Bosentano Teva 62.5 mg Comprimido revestido por película

Portugal - português - INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)

Compre agora

MMR MMR (MMR)

26-02-2020

Ingredientes ativos:
Bosentano
Disponível em:
Teva Pharma - Produtos Farmacêuticos, Lda.
Código ATC:
C02KX01
DCI (Denominação Comum Internacional):
Bosentan
Dosagem:
62.5 mg
Forma farmacêutica:
Comprimido revestido por película
Composição:
Bosentano mono-hidratado 64.541 mg
Via de administração:
Via oral
Classe:
3.4.6 - Outros
Tipo de prescrição:
MSRM restrita - Alínea b) Medicamento de receita médica restrita destinado a patologias cujo diagnóstico seja efetuado apenas em
Grupo terapêutico:
Genérico
Área terapêutica:
bosentan
Indicações terapêuticas:
Duração do Tratamento: Longa Duração
Resumo do produto:
Blister 14 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5692504 CNPEM: 50099868 CHNM: 10039140 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 56 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5692512 CNPEM: 50099876 CHNM: 10039140 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 56 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5692520 CNPEM: 50099876 CHNM: 10039140 Grupo Homogéneo: N/A; Blister 112 unidade(s) Não Comercializado Número de Registo: 5692538 CNPEM: 50099884 CHNM: 10039140 Grupo Homogéneo: N/A
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
DE/H/5675/001
Data de autorização:
2016-11-17

Leia o documento completo

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

FOLHETO INFORMATIVO

Folheto informativo: Informação para o utilizador

Bosentano Teva 62,5 mg comprimidos revestidos por película

Bosentano Teva 125 mg comprimidos revestidos por película

Bosentano

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento, pois contém

informação importante para si.

Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.

Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico, ou farmacêutico ou enfermeiro.

Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O medicamento pode

ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de doença.

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados

neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Ver secção 4

O que contém este folheto:

1. O que é Bosentano Teva e para que é utilizado

2. O que precisa de saber antes de tomar Bosentano Teva

3. Como tomar Bosentano Teva

4. Efeitos secundários possíveis

5. Como conservar Bosentano Teva

6. Conteúdo da embalagem e outras informações

1.O que é Bosentano Teva e para que é utilizado

Os comprimidos de Bosentano Teva contêm bosentano, que bloqueia uma hormona que ocorre

naturalmente chamada endotelina-1 (ET-1), que provoca o estreitamento dos vasos sanguíneos.

Bosentano Teva causa, por isso, a dilatação dos vasos sanguíneos e pertence à classe de

medicamentos chamada “antagonistas dos recetores da endotelina”.

Bosentano Teva é utilizado para tratar:

Hipertensão arterial pulmonar (HAP): A HAP é uma doença de estreitamento grave dos vasos

sanguíneos nos pulmões resultando numa pressão sanguínea elevada nos vasos sanguíneos (as

artérias pulmonares) que transportam o sangue do coração para os pulmões. Esta pressão reduz

a quantidade de oxigénio que entra no sangue pelos pulmões, tornando a atividade física mais

difícil. Bosentano Teva dilata as artérias pulmonares, fazendo com que seja mais fácil o coração

bombear o sangue através delas. Isto reduz a pressão sanguínea e alivia os sintomas.

Bosentano Teva é usado para tratar doentes com hipertensão arterial pulmonar (HAP) da classe

III para melhorar os sintomas e a capacidade de exercício (capacidade de executar uma

atividade física). A ‘classe’ reflete a gravidade da doença: ‘classe III’ envolve limitação marcada

de atividade física. Foram também demonstradas algumas melhorias em doentes com HAP classe

II. A ‘classe II’ envolve limitação ligeira da atividade física. A HAP para a qual Bosentano Teva

está indicado pode ser:

primária (sem causa identificada ou familiar);

causada por esclerodermia (também chamada de esclerose sistémica, uma doença onde há

crescimento anormal de tecido conjuntivo que suporta a pele e outros órgãos);

causada

defeitos

cardíacos

congénitos

nascença)

shunts

(canais

anormais)

causando um fluxo sanguíneo alterado entre coração e pulmões.

Úlceras digitais: (feridas nos dedos das mãos e dos pés) em doentes adultos com uma condição

chamada esclerodermia. Bosentano Teva reduz o número de novas úlceras que aparecem nos

dedos das mãos e dos pés.

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

2. O que precisa de saber antes de tomar Bosentano Teva

Não tome Bosentano Teva:

se tem alergia ao bosentano ou a qualquer outro componente deste medicamento (indicados na

secção 6).

se tiver problemas de fígado (consulte o seu médico)

se estiver grávida ou tiver a possibilidade de engravidar, por não estar a utilizar métodos

contracetivos fiáveis. Por favor leia a informação em “Contracetivos” e “Outros medicamentos e

Bosentano Teva”

se estiver a tomar ciclosporina A (um medicamento utilizado depois de um transplante ou para

tratamento de psoríase)

Se algum destes se aplicar a si, informe o seu médico.

Advertências e precauções

Fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro antes de tomar Bosentano Teva

Análises que o seu médico lhe mandará fazer antes do tratamento

uma análise ao sangue para examinar o funcionamento do seu fígado

uma análise ao sangue para verificar se está anémico/a (nível de hemoglobina baixo)

um teste de gravidez se é uma mulher com potencial para engravidar

Alguns dos doentes a tomar Bosentano Teva apresentaram resultados alterados nos testes de

função hepática e anemia (níveis de hemoglobina baixos).

Análises que o seu médico lhe mandará fazer durante o tratamento

Durante o seu tratamento com Bosentano Teva, o seu médico mandá-lo-á/mandá-la-á fazer

análises ao sangue a intervalos regulares, a fim de verificar se houve alguma alteração na função

hepática e nos níveis de hemoglobina.

Para todos estes testes, por favor veja também o Cartão de Aviso do Doente (dentro da sua

embalagem de Bosentano Teva comprimidos). É importante fazer estas análises ao sangue a

intervalos regulares enquanto estiver a tomar Bosentano Teva. Sugerimos que tome nota da

data da sua análise mais recente e também da sua próxima análise (pergunte ao seu médico

qual é a data da mesma) no Cartão de Aviso do Doente, para o ajudar a recordar-se da data da

sua próxima análise.

Análises ao sangue para verificar a função hepática

Deve fazer estas análises todos os meses durante o período de tratamento com Bosentano Teva.

Duas semanas depois de um aumento de dose deve também fazer-se uma análise adicional.

Análises ao sangue para verificar se sofre de anemia

Deve fazer estas análises todos os meses durante os primeiros 4 meses de tratamento, e depois

disso de 3 em 3 meses, dado que os doentes a tomar Bosentano Teva podem ter anemia.

Se os resultados destas análises estiverem alterados, o seu médico pode decidir reduzir a dose

ou interromper o seu tratamento com Bosentano Teva e mandar fazer mais análises para

investigar a causa da alteração.

Crianças e adolescentes

Bosentano Teva NÃO é recomendado em doentes pediátricos com esclerose sistémica e úlceras

digitais em curso. Por favor consulte também a seção 3. Como tomar Bosentano Teva.

Outros medicamentos e Bosentano Teva

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros

medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica. É especialmente importante

informar o seu médico caso esteja a tomar:

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

ciclosporina A (um medicamento utilizado depois de transplantes e para o tratamento de

psoríase), que não deve ser usado juntamente com Bosentano Teva

sirolimus ou tacrolimus, que são medicamentos utilizados depois de transplantes, uma vez que o

uso destes não é recomendado juntamente com Bosentano Teva

glibenclamida (um

medicamento

para

diabetes),

rifampicina

medicamento

para

tuberculose), fluconazol (medicamentos para o tratamento de infeções fúngicas),cetoconazol

(um medicamento utilizado para o tratamento da síndroma de Cushing) ou nevirapina (um

medicamento para o VIH) uma vez que o uso destes medicamentos não é recomendado

juntamente com Bosentano Teva

outros

medicamentos

para

tratamento

infeção

VIH,

podem

necessitar

monitorização especial se usados em conjunto com Bosentano Teva

contracetivos hormonais que não são eficazes como único método de contraceção quando toma

Bosentano Teva. Dentro da sua embalagem de comprimidos de Bosentano Teva encontrará um

Cartão de Aviso do Doente que deverá ler atentamente. O seu médico e/ou ginecologista

estabelecerão a contraceção que é adequada para si.

outros medicamentos para o tratamento da hipertensão pulmonar: sildenafil e tadalafil

varfarina (um agente anticoagulante)

sinvastatina (utilizada para tratar a hipercolesterolemia).

Mulheres em idade fértil

NÃO tome Bosentano Teva se está grávida ou se planeia engravidar.

Testes de gravidez

Bosentano Teva pode fazer mal aos bebés por nascer concebidos antes do início ou durante o

tratamento. Se é uma mulher que pode engravidar, o seu médico pedir-lhe-á para fazer um

teste de gravidez antes de começar a tomar Bosentano Teva e regularmente enquanto estiver a

tomar Bosentano Teva.

Contracetivos

Se é possível que fique grávida, use um método de controle de natalidade (contraceção) fiável

enquanto está a tomar Bosentano Teva. O seu médico ou ginecologista indicar-lhe-ão métodos

de contraceção fiáveis para utilizar enquanto estiver a tomar Bosentano Teva. A contraceção

hormonal (ex. oral, injeção, implante ou sistemas cutâneos), por si só, não é um método fiável

porque

Bosentano

Teva

pode

torná-la

ineficaz.

conseguinte,

utiliza

contracetivos

hormonais DEVE também utilizar um método de barreira (ex.: preservativo feminino, diafragma,

esponja contracetiva ou o seu parceiro deverá também utilizar um preservativo). Dentro da sua

embalagem de comprimidos de Bosentano Teva encontrará um Cartão de Aviso do Doente. Deve

preencher este cartão e levá-lo ao seu médico na sua próxima consulta para que o seu médico

ou ginecologista possam avaliar se necessita de métodos contracetivos fiáveis adicionais ou

alternativos. Recomenda-se fazer

testes de gravidez mensais durante o tratamento com

Bosentano Teva e enquanto está na idade fértil.

Informe imediatamente o seu médico se engravidar enquanto está a tomar Bosentano Teva ou

se planeia engravidar num futuro próximo.

Amamentação

Informe imediatamente o seu médico caso esteja a amamentar. É aconselhável DEIXAR de

amamentar se o médico lhe receitar Bosentano Teva, pois não se sabe se este medicamento

passa para o leite materno.

Fertilidade

Se é um homem a tomar Bosentano Teva, é possível que este medicamento possa baixar a sua

contagem de esperma. Não pode ser excluído que tal pode afetar a sua capacidade de ser pai de

uma criança. Fale com o seu médico se tiver dúvidas ou preocupações em relação a isto.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Bosentano Teva não influencia ou tem uma influência negligenciável na capacidade de conduzir e

utilizar máquinas. No entanto, Bosentano Teva pode induzir hipotensão (diminuição da sua

pressão sanguínea) que pode fazê-lo sentir-se tonto, afetar a sua visão e a sua capacidade de

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

conduzir e utilizar máquinas. Como tal, se se sentir tonto ou a sua visão ficar turva enquanto

toma Bosentano Teva, não conduza nem utilize quaisquer ferramentas ou máquinas.

Bosentano Teva contém sódio

Este medicamento contém menos do que 1 mmol (23 mg) de sódio por comprimido ou seja, é

praticamente “isento de sódio”.

3. Como tomar Bosentano Teva

O tratamento com Bosentano Teva só deve ser iniciado e acompanhado por um médico que

tenha experiência no tratamento de HAP ou esclerose sistémica. Tome este medicamento

exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver

dúvidas.

Bosentano Teva com alimentos e bebidas

Bosentano Teva pode ser tomado com ou sem alimentos.

Dose recomendada

Adulto

O tratamento em adultos é normalmente iniciado nas primeiras 4 semanas com 62,5 mg duas

vezes por dia (de manhã e à noite), depois disso é provável que o seu médico lhe receite o

comprimido de 125 mg duas vezes ao dia, dependendo da forma como tenha reagido a

Bosentano Teva.

Utilização em crianças e adolescentes

A recomendação de dose em crianças é apenas para a HAP. Para crianças com 1 ano ou mais, o

tratamento com Bosentano Teva é normalmente iniciado com 2 mg por kg de peso corporal duas

vezes por dia (de manhã e à noite). O seu médico receitar-lhe-á a sua dosagem.

Note por favor que o bosentano também está disponível numa formulação de comprimidos

dispersíveis de 32 mg, que pode tornar mais fácil a correta dosagem para crianças e doentes

com baixo peso corporal ou com dificuldades em engolir comprimidos revestidos por película.

Fale com o seu médico se tiver a impressão de que o efeito de Bosentano Teva é demasiado

forte ou demasiado fraco, a fim de determinar se a sua dose necessita de ser alterada.

Como tomar Bosentano Teva

Os comprimidos devem ser tomados (de manhã e à noite), engolidos com água. Os comprimidos

podem ser tomados com ou sem alimentos.

Se tomar mais Bosentano Teva do que deveria

tomar

mais

comprimidos

aqueles

disseram

para

tomar,

contacte

imediatamente o seu médico.

Caso se tenha esquecido de tomar Bosentano Teva

Caso se tenha esquecido de tomar Bosentano Teva, tome uma dose logo que se recorde,

continuando depois a tomar o medicamento às horas habituais. NÃO tome uma dose a dobrar

para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Bosentano Teva

Interromper subitamente o tratamento com Bosentano Teva, pode conduzir a um agravamento

dos seus sintomas. NÃO interrompa o tratamento com Bosentano Teva a não ser que o seu

médico assim o indique. O seu médico poderá mandar reduzir a dose durante alguns dias antes

de lhe dizer para parar por completo.

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou

farmacêutico.

4. Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários, embora estes

não se manifestem em todas as pessoas.

Os efeitos secundários mais graves com bosentano são:

função hepática alterada que pode afetar mais do que 1 em cada 10 pessoas

anemia (valor de sangue baixo) que pode afetar até 1 em cada 10 pessoas. A anemia pode

necessitar ocasionalmente de uma transfusão de sangue.

Os seus

valores hepáticos e de sangue

serão monitorizados durante o tratamento com

Bosentano Teva (ver seção 2). É importante que faça estes testes tal como requisitado pelo seu

médico.

Sinais que o seu fígado pode não estar a funcionar adequadamente incluem:

náusea (vontade de vomitar)

vómitos

febre (temperatura alta)

dor de estômago (abdominal)

icterícia (amarelecimento da sua pele ou da parte branca dos seus olhos)

urina escura

comichão na pele

letargia ou fadiga (cansaço ou exaustão não habituais)

sintomas tipo gripe (dores musculares e das articulações com febre)

Se detetar algum destes sinais contacte o seu médico imediatamente

Outros efeitos secundários

Muito frequentes (podem afetar mais de uma em cada 10 pessoas):

dor de cabeça

edema (inchaço das pernas e tornozelos ou outros sinais de retenção de líquidos)

Frequentes (podem afetar até uma em cada 10 pessoas):

aspecto avermelhado ou vermelhidão da pele

reações de hipersensibilidade (incluindo inflamação da pele, comichão e erupção na pele)

doença de refluxo gastroesofágico (refluxo ácido)

diarreia

síncope (desmaio)

palpitações (batimentos cardíacos rápidos ou irregulares)

tensão arterial baixa

congestão nasal

Pouco frequentes (podem afetar até uma em cada 100 pessoas):

trombocitopenia (número baixo de plaquetas sanguíneas)

neutropenia/leucopenia (número baixo de glóbulos brancos)

testes de função hepática elevados com hepatite (inflamação do fígado) incluindo possível

exacerbação de hepatite subjacente e/ou icterícia (amarelecimento da pele ou da parte branca

dos olhos).

Raros (podem afetar até uma em cada 1000 pessoas):

anafilaxia (reação alérgica generalizada), angioedema (inchaço, mais frequentemente à volta dos

olhos, lábios, língua ou garganta)

cirrose (alteração) do fígado, insuficiência hepática (alteração grave do funcionamento do fígado)

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

Desconhecido (frequência não pode ser calculada apartir dos dados disponíveis):

visão turva

Efeitos secundários adicionais em crianças e adolescentes

Os efeitos secundários que têm sido notificados em crianças tratadas com Bosentano Teva são os

mesmo que os dos adultos.

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados

neste folheto, fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro. Também poderá comunicar

efeitos secundários diretamente através dos contactos abaixo. Ao comunicar efeitos secundários,

estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento:

INFARMED, I.P.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53

1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

Sítio da internet:

http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage

E-mail:

farmacovigilancia@infarmed.pt

5. Como conservar Bosentano Teva

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem exterior e no

blister a seguir a “EXP”. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Conservar a temperatura inferior a 30ºC.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu

farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a

proteger o ambiente.

6. Conteúdo das embalagens e outras informações

Qual a composição de Bosentano Teva

A substância ativa é bosentano.

Cada comprimido revestido por película contém 62,5 mg de bosentano (na forma de mono-

hidrato)

Cada comprimido revestido por película contém 125 mg de bosentano (na forma de mono-

hidrato)

Os outros componentes são

Núcleo do comprimido: amido de milho, amido pré-gelificado, carboximetilamido sódico (tipo A),

povidona, dibehenato de glicerilo e estearato de magnésio

Película de revestimento: hipromelose, triacetina, talco, dióxido de titânio, óxido de ferro

amarelo (E172), óxido de ferro vermelho (E172) e dispersão aquosa de etilcelulose (contendo

etilcelulose, laurilsulfato de sódio e álcool cetílico)

Qual o aspecto de Bosentano Teva e conteúdo da embalagem

(62,5 mg) Os comprimidos revestidos por película Bosentano Teva são redondos (6mm de

diâmetro), biconvexos, cor de rosa alaranjados gravados com 62.5 num dos lados.

(125 mg) Os comprimidos revestidos por película Bosentano Teva são ovais (11mm x 5 mm de

dimensões), cor de rosa alaranjados gravados com 125 num dos lados.

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

(62,5 mg) Bosentano Teva está disponível em embalagens de 7, 14, 28, 56, 60 e 112

comprimidos revestidos por película em blisters ou 7x1, 14x1, 28x1, 56 x1, 60x1 e 112x1

comprimidos revestidos por película em blisters de dose unitária perfurados.

(125 mg) Bosentano Teva está disponível em embalagens de 7, 14, 28, 56, 60, 112 e 120

comprimidos revestidos por película em blisters ou 7x1, 14x1, 28x1, 56 x1, 60x1, 112x1 e

120x1 comprimidos revestidos por película em blisters de dose unitária perfurados.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular de Autorização de Introdução no Mercado

Teva Pharma – Produtos Farmacêuticos, Lda.

Lagoas Park Edificio 5-A, piso 2

2740-245 Porto Salvo

Portugal

Fabricante

PLIVA Hrvatska d.o.o. (PLIVA Croatia Ltd.)

Prilaz baruna Filipovica 25,

10000 Zagreb

Croácia

Teva Pharma B.V.

Swensweg 5,

2031 GA Haarlem

Holanda

Este medicamento está disponível nos Estados Membro do EEE sob os seguintes nomes:

Áustria

Bosentan ratiopharm 62,5 mg Filmtabletten, Bosentan ratiopharm 125

Filmtabletten

Bélgica

Bosentan

Teva

62,5

filmomhulde

tabletten/comprimés

pelliculés/Filmtabletten,

Bosentan

Teva

filmomhulde

tabletten/comprimés

pelliculés/Filmtablette

Alemanha

Bosentan-ratiopharm 62,5 mg Filmtabletten, Bosentan-ratiopharm 125

mg Filmtabletten

Dinamarca

Bosentan Teva

Estônia

Bosentan Teva

Espanha

Bosentan Teva 62,5 mg comprimidos recubiertos com película EFG,

Bosentan Teva 125mg comprimidos recubiertos com película EFG

França

Bosentan Teva 62.5 mg comprimé pelliculé, Bosentan Teva 125 mg

comprimé pelliculé

Itália

Bosentan Teva

Lituânia

Bosentan Teva 62,5 mg plėvele dengtos tabletės, Bosentan Teva 125

mg plėvele dengtos tabletės

Letônia

Bosentan Teva 62.5 mg apvakotās tablets, Bosentan Teva 125 mg

apvalkotās tablets

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

Luxemburgo

Bosentan Teva 62,5 mg comprimés pelliculés, Bosentan Teva 125 mg

comprimés pelliculés

Holanda

Bosentan Teva 62.5 mg, filmomhulde tabletten, Bosentan Teva 125

mg, filmomhulde tabletten

Portugal

Bosentano Teva

Suécia

Bosentan Teva

Este folheto foi revisto pela última vez em

Leia o documento completo

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1. NOME DO MEDICAMENTO

Bosentano Teva 62,5 mg comprimidos revestidos por película

Bosentano Teva 125 mg comprimidos revestidos por película

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada comprimido revestido por película contém 62,5 mg de bosentano (na forma de

mono-hidrato).

Cada comprimido revestido por película contém 125 mg de bosentano (na forma de

mono-hidrato).

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Comprimido revestido por película.

Comprimidos redondos (6mm de diâmetro), revestidos por película, biconvexos, cor

de rosa alaranjados gravados com 62.5 num dos lados.

Comprimidos ovais (11mm x 5 mm de dimensões), revestidos por película, cor de

rosa alaranjados gravados com 125 num dos lados.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

Tratamento da hipertensão arterial pulmonar (HAP) a fim de melhorar a capacidade

exercício

sintomatologia

doentes

classe

funcional

OMS.

comprovada a eficácia em:

Hipertensão arterial pulmonar primária (idiopática e hereditária)

Hipertensão arterial pulmonar secundária à esclerodermia sem doença pulmonar

intersticial significativa

Hipertensão arterial pulmonar associada a shunts sistémico-pulmonares congénitos e

síndrome de Eisenmenger

Foram também demonstradas algumas melhorias em doentes com hipertensão

arterial pulmonar classe funcional II da OMS (ver secção 5.1).

Bosentano Teva está também indicado para reduzir o número de novas úlceras

digitais em doentes com esclerose sistémica e úlceras digitais em curso (ver secção

5.1).

4.2 Posologia e modo de administração

Posologia

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

Hipertensão arterial pulmonar

tratamento

deve

iniciado

monitorizado

apenas

médico

experiência no tratamento da hipertensão arterial pulmonar.

Está incluído na embalagem um Cartão de Aviso do Doente que disponibiliza

informação de segurança importante que os doentes precisam de ter conhecimento

antes e durante o tratamento com bosentano.

Adultos

Em doentes adultos, deve iniciar-se o tratamento com Bosentano Teva com uma

dose de 62,5 mg duas vezes ao dia, durante 4 semanas, aumentando-se depois essa

dose para a dose de manutenção de 125 mg duas vezes ao dia. Aplicam-se as

mesmas recomendações para a reintrodução de Bosentano Teva após interrupção de

tratamento (ver secção 4.4).

População pediátrica

Dados pediátricos de farmacocinética mostraram que as concentrações plasmáticas

de bosentano em crianças com HAP com idades desde 1 ano a 15 anos foram, em

média, inferiores do que em doentes adultos e não foram aumentadas pelo aumento

de dose de Bosentano Teva acima de 2 mg/kg de peso corporal ou pelo aumento da

frequência de administração de duas vezes por dia para três vezes por dia (ver

secção

5.2).

Aumentar

dose

frequência

administração

não

irá,

provávelmente, resultar em benefício clínico adicional.

Com base nestes resultados farmacocinéticos, quando utilizado em crianças com HAP

com idades iguais ou superiores a 1 ano, a dose de início e de manutenção

recomendada é 2 mg/kg de manhã e à noite. Para crianças com peso corporal

inferior a 31 kg, não é possível a utilização de doses de 2 mg/kg com este

medicamento. Para estes doentes é necessário um comprimido de dosagem inferior.

recém-nascidos

hipertensão

pulmonar

persistente

recém-nascido

(HPPRN), não foi demonstrado o benefício do bosentanto no tratamento habitual.

Não pode ser recomendada uma posologia (ver secções 5.1 e 5.2).

Abordagem em caso de agravamento clínico da HAP

Em caso de deterioração clínica (por exemplo, uma diminuição de pelo menos 10%

no teste da distância percorrida em 6 minutos, em comparação com o resultado

registado antes do tratamento) apesar de se ter tratado o doente em questão com

bosentano durante, pelo menos, 8 semanas (pelo menos 4 semanas com a dose

alvo), devem considerar-se terapêuticas alternativas. Contudo, alguns dos doentes

que não apresentem uma resposta após 8 semanas de tratamento com bosentano,

podem reagir favorávelmente após 4 a 8 semanas de tratamento adicional.

Em caso de deterioração clínica tardia, apesar do tratamento com bosentano (ou

seja, após vários meses de tratamento), deve reavaliar-se o tratamento. Alguns

doentes que não reajam bem à dose de 125 mg de bosentano duas vezes ao dia

poderão melhorar ligeiramente a sua capacidade de exercício mediante o aumento

da dose para 250 mg duas vezes ao dia. Deve fazer-se uma avaliação cuidadosa da

relação benefício/risco, tendo em consideração que a toxicidade hepática é depende

da dose (ver secções 4.4 e 5.1).

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

Interrupção do tratamento

Existe

experiência

limitada

interrupção

abrupta

tratamento

bosentano em doentes com hipertensão arterial pulmonar. Não têm sido observados

casos de rebound agudo. Contudo, para se evitar a possível ocorrência de uma

deterioração clínica nociva devido ao potencial de um efeito de rebound, deve

considerar-se a redução gradual da dose (reduzindo-se a dose para metade ao longo

de 3 a 7 dias). Recomenda-se uma maior monitorização durante o período da

interrupção.

Caso

decida

interromper

administração

bosentano,

deve

fazer-se

interrupção gradualmente, ao mesmo tempo que se introduz uma terapêutica

alternativa.

Esclerose sistémica com úlceras digitais em curso

tratamento

deve

iniciado

monitorizado

apenas

médico

experiência no tratamento de esclerose sistémica.

Está incluído na embalagem um Cartão de Aviso do Doente que disponibiliza

informação de segurança importante que os doentes precisam de ter conhecimento

antes e durante o tratamento com bosentano.

Adultos

Deve iniciar-se o tratamento de Bosentano Teva com uma dose de 62,5 mg duas

vezes ao dia, durante 4 semanas, aumentando-se depois essa dose para a dose de

manutenção de 125 mg duas vezes ao dia. Aplicam-se as mesmas recomendações

para a reintrodução de Bosentano Teva após interrupção de tratamento (ver secção

4.4).

A experiência em estudos clínicos controlados nesta indicação é limitada a 6 meses

(ver secção 5.1).

A resposta dos doentes ao tratamento e a necessidade de tratamento continuado

devem ser reavaliadas regularmente. Deve ser feita uma avaliação cuidadosa da

relação benefício/risco, tendo em consideração a toxicidade hepática de bosentano

(ver secções 4.4 e 4.8).

População pediátrica

Não existem dados sobre a eficácia e segurança em doentes com idades inferiores a

18 anos. Não estão disponíveis dados de farmacocinética para o bosentano em

crianças pequenas com esta doença.

Populações especiais

Doentes com insuficiência hepática

O bosentano está contraindicado em doentes com insuficiência hepática moderada a

grave (ver secções 4.3, 4.4 e 5.2). Não é necessário qualquer ajuste posológico em

doentes com insuficiência hepática ligeira (ou seja, do tipo Child-Pugh classe A) (ver

secção 5.2).

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

Doentes com insuficiência renal

Não é necessário qualquer ajuste posológico nos doentes com insuficiência renal.

Não é necessário qualquer ajuste posológico em doentes que estejam a fazer diálise

(ver secção 5.2).

População idosa

Não é necessário qualquer ajuste posológico nos doentes com mais de 65 anos de

idade.

Modo de administração

Devem tomar-se os comprimidos, por via oral, de manhã e à noite, com ou sem

alimentos. Os comprimidos revestidos por película devem ser engolidos com água.

4.3 Contraindicações

Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes mencionados

na secção 6.1

Insuficiência hepática moderada a grave, ou seja, Child-Pugh classe B ou C (ver

secção 5.2)

Valores basais de transaminases hepáticas, ou seja, de aspartato aminotransferases

(AST) e/ou alanina aminotransferases (ALT), três vezes superiores aos do limite

superior normal (ver secção 4.4)

Uso concomitante de ciclosporina A (ver secção 4.5)

Gravidez (ver secções 4.4 e 4.6)

Mulheres

potencial

para engravidar

não

estejam

a utilizar

métodos

contracetivos fiáveis (ver secções 4.4, 4.5 e 4.6)

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Não foi estabelecida a eficácia de bosentano em doentes com hipertensão arterial

pulmonar grave. Caso se observe uma deterioração da condição clínica, deve

considerar-se a mudança para uma terapêutica que seja recomendada para o

estadio grave da doença (p. ex. epoprostenol) (ver secção 4.2).

Não foi estabelecido o equilíbrio benefício/risco de bosentano em doentes com

hipertensão arterial pulmonar de classe funcional I da OMS.

Só se deve iniciar o tratamento com bosentano caso a pressão arterial sistólica

sistémica seja superior a 85 mmHg.

O bosentano não tem mostrado ter um efeito benéfico na cicatrização de úlceras

digitais existentes.

Função hepática

aumentos

transaminases hepáticas, isto

aspartato

alanina

aminotransferases (AST e/ou ALT), associados a bosentano são dose dependentes.

Regra geral as alterações observadas nas enzimas hepáticas ocorreram dentro das

primeiras 26 semanas de tratamento mas também podem ocorrer tardiamente,

durante o tratamento (ver secção 4.8). Estes aumentos podem ser causados, em

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

parte, pela inibição competitiva da eliminação de sais biliares dos hepatócitos mas

outros

mecanismos,

não

foram

claramente

estabelecidos,

estão

também

provavelmente envolvidos na ocorrência de disfunção hepática. A acumulação de

bosentano

hepatócitos,

resultando

citólise

lesões

hepáticas

potencialmente graves, ou um mecanismo imunológico, não estão excluídos. O risco

disfunção

hepática

pode

também

aumentar

sempre

administrem

medicamentos que são inibidores da bomba de saída dos sais biliares, tais como

rifampicina, glibenclamida e ciclosporina A (ver secções 4.3 e 4.5) juntamente com

bosentano, mas não se encontram disponíveis dados suficientes neste campo.

É necessário medir os níveis das transaminases hepáticas antes de se iniciar o

tratamento e subsequentemente de mês a mês durante o período de tratamento com

bosentano. Além disso, devem medir-se os níveis de transaminases hepáticas 2

semanas após qualquer aumento de dose.

Recomendações em caso de aumento dos níveis de ALT/AST

Níveis de ALT/AST

Recomendações de tratamento e monitorização

> 3 e ≤ 5 × LSN

O resultado deve ser confirmado através de uma segunda

análise hepática; caso se obtenha confirmação, deve ser tomada uma decisão com

base em cada indivíduo para continuar a administração de bosentano, possivelmente

numa dose reduzida, ou interromper a administração de bosentano (ver secção

4.2). A monitorização dos níveis das transaminases deve continuar pelo menos de 2

em 2 semanas. Caso os níveis das transaminases voltem aos valores medidos antes

do tratamento, deve ser considerado continuar ou voltar a introduzir bosentano de

acordo com as condições abaixo indicadas.

> 5 e ≤ 8 × LSN

O resultado deve ser confirmado através de uma segunda

análise hepática; caso se obtenha confirmação, o tratamento deve ser interrompido

e os níveis das transaminases monitorizados pelo menos de 2 em 2 semanas. Caso

os níveis das transaminases voltem aos níveis medidos antes do tratamento, deve

ser considerado voltar a introduzir bosentano de acordo com as condições abaixo

indicadas.

> 8 × LSN Deve interromper-se o tratamento, não sendo possível voltar a introduzir

bosentano.

No caso de se observarem sintomas clínicos associados a lesões hepáticas, tais como

náuseas, vómitos, febre, dores abdominais, icterícia, letargia ou fadiga invulgares ou

sintomas gripais (artralgia, mialgia e febre) deve interromper-se o tratamento, não

sendo possível voltar a introduzir bosentano.

Reintrodução do tratamento

A reintrodução do tratamento com bosentano só deve ser considerada se os

benefícios

potenciais

tratamento

bosentano

ultrapassarem

riscos

potenciais e nos casos em que os níveis das transaminases hepáticas estejam dentro

valores

antes

iniciado

tratamento.

Deve

consultar-se

hepatologista. A reintrodução do medicamento deve seguir as diretrizes detalhadas

na secção 4.2. Devem então medir-se os níveis das transaminases no espaço de 3

dias

após

reintrodução

tratamento

novamente

passadas

semanas,

continuando-se a verificar os níveis, daí em diante, de acordo com as recomendações

acima indicadas.

LSN = Limite Superior dos Valores Normais

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

Concentração da hemoglobina

O tratamento com bosentano tem sido associado a reduções, dependentes da dose,

na concentração da hemoglobina (ver secção 4.8). As reduções na concentração da

hemoglobina relacionadas com bosentano, em estudos controlados com placebo não

foram progressivas e estabilizaram após as primeiras 4 a 12 semanas de tratamento.

Devem verificar-se os níveis de concentração da hemoglobina antes do início do

tratamento, uma vez por mês durante os primeiros quatro meses, e de três em três

meses

partir

daí.

Caso

ocorra

redução

clinicamente

significativa

concentração da hemoglobina, devem fazer-se mais análises e investigações, até se

determinar a causa de tal ocorrência e a necessidade de se iniciar um tratamento

específico. Foram notificados no período pós-comercialização casos de anemia que

requereram transfusão de eritrócitos (ver secção 4.8).

Mulheres com potencial para engravidar

Uma vez que o bosentano pode tornar os contracetivos hormonais ineficazes, e

tendo em conta o risco de que a hipertensão arterial pulmonar deteriora com a

gravidez assim como os efeitos teratogénicos observados nos animais:

Não se deve iniciar o tratamento com bosentano nas mulheres com potencial para

engravidar a não ser que as mesmas usem métodos de contraceção fiáveis e que o

resultado do teste de gravidez antes do tratamento seja negativo

Os contracetivos hormonais não podem ser o único método de contraceção durante o

tratamento com bosentano

São recomendados testes de gravidez mensais durante o tratamento para permitir a

deteção precoce de gravidez

Para informação adicional, consultar as secções 4.5 e 4.6.

Doença pulmonar veno-oclusiva

Têm sido notificados casos de edema pulmonar com vasodilatadores (principalmente

prostaciclinas) quando utilizados em doentes com doença pulmonar veno-oclusiva.

Consequentemente, deve ser considerada a possibilidade de doença veno-oclusiva

associada,

surgirem

sinais

edema

pulmonar

quando

bosentano

administrado em doentes com HAP. No período pós-comercialização têm havido,

raramente, notificações de edema pulmonar em doentes tratados com bosentano em

que houve suspeita de diagnóstico de doença pulmonar veno-oclusiva.

Doentes com hipertensão arterial pulmonar e insuficiência ventricular esquerda

concomitante

Não se realizou nenhum estudo específico em doentes com hipertensão pulmonar e

insuficiência ventricular esquerda concomitante. No entanto, num estudo controlado

com placebo (estudo AC-052-301/302 [ENABLE 1 & 2]), foram tratados 1 611

doentes com insuficiência cardíaca crónica (ICC) grave (804 com bosentano e 807

com placebo) durante um período médio de 1,5 anos. Neste estudo observou-se uma

incidência aumentada de hospitalizações, devidas a ICC, durante as primeiras 4–8

semanas de tratamento com bosentano, que pode ter sido resultado de retenção de

líquidos. Neste estudo, a retenção de líquidos manifestou-se com um aumento

precoce

peso,

diminuição

concentração

hemoglobina

incidência

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

aumentada de edema da perna. No final do estudo, não se observou diferença global

nas hospitalizações por insuficiência cardíaca, nem na mortalidade entre os doentes

tratados com bosentano e os tratados com placebo. Portanto, recomenda-se que os

doentes sejam monitorizados para sinais de retenção de líquidos (ex. aumento de

peso), em especial se também sofrerem concomitantemente de disfunção sistólica

grave. Caso tal ocorra, recomenda-se iniciar o tratamento com diuréticos, ou

aumentar a dose destes. Deve ser considerado o tratamento com diuréticos nos

doentes que, antes do início do tratamento com bosentano, apresentem evidência de

retenção de líquidos.

Hipertensão arterial pulmonar associada a infeção com VIH

Existe experiência limitada de estudos clínicos com o uso de bosentano em doentes

com HAP associada a infeção com VIH, tratados com medicamentos antirretrovirais

(ver secção 5.1.). Um estudo de interação entre bosentano e lopinavir+ritonavir em

indivíduos saudáveis demonstrou concentrações plasmáticas elevadas de bosentano,

com o nível máximo durante os primeiros 4 dias de tratamento (ver secção 4.5).

Quando o tratamento com bosentano é iniciado em doentes que necessitam de

inibidores da protease potenciados pelo ritonavir, a tolerabilidade do doente ao

bosentano deve ser estreitamente monitorizada com especial atenção, ao princípio

da fase de iniciação, ao risco de hipotensão e aos testes de função hepática. Não

pode ser excluído um risco aumentado a longo prazo de efeitos adversos de

toxicidade hepática e hematológicos quando bosentano é utilizado em associação

com medicamentos antirretrovirais. Devido ao potencial de interações relacionadas

com o efeito indutor do bosentano no CYP450 (ver secção 4.5), que pode afetar a

eficácia

tratamento

antirretroviral,

estes

doentes

devem

também

cuidadosamente monitorizados no que respeita à sua infeção com VIH.

Hipertensão pulmonar secundária a doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC)

Foi estudada a tolerabilidade e segurança de bosentano num estudo exploratório,

não

controlado,

semanas,

doentes

hipertensão

pulmonar

secundária a DPOC grave (estadio III da classificação GOLD). Foram observados um

aumento na ventilação por minuto e uma diminuição na saturação de oxigénio e o

efeito adverso mais frequente foi dispneia, que desapareceu com a descontinuação

de bosentano.

Uso concomitante com outros medicamentos

O uso concomitante de bosentano e ciclosporina A é contraindicado (ver secção 4.3 e

4.5).

O uso concomitante de bosentano com glibenclamida, fluconazol e rifampicina não é

recomendado. Para mais detalhes, por favor consultar a secção 4.5.

Deve evitar-se a administração concomitante com bosentano quer de um inibidor de

CYP3A4, quer de um inibidor de CYP2C9 (ver secção 4.5).

Excipientes

Sódio

Este medicamento contém menos do que 1 mmol (23 mg) de sódio por comprimido

revestido por película ou seja, é praticamente “isento de sódio”.

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

4.5 Interações medicamentosas e outras formas de interação

Bosentano é um indutor das isoenzimas do citocromo P450 (CYP), CYP2C9 e CYP3A4.

Dados in vitro sugerem também a indução de CYP2C19. Consequentemente, as

concentrações plasmáticas das substâncias metabolizadas por estas isoenzimas

estarão diminuídas com a administração concomitante de bosentano. Deve ser

considerada

possibilidade

alteração

eficácia

medicamentos

metabolizados por estas isoenzimas. A posologia destes produtos poderá ter de ser

ajustada após o início do tratamento, uma alteração da dose ou interrupção do

tratamento concomitante de bosentano.

Bosentano é metabolizado por CYP2C9 e CYP3A4. A inibição destas isoenzimas pode

aumentar a concentração plasmática de bosentano (ver cetoconazol). A influência

dos inibidores de CYP2C9 na concentração de bosentano não foi estudada. Esta

combinação deve ser utilizada com cuidado.

Fluconazol e outros inibidores de CYP2C9 e CYP3A4: A administração concomitante

com fluconazol, que inibe principalmente CYP2C9 mas que inibe também, numa certa

extensão,

CYP3A4,

pode

resultar

grandes

concentrações

plasmáticas

bosentano. Não se recomenda esta combinação. Pelas mesmas razões, não se

recomenda a administração concomitante de um inibidor potente de CYP3A4 (tal

como cetoconazol, itraconazol ou ritonavir) e de um inibidor de CYP2C9 (tal como

voriconazol) juntamente com bosentano.

Ciclosporina A: a administração concomitante de bosentano e ciclosporina A (um

inibidor da calcineurina) está contraindicada (ver secção 4.3). Quando se fez a

administração concomitante destes dois fármacos, os níveis de concentração iniciais

mais baixos de bosentano foram aproximadamente 30 vezes mais elevados dos que

os que se haviam registado após a administração de apenas bosentano. No estado

estacionário, as concentrações plasmáticas de bosentano foram 3 a 4 vezes mais

elevadas do que as que se registaram com a administração de apenas bosentano. O

mecanismo desta interação é, muito possivelmente, a inibição pela ciclosporina do

transporte de captação de bosentano mediado por proteínas para os hepatócitos. As

concentrações plasmáticas de ciclosporina A (um substrato de CYP3A4) diminuíram

em cerca de 50%. Isto será, muito possivelmente, devido à indução do CYP3A4 pelo

bosentano.

Tacrolimus, sirolimus: a administração concomitante de tacrolimus ou sirolimus e

bosentano não foi estudada em humanos mas a administração concomitante de

tacrolimus ou sirolimus e bosentano pode resultar no aumento das concentrações

plasmáticas de bosentano, tal como acontece na administração concomitante com

ciclosporina A. O uso concomitante de bosentano pode reduzir as concentrações

plasmáticas de tacrolimus e sirolimus. Assim, o uso concomitante de bosentano e

tacrolimus

sirolimus

não

aconselhável.

doentes

requerem

esta

combinação devem ser estreitamente monitorizados no que respeita a efeitos

adversos relacionados com bosentano e concentrações plasmáticas de tacrolimus e

sirolimus.

Glibenclamida:

administração

concomitante

deste

fármaco

bosentano duas vezes ao dia durante 5 dias diminuiu as concentrações plasmáticas

de glibenclamida (um substrato de CYP3A4) em 40%, com um potencial decréscimo

significativo do efeito hipoglicemiante. As concentrações plasmáticas de bosentano

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

diminuíram também 29%. Além disso, observou-se um aumento da incidência das

transaminases elevadas em doentes a receber a terapêutica concomitante. Tanto a

glibenclamida como bosentano inibem a bomba de saída dos sais biliares, o que pode

explicar as transaminases elevadas. Não se deve utilizar esta associação. Não se

encontram disponíveis dados relativos à interação fármaco-fármaco relativamente às

outras sulfonilureias.

Rifampicina: a coadministração em 9 indivíduos saudáveis, durante 7 dias, de

bosentano 125 mg duas vezes ao dia com rifampicina, um indutor potente de

CYP2C9 e CYP3A4, diminuiu as concentrações plasmáticas de bosentano em 58%, e

esta diminuição pode atingir quase 90% num caso individual. Como resultado, é

esperado

efeito

significativamente

reduzido

bosentano

quando

coadministrado com rifampicina. O uso concomitante de rifampicina e bosentano não

é recomendado. Estão em falta dados sobre outros indutores de CYP3A4, como por

exemplo carbamazepina, fenobarbital, fenitoína e Hipericão, mas é esperado que a

administração

concomitante

conduza

exposição

sistémica

reduzida

bosentano. Não pode ser excluída uma redução clinicamente significativa de eficácia.

Lopinavir+ritonavir (e outros inibidores da protease potenciados pelo ritonavir): a

coadministração de bosentano 125 mg duas vezes por dia e lopinavir+ritonavir

400+100 mg duas vezes por dia durante 9,5 dias em voluntários saudáveis, resultou

vale

inicial

concentrações

plasmáticas

bosentano

foram

aproximadamente 48 vezes superiores àquelas medidas após administração isolada

bosentano.

concentrações

plasmáticas

bosentano

foram

aproximadamente

vezes

superiores

administração

isolada

bosentano. Muito possivelmente, a causa desta interação é a inibição, pelo ritonavir,

do transporte de captação mediado por proteínas para os hepatócitos e do CYP3A4,

reduzindo

assim

depuração

bosentano.

Quando

administrado

concomitantemente

lopinavir+ritonavir,

outros

inibidores

protease

potenciados pelo ritonavir, a tolerabilidade do doente ao bosentano deve ser

monitorizada.

Após coadministração de bosentano durante 9,5 dias, as exposições plasmáticas de

lopinavir e ritonavir diminuíram numa extensão clinicamente não significativa (em

aproximadamente 14% e 17%, respetivamente). No entanto, a indução total pelo

bosentano pode não ter sido atingida e não pode ser excluída uma diminuição

posterior dos inibidores da protease. É recomendada monitorização apropriada da

terapêutica VIH. Seriam esperados efeitos semelhantes com outros inibidores da

protease potenciados pelo ritonavir (ver secção 4.4).

Outros medicamentos antirretrovirais: não se pode fazer qualquer recomendação

específica no que respeita a outros medicamentos antirretrovirais disponíveis devido

à falta de dados. Devido à marcada hepatotoxicidade da nevirapina, que pode

acrescentar toxicidade hepática ao bosentano, esta associação não é recomendada.

Contracetivos hormonais: a coadministração de bosentano 125 mg duas vezes ao

dia, durante 7 dias, com uma dose única de contracetivo oral contendo 1 mg de

noretisterona

etinilestradiol

diminuiu

noretisterona

etinilestradiol em 14% e 31%, respetivamente. No entanto, as diminuições na

exposição foram tanto como 56% e 66%, respetivamente, em sujeitos individuais.

Como tal, contracetivos à base de hormonas por si só, independentemente da via de

APROVADO EM

26-02-2020

INFARMED

administração (tais como formas oral, injetável, transdérmica ou implantável), não

são considerados como métodos de contraceção fiáveis (ver secções 4.4 e 4.6).

Varfarina: a administração concomitante de bosentano em duas doses diárias de 500

mg durante 6 dias reduziu as concentrações plasmáticas tanto de S-varfarina (um

substrato de CYP2C9) como de R-varfarina (um substrato de CYP3A4) em 29% e

respetivamente.

acordo

experiência

clínica,

administração

concomitante de bosentano com varfarina em doentes com hipertensão arterial

pulmonar não causou alterações clinicamente relevantes no INR (International

Normalized Ratio) ou na dose de varfarina (início vs. final dos estudos clínicos). Além

disso, a frequência das alterações da dose de varfarina devidas a alterações no INR

ou devidas a efeitos adversos durante os estudos, foi semelhante em doentes

tratados com bosentano e com placebo. Não é necessário ajustar a dose de varfarina

nem de agentes anticoagulantes orais semelhantes, quando se inicia a administração

bosentano,

recomenda-se

intensificação

monitorização

INR,

especialmente durante o período inicial e o de aumento da titulação.

Sinvastatina: a administração concomitante de bosentano 125 mg duas vezes ao dia

durante 5 dias reduziu as concentrações plasmáticas de sinvastatina (um substrato

CYP3A4)

metabolito

β-hidroxiácido

ativo

46%,

respetivamente. As concentrações plasmáticas de bosentano não foram afetadas

pela

administração

concomitante

sinvastatina.

Deve

considerar-se

monitorização dos níveis de colesterol e o subsequente ajuste da posologia.

Cetoconazol: a administração concomitante, durante 6 dias, de bosentano 62,5 mg

duas vezes ao dia com cetoconazol, um potente inibidor de CYP3A4, provocou o

aumento das concentrações plasmáticas de bosentano para cerca do dobro. Não se

considera necessário ajustar a dose de bosentano. Embora o facto não tenha sido

demonstrado através de estudos in vivo, esperam-se aumentos semelhantes nas

concentrações plasmáticas de bosentano com os outros inibidores potentes de

CYP3A4 (tais como itraconazol ou ritonavir). Contudo, quando combinado com um

inibidor de CYP3A4, os doentes que metabolizam mal com o CYP2C9 correm o risco

de sofrer aumentos das concentrações plasmáticas de bosentano que podem ser de

magnitude superior, culminando assim em efeitos adversos potencialmente nocivos.

Epoprostenol: dados limitados obtidos num estudo (AC-052-356 [BREATHE-3]) em

doentes

pediátricos

receberam,

forma

combinada,

bosentano

epoprostenol indicam que, tanto depois da administração de dose única como de

doses múltiplas, os valores de Cmax e AUC de bosentano foram semelhantes em

doentes com ou sem infusão contínua de epoprostenol (ver secção 5.1).

Sildenafil: a coadministração de bosentano 125 mg duas vezes ao dia (estado

estacionário) com sildenafil 80 mg três vezes ao dia (no estado estacionário),

administrados

concomitantemente

durante

dias,

voluntários

saudáveis,

resultou numa diminuição de 63% na AUC do sildenafil e num aumento de 50% na

AUC do bosentano. Recomenda-se precaução no caso de coadministração.

Tadalafil: bosentano (125 mg duas vezes ao dia) reduziu a exposição sistémica a

tadalafil (40 mg uma vez ao dia) em 42% e a Cmax em 27% após a coadministração

de doses múltiplas. Tadalafil não afetou a exposição (AUC e Cmax) do bosentano ou

respetivos metabolitos.

Leia o documento completo

















Voltar para o conteúdo

Preços Válidos



Nome do Medicamento: Número de Registo:


Preços PVP

Preço (PVP)

Data de Início

Sem preços válidos.






Preços Notificados

Data de Início

Data de Fim

Sem preços válidos.






Preços Válidos

Data de Início

Data de Fim

Sem preços válidos.






Guia e condições de utilização

PTEN

Pesquisa Avançada Detalhes do Medicamento





Detalhes do Medicamento: Bosentano Teva

Medicamento sujeito a monitorização adicional

Resumo das Características do Medicamento

Folheto Informativo

Medidas adicionais de Minimização do Risco



Informação Geral





Substância Ativa/DCI: Bosentano Forma Farmacêutica: Comprimido revestido por película Nome do Medicamento: Bosentano Teva Dosagem: 62.5 mg Titular de AIM: Teva Pharma - Produtos Farmacêuticos, Lda. Genérico: Sim Via(s) de Administração:


Via oral



Grupo de Produto:


Genérico



Número de Processo: DE/H/5675/001 Margem Terapêutica Estreita: Não

Estado





AIM: Autorizado Data: 17/11/2016

Classificação





Classificação Quanto à Dispensa:


MSRM restrita - Alínea b)

Medicamento de receita médica restrita destinado a patologias cujo diagnóstico seja efetuado apenas em meio hospitalar ou estabelecimentos diferenciados com meios de diagnóstico adequados, ainda que a administração e o acompanhamento dos pacientes possam realizar-se fora desses meios



Classificação Estupefaciente: Não se aplica Classificação ATC:


C02KX01 - bosentan



Classificação Farmacoterapêutica:


3.4.6 - Outros



Duração do Tratamento: Longa Duração

Composição Qualitativa e Quantitativa em Substâncias Ativas





Bosentano mono-hidratado - 64.541 mg

Bosentano mono-hidratado - 64.541 mg



Apresentações



4 apresentações

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Previous Next



Blister 14 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692504 CNPEM: 50099868 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C



Blister 56 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692512 CNPEM: 50099876 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C



Blister 56 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692520 CNPEM: 50099876 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C



Blister 112 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692538 CNPEM: 50099884 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Previous Next



Blister 14 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692504 CNPEM: 50099868 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C



Blister 56 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692512 CNPEM: 50099876 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C



Blister 56 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692520 CNPEM: 50099876 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C



Blister 112 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692538 CNPEM: 50099884 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Preços

PVP:

N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação:

fechada

Prazo de Validade:

2 Ano(s)

Temperatura:

inferior a 30°C

Previous Next



Blister 14 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692504 CNPEM: 50099868 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C



Blister 56 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692512 CNPEM: 50099876 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C



Blister 56 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692520 CNPEM: 50099876 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C



Blister 112 unidade(s) Não Comercializado

Número de Registo: 5692538 CNPEM: 50099884 CHNM: 10039140 Dispositivo Segurança: Sim Comparticipação: 0% Grupo Homogéneo: N/A

Preços PVP: N/A


Condições de Armazenamento

Tipo de Apresentação: fechada Prazo de Validade: 2 Ano(s) Temperatura: inferior a 30°C



Documentos para Profissionais de Saúde


Resumo das Características do Medicamento (RCM)


Medidas adicionais de Minimização do Risco (MMR)



Documentos para o Público


Folheto Informativo (FI)


Medidas adicionais de Minimização do Risco (MMR)





A Infomed é a base de dados nacional de medicamentos de uso humano e destina-se a todos os cidadãos.
Para que esta base de dados seja para todos, é fundamental a sua constante evolução. Envie-nos as suas sugestões.

A Infomed é a base de dados nacional de medicamentos de uso humano e destina-se a todos os cidadãos.
Para que esta base de dados seja para todos, é fundamental a sua constante evolução. Envie-nos as suas sugestões.



Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação