Buprenorfina Goldfarma 6 mg Comprimido sublingual

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Buprenorfina
Disponível em:
Ethypharm
Código ATC:
N07BC01
DCI (Denominação Comum Internacional):
Buprenorphine
Dosagem:
6 mg
Forma farmacêutica:
Comprimido sublingual
Composição:
Buprenorfina, cloridrato 6.48 mg
Via de administração:
Via oral
Classe:
2.13.3 - Medicamentos para tratamento da dependência de drogas
Tipo de prescrição:
MSRM especial Medicamento sujeito a receita médica especial
Grupo terapêutico:
N/A
Área terapêutica:
buprenorphine
Indicações terapêuticas:
Duração do Tratamento: Longa Duração
Resumo do produto:
Blister 7 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5637947 CNPEM: 50151860 CHNM: 10117557 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 28 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5637954 CNPEM: 50151878 CHNM: 10117557 Grupo Homogéneo: N/A
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
14/H/0064/003
Data de autorização:
2015-02-11

Leia o documento completo

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Folheto informativo: Informação para o utilizador

Buprenorfina Goldfarma 1 mg Comprimidos sublinguais

Buprenorfina Goldfarma 4 mg Comprimidos sublinguais

Buprenorfina Goldfarma 6 mg Comprimidos sublinguais

Buprenorfina

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois

contém informação importante para si.

Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

- Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O medicamento

pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de doença.

- Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não

indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico.Ver secção 4.

O que contém este folheto:

1. O que é Buprenorfina Goldfarma e para que é utilizado

2. O que precisa de saber antes de tomar Buprenorfina Goldfarma

3. Como tomar Buprenorfina Goldfarma

4. Efeitos secundários possíveis

5. Como conservar Buprenorfina Goldfarma

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

1. O que é Buprenorfina Goldfarma e para que é utilizado

Este medicamento é utilizado na dependência de substâncias chamadas opiáceos.

Buprenorfina Goldfarma faz parte de um programa de tratamento médico, social e

psicológico para doentes dependentes de opiáceos (narcóticos).

O tratamento com Buprenorfina Goldfarma comprimidos sublinguais destina-se a ser

utilizado por adultos e adolescentes a partir dos 15 anos de idade e é voluntário.

2. O que precisa de saber antes de tomar Buprenorfina Goldfarma

Não tome Buprenorfina Goldfarma:

- se tem alergia (hipersensibilidade) à buprenorfina ou a qualquer outro componente deste

medicamento (indicados na secção 6).

- se tem menos de 15 anos de idade

- se tem problemas respiratórios graves

- se tem problemas graves de fígado

- se está intoxicado com álcool ou sofrer de delirium tremens

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

- se está a tomar metadona

- se está a tomar analgésicos opiáceos (nível III)

Se não tem certeza se as situações acima se aplicam a si, consulte o seu médico ou

farmacêutico antes de tomar Buprenorfina Goldfarma.

Advertências e precauções

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Buprenorfina Goldfarma.

Informe o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Buprenorfina Goldfarma se:

- tem lesões recentes na cabeça

- tem problemas de diminuição da pressão arterial

- nos homens: se tem problemas urinários (especialmente relacionados com aumento da

glândula prostática)

- tem asma ou outros problemas respiratórios

- tem doença dos rins

- tem doença do fígado

Se não tem certeza se as situações acima se aplicam a si, consulte o seu médico ou

farmacêutico antes de tomar Buprenorfina Goldfarma.

É importante que não pare de tomar o seu medicamento sem consultar primeiro o seu

médico.

Algumas pessoas faleceram devido a paragem respiratória (dificuldade em respirar)

porque

utilizaram

buprenorfina

forma

incorreta

associação

benzodiazepinas

(tranquilizantes).

Contate

imediatamente

médico

sentir

dificuldades respiratórias.

Foram notificados casos graves de lesões hepáticas agudas (problemas de fígado) devido

a uma utilização

incorreta de

buprenorfina, especialmente por

injeção e em doses

elevadas. Estas lesões podem dever-se a situações específicas como infeções virais

(hepatite

crónica),

abuso

álcool,

anorexia

associação

outros

medicamentos

(por

exemplo:

antiretrovirais

análogos

nucleosidos,

aspirina,

amiodarona, isoniazida, valproato). Se apresentar sintomas de fadiga grave, comichão ou

coloração amarelada na pele ou nos olhos, informe imediatamente o seu médico para que

possa receber tratamento adequado.

Este medicamento pode causar sintomas de privação se o tomar num período inferior a 4

horas após a utilização de um narcótico (morfina, heroína ou substâncias relacionadas).

Este medicamento pode causar sonolência, a qual pode ser potenciada pelo consumo de

álcool ou medicamentos para a ansiedade.

Este medicamento pode mascarar a dor provocada por algumas doenças. Não se esqueça

de informar o médico de que toma este medicamento.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Este medicamento pode provocar uma descida súbita da pressão arterial, provocando-lhe

tonturas quando se levanta muito rapidamente após estar sentado ou deitado.

Este medicamento pode provocar dependência farmacológica.

Os atletas deverão ser alertados que este medicamento, devido à sua substância ativa,

pode causar uma reação positiva nos testes anti-doping.

Recomenda-se a prescrição e a dispensa por um curto período de tempo especialmente no

início do tratamento.

Outros medicamentos e Buprenorfina Goldfarma

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, tiver tomado recentemente, ou

se vier a tomar outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita

médica.

sedativos,

medicamentos

para

ansiedade,

antidepressivos

determinados

medicamentos

para

pressão

arterial

alta

podem

aumentar

efeitos

centrais

buprenorfina, pelo que a sua utilização deve ser cuidadosamente monitorizada.

Tomar este medicamento com benzodiazepinas (medicamentos utilizados para tratar a

ansiedade ou distúrbios do sono) pode provocar morte por paragem respiratória.

Se o seu médico prescrever benzodiazepinas, não deve tomar mais do que a dose

prescrita.

Tomar naltrexona com este medicamento pode provocar síndrome de privação.

Medicamentos

chamados

inibidores

citocromo

P450

(por

exemplo,

ritonavir,

nelfinavir, indinavir, cetoconazol ou itraconazol) podem aumentar as concentrações de

buprenorfina

sangue.

este

motivo,

utilização

destes

medicamentos

Buprenorfina Goldfarma deve ser cuidadosamente monitorizada e, em alguns casos, o seu

médico pode ter necessidade de reduzir a dose.

Doentes a utilizarem codeína, etilmorfina e alguns analgésicos e que depois utilizem este

medicamento podem sofrer uma diminuição do efeito da codeína, etilmorfina e alguns

analgésicos com risco de causar síndrome de privação.

Buprenorfina Goldfarma com alimentos, bebidas e álcool

Não beba bebidas alcoólicas, nem tome medicamentos que contenham álcool durante o

tratamento com Buprenorfina Goldfarma.

Gravidez e amamentação

Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o

seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

Buprenorfina pode ser utilizada durante a gravidez ou aleitamento.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Condução de veículos e utilização de máquinas

Buprenorfina Goldfarma pode causar sonolência. Se se sentir cansado, não conduza

veículos nem utilize máquinas.

Buprenorfina Goldfarma contém lactose

Se foi informado pelo seu médico que tem intolerância a alguns açúcares, contacte-o

antes de tomar este medicamento.

Este medicamento não deverá ser utilizado em caso de galactosemia, síndrome de má

absorção de glucose e galactose ou deficiência de lactase (doença metabólica rara).

3. Como tomar Buprenorfina Goldfarma

Tome este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico ou farmacêutico.

Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Modo de administração

A via sublingual é a única via de administração eficaz para este medicamento.

Mantenha o comprimido debaixo da sua língua até dissolver.

Não engula os comprimidos.

Tome a dose uma vez por dia.

Dose

O seu médico determinará qual a melhor dose para si. Durante o tratamento, o seu

médico poderá ajustar a dose em função da sua resposta ao tratamento.

Duração do tratamento

A duração do tratamento será determinada individualmente pelo seu médico.

Após um período de tratamento eficaz, o médico poderá reduzir gradualmente a dose para

dose

manutenção

mais

baixa.

Dependendo

condição,

dose

Buprenorfina Goldfarma poderá continuar a

ser reduzida sob cuidadosa supervisão

médica, até à sua eventual suspensão.

Nunca altere ou pare o tratamento sem o prévio consentimento do seu médico.

A eficácia deste tratamento depende:

- da dose

- da associação com o tratamento médico, psicológico e social

Fale com o seu médico se tiver a impressão de que Buprenorfina Goldfarma é demasiado

forte ou demasiado fraco.

Se tomar mais Buprenorfina Goldfarma do que deveria

caso

sobredosagem

buprenorfina

deve

dirigir-se

encaminhado

imediatamente para um serviço de urgência ou hospital para receber tratamento.

Informe IMEDIATAMENTE o seu médico ou farmacêutico.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Caso se tenha esquecido de tomar Buprenorfina Goldfarma

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Buprenorfina Goldfarma

A suspensão súbita do tratamento pode provocar sintomas de privação. Não deverá

interromper o tratamento sem indicação do seu médico.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico

ou farmacêutico.

4. Efeitos secundários possíveis

Como

todos

medicamentos,

este

medicamento

pode

causar

efeitos

secundários,

embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Após a primeira dose de buprenorfina, poderá apresentar alguns sintomas de privação dos

opiáceos.

Com a buprenorfina ocorreram os seguintes efeitos secundários:

Efeitos secundários frequentes (1 % - 10 % dos pacientes):

- prisão de ventre

- náuseas

- vómitos

- insónias

- dor de cabeça

- desmaios

- tonturas

- cansaço

- sonolência

- diminuição da pressão arterial ao passar da posição de sentado ou deitado para a posição

em pé

- sudação

Efeitos secundários raros (0,01 % - 0,1 % dos pacientes) (ver secção 2):

- depressão respiratória (grave dificuldade em respirar)

- alucinações

- problemas de fígado com ou sem icterícia

- a utilização incorreta deste medicamento por injeção pode causar infeções, outras

reações cutâneas, inflamação da membrana que reveste o coração e problemas do fígado

potencialmente graves

Efeitos secundários muito raros (< 0,01 % dos pacientes):

- reações alérgicas como por exemplo erupção cutânea, comichão, inchaço da cara,

pescoço e garganta e dificuldade em respirar.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detetar quaisquer efeitos secundários

não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico

Comunicação de efeitos secundários

tiver

quaisquer

efeitos

secundários,

incluindo

possíveis

efeitos

secundários

não

indicados

neste

folheto,

fale

médico ou

farmacêutico.

Também

poderá

comunicar efeitos secundários diretamente ao INFARMED, I.P. (ver detalhes abaixo). Ao

comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a

segurança deste medicamento.

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 71 40

Fax: + 351 21 798 73 97

Sítio da internet: http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage

E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

5. Como conservar Buprenorfina Goldfarma

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não conservar acima de 25ºC para a dosagem de 1 mg.

As dosagens de 4 mg e 6 mg não necessitam de precauções especiais de conservação.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem exterior.

O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Não utilize este medicamento se verificar sinais visíveis de deterioração.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao

seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas

ajudarão a proteger o ambiente.

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de Buprenorfina Goldfarma

A substância ativa é o cloridrato de buprenorfina. Cada comprimido sublingual de

Buprenorfina Goldfarma contém 1 mg, 2 mg, 4 mg, 6 mg ou 8 mg de buprenorfina na

forma de cloridrato de buprenorfina.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Os outros componentes são Lactose monohidratada, manitol, amido de milho, povidona

K30, ácido cítrico anidro, citrato de sódio, estearato de magnésio, sílica coloidal anidra e

talco.

Qual o aspeto de Buprenorfina Goldfarma e conteúdo da embalagem

Comprimidos de cor branca, redondos e biconvexos.

Os comprimidos encontram-se acondicionados em blisters de 7 e 28 comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Goldfarma - Comércio de Produtos Farmacêuticos Lda.

Av. Professor Doutor Augusto Abreu Lopes nº 53 B Lj A

2675-301 Odivelas

Portugal

E-mail: geral@goldfarma.com

Fabricante

Ethypharm

Chemin de la Poudrière

76120 Grand-Quevilly

França

Ethypharm

Zone Industrielle des Saint-Arnoult

28170 Châteauneuf en Thymerais

França

Este folheto foi revisto pela última vez em:

Leia o documento completo

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1. NOME DO MEDICAMENTO

Buprenorfina Goldfarma 6 mg Comprimidos sublinguais

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Um comprimido de Buprenorfina Goldfarma 6 mg contém 6,48 mg de cloridrato de

buprenorfina equivalente a 6 mg de buprenorfina base.

Excipientes com efeito conhecido:

Lactose monohidratada 30,66 mg

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Comprimido sublingual

Comprimido de cor branca, redondo, com 6,5 mm de diâmetro, biconvexo, não revestido

com o símbolo “6” em relevo de um lado e “

” em relevo do outro.

A ranhura destina-se apenas a facilitar a divisão, para ajudar a deglutição e não para

dividir em doses iguais.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

Tratamento de substituição em caso de toxicodependência major de opiáceos, no âmbito

de um programa detalhado de acompanhamento terapêutico do ponto de vista médico,

social e psicológico.

4.2 Posologia e modo de administração

O tratamento destina-se a adultos e crianças a partir dos 15 anos de idade que acederam

ao tratamento da sua toxicodependência.

Ao instituir o tratamento com buprenorfina, o médico deverá ter presente o perfil agonista

parcial da molécula para os recetores µ dos opiáceos, que pode precipitar uma síndrome

de privação em doentes dependentes de opiáceos.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

O resultado do tratamento depende da posologia prescrita assim como do conjunto de

medidas médicas, psicológicas, sociais e educacionais tomadas na monitorização do

doente.

A via de administração é sublingual: Os médicos devem advertir os doentes de que a via

sublingual é a única via de administração eficaz e bem tolerada para a administração do

medicamento. O comprimido deve ser mantido debaixo da língua até se dissolver, o que

ocorre normalmente entre 5 a 10 minutos.

Uma vez que a Buprenorfina Goldfarma em comprimidos não se encontra disponível na

dosagem de 0,4 mg, não se recomenda a sua utilização (dose inicial e escalonamento) nas

indicações mencionadas para esta dosagem.

Terapêutica de iniciação: a dose inicial varia entre 0,8 e 4 mg, administrada numa dose

diária única.

Toxicodependentes de opiáceos não submetidos a uma fase de privação: quando se inicia

o tratamento, a dose de buprenorfina deve ser tomada, pelo menos 4 horas após o último

consumo do opiáceo ou quando surgem os primeiros sintomas de privação.

Doentes medicados com metadona: antes de iniciar a terapêutica com buprenorfina, deve

reduzir-se a dose de metadona até um máximo de 30 mg/dia; contudo a buprenorfina

pode precipitar uma síndrome de privação.

Ajuste da posologia e manutenção: a posologia deve ser individualizada para cada

doente. A dose de manutenção varia entre indivíduos e deve ser determinada pelo

aumento progressivo da dose até à dose mínima eficaz. A dose média de manutenção é de

8 mg com alguns doentes a precisarem até 16 mg por dia. A dose diária máxima não deve

ser superior a 16 mg. A posologia é titulada de acordo com a reavaliação do estado

clínico e situação global do doente. Recomenda-se uma prescrição diária de buprenorfina,

particularmente durante a fase de iniciação. Em seguida, após estabilização, pode dar-se

ao doente uma quantidade de medicamento suficiente para vários dias de tratamento.

Contudo, recomenda-se que a quantidade de medicamento dispensada se limite, no

máximo, a 7 dias.

Redução da posologia e suspensão do tratamento: após um período satisfatório de

estabilização e se o doente concordar, a posologia de buprenorfina pode ser gradualmente

reduzida;

alguns

casos

favoráveis,

tratamento

pode

interrompido.

disponibilidade dos comprimidos sublinguais nas doses de 1 mg, 2 mg, 4 mg, 6 mg e 8

mg, respetivamente, permite efetuar uma titulação decrescente da posologia. Os doentes

devem ser mantidos sob vigilância após a suspensão do tratamento com buprenorfina

devido ao potencial de recaídas.

4.3 Contraindicações

Hipersensibilidade à buprenorfina ou a qualquer dos excipientes.

Crianças com idade inferior a 15 anos.

Insuficiência respiratória grave.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Insuficiência hepática grave.

Alcoolismo agudo ou delirium tremens.

Combinação com metadona, analgésicos opiáceos de nível III.

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Este

medicamento

encontra-se

apenas

recomendado

para

tratamento

toxicodependência major de opiáceos.

Recomenda-se ainda que o tratamento seja prescrito por um médico que assegure um

acompanhamento abrangente dos toxicodependentes (consultar “Anexo II”).

Dados os riscos de uma utilização incorreta, especialmente por via intravenosa e devido à

adaptação da posologia, a duração da prescrição deve ser breve, particularmente no início

do tratamento. Se possível, deve implementar-se uma dispensa controlada ou parcial de

forma a aumentar a adesão ao tratamento.

A interrupção do tratamento pode provocar uma síndrome de privação, em certos casos

tardia.

Depressão Respiratória: foram descritos alguns casos de morte por depressão respiratória,

em particular quando o fármaco foi utilizado em associação com benzodiazepinas (ver

secção 4.5) ou quando a buprenorfina foi incorretamente utilizada.

Hepatite, eventos hepáticos: Foram referidos casos graves de lesão hepática aguda num

contexto de utilização incorreta, especialmente pela via de administração intravenosa.

Estas

lesões

hepáticas

foram

observadas

principalmente

doses

elevadas

possivelmente

devidas

toxicidade

mitocondrial.

insuficiência

mitocondrial

pré-

existente ou adquirida (doenças genéticas, infeções virais, particularmente hepatite C

crónica, excesso de álcool, anorexia, toxinas mitocondriais associadas, p. ex. aspirina,

isoniazida, valproato, amiodarona, antiretrovirais analógos dos nucleósidos…), pode

promover a ocorrência de tais lesões hepáticas. Estes cofatores devem ser tomados em

consideração antes da prescrição de Buprenorfina Goldfarma e durante a monitorização

do tratamento. Sempre que se suspeite de um evento hepático, torna-se necessária uma

avaliação

biológica

etiológica

adicional.

Dependendo

resultados

obtidos,

tratamento com o medicamento pode ser cuidadosamente interrompido de forma a evitar

síndrome

privação

retorno

à toxicodependência.

eventualidade

prosseguir o tratamento, deve monitorizar-se cuidadosamente a função hepática.

Este medicamento pode provocar sintomas de privação de opiáceos quando administrado

a um doente toxicodependente menos de 4 horas após o último consumo de droga (ver

secção 4.2).

Assim

como

outros

opiáceos,

deve-se

cuidado

doentes

utilizam

buprenorfina no caso de:

- lesão na cabeça e aumento da pressão intracraniana,

- hipotensão,

- hipertrofia prostática e estenose uretral.

Uma vez que a buprenorfina é um opiáceo, a dor, como sintoma de doença, pode ser

atenuada.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Este medicamento pode provocar sonolência, a qual poderá ser exacerbada por outros

agentes com ação central, nomeadamente: álcool, tranquilizantes, sedativos, hipnóticos

(ver secção 4.5).

Este medicamento pode provocar hipotensão ortostática.

Estudos realizados em animais, assim como a experiência clínica, demonstraram que a

buprenorfina pode provocar um grau de dependência inferior ao que se verifica com a

morfina. Consequentemente, é importante que sejam seguidas as recomendações relativas

à iniciação do tratamento, ao ajuste da posologia e à monitorização do doente (ver secção

4.2).

Os atletas devem ser informados de que este medicamento pode provocar uma reação

positiva em “testes antidoping”.

Este medicamento deve ser utilizado com precaução em doentes com:

asma ou insuficiência respiratória (têm sido descritos, com a buprenorfina, alguns casos

de depressão respiratória), insuficiência renal (20 % da dose administrada é eliminada por

via renal; a eliminação renal poderá, como tal, ser prolongada), insuficiência hepática (o

metabolismo hepático da buprenorfina poderá ser alterado).

Uma vez que os inibidores CYP3A4 (ver secção 4.5) podem aumentar as concentrações

da buprenorfina, os doentes já tratados com inibidores CYP3A4 devem ter a sua dose de

Buprenorfina

cuidadosamente

titulada,

nestes

doentes

posologia

reduzida poderá ser suficiente.

Buprenorfina

Goldfarma,

comprimidos

sublinguais

contem

lactose.

Doentes

problemas

hereditários

raros

intolerância

galactose,

deficiência

lactase

malabsorção de glucose-galactose não devem tomar este medicamento.

4.5 Interações medicamentosas e outras formas de interação

Associações contraindicadas:

-Metadona: Diminuição do efeito da metadona pelo bloqueio competitivo dos recetores

com risco de causar síndrome de abstinência.

-Analgésicos opiáceos de Nível III: em doentes a utilizar analgésicos de nível III, pode

ocorrer uma diminuição do efeito analgésico dos morfínicos, pelo bloqueio competitivo

dos recetores com risco de causar síndrome de abstinência.

Associações não recomendadas:

-Álcool: O álcool potencia o efeito sedativo

buprenorfina, tornando perigosa a

condução de veículos ou a utilização de máquinas.

Evite a administração de Buprenorfina em conjunto com bebidas alcoólicas ou com

medicamentos contendo álcool.

-Naltrexona: risco de causar síndrome de abstinência

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

-Analgésicos de nível II: em doentes a utilizar analgésicos de nível II, pode ocorrer uma

diminuição do efeito analgésico dos morfínicos, pelo bloqueio competitivo dos recetores,

com risco de causar síndrome de abstinência.

-Codeína, etilmorfina: em doentes a utilizar codeína ou etilmorfina, pode ocorrer uma

diminuição do efeito analgésico dos morfínicos, pelo bloqueio competitivo dos recetores,

com risco de causar síndrome de abstinência.

Associações que devem ser utilizadas com precaução:

associação

benzodiazepinas

pode

provocar

morte

devido

depressão

respiratória de etiologia central. Assim, as posologias deverão ser reduzidas e esta

associação deve ser evitada em caso de risco de uma utilização incorreta (ver secção 4.4 e

4.8). Antes da prescrição desta associação, deve ser efetuada uma avaliação médica

adequada da relação benefício/risco.

-Outros fármacos depressores do sistema nervoso central: outros derivados dos opiáceos

(analgésicos e antitússicos), determinados antidepressivos, antagonistas dos recetores H1

sedativos, benzodiazepinas, ansiolíticos não benzodiazepínicos, neurolépticos, clonidina

e substâncias relacionadas: Esta associação aumenta a depressão do sistema nervoso

central. O reduzido grau de vigília pode tornar perigosa a condução de veículos e a

utilização de máquinas. IMAO (Inibidores da monoamino oxidase): A experiência com

morfina poderá fazer prever uma exacerbação dos efeitos dos opiáceos.

-Barbitúricos: aumento do risco de depressão respiratória.

-Inibidores CYP3A4: Um estudo de interação da buprenorfina com cetoconazol (um

inibidor potente do CYP3A4) resultou num aumento das Cmax e AUC da buprenorfina

(aproximadamente

respetivamente)

numa

extensão

menor

norbuprenorfina.

doentes

tratados

Buprenorfina

Goldfarma

devem

cuidadosamente monitorizados, e pode ser necessária uma redução da dose se associada

com inibidores potentes do CYP3A4 (p. ex. inibidores da protease como o ritonavir,

nelfinavir ou indinavir ou antifúngicos azólicos como cetoconazol ou itraconazol) (ver

secção 4.4).

-Inibidores

protease:

Existe

risco

potenciar

diminuir

efeitos

buprenorfina, ambos devido à inibição e indução do seu metabolismo pelos inibidores da

protease (por ex., ritonavir, nelfinavir ou indinavir). O efeito resultante pode ser quer de

sinais de privação quer de sobredosagem. Os doentes a receber Buprenorfina Goldfarma

em associação com inibidores da protease devem ser cuidadosamente monitorizados e, se

necessário, deve ser considerado um ajuste posológico (ver secção 4.4).

-Indutores CYP3A4: A interação de buprenorfina com os indutores CYP3A4 não foi

investigada, portanto recomenda-se que os doentes tratados com Buprenorfina Goldfarma

sejam cuidadosamente monitorizados se indutores (por ex. fenobarbital, carbamazepina,

fenitoína, rifampicina) forem administrados concomitantemente.

Até à data não foram observadas interações entre a buprenorfina e a cocaína, o agente

mais frequentemente utilizado pelos consumidores de drogas múltiplas em associação

com opiáceos.

4.6 Gravidez e aleitamento

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Gravidez

Os dados limitados disponíveis sobre gravidezes expostas durante o primeiro trimestre

não

indicam

aumento

risco

malformação

causado

pela

buprenorfina.

buprenorfina pode ser prescrita durante a gravidez com base no benefício esperado versus

o risco para a mãe e para o recém-nascido; no entanto, a titulação da dose pode ser

necessária por forma a manter a eficácia terapêutica do tratamento. A utilização crónica

de buprenorfina pela mãe durante os últimos três meses de gravidez, em qualquer dose,

pode

resultar

síndrome

privação

recém-nascido.

Para

além

disso,

doses

elevadas de buprenorfina no final da gravidez, mesmo durante um período curto, podem

induzir depressão respiratória nos recém-nascidos.

Consequentemente, no final da gravidez, em casos de doses elevadas ocasionais, ou com

utilização crónica, tem de ser considerada uma avaliação do recém-nascido devido a

qualquer risco de depressão respiratória ou de síndrome de privação.

Aleitamento

Uma quantidade muito pequena de buprenorfina e dos seus metabolitos passa para o leite

materno. Estas quantidades não são suficientes para prevenir a síndrome de abstinência, a

qual pode estar retardada em lactentes. Após avaliação dos fatores individuais, pode ser

considerada a amamentação em doentes tratados com buprenorfina.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

A Buprenorfina Goldfarma pode provocar sonolência, em particular quando administrado

em conjunto com álcool ou com depressores do sistema nervoso central. Recomendam-

se, portanto, precauções na condução e na utilização de máquinas (ver secção 4.4 e 4.5).

4.8 Efeitos indesejáveis

O aparecimento de efeitos secundários depende do limiar de tolerância do doente, que é

mais elevado nos toxicodependentes do que na população em geral.

O quadro 1 inclui efeitos indesejáveis notificados durante os ensaios clínicos.

Quadro 1: Efeitos Indesejáveis Relacionados com o Tratamento Notificados por Sistema

Orgânico

Muito frequentes (> 1/10); Frequentes (> 1/100, < 1/10); Pouco frequentes (> 1/1.000, <

1/100); Raros (> 1/10.000, < 1/1.000); Muito raros (<1/10.000), incluindo notificações

isoladas (CIOMS III)

Perturbações do foro psiquiátrico

Raras

Alucinações

Doenças do sistema nervoso

Frequentes

insónia, cefaleias, desmaio, tonturas

Vasculopatias

Frequentes

hipotensão ortostática

Doenças

respiratórias,

torácicas

mediastino

depressão

respiratória(ver

secções

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Raras

4.5)

Doenças gastrointestinais

Frequentes

obstipação, náuseas, vómitos

Perturbações gerais e alterações no local de

administração

Frequentes

astenia, sonolência, sudorese

Outros efeitos indesejáveis notificados durante o período de pós-comercialização:

-Doenças do sistema imunitário:

Reações de hipersensibilidade tais como rash, urticária, prurido, broncoespasmo, edema

angioneurótico, choque anafiláctico.

-Afeções hepatobiliares (ver secção 4.4):

Em condições normais de utilização: raros aumentos das transaminases e hepatite ictérica

que geralmente se resolvem favoravelmente.

Em caso de utilização incorreta por via IV, foram referidos casos de reações locais, por

vezes sépticas, endocardites e hepatites agudas potencialmente graves devido às práticas

de injeção não seguras. (ver secção 4.4).

Em doentes que apresentam toxicodependência marcada, a administração inicial de

buprenorfina pode provocar um efeito de privação semelhante ao associado à naloxona.

4.9 Sobredosagem

A buprenorfina parece possuir teoricamente uma ampla margem de segurança devido às

suas propriedades de agonista parcial dos opiáceos.

Em caso de sobredosagem acidental, devem-se instituir

medidas de suporte gerais,

incluindo uma rigorosa monitorização cardíaca e respiratória do doente. A miose é um

sinal frequente de sobredosagem acidental. O principal sintoma que requer intervenção é

a depressão respiratória, que pode levar a paragem respiratória ou morte. Se o doente

vomitar, devem-se tomar precauções para que não ocorra aspiração do vómito.

Tratamento:

tratamento

sintomático

depressão

respiratória

implementação

medidas de cuidados intensivos de rotina. As vias respiratórias devem-se encontrar

desobstruídas

necessário,

deve-se

implementar

ventilação

assistida

controlada. O doente deve ser transferido para um local onde seja possível efetuar a

reanimação. É recomendada a utilização de um antagonista dos opiáceos (i.e., naloxona),

apesar

poder

efeito

modesto

reversão

sintomas

respiratórios

buprenorfina. A buprenorfina liga-se ativamente aos recetores da morfina.

Se for utilizado um antagonista dos opiáceos (i.e. naloxona), deve ter-se em consideração

a longa duração de ação do produto.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: 2.13.3 – Sistema nervoso central. Outros medicamentos com

ação no Sistema nervoso central. Medicamentos para tratamento da dependência de

drogas;

Código ATC: N07BC01

A buprenorfina é um agonista/antagonista dos opiáceos que se liga, por si só, aos

recetores µ e k cerebrais. A sua atividade no tratamento de manutenção da dependência

dos opiáceos é atribuída à sua ligação lentamente reversível aos recetores µ, a qual reduz

ao mínimo, durante um período de tempo prolongado, a necessidade de consumo de

drogas por parte do doente toxicodependente.

Devido à sua atividade agonista parcial dos opiáceos, a buprenorfina possui uma ampla

margem de segurança, a qual limita os seus efeitos depressores, em particular a nível das

funções cardíaca e respiratória. A margem de segurança pode ser reduzida se combinada

com benzodiazepinas ou se a buprenorfina for utilizada indevidamente.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

Absorção

Quando administrada por via oral, a buprenorfina sofre um extenso metabolismo de

primeira passagem com N-desalquilação e glucuroconjugação no intestino delgado e no

fígado. O uso deste medicamento por via oral é, consequentemente, inadequado. A

biodisponibilidade absoluta dos comprimidos de buprenorfina administrados por via

sublingual não é bem conhecida, mas estima-se que esteja compreendida entre 15 e 30 %.

Os picos das concentrações plasmáticas são atingidos 90 minutos após administração

sublingual e a relação máxima dose-concentração é linear entre 2 mg e 16 mg.

Distribuição

A absorção de buprenorfina é seguida de uma fase de distribuição rápida. A semivida é

de 2 a 5 horas.

Metabolismo e eliminação

A buprenorfina é metabolizada por 14-N-desalquilação e glucoroconjugação da molécula

original e do metabolito desalquilado. Os dados clínicos confirmam que o CYP3A4 é

responsável pela N-desalquilação da buprenorfina. A N-desalquilobuprenorfina é um

agonista µ com fraca atividade intrínseca. A eliminação da buprenorfina é bi- ou tri-

exponencial com uma longa fase de eliminação terminal de 20 a 25 horas, devida, em

parte, à reabsorção da buprenorfina após hidrólise intestinal do derivado conjugado e, em

parte, à natureza altamente lipofílica da molécula. A buprenorfina é essencialmente

eliminada nas fezes por excreção biliar dos metabolitos glucoroconjugados (80 %), sendo

a fração restante eliminada na urina.

5.3 Dados de segurança pré-clínica

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

A toxicidade crónica, estudada em quatro espécies (roedores e não roedores) por quatro

vias de administração diferentes, não revelou qualquer elemento clínico pertinente. Num

estudo de administração oral com a duração de um ano realizado em cães, observou-se

toxicidade hepática com uma dose muito elevada (75 mg/kg).

estudos

teratologia

realizados

ratos

coelhos

permitem

concluir

buprenorfina não é embriotóxica nem teratogénica. Não foi referido qualquer efeito

indesejável sobre a fertilidade em ratos, contudo, observou-se nesta espécie, uma elevada

mortalidade peri e pós-natal com uma administração por vias IM e oral, devido a

dificuldades no parto e deficiente aleitamento materno.

Numa série de testes padrão, não se evidenciou qualquer potencial genotóxico.

Os estudos de carcinogenicidade realizados em ratos e ratinhos revelaram que não se

verificam diferenças nas incidências dos diferentes tipos de tumores entre os animais

tratados com buprenorfina e os dos grupos de controlo. Contudo, num estudo efetuado

com doses farmacológicas administradas a ratinhos, observou-se, nos animais tratados,

uma atrofia e uma mineralização tubular dos testículos.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista dos excipientes

Lactose monohidratada, manitol, amido de milho, povidona K30, ácido cítrico anidro,

citrato de sódio, estearato de magnésio, sílica coloidal anidra e talco.

6.2 Incompatibilidades

Não aplicável.

6.3 Prazo de validade

2 anos

6.4 Precauções especiais de conservação

Comprimidos sublinguais 6 mg: O medicamento não necessita de quaisquer precauções

especiais de conservação

6.5 Natureza e conteúdo do recipiente

7 e 28 comprimidos em fitas contentoras brancas de PVC/Alumínio. É possível que não

sejam comercializadas todas as apresentações.

6.6 Precauções especiais de eliminação e manuseamento

Não existem requisitos especiais.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Gold Farma – Comércio de Produtos Farmacêuticos Lda

Av. Professor Doutor Augusto Abreu Lopes nº 53 B Lj A

2675-301 Odivelas

Portugal

E-mail: geral@goldfarma.com

8. NÚMERO (S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Nº de registo: – 7 Comprimidos sublinguais, 6 mg, blister PVC/Alu

Nº de registo: – 28 Comprimidos sublinguais, 6 mg, blister PVC/Alu

9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE

INTRODUÇÃO NO MERCADO

10. DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Leia o documento completo

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Relatório Público de Avaliação

Discussão Científica

Buprenorfina Goldfarma

Cloridrato de buprenorfina

14/H/0064/001-003

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

INTRODUÇÃO

A Goldfarma Comércio de Produtos Farmacêuticos, Lda. submeteu um pedido de

Autorização de Introdução no Mercado para o medicamento Buprenorfina Goldfarma, 1

mg, 4 mg e 6 mg comprimido sublingual, contendo buprenorfina, estando indicado no

tratamento de substituição em caso de toxicodependência major de opiáceos, no âmbito de

um programa detalhado de acompanhamento terapêutico do ponto de vista médico, social e

psicológico.

Este pedido de Autorização de Introdução no Mercado refere-se a um medicamento que

indica como medicamento de referência o Subutex 0.4 mg, 2 mg e 8 mg, comprimido

sublingual comercializado por RB Pharmaceuticals Limited que está autorizado em

Portugal desde/até 23-12-1999.

A Autorização de Introdução no Mercado foi concedida a 11-02-2015 com base no artigo

19º do Decreto-Lei n.º 176/2006, de 30 de agosto.

Este tipo de pedido de Autorização de Introdução no Mercado refere-se a informação que

se encontra nas partes farmacológica, toxicológica e clínica do dossier de pedido de

Autorização de Introdução no Mercado do medicamento de referência, tendo a mesma sido

complementada com os dados adicionais relevantes. Um medicamento de referência é um

medicamento autorizado e comercializado com base num dossier completo, isto é, num

dossier que incluí informação química, biológica, farmacêutica, farmacológica,

toxicológica e clínica completas. Esta informação não está na sua totalidade disponível

para o domínio público. Sendo assim, a autorização deste tipo de medicamentos só é

possível quando finda o período de proteção de dados do medicamento de referência.

A legibilidade do Folheto Informativo foi comprovada através da referência ao relatório

público de avaliação do medicamento Buprenorfina Wynn,, 0,4 mg, 2mg, 8 mg,

comprimido sublingual, processo n.º 12/H/0004/01-03 autorizado desde 08-04-2013.

Aspetos de qualidade

Introdução

Buprenorfina Goldfarma, 1 mg, 4 mg e 6 mg comprimido sublingual contém como

substância ativa 1.08 mg, 4.32 mg e 6.48 mg de cloridrato de buprenorfina correspondendo

a 1 mg, 4 mg e 6 mg de buprenorfina, respetivamente.

Buprenorfina Goldfarma 1 mg apresenta-se na forma de comprimido de cor branca,

redondo, com 5,5 mm de diâmetro, biconvexo, não revestido com o símbolo “1” em relevo

de um lado e “

” em relevo do outro. A ranhura destina-se apenas a facilitar a divisão,

para ajudar a deglutição e não para dividir em doses iguais.

Buprenorfina Goldfarma 4 mg apresenta-se na forma de Comprimido de cor branca,

redondo, com 6,5 mm de diâmetro, biconvexo, não revestido com o símbolo “4” em relevo

de um lado e “

” em relevo do outro. A ranhura destina-se apenas a facilitar a divisão,

para ajudar a deglutição e não para dividir em doses iguais.

Buprenorfina Goldfarma 6 mg apresenta-se na forma de comprimido de cor branca,

redondo, com 6,5 mm de diâmetro, biconvexo, não revestido com o símbolo “6” em relevo

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

de um lado e “

” em relevo do outro. A ranhura destina-se apenas a facilitar a divisão,

para ajudar a deglutição e não para dividir em doses iguais

O medicamento, cuja forma farmacêutica é “comprimido sublingual” é acondicionado em

blister de PVC-Alu

Os excipientes são:

Lactose monohidratada, manitol, amido de milho, povidona K30, ácido cítrico anidro,

citrato de sódio, estearato de magnésio, sílica coloidal anidra e talco.

Substância Ativa

A substância ativa Cloridrato de buprenorfina, encontra-se em conformidade com os

requisitos regulamentares europeus em vigor e é uma substância ativa conhecida que está

descrita na Farmacopeia Europeia (Ph. Eur.). A Ph. Eur é um livro oficial (farmacopeia) no

qual os métodos de análise das substâncias e respetivas especificações se encontram

descritos pelas autoridades da União Europeia.>

A substância ativa é um pó cristalino branco ou quase branco e apresenta forma molecular

C29H41NO4. HCl e massa molecular de 504.1.

As especificações estabelecidas para a substância ativa são consideradas adequadas para

controlar a qualidade e cumprir os requisitos da monografia da Ph. Eur e especificações

internas do fabricante. Foi fornecida documentação relativa à análise de lotes que

demonstra a conformidade com as especificações para 3 lotes de escala de produção.

Medicamento

O desenvolvimento do medicamento foi descrito, a escolha dos excipientes foi justificada e

as suas funções devidamente explicadas. Os excipientes usados são bem conhecidos e

seguros nas concentrações propostas. Todos os excipientes, com excepção dos grânulos

para compressão, estão descritos na Farmacopeia Europeia. Para os grânulos para

compressão foram apresentadas as especificações a que devem obedecer bem como a

metodologia analítica a ser usada. Os fornecedores de lactose apresentaram declarações

relativas à minimização do risco de transmissão de encefalopatias espongiformes

(BSE/TSE) que foram consideradas aceitáveis.

As especificações do medicamento apresentadas cobrem apropriadamente os parâmetros

para cada dosagem deste medicamento. Foram apresentados os resultados de validação dos

métodos analíticos. As análises de lote foram realizadas em 2 lotes para a dosagem 1 mg, e

1 lote para as dosagens de 4 mg e 6 mg. Os resultados da análise dos lotes mostram que o

produto acabado cumpre as especificações propostas.

As condições utilizadas nos ensaios de estabilidade estão de acordo com a norma

orientadora internacional (ICH) relativa a estes estudos. Os testes de controlo e

especificações para o medicamento estão adequadamente preparados.

O prazo de validade de 2 anos e as condições de armazenamento (o medicamento não

necessita de quaisquer precauções especiais de conservação) para as dosagens de 4 mg e 6

mg e as condições de armazenamento (não conservar acima de 25ºC) para a dosagem de 1

mg, para a embalagem fechada para o medicamento é considerado aceitável.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

aspetos PRÉ-CLÍNICOS

Foram apresentados os dados pré-clínicos relevantes, complementares à informação do

medicamento de referência. Tal é considerado aceitável para este tipo de pedido.

aspetos clinicos

Foram apresentados os dados clínicos constantes do medicamento já aprovado nas

dosagens de 0.4 mg, 2 mg e 8 mg em relação à informação do medicamento de referência.

BPR/21002/001: Pivotal, two-way crossover single-dose bioequivalence study of

Ethypharm Buprenorphine 0.4 mg sublingual tablets versus Subutex 0.4 mg sublingual

tablets in healthy male

volunteers under fasting condition

BPR/21002/002: Pivotal, two-way crossover single-dosebioequivalence study of

Ethypharm Buprenorphine 8 mg sublingual tablets versus Subutex 8 mg sublingual tablets

in healthy male

volunteers under fasting condition

Study BPR/21002/003: Pivotal, two-way crossover single-dose bioequivalence study of

Ethypharm Buprenorphine 2 mg sublingual tablets versus Subutex 2 mg sublingual tablets

in healthy male volunteers under fasting condition

Para o medicamento Buprenorfina Goldfarma, 1 mg, 4 mg e 6 mg comprimido sublingual

não são submetidos novos estudos de bioequivalência. A ausência de estudos clínicos

encontra-se justificada. No relatório do perito clínico (Clinical Overview) é demonstrado

que estas novas dosagens (1mg, 4 mg e 6 mg) se situam dentro do intervalo de dosagens

validado pelos anteriores estudos submetidos (0.4 mg, 2 mg e 8 mg) e por esse motivo

preenchem as condições requeridas para dispensa de nova demonstração in vivo de

bioequivalência.

Plano de Farmacovigilância

O INFARMED, IP considera o Resumo do Sistema de Farmacovigilância fornecido no

pedido de Autorização de Introdução no Mercado aceitável de acordo com a nova

legislação para a farmacovigilância aplicada na União Europeia (UE), que substituiu

volume 9 das Regras que regem os medicamentos na União Europeia.

Plano de Gestão deRisco

O plano de Gestão de Risco foi apresentado pelo titular.

Conclusões, Avaliação da relação benefício/risco e recomendações

O processo avaliado apresenta dados de qualidade, segurança e eficácia adequados.

Assim, foi possível concluir que a relação benefício/risco para este medicamento é

comparável à relação benefício/risco atribuída ao medicamento que indica como

medicamento de referência.

APROVADO EM

11-02-2015

INFARMED

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação