáticas elevadas de ureia e creatinina), os quais podem ser

indesejáveis ao efeito hipotensor, dando origem a alterações da perfusão renal. A

adição

hidroclorotiazida

potencia

nefrotoxicidade

candesartan.

Adicionalmente,

candesartan

induziu

hiperplasia/hipertrofia

células

justaglomerulares. Considerou-se que estas alterações foram causadas pela ação

farmacológica de candesartan e parecem ter pouca relevância clínica.

Foi observada toxicidade fetal numa fase tardia da gravidez com candesartan. A

adição de hidroclorotiazida não afetou, significativamente o resultado dos estudos

sobre o desenvolvimento fetal nos ratos, ratinhos ou coelhos (ver secção 4.6).

Candesartan

hidroclorotiazida

mostram

atividade

genotóxica

concentrações/doses muito elevadas. Os dados de estudos de genotoxicidade in vitro

e in vivo indicam que, provavelmente, candesartan e hidroclorotiazida não exercem

atividade mutagénica ou clastogénica nas condições de prática clínica.

Não houve evidência de carcinogenicidade com qualquer um dos compostos.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista dos excipientes

Hidroxipropilcelulose

Lactose mono-hidratada

Amido de milho

Éter monoetílico do dietilenoglicol

Estearato de magnésio

Carmelose cálcica

Óxido de ferro vermelho (E172) (exceto nas dosagens 8 mg + 12,5 mg e 32 mg +

12,5 mg)

Óxido de ferro amarelo (E172) (exceto na dosagem de 8 mg + 12,5 mg)

6.2 Incompatibilidades

Não aplicável.

6.3 Prazo de validade

2 anos

APROVADO EM

30-08-2019

INFARMED

6.4 Precauções especiais de conservação

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

6.5 Natureza e conteúdo do recipiente

Blisters de PVC-PE-PVDC-Alu em embalagens de 14, 28, 56 e 100 comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

6.6 Precauções especiais de eliminação e manuseamento

Não existem requisitos especiais.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Cinfa Portugal, Lda.

Av. Tomás Ribeiro, 43 - Bloco 2, 3º F

Edifício Neopark

2790-463 Carnaxide

Portugal

8. NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Nº de registo: 5588264 – 28 comprimidos, 8 mg + 12,5 mg, blister PVC/PE/PVDC-

Nº de registo: 5588231 – 14 comprimidos, 16 mg + 12,5 mg, blister PVC/PE/PVDC-

Nº de registo: 5591169 – 56 comprimidos, 16 mg + 12,5 mg, blister PVC/PE/PVDC-

Nº de registo: 5588249 – 56 comprimidos, 32 mg + 12,5 mg, blister PVC/PE/PVDC-

Nº de registo: 5588256 – 56 comprimidos, 32 mg + 25 mg, blister PVC/PE/PVDC-Alu

9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE

INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização: 20 de Janeiro de 2014

Data da última renovação:

10. DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação