Azarga

União Europeia - português - EMA (European Medicines Agency)

Compre agora

Ingredientes ativos:
brinzolamida, timolol maleate
Disponível em:
Novartis Europharm Limited
Código ATC:
S01ED51
DCI (Denominação Comum Internacional):
brinzolamide, timolol
Grupo terapêutico:
Ophthalmologicals,
Área terapêutica:
Glaucoma, Abra-Ângulo, Hipertensão Ocular
Indicações terapêuticas:
Diminuição da pressão intraocular (PIO) em pacientes adultos com glaucoma de ângulo aberto ou hipertensão ocular para quem a monoterapia fornece redução insuficiente de PIO.
Resumo do produto:
Revision: 13
Status de autorização:
Autorizado
Número de autorização:
EMEA/H/C/000960
Data de autorização:
2008-11-25
Código EMEA:
EMEA/H/C/000960

Documentos em outros idiomas

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - búlgaro

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - búlgaro

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - búlgaro

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - espanhol

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - espanhol

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - espanhol

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - tcheco

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - tcheco

17-08-2020

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - dinamarquês

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - dinamarquês

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - dinamarquês

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - alemão

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - alemão

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - alemão

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - estoniano

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - estoniano

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - estoniano

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - grego

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - grego

17-08-2020

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - inglês

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - inglês

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - inglês

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - francês

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - francês

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - francês

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - italiano

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - italiano

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - italiano

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - letão

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - letão

17-08-2020

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - lituano

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - lituano

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - lituano

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - húngaro

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - húngaro

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - húngaro

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - maltês

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - maltês

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - maltês

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - holandês

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - holandês

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - holandês

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - polonês

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - polonês

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - polonês

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - romeno

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - romeno

17-08-2020

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - eslovaco

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - eslovaco

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - eslovaco

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - esloveno

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - esloveno

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - esloveno

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - finlandês

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - finlandês

17-08-2020

Relatório de Avaliação Público Relatório de Avaliação Público - finlandês

27-05-2014

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - sueco

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - sueco

17-08-2020

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - norueguês

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - norueguês

17-08-2020

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - islandês

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - islandês

17-08-2020

Folheto informativo - Bula Folheto informativo - Bula - croata

17-08-2020

Características técnicas Características técnicas - croata

17-08-2020

Leia o documento completo

B. FOLHETO INFORMATIVO

Folheto informativo: Informação para o utilizador

AZARGA 10 mg/ml + 5 mg/ml colírio, suspensão

brinzolamida/timolol

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a utilizar este medicamento, pois contém

informação importante para si.

Conserve este folheto.

Pode ter necessidade de o reler.

Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O medicamento pode

ser lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de doença.

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados

neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Ver secção 4.

O que contém este folheto

O que é AZARGA e para que é utilizado

O que precisa de saber antes de utilizar AZARGA

Como utilizar AZARGA

Efeitos secundários possíveis

Como conservar AZARGA

Conteúdo da embalagem e outras informações

1.

O que é AZARGA e para que é utilizado

O AZARGA contém duas substâncias ativas, a brinzolamida e o timolol, que trabalham em conjunto

para reduzir a pressão no interior do olho.

O AZARGA é utilizado para tratar a pressão elevada dentro do olho, uma doença chamada glaucoma

ou hipertensão ocular, em doentes adultos maiores de 18 anos cuja elevada pressão no olho não pode

ser controlada de forma efetiva apenas com um medicamento.

2.

O que precisa de saber antes de utilizar AZARGA

Não utilize AZARGA

Se tem alergia à brinzolamida, a medicamentos que sejam sulfonamidas (por exemplo:

medicamentos usados para tratar diabetes, infeções e medicamentos diuréticos), ao timolol, a

bloqueadores beta (medicamentos utilizados para tratar baixa pressão sanguínea ou doenças

cardíacas) ou a qualquer outro componente deste medicamento (indicados na secção 6).

Se tem ou teve no passado problemas respiratórios

,

tais como asma, bronquite obstrutiva

crónica prolongada (doença pulmonar grave que pode causar pieira, dificuldade em respirar e/ou

tosse persistente) ou outro tipo de problemas em respirar.

Se sofrer de febre dos fenos

Se tem um ritmo cardíaco baixo, insuficiência cardíaca ou outros distúrbios do ritmo cardíaco

(batimento cardíaco irregular).

Se tem demasiada acidez no sangue (uma patologia chamada acidose hiperclorémica).

Se tem problemas graves nos rins.

Advertências e Precauções

Apenas utilize AZARGA nos olhos.

Se tiver sinais de reações graves ou de hipersensibilidade, descontinue a utilização deste produto e fale

com o seu médico.

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de utilizar o AZARGA, se tem ou teve no passado:

Doença cardíaca coronária (os sintomas podem incluir dor ou aperto no peito, falta de ar ou

asfixia), insuficiência cardíaca, pressão arterial baixa

Perturbações do ritmo cardíaco tais como ritmo cardíaco lento

Problemas respiratórios, asma ou doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC)

Doenças de má circulação sanguínea (tais como doença de Raynaud ou sindroma de Raynaud)

Diabetes, uma vez que o timolol pode mascarar os sintomas da diminuição de açúcar no sangue

Hiperactividade da glândula tiróide, uma vez que o timolol pode mascarar sinais e sintomas de

doenças da tiróide.

Fraqueza muscular (miastenia gravis)

Informe o seu médico de que está a utilizar AZARGA, antes de ser sujeito a uma cirurgia, uma

vez que o timolol pode alterar os efeitos de alguns medicamentos durante a anestesia

se tiver história de atopia (tendência para desenvolver reações alérgicas) e reações alérgicas

graves poderá ser mais sensível a desenvolver uma reação alérgica com a utilização de

AZARGA. e a adrenalina poderá não ser tão eficaz no tratamento da reação alérgica. Quando

receber quaisquer outros tratamentos, informe o seu médico ou enfermeiro que está a utilizar o

AZARGA.

se tem problemas de fígado.

se tem olhos secos ou problemas na córnea.

se tiver problemas renais.

Crianças e Adolescentes

O AZARGA não é recomendado a crianças e adolescentes com menos de 18 anos.

Outros medicamentos e AZARGA

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, tiver tomado recentemente ou se vier a

tomar outros medicamentos.

O AZARGA pode afetar ou ser afetado por outros medicamentos que esteja a utilizar, incluindo outros

colírios para o tratamento do glaucoma. Informe o seu médico se estiver a utilizar ou pretender utilizar

medicamentos para baixar a tensão arterial, como parassimpaticomiméticos e guanetidina, ou outros

medicamentos para o coração, incluindo quinidina (usada para tratar doenças do coração e alguns tipos

de malária), amiodarona ou outros medicamentos usados para tratar arritmias e glicósidos para o

tratamento da insuficiência cardíaca. Informe também o seu médico se está a tomar ou pretender tomar

medicamentos para tratar a diabetes ou para tratar úlceras gástricas, medicamentos antifúngicos,

antivirais ou antibióticos, ou antidepressivos como a fluoxetina e a paroxetina.

Se está a tomar outros inibidores da anidrase carbónica (acetazolamida ou dorzolamida), informe o seu

médico.

Ocasionalmente foram reportados casos do aumento do tamanho da pupila em casos de utilização de

Azarga e adrenalina (epinefrina).

Gravidez e aleitamento

Não deve utilizar o AZARGA se está grávida ou se pode vir a engravidar, exceto se o seu médico

considerar necessário. Fale com o seu médico antes de utilizar o AZARGA.

Não utilize AZARGA se estiver a amamentar, o timolol pode passar para o seu leite.

Consulte o seu médico antes de utilizar qualquer medicamento, enquanto estiver a amamentar.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Não conduza nem utilize máquinas até que a sua visão fique nítida. Após a administração do

AZARGA poderá sentir a visão turva durante algum tempo.

Um dos componentes ativos pode comprometer a capacidade de realizar tarefas que requeiram

agilidade mental e/ou coordenação motora. Caso tal aconteça, tome cuidado ao conduzir ou utilizar

máquinas.

AZARGA contém cloreto de benzalcónio

Este medicamento contém 3,35 µg de cloreto de benzalcónio por gota (=1 dose) o que equivale a

0,01% ou 0,1 mg/ml.

AZARGA contém um conservante (cloreto de benzalcónio) pode ser absorvido pelas lentes de

contacto moles e pode alterar a cor das lentes de contacto. Deve remover as lentes de contacto antes da

utilização deste medicamento e voltar a colocá-las 15 minutos depois. Cloreto de benzalcónio também

pode causar irritação nos olhos, especialmente se tem os olhos secos ou alterações da córnea (a

camada transparente na frente do olho). Se sentir uma sensação estranha no olho, picadas ou dor no

olho após utilizar este medicamento, fale com o seu médico.

3.

Como utilizar AZARGA

Utilize este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico ou farmacêutico. Fale com o seu

médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Se está a trocar de outro colírio utilizado no tratamento de glaucoma para o AZARGA, deverá parar de

utilizar o outro medicamento e começar a utilizar o AZARGA no dia seguinte. Fale com o seu médico

ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Para prevenir contaminações do conta-gotas e da suspensão, tenha cuidado para não tocar com o

aplicador na pálpebra, nas zonas circundantes ou outras superfícies. Mantenha o frasco bem fechado

quando não tiver a utilizar.

As medidas seguintes são úteis para limitar a quantidade de medicamento que entra na corrente

sanguínea após a aplicação do colírio:

Mantenha a pálpebra fechada enquanto simultaneamente aplica uma leve pressão no canto do

olho junto ao nariz com o dedo durante pelo menos 2 minutos.

A dose recomendada é

Uma gota no olho(s) afetado(s), duas vezes ao dia.

Utilize o AZARGA em ambos os olhos, apenas se o seu médico o indicar. Utilize

-

o durante o tempo

indicado pelo seu médico.

Como utilizar

Pegue no frasco de AZARGA e num espelho.

Lave as mãos.

Agite bem antes da utilização.

Desenrosque a tampa do frasco. Se após retirar a tampa, o selo de proteção estiver solto, retire-o

antes de utilizar o produto.

Segure o frasco, virado para baixo, entre o polegar e os dedos.

Incline a cabeça para trás. Com um dedo limpo puxe a pálpebra inferior para baixo até que se

forme uma ‘bolsa’ entre a pálpebra e o olho. A gota cairá aqui (figura 1).

Aproxime o conta-gotas do olho. Utilize o espelho se ajudar.

Não toque no olho ou na pálpebra, zonas circundantes ou outras superfícies com o conta-gotas.

Poderá infetar as gotas.

Pressione levemente a base do frasco para libertar uma gota de AZARGA de cada vez.

Não aperte o frasco: este foi concebido para que uma suave pressão na base do frasco seja

suficiente para libertar uma gota (figura 2).

Após aplicar o AZARGA, pressione o canto interior do olho com o dedo, junto ao nariz durante

2 minutos. (figura 3). Desta forma, evitará que o AZARGA passe para o resto do corpo.

Se estiver a utilizar as gotas em ambos os olhos, repita os passos descritos para o outro olho.

Feche bem o frasco imediatamente após a utilização.

Use um frasco até ao fim antes de abrir o próximo.

Se não acertar com a gota no olho,

tente de novo.

Se estiver a utilizar outro colírio,

aguarde pelo menos 5 minutos entre a aplicação de AZARGA e das

outras gotas. As pomadas oftálmicas devem ser aplicadas em último lugar.

Se utilizou mais AZARGA do que devia,

lave o olho com água tépida. Não coloque mais gotas até à

hora da próxima dose.

Neste caso, pode ocorrer uma diminuição do ritmo cardíaco, diminuição da pressão arterial,

insuficiência cardíaca, dificuldades em respirar e ainda afetar o seu sistema nervoso.

Caso se tenha esquecido de utilizar AZARGA,

continue com a dose seguinte como previsto.

Não

faça

uma segunda administração para compensar a dose esquecida.

Não aplique

mais de uma gota

no(s) olho(s) afetado(s) duas vezes ao dia.

Se parar de utilizar AZARGA

sem falar com o seu médico, a pressão no seu olho não estará

controlada, o que pode originar perda de visão.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou

farmacêutico.

4.

Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários, embora estes não se

manifestem em todas as pessoas.

Pare de utilizar este medicamento e contacte o seu médico imediatamente

se desenvolver erupção

cutânea, reações cutâneas graves ou vermelhidão intensa e comichão no olho. Estes podem ser sinais

de uma reação alérgica (a frequência desta é desconhecida).

Pode continuar a aplicar as gotas, exceto se os efeitos forem graves. Se estiver preocupado, fale com o

seu médico ou farmacêutico. Não deixe de utilizar AZARGA sem falar com o seu médico.

Efeitos secundários frequentes

(podem afetar até 1 em 10 utilizadores)

Efeitos oculares:

inflamação da superfície ocular, visão turva, sinais e sintomas de irritação

ocular (ex: sensação de queimadura, picadas, comichão, lacrimejo e vermelhidão), dor ocular.

Efeitos secundários gerais:

diminuição da frequência cardíaca

.

perturbações do paladar

Efeitos secundários pouco frequentes

(podem afetar até 1 em 100 utilizadores)

Efeitos oculares:

erosão da córnea (lesão na camada frontal do globo ocular), inflamação da

superfície ocular com danos da superfície, inflamação ocular, coloração da córnea, sensação

anormal no olho, descarga ocular, olho seco, olhos cansados, comichão ocular, vermelhidão

ocular, vermelhidão da pálpebra

Efeitos secundários gerais:

diminuição na contagem de células brancas, tensão arterial

diminuída, tosse, sangue na urina, fraqueza corporal.

Efeitos secundários raros

(podem afetar até 1 em 1.000 utilizadores)

Efeitos oculares:

afeção

da córnea, sensibilidade à luz, aumento do lacrimejo, encrostramento

da pálpebra

Efeitos secundários gerais:

dificuldade em dormir (insónia), dor de garganta, corrimento nasal

Efeitos secundários desconhecidos (

a frequência não pode ser estimada através dos dados

disponíveis

Efeitos oculares:

alergia ocular, perturbações visuais, lesões do nervo ótico, aumento da

pressão no interior do olho, depósitos na superfície do olho, diminuição da sensibilidade ocular,

inflamação ou infeção da conjuntiva (parte branca do olho), visão anormal, dupla ou reduzida,

aumento da pigmentação ocular, crescimento na superfície ocular, inchaço ocular, sensibilidade

à luz, diminuição do crescimento ou do número de pestanas, prostração das pálpebras superiores

(deixando o lho meio fechado), inflamação da pálpebra e das glândulas palpebrais, inflamação

da córnea e descolamento da camada inferior da retina que contém os vasos sanguíneos após

filtração cirúrgica, o que pode causar perturbações da visão, diminuição da sensibilidade da

córnea.

Coração e circulação:

alterações no ritmo cardíaco ou frequência do batimento cardíaco,

frequência cardíaco lenta, palpitações, um tipo de doença do ritmo cardíaco, aumento anormal

do ritmo cardíaco, dor no peito, redução da função cardíaca, ataque cardíaco, pressão sanguínea

aumentada, aporte( transporte) de sangue para o cérebro reduzido, acidente vascular cerebral,

edema (retenção de líquidos), insuficiência cardíaca congestiva (doença cardíaca com falta de ar

e inchaço dos pés e pernas devido a retenção de líquidos), inchaço das extremidades, pressão

arterial baixa, descoloração dos dedos das mãos e dos pés e, por vezes, de outras zonas do corpo

(fenómeno de Raynaud), mãos e pés frios

Respiratórios:

Constrição das vias pulmonares (predominantemente em doentes com doença

pré-existente)

falta de ar ou dificuldade em respirar, sintomas de resfriado, congestão no peito,

infeção dos seios nasais, espirros, nariz entupido, nariz seco, hemorragias nasais, asma, irritação

da garganta.

Sistema nervoso e perturbações gerais:

alucinações, depressão, pesadelos, perda de memória,

dor de cabeça, nervosismo, irritabilidade, cansaço, tremores, sensação anormal, desmaio,

tonturas, sonolência, fraqueza grave ou generalizada, sensação estranha de picadas.

Gástricos:

náuseas, vómitos, diarreia, flatulência ou desconforto abdominal, inflamação da

garganta, secura ou sensação anormal na boca, indigestão, dor no estômago.

Sangue:

valores anormais da função hepática, aumento dos níveis de cloro no sangue, ou

diminuição do número de glóbulos vermelhos nos testes sanguíneos.

Alergia:

aumento dos

sintomas alérgicos, reações alérgicas generalizadas incluindo inchaço

debaixo da pele que pode ocorrer em áreas tais como a cara e membros e pode obstruir as vias

aéreas podendo causar dificuldade em engolir ou respirar, urticária, erupção na pele localizada

ou generalizada, prurido, reação alérgica grave súbita e com risco de vida.

Ouvido:

zumbidos nos ouvidos, sensação de girar ou tonturas.

Pele:

erupção na pele, vermelhidão na pele ou inflamação, sensibilidade cutânea anormal ou

diminuída, queda de cabelo, erupção na pele com aspeto branco prateado (erupção de tipo

psoríase) ou agravamento da psoríase.

Muscular:

dor generalizada nas costas, nas articulações ou nos músculos não provocada por

exercício, espasmos musculares, dor nas extremidades, fraqueza/cansaço muscular, aumento dos

sinais e sintomas de miastenia gravis (doença muscular).

Rim:

dor no rim tal como dor no fundo das costas, micção frequente.

Reprodução: disfunção sexual,

líbido diminuído, dificuldade sexual masculina.

Metabolismo:

níveis de açúcar baixos no sangue.

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste

folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá comunicar efeitos secundários

diretamente através do sistema nacional de notificação mencionado no Apêndice V. Ao comunicar

efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento.

5.

Como conservar AZARGA

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso no frasco e na embalagem após EXP.

O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Este medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Para evitar infeções,

deite fora o frasco 4 semanas após a primeira abertura

e utilize um frasco

novo. Escreva a data de abertura no rótulo do frasco e da embalagem, no espaço indicado.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu

farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger

o ambiente.

6.

Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de AZARGA

As substâncias ativas são a brinzolamida e o timolol. Um ml de suspensão contém 10 mg de

brinzolamida e 5 mg de timolol (como maleato).

Os outros componentes são

cloreto de benzalcónio (ver secção 2 “AZARGA contém cloreto de

benzalcónio), carbómero 974P, edetato dissódico, manitol (E421), água purificada, cloreto de

sódio, tiloxapol, ácido clorídrico e/ou hidróxido de sódio.

São adicionadas pequenas quantidades de ácido clorídrico e/ou hidróxido de sódio para manter

os níveis de acidez (níveis de pH) normais.

Qual o aspeto de AZARGA e conteúdo da embalagem

O AZARGA é um líquido (suspensão uniforme de cor branca a quase branca) fornecido numa

embalagem que contém um frasco plástico de 5 ml com uma tampa de rosca ou numa embalagem com

três frascos de 5 ml. É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Novartis Europharm Limited

Vista Building

Elm Park, Merrion Road

Dublin 4

Irlanda

Fabricante

S.A. Alcon-Couvreur N.V

Rijksweg 14

B-2870 Puurs

Bélgica

Fabricante

Alcon Cusí S.A.

Camil Fabra 58

08320 El Masnou (Barcelona)

Espanha

Para quaisquer informações sobre este medicamento, queira contactar o representante local do Titular

de Autorização de Introdução no Mercado:

België/Belgique/Belgien

Novartis Pharma N.V.

Tél/Tel: +32 2 246 16 11

Lietuva

SIA Novartis Baltics Lietuvos filialas

Tel: +370 5 269 16 50

България

Novartis Bulgaria EOOD

Тел.: +359 2 489 98 28

Luxembourg/Luxemburg

Novartis Pharma N.V.

Tél/Tel: +32 2 246 16 11

Česká republika

Novartis s.r.o.

Tel: +420 225 775 111

Magyarország

Novartis Hungária Kft.

Tel.: +36 1 457 65 00

Danmark

Novartis Healthcare A/S

Tlf: +45 39 16 84 00

Malta

Novartis Pharma Services Inc.

Tel: +356 2122 2872

Deutschland

Novartis Pharma GmbH

Tel: +49 911 273 0

Nederland

Novartis Pharma B.V.

Tel: +31 88 04 52 111

Eesti

SIA Novartis Baltics Eesti filiaal

Tel: +372 66 30 810

Norge

Novartis Norge AS

Tlf: +47 23 05 20 00

Ελλάδα

Novartis (Hellas) A.E.B.E.

Τηλ: +30 210 281 17 12

Österreich

Novartis Pharma GmbH

Tel: +43 1 86 6570

España

Novartis Farmacéutica, S.A.

Tel: +34 93 306 42 00

Polska

Novartis Poland Sp. z o.o.

Tel.: +48 22 375 4888

France

Novartis Pharma S.A.S.

Tél: +33 1 55 47 66 00

Portugal

Novartis Farma - Produtos Farmacêuticos, S.A.

Tel: +351 21 000 8600

Hrvatska

Novartis Hrvatska d.o.o.

Tel. +385 1 6274 220

România

Novartis Pharma Services Romania SRL

Tel: +40 21 31299 01

Ireland

Novartis Ireland Limited

Tel: +353 1 260 12 55

Slovenija

Novartis Pharma Services Inc.

Tel: +386 1 300 75 50

Ísland

Vistor hf.

Sími: +354 535 7000

Slovenská republika

Novartis Slovakia s.r.o.

Tel: + 421 2 5542 5439

Italia

Novartis Farma S.p.A.

Tel: +39 02 96 54 1

Suomi/Finland

Novartis Finland Oy

Puh/Tel: +358 (0)10 6133 200

Κύπρος

Novartis Pharma Services Inc.

Τηλ: +357 22 690 690

Sverige

Novartis Sverige AB

Tel: +46 8 732 32 00

Latvija

SIA Novartis Baltics

Tel: +371 67 887 070

United Kingdom

Novartis Pharmaceuticals UK Ltd.

Tel: +44 1276 698370

Este folheto foi revisto pela última vez em

Outras fontes de informação

Está disponível informação pormenorizada sobre este medicamento no sítio da internet da Agência

Europeia de Medicamentos: http://www.ema.europa.eu

Leia o documento completo

ANEXO I

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1.

NOME DO MEDICAMENTO

AZARGA 10 mg/ml + 5 mg/ml colírio, suspensão

2.

COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Um ml de suspensão contém 10 mg de brinzolamida e 5 mg de timolol (na forma de maleato de

timolol).

Excipiente com efeito conhecido

Um ml de suspensão contém 0,10 mg de cloreto de benzalcónio.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3.

FORMA FARMACÊUTICA

Colírio, suspensão (colírio).

Suspensão uniforme de cor branca ou quase branca, pH 7,2 (aproximadamente).

4.

INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1

Indicações terapêuticas

Redução da pressão intraocular (PIO) em doentes adultos com glaucoma de ângulo aberto ou

hipertensão ocular para os quais a monoterapia proporciona uma redução insuficiente da PIO (ver

secção 5.1).

4.2

Posologia e modo de administração

Posologia

Utilização em adultos, incluindo idosos

A dose é uma gota de AZARGA no saco conjuntival do(s) olho(s) afetado(s), duas vezes por dia.

Se se fizer oclusão nasolacrimal ou fechar as pálpebras, a absorção sistémica é reduzida. Isto pode

resultar numa diminuição dos efeitos secundários sistémicos e num aumento da atividade local (ver

secção 4.4).

Se se esquecer de uma das aplicações, o tratamento deve continuar com a administração seguinte

como planeado. A dose diária não deve exceder uma gota em cada olho afetado duas vezes por dia.

Aquando da substituição de outro medicamento antiglaucomatoso oftálmico pelo AZARGA, deve

descontinuar-se o outro medicamento e iniciado o AZARGA no dia seguinte.

Populações especiais

População pediátrica

A segurança e eficácia de AZARGA em crianças e adolescentes dos 0 aos 18 anos não foi ainda

estabelecida. Não existem dados disponíveis.

Compromisso renal ou hepático

Não foram realizados estudos com AZARGA ou com timolol 5 mg/ml colírio em doentes com

compromisso renal ou hepático. Não é necessário ajustar a dose em doentes com compromisso

hepático ou em doentes com compromisso renal.

O AZARGA não foi estudado em doentes com insuficiência renal grave (depuração da

creatinina <30 ml/min) ou em doentes com acidose hiperclorémica (ver secção 4.3). Uma vez que a

brinzolamida e o seu principal metabolito são predominantemente excretados pelo rim, o uso de

AZARGA está contra indicado em doentes com insuficiência renal grave (ver secção 4.3).

AZARGA deve ser utilizado com precaução em doentes com insuficiência hepática grave (ver

secção 4.4).

Modo de administração

Para uso ocular.

Os doentes devem ser instruídos para agitar bem o frasco antes da utilização. Se após retirar a tampa, o

selo de proteção estiver solto, este deve ser retirado antes de utilizar o produto.

Para evitar a contaminação do conta-gotas ou da suspensão, devem ser tomadas as devidas precauções

para que a ponta do conta-gotas não toque nas pálpebras, zonas circundantes ou outras superfícies.

Instruir os doentes que o frasco deve ficar bem fechado quando não estiver a ser utilizado.

Se estiver a ser utilizado mais de um medicamento oftalmológico tópico, os medicamentos devem ser

administrados com um intervalo de, pelo menos, 5 minutos. Pomadas oftalmológicas devem ser

administradas em último lugar.

4.3

Contraindicações

Hipersensibilidade às substâncias ativas ou a qualquer um dos excipientes mencionados na

secção 6.1.

Hipersensibilidade a outros bloqueadores beta

Hipersensibilidade a sulfonamidas (ver secção 4.4.)

Doenças reativa das vias respiratórias incluindo bronquite asmática, história de bronquite

asmática ou doença pulmonar obstrutiva crónica grave.

Bradicardia sinusal, síndroma do nódulo sinusal, bloqueio sino-atrial, bloqueio atrioventricular

de segundo ou terceiro grau não controlado com pacemaker, insuficiência cardíaca manifesta,

choque cardiogénico

Rinite alérgica

Acidose hiperclorémica (ver secção 4.2).

Insuficiência renal grave.

4.4

Advertências e precauções especiais de utilização

Efeitos sistémicos

A brinzolamida e o timolol são absorvidos por via sistémica. Devido à componente bloqueadora

beta-adrenérgica do timolol, podem ocorrer o mesmo tipo de reações adversas cardiovasculares,

pulmonares e outras que se verificam com os bloqueadores beta-adrenérgicos sistémicos. A

incidência de reações adversas após a administração tópica oftálmica é inferior à que se verifica

para a administração sistémica. Para reduzir a absorção sistémica, ver secção 4.2.

Reações de hipersensibilidade comuns a todos os derivados de sulfonamidas podem ocorrer em

doentes tratados com AZARGA visto este ser absorvido via sistémica.

Cardiopatias

Em doentes com patologias cardiovasculares (ex: doença coronária, angina de Prinzmetal e

insuficiência cardíaca) e hipotensão, a terapêutica com bloqueadores beta deve ser criteriosamente

avaliada e deve ser considerada a terapêutica com outras substâncias. Doentes com patologias

cardiovasculares devem ser monitorizados relativamente a sinais de deterioração dessas patologias e a

reações adversas.

Devido ao seu efeito negativo no tempo de condução, os bloqueadores beta devem apenas ser

administrados com precaução a doentes com bloqueio cardíaco

Vasculopatias

Doentes com perturbações/patologias circulatórias periféricas graves (i.e. formas graves de doença de

Raynaud ou síndroma de Raynaud) devem ser tratados com precaução.

Hipertiroidismo

Os bloqueadores beta podem também mascarar os sinais de hipertiroidismo.

Fraqueza Muscular

Os bloqueadores beta adrenérgicos tem sido reportados como potenciadores de fraqueza muscular,

consistente com sintomas de miastenia (p.e diplopia, ptose e fraqueza generalizada).

Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino

Foram reportadas reações respiratórias, incluindo morte por broncospasmo, em doentes com asma

após a administração de alguns bloqueadores beta. AZARGA deve ser utilizado com precaução em

doentes com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) e apenas se o potencial benefício superar o

potencial risco.

Doenças endócrinas

Os bloqueadores beta devem ser administrados com precaução em doentes com hipoglicemia

espontânea ou em doentes com diabetes lábil, uma vez que os bloqueadores beta mascaram os sinais e

sintomas de hipoglicemia aguda.

Doenças do metabolismo e da nutrição

O AZARGA contém brinzolamida, uma sulfonamida. O mesmo tipo de reações adversas atribuíveis às

sulfonamidas podem ocorrer com a administração tópica. Têm sido registados desequilíbrios

ácido-base com inibidores da anidrase carbónica orais. Este medicamento deve ser utilizado com

precaução em doentes em risco de insuficiência renal devido ao risco de acidose metabólica. Se

ocorrerem sinais de reações graves ou de hipersensibilidade, descontinuar a utilização deste

medicamento.

Doenças do sistema nervoso

Os inibidores da anidrase carbónica podem comprometer a capacidade de desempenhar tarefas que

requeiram agilidade mental e /ou coordenação física nos doentes idosos. AZARGA é absorvido por

via sistémica pelo que se podem verificar estes efeitos com a aplicação tópica.

Doenças do sistema imunitário

Durante o tratamento com bloqueadores beta, os doentes com história de atopia ou história de reação

anafilática grave a vários alergenos podem ser mais reativos à exposição repetida a alguns alérgenos e

não responder às doses habituais de adrenalina utilizadas no tratamento de reações anafiláticas.

Descolamento da coroide

Foi reportado o descolamento da coroide com a administração de terapêutica de supressão aquosa

(timolol, acetazolamida) após procedimentos de filtração.

Procedimentos cirúrgicos e médicos

As preparações oftalmológicas contendo bloqueadores bete podem bloquear os efeitos agonistas beta,

por exemplo da adrenalina. O anestesista deve ser informado quando o doente estiver a ser tratado

com timolol.

Terapia Concomitante

O efeito sobre a pressão intraocular ou os efeitos conhecidos dos bloqueadores beta sistémicos podem

ser potenciados quando o timolol é administrado a doentes já tratados com um agente bloqueador beta

sistémico. A resposta desses doentes deve ser rigorosamente monitorizada. Não se recomenda a

utilização de dois agentes bloqueadores beta-adrenérgicos tópicos ou de dois inibidores locais da

anidrase carbónica (ver secção 4.5.)

Existe potencial para um efeito aditivo sobre o conhecido efeito sistémico da inibição da anidrase

carbónica em doentes tratados com um inibidor da anidrade carbónica por via oral e AZARGA. A

administração concomitante de AZARGA e inibidores da anidrase carbónica por via oral não foi

estudada, pelo que não é recomendada. (ver secção 4.5.).

Afeções oculares

A experiência no tratamento de doentes com glaucoma pseudoesfoliativo ou glaucoma pigmentar com

AZARGA é limitada. O tratamento destes doentes deve ser feito com precaução e é recomendável

uma estreita monitorização da PIO.

O AZARGA não foi estudado em doentes com glaucoma de ângulo estreito e o seu uso não é

recomendado nestes doentes.

Os bloqueadores beta oftálmicos podem induzir secura dos olhos. Doentes com patologias da córnea

devem ser tratados com precaução.

O possível papel da brinzolamida na função endotelial da córnea não foi investigado em doentes com

córneas comprometidas (particularmente em doentes com um número de células endoteliais reduzido).

Especificamente, não foram estudados doentes utilizadores de lentes de contacto e recomenda-se uma

monitorização cuidadosa destes doentes quando utilizada a brinzolamida, uma vez que os inibidores da

anidrase carbónica podem afetar a hidratação da córnea. Isto pode levar a uma descompensação da

córnea e edema e a utilização de lentes de contacto pode aumentar o risco para a córnea.

Recomenda-se ainda a monitorização cuidadosa de doentes com córneas comprometidas, como por

exemplo, doentes com diabetes

mellitus

ou distrofias da córnea.

AZARGA pode ser utilizado em doentes que usam de lentes de contacto desde que seja

cuidadosamente monitorizado (ver secção “Cloreto de Benzalcónio”).

Cloreto de Benzalcónio

O AZARGA contém cloreto de benzalcónio, que pode provocar irritação ocular e é conhecido por

alterar a coloração das lentes de contacto hidrófilas. O contacto com as lentes hidrófilas deve ser

evitado. Os doentes devem ser informados de que devem retirar as lentes de contacto antes da

instilação do AZARGA e aguardar 15 minutos após a aplicação antes da sua reinserção.

O cloreto de benzalcónio tem sido associado a casos de queratopatia punctata e/ou queratopatia

ulcerativa tóxica. Recomenda-se uma monitorização cuidadosa dos doentes quando a sua utilização é

frequente ou prolongada.

Insuficiência hepática

O AZARGA deve ser usado com precaução em doentes com insuficiência hepática grave.

4.5

Interações medicamentosas e outras formas de interação

Não foram realizados estudos específicos de interação com o AZARGA.

O AZARGA contém brinzolamida, um inibidor da anidrase carbónica que, embora administrado por

via tópica, apresenta absorção sistémica. Têm sido registados desequilíbrios ácido-base com inibidores

orais da anidrase carbónica. Deve considerar-se a possibilidade de interações em doentes medicados

com AZARGA.

Existe um potencial efeito aditivo do conhecido efeito sistémico da inibição da anidrase carbónica em

doentes medicados com inibidores orais da anidrase carbónica e com colírios com brinzolamida. A

administração concomitante de colírios com brinzolamida e inibidores orais da anidrase carbónica não

é recomendada.

As isozimas do citocromo P450 responsáveis pelo metabolismo da brinzolamida incluem o

CYP3A4 (principal), o CYP2A6, o CYP2B6, o CYP2C8 e o CYP2C9. É de esperar que os inibidores

do CYP3A4, tais como o cetoconazol, o itraconazol, o clotrimazol, o ritonavir e a troleandomicina,

inibam o metabolismo da brinzolamida pelo CYP3A4. Aconselha-se precaução se forem

administrados concomitantemente os inibidores do CYP3A4. No entanto, a acumulação da

brinzolamida é improvável uma vez que a eliminação renal é a principal via de eliminação. A

brinzolamida não é um inibidor das isozimas do citocromo P-450.

Existe um potencial para efeitos aditivos resultando em hipotensão e/ou bradicardia acentuada quando

soluções oftálmicas contendo bloqueadores beta são administradas concomitantemente com

bloqueadores dos canais de cálcio, agentes bloqueadores beta adrenérgicos, antiarrítmicos (incluindo

amiodarona), glicosidos digitálicos, parassimpaticomiméticos, guanetidina administrados por via oral.

Os bloqueadores beta podem diminuir a resposta à adrenalina utilizada no tratamento de reações

anafiláticas. Em doentes com história clinica de atopias ou anafilaxias é necessária um precaução

adicional (ver secção 4.4).

A reação hipertensiva após a suspensão súbita da clonidina pode ser potenciada quando se

administram bloqueadores beta. Recomenda-se precaução no uso concomitante deste medicamento

com clonidina.

Foi registado um beta-bloqueamento sistémico potenciado (ex. frequência cardíaca diminuída,

depressão) durante o tratamento combinado entre inibidores CYP2D6 (ex., quinidina, fluoxetina,

paroxetina) e o timolol. É recomendada precaução.

Os bloqueadores beta podem aumentar o efeito de hipoglicemia dos agentes antidiabéticos. Os

bloqueadores beta podem camuflar os sinais e sintomas da hipoglicemia (ver secção 4.4).

Foi ocasionalmente notificada midríase resultante do uso concomitante de soluções oftálmicas

contento bloqueadores beta e adrenalina (epinefrina).

4.6

Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

Não existem dados adequados sobre o uso de brinzolamida ou timolol na mulher grávida. Estudos em

animais com administração sistémica de brinzolamida mostraram toxicidade reprodutiva, ver

secção 5.3. AZARGA não deve ser usado durante a gravidez exceto se for estritamente necessário.

Para reduzir a absorção sistémica, ver secção 4.2.

Estudos epidemiológicos não revelaram efeitos de malformação mas demonstram um risco de atraso

no crescimento intrauterino quando se administram bloqueadores beta por via oral. Adicionalmente,

observaram-se sinais e sintomas de bloqueio beta (ex: bradicardia, hipotensão, dificuldade respiratória

e hipoglicémia) em recém-nascidos quando se administraram bloqueadores beta até ao parto. Se se

administrar AZARGA até ao parto, o recém-nascido deve ser rigorosamente monitorizado durante os

primeiros dias de vida.

Amamentação

Desconhece-se se a brinzolamida oftálmica é excretada no leite materno humano. Estudos em animais

revelaram que a administração oral de brinzolamida leva à excreção de brinzolamida no leite materno,

ver secção 5.3.

Os bloqueadores beta são excretados no leite materno. No entanto, com a dose terapêutica de timolol

presente no colírio não é provável que esteja presente no leite materno timolol em quantidade

suficiente para provocar sintomas clínicos de bloqueio beta no lactente. Para reduzir a absorção

sistémica, ver secção 4.2.

Contudo, o risco para o lactente não pode ser excluído. A decisão de descontinuar a amamentação ou

de descontinuar o tratamento com AZARGA deverá ter em conta o benefício da amamentação para a

criança e o benefício do tratamento para a mulher.

Fertilidade

Não foram feitos estudos para avaliar o efeito tópico da administração ocular do Azarga na fertilidade

humana.

Os dados não clínicos não demonstram quaisquer efeitos da brinzolamida ou do timolol na fertilidade

masculina ou feminina após tomas orais. Não se prevê a ocorrência de efeitos na fertilidade masculina

ou feminina devido à utilização de AZARGA.

4.7

Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Os efeitos de AZARGA sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas são reduzidos.

Turvação transitória da visão ou outras perturbações visuais podem afetar a capacidade de conduzir ou

utilizar máquinas. Se no momento da instilação ocorrer uma turvação da visão, o doente deve aguardar

até que a visão clareie antes de conduzir ou utilizar máquinas.

Os inibidores da anidrase carbónica podem comprometer a capacidade de realizar tarefas que

requeiram agilidade mental e/ou coordenação motora (ver secção 4.4).

4.8

Efeitos indesejáveis

Resumo do perfil de segurança

Nos ensaios clínicos, as reações adversas mais comuns foram turvação da visão, irritação ocular e dor

ocular, ocorrendo em aproximadamente 2 a 7% dos doentes.

Tabela resumo das reações adversas

As reações adversas que se seguem foram reportadas durante ensaios clínicos e em vigilância pós

comercialização com AZARGA e com os componentes individuais brinzolamida e timolol. Estas

encontram-se classificadas de acordo com a seguinte convenção: muito frequentes (≥1/10), frequentes

(≥1/100 a <1/10), pouco frequentes (≥1/1.000 a <1/100), raras (≥1/10.000 a <1/1.000), muito raras

(<1/10.000), ou desconhecido (a frequência não pode ser determinada com base nos dados

disponíveis). Dentro de cada grupo de frequência, as reações adversas são apresentadas por ordem

decrescente de gravidade.

Classificação por Sistema

de Órgãos

Termo Preferencial MedDRA (v. 18.0)

Infeções e infestações

Desconhecidas: nasofaringite

, faringite

, sinusite

, rinite

Doenças do sangue e do

sistema linfático

Pouco Frequentes: diminuição da contagem das células brancas

Desconhecidas: diminuição do número de hemácias

, aumento dos

níveis de cloro no sangue

Doenças do sistema

imunitário

Desconhecidas: anafilaxia

, choque anafilático

reações alérgicas

sistémicas incluindo angioedema

, erupção cutânea localizada e

generalizada

, hipersensibilidade

, urticária

, prurido

Doenças do metabolismo e

da nutrição

Desconhecidas: hipoglicemia

Perturbações do foro

psiquiátrico

Raras: insónia

Desconhecidas: alucinações

, depressão

, perda de memória

apatia

, humor depressivo

, diminuição da libido

, pesadelos

nervosismo

Doenças do sistema

nervoso

Frequentes: disgeusia

Desconhecidas: isquemia cerebral

, acidente vascular cerebral

síncope

, aumento dos sinais e sintomas de miastenia gravis

sonolência

, disfunção motora

, amnésia

, deterioração da

memória

, parestesia

, tremores

, hipostesia

, ageusia

, tonturas

cefaleia

Afeções oculares

Frequentes: queratite punctata

, visão turva

, dor ocular

, irritação

ocular

Pouco frequentes: queratite

1,2,3

, secura ocular

, coloração vital da

córnea

, descarga ocular

, prurido ocular

, sensação de corpo

estranho no olho

, hiperemia ocular

, hiperemia conjuntival

Raras: erosão da córnea

, ardor na câmara anterior

fotofobia

aumento do lacrimejo

hiperemia da esclera

, eritema da

pálpebra

, crostas nas margens da pálpebras

Desconhecidas: aumento da relação escavação/disco no nervo

ótico

, descolamento da coroide após cirurgia de filtração

(ver

secção 4.4 Advertências e precauções especiais de utilização),

queratopatia

, defeito do epitélio da córnea

, afeção do epitélio da

córnea

, aumento da pressão intraocular

, depósito ocular

alteração de coloração da córnea

, edema da córnea

, diminuição

da sensibilidade da córnea

, conjuntivite

, meibomianite

diplopia

2, 3

, encandeamento

, fotopsia

, redução da acuidade

vidual

, insuficiência da visão

, pterígio

, desconforto ocular

queratoconjuntivite

sicca

, hipostesia do olho

, pigmentação da

esclera

, quistos subconjuntivais

, perturbações visuais

, inchaço

ocular

, alergia ocular

, madarose

, afeções da pálpebra

, edema

da pálpebra

ptose

Afeções do ouvido e do

labirinto

Desconhecidas: vertigens

, zumbidos

Cardiopatias

Frequentes: Diminuição da frequência cardíaca

Desconhecidas: paragem cardíaca

, insuficiência cardíaca

insuficiência cardíaca congestiva

, bloqueio auriculo-ventricular

perturbação cardiorrespiratória

, angina de peito

, bradicardia

frequência cardíaca irregular

, arritmia

, palpitações

taquicardia

, aumento da frequência cardíaca

dor no peito

edema

Vasculopatias

Pouco frequentes: diminuição da pressão arterial

Desconhecidas: hipotensão

, hipertensão

, aumento da pressão

arterial

, fenómeno de Raynaud

, mãos e pés frios

Doenças respiratórias,

torácicas e do mediastino

Pouco frequentes: tosse

Raras: dor orifaringea

, rinorreia

Desconhecidas: broncospasmo

(predominantemente em doentes

com doença broncospástica pré-existente), dispneia

, asma

epistaxis

, hiperatividade brônquica

, irritação na garganta

congestão nasal

, congestão das vias respiratórias superiores

gotejamento pós-nasal

, espirros

, secura nasal

Doenças gastrointestinais

Desconhecidas: vómitos

, dor abdominal superior

, dor

abdominal

, diarreia

, boca seca

náuseas

, esofagite

, dispepsia

desconforto abdominal

, desconforto no estômago

, movimentos

intestinais frequentes

, perturbações gastrointestinais

, hipostesia

oral

, parestesia oral

, flatulência

Afeções hepatobiliares

Desconhecidas: teste da função hepática anormal

Afeções dos tecidos

cutâneos e subcutâneos

Desconhecidas: urticária

, erupção maculopapular

, prurido

generalizado

, pele repuxada

, dermatite

, alopecia

, erupção

semelhante a psoríase ou exacerbação da psoríase

, erupção

eritema

Afeções

musculoesqueléticas e dos

tecidos conjuntivos

Desconhecidas: mialgia

espasmos musculares

, artralgia

, dor na

coluna

, dor nas extremidades

Doenças renais e urinárias

Pouco Frequentes: presença de sangue na urina

Desconhecidas: dor renal

, polaquiúria

Doenças dos órgãos

genitais e da mama

Desconhecidas: disfunção erétil

, disfunção sexual

, diminuição

da líbido

Perturbações gerais e

condições do local de

administração

Pouco Frequentes: mal-estar

Desconhecidas: dor no peito

, dor

, fadiga

, astenia

, desconforto

no peito

, nervosismo

, irritabilidade

, edema periférico

, resíduo

do medicamento

Investigações

Poucos frequentes: aumento do potássio sanguíneo

aumento da

lactato desidrogenase sanguínea

reações adversas observadas para o Azarga

outras reações adversas observadas com monoterapia com timolol

outras reações adversas observadas com monoterapia com brinzolamida

Descrição de reações adversas selecionadas

Disgeusia (sabor amargo ou não habitual na boca após a instilação) foi uma reação adversa sistémica

associada à utilização de AZARGA frequentemente relatada durante os ensaios clínicos. Esta reação é

provavelmente causada pela passagem do colírio na nasofaringe, através do canal nasolacrimal, e pode

ser atribuída à brinzolamida. A oclusão nasolacrimal ou fechar suavemente a pálpebra após a

instilação pode ajudar a reduzir a ocorrência deste efeito (ver secção 4.2).

O AZARGA contém brinzolamida, uma sulfonamida inibidora da anidrase carbónica com absorção

sistémica. Os efeitos gastrointestinais, no sistema nervoso, hematológicos, renais e metabólicos são

geralmente associados aos inibidores sistémicos da anidrase carbónica. O mesmo tipo de reações

adversas que são atribuídas aos inibidores da anidrase carbónica orais podem ocorrer com a

administração tópica.

O timolol é absorvido para a circulação sistémica. Isto pode causar a ocorrência de reações adversas

semelhantes às observadas em medicamentos bloqueadores beta sistémicos. As reações adversas

listadas incluem reações observadas com a classe de bloqueadores beta de uso oftálmico. As reações

adversas adicionais, associadas ao uso dos componentes individuais que podem eventualmente ocorrer

com o AZARGA estão incluídas na tabela acima. A incidência de reações adversas sistémicas após

administração tópica oftálmica é inferior à da administração sistémica. Para reduzir a absorção

sistémica, ver secção 4.2.

População pediátrica

O AZARGA não é recomendado a crianças e adolescentes com idade inferior a 18 anos devido à falta

de informações sobre a sua segurança e eficácia.

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é importante, uma

vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-risco do medicamento. Pede-se aos

profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas de reações adversas através do sistema

nacional de notificação mencionado no Apêndice V*

4.9

Sobredosagem

Em caso de ingestão acidental, os sintomas de sobredosagem de bloqueadores beta podem incluir

bradicardia, hipotensão, falência cardíaca e bronco espasmo.

Leia o documento completo

7 Westferry Circus

Canary Wharf

London E14 4HB

United Kingdom

An agency of the European Union

Telephone

+44 (0)20 7418 8400

Facsimile

+44 (0)20 7418 8416

E-mail

info@ema.europa.eu

Website

www.ema.europa.eu

© European Medicines Agency, 2014. Reproduction is authorised provided the source is acknowledged.

EMA/190551/2014

EMEA/H/C/000960

Resumo do EPAR destinado ao público

Azarga

brinzolamida / timolol

Este é um resumo do Relatório Público Europeu de Avaliação (EPAR) relativo ao Azarga. O seu objetivo

é explicar o modo como o Comité dos Medicamentos para Uso Humano (CHMP) avaliou o medicamento

a fim de emitir um parecer favorável à concessão de uma Autorização de Introdução no Mercado, bem

como as suas recomendações sobre as condições de utilização do Azarga.

O que é o Azarga?

O Azarga é um medicamento que contém duas substâncias ativas, brinzolamida e timolol. Encontra-se

disponível sob a forma de colírio.

Para que é utilizado o Azarga?

O Azarga é utilizado para reduzir a pressão intraocular (PIO, pressão no interior do olho). É utilizado

em adultos com glaucoma de ângulo aberto (doença em que a pressão no interior do olho aumenta

porque o fluido ocular não é drenado) ou com hipertensão ocular (quando a pressão no interior do olho

é superior à normal). O Azarga é utilizado quando o tratamento com um medicamento contendo

apenas uma substância ativa foi experimentado e não proporcionou uma redução suficiente da PIO.

O medicamento só pode ser obtido mediante receita médica.

Como se utiliza o Azarga?

O Azarga é administrado na forma de uma gota no(s) olho(s) afetado(s), duas vezes por dia. A

suspensão deve ser bem agitada antes da utilização. Em caso de utilização com outro medicamento

oftálmico, os medicamentos devem ser administrados com um intervalo de pelo menos 5 minutos. Se

o outro medicamento for uma pomada oftálmica, esta deve ser administrada em último lugar.

Azarga

EMA/190551/2014

Página 2/3

Como funciona o Azarga?

O aumento da PIO causa danos na retina (a superfície sensível à luz na parte posterior do olho) e no

nervo ótico que envia os sinais do olho para o cérebro. Isto pode resultar em perda grave de visão e

mesmo em cegueira. Ao reduzir a pressão, o Azarga reduz o risco de ocorrerem esses danos.

O Azarga contém duas substâncias ativas, brinzolamida e timolol. As duas substâncias atuam

reduzindo a produção de humor aquoso (fluido no olho) de formas diferentes. A brinzolamida é um

inibidor da anidrase carbónica que funciona através do bloqueio de uma enzima denominada anidrase

carbónica, que produz iões bicarbonato no organismo. O bicarbonato é necessário para a produção de

humor aquoso. A brinzolamida está autorizada na União Europeia (UE) desde 2000 sob a designação

de Azopt. O timolol é um bloqueador beta habitualmente utilizado no tratamento do glaucoma desde a

década de 1970. A associação das duas substâncias ativas tem um efeito aditivo, reduzindo a pressão

no interior do olho mais do que qualquer um dos medicamentos em monoterapia (isoladamente).

Como foi estudado o Azarga?

O Azarga foi estudado em dois estudos principais que incluíram um total de 960 adultos com glaucoma

de ângulo aberto ou hipertensão ocular. O primeiro estudo, com a duração de seis meses, comparou o

Azarga à brinzolamida e ao timolol em monoterapia e incluiu 523 doentes. O segundo estudo, de 12

meses, comparou o Azarga à associação de timolol com dorzolamida (outro inibidor da anidrase

carbónica) e incluiu 437 doentes. Em ambos os estudos, o principal parâmetro de eficácia foi a

alteração da PIO ao longo dos primeiros seis meses de tratamento. A PIO foi medida em milímetros de

mercúrio (mmHg).

Qual o benefício demonstrado pelo Azarga durante os estudos?

O Azarga foi mais eficaz do que as duas substâncias ativas em monoterapia e foi tão eficaz como a

associação de timolol com dorzolamida. No primeiro estudo, a PIO rondava os 21 mmHg no início e foi

reduzida em 8,0 a 8,7 mmHg nos doentes que receberam o Azarga. Em comparação, os doentes a

receber brinzolamida tiveram uma redução de 5,1 a 5,6 mmHg e os doentes a receber timolol uma

redução de 5,7 a 6,9 mmHg. No segundo estudo, após seis meses, a PIO, que inicialmente rondava os

26 mmHg, foi reduzida em 8,3 mmHg nos dois grupos de doentes.

Qual é o risco associado ao Azarga?

Os efeitos secundários mais frequentes associados ao Azarga (observados em 1 a 10 doentes em cada

100) são visão turva, dor ocular e irritação ocular. Para a lista completa dos efeitos secundários

comunicados relativamente ao Azarga, consulte o Folheto Informativo.

O Azarga é contraindicado em pessoas hipersensíveis (alérgicas) às substâncias ativas, a qualquer

outro componente do medicamento, a outros bloqueadores beta (como alguns medicamentos para o

coração) ou a sulfonamidas (um antibiótico). O seu uso é contraindicado em doentes que:

tenham (ou tenham tido) asma;

sofram de doença pulmonar obstrutiva crónica grave (DPOC, uma doença que provoca o

estreitamento das vias respiratórias);

tenham determinados problemas cardíacos;

sofram de rinite alérgica grave (alergia que afeta o nariz e as vias respiratórias);

Azarga

EMA/190551/2014

Página 3/3

tenham acidose hiperclorémica (excesso de ácido no sangue provocado por níveis excessivos de

cloreto);

sofram de insuficiência renal grave.

Para a lista completa de restrições de utilização, consulte o Folheto Informativo.

O Azarga contém cloreto de benzalcónio, conhecido por alterar a coloração das lentes de contacto

hidrófilas. Por conseguinte, pessoas que usem lentes de contacto hidrófilas deverão tomar as devidas

precauções.

Por que foi aprovado o Azarga?

O Comité dos Medicamentos para Uso Humano (CHMP) observou que a associação das duas

substâncias ativas do Azarga simplifica a terapêutica e ajuda os doentes a aderir ao tratamento. O

Comité concluiu que os benefícios do Azarga são superiores aos seus riscos e recomendou a concessão

de uma autorização de introdução no mercado para o medicamento.

Que medidas estão a ser adotadas para garantir a utilização segura e eficaz

do Azarga?

Foi desenvolvido um plano de gestão dos riscos para garantir a utilização segura do Azarga. Com base

neste plano, foram incluídas informações de segurança no Resumo das Características do Medicamento

e no Folheto Informativo do Azarga, incluindo as precauções apropriadas a observar pelos profissionais

de saúde e pelos doentes.

Outras informações sobre o Azarga

Em 25 de novembro de 2008, a Comissão Europeia concedeu uma Autorização de Introdução no

Mercado, válida para toda a União Europeia, para o Azarga. O EPAR completo sobre o Azarga pode ser

consultado no sítio Internet da Agência em:

ema.europa.eu/Find medicine/Human medicines/European

public assessment reports. Para mais informações sobre o tratamento com o Azarga, leia o Folheto

Informativo (também parte do EPAR) ou contacte o seu médico ou farmacêutico.

Este resumo foi atualizado pela última vez em 03-2014.

Produtos Similares

Pesquisar alertas relacionados a este produto

Ver histórico de documentos

Compartilhe esta informação