Bactotram 1000

Portugal - português - DGAV (Direção Geral de Alimentação e Veterinária)

Compre agora

Ingredientes ativos:
Cloreto de Didecildimetilamónio; Glutaral; Propan-2-ol
Disponível em:
Tecnilac – Técnicas Agro-Industriais, Lda
Código ATC:
1.4
DCI (Denominação Comum Internacional):
Chloride Didecildimetilamónio; Glutaral; Propan-2-ol
Forma farmacêutica:
Solução
Via de administração:
Cloreto de Didecildimetilamónio, Glutaral, Propan-2-ol
Grupo terapêutico:
Cloreto de Didecildimetilamónio, Glutaral, Propan-2-ol
Área terapêutica:
PT 4 - Alimentação e área de alimentação
Resumo do produto:
Embalagem(s) - 1 unidade(s) - 200 Kg 199/00/15NBVPT Autorizado Sim; Embalagem(s) - 1 unidade(s) - 20 Kg 199/00/15NBVPT Autorizado Sim; Embalagem(s) - 1 unidade(s) - 1000 Kg 199/00/15NBVPT Autorizado Sim
Número de autorização:
199/00/15NBVPT

Leia o documento completo

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DSMDS

Última revisão do texto 30 março de 2015

Página 1 de 3

Rotulagem Primária (Embalagens de 20kg, 200kg e 1000kg)

BACTOTRAM 1000

Biocida de Uso Veterinário

Detergente-desinfetante

Produto com amónios quaternários e aldeídos, com atividade bactericida e fungicida,

para desinfeção de superfícies e equipamentos na indústria agro-alimentar.

APLICAÇÕES

USOS:

Uso profissional.

Desinfeção

contacto:

superfícies e

equipamentos. Aplicação exclusivamente por pessoal qualificado.

Utilização por projeção, imersão ou manualmente a uma concentração de 1 a 2% (10

a 20 ml por cada 1L de água). Deixar atuar durante 5 – 15 minutos para actividade

bactericida e fungicida respectivamente. Posteriormente enxaguar abundantemente

com água de forma a remover por completo os resíduos do produto.

MODO

USO:

ficha

técnica.

ANTES

USAR

PRODUTO

LEIA-SE

ATENTAMENTE A ETIQUETA. Cumpre a norma UNE-EN 13.697 em condições de

higiene. Anti-sépticos e desinfectantes químicos. A aplicação do produto na Indústria

agro-alimentar levar-se-á a cabo na ausência de alimentos. Tomar-se-ão todas as

medidas necessárias para que os alimentos, maquinaria ou utensílios que sejam

manipulados nos locais ou instalações tratadas previamente com o mencionado

produto não contenham resíduos de nenhum dos seus componentes. Para isso, dever-

se-á enxaguar devidamente com águas as partes tratadas antes da sua utilização.

Não se deverá misturar com nenhum outro produto químico. Em desinfeção de

contacto: Projeção, lavagem, imersão ou manual com produto previamente diluído em

água de acordo com as concentrações acima mencionadas. Antes da aplicação deste

produto dever-se-á realizar uma limpeza em profundidade. Ventile-se adequadamente

antes

entrar

local

tratado.

Incompatibilidade

produtos

orgânicos,

detergentes aniônicos, hipocloritos derivados de amônia. Incompatível com cromo,

chumbo, alumínio, estanho, zinco e suas ligas (bronze e latão).

ACM n.º 199/00/15NBVPT

Lote:

Prazo de Validade: (12 meses)

Fabricado por: DETERVIC, S.A. (ROESP B-0202-E)

Responsável pela ACM: Tecnilac, Lda

Tecnilac, Lda.

Zona Industrial de Mundão,

Lote 3, 3505-459 Viseu

Tel.: +351 232 920 020

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DSMDS

Última revisão do texto 30 março de 2015

Página 2 de 3

Fax: +351 232 920 029

tecnilac@tecnilac.pt

www.tecnilac.pt

PARA EVITAR RISCOS PARA AS PESSOAS E PARA O MEIO AMBIENTE SIGA AS

INSTRUÇÕES DE USO. H290 Pode ser corrosivo para os metais. H302 Nocivo por

ingestão. H314 Provoca queimaduras na pele e lesões oculares graves. H335 Pode

provocar

irritação

vias

respiratórias

H334

Quando

inalado,

pode

provocar

sintomas de alergia ou de asma ou dificuldades respiratórias. H400 Muito tóxico para

os organismos aquáticos. P280C Usar luvas de proteção, vestuário de proteção e

proteção ocular. P301+P330+P331-P310 EM CASO DE INGESTÃO: Enxaguar a

boca.

NÃO

provocar

vómito.

Contacte

imediatamente

CENTRO

INFORMAÇÃO

ANTIVENENOS

médico.

P303+P361+P353-P352-P312 SE

ENTRAR EM CONTACTO COM A PELE (ou o cabelo): Retirar imediatamente toda a

roupa contaminada. Enxaguar a pele com água/tomar um duche. Lavar com sabonete

água

abundantes.

Caso

sinta

indisposição,

contacte

CENTRO

INFORMAÇÃO ANTIVENENOS ou um médico. P342+P311 Em caso de sintomas

respiratórios:

contacte

CENTRO

INFORMAÇÃO

ANTIVENENOS

médico. P305+P351+P338-P310 SE ENTRAR EM CONTACTO COM OS OLHOS:

Enxaguar cuidadosamente com água durante vários minutos. Se usar lentes de

contacto,

retire-as,

possível.

Continue

enxaguar.

Contacte

imediatamente um

CENTRO

DE INFORMAÇÃO

ANTIVENENOS

médico.

P273-P391-P501a Evitar a libertação para o ambiente. Recolher o produto derramado.

Eliminar o conteúdo/recipiente com todas as precauções possíveis.

RECOMENDAÇÕES PARA CASOS DE INTOXICAÇÃO OU ACIDENTE: A intoxicação

pode provocar: Irritação e queimadura cáustica do tracto respiratório: epistaxe, rinite,

coriza,

tosse,

edema

pulmonar,

dificuldade

respiratória

asma.

irritação

queimadura cáustica do tracto gastrointestinal: náuseas, vómitos, hemorragias, úlceras

e perfuração do estômago e esófago. Danos hepáticos. De irritação a queimadura

cáustica dos olhos, lacrimejo e dermatite alérgica. Cefaleias, palpitações, taquicardia,

hipotensão e depressão do SNC.

Primeiros socorros: Retire a pessoa da zona contaminada. Retire a roupa manchada

ou salpicada. Lave os olhos com água abundante durante pelo menos 15 minutos e

não se esqueça de retirar as lentes, se for o caso. Lavar a pele com água abundante e

sabão, sem friccionar. Em caso de ingestão, não provoque o vómito. Mantenha-se o

paciente em repouso. Conserve a temperatura corporal. Controle a respiração. Se for

necessário, respiração artificial. Se a pessoa estiver inconsciente, acomode-a de lado

com a cabeça mais baixa que o resto do corpo e os joelhos semi-dobrados. Translade

o intoxicado a um centro hospitalar e sempre que seja possível leve a etiqueta ou

embalagem.

NÂO

DEIXE

INTOXICADO

SOZINHO

NENHUMA

CIRCUNSTÂNCIA.

Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DSMDS

Última revisão do texto 30 março de 2015

Página 3 de 3

Armazenagem:

Manter

afastado

fontes

calor.

Não

fumar

área

armazenagem. Se possível, evitar a incidência directa de radiação solar. Para evitar

derrames, os recipientes que forem abertos, devem ser cuidadosamente fechados e

mantidos

posição

vertical.

Devido

a sua natureza corrosiva,

deve prestar-se

extrema cautela na selecção de materiais para bombas, embalagens e linhas. O chão

deve ser impermeável e resistente à corrosão, com um sistema de canais que

permitam a recolha do líquido até uma fossa de neutralização. O equipamento

eléctrico deve estar feito com materiais não oxidantes.

Conselhos terapêuticos: A diluição com água ou leite é apropriada se não há produção

de vómito (adultos de 120-240 ml, crianças não exceder 120 ml). Em caso de

ingestão, valorizar a realização de endoscopia. Contraindicação: Xarope de ipeca.

Tratamento sintomático.

Composição:

glutaral

7,5%

p/p,

cloreto

didecildimetilamónio

7,5%

p/p,

alcool

isopropilico 3,0% p/p, excipientes e solventes q.b.p. 100%.

CASO

ACIDENTE

CONSULTAR

CENTRO

INFORMAÇÃO

ANTI-

VENENOS: 808 250 143

Manter fora do alcance das crianças

PERIGO

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação